Posted by : CanasOminous May 4, 2012

Já fazia uma semana desde que os jovens estavam alojados nos arredores da cidade de Veilstone. Eles haviam decidido por passar um tempo usufruindo das hospitalidades que ela propunha, até porque cada um havia encontrado algum motivo para permanecer em suas bordas. Riley acompanharia os jovens somente até as proximidades da Rota 214, pois a seguir rumaria até a cidade de Sunyshore em seus frequentes negócios, enquanto Marley optara por seguir viagem com o amigo.
A semana havia sido longa, e cada um havia aproveitado do seu jeito. O próprio Lukas estava frequentando a academia Pokémon aos cuidados de Gerard, pedindo para que o lutador lhe ensinasse as artes de luta, o suficiente para que entendesse os verdadeiros propósitos dela. Lukas e Marley até mesmo passaram a frequentar os domínios de Royce e sua gangue outras vezes, participando dos Contests de rua. O garoto queria mais tempo para treinar seus Pokémons e ganhar os acessórios raros que só se encontravam naquelas redondezas. Lukas era tímido, mas sua inteligência e humildade fascinava qualquer pessoa que o conhecesse de verdade.
Todos aproveitaram ao máximo a estadia na cidade durante aquela longa semana, por outro lado, um garoto solitário parecia distanciar-se cada vez mais dos seus amigos. Sempre que Lukas chamava por seu irmão ele tornava a dizer a mesma coisa:
“Estou treinando. Não me interrompam.”
 Dawn já não entendia o motivo de Luke de agir de tal maneira.. Eram nesses momentos em que a moça percebia que realmente se importava com o amigo.

• • •

Era por volta das duas da tarde, Dawn estava sentada na varanda da casa enquanto observava a cidade dos meteoros, já faziam algumas horas que Luke sequer aparecera para almoçar. Ele estava tão focado em seus treinos que só voltava para dormir, e nem mesmo se dava no direito de desejar  “bom dia” ou “boa noite” quando não lhe desejavam o mesmo. De fato, ele já agia de tal forma há algum tempo, estava melhor quando conseguiu seu Porygon, mas depois da batalha no ginásio voltou a agir de forma excêntrica.
Dawn abraçou seus joelhos enquanto sentia o vento bater sobre o seu rosto, estava extremamente chateada depois de todo aquele ocorrido com seu maior amigo, permanecia perdida em seus pensamentos até que pôde ver uma feição muito familiar se aproximando.
— Luke? — exclamou ela alegremente, mas em seguida notou ser outra pessoa. Lukas abaixou a fronte e pareceu pensativo. — Me desculpe, pensei que fosse seu irmão...
— Eu sei que você está muito chateada, Dawn. E acredite, eu sinto isso ainda mais, pois sou o irmão dele. — falou — Eu me lembro do dia em que nós três começamos jornada. Ele era só um garoto bobão cheio de sonhos, correndo pelas rotas com o seu Gible maluco, mas agora, parece que ele cresceu mais rápido do que eu...
— Para mim isso não é crescer, ele pensa que tem quantos anos para agir daquela maneira? Isso é ridículo, vocês têm apenas treze anos e querem parecer adultos? Isso me deixa frustrada, não entendo porque o Luke está assim.
Dawn encostou sua cabeça em seus joelhos na tentativa de tampar seu rosto, Lukas colocou seu braço em volta do ombro da garota com o intuito de consolá-la, em seguida soltando um longo suspiro. Ele também sofria, e muito. Dawn não se mexeu, apenas segurou numa das mãos do amigo enquanto ainda evitava mostrar seu rosto.
— Vamos ao ginásio? Podemos conversar com o Gerard, e eu acredito que a Maylene volte ainda hoje. O Riley e a Marley estarão prontos no fim do dia, então poderemos continuar seguindo pela rota 214.
Dawn concordou com a proposta. Os dois desceram as colinas e caminharam em direção do ginásio. Gerard estava logo na porta com alguns Machokes da academia que carregavam diversas caixas, aparentemente ele faziam alguma mudança, mas na realidade traziam apenas bagagens.
— Professor Gerard, o que está acontecendo? — perguntou Lukas.
— Estamos trazendo as malas da Senhorita Maylene para dentro, ela acaba de voltar da reunião da Liga Pokémon, e trouxe muitas coisas. — explicou o gigante.
Maylene ainda não podia ser vista, mas os Machokes continuavam trazendo caixas a todo instante. De repente, um dos Pokémons pulou na direção de Dawn e exibiu seus músculos bem definidos. A garota estava assustada com a ousadia daquela criatura, mas sentia que ele tinha algo diferente de todos os outros, além de vestir uma cueca incomum. Aquele Machoke tinha um olhar de inocência já bem conhecido.
— Esse é o meu Machoke?! — perguntou Dawn surpresa.
— É ele sim, o seu Machop evoluiu durante os treinos, está mais forte e definido do que nunca. Ele se destaca de todos os outros porque fica andando com essa cueca branca. — explicou Gerard com um sorriso.
— Ué, essa aqui é uma cueca do Luke. Acho que encontramos o artefato que ele perdeu mês passado. — brincou Lukas.
Os jovens entraram no ginásio e se depararam com uma multidão que recebia uma moça na entrada. Ela tinha cabelos róseos e era muito pequena se comparado a qualquer frequentador da academia, embora fosse conhecida como a Mestra por ser a mais poderosa lutadora de todos. Gerard aproximou-se e recebeu sua líder.
— Boina vermelha, cachecol... Então você é o treinador novato que está marcando presença nos ginásios? Digo que você tem sido alvo frequente de comentários na Liga Pokémon, garoto.  Dizem que é um dos promissores no ramo de treinadores. — disse Maylene.
— Desculpe-me, mas acho que me confundiu com meu irmão gêmeo, o Luke. Eu sou Lukas, e sou um coordenador Pokémon.
— Sério? Ah, desculpa meu erro. Foi uma viagem cansativa... É uma pena que eu não tenha estado presente para realizar a disputa, mas espero ter a chance de enfrentar seu irmão novamente. Sabem se ele passará em meu ginásio ainda hoje? — perguntou a líder.
— Creio que não, Senhorita Maylene. Ele tem estado um pouco ocupado, e estaremos saindo da cidade hoje à tarde. — respondeu Lukas.
— Compreendo. Então, se me permitem a licença, ainda tenho muito a resolver... Ahh, é muito bom estar em casa!
Lukas e Dawn se despediram de Gerard e desejaram sucesso no ginásio dali em diante. A última lição que o gigante teria para o garoto é que ele sempre deveria usar sua mente ao invés da força bruta, pois era essa a educação mais preciosa que a academia de Veilstone passava para seus alunos.

Os dois seguiram para a casa de Riley para finalmente rumarem ao portão sul de Veilstone, seguindo caminho pela rota 214 e continuar a aventura. Riley e Marley pareciam já ter retornado e com malas prontas. Eles haviam combinado que às quatro horas estariam partindo para a rota, mas no horário marcado, Luke ainda não havia aparecido.
— Onde será que ele se meteu? — perguntou Dawn.
— Ele não é muito pontual, mas não tardaria em estar aqui na hora combinada quando se trata de uma viagem. — disse Lukas.
Riley não precisou dizer nada. O homem apenas ajeitou seu chapéu e virou o rosto quando viu Luke se aproximando. O jovem tinha seu cenho enfurecido como alguém que não havia tido um dia agradável, de modo que Dawn se preocupasse com ele ainda mais. Luke apenas arrumou sua mochila na casa e saiu, aguardando o grupo continuar seu caminho. Todos partiram sem dizer nada, se Marley e Riley já não eram de falar, suas vozes não foram sequer ouvidas naquela tarde. O portão sul de Veilstone ergueu-se, e logo foi deixado para trás, marcando aquele um ligeiro adeus à Cidade dos Meteoros.

Muitos até já conheciam Riley que seguia o caminho com os jovens, a equipe dos Status Trainers já tivera muito prestígio em Sinnoh, e suas habilidade sempre eram marcadas entre os veteranos mais antigos. Aqueles caminhos não eram marcados por sua beleza, mas sim por serem uma rota constante de treinadores poderosos e Pokémon selvagens. Podia ser classificada como uma rota naturalmente selvagem, ou simplesmente uma verdadeira bagunça.
Luke tinha seus passos firmes como alguém que movia os pés pelo simples fato de necessidade, aos poucos Dawn começou a atrasar seus passos para aproximar-se do jovem que ficava para trás. Eles continuaram seguindo caminho até ela conseguir falar o que guardava há algum tempo. A moça sabia que Luke não seria chegado em uma conversa agradável para saber o que ele sentia, então ela não poupou sua ousadia.
— Você se tornou um idiota, sabia disso?
Luke estava claramente irritado, mas ficou ainda mais com o que a garota havia dito. Os outros estavam muito longe para ouvir qualquer comentário, e por isso o garoto aproximou-se dela e segurou seu braço com força.
— O que você disse?
— Eu não preciso repetir algo que você já entendeu. Lembra-se do que você mesmo disse para mim no Hotel Deluxe Heart? Você disse que eu não devia agir como uma adulta, e agora é você quem tenta agir dessa forma? O que houve com aquele garoto lindo por quem eu me apaixonei?
Luke largou o braço de Dawn que continuou a encará-lo de modo sério. Ela seguiu seu caminho e deixou-o para trás, parado. Sempre que entrava em uma batalha importante ele se esquecia de todos os seus amigos. Já havia passado a evitar Titânia em seus assuntos privados, e pouco a pouco perdia a confiança de sua própria família. Luke apertou o passo até alcançar Dawn novamente, e ainda sem encará-la tornou a dizer:
— Não é a primeira vez que eu faço isso. Às vezes parece que todos os problemas do mundo caem em minhas costas, e eu não consigo ser eu mesmo... Eu preciso da ajuda de vocês.
Dawn estava muito irritada, mas parou para conseguir olhá-lo nos olhos. Ela segurou o rosto de Luke e embora quisesse dar-lhe um suave beijo, não o fez. Os dois continuaram sérios.
— Amigos servem para isso, você deve confiar na gente. Foi isso que você disse para mim em Hearthome, e para sempre vou levar isso comigo. Cumpra sua própria palavra.

Luke tentou revelar um sorriso que agora já parecia ser raro depois de tanto tempo agindo com seriedade. Ele continuou a caminhar ao lado de Dawn como alguém muito curioso, rodeando por estar repleto de perguntas.
— E quando você diz isso, como exatamente eu era antigamente?
Dawn demonstrou um sorriso sincero como se lembrasse de todas as suas aventuras nos últimos dias.
— Bom, você era engraçado, divertido... Sempre estava disposto a conversar com a gente, aconselhava com palavras carinhosas e um olhar apaixonado.
Luke também sorria, mas não ousava agir como costumava fazer antigamente. Os dois pareciam ser dois estranhos novamente, como se saíssem em um primeiro encontro. Dawn podia adorar homens mais velhos como Riley, mas não podia esconder que era apaixonada por seu amigo.
O caminho continuou pela rota 214 até que os dois alcançaram o restante do grupo. Luke parecia um pouco recuperado, e isso deixava seu irmão mais aliviado. Ele não estava totalmente alegre como de costume, mas já conversava e ria de alguns comentários dos amigos. Talvez a pressão dos ginásios lhe causasse algum mal.
Aquela rota era famosa pelas cavernas de Ruin Maniacs na região. O aspirante a treinador parecia empolgado para visitar uma, e Luke ainda não deixava de apreciar uma boa batalha. Eles entraram em uma pequena caverna nas redondezas, encontrando alguns exploradores que faziam suas investigações.
— Meu nome é Bryan. Sou um maníaco por artefatos antigos, eu poderia ter uma batalha?
Dawn parecia receosa em deixar o amigo entrar na batalha. Ela não sabia se ele poderia voltar a agir de forma grosseira, mas confiava em sua capacidade.
— Fica tranquila, vou me concentrar e não cometer o mesmo erro.
Luke lançou seu Horsea em campo, e agora Mikau parecia bem disposto para uma batalha. O Pokémon aquático teria muita vantagem contra oponentes de rocha, e por isso Luke não demorou muito para conquistar a vitória.
— Horsea, Bubblebeam. — disse ele tranquilamente.
O Pokémon utilizou sua rajada de bolhas para ferir um Hippopotas do adversário. Luke tinha um sorriso sereno em seu rosto, ele estava muito calmo, e lutava como alguém que fazia aquilo por puro prazer. Algumas vezes chegava a parecer que Luke tinha dupla personalidade, o que era mentira. Era apenas necessário dar alguns toques ao garoto para que ele percebesse quem realmente era, Riley andava observando-o muito, pois tentava entender o motivo pelo qual uma pessoa começava a agir de tal maneira de forma tão súbita.
Uma vitória fácil. Após a derrota, o Ruin Maniac se ofereceu para demonstrar as ruínas. Aquele caminho os levaria até Solaceon, estava  concluído. Riley se lembrava do tempo de sua aventura em que aquela caverna ainda estava sendo feita. Vê-la finalmente finalizada era um grande prestígio. Luke lançou Shieldon para seguir seu caminho, e o Pokémon fóssil examinava tudo com seriedade. Aquele era o seu território, e Shiedon sentia como se conhecesse a trilha perfeitamente. A companhia do Hippopotas daquele explorador ainda era muito agradável, os dois Pokémons sentiam como se estivessem de volta ao seu território de origem.
— Ele é uma graça, adoro quando fica com essa carinha olhando para tudo em sua volta. — disse Dawn.
Enquanto caminhavam, os jovens se depararam com um pequeno tremor na terra vindo do lado de fora. Eles não eram frequentes, estava claro que alguém armava aquilo. Riley verificava as paredes, e elas pareciam ser capazes de ceder se um terremoto de maior magnitude atingisse a área com frequência. Luke encostou o rosto na terra e fez algo que já não fazia há muito tempo, examinar o solo.
— O tremor foi causado por uma explosão de algo vindo do sul.
A espessura da caverna era grande o bastante para que Titânia pudesse rastejar, Luke lançou a serpente para que ela fizesse um caminho seguro pela trilha rochosa de modo que seus treinadores pudessem sair em segurança. Marley lançou um olhar pela rota, mas não havia nada que causasse aqueles tremores.
— Terremotos nessas rotas? — perguntou Marley.
— O solo daqui não apresenta nenhuma placa tectônica para isso, esse tremor foi causado por ação humana. Ou, de Pokémons. Presumo eu que sejam humanos, criaturas selvagens não destruiriam seu habitat natural. — disse Titânia.

O grupo seguiu as pequenas elevações causadas no terreno até encontrarem um misterioso grupo que agia próximo ao Lake Valor. Riley pediu que seus companheiros esperassem, e conforme ele havia imaginado, pôde ver homens vestidos de roupas negras.
— Rockets. — afirmou Riley — É um grupo bem grande, eles parecem estar armando algo nessas áreas.
— Vejam, eles têm vítimas. — comentou Marley.
Os jovens se espreitaram e puderam ver duas pessoas amarradas em uma pedra sob domínio dos Rockets, assim como haviam muitos outros Pokémons presos em jaulas. O uniforme daquelas pessoas lhes era familiar, e de fato, os irmãos conheciam aquele símbolo como ninguém.
— São membros dos Galactics. — concluiu Lukas.
— As duas facções são inimigas? — perguntou Marley.
— As pessoas têm preconceito para com os Galactics, mas eles não sabem que na verdade são os Rockets que atuam de forma ilegal causando todo o prejuízo culpando a outra corporação. — disse Riley.
Haviam muitos Rockets armados na área. Cerca de trinta uniformizados estavam visíveis, sem contar os que estavam possivelmente se escondendo. Cinco homens se aproximaram da pedra em que os dois Galactics estavam e começaram a humilhá-los. Os dois estavam amarrados, era um homem e uma mulher. Naquela situação era claro que eles não poderiam nem sequer revidar, e tal ação mostrava como Rockets podiam ser criaturas imundas.
— Calem a boca, e parem de choramingar!
— Eu não vou me calar, deixe apenas que o Comandante Saturn volte de seu trabalho no Lake Valor, e vocês estarão encrencados! — respondeu o homem dos Galactics.
Os criminosos riam enquanto abriam espaço para outros dois que arrastavam alguém pela floresta. Era o próprio Comandante Saturn que parecia muito ferido e praticamente inconsciente. Os Rockets o jogaram no chão e em seguida amarram suas mãos. Saturn depositou sua cabeça sobre uma pedra lutando para ainda respirar, enquanto os Rockets continuavam a caçoar. Os dois recrutas amarrados não acreditavam no que viam.
— Aqui está a encomenda de vocês.
A moça dos Galactics que estava amarrada lutava para não deixar as lágrimas escorrerem pro sentir tamanha preocupação. Luke e Lukas reconheciam os membros dos Galactics, e ficavam muito estressados quando viam alguém fazer algo para sua família.
— É o namorado da Tia Martha. — afirmou Lukas silenciosamente.
— Esses Rockets atacaram o Hotel Deluxe Heart no dia em que estivemos hospedados lá, eles são perigosos e sempre está armados não somente com Pokémons, mas com facas e armas de fogo. Precisamos sair daqui! — continuou Dawn.
— Não sem antes salvar o tio. — disse Luke, preparando uma de suas pokébolas antes de ser interrompido por Riley.
— Esses sujeitos não são um bando de treinadores bobos com Pokémons idiotas, eles estão armados, então tenha cuidado e sempre tome conta do parceiro ao lado.
— Pensei que fosse nos impedir de continuar. — respondeu Luke.
— São vocês quem decidem suas escolhas. Agora vá, eu e Marley estaremos chamando atenção dos Rockets para longe, vocês três salvam os Galactics.
Riley lançou seu Lucario, e Marley tinha seu Arcanine para guiá-la. O homem entrou no caminho dos Rockets e chamou pela atenção dos membros.
— Não creio que estejam causando encrenca novamente. — disse Riley, ajeitando seu chapéu.
Os Rockets pareciam assustados, pois sabiam que aquele homem se tratava de um veterano já conhecido da facção por sempre estar caçando grupos independentes daqueles criminosos como um mercenário. Os dois se afastavam lentamente enquanto chamavam a atenção do maior número de Rockets, dando a chance perfeita para uma invasão por parte dos Irmãos Wallers e Dawn.
Os gêmeos se posicionaram em frente enquanto encaravam os criminosos, que estavam muito assustados, pois a fama de dois garotos de boina vermelha já se espalhava por toda a Sinnoh. Principalmente por tratar-se de uma lenda.
— Estão invadindo o acampamento, retornem! — gritavam os Rockets em vão para os parceiros que já estavam distantes — São apenas crianças, mas não hesitem em atacá-las para valer! Já tivemos muitos problemas com crianças em Kanto e Johto, não os subestimem!
Eles realmente estavam armados com facas, o que de certo modo causou um receio maior e uma cautela específica por parte dos irmãos. Titânia foi liberada de sua cápsula e nesse momento derrubou os criminosos e destruiu as armas antes que elas pudessem ser usadas, protegendo seus donos com sua defesa ancestral. O som de explosões era inútil contra a armadura maciça de pedra, enquanto a serpente estivesse disposta a lutar, nenhum de seus companheiros cairiam em batalha.
— Esteja atento, Senhor. Não são bandidos de cidades, são um grupo especializado de profissionais. — disse Titânia.
— Eu não pensei que a situação iria ficar tensa. Tome cuidado você também, Tih. Não quero vê-la machucada. — disse Luke.
Luke havia lançado todos os seus Pokémons disponíveis para auxiliar no combate. Gabite e Horsea derrubavam seus oponentes em conjunto, enquanto Duskull parecia invencível aos golpes consecutivos de seus oponentes que não lhe causavam dano algum. Shieldon estava ao lado de Luke e o protegia de qualquer Pokémon que o tentasse atingir, o pequeno escudo atuava como uma verdadeira muralha.
— Shieldon, utilize o Protect!
Algumas bombas surgiram, mas os golpes sempre eram defendidos. Luke não precisava preocupar-se com seu irmão, pois Lukas tinha sua bela Milotic que o envolvia num escudo aquático de proteção. Pachirisu e Murkrow tentavam soltar os membros presos dos Galactic, enquanto Gardevoir cuidava do Comandante Saturn que estava gravemente ferido.
— Milotic, utilize o Water Pulse! — odenava Lukas.
As jaulas dos Pokémons selvagens foram quebradas, mas os Rockets tomavam controle deles e agora os utilizavam para seu próprio uso. Haviam Rhyhorns poderosos sob posse do inimigo, assim como Gravelers, Geodudes e Zubats. 
Mikau era muito habilidoso em derrubar Pokémons com a defesa física mais alta, enquanto Gabite encarava o companheiro e ria.
— Gawwhrbite, gawahr. — ironizou o dragão, dizendo algo como “Saia do meu campo de batalha, seu desgraçado.”
— “Então vem me tirar, seu dragão idiota.”
A serpente de rocha aproximou-se dos dois e encarou seus companheiros.
— Tratem de manter a ordem e trabalhar em equipe se os dois não quiserem ficar a noite inteira abraçados. — disse Titânia.
Mikau e Gabite logo voltaram a atuar em equipe, mesmo que contra suas vontades.
Os Rhyhorns avançavam com força em direção de Shieldon, mas o Pokémon se defendia de todos os golpes para proteger seu Mestre, mas os ataques sucessivos aos poucos pareciam conseguir quebrar sua barreira. Shieldon era um sujeito pequeno, mas recebia a investida de Pokémons selvagens e os erguia lançado-os para longe como pedras indesejadas.
— Rhyhorn, utilize o Take Down! — dizia um dos Rockets.
O Pokémon fóssil se defendera, em um rápido movimento sua cabeça foi ao encontro do chifre do oponente, tricando-o por completo e fazendo o Rhyhorn recuar com o susto. Shieldon estava ofegante, mas estava disposto a defender seu treinador a qualquer custo.
— Vamos lá, Shieldon! Aguente firme!! — gritou Lukas que acompanhava o Pokémon de longe.
Desde que seu irmão havia ganhado Shieldon, Lukas de certo modo encontrou-se apaixonado pelo carisma do pequeno. Lembrava-se da batalha de ginásio em Eterna, e agora via como o fóssil havia evoluído sua própria defesa. Seus pensamentos foram interrompidos no momento em que Murkrow derrubou dois Zubat que se aproximavam de seu Mestre, em seguida acenando para seu dono.
— Obrigado, Murkrow. — disse Lukas.

 Duskull derrubava os inimigos com suas próprias mãos antes que eles causassem qualquer estrago. Sua autoridade era tanta que ele até mesmo conseguia manter controle de algumas criaturas selvagens, o fantasma somente foi obrigado a deixar sua formação de ataque no momento em que um rápido Golbat o acertou, mas uma simples mordida não seria o suficiente para derrubá-lo.
Luke e Lukas foram surpreendidos no momento em que ouviram um grito vindo da floresta. Era a voz de Dawn, os dois se viraram e se depararam com um homem dos Rockets segurando Dawn com uma faca apontada em sua direção. O pequeno Piplup jazia no chão derrotado, e ao lado daquele homem estavam dois grandes Golbats.
— Acho que vocês perderam alguma coisa. — disse o homem — Poupe-me as apresentações. Ou vocês dão o fora daqui, ou a garota morre.
Luke estava muito irritado por ver Dawn ferida, a garota chamava por socorro, mas ainda haviam muitos Rockets dispostos a lutar e ficar no caminho de quem fosse necessário. Ainda não havia sinal do retorno de Riley e Marley, e aquele Rocket era claramente o líder do grupo. Luke cerrou os punhos e gritou:
— Deixa ela em paz!
O homem ordenou que seus dois Golbats presentes avançassem. Era uma multidão de morcegos caçadores, o grupo estava atordoado, mas por sorte Murkrow e Titânia derrubavam as criaturas nas alturas. Agora eram Golbats e Rhyhorns que avançavam contra a equipe, Luke estava sozinho com seu Shieldon, e Lukas longe demais para qualquer socorro.

Um dos maiores Rhyhorns do local avançou contra o garoto. Ele aparentemente não queria estar fazendo aquilo, mas era obrigado. O  touro de pedra avançou contra Shieldon que defendeu seu treinador com todas as forças que lhe restavam, mas pôde-se ouvir o trincar de uma armadura, e o Rhyhorn lançando o pequeno com toda força contra uma parede de rochas. O pequeno Shieldon caiu no chão sem conseguir se mover.
Aquilo causava fúria em todos os membros de sua equipe. Titânia estava incapacitada de utilizar o Earthquake pela quantidade de aliados, mas seu Stone Egde fora certeiro para derrubar os Rhyhorns ao redor.
— Shieldon!! Shieldon!! — gritou Luke espantado.
— Não perca a guarda, garoto! — retrucou Titânia.
Manadas de Rhyhorns eram perigosas quando enraivecidas. Várias das criaturas avançavam com força em direção de Luke que corria para abraçar Shieldon. Horsea e Gabite pularam em frente das criaturas selvagens e os impediram de continuar o caminho, o dragão olhou para o companheiro e sorriu:
— “Cuidado pra não quebrar as unhas, florzinha.”— ironizou Gabite.
— “Você bate que nem mulherzinha.” — retrucou Mikau.
Dragão e cavalo-marinho combinaram seus golpes destruindo todos os Pokémons selvagens que avançavam.
Luke abraçava Shieldon enquanto o Pokémon parecia não responder ao chamado de seu Mestre. Titânia o observava como se sentisse que tivesse falhado na missão de protegê-los, mas agora nada mais ela poderia fazer. Luke foi interrompido no momento em que uma forte luz emanou o corpo de Shieldon e o escudo quebrado em sua fronte tomou uma nova forma, algo inusitado ocorria.
O líder dos Rockets continuava com Dawn em suas mãos, mas Lukas rapidamente avançou com seu Pachirisu de forma que o esquilo arrancasse a faca de suas mãos sem que o criminoso sequer tivesse dado conta. O homem caiu, dando uma brecha perfeita para que Milotic o envolvesse e o prendesse como correntes de ferro. Dawn tentava recuperar-se do susto, ela sacou sua pokébola e liberou Lairon, que levantou um olhar ameaçador para todos os bandidos na área. Quando o dragão metálico assumia o campo de batalha, era para arrebentar.
— Precisamos bater em retirada! Recuem, recuem! Deixem as vítimas para trás, esqueçam os Galactics, salvem suas vidas! — gritou um dos Rockets.
Antes que qualquer movimento fosse feito, uma forte luz surgiu do centro do campo. Shieldon brilhava intensamente, e quando os criminosos preparavam-se para fugir o Pokémon cobriu o caminho com um enorme escudo frontal, sua cabeça era como uma armadura impenetrável. Era um Bastiodon, utilizando de seu mais novo golpe, Block.
— Ele tampou a passagem! — disse o criminoso.
No momento em que os Rockets tentavam fugir, os Pokémons selvagens foram deixados para trás. As criaturas já pareciam ter sido controladas, Duskull e Lairon surgiram ao lado de Bastiodon e encararam os bandidos remanescentes. Todos os Pokémons os cercaram até que eles não tivessem mais saída. A serpente aproximou-se deles e os encarou:
— Fim da linha.

Os Rockets haviam sido detidos. Pouquíssimos haviam fugido, isso se alguém havia conseguido passar pela vigilância de Murkrow. O líder da equipe também estava preso, e Bastiodon tomava conta para que nada de ruim acontecesse. Assim que notou na evolução do companheiro, Lukas correu em direção de Bastiodon e o abraçou. Luke estava ainda mais alegre com a evolução, e parecia nem mesmo acreditar que o velho fóssil que havia ganhado ainda em Oreburgh finalmente evoluíra depois de tantas aventuras e emoções. Apesar de todos os elogios e carícias, Bastiodon continuava sério.
— Por trás dessa carinha séria ainda existe um Pokémon extremamente carinhoso. Você está de parabéns por ter batalhado tão bem hoje, soldado. — disse Titânia.

Riley e Marley retornaram com notícias de que tudo estava sob controle, e agora os Galactics estavam salvos. Gardevoir continuava a cuidar do Comandante Saturn, Pachirisu roeu as cordas que prendia os recrutas para que fossem libertos. Ambos quase caíram por tamanho cansaço que sentiam, de forma que Dawn e Riley os ajudassem a se sentarem.
— Irmãos gêmeos, boinas vermelhas... Vocês são os promissores garotos de que a Comandante Mars tanto fala... — presumiu um dos Galactics.
— Vocês se lembram de nós? Eu me chamo Star, tivemos um incidente com as Pokéagendas há alguns meses. — disse ela.
— Vish, acho que nem vou lembrar disso, moça... — admitiu Luke.
 — Não há importância. Independente de se lembrarem, devemos agradecer pela ajuda. E que situação, em nosso primeiro encontro estávamos batalhando como inimigos, mas agora são vocês que estão nos salvando...
— Ei, nós nunca dissemos que os Galactics são nossos inimigos. Para falar a verdade, acredito que vocês sejam os mocinhos da história. — sorriu Lukas.
Star deu um leve sorriso, mas em seguida olhou para os lados de forma espantada:
— O Comandante Saturn está em apuros! Onde ele está?!
O homem aos poucos se recuperava, e agora por sorte já tinha consciência do que acontecia. Gardevoir continuava com sua cura, de forma que Milotic também colaborasse com uma água revigorada, e Roselia com ervas medicinais. Logo, Togepi também aparecia com ervas esquisitas, embora ninguém o deixasse usar suas medicinas naturais em ninguém.
Saturn abriu seus olhos aos poucos, e assim deparou-se com o grupo. Encarou todos com um olhar cansado e perdido, até que pôde ouvir a voz de Luke:
— Fala ae, tio namorado da minha tia que eu não lembro o nome!
— Não seja indelicado. O nome dele é Alexssander, Luke. — respondeu o irmão.
— Eu me lembro de vocês, são os sobrinhos da Martha... — disse ele com a voz cansada, ainda não estando totalmente recuperado — O-Obrigado pela ajuda...
— Tome mais cuidado, Senhor Alexsander. Os Rockets têm agido com mais violência. — disse Riley — Se me permite a pergunta, o que vocês faziam no Lake Valor?
Saturn hesitou por um momento como se não pudesse responder aquilo.
— Sinto muito, mas são informações sigilosas. — disse Saturn.
— Até mesmo para membros da sua família? E ainda mais para quem acabou de salvá-lo? — perguntou Marley.
Saturn estava convencido de que era um bom argumento, e aquela não era a primeira vez que encontrava os jovens irmãos. Se a Comandante Mars confiava neles, então não havia no que duvidar. O homem hesitou por um momento, e após sentar-se começou a explicar o plano de seu chefe.
— Estávamos examinando a estrutura do rio e conhecendo mais o lendário guardião Azelf para nossas pesquisas. Precisamos da ajuda desta criatura lendária para que nossos planos sigam caminho.
— Azelf? O ser da Força de Vontade? Pensei que ele fizesse presença apenas nas lendas e mitos. — disse Lukas.
— Há muitas coisas que não acreditamos, mas que existem. E podemos provar. — disse Saturn, revelando uma Master Ball em sua mão.
Os olhos dos jovens se esbugalharam, e até mesmo Riley parecia fascinado. Nenhum veterano sequer havia visto aquele objeto em outro lugar, conheciam a pokébola por sua fama de capturar qualquer Pokémon em apenas uma tentativa, mas ninguém entendia como algo raro como aquilo estava nas mãos dos Galactics. Era simplesmente surpreendente.
— Durante anos nosso chefe gastou sua fortuna com cientistas que desenvolvessem a Pokébola Mestra. Criamos uma a cada ano, sem contar que gastamos milhões. Essa é a terceira, e nós as utilizamos para capturar cada um dos guardiões do lago. — explicou Saturn.
Todos ali presentes estavam sem palavras. Saturn lançou a pokébola para o ar que emanou um flash que aos poucos começou a tomar a forma de um Pokémon místico. Era uma criatura azul-acinzentada, com duas caudas. Em sua testa, uma pedra vermelha, muito parecida com a imagem do Mesprtir que os irmãos haviam sonhado há muito tempo. Era o lendário único, Azelf.
— Eu não acredito, você capturou um lendário!! — disse Dawn surpresa.
— Eles serão usados para uma experiência. Por sorte, não agem contra nossa vontade, são criaturas em sua maioria pacíficas quando sabem que seu treinador não possui más intenções. Cada um dos Comandantes ficou encarregado de um lendário, Mars está no Lake Verity, com Mesprit; e Jupiter, no Lake Acuity, com Uxie. — explicou o Comandante.
— E qual seria o uso desses lendários? — perguntou Riley.
— Construir um mundo melhor. — respondeu Saturn confiante.
Os irmãos pareciam entusiasmados com a ideia, embora Riley e Marley ainda não demonstrarem um sinal de satisfação. Azelf continuou a rodopiá-los, parecia divertir-se com aquilo, mas Riley não parecia nem um pouco alegre.
— Isso é muito digno! Espero que os outros tenham conseguido capturar os lendários também. — comentou Dawn.
— Espere um pouco. Lukas, você se lembre do sonho que tivemos no início de nossas jornadas? Não era muito parecido com um guardião do lago?
— Refere-se àquela visão que tivemos em conjunto? Presumo que sim, o Azelf se parece muito com aquilo que vimos.
— Provavelmente era Mesprit, o ser da Emoções. — falou Saturn — A cada dia que passa nosso sonho de ter um mundo melhor se aproxima, e eu devo agradecer imensamente a ajuda de vocês.
— Fica tranquilo, tio! Namorado da tia já faz parte da família. — sorriu Luke.

O Comandante finalmente se levantou para se despedir. Cosmo e Star acompanhariam seu chefe até o HQ dos Galactics, que se situava na própria Veilstone. Os irmãos e Dawn se despediram do homem com um abraço, mas Riley não parecia nem um pouco amigável depois daquela conversa. No momento em que os dois tocaram as mãos, Riley aproximou-se de Saturn e sussurrou para que as crianças não ouvissem:
— Você sabe o poder de destruição que os Pokémons lendários carregam, não é? Trate de agir com forma justa para com esta criatura que tem em mãos, se não eu mesmo volto somente para tirá-lo de você.
O Comandante permaneceu sério, mas entendia o motivo da preocupação. Mexer com criaturas lendárias desequilibrava totalmente o equilíbrio do mundo, e Riley sabia o que poderia vir a acontecer caso os Galactics se revoltassem.
— Lendários nas mãos de uma corporação criminosa... Ou melhor, de cientistas alucinados. Você acha seguro, Riley? — perguntou Marley.
O homem ajeitou o chapéu e olhou para a amiga, dizendo com palavras ríspidas e ambiciosas:
— Prefiro deixar passar pelo fato desse Saturn ter um certo parentesco com Luke e o Lukas, mas caso contrário, eu faria questão de destruir aquela Master Ball com minhas próprias mãos.
Talvez aquela decisão devesse ter sido tomada naquele momento, ou talvez tivesse sido melhor deixar os Rockets acabarem com os planos dos Galactics naquela mesma tarde. O destino havia acabado de mudar seu percurso, e quando ele toma seu percurso, nunca é possível prevenir que caminho tomará.

Os jovens seguiram com grande turbulência pela rota 214. Luke teve a evolução de seu Shieldon para um impenetrável Bastiodon, e agora o caminho dos irmãos continuará até Pastoria. O encontro com o Comandante Saturn revela que os Galactics ainda têm muitos propósitos em Sinnoh, mas será que ter o lendário Azelf ao lado desta facção poderá resultar em um grande colapso entre os mundos?

      

{ 16 comments... read them below or Comment }

  1. Finalmente o capítulo 36!
    Houveram duas evoluções no capítulo. A primeira eu já esperava que fosse agora, já que você disse que o Shieldon estava próximo da evolução desde Solaceon, só que eu pensei que fosse em algum ginásio ou contra o Lúcio.
    O Machop eu esperava que estivesse próximo de evoluir também, principalmente por ele estar animado com isso após a batalha do Ginásio de Veilstone onde ele viu sua evolução.
    A Maylene como você disse apareceu, mas eu esperava que fosse uma participação maior e que ela dese uma bronca no Luke pelo comportamento. Os Pokémons do Lukas estão mostrando mais seu valor agora. Depois de muitas lições de boxe com o Gerard o Lukas aprenderá mais sobre o poder e como usá-lo (assim espero, não quero que ele fique como o Luke, megalomaníaco).
    Bem, também podemos citar de importante a aparição dos Rockets outra vez. Cruéis, sem sentimentos bons, desumanos, enfim horríveis.
    Enquanto isso os Galactics mostram seu poder tectológico com a fabricação de Master Balls e mostram seu conhecimento ao capturar o "Trio dos Lagos".
    Então espero o próximo capítulo. Parabéns por mais este bom trabalho!

    ReplyDelete
  2. Cara, você tinha citado várias vezes que esse capítulo seria show, e devo concordar! Foi fantástico! Bem, por onde começar?
    Pelo jeito o Luke quer mesmo se tornar o melhor. Não come, não bebe, não liga pros outros... Menino malvado! Sinto que as vezes ele tem vontade de chorar e escapar do mundo envolvendo-se nos braços da Dawn. Fiquei muito feliz com a evolução do Machop, quero só ver o gijinka novo dele e a aparição nos Fire Tales. As mina vai pirar no corpitio dele /õ/
    O encontro com os Rockets foi bem emocionante. Batalhas muito bem descritas e cheias de surpresa! A evolução do Shieldon veio na hora certinha, e tenho a leve impressão de que ele ainda virá a pertencer ao Lukas. E coitada da Dawn, sempre é pega! Pobrezinha. E quem diria? Os Galactics tem o Azelf... Meu, agora a porra ficou séria! Mas mesmo que eles tenham posse de Pokémons tão fodásticos, sinto que não farão mal algum. Os Rockets sim são malvadões.

    ReplyDelete
  3. NOOOO! Eu sou um imbecil! Tinha clicado fora da caixinha do comentário e apertado o backspace, voltei e perdi meu comentário quase todo escrito :/ Deprimente... Aliás, olha só quem está aqui voltando a ativa! Só tenho a te agradecer Canas, de verdade.

    Concordo com o Thiago, você disse que seria um capítulo surpreendente e não mentiu. *-* Adorei, ficou fabuloso. Começamos com a evolução do pequeno e ingênuo Machop. Isso ja foi legal, agora a parte de ele usar a cueca do Luke do Amigo Secreto foi show, uma ótima sacada. A Dawn continua a dar uns toques no Luke, mas acredito que ele só vai acordar quando levar um tapa dela. Vesh! E uma batalha geral foi incrível, o fato de todos os Pokémons lutarem por suas mãos chamou a atenção e suas batalhas carregam um valor diferente, você não joga ataques como uma lista, as descrições por si só fazem o trabalho e prendem melhor o leitor. Os jovens parecem apoiar os Galactics mas será que eles mesmos são os mocinhos? Não digo que os Rockets são bons, mas são duvidáveis os planos da facção. Um capítulo excelente, contando com um novo Bastiodon, cujo desenho por sinal ficou genial. Tudo perfeito, Canas, até mais o/

    ReplyDelete
  4. Aew Canas! Capitulo Fodastico em? Porque justo a Dawn tinha que ser capturada por aqueles ****************************************** dos rockets. Aew quando eles falaram que ja tiveram problemas com crianças em Johto e Kanto Pensei em Ash. Até o proximo.

    -DarkLugia-

    ReplyDelete
  5. CAPITULO MUITO BOM... ADOREI. 2 evoluções em um só capitulo:Machoke (com aquela cueca lendária), e o Bastiodon. Finalmente o Luke deixou um pouco de lado aquele disturbio Megalomániaco que já estava me irritando profundamente... A primeira de outras batalhas épicas que aconteceram nesta e na outra temporada, Rockets vs Galatics e Boinas vermelhas. Master Balls na mão dos Galatics, isso não vai prestar, mas não vai prestar mesmo, mesmo que os planos dos Galatic sejam tornar um mundo caótico em um mundo melhor, acho que ainda sim essas Master Balls não deveriam estar na mãos deles, e muito menos nas dos Rockets também,quecom os lendários querem fazer a Distortion Wolrd.
    Bem fico por aqui.

    ReplyDelete
  6. Muito Bom o cap.Nao me lembro de ter lido que o Machop ficou no GYM, mas isso nao importa, adorei que o Machop ter evoluido e eu tambem ja esperava.Eu nao leio Fire Tales(mas pretendo ler depois de ler ANIL) entao nunca soube dessa cueca(que mais parece um fralda) mas ficou super engraçada, meio que seja nojento, imagine quantas... o Luke ja bateu com essa cueca,cruz credo!
    A evolução do Shieldon eu nunca associei ao cap de Solencion mas sempre algo me dizia que ele iria evoluir(eu fico horas pensando no futuro dos personagens).
    E como voce disse "A Primeira Grande Batalha" eu acho que outro escritor se fosse fazer iria ficar super embolado nesse cap, mas ainda bem que foi tu que escreveu,adorei todos os pokemons atuando mas senti a falta do Togepi(um doce de demonio) e do Leafeon e do Glaceon nessa battle.E me surpreendi com a aparição do Azelf eu pensei que vc nao ia expor ele agora e ainda essa revelaçao que a Galatic ta capturando ele, nosssa babado forte, xoquei pirua!
    E sem falar da parte mais importante, descobrimos que ainda existe alma no desagraçado do Luke, obrigado Arceus, eu pensie que teria que conversa por telepatia com a dawn pra da um chute no saco dele pra ele para de ser psicopata.
    Resumindo vc novamente conseguiu escrever um otimo cap.Congradulation!!!!!!!!!!
    E mais uma coisa, vai ter cap especial de 1 ano de AES?To esperando hehehe

    ReplyDelete
  7. Canas...Guerra é uma palavra amena, carnifiscina é um sinônimo forte desta palavra, falando de um jeito mais ameno gurra podemos utilizar, Luta, Batalha, Confronto...Não sinônimos um tanto amenos para guerra, palavras que emglobam lutas são neturalmente fortes e chamativas.Canas 5 meses? Ainda lembro do pokémon secreto...A a cuca do Luke...Foi o gabite quem deu a idéia e pegou a cueca.
    Lukas aprendendo artes marciais, indo pra favela...O Lukas ta mudando, e parece que ele pensa em seu :3 S2 amiguxy S2 :3 Lúcio quando está treinando com sacos de pancada, né? E eu diria que vosso amado Luke está a cada dia mais distanciado do grupo... Bom, dando seu lugar ao Lukinhas... E a Vivian que se cuide uma certa garotinha entrou como quem não queria nada no coração do Lukinhas e agora tá lá ocupando 75% do coração dele... Me ouça Vivian.
    Bom vamos a Maylene :3 Adoro ela ( Acho q já disse isso né?) Que bom que ela apareceu, masmo que tenha sido breve me deixou feliz, Maylene foi um marco de Sinnoh ( Ao menos para mim) Realmente temível para se ganhar, principalmente quando não se está níveis a cima dela no jogo XD
    Luke e Dawn...Uma breve cena nos mostrou a revolta dela pelo "novo" Luke, como se as pessoas mudasssem, elas nunca mudam drasticamente...Creio que está doença megalomania não seja o que ele tem, ele está passando por algo comum aos treze anos uma crise de identidade. Mas creio que Lukas nunca será afetado por megalomania, não é genética, mas na verdade se desenvolve com o pssar de vida, creio eu.
    Bom Canas, não poderi terminar de ler o cápitulo por hoje, lerei a batalha amanhã...Como já falei tudo está muito corrido, mas não terei tempo de terminar este comentário, deixareio pela metade...Bom talvez eu o continue, mas acho difícil.
    De Dezinovés, Bom deve ter notado essas palavras estrnhas em meu vocabulário, isto ocorreu devido a certas dificuldades em português... preciso voltar a escrever corretamente, ou seja, sem k no lugar de q e sem x no lugar de ch, além de aprender palavras novas, como carnifiscina :)

    ReplyDelete
  8. Bom, Gabriel, não tenho nada preparado para o aniversário de Sinnoh... Acredita? É até decepcionante falar, mas não consegui fazer nada assim tão surpreendente, estou tão corrido com as coisas da facul, e uma semana antes é aniversário da minha irmã e dia das mães. Logo, tenho que dar mais atenções para as duas do que para o aniversário de um blog. É triste, mas vou tentar correr com alguma coisa, se tudo der certo acabo tendo uma epifania e ideias utilizáveis, mas por enquanto, não posso garantir nada.

    Oe, Dezinovés, eu gostei do termo Confronto. Acho que vou usar ele mesmo, é melhor do que Guerra, e Carnifiscina passaria bem longe do que tenho em mente aqui kkk Cara, é uma pena, mas nem daria para estender a participação da Maylene nesse episódio, ele já estava grande demais, e por fim, acabou sendo só essa pequena partinha para vocês terem o gostinho de vê-la fazendo presença. O engraçado é que eu não tinha a minima vontade de colocar ela aparecendo, nesse ponto, os leitores me influenciam. Da mesma forma que vocês dizem que eu consigo fazer vocês gostarem de certos Pokémons, vocês também conseguem me fazer gostar de personagens. Bom, e sobre essa questão de genética. Eu acabei de ler um artigo que comprova que gêmeos idênticos não tem genes idênticos, mas no outro, comprova que são idênticos! E agora, o que eu faço? kkkk Vejamos, o Lukas tem sim possibilidade de desenvolver a doença (vamos supor que sim, é genética, se qualquer perito nessa área estiver disposto a me explicar certinho eu ficaria agradecido) o Lukas pode desenvolver a megalomania, mas nesse ponto acho que dependeria das pessoas ao redor dele. Talvez, alguém mais sutil como a Vivian possa dar um jeito nisso antes que ela se prolifere, mas a questão é que os personagens em si ainda não cotaram essa possibilidade.

    Well acho que é isso que tenho que falar. Mó raiva, eu gostava daquele jeito que permitia você dar uma respsota exata para cada comentário, agora com o novo template não dá mais ): Mas não tem problema, eu aprendo a conviver sem isso, ou aprendo alguma maneira de voltar a ativar esse recurso kkk Gente, obrigadão pelos comments, foi jogo duro trabalhar nesse capítulo, mas ele adquiriu a repercussão que eu queria. Fica essa dúvida, quem seriam os verdadeiros vilões da história? Abraços, people!!

    ReplyDelete
  9. Canas... Man... O Capítulo ficou show!!! EPIC! aeeHOOOOOOOOOOOO!!! *--* Man, cê num sabe a felicidade de encontrar um cap. novo na fanfic favorita, e ainda por cima ser um capítulo show desses! Me ajudou muito no meu dia, que tava meio parado. Mas depois de ler esse cap, parece que, sei lá, tipo... uma adrenalina correu no meu sangue, e eu comecei a ficar elétrico aqui na casa. E olha que são 00:47... kkkkkkk'.
    Sério, man, ficou mt show. Embora, vc já tenha dito que ia ser um cap meio ~foderastic~(falando com sotaque francês :D)... Mas ainda assim, eu não imaginava q ia ser tanto, nem quando seria. Mano... não, peraê. MANO!!! O Shieldon evoluiu!!! O Shieldon, man! O SHIELDON!!!
    Tava esperando esse dia chegar. Não tenho favoritismo nos pokémons dos Wallers, mas, sinceramente, era algo que eu achava que ia demorar um pouquinho mais... :D
    Enfim... estou sem palavras para descrever o resto, então, vou ver se me esforço no desenho da Titânia aqui(Sim, estou desenhando a Titânia, e logo devo mandá-la a você.), só pra provar meu agradecimento pelo capítulo.
    Lembrando q num vai ficar lá essas coisas, pq num sou experiente, e está de madruga =/, mas espero que goste. :D

    ReplyDelete
  10. Diga ae, Blade. Rapaz, é sério que você está fazendo um desenho da Titânia? *-* Cara, é beem difícil alguém mandar um desenho dos personagens dos Fire Tales, independente de ser na forma humana ou não, mas eu fico fissurado manolo! Tipo, acho que é a sensação de criar um personagem e ver que o pessoal curtiu, os seus próprios personagens ganhando essa vida própria na mente dos leitores. Cara, vou estar aguardando muito ansiosamente esse desenho da Titânia, eu mesmo já estou na hora de atualizar aquele primeiro dela, daqui a pouco a Titânia fica ainda mais linda *-* Que bom que gostou tanto do capítulo cara, que bom mesmo! Tenho boas esperanças de trazer algo bem legal no 37 também, a meta é continuar surpreendendo. Abraços ae, Blade, a gente se fala (:

    ReplyDelete
  11. Momentos Dawn e Luke estão de volta! E a Star- Chan aqui também!

    Veilstone se despede com um emocionante episódio, e que episódio hein? Puxa, juntou todo tipo de sentimento e juntou.

    Rockets e Galactics, briga antiga hein? Mas acredite, é a primeira vez que vejo tendo uma batalha oficial.

    Dawn, finalmente convenceu Luke a ficar menos adulto, agora vamos ver os próximos episódios e ver o que acontece.

    Machop>Machoke: haha, quem é que não riu com a cueca? kkkkkkk

    Shieldon>Bastiodon: Ahh, legal, uma grande evolução *-* Mas eu vou sentir falta do pequeno Shieldon, poxa, eu adorava ele. Mas vou me acostumar com o Bastiodon.

    Ótimo Canas, mas, li o nome dos próximos capítulos e tenho certa intuição que poderá ter um foco pequeno em LukexDawn. Bem, seja o que o destino quiser.

    Ahh, um Azelf foi uma boa sacada, foi demais a idéia. ^^

    ReplyDelete
  12. Yo Canas-senpai! Novamente desculpe eu não estar comentando, ando meio ocupada KKK
    Aaah, mas eu amei essa capítulo, principalmente porque meu comandante favorito apareceu! Só de ler isso dá pra perceber que eu amo o Saturn de paixão, né? Ele é muito gato, eu adoro ele <3
    Bastiodooooon! XD Um dos meus favoritos também! Eu sabia que aquele pequeno e adorável Shieldon iria se tornar um poderoso Bastiodon! Yay!
    E o Luke precisa mudar essa atitude, que saco, ele ta me irritando demais! ¬¬ Vou te dizer que passei a gostar mais da Titânia, e comecei a desprezar o Luke. Sei lá, enquanto ele não melhorar, não voltarei a gostar dele tão cedo.
    Meu favorito mesmo é o Lukas! Ele é um fofo, yay!
    E o Saturn capturou o Azelf! Não é meu favorito do trio lendário (gosto do Mesprit), mas acho ele fofinho! Riley, calma aí, vai tudo bem! XD Também gosto muito do Riley, assim como a Dawn, eu adoro homens mais velhos. Tenho uma queda pelo Riley, comofas?
    Enfim, ótimo capítulo, continue assim , Canas-senpai! Em breve talvez eu poste mais algum comentário!

    Bye!

    ReplyDelete
  13. Opa perái... tem muita coisa para comentar, preciso organizar as minhas ideias
    Bem primeiramente eu queria falar sobre o estranho acontecimento da cueca. Cara como que você guardou isso na sua mente, não me lembro exatamente qual foi o numero do Fire Tales, mas lembro que foi no especial de amigo secreto em dezembro do ano passado kkkkkk, meu achei essa interligação entre as histórias muito cômica, e claramente vi o Machoke (Mister Bombástico)se exibindo em frente a Dawn, acho este Pokémon cômico.
    Puxa o Luke já esta voltando ao normal, eu estava curtindo ele doidão daquele jeito, o mais divertido foi à evolução dele desde a primeira aparição até o agora, pois esta loucura cada vez que retorna, parece que vem mais forte, realmente apenas a pessoa que amamos nos faz voltar ao normal.
    Cara você esta pegando memorias a muito guardadas em minha mente, eu fico meses sem comentar, e quando volto dou de cara com um capitulo que interliga vários passados, e é exatamente por isso que ele se tornou surpreendente. Posso estar enganado, mas acho que você comentou sobre a localização dos comandantes dos Galactics ainda no ano passado na saga Peróla, seria o especial da reunião galatica? Não sei kkkkkk agora pegou pesado né cachola. Mas já saquei a sua faz tempo Canas... tudo é importante, até pequenos relatos jogados em capítulos aleatórios.
    Meu a batalha foi épica, cada Pokémon lutando de forma independente e vitoriosa, cara essa parte eu li voando, estava vendo todas as cenas passarem em frente aos meus olhos, só usufruindo da pipoca aki do meu lado.
    Canas, o Castelo é foda, não tem outra palavra melhor do que esta, ele é foda.
    Percebi que nestes últimos capítulos você tem dado uma ênfase no Mikau, que por sinal estou adorando. A cena da luta em dupla dele e do Gabite foram as melhores do capítulo, me tirou boas gragalhadas, é como se eles se odiassem, mas ao mesmo tempo fossem amigos, sabe, Legolas e Gimli kkkkkk e foi épica a frase da Titânia “Tratem de manter a ordem e trabalhar em equipe se os dois não quiserem ficar a noite inteira abraçados. ”, isso foi muito frase de mãe kkkkkkkk
    Porra o Azelf... eu até esqueço que este Pokémon existe kkkkkkkk acho estes lendários meio ... dispensáveis... Mas... Canas você achou uma utilidade para eles kkkkk Muito legal a sacada das três Master ball.
    É... parece que o meu comentário ficou meio comprido kkkkk melhor eu me segurar aki, se não me desembesto a escrever.
    Cara sabe qual é o melhor de ser o ultimo a comentar... é saber que já tem o 37 postado!!
    Flw

    ReplyDelete
  14. Achamos a cueca do Luke!!! Meu, você podia fazer um capítulo especial mostrando a evolução do Machoke, OU PODIA COLOCAR ALGUMAS COISAS A MAIS NO CAPÍTULO 35.5 (eu olho pra tela e vejo uma frase com capslock :( , começo a bater nele).

    Canas, o Pipulp da Dawn vai ou não evoluir? pois seria legal uma pesquisadora com um Empoleon.

    MEU! O Bastiodon também! Cenas Épicas! MegaHiperBlasterMothafucka essa luta! Ou mai godi!

    Cara, porque você tá lembrando dessas coisas lá do começo? O sonho do mESPRIT (capslock :( ) foi quando, perto do capítulo 7?

    A wild Master Ball apeared! Go Riley! Use Furia Controlada! Super Effective! kkkkkkkkkkkkkk

    CaosVortex vazando!

    ReplyDelete
  15. OPA! Parece que finalmente tivemos a oportunidade de ver as lendas desse maravilhoso continente que é Sinnoh!

    Cara, eu me lembro bem de lá no início você ter mencionado que não daria importância para os Pokémons lendários, mas acho que é importante trazer para os leitores pelo menos aqueles que fazem parte da história por volta da origem de Sinnoh. Isso é também parte da trama que envolve as verdadeiras pretensões da Team Galactic, e por isso poderá lhe render toneladas de enredo para você trabalhar tranquilo!

    Esse capítulo foi basicamente de ação. Tivemos o início lá com toda aquela coisa em volta das mudanças de personalidade do Luke... Eu queria ver a Maylene enfrentá-lo. Ela ia deitar o moleque na porrada! Mas em contrapartida ele também mostrou que consegue ser o Luke antigo, ainda que tenha dificuldades para isso.

    A batalha contra os Rockets foi muito boa. Você sempre diz que não tem tanto talento nessa parte, mas eu discordo totalmente! Você conseguiu descrever muito bem o clima de tensão, os movimentos de cada um no campo de batalha, e ainda trouxe as relações que os Pokémons têm entre si nos Fire Tales. Isso foi fantástico! Essa união na sua história vai melhorar muito as coisas para quem gosta de compreender as personalidades dos Pokémons.

    Vou ficando por aqui. Preciso adiantar os Fire Tales também para ficar de boa com a história principal. Vou indo!

    ReplyDelete
  16. Man, a cada novo capítulo você se supera. E esse então... foi longo, mas valeu cada palavra lida.

    A começar pelo Machoke. Macho, macho-man! Nunca esperaria uma evolução desse dessa forma. E sabe, vejo a equipe da Dawn formada por pokémons fortes, usados sempre quando ela precisa. Esses pokémons dão a sensação de liberdade para ela e segurança (mais que a faca, pelo menos).

    Quando ao encontro com os Rockets... Mother of dog! *-* Espetacular. A começar, aquela batalha contra os Rockets foi super emocionante. O Shieldon sempre teve meu respeito e quando ele aprendeu o Ancient Power eu sabia que sua evolução estava próxima *-*.

    Mas depois, quando o comandante mostrou aquela pokébola, fiquei tipo: @_@" Ferrou, chegou o lendário, acabou com tudo. Cara, mexer com lendários é perigoso ó.ò! E o Riley, hein, me pareceu que não vai apoiar muito a ideia. Será que estamos vendo os lados de uma guerra se definirem? O que será de Sinnoh, dos stats trainers e dos irmãos de boina rósea, digo, vermelha? O que serão dos vilões? Descruba isso e muito mais no próximo capítulo de... como destruir um mundo com um elfo de meio metro!

    hauhauahuahauahuahau sério mesmo, amei o capítulo. Brincadeiras à parte, ficou show. Mas agora tenho que ir dormir, senão minha mãe me ataca como os pokémons fizeram x_x"

    Até mais querido Canas ;)

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -