Posted by : CanasOminous May 8, 2012

Aerus remexia as toras de madeira que queimavam na fogueira, o pequeno Pachirisu estava ao seu lado enquanto ouvia algumas histórias narradas por Glaciallis. O General Duskull mantinha a proteção de todos os seus companheiros, os guerreiros precisavam descansar para que no próximo dia seguissem com uma viagem por uma rota repleta de oponentes poderosos. Os treinos dentro da guilda deveriam aumentar, o caminho a partir daquele ponto seria muito pior.
A dama de gelo segurava o pequeno livro de capa vermelha em suas mãos. Roselia, Pachirisu, Shellos e Chimchar se aglomeravam a sua volta ouvindo o tom suave de sua voz serena, até mesmo o pequeno Togepi se divertia com os contos, ainda que preferisse manter a distância para manter sua fama de malvado. O dragão encarou Glaciallis por um instante, Froslass sorriu e fez um aceno retribuindo gentilmente. Mikau não pôde perder a chance de caçoar do amigo.
 Sério mesmo que vai ficar dando em cima da futura esposa do General? Olha que ele fica de olho em você hein, por baixo daquele tapa olho ele deve enxergar mais do que você imagina. — disse Mikau.
— Nem brinca, a Glaciallis é uma amiga. — argumentou Gabite — É que nós ainda temos poucas fêmeas na equipe. Ou elas são muito novas, ou já estão comprometidas.
 E quanto à Senhorita Titânia?
Gabite soltou uma longa risada histérica e debochante, Mikau apenas ficou sério por um momento, mas depois caiu na risada pela forma exagerada como o dragão se expressava.
— Titânia? A Titânia nem entra no quesito de fêmeas, cara. E eu posso provar.
Mikau duvidou do que o dragão falava, mas estava curioso para saber como seu companheiro provaria aquilo. Gabite soltou um assobio para chamar a atenção de seu General. O fantasma manteve sua postura e caminhou com passos robustos até o mais jovem, perguntando do que os dois precisavam. Gabite logo aprontou sua questão:
 Nós temos poucas fêmeas na equipe, não é?
Duskull levou sua mão até o queixo num sinal pensativo.
 Digo que pelo fato delas serem mais importantes em nossa vida do que nós na delas, então estaríamos sofrendo uma baixa quanto à quantidade de fêmeas na guilda. Por outro lado, muitas delas são jovens e virão a se tornar grandes guerreiras no futuro. Contamos com minha amada Princesa de Gelo, a pequena Roselia, a jovem Chimchar, a Senhorita Gardevoir, a Senhorita Milotic, a Senhorita Glaceon, e a Senhorita Wiki, em meados.
— Não está esquecendo de ninguém? — brincou Gabite.
— Perdão? Hm, acredito que não, Coronel Dracônico.
— Sério mesmo? Pensa um pouquinho, General.
O fantasma fez uma posição pensativa novamente e olhou a sua volta no acampamento. Notou que Titânia conversava com Murkrow e Gardevoir em frente ao salão central, só então Duskull notou sua falta.
Hm... Oh, sim! Como pude ser tão esquecido! Eu contei a Senhorita Gardevoir?
Gabite caiu na risada novamente.
 Eu disse! Ninguém lembra da Titânia como uma fêmea, estou falando.
Duskull admitiu o erro que cometeu, revelando um riso discreto. Quando machos se juntavam eles só sabiam falar sobre as mesmas coisas, mas Titânia tinha ouvidos atentos, a serpente aproximou-se das costas do dragão e tocou levemente em suas ombros como uma cobra que se enrola em sua presa pronta para dar o bote.
— Sobre o que exatamente os senhores estavam rindo? Tenho uma ligeira impressão de que falavam de mim.
Ahh... Você deve estar ouvindo coisas, Tih. — argumentou o dragão.
— Vou dizer claramente o que ouvi: Ninguém lembra da Titânia. E se minha boa memória não me falha, vocês comentavam à respeito das mulheres da equipe. Logo, o que exatamente vocês falavam sobre a minha pessoa?
Gabite pareceu gelar, não estava nem um pouco a fim de ser espancado naquela noite. Mas o dragão era astuto, tinha raciocínio rápido e sua perspicácia logo encontrou uma saida.
— Falávamos sobre um concurso que estaremos realizando. Uma competição de queda de braço, então, eu falei que o pessoal deveria incluir você para participar também. A princípio seria uma competição só entre os machos, mas abrimos um espaço para você.
 Está querendo dizer que eu pareço um homem?
— Nãoooo, digo, você sempre entende tudo errado...
O dragão havia saído de uma cilada para cair em outra pior ainda, mas dessa vez Titânia não se enfureceu. Já havia ouvido falar do jogo de queda de braço, era um costume bem antigo datando da época em que a guerreira estava em seu auge. A competição lhe parecia ser muito interessante.
— Vou me inscrever. Obrigada por lembrar de meu nome, Gabite. Vamos esquecer as controvérsias e nos divertimos hoje, certo? — sorriu a serpente.
 Bacana! Podemos realizar a competição no bar, se a Gardevoir permitir. Eu, o General e o Aerus já estávamos organizando tudo. — acompanhou Mikau já emendando a desculpa arranjada pelo companheiro.

A equipe se reuniu em volta da fogueira central e Gabite tomou frente para explicar seus propósitos. Froslass fechou o livro e prometeu continuar a história mais tarde, todos os pequenos voltaram sua atenção para o líder que anunciava o primeiro campeonato de queda de braço realizado dentre os Fire Tales. Muitos não sabiam do que se tratava, mas os guerreiros mais antigos já tinham um conhecimento amplo sobre a mecânica do jogo.
 Queda de braço? Como funciona exatamente? — comentou Leafeon à distância, encostado em uma parede com sua esposa ao seu lado. O protetor Lairon parecia conhecer muito bem a mecânica da disputa, o dragão metálico até parecia estar mais interessado naquilo do que qualquer outro, afinal, na questão do porte físico ele era o maior de toda a equipe.
— Os adversários sentam-se em mesas encarando seu oponente, e entrelaçam suas mãos com o intuito de derrubar a do adversário. O vencedor é aquele que tiver maior resistência e força. — explicou Lairon.
 — Senhor Atros, lembro-me de vê-lo participando em torneios deste tipo quando ainda morávamos em Hoenn. Era um costume típico em nosso reino. — continuou Glaceon — E se não me engano, o Senhor foi várias vezes campeão, estou certa?
Lairon deu uma risada rasteira e acenou positivamente, mas pediu silêncio. Ele queria testar a força de seus companheiros, e para isso, eles deveriam enfrentá-lo sem que sequer soubessem que ele já era um veterano na técnica. Leafeon deu um sorriso e voltou a falar:
 Quero participar também, parece ser interessante. Vai participar também, milady?


— Ora, e sujar minhas roupas lutando contra a plebe? Eu sou do tipo de princesa que se senta no trono e apenas aprecia as vitórias. Mas se você for entrar nessa competição, é bom levar o primeiro lugar para casa!
Logo, a voz de Gabite tornou a interrompê-los, o dragão anunciava que haveria um prêmio para o primeiro colocado. O pequeno Pachirisu subiu em seu ombro para ganhar altura, e assim, revelou um objeto muito almejado em sua mão. Tinha uma forma bem pequena, mas sua cor azulada parecia brilhar intensamente em qualquer lugar da guilda naquela noite. Era o doce mais almejado por qualquer Pokémon, os raríssimos Rare Candies.
— O vencedor levará uma montanha de Rare Candies para casa! Ouviram isso? Uma montanha dos melhores doces do mundo, os mais raros, os mais cobiçados! — disse Gabite, conseguindo convencer qualquer Pokémon de participar da disputa. Pachirisu demonstrava um único exemplar para dizer que não mentia, aquela competição parecia ter se tornado algo maior do que uma simples diversão.
— Mas tenho um aviso antes, todos os machos podem participar, mas vamos restringir a entrada às fêmeas, tudo bem? Elas são senhoritas delicadas, e nós precisamos de uma plateia para bater as palmas! Hah, hah, hah... Brincadeira.
As guerreiras da equipe não pareciam ter gostado muito da ideia.
— Uhhh!! Gabite, seu preconceituoso! Machista!! Deixa a gente participar! — gritou Chimchar.
— Não é por nada, Chimchar, mas cada uma de vocês tem um cara super-protetor na cola que não deixariam o oponente encostar sequer um dedo em suas protegidas. Logo, por via das dúvidas é melhor deixarmos as fêmeas de fora para evitar uma possível guerra ainda maior entre nós mesmos.
O corvo negro aproximou-se da macaquinha e tocou no ombro da pequena. Murkrow ajeitou seu chapéu e sorriu.
— Ele está certo. Eu participarei por você, minha pequena.
Chimchar hesitou por um momento, mas cedeu. Além de Titânia, nenhuma outra fêmea entraria na jogada, e depois do anuncio da montanha de Rare Candies o jogo parecia ter ficado mais sério. 
— E por que não deixaram eu participar também? — indagou Togepi.
— O seu caso é o oposto, haveria uma Gardevoir furiosa para acabar com quem encostasse em você, e além do mais, ela é a organizadora do evento. Continue do lado dela, acredite, é mais seguro. — continuou Gabite
Nenhum Pokémon agora olhava para seu companheiro com um ar de amizade, eles haviam se tornado oponentes mortais, e lutariam até o fim para obter o prêmio fosse para si ou para suas amadas. Cada qual motivado por seus devidos objetivos.
— Quero ter essa montanha de Rare Candies só para mim. Esse prêmio já está ao nosso alcance. — comandava Glaceon como se fosse a treinadora de Leafeon e Lairon.
 Honrarei o nome das mulheres levando o prêmio nessa competição. — disse Titânia.
— Já que tá no inferno abraço o capeta, né? Fazer o quê... — riu Gabite — Eu criei essa parada e agora vou levar o prêmio. Fua, pode preparar a montanha de doces, hoje à noite tem festa.
— Brilho da minha noite, deusa da aurora. Você gostaria de receber esse prêmio? — perguntou o General Duskull. Glaciallis acenou de forma envergonhada, um prêmio como aquele era uma tentação para qualquer criatura, e o fantasma faria de tudo para levá-lo para sua amada. — Sua confirmação é o que necessito para levar este prêmio e deixá-lo em seus braços. Eu iria até o fim do mundo para conseguir todos os presentes que quiseres!
— Vamos lá, Milena, vou entrar nessa só para acabar com aquele dragão se nós formos oponentes, mas de qualquer forma, tenho certeza que você será recompensada com os doces. Nós dois somos os mais promissores da equipe, torça por nós! — disse Mikau.
Gardevoir guiou toda a guilda para o bar, e abriu-o até mesmo para os pequenos que teriam o privilégio de assistir aquela grande batalha entre gigantes. Lairon carregou todas as meses e posicionou-as de forma estratégica, seriam seis delas. Doze participantes, e apenas um em cada mesa iria para a próxima rodada.
Foi a vez de Gardevoir retirar os papéis com os nomes dos participantes. Aquela etapa poderia ser garantida pela sorte e já desclassificar oponentes poderosos se seus adversários fossem mais experientes. Os guerreiros antigos eram os mais qualificados a levarem a vitória. Sophie segurou uma pequena sacola e pediu para que Togepi retirasse dois papéis. Os competidores suavam frio, a primeira batalha havia sido formada.
— Lairon. — disse Togepi, lendo um dos papéis. O pequeno em seguida abriu o segundo e falou de forma séria — Contra a serpente Titânia.
A morena soltou um suspiro que demonstrava sua surpresa com o resultado. Lairon e Titânia seriam as duas promessas das finais na competição, mas acabaram por se encontrarem logo na primeira disputa. Gabite caia na risada e gabava-se da forma como acabara de liquidar um dos gigantes da competição.
Cada um dos papéis fora retirado por um dos pequenos, para que não dissessem que houve alguma espécie de trapaça por parte de Gardevoir que já levava uma má fama com suas habilidades psiquícas. Quem retirou o nome de Gabite foi Pachirisu, o dragão fez um sinal positivo para seu irmãozinho que acenou de volta, dizendo na sequência o nome do oponente do dragão.
— Gabite contra Piplup.
— Ahh, o Piplup? O mané bobinho da esquina? Vish, nessa eu já garanti espaço para a segunda fase. — brincou o dragão, acenando para o pinguim de forma irônica — Ae, brother. Valeu por garantir minha vaga na segunda fase!
— Não cante sua vitória antes da hora, seu dragão desengonçado. Estou à serviço da minha mãezinha, a Glaceon. Vou levar essa montanha de Rare Candies para ela custe o que custar! Eu não posso perder, não posso.



 Flashback On

— Filhote, vem cá, mamãe precisa falar com você. Sabe a competição? Então, mamãe quer muito o prêmio, muito mesmo, não importa o vencedor. Se você ganhar a mamãe vai ficar muito feliz! Mas se perder eu arranco o que você tem de mais precioso, tudo bem? Boa sorte, queridinho.

Flashback Off

Todos os oponentes foram escolhidos através dos papéis e agora a competição estaria tomando início. Gardevoir subiu em cima do balcão e vestiu-se como uma apresentadora, dizendo em alto e bom tom para todos seus companheiros que agora pareciam inimigos mortais. Cada qual movido por seus respectivos objetivos. Um duelo de gigantes com braços de aço estava para tomar início.
— Senhoras e Senhores, vamos dar início à nossa primeira competição de queda de braço! Doze participantes nessa primeira fase, mas apenas seis passarão, e no fim, apenas um levará o prêmio de um milhão de Rare Candies! A seguir, vocês conferem suas respectivas mesas e seus adversários.

Cada Pokémon foi em direção de sua mesa para enfrentar o primeiro desafio. Alguns mais fáceis, outros mais desafiadores, mas todos movidos pelo prêmio central. Na primeira mesa Titânia encarou o gigante Lairon, a moça tinha esperanças de honrar as fêmeas e mostrar para toda a equipe sua força, mas enfrentar o poderoso guardião metálico parecia ser mais difícil do que esperava. Os dois se encararam mortalmente. Glaceon tinha anseios de que se protetor lhe trouxesse a vitória, mesmo que fosse contra uma das guerreiras mais poderosas da equipe. Gardevoir anunciou o início, e os dois começaram a disputa.
— Woaah, vejam só este duelo de titãs! De um lado temos o braço de gigantes do Senhor Atros, mas a Titânia não se dá por vencido! Os dois ainda não sairam da posição inicial, que luta acirrada! Precisaremos de outra mesa, porque acho que essa vai quebrar a qualquer momento!
Titânia forçava seu braço ao máximo, gotas de suor escorriam de seu rosto delicado que mantinha uma feição de esforço e cansaço. Lairon tinha uma mão maior e braços mais longos, mas sua máscara de ferro parecia ser capaz de explodir naquela situação. Seu rosto estava avermelhado, e as veias começavam a saltar pela força que faziam. Lairon pressionou com mais força, e a serpente soltou um gemido de dor. E então, Titânia abriu uma brecha para sua derrota. Assim que seu braço saiu da posição inicial foi o suficiente para que ela perdesse contra um único impacto que a jogou contra o chão.
— Lairon, Lairon!! O Senhor Atros destruiu a adversária mais poderosa da competição, garantindo sua classificação para a segunda rodada! Isso é incrível, já temos o primeiro vencedor!
Lairon levantou-se ajoelhou ao lado de Titânia para ajudá-la a se levantar. Agora os dois já se acalmavam, e como uma grande guerreira a serpente admitia a derrota.
— O Senhor merece meus parabéns, nunca vi tamanha força física. — disse Titânia.
— Já sou veterano nesse jogo, pratico há pelo menos três anos, então eu levo vantagem sobre qualquer competidor aqui. Eu não participaria se fosse por mim, acho injusto, mas minha senhora quer o prêmio, então estou disposto a levá-lo. — explicou Lairon.

• • •



Gardevoir seguiu para a segunda mesa, ao lado do General Duskull e do corvo negro. Outra batalha grandiosa, ambos tinham os braços travados, os músculos do fantasma normalmente ficavam escondidos por suas mantas, mas agora era claro sua força física quando ergueu suas mantas. Murkrow era discreto, mas escondia uma força enorme para sua raça.
— General, nosso adorado militar contra a sombra misterioso do norte. Castelo Branco e Al Capone se enfrentarão, mas será que esse corvo mafioso será capaz de derrubar a fortaleza ominosa?
Chimchar acreditava em seu companheiro, Murkrow não apreciava ser o centro das atenções, mas se sua protegida almejava por algo ele estava disposto a fazer o necessário. Duskull hesitou por um momento, pois era bem mais velho que seu oponente, mas de relance pôde ver o rosto de Glaciallis a zelar por sua proteção. Os dois se encararam, e o General lembrou-se de sua promessa como se pudesse ler os lábios da amada mesmo àquela distância.
— Por favor, por favor. Não perca.
Duskull juntou todas as suas forças restantes contra oponente e com enorme âmbito Murkrow viu sua derrota em poucos segundos. Havia sido uma virada incrível, sempre em prol de sua dama. Duskull levantou-se, colocou o chapéu em sua cabeça, e agradeceu a batalha.
— Vitória do nosso grande General! É algo maior do que devoção, algo maior do que força, isso se chama amor! Se depender de nosso militar teremos o prêmio de um milhão de Rare Candies dado à Senhorita Glaciallis! Sorte dela por ter um homem tão devotado!
Murkrow ajeitou seu sobretudo e caminhou em direção da saída, Chimchar o aguardava, a pequena abraçou-o com muita força, e mesmo apesar da derrota, ela tornou a sorrir. 
 Desculpe-me por não poder ter levado a vitória.
— Você batalhou por mim, deu tudo de si! Vou sempre acreditar em seu potencial, e estarei sempre torcendo por você! Obrigado, tio Murkrow!

• • •



A próxima batalha seria de Gabite contra Piplup. O pinguim encarou o dragão que ria de forma sarcástica como sempre, mas dessa vez, Piplup precisava ganhar, mais do que qualquer outro competidor. Era sua honra em jogo, sua vida, e ele precisava fazer de tudo para alegrar a rigorosa Glaceon.
— Oe, pinguim. Você consegue lamber o cotovelo? — perguntou Gabite.
— Não tente me distrair, seu dragão bocó!! Eu vou ganhar de você e mostrar para minha mãe como sou um guerreiro capacitado!
Os dois sentaram encarando um ao outro, Gabite não retirou os óculos escuros, preferia não encarar o rosto do adversário, às vez o oponente podia intimidar o outro somente pelo olhar. Não que fosse necessário com o pobre Piplup, mas o dragão apenas gostava de parecer estiloso em sua vitória. Gardevoir preparou-se e fez um rápido aceno que deu início à rodada:
— Já podem começar! — disse Gardevoir.
— Já acabou. — respondeu Gabite, levantando-se da mesa e caindo na risada — Tô no aguardo do próximo competidor, valeu pelo aquecimento.
Piplup virou-se para trás receoso e se deparou com Glaceon segurando um canivete e fazendo barulhos de metal enquanto a afiava numa parede de pedra. Provavelmente o mesmo canivete lendário utilizado por sua dona, mas Glaceon não parecia manusear tal objeto com a mesma habilidade.
— Corre, filhote. Enquanto ainda dá tempo.

• • •



Mikau parecia ter muito dificuldade em desafiar Mozilla. O guerreiro cibernético tinha força, e a cada segundo que passava ele parecia adquirir mais dados e aumentar sua capacidade física. As habilidades avançadas de Porygon-Z sempre eram uma surpresa. O jovem Horsea precisava revidar de alguma maneira antes que perdesse para seu oponente, não podia decepcionar Milena. Da mesma forma que Gabite usava um par de Blackglasses, Mikau sentia falta disso. Os olhos de Mozilla pareciam hipnotizá-lo, e ele continuava tão sério quanto no momento que iniciou a disputa.
— Wow, wow, wow!! Pelo visto nosso companheiro Porygon-Z está levando a maior! Mikau despenca cada vez mais, ele está entrando num estado sem volta, em breve poderemos anunciar o próximo vencedor!! — disse Gardevoir.
De repente, Mikau levantou seu rosto e encarou Wiki do outro lado. A moça ainda tinha a mesma força de Mozilla, mas a diferença é que suas habilidades de sedução pareciam ser mais efetivas contra o jovem Mikau.
 Psiu, você vai me deixar ganhar, não é? ♥ — disse Wiki num tom provocativo.
Mikau cedeu ainda mais, até que pôde ver sua amiga Milotic levantar-se e apontar para ele do outro lado da plateia, gritando com todas as forças:
— Não se deixe enganar, Mikau! Ela está te seduzindo! Como é que vai ficar se você não ganhar essa e passar a Wiki como adversária do Gabite? — disse Milena.
 G-G-Gabite...? Ele conseguiu passar...? — indagou Mikau nervoso, tremendo enquanto tentava evitar a derrota. Saber que seu rival tinha passado na competição foi o suficiente para que ele erguesse todas as suas forças restantes e revidasse. Wiki gemeu de dor por um momento, Mikau tombou o braço da moça do outro lado e arquivou sua vitória. Milotic comemorou muito, e agora, Gabite tinha certeza que teria um rival à sua altura na segunda etapa.
— Me perdoe, Wiki. Eu não queria machucá-la...
— Não esquenta, Mikau. Tenho a mesma resistência em minhas duas formas. Pode considerar que me derrotou de homem para homem, não pense que esse corpo feminino evidencia a delicadeza de uma mulher. — disse ela com um sorriso, dando uma rápida piscada e então deixando a mesa.

• • •



Outros dois combates haviam sido realizados, o primeiro de Leafeon contra Machop e o segundo de Mothim contra Shieldon. Apesar de ser um guerreiro antigo, Shieldon acabou por perder para seu oponente. Os dois eram um dos poucos que competiam somente por se divertir, o restante da equipe parecia levar aquilo como uma verdadeira guerra.
— Marco... — chamou Shieldon — Eu estou aqui contra a minha vontade.
A mariposa caiu na risada.
 Sério? Eu só estou para me divertir, mas por sorte, está sendo bem legal! — respondeu Mothim.
— Vamos fazer o seguinte, você passa para a próxima fase, e nós dois saímos felizes dessa competição. Compreendido?
Mothim já havia garantido sua passagem para a segunda fase, Shieldon não gostava de chamar muita atenção, e ultimamente, havia passado a distanciar-se um pouco mais de seus colegas. Pelo menos, teria um pouco de sossego se saísse discretamente e voltasse a fazer seus respectivos afazeres.
Leafeon aproximou-se de Glaceon com um sorriso sincero, a felina segurou nos braços do marido e perguntou com muita ênfase:
 Preparado para a próxima etapa?
 Eu não, não passei da primeira. — disse Leafeon com uma risada.
Glaceon não parecia nada satisfeita com aquela notícia.
— N-Não passou? Senhor Isaac, você não passou?! Dos três somente o Lairon foi bem sucedido, desse jeito tenho ainda menos esperanças de levar o prêmio! Suma daqui, vá para fora esperar junto com seu filhote derrotado!
Leafeon era um sujeito bem calmo, e por coincidência, era um dos poucos que ainda tinha paciência de lidar com sua esposa. Mesmo que fosse uma paciência limitada.
— Querida, é só um jogo. Independente de quem leve esse prêmio, tenho certeza que compartilharia com todo o restante da equipe. Você precisa de mais espírito esportivo, participar é o que mais importa.
— O que importa é aquele que levar esse prêmio, e quando eu ganhá-lo, não vou compartilhar com ninguém.
Leafeon não gostou do que ouvira. Era raro ele perder a calma, mas quando aquilo acontecia ele se tornava a criatura mais perigosa do mundo. Lairon ouvira a conversa, Leafeon aproximou-se do gigante e sussurrou em seu ouvido.
— Perca.
Glaceon passou do outro lado de seu protetor e sussurrou da mesma maneira:
— Ganhe.


• • •



A próxima rodada estava anunciada. Seis foram os que passaram, e agora, apenas três permaneceriam na rodada. Dois se enfrentariam entre si, enquanto uma quarta pessoa teria a oportunidade de voltar e competir mais uma vez antes da final. Lairon continuava como o favorito para as finais. O General Duskull prometia dar tudo de si para trazer o prêmio à sua amada. Mikau e Gabite enfrentariam-se como dois inimigos mortais, e na mesa mais distante e vazia, Mothim e Machop se encaravam. Os dois eram os únicos que se divertiam com a competição.
— Tá frio hoje, né? — perguntou Machop.
 Verdade, tem feito bastante frio. — continuou Mothim.
— Bom, vamos terminar essa brincadeira e ver quem vai para as finais? Boa sorte aí, amigão.
Lairon sentou-se em frente de Duskull que retirou seu chapéu e ergueu a manga direita de seu uniforme. Aquela seria uma das lutas mais acirradas, o fantasma olhou de relance para Froslass que ainda segurava suas mãos contra o peito implorando que nada de ruim acontecesse com ele. Duskull estava disposto a fazer o que fosse necessário para levar o prêmio.
Glaceon aproximou-se de Glaciallis com seu ar exibido de sempre. A felina sentou-se ao lado da moça e empinou o nariz como se tudo aquilo fosse um jogo de apostas, e começou a gabar-se de toda sua proeza e conquistas.
— O Senhor Lairon já foi campeão dessa modalidade em nossa região. Ele é um verdadeiro veterano, sabia disso?
— Que bom... — respondeu Glaciallis sem graça, sem perceber a patada que acabara de dar em sua suposta oponente. A batalha ocorria na mesa, mas na plateia as duas também pareciam se enfrentar. Glaceon persistiu:
 Você viu o tamanho dos braços do Senhor Lairon? Ele derrotou até a indestrutível Titânia, ele seria capaz de derrotar qualquer membro dentro da guilda.
— Que pena, eu torcia pela Senhorita Titânia, eu acho... Mas, fico feliz que o Senhor Lairon tenha passado... — continuou ela de forma delicada.
— Ah, o Senhor Lairon tem cinturões de suas conquistas. Ele é o melhor competidor de braço de ferro do mundo. Oh, já estou pensando no que fazer em minhas férias depois de levar esse prêmio para casa.
Glaciallis virou-se para Glaceon com uma feição de timidez, e após muito refletir tentou dizer da forma mais educada que encontrou.
— Você poderia ficar quieta? Por favor. Obrigada...


Finalmente parecia que Glaceon sossegara, Duskull e Lairon batalhavam como dois canhões um de frente para o outro. Por pouco a mesa não quebrava. O braço de Lairon era mais forte do que o de General, e pouco a pouco o militar perdia sua posição. O som de algo sendo trincado pareceu ser ouvido, Glaciallis levantou-se assustada ao pensar que poderiam ter quebrado o braço de seu acompanhante. Duskull pôde ver de relance sua dama de gelo em pé, ela torcia por ele. Não era hora de perder.
— Minha Princesa de Gelo está olhando, eu vou levar essa vitória... por ela...!
O General revidou de tal maneira que até mesmo o grandioso Lairon debruçou-se sobre a mesa após ser derrotado. Os olhos de Glaceon praticamente saltaram para fora enquanto ela cuspia toda a bebida que tinha na boca. Os seus três competidores haviam sido derrotados, e o prêmio agora parecia bem longe de suas mãos.
 O quê?? Como o campeão do mundo pode perder para alguém normal?? Juíza, houve roubo, eles estão trapaçeando, faça alguma coisa!! — gritou Glaceon.
— Por favor, Milady, você terá outras chances de voltar a competir. Ainda haverá um sorteado na próxima rodada, e se você tiver sorte, o Piplup volta para o jogo. — brincou Gardevoir.
Glaceon saíra do bar de forma histérica, chutando as mesas quebradas e condenando até as próximas encarnações. Leafeon aproximou-se de Lairon e comentou com o companheiro:
— A Mila precisava dessa lição, foi bom o Senhor ter perdido. Mas, diga-me uma coisa, você batalhou seriamente ou deixou-se derrotar? — perguntou Leafeon.
Lairon virou-se para seu lorde e acenou positivamente.
 Com todas as minhas forças.

• • •



A segunda batalha era de Gabite contra Mikau. As finais estavam próximas, e o vencdor teria a oportunidade de batalhar contra o temível General. Nenhum dos dois ousava dizer nada, o dragão encarava seu oponente com um ar de sarcasmo, da mesma forma que Mikau mantinha-se sério para intimidá-lo.
— A florzinha passou de nível? — debochou Gabite.
— Contra um adversário um milhão de vezes mais poderoso do que o seu. E agora, vou ter o privilégio de acabar com a sua cara depois de ganhar essa rodada. — respondeu Mikau.
O bar ficou em silêncio, aquela poderia vir a ser a maior disputa do dia. A queda de braço tomou início e os dois exalavam suas forças em sua respiração que se prendia. Gardevoir ficava em silêncio, até ela sentia a adrenalina de dois rivais mortais. O jogo estava tão empatado que não tinha como prever o final.
Nenhum dos dois se daria por vencido, poderiam perder para qualquer um, exceto para o outro. Milotic não sabia para quem torcer, apenas queria que eles terminassem aquela luta logo. Aerus suava, os óculos escuros até caíram de seu rosto no meio da disputa. Os braços se entrelaçavam como correntes e continuavam a batalha com enorme equilibro. 
Então, a mesa foi destruída. Os dois Pokémons foram ao chão e bateram seus braços com enorme força a ponto da construção tremer. Gardevoir tomou sua posição e num grito histérico anunciou o vencedor:
— Empate!!
— O quê? Como assim? Faça uma análise de pontos, o braço dele pencou para o meu lado por mais tempo! — argumentou Mikau.
 Exijo uma revanche!! Essa mesa não é digna de receber nossa força!! — gritou Gabite.
Milotic aproximou-se dos dois amigos e colocou seu braço em seus ombros demonstrando um sorriso sereno.
— Foi um empate, os dois estão no mesmo nível! Vejam só, dessa forma, a luta se facilitará, não teremos de resgatar um derrotado do primeiro turno, já que tivemos dois vencedores no segundo round, e os dois poderão competir no último turno.

Mikau e Gabite tiveram de ceder. Os dois não aceitavam a ideia do empate, mas quando tinham a atenção de Milena poderiam entrar num acordo. Em breve o último turno se iniciaria. Duskull apenas aguardava seu oponente, estava de pé com o chapéu em mãos, e assim, Gardevoir anunciou os dois finalistas.
— Senhoras e Senhores, chegamos ao final de nossa competição! Ambos invictos, ambos enfrentando adversáriso poderosos, ambos competindo por Um Milhão de Rare Candies!! De um lado, a muralha humana, Castelo Branco!! E do outro... o poderoso... Maaaaaaachooooop!!
Só os jovens aplaudiram, os demais não tinham mais forças para bater palmas. Machop era o adorado do momento, ergueu os suspensórios e jogou os cabelos para trás. Fez um sinal de "paz e amor" para seu líder e sentou-se na mesa.
— Não vou pegar leve com você, meu jovem, estou à serviço de minha senhora e preciso desse prêmio. — disse Duskull.
— Fica tranquilo, chefia. Tô nessa pra me divertir, não importa quem seja o vencedor. Mas, se não for pedir muita, tenta não quebrar meu braço, ok?
Os dois riram, pelo menos, o desafio final teria um clima mais agradável do que qualquer outra disputa. Agora a plateia era formada somente pelos pequenos. Roselia e Shellos torciam por seu amigo, enquanto Togepi aguardava que alguém saísse sem braço. Gardevoir anunciou o início da última batalha,  Duskull não precisou de muita força para segurar os braços finos de Machop, o fantasma soltou um sorriso rasteiro e virou-se em direção de Froslass.
— Minha querida, este prêmio é seu! — disse o fantasma.
Porém, não havia ninguém na arquibancada em que Froslass estava. O militar arregalou seus olhos e chamou pelo nome de sua primeira dama inúmeras vezes.
 — Onde está a minha princesa de gelo??
— Ah, a Glaciallis disse que iria ao banheiro. — disse Shieldon.
Duskull soltou um grito de decepção e discórdia. Desconcentrou-se totalmente na batalha, ficou pensando na forma como Glaciallis não poderia ver seu momento triunfal levando a vitória na competição. E quando notou, tinha o braço fino de Machop sob seu punho.
Levou um tempo para que a plateia percebesse que a competição tinha terminado. Machop levantou-se da mesa e repetiu o sinal de paz e amor com suas mãos. Só então os pequenos bateram palmas, podia se ouvir cerca de três Pokémons comemorando a vitória. O resto já aguardava o retorno de Gardevoir nas Casas de Cura, o que antes deveria ser uma diversão acabou virando m confronto mortal.
 O que me diz disso, soldado?
— Ah, acho que eu ganhei. UHUUL! — gritou Machop.
Duskull encostou sua cabeça na mesa e assumiu a derrota. Só mais tarde Glaciallis foi retornar ao bar e saber da derrota de seu parceiro. O militar não parecia estar em seus melhores momentos.
— Eu... sou... uma... fraude... — resmungava o fantasma.


Machop correu em direção do balcão para pegar seu prêmio. Gardevoir aplaudia a vitória do mais novo junto com as demais crianças. Pachirisu estava sentado sobre uma das banquetas giratórias, ele tinha uma bala em sua mão, e com um sorriso animado entregou-o para seu companheiro vencedor:
— Oi, Machop! Aqui está o seu prêmio. — disse o esquilo, entregando um único doce para o pequeno humanoide. Machop ergueu seu olhar em direção dele e perguntou:
— Só um?
Togepi deu um pulo e assustou o companheiro apontando para ele e rindo de sua cara enquanto deixava a sala.
— Sério mesmo que você pensou que o prêmio seriam tantos Rare Candies assim? Ninguém no mundo tem um depósito desse tamanho. Ninguém perdeu o braço, então o prêmio só vem pela metade. É uma troca justa. — disse Togepi.
Machop não parecia estressado, ele abriu o pacote da bala e olhou para seus companheiros.
— Não tem problema, eu ganhei um doce. Então vamos compartilhar esse Rare Candy com todo mundo!
Machop segurou o doce minúsculo sobre a mesa e cortou-o em vinte e um pedaço aparentemente iguais. Desse modo, todos os seus companheiros poderiam ser beneficiados da mesma forma. O jovem Sly jogou seu pedaço na goela e pôde sentir o gosto suava do doce.

Machop gained 4 EXP. Points!

Por fim, a grande batalha havia terminado. Provavelmente os Pokémons da Fire Tales ficariam um bom tempo sem realizar nenhum tipo de competição, ou pelo menos, era isso que eles imaginavam.
— Semana que vem já podemos começar os preparativos para um novo concurso! A Competição de Bebida, o que acham da ideia? — sugeriu Gardevoir.
— NÃO!! — foi o suficiente para para que a ideia desaparecesse por algumas semanas.



Antes dessa enquete ter sido lançada eu já tinha pré determinado o grande vencedor da disputa. Acredito que este possa vir a ter sido somente nossa primeira competição, e eu garanto que ainda haverão muitas outras no futuro. E você? Ganhou a aposta?

{ 7 comments... read them below or Comment }

  1. Finalmente o Fire Tales 14. Estava esperando ansioso por ele.
    Eu não acertei quem ganhou, mas teve um bom motivo para isso. Eu votei no Lairon já que sabia que ele era um guerreiro poderoso e ele só perdeu, pois a Mila precisava dessa lição como disse o Isaac. Pelo menos assim eu espero e acho, pois o Atros é muito forte nesse jogo e não perderia para o General (ou perderia?).
    Percebi que como você disse você liberou três nomes: Isaac, Mila e Atros. E a montanha de Rare Candies enorme conseguida pelo Machop foi a maior ajuda para sua evolução com seus enormes 4 exp. assim como o Shieldon.
    Então estarei esperando o Capítulo 36.5 Meus Sentimentos. Um abraço.

    ReplyDelete
  2. Nada melhor q um fire tales assim para animar meu dia.
    Serio mesmo sou um fracasso em apostas,como o lairon foi perder Y.Y , talvez ele consiga evoluir com seu minusculo fragmento de Rare candie
    Canas muito bom fire tales.

    ReplyDelete
  3. Ai que cagadinha que eu fiz. O comentário acima era meu Canas, eu estava logado em uma conta que não entro há meses e justo hoje loguei para ver novidades. Olha que mara, se você puder apagar o comentário eu agradeceria ^-^'

    Apostei no Mozilla man, jurava que ele ia ganhar com suas forças cibernéticas. Capítulo genial, uma ótima idéia a queda de braço. Com meus braços "musculosos" (apelidados gentilmente de gravetos ¬¬') eu sou um fracasso nesse jogo. Mas, enfim, os novos nomes couberam perfeitamente cara. Mila, inclusive, era o nome que eu dei para uma gatinha que eu tinha no Neopets faz uns quatro anos, acredita? Coincidência '-'. Olha, a Mila pode ser a pessoa mais errada do mundo mas inclusive quando você me perguntou quais meus Fire Tales favoritos eu esqueci de citar ela. As falas e cenas dela sempre são épicas, principalmente a cena do canivete kkkk. Muitos momentos foram muito engraçados no capítulo, foi ótimo mesmo. Até mais Canas o/

    ReplyDelete
  4. 5M-0N
    Olha só ganhei kkk
    fui um dos 3 que votou no machop
    ele é humanoide e tal e isso nao tem nem um poko ave com meu vto!
    votei pq pensei q ele tinha evoluido ja mas me enganei(ki koisa nao)
    bem é só SM-0F6

    ReplyDelete
  5. Yo manolo! Cara, depois de um bom tempo, venho aqui comentar! Infelizmente, apostei tudo na Titânia! Poxa, que pena que ela perdeu man D:
    Graças ao Lairon ela não conseguiu honrar as fêmeas! Mas achei o resultado satisfatório.
    Bem, essa competição foi a primeira, mas presumo que ainda haverá muitas delas! O prêmio faria qualquer Pokémon delirar mesmo... 1 milhão de Rare Candies eim? Vish, desse jeito a equipe inteira iria evoluir! Todo mundo no clima de competição... E essa Glaceon não tem jeito mesmo! Coitado do Piplup e do Isaac! Machop ganhou! Aeee! E o Karl querendo ver alguém ter o braço arrancado! Meu, esse Togepi é do mal!
    HUAHUAUAHA'
    Bem man, esse foi um ótimo Fire Tales! E na competição de bebida, poderia participar?:3

    ReplyDelete
  6. Adoro Fire Tales, é como se fossem um pequeno intervalo da história central, é impossível não rir com os fatos citados.
    Puxa Canas, perdi a aposta, se não me engan lembro de ter votado no Mikau, não levei nenhum critério de força, apenas afinidade mesmo, mas avaliando o capitulo agora, estava crente que o Lairon iria ganhar kkkkk
    Cara, achei que a Glaceon marcou presença na história, e a cena do Leafeon falando “Perca” e ela dizendo “Gannhe” para o Lairon me fez tremer na base, é sério, arrepiou; uma pipoca até caiu da minha boca kkkkkkk
    O General esquecendo-se de mencionar a Titânia entre as fêmeas me fez morrer de rir também, ele é todo educado e épico mas perde o rebolado em frente a Glaciallis... e falando na MINHA princesa de gelo... ela estava tão linda, tão delicada e graciosa, achei tão fofinha a parte dela pedindo “por favor fica quieta” para a Glaceon e depois um “obrigada”! O meu coração saltou do meu peito, e só de pensar que tem um homem como aquele ao lado dela... ahhh não quero nem pensar kkkkkkk Pô, a parte dee perdendo na final só porque ela foi no banheiro foi uma sacada de mestre.
    Mas deixando todas as minhas besteiras de lado, este Fire Tales ficou 10 hein Canas, toda a rixa e rivalidade entre os Pokémons deram uma boa mistura para a história! Vou querer ver este especial de bebida mencionado pela Gardevoir!
    Ahh e esqueci de comentar, mas o comentário do Togepi falando da perda de braços foi hilário
    Flw
    Ahhh esqueci de novo, a parte que o Gabite falou que nenhum Pokémon é loko de mexer com as fêmeas devido os seus guardiões foi muito foda kkkkk
    Agora Flw

    ReplyDelete
  7. O Machop é um lutador nato! Claro que ele venceria. *Votei na Titânia...* Enfim, uma competição das boas pra animar um pouco as coisas na guilda. E tenho que dizer, Gabite e Mikau não podem se enfrentar dessa maneira toda hora, senão o apocalipse mandará seu cartão de visitas. Mesmo assim, ficou ótimo. E apesar da reprovação dos membros da guilda, eu sou a favor da Competição de Bebida!

    Antes de terminar o comentário, só quero fazer uma pequena retificação. É sobre a Chimchar e o Murkrow. Ela o chamou de "tio" nesse capítulo, mas no capítulo 12 ela o chamou de "pai". Deixo o aviso para você olhar isso aí.

    Até breve Canas!

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -