Posted by : CanasOminous Feb 17, 2014


Já era bem tarde daquela noite, e a mulher tinha a clara impressão de que estava esquecendo de alguma coisa...
Ou talvez não tivesse esquecido. Talvez estivesse com aquilo martelando sua mente a manhã inteira, mas preferiu não ligar a ressaltar suas expectativas e terminar frustrada. Estava exausta. Mudanças não eram nada fáceis, e enfrentar aqueles dias difíceis em sua vida particular tornava sua rotina ainda mais extenuante.
A morena acendeu a luz hesitante, lodo dando uma olhada discreta no vazio sombrio de seu apartamento. Soltou um suspiro desapontado e concluiu o que imaginava. Nenhuma festa, nenhuma surpresa. Uma pena...
Foi até o banheiro, lavou o rosto, tirou a maquiagem e foi tirando peças de roupa que eram deixadas por todo o apartamento. Nem sempre costumava ser desleixada assim, mas quando tinha uns momentos só dela gostava de se liberar. Ela deu uma olhada em si mesma, notando o quão fatigada e estava, e também um pouco mais envelhecida desde que começara aquele trabalho que parecia nunca ter fim.
 Vamos lá, Sinnoh... Falta tão pouco. — A mulher disse para si mesma.
Continuou passando pelos corredores escuros do apartamento repleto de caixotes e documentos espalhados por todo o canto. Além da mudança que seria feita daqui há um tempo, vinha tendo problemas na família e no trabalho, e agora, mais empecilhos. A vida não se cansava de jogar contratempos na vida da mulher. Imaginava se os outros passavam pela mesma coisa.
Sinnoh buscou um remédio para tomar com água, só pra ver se sua dor de cabeça melhorava. Pegou alguns documentos importantes que ela deixara sobre a mesa do escritório indicando o cronograma daquela semana, e folheou-os sem interesse. Todos eles traziam um título bem grande, em nome da empresa como um todo, a Aliança Aventuras.
 Ai, o chefe não me dá sossego mesmo... — ela murmurou bem baixinho, tomando duas pílulas e indo em direção da sala.
Subitamente, ouviu que a televisão estava ligada. Era tarde para receber visitas, principalmente quando ela nem sabia que visita era.
Tirou os saltos e ficou descalça para abafar o som. Quando conseguiu dar uma espiada pelo vão da porta, viu que na televisão passava um jogo de futebol dos times europeus, e parecia que alguém assistia tudo muito entretido.
Sinnoh pegou um livro em cima da estante como sua arma para defesa pessoal e ligou a luz da sala, vendo uma moça virar-se com as sobrancelhas franzidas e uma expressão de poucos amigos.
— Você tá maluca? Perdeu noção do perigo? Me dar um susto desses bem no meio do jogo?! Te esperei a tarde inteira, desgraçada.
— Diga aí, Hoenn — a mulher apoiou-se no encosto da porta, olhando para o jogo na televisão com um olhar tedioso enquanto remexia a água no copo. — Por que está aqui? Eu vi sua mensagem no facebook, mas eu disse que não poderia fazer nada. Eu avisei.
— Ahh, nem vem! Eu te mandei mensagem pelo celular, aí você me ignorou no face, e mesmo que tenha dito que estava ocupada eu sabia que ia sobrar pra mim... — a outra garota levantou-se, mas antes de sair voltou a olhar para a televisão só pra ver se alguém marcara um gol. — Vem comigo.
Hoenn segurou na mão de Sinnoh de volta para o escritório. Ali, ela apontou para um calendário na parede.
— Que dia é hoje? — perguntou Hoenn, com um olhar revoltado.
— Dia 17 de Fevereiro — respondeu Sinnoh, revirando os olhos.
 E o que tem de especial no dia 17 de Fevereiro?
A mulher soltou um longo suspiro desanimado.
— É aniversário... Da Aliança Aventuras... Eu sei disso, eu sei. Acha que não pensei nisso a tarde inteira?
— Sei lá. Você nunca para quieta, o tempo todo está pensando em trabalho... Você é exageradamente workaholic, e isso está te afetando, sabia? Dá um tempo e respira, mulher! Eu fiz isso e já estou respirando novos ares — disse Hoenn, cruzando os braços.
Sinnoh passou a mão em seus cabelos emaranhados, andando de um lado para o outro.
— Eu não sei mais o que fazer, Hoenn! As coisas andam tão difíceis, o chefe está muito ansioso para a temporada final dele, mas não consigo ajudá-lo. Parece que os leitores não se importam mais! Isso deixa todos nós abalados, e não é só com a gente...
— Nem me fale. — Hoenn deu uma risadinha descontraída. — Minha região anda tão deserta quanto a Rota 111. Daqui há pouco vai começar a aparecer uns Trapinchs e uns Cacneas pra morar lá.
Apesar da brincadeira, Sinnoh sentou-se na ponta do sofá com as mãos sobre a cabeça.
 Eu sinto falta dos outros... — disse a mulher. — Sinto falta... Dos velhos tempos.
Hoenn levantou-se e deu uma forte chacoalhada na amiga para despertá-la daquele mar de tristeza.
 Ei, acorda, menina! Nós duas estamos de pé aí desde o começo. Já faz tempo, você nunca foi de viver presa no passado, o que está te perturbando agora?
 Hoenn, acho que estou perdendo as esperanças.
A mulher de verde distanciou-se como se aquelas palavras fossem uma estaca em seu peito.
 Esperança? Você, me falando de esperança?
As duas trocaram olhares, e Sinnoh desviou como alguém que sente a culpa no que acabara de dizer. Hoenn segurou sua mão e falou:
— Credo, tu está péssima. Vem, bora dar uma volta na praça.
— À essa hora da noite?
 Dane-se. Se vier alguém pra cima da gente, a gente enche eles de porrada.

As duas amigas saíram do apartamento e foram para uma praça enorme ali perto, e em uma cidade grande como aquela não era de se surpreender que ainda houvesse pessoas caminhando, levando os Pokémons para fazerem xixi ou simplesmente treinando para a batalha de ginásio na manhã seguinte.
Sinnoh continuava de cabeça baixa, e Hoenn tentava motivá-la.
 Ah, três anos! Quem diria — comentou Hoenn, esticando os braços para o alto. — Como anda a galera? Têm conversado com alguém?
— Não... A mudança em casa tem me deixado louca, nem consegui trabalhar em meus projetos com o chefinho nos últimos tempos. Tenho estado muito distante da Aliança também, acho que falta aquela inspiração que me motivava a tomar conta dela como antigamente.
Hoenn colocou um dos braços em volta do ombro da amiga e começou a rir.
— São só tempos ruins. Outros melhores estão vindo!
Sinnoh tentou demonstrar um sorriso, ajeitando seu blusão azul para proteger-se mais do frio. Hoenn nem vestia muitas roupas, e mesmo sendo tão tarde parecia ter despertado agora. Na realidade, ela parecia nunca se preocupar com nada, e de certa forma Sinnoh adorava aquela filosofia de vida.
— Olha que deixei de assistir meu jogo só pra dar uma volta com você, então trate de refletir sobre nossa conversa — disse com uma risada. — Como anda a Kalos? Ela é um amor com aquele outro garotinho, não? Parece que foram feitos um para o outro!
 É sim, nossa pequena revelação — Sinnoh deu uma risadinha singela.
 É só questão de tempo, você sabe, no futuro esses dois ainda vão brilhar! — disse Hoenn com um sorriso. — Outro dia estive falando com o Oblivia também. Gente, eu só me divirto com esse cara... Ele fala muita bobeira.
 Sério? Nossa, faz tanto tempo que não vejo o Oblivia! Nem o Johto, eles deram uma sumida do trabalho, mas que bom saber que vocês ainda se veem de vez em quando.
Hoenn virou-se para ela e falou contente:
— Não podemos esquecer que ainda temos algumas surpresas para os próximos meses, hein?
— Ah, sim — Sinnoh balançou a cabeça, compreensiva. — Gente nova, novas lideranças em algumas regiões... Estou ansiosa pra começar, vai ser uma experiência muito boa para nossos amigos. A Aliança vai ficar feliz.
— Ouvi dizer que Kanto voltou com um ex-namorado dela... Aquela piriguete com fogo na bunda, espero que sossegue dessa vez! Cada hora a Kanto aparece com um cara novo, vê se pode! — Hoenn falava indignada. — Esse pelo menos é um anjo. Espero que aguente ela...
— A Unova também andava bem tristinha... Ela ainda não se recuperou desde que terminou o último namoro que já vinha durando tanto tempo. Pobrezinha.
— Augh, nem me lembre dessa história — Hoenn já se afastou. — Só posso desejar que esse novo cara que ela arranjou seja gente boa. Aposto que ele será, afinal, fui eu quem apresentei para ela!
Sinnoh soltou uma risada como se insinuasse: Você não muda mesmo, amiga.
Hoenn juntou as mãos como se lembrasse de alguma coisa.
— Mano... E tem o Ransei. Que garotinho fofo, vai super combinar com a nova escritora!
— Tenho certeza que vai, estou muito ansiosa para a inauguração desde o ano passado, e já vi muitos leitores demonstrando interesse na região! Afinal, quem não gosta de um gênero medieval? Lutas e batalhas, romances e rompimentos! Nossa, quando esse Ransei entrar na ativa as coisas vão realmente brilhar.
Logo Hoenn e Sinnoh pararam de andar, vendo que já conversavam há um bom tempo. Ouviu-se um ou dois rojões naquela tarde tão monótona, e Hoenn colocou as mãos na cintura frustrada.
— Opa, meu time deve ter feito gol!
— Você só pensa em futebol? — Sinnoh perguntou com uma risada gentil.
— A gente acaba pegando algumas manias dos nossos parceiros, não é? — A outra respondeu com um cutucão. — E aí? Depois de nossa deliciosa caminhada entre companheiras, e mesmo sendo tão tarde, conseguiu pensar em alguma coisa para nossa querida Aliança Aventuras?
— Não.
— N-NADA...? Nada legal? Nada inovador? Nada... bacana?
— Nada bacana — Sinnoh respondeu com um aceno sincero. — Me desculpe, Hoenn. Eu queria tanto ter preparado um vídeo, feito um desenho, mas não deu. Eu queria que essa data fosse lembrada por todos, mas no fim das contas tudo que consigo fazer é... Não fazer nada.
— Não fazer nada? Como pode ter a audácia de dizer isso na minha frente?! Vou dar um soco no seu pâncreas. Você está aqui, presente, marcando presença e dando seu melhor para manter tudo isso em ordem enquanto pode!
Sinnoh foi caminhando mais na frente conforme Hoenn ficava atrás, perdida em seus pensamentos.
— Você me fez continuar aqui. E me inspirou a seguir em frente quando nem eu encontrei mais forças para seguir.
Sinnoh parou e virou-se lentamente, lançando um olhar esperançoso para a amiga que retribuiu o gesto. Parecia que Sinnoh estava para chorar a qualquer momento, emotiva do jeito que era, principalmente depois de juntar tantos problemas na sua vida e perceber que ainda não era hora desistir.
Hoenn voltou a saltitar em sua direção, colocando o braço em volta de seu ombro.
 Não chora, se não eu vou chorar junto! — disse a garota de verde com uma risada. — Nunca pare de sorrir, tudo bem? Nunca deixe de acreditar em você mesma. Você não precisar bancar uma de Atlas e carregar o mundo nas costas. Saiba que você sempre terá alguém do seu lado para te apoiar. A gente carrega junto, é isso que a Aliança nos ensinou.

Passaram-se mais alguns minutos de caminhada até que Sinnoh e Hoenn voltassem para o apartamento. As duas falavam e riam baixinho por conta do horário, mas ao retirar a chave da porta, a mulher estranhou o movimento contínuo e o som vindo do aposento.
Sinnoh imediatamente voltou-se para a amiga com um olhar desconfiado.
 Você aprontou de novo.
— Qual é, alguém precisava agitar a galera! Eu só tomei a iniciativa, deixei eles fazerem o resto — Hoenn caiu na risada.
Ao entrar no apartamento, Sinnoh deparou-se com sua casa revirada do avesso, mas ali estavam muitos balões em formas dos Pokémons iniciais, docinhos em formato de pokébolas e o mais importante de todos: A presença de todos os seus amigos.
 Por Arceus, como o síndico deixou vocês entrarem?! — indagou Sinnoh estupefata, mas extremamente contente com aquela surpresa inesperada.
 Ih, a gente já é de casa! — respondeu Oblivia com uma risada, indo dar um abraço na amiga. —Já viemos tantas vezes para cá que praticamente moramos aqui. O porteiro é gente boa, manda um bolo pro véio mais tarde.
 E combinamos que esse seria o local perfeito para nossa festa — respondeu Kalos, toda dengosa. — Seu apartamento é mais bonito, mais chique, tem mais visitas... Já que a Hoenn agitou a festa, combinamos que usaríamos seu lugar para dar uma festa para a Aliança. Gostou?
— Ah, por isso você me tirou daqui para fazermos uma caminhada — respondeu Sinnoh, lançando um olhar reprovador para Hoenn que já estava na sala para tentar pegar os minutos finais do jogo.
            — Ei, Sinnoh! Minha fofa, como tem passado?
— Johto...?! Ah, nossa... E-Eu não sabia que você viria, e eu ainda estou tão mal vestida, vocês nem me deram a chance de retocar a maquiagem!
 Ora, e precisa? Está perfeita desse jeito — o rapaz respondeu, fazendo a mulher corar de leve.
— Ahh, pessoal... Como é bom ver todos vocês, unidos. Isso é tão... bacana! Unova, Kanto, Ransei! Juro que eu pensava que não viriam hoje. Ou melhor, nem eu tinha colocado fé que eu estaria aqui.
— Gente, eu arranjei um novo cara! — Kanto estava claramente entusiasmada, mas para o restante aquilo não parecia nenhuma novidade. — E ele é tão diferente de mim. Já arranjei tanto cara que agora tenho minhas dúvidas se esse relacionamento vai durar, mas... Estamos confiantes!
— Oi, Sinnoh... É muito bom revê-la, só desculpe por estar tão desolada, tenho ficado muito tempo em casa, sozinha... Foi até bom sair um pouco, acho que é o primeiro sorriso que dou em muito tempo — disse Unova.
Muito da festa já estava feito, e logo todos os demais membros da comitiva foram chegando. Trouxeram ainda mais doces, muita comida, e Kalos encomendara até mesmo um bolo especial só para aquela ocasião.
Kanto estava lá para agitar e contar os babados de seus relacionamentos fajutos para os amigos; quando Johto chegou ele conseguiu arrancar alguns suspiros de Sinnoh que se derretia pela beleza incondicional do colega de trabalho. Unova estava bem cabisbaixa, mas ia sendo consolada pelos demais que tinham esperanças no novo cara que ela arranjara. Somente as Ilhas Laranja disseram que não poderiam aparecer, as duas estavam meio doentes nos últimos tempos. Até mesmo Ransei apareceu na festa, e embora a maioria ainda não o conhecesse ele foi recebido de braços abertos.
Quando o telefone tocou, Sinnoh foi logo atender.
— Boa noite, senhorita Sinnoh, já passa das dez horas, não se esqueça da lei do silêncio... — disse o porteiro com a voz grossa, enquanto a moça olhava para os colegas e apontava o indicador pedindo para que diminuíssem o barulho.
— Pode deixar... Vamos ficar quietinhas. Depois levamos um bolo para o senhor.
— Oh, seria muito bom, minha querida... — o velho porteiro da noite falou com a voz cansada, mas muito contente. — Não quero ser chato, mas você sabe como é o síndico de nosso prédio... Ele arranja motivos para reclamar, e eu detestaria que você fosse alvo dele.
 Hah, hah. Não se preocupe, acho que ele não terá que me aguentar por mais muito tempo... Não continuarei nesse apartamento, estarei de mudança assim que terminar as últimas etapas de minha história, mas até lá pode ter certeza que vou levar muuuuuito xingo daquele velho chato!
O porteiro deu uma risada abafada, esperou um pouco e pareceu acionar um botão na portaria.
— Ah, e por sinal, alguém chegou.
— Chegou?! — Sinnoh indagou, extremamente animada. — Manda subir, manda subir! Ela é a aniversariante, mas não conte que estamos aqui. Pode até ser que ela já saiba, mas mantenha o suspense!!
Assim que Sinnoh desligou o telefone, ela correu para os demais convidados e fez um sinal que confirmava: Ela estava chegando.
Todos se posicionaram e desligaram as luzes. Estavam ansiosos.
Afinal, por que estavam ali reunidos em uma noite tão pacata de uma segunda feira insignificante? Na manhã seguinte alguns teriam trabalho logo cedo, aquela aula insuportável na escola, todos teriam de voltar para suas vidas, estudar, lidar com os chefes irritantes, resolver seus próprios problemas no relacionamento...
Será que realmente havia motivos para toda aquela comemoração?
Oh, claro que havia. Não tinha problema algum perder mais algumas horinhas de sono ou descanso somente para preparar algo realmente bom, algo que fizesse a diferença, que melhorasse o dia de alguém, nem que fosse uma única pessoa.
Todas as regiões ali presentes podiam estar enfrentando desafios em suas vidas pessoais, e por mais que o dia tivesse sido bem nublado, eles fariam o possível para que a noite fosse estrelada para todos que decidissem olhar o céu.
Ouviu-se o som da campainha, e quando Sinnoh abriu a porta Kalos estendeu o bolo para frente e todos os demais deram um berro ensurdecedor em uníssono:

Feliz aniversário, Aliança Aventuras!!

Não demorou muito para que o síndico ligasse e pedisse para que abaixassem o volume da música e da televisão.

{ 6 comments... read them below or Comment }

  1. "Parece que os leitores não se importam mais!" == DRAMA
    Gente, a Aliança tá de aniversário e eu, sempre atrasado, venho dar parabéns!
    Nossa, quantos momentos de alegria essa Aliança já me deu! Só tenho a agradecer. Momentos que eu estava de cabeça baixa, cansado e tudo mais, mas aí eu sentava na frente do pc e o mundo ficava melhor. Logo, obrigado.
    Sério, ler as fics da Aliança me fez até pensar em escrever também. Fazer tudo bonitinho. Fazer tudo certinho. Se deus quiser inspirar e alegrar outras pessoas igual a Aliança me inspirou e me alegrou.
    Mas queria só passar para dar parabéns e agradecer. Que me dê muitas outras alegrias também. Que todas contém à ativa e façam a alegria geral.
    Mas era só para passar e agradecer e parabenizar. Obrigado, Arigatou, Danke, Thank you.
    Adios,
    Moacyr.

    ReplyDelete
  2. kkkkkkk Vamos lá cara, esses são os pensamentos da Sinnoh, não os meus! Ela é como uma personagem que representa o blog, e uma vez que o blog têm andado parado ela se sente perdida e confusa, isso explica o drama por parte da Sinnoh. É uma brincadeira e ao mesmo tempo um projeto que quero começar com os demais membros conforme o tempo, quero fazer com que cada região tenha sua personalidade e que elas sejam como alter-ego dos autores, onde cada uma tem sua própria história como se fossem personagens. Ah, isso é o que dá trabalhar com Gijinkas! Você começa a achar que as coisas mais improváveis merecem ter vida kkkk

    Mas obrigado pelas palavras caro Moa, e também torço para logo todas as regiões estejam na ativa e possamos continuar nossa jornada. Siga seu instinto também cara, comece escrevendo e levando todas as lições que aprendeu aqui, só escreve quem tem algo a contar e compartilhar, façamos algo que faça a diferença na vida das pessoas! Obrigado por estar aí desde o princípio, companheiro. Que venham muito mais!

    ReplyDelete
  3. Essa fic marco minha vida, não sei oque eu vou fazer sem ela(reler os capítulos),Senhor Canas vc estaria planejando fazer alguma coisa tipo um 2 ou continuação dessa fic?


    Ps:eu não sou bom em escrever comentários elogiando e tals,mais saiba a esse especial foi bom como todos os outro,Bom não OTIMO como os outros

    ReplyDelete
  4. Obrigado pelas palavras, companheiro. É sempre muito bom saber que a fic foi importante para as pessoas, acho que o legado mais importantes que livros e palavras podem deixar é esse, o de ensinar alguém, de fazer sentido para as pessoas que as leem. Bem, infelizmente eu não apostaria em uma Sinnoh 2, Battle Frontier, ou outros projetos com as demais regiões do Mundo Pokémon, mas quem sabe o que pode vir? Posso aparecer por aí nos demais blogs como leitor, com interligações, ou somente como amigo mesmo. Em algum lugar, eu estarei! kk

    Garanto que continuarei na área da escrita, e se tudo der certo vai que eu acabo lançando um livro, já tive a inspiração e o apoio necessário dos leitores, sei que isso pode acontecer, então continuarei lutando por meus objetivos até chegar lá! Valeu meu caro, até a próxima!

    ReplyDelete
  5. Estou atrasado aqui :0. Já deixei os parabéns lá em Kalos, mas venho deixar aqui de novo.

    E que ótima desculpa para não ter que escrever um texto contando a história da Aliança e agradecendo, se não escrever uma narrativa com personificações de cada blog kkkkk. Sério, ideia genial. Além de tratar dessas personificações como, tipo, sei lá, "namoradas" dos escritores, elas também tem personalidade. Sinnoh é responsável, Hoenn é... hã, tranquilo kkk? Kanto is like a little b*tch kkkkk, etc.

    Você deixou algumas pequenas pistas sobre a Aliança no meio de toda prosa e pelo que vi, parece que finalmente todas regiões ganharam escritores e ficarão habitadas novamente, ganharão novas aventuras - isso é muito bom. Espero para conhecer os enredos que vem por aí. Enquanto você vai terminando por aqui e Shadow por lá (mesmo ainda faltando um pouco para Hoenn), novas histórias vão surgindo.

    Enfim, parabéns novamente pelo aniversário, e "May the odds be ever in your favor". ("Que a sorte esteja sempre a seu favor.")

    See ya.

    ReplyDelete
  6. Diga ae, Gus! Cara, eu já li tantas vezes a história da Aliança nesses três anos que nem eu aguentaria ouvi-la de novo kk No primeiro ano todas as regiões fizeram uma homenagem e tudo foi bonito, no segundo ano algumas já foram mudando e até citei a Sinnoh como personagem pela primeira vez quando o blog completou seus dois anos, e agora no terceiro tentei experimentar uma maneira mais divertida de contar a história de sempre, mas com uma característica nova. Quem sabe começamos novas histórias com esses personagens, né? kk

    Alguns spoilers ficaram, imagino que agora falte muito pouco para irmos voltando com cada uma das regiões, e logo teremos nossa boa Aliança completa mais uma vez. Somente as Ilhas Laranja continuam de fora, e estou considerando cancelar o blog, mas vamos ver o que fazer... Quero encaixar também a 10º região, e aí ficarei contente! kk Veremos o que o futuro nos aguarda. Obrigado pelas parabenizações companheiro, abração.

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -