Posted by : CanasOminous Jan 30, 2013


Ele sabia que o mundo que via já não era mais o mesmo. Ao menos, em sua concepção. A essência dele mudara, era como o despertar de um novo tempo que traria uma certa tranquilidade para aqueles a sua volta, como se um oponente de longa data tivesse finalmente sido destruído. 
Assim que Aerus despertou sentiu em seu peito uma dor tão grande que mal pôde levantar-se de imediato. Gritou alto e caiu na maca novamente, como se recebesse o sopro de vida de uma divindade. Continuou gemendo numa raiva ensurdecedora por alguns minutos, queria levantar-se e sair dali, mas era impossibilitado por seu próprio corpo que pedia um repouso merecido. Lembrava-se de pouco do que acontecera, sabia que fora derrotado por Ereon, apenas imaginando a sorte que tinha pelo fato de ainda estar respirando. Por fim, calou-se e caiu num poço profundo de silêncio pelo menos até que alguém chegasse.
Seus gritos de dor chamaram a atenção de Watt que estava ali perto aguardando sua recuperação. O pequeno esquilo estava muito preocupado com seu bem estar, e temeu a possibilidade de ter perdido o melhor amigo. Ao vê-lo deitado na maca correu para abraçá-lo de forma afável e acolhedora.
Aerus, Aerus!! Nii-san! — disse o pequeno Pachirisu com a voz entristecida. — Mal posso acreditar que você está vivo, é um grande alívio.
Diga aí, Bola de Pelos... — respondeu o rapaz num aceno gentil. — Sabe me dizer o que aconteceu? Onde estão os outros? Onde está Ereon?
Eles estiveram aqui, e com ajuda de Renée Whitecloud fizeram os reparos possíveis nos membros mais afetados. Por sorte todos nós nos safamos dessa, mas foi uma batalha violenta e se eles não tivessem misericórdia poderiam ter acabado com todos nós — explicou Watt, cuidadosamente. — O senhor Ereon é um homem honroso. Ele lembra muito você, de onde o conhece?
Ele é tipo... Tipo, meu pai de criação, sabe? Ou pelo menos é o mais perto que cheguei de ter um. — respondeu Aerus, com uma das mãos na cabeça em uma região que lhe doía. Watt sorriu em resposta.
Sim, apenas um homem como ele seria capaz de dar uma lição em todos nós. Agradeça principalmente a recuperação de seu Mestre, o Luke que conhecemos está de volta.
Aerus respondeu com um suspiro de alívio, pois aquilo era o que mais o preocupava. Perguntava-se o que perdera naquele tempo em que esteve inconsciente. Parecia ter passado dias naquele estado, mas fazia pouco menos de algumas horas e alguns de seus companheiros já haviam despertado, embora nem todos estivessem em estado saudável de saúde, e isso o preocupava.
Onde estão os outros, Watt? Eu preciso vê-los, eles precisam de minha ajuda...
— Nii-san, você tem que descansar, não pode sair por aí mancando, os outros também precisam recuperar-se! Nesse estado não há nada que você possa fazer!
Eu quero prestar-lhes o devido apoio... Quero agradecê-los por essa batalha, dizer que me orgulho de cada um, na vitória e na derrota... Eles também aguentam tomar uma pancada, nada que um pouco de ânimo não resolva, certo?
Senhor, mas... O Coffey... A Wiki... O Mikau...
Aerus virou-se bruscamente para encarar seu amigo. De repente sua voz pareceu mais insegura do que de costume.
O que tem eles? — perguntou Aerus. — Watt, o que aconteceu com eles?!
O pequeno abaixou as orelhas encabulado, como se tentasse esconder alguma coisa. Aerus  agarrou duas muletas, levantou-se de sua maca, e foi mancando até as outras salas da Casa de Cura. Todos os membros da guilda estavam ali, reunidos aos montes para ajudar os feridos daquela grande batalha. Aerus mal reconheceu o lugar que costumava ser tão pouco frequentado agora cheio e coberto de uma tristeza visível. Glaciallis chorava em um canto sendo consolada por Eva e Chaud, Jade e Yoshiki verificavam o estado do gigante Coffey e Sophie tinha sérios problemas com o General. A respiração de Aerus ficou pesada, ele não imaginou que seus amigos estariam em um estado tão lastimável.
P-Pessoal... — foram as únicas palavras que saíram naquele instante.
Eles haviam sofrido uma derrota, sim, mas aquilo fora uma injeção de desânimo em todos os membros. Era como se toda a esperança e os sorrisos tivessem desaparecido. Al Capone permanecia em silêncio num canto, Lyndis corria para todos os lados com remédios e Marco segurava o rosto de Wiki com o rosto úmido e choroso. Onde estava aquela felicidade que antes predominava no coração de todos os seus amigos? Onde estava o sorriso após uma derrota, e a determinação em levantar-se e tentar mais uma vez?
A primeira sala que Aerus seguiu era a de Coffey. O gigante estava deitado em sua maca que envergava de uma ponta a outra, virado para a parede. O homem tinha a cabeça baixa e lágrimas rolavam em seus olhos amendoados, parecia sentir muita dor com aquela ferida em seu peito, e especialmente, a no braço.
Ei, grandão. Como está se sentindo? — perguntou Aerus, colocando de lado suas muletas e tocando no ombro do gigante. Coffey fungou e limpou o nariz umedecido ao levantar-se.
Nada bem, chefe. Nada bem. — ele dizia.
Aerus olhou para o lado e surpreendeu se ao ver que algo estava muito errado com o braço direito do homem. Não havia um braço, e sim, um pano que mal cobria um equipamento mecânico que se assemelhava ao braço de Vista. O dragão quase sentiu um enjoo ao ver aquilo, e Chaud, que estava logo ao lado, comentou:
— Amputamos o braço direito do Grande. Eu e o Vista decidimos fazer uma parceria para construir uma prótese mecânica, com a resistência da Velha Geração e a eficiência da Nova. Em breve ele será um novo guerreiro, Aerus.
O líder olhou atentamente para aqueles olhos dispersos de Coffey. Eles exalavam aquela estranha aura pacífica, e por um momento Aerus sentiu como se fosse o culpado pelo companheiro ter pedido o braço. Sua respiração ficou pesada, pois também não estava completamente recuperado. Watt deu-lhe apoio. Coffey levantou sua mão que sobrara e tocou no ombro de Aerus de forma acolhedora. Foi como se pudesse ler seus pensamentos.
Eu tô bem, chefe. Não foi culpa sua. Eu tô bem.
Não cara, você não está... Cara... Olha... Olha seu braço...
Coffey tocou na região de seu coração, e depois revelou um sorriso brilhante em seu rosto obscuro e ao mesmo tempo tão sereno.
Foi escolha minha, chefe. É a vontade da gente. Escolhas pra uma trilha melhor no futuro. Nem sempre o caminho aberto é bom, às vezes o menor e mais difícil nos leva pra algo melhor.
Aerus acenou com a cabeça e desejou mentalmente desculpas para aquele anjo aprisionado no corpo de um humano. Desejou de todo o coração que Coffey se recuperasse, e sabia que no futuro o Grande Homem ainda teria muitos ensinamentos a lhe dar.
O líder continuou seguindo com apoio de Watt, e parou ao lado da maca do General. O militar era um dos poucos que ainda não havia despertado, e estava num estado muito pior do que antes. Não apenas pela batalha, mas pelo veneno em seu corpo. Aquilo o consumia cada vez mais, e Glaciallis lamentava a opção de perdê-lo. Sophie agora preocupava-se exclusivamente com sua saúde. Fechou os olhos torcendo para que o antídoto desse certo, mas nada funcionava. A curandeira virou-se para Aerus e manteve-se séria ao dizer:
Ele não está bem, senhor.
Sophie, não há nada que se possa fazer? — perguntou Eva.
Eu costumava ser uma das melhores enfermeiras do local onde trabalhei, e nem mesmo meus poderes podem retirar esse veneno. Ele foi aplicado por uma criatura maligna, e só será retirado quando ela exterminada desse mundo. — explicou Sophie.
Mas isso é impossível, aquele monstro foi morto, Atomico está morto! — respondeu Eva num surto, seguido de uma voz a lamentar bem baixo ao seu lado.
Não... Não.
O militar abriu seus olhos, mas não se deu ao trabalho de levantar. Não tinha controle sobre seu corpo, mas tinha forças para ouvir e entender os outros ao seu redor.
Ele não está morto, — bradou o militar — ele fugiu. Não faço ideia de onde esse desgraçado esteja agora, mas irei caçá-lo até o fim para que sugue essa doença de meu corpo. É uma técnica antiga há muito esquecida pelos feiticeiros, e até mesmo os mortos podem ser afetados.
O que quer dizer com isso? — perguntou Aerus.
Isso quer dizer que eu posso morrer novamente.
Glaciallis lentamente encostou o rosto no peito de General e voltou a chorar. O homem fechou os olhos desejando abraçá-la, mas não tinha forças para isso. Chaud sentiu-se incomodado com aquela notícia. Yoshiki era perito em envenenamento e muitas vezes lidara com dardos envenenados. Ao examinar bem o veneno colhido voltou-se para Sophie e não pareceu ter uma notícia muito boa.
Os níveis de envenenamento se dividem em níveis de força e potência. Isso não é nada comparado ao veneno normal, e conforme o tempo vai passando ele ganha força, piorando o estado de saúde da vítima. — explicou Yoshiki.
Aerus olhou para a curandeira e perguntou de maneira discreta:
Quanto tempo ele tem?
Sophie soltou um suspiro sem esperanças e teve de lhe contar.
— Eu dou um ano.
Aerus mordeu os lábios extremamente incomodado com aquilo, pediu para continuar caminhando e verificando os feridos visto que mais nada poderia fazer. Acreditava no estado de saúde do militar, afinal, quem seria capaz de enfrentar o General Castelo Branco? Quem poderia derrotar aquele que já estava morto? Pouco a pouco seus temores começavam a tornar-se verdadeiros, e ele percebia que suas mais altas muralhas também tinham suas fraquezas.
Acabou trombando-se com Vista que caminhava com pés firmes e uma postura que demonstrava não estar muito disposto a conversar com ninguém. O dragão caiu no chão, recebendo apoio de Watt que olhou feio em direção do Cavaleiro Negro que não fizera nem questão de virar-se. Aerus chamou-o e perguntou o que acontecia.
— Vai com calma, matador. Você também foi derrubado em batalha, o que aconteceu contigo?
Vista virou-se e revelou sua coroa de ferro entortada com um corte profundo de uma ponta a outra, os dois braços mecânicos estavam quase que completamente destruídos. Sua capa estava rasgada, o peito estava aberto revelando faíscas e fios soltos para todos os lados. Aerus assustou-se com aquilo, mas o espectro manteve-se sério e fez um cumprimento rápido.
— I'm fine, my lord. Há certas coisas que requerem minha atenção agora. Certas coisas que não podem esperar um segundo, ou pode ser tarde demais.
— Wiki... — sussurrou Watt para si mesmo.
Aerus fechou os olhos desejando que aquela tortura terminasse. Ao ver Wiki deitada na cama sentiu vontade de chorar. O fluxo de energia no peito da moça estava completamente destruído e queimado, parecia ter pegado fogo com as faíscas soltas e cravado um machucado que lhe doeria muito se não tivesse desacordada. Os olhos de vidro da moça estavam trincados e em seu rosto ela mantinha uma expressão estática. Marco segurava uma das mãos da mulher enquanto Vista trazia equipamentos pesados para um reparo.
— Vamos lá, Wiki... Por favor, por favor... Não morra — dizia Marco.
— Morrer? — perguntou Aerus. — Qual é, estamos falando da Wiki. Nem um exército inteiro conseguiria derrubar essa gata, você não pode estar falando sério.
Aerus desviou o olhar para o garoto, e depois encarou Vista. Pela primeira vez o Cavaleiro manteve-se em silêncio, como se não soubesse ao certo o que aconteceria naquele instante. Há cinco horas ele tentava fazê-la voltar a vida, há cinco horas o engenheiro tentava de tudo para trazer-lhe de volta para si, mas não havia resposta.
— Stand away. Isso vai reanimá-la. — pediu o Metang.
Os braços mecânicos do espectro se transformaram em cabos de energia, e no momento em que tocaram o corpo da garota a mesma tomou um choque que fez sua energia voltar, mas não o suficiente para reatar o fluxo de energia que encontrava-se completamente destruído. Ele tentou novamente, mas não funcionava. Vista largou os equipamentos no chão, e era possível ouvir sua respiração ficar pesada. Pela primeira vez aquele guerreiro egoísta e egocêntrico tentava pensar em outra pessoa além dele mesmo.
— No. No. No. No. No. No. — repetia Vista incansavelmente, dando carga aos choques que faziam o coração da moça pulsar, mas sem respostas.
Marco ajoelhou-se ao lado de Wiki e começou a sentir as lágrimas escorrerem pelo rosto. Ela estava ali, a moça que outrora sempre o animara dizendo que tudo terminaria bem. Aerus passou a mão pelo rosto contendo o suor, mas Vista era inteligente demais para deixar-se ser derrotado pela tecnologia humana. Quebrou os dois aparelhos com seu braço num sinal de ira, formando na sequência uma garra que se assemelhava a uma pinça. O ciborgue olhou para Aerus e soltou um suspiro.
— Tenho de dizer isso, e preciso da confirmação de vocês para que não me condenem por ter feito meu melhor — explicou Vista. — Eu irei arrancar a destruir o fluxo de energia atual, construindo um novo na sequência. Porém, ela pode perder seu banco de dados para sempre, e consequentemente, sua memória.
Marco ergueu-se no mesmo instante.
— Não, não!! Deve haver outro meio, ela não pode perder a memória!!
 O golpe foi como um vírus injetado no corpo dela, ele está se propaganda e corrompendo os arquivos. Ou retiramos esse fluxo de energia agora, ou a veremos morrer em nossa frente. That's your choice.
— Não, Aerus! Não deixe que ele faça isso com a Wiki, não deixe que ele faça isso com nossa amiga!! — rogou o jovem.
 Ele também é nosso amigo, Marco. — repetiu o dragão. — E amigos confiam um nos outros.
— So be it.
Vista enfiou uma de suas enormes garras no peito da garota e pareceu arrancar o fluxo de energia rompendo todos os fios que soltavam faíscas para todos os lados. O corpo da garota envergou-se num espasmo, mas logo caiu novamente sem dar sinais de melhora. Marco levou a mão até a boca em sinal de indignação, e nas garras de Vista o ciborgue abria um depósito em seu peito e ligava novos fios numa velocidade impressionante. Ele retirou um pequeno aparelho provisório e depositou-o no peito de Wiki em menos de trinta segundos. Ao prensá-lo o cavaleiro sentiu que o coração voltava a pulsar em seu corpo, trazendo-lhe à vida novamente.
Marco soltou um suspiro e agradeceu Vista mentalmente por tê-la salvado. O espectro manteve-se quieto, ainda temendo o pior. A princípio a moça olhou para todos com olhos robóticos e automáticos, como se fosse ligada pela primeira vez, mas logo sua voz soou melancólica e entristecida.
— Mecha-boy, me ajude. Está doendo muito...
Aerus acalmou-se ao saber que a garota estava bem e a salva. O pior havia passado. O cavaleiro negro teria tempo para construir um novo fluxo de energia até que a garota conseguisse recuperar-se. Um desejava abraçar o outro naquela situação, mas ambos estavam impossibilitados demais para qualquer ato. Vista largou as ferramentas e segurou a moça em seu colo. O olhar dela era frio e esperançoso, o vidro piscava num brilho fraco amarelado, faiscando, usando suas energias reservas para manter-se de pé.
 Meu olho... Meu olho dói muito.
— I know. I know that hurts — disse o ciborgue. — Eu irei certificar-me de que você esteja renovada em breve. Não vou permitir que isso aconteça de novo.
— Wiki, Wiki, Wiki! — gritava Marco animado.
A moça virou-se para o lado e olhou para o jovem menino, acariciando sua cabeça de forma afável.
— Oi... meu fofo... Você ficou ao meu lado o tempo todo? Que gentil... — sussurrou ela, conforme o brilho dos olhos piscavam num tom cada vez mais fraco e ela desejava fazer muito mais do que segurar-lhe a mão. — Obrigado pela ajuda, pessoal. Sem vocês eu não sei o que teria acontecido...
Aerus fez um aceno com a cabeça para Vista que distanciou-se em direção de sua oficina para começar a trabalhar no novo fluxo de energia antes que a reserva temporária se esgotasse. E depois, somente depois de ter certeza que Wiki estaria bem, ele começaria a pensar nele mesmo. Pela primeira vez seu egoísmo foi derrotado para salvar a mulher que amava.
Aerus agora caminhava para uma das últimas salas das Casas de Cura. Estava escura e vazia, nenhum membro caminhava por aquele local. Em um canto solitário Mikau estava encostado na parede sem camiseta e com o metade de seu corpo enfaixado. Uma de suas mãos segurava o colar ensaguentado enquanto ele sussurrava uma melodia de dor e solidão com sua voz grave e melancólica.
O dragão foi em sua direção e parou logo a sua frente. Mikau abriu os olhos para ver quem o encarava, e sorriu ao ver o amigo. Fechou os olhos e não precisou de um sinal para pedir que ele se sentasse.  De fato mal conseguia mover-se, mas preferia ficar sozinho em seu canto a receber cuidados e carícias de todos os outros membros. Precisava daquele tempo a sós.
— Precisamos conversar — anunciou Aerus ao lado, cruzando os braços e puxando uma cadeira para esticar as pernas.
 Conversemos. Estou aqui para ouvir. Não tenho como fugir mesmo — brincou o atirador.
Aerus apoiou seu braço sobre os joelhos e sorriu. Há quanto tempo não tinha uma conversa daquelas com seu amigo? Talvez desde que ele enlouquecera numa busca frenética por poder? Desde então os dois tinham se distanciado mas agora estavam lado a lado como bons e velhos companheiros de batalha. Como quando eram jovens e lutavam para conquistar a atenção de Milena.
— E por falar nela, onde a Milena está?
Mikau pediu silêncio, indicando com a cabeça uma mesa onde aquela linda mulher descansava sobre uma mesa com o rosto e os braços servindo como travesseiro. Mikau soltou um suspiro, mas não largava o colar de suas mãos.
— Ela é linda — disse Mikau. — Não acredito como fui tolo a ponto de feri-la para atingir o poder.
— Sim, foi tolice, mais do que um idiota, se quer saber. Em você isso tornou-se acentuado e estendeu-se até o fim. Essa derrota serviu para que aprendêssemos mais do que apenas uma lição.
 O problema é que... Eu ainda não aprendi a lição.
Mikau rolou a cabeça um pouco para o lado, encarando os olhos do companheiro que agora o encaravam com certa relutância e dúvida. O atirador mais uma vez respirou fundo antes de falar.
— Não sofro de doenças, não sou uma criança que quer brincar de governar e acaba chorando quando é tirada do parquinho. Eu sou pretensioso, Aerus. Sinto inveja de todos, inclusive de você, e por isso sempre estou buscando ser o mais forte.
— Você quebrou duas regras do Mundo Pokémon. Matou um humano e ameaçou o pai de nosso Mestre. Como você consegue cara? Como pôde perder a cabeça nesses instantes finais? Isso seria... Rapaz, isso seria condenado à pena de morte em outras guildas, como pode dar um vacilo desses com a gente?
— Eu sou assim, Aerus. E não vou mudar tão cedo.
Mikau parou de olhar para seu amigo. Chegou a morder os lábios como se quisesse dizer algo, mas as palavras não saíam. Olhava para o teto escuro como se por algum motivo tentasse evitar as lágrimas, e sem desviar seu olhar do vazio clamou-o com determinação.
— Me expulse da guilda.
Aerus virou-se com os olhos arregalados. Chegou a rir de primeira instância, mas perdera noção de há quanto tempo não via Mikau brincar daquela maneira com alguém. O dragão permaneceu sério antes de falar:
 Me dê um bom objetivo.
O companheiro levantou-se e segurou-o pela gola da blusa.
— Me expulse dessa droga de guilda, ou eu vou matar mais alguém. Eu sou assim, Aerus. É a minha natureza, sou frio e insensato e a cada dia descubro dentro de mim uma maldade dormente que têm se revelado incontida. Deixe-me sair dessa guilda, ou vou fazer mal para as pessoas que eu amo.
— Qual é cara, preste atenção no que você está dizendo! Eu não vou expulsar o meu melhor amigo da equipe! — respondeu ele.
— E eu peço isso exatamente por nossa amizade — assentiu o atirador. — Vamos continuar nos encontrando, aparecerei por essas bandas todos os fins de semana, e não deixarei a frente de batalha de nosso Mestre. Peço apenas para que me expulse da guilda, que me proibida e cruzar essas fronteiras quando não for permitido, antes que eu possa fazer mal a alguém que gostamos.
— E isso mudaria alguma coisa? E a Milena, como acha que ela vai sentir-se à meu respeito?! Pare de agir como um babaca!
 É por ela que eu quero que faça isso.
Aerus silenciou-se ao ver a mulher mexer-se na mesa, mas por sorte parecia não ter despertado Mikau manteve-se sério, e sabia que não era pedir demais com aquele último desejo para seu velho amigo. Se alguma outra guilda soubesse do ocorrido no Distortion World ele poderia ser condenado a pena de morte, mas uma banição seria o suficiente por ter atacado um humano com intenção de matar na frente de todos.
O dragão apoiou-se do outro lado, e Mikau fez o mesmo. O atirador juntou os pés e manteve uma pose firme como um soldado bate continência. Aerus fez o mesmo gesto, mas sentiu uma intensa dor no coração mesmo que não quisesse admitir.
Era por todos os seus amigos, era pela Fire Tales.
— Mikau, o Atirador — disse o líder, erguendo o rosto num sinal de respeito, mas gaguejando ao tentar manter a linha. — Deste momento... Deste momento... D-Deste momento em diante... eu o declaro... expulso da Fire Tales. Até que recobre a consciência de seus atos, até o líder mandante o aceite... ou que a morte o leve...
Aerus descansou de sua pose, e os dois trocaram olhares por alguns segundos. Subitamente o dragão correu para abraçá-lo e ignorou todas as ataduras e machucados que os impediam. Chorava como há muito tempo não fazia, abraçando o amigo e desejando que todas as divindades do continente o acompanhassem em sua jornada em busca de redenção.
— Qual é, o que houve com aquele Gabite encrenqueiro de quando éramos crianças?
— Eu estava para perguntar o mesmo daquele Horsea mentalmente problemático que entrou aqui — respondeu Aerus, passando a mão por baixo dos óculos escuros e agradecendo que eles o protegiam daquele momento tão embaraçoso.
— Estarei de volta quando você menos perceber. Ainda nos veremos por aí durante as batalhas, e não pense que abrirei mão dos treinos ao lado de nosso Mestre. Preciso apenas manter-me afastado de tudo e todos, pelo menos até que eu coloque meus pensamentos em ordem.
— Posso no mínimo te chamar nos sábados à noite para uma uma partida de pôquer? — perguntou o dragão.
Mikau virou-se para trás e sorriu.
— Essa guilda sempre será a minha casa. A diferença é que agora vocês terão de lidar com um invasor algumas noites, e é bom ficar longe da Milena porque continuarei tomando conta dela como sempre fiz.
 Seu merda. Vai sair da guilda por que então?
Mikau olhou para a janela em busca da estrela mais brilhante que estivera observando até então. Queria ser como ela, não suportava ser apenas uma em um céu cercado por aquele brilho celestial do universo. Ele queria ser a estrela mais brilhante de todas.
— Acho que continuarei com meus treinos. Sabe, ainda não estou no nível de me tornar um deus, mas sinto que estou bem perto — disse ele com uma risada. — Fique bem, Aerus. Quando sentir-se só olhe para o leste e ouvirá o som incessante de minha melodia. Eu não abandonarei essa guilda tão cedo. Até mais, perdedor.
Mikau estava para sair do corredor por uma das portas dos fundos, vestindo um colete por cima das ferias e apenas com o necessário numa bagagem pequena. Foi até a mesa de Milena e retirou o colar deu seu pescoço, depositando-o lentamente na mão entreaberta da moça. Porém, a mesma mão recusou e empurrou o colar de volta para seu verdadeiro dono.
 Eu já disse que o dei para você, e não vou aceitá-lo de volta — disse Milena com uma voz cansada. — Foi um presente, e se um dia você perdê-lo é porque decidiu me abandonar. Enquanto essa luz brilhar em seu pescoço eu seria sua, e somente sua.
Milena não levantou-se, dispensando beijos, abraços ou carícias. Sabia que não seria a última vez que eles se encontrariam, e tão pouco levava aquilo como uma despedida. Mikau fez um aceno e pulou a janela como se nunca tivesse recebido um corte tão profundo em seu peito. Mal ele sabia que aquela cicatriz o acompanharia pelo resto da vida, mas pelo menos, aquilo seria um símbolo de orgulho. Milena esperou que o rapaz fosse embora, e somente então levantou-se para ficar ao lado de Aerus. Os dois encararam o viajante solitário partir na colina escura ao norte, e assim ela encostou sua cabeça sobre o ombro do companheiro e sussurrou:
— Lá se vai alguém que é importante para nós dois.
— ...Mas estamos falando do Mikau. O sangue dos Guerreiros Aquáticos corre em suas veias, e creio que o veremos mais cedo do que imaginamos. Eu acredito nisso. — respondeu Aerus em voz baixa.
Os dois logo decidiram sair daquele corredor sombrio e ir para o pátio da guilda. As nuvens agora nublavam a estrela de Mikau escondendo-a atrás daquela espessa cortina. O dragão foi até uma das paredes de pedra que costumava sentar-se com os amigos e deu um salto para ficar sobre ela. Segurou na mão e Milena para que a moça subisse também, e assim eles continuaram ali encarando o vazio na medida que o restante da guilda se recuperava e tentava adormecer depois de uma noite em claro.
— Eu sou um péssimo líder, Milena.
A moça virou-se para o dragão um pouco frustrada, pois detestava quando seus amigos começavam a ter aqueles recessos de negatividade e se achavam a pior pessoa do mundo. Teve vontade de dar-lhe um tapa, mas se conteve.
— O que está dizendo? Você é forte e determinado, Aerus. Guiou todos nós até aqui, e vai começar a agir como um velho aposentado e arrependido agora?
— Não me importa vitórias ou derrotas, mas... Acabo de perder meu melhor amigo. Perdi a Titânia da mesma maneira. Fui o responsável por quase deixar meus amigos morrerem, e continuo aqui, olhando para as estrelas como se nada jamais tivesse acontecido.
— E você quer o que? Carregar os problemas de todos nas costas? Gostaria de prender a Senhorita Titânia numa jaula e contê-la de seu crescimento para que ela jamais deixasse de cuidar de todos nós? Gostaria de ver o Mikau manter-se excluído de todos nós como se fosse um bandido que deve ser punido? — dizia Milena, mantendo uma posição determinada. — Aerus, tudo isso tratam-se de escolhas, para o amadurecimento e o bem de todos. Se aprendi algo com essa guilda é que se permanecermos unidos, faremos...
— Açúcar. — respondeu Aerus de maneira séria, depois não contendo uma risada com um empurrão que levara da moça.
— É disso que estou falando. De nossa própria identidade. Todos somos grandinhos o suficiente para sabermos como trilhar nossos próprios passos. Você escolheu ser um líder, escolheu ser brincalhão e fazer todos rirem de seu jeito descontraído. Essa foi a sua decisão. Não tente tomá-la dos outros, e muito menos se influenciar por suas vontades.
— A vida é feita de escolhas, não? — respondeu Aerus, esticando os braços enquanto se espreguiçava. — Bem, chega de melancolia então. Cara, essa guilda está parecendo um necrotério.
— E o que exatamente pretende fazer? — perguntou Milena, interessada.
Aerus deu um salto do muro, esticando a mão para ajudar a moça a descer.
— Ora essa, vou voltar a ser como sempre fui.
O dragão não demorou em chutar a porta frontal das Casas de Cura direcionando todos os olhares cabisbaixos e entristecidos em sua direção. Tinha um sorriso de uma ponta a outra, e sua intenção era alegrar a todos como sempre fizera.
— Manooooooo! Coffey, tu já parou pra pensar como vai ser matador ter um gigante armado com um braço de aço na equipe? Aposto que o Sly não será mais o campeão de braço de ferro no próximo concurso. Como se já não bastasse o Vista, agora temos você. Serião, tu vai virar matador.
— Verdade, chefe? Isso é bom, muito bom. — disse o grande Rhyhorn, levantando-se de sua cama e batendo em seu peito. — Eu serei forte, muito forte. Para proteger todos vocês.
 É o caminho mais difícil que optamos por trilhar, e por esse motivo estamos todos juntos, não? Para que um ajude o outro — respondeu Watt com um sorriso.
Aerus direcionou seu olhar para a cama de Castelo e fez uma careta.
— Qual é, General! Você, um homem honrado e devotado à servidão das mulheres, deitado aí nessa cama... E nem pra tirar a bunda pra dar espaço para a Glaciallis sentar?
O homem corou, parecendo inconformado com aquilo. Olhou em direção do rosto avermelhado de sua mulher, e pensou em como pudera deixá-la tão preocupada.
— P-Perdão, meu senhor... Eu devia ter pensado nisso antes. — respondeu o militar com uma risada, mexendo os músculos e demonstrando uma forte recuperação para Glaciallis que agora sentava-se ao seu lado e o abraçava com carinho.
— Wiki, você ainda é gostosa. Acha que consegue animar a galera? — gritou Aerus de longe.
— Ah, amor! Só você para dizer essas coisas — brincou ela, recebendo um olhar desaprovador de Vista e Marco. — Meu coração mal tem energia, mas a bateria nunca acaba por completo! Ei, podemos fazer uma festa de recomeço no fim de semana, o que acham? Não vamos ficar aqui sentados com essa cara de defunto o tempo todo, certo?
— Parfait! Começarei a preparar minhas melhores comidas! Panetto, mon cher, preciso dessas suas mãos delicadas na cozinha — respondeu Akebia, vendo o parceiro prontificar-se no mesmo instante.
 Vou limpar o Salão Central com o Al Capone e separar uma coletânea de músicas dançantes! Vem também, Karl, vamos colocar essa galera pra cima, já estava na hora de sepultar as coisas ruins e começar uma nova leva! — acompanhou Lyndis animada.
Os feridos logo se levantavam, e o clima sombrio de desânimo desaparecia. Aerus levou as mãos até a cintura em um sinal agradecido de que tudo voltaria a caminhar como era, mesmo que aos poucos. Sim, essa era sua decisão.
Cada um traçou seu destino e lidou com a vida da maneira que acreditava ser certo, mas ainda assim, eles tinham certeza de que seus amigos viriam a cruzar-se mais uma vez. A maré um dia retorna, e toda armadura precisa de um dono para ser vestida. Um simples ato de compaixão e felicidade, uma única injeção de ânimo para contaminar todos os outros a sua volta com a esperança de que no fim da noite o universo traria uma manhã bem clara na sequência.

{ 12 comments... read them below or Comment }

  1. Mikau sai.... todos feridos...o unico caoaz de animar eh meu amado Aerus^^U.U
    espero k ele volte logo ^^
    gostei muito desse fire tales^^
    WV

    ReplyDelete
  2. muito foda daóra tudo de bom esse fire tales!

    primeiramente eu achava que alguem ia morrer nesse fire tales ainda bem que não, nossa ver esses personagens nesse estado é uma coisa chata, né?

    o bom é que sempre tem alguem pra animar as coisas, poxa o aerus foi muito foda naquela piada do general empate com:serpente desgraçada.

    parece que ainda vamos ver o atomico espero que mais alguem da grande criação sobreviva.

    até mais.

    ReplyDelete
  3. Diga ae, galera. Eu fiz todo um clima detestável desde o Capítulo 65, porque eu quis mesmo que vocês pensassem na probabilidade de que um deles poderiam não ter sobrevivido. Mas ainda é cedo para pensar em tantas coisas ruins Alan, um homem honrado como o Ereon não faria isso para a guilda do jovem que ele mesmo recrutou. Tipo, é claro que quase todos que participaram da batalha saíram com alguma lesão, mas isso vai influenciar no remake que farei para os personagens, a cicatriz do Mikau, o novo fluxo de energia no peito da Wiki, o braço do Coffey... Foi a ocasião que encontrei para melhorar as aparências, e mais tarde tudo isso influenciará em grande escala!

    Cara, e pode ter certeza que o pessoal da Grande Criação pode dar as caras quando menos esperarmos... O Atomico já foi confirmado que está vivo, vamos ver se numa revanche o General agora é capaz de detonar a cara desse monstro. Eu esperarei ansioso essa ocasião, porque eu não poderia descartar um vilão tão épico quanto o Atomico.

    Obrigado pelos comments aí pessoal, esse Fire Tales foi uma recuperação pós-batalha do Capítulo 65, mas creio que ele nos deixa claro que os próximos capítulos serão um anúncio para uma temporada completamente diferente de tudo que vocês já viram. Valeu galera, vou indo nessa!

    ReplyDelete
  4. Minha reação 1: MEU DEUS, QUE DIABOS ACONTECEU AQUI NOS FT?
    Minha reação 2: NÃO, A WIKI NÃO! PELO AMOR DE CHESSUIS, A WIKI-SAMA NÃO!
    Minha reação 3: MIKAU, NÃO VAI SIMBORA NÃO! QUANDO EU FALEI QUE NÃO TE CURTIA, EU JURO POR CRISTO QUE ERA MENTIRA MINHA!
    Minha reação 4: ISSAÉ, BOTA ESSE POVO PRA SE ANIMAR, AERUS!

    Cara, agora eu só consigo imaginar o Coffey como Ed Elric. Asahsahsahsah! Wiki-sama, achei que ela ia morrer! Se vuxe fizer isso mais uma vez, eu dou uma bazucada em "su testa" no som de "Danza Kuduro"

    Agora é um comprovado fato da vida. Eu só tenho uma coisa a dizer para Vista & Wiki:

    DOIS NAMORADINHOS, SÓ FALTA DAR BEIJINHO! O casal mais fofênho e anormal que já vi em mi vida :3

    O Vista ia me sufocar com seu braço se eu fizesse este comentário na frente dele. Manda um tapa no meio da cara do general, que nem deu espaço para su dama. Espaçosozinho safadu! Sério, eu me preocupei muito com o Aerus... Agora aprendi uma coisa: Com o tempo, aprendemos a amar e nos preocupar muito com os personagens de AeS, como se fossem pessoas da vida real.

    SAYONARA, MATADOR DE DIVHAS!

    ReplyDelete
  5. Realmente, foi um choque e tanto, não? Digo, foi uma sequência de acontecimentos que nos deixam de queixo caído, quando terminamos de ler o Capítulo 65 a gente não tem noção da gravidade que tudo ficou. Bem, mas o que aconteceu está acontecido, (what?) o importante mesmo é que com esse episódio eu mostrei uma coisa para os leitores: Fire Tales sempre será Fire Tales. Há tempos venho notando aquele clima pesado, as batalhas que nunca acabavam e o sentimento de amizade que desaparecia na base. Eu quis mostrar que mesmo na por das situações eles continuam aí de pé, sorridentes, um ajudando o outro. Isso é importante, afinal, é a essência de meus personagens!

    Qual é, Juh! A Wiki é a minha diva, acha que eu faria alguma coisa com ela? (Eu faria, muaehuae) Foi muito sexy ela pedindo ajuda, acho que a Wiki é uma mulher forte, e mesmo sabendo muito bem virar-se sozinha há momentos que ela precisa de um cavaleiro sem noção para ajudá-la. Sério, esses três são meus preferidos, Wiki, Vista e Marco formaram a equipe que mais adoro. Você acha que... Você acha que sai um beijo? Sei lá, eles são estranhos, a Wiki é atirada e o Vista é exagerado, o Marco tem vergonha dele mesmo, e um nunca consegue fazer nada com o outro kkkk Mas olha, o FT 24 é um especial só deles, sei que uma galera não poderá ler por causa da idade, mas ficou muito foda. Estou louco para postar, preciso só de umas adaptações para a minha produção deixá-lo passar. Caso contrário continuará banido kkkkkkk Até o fim do semestre eu consigo...

    O engraçado e que você terminou o comentário com algo épico, apesar de todas as loucuras e pensamentos que surgiram no meio de um capítulo como esse kkkk "Aprendemos a nos preocupar muito com os personagens de AeS". Sim!! Sim!! Era isso que eu queria, era esse medo de perdê-los, essa saudade a torcer para que eles voltem, a tristeza em vê-los sofrer. Creio que essa pequena frase tenha feito meu dia, e só quem consegue captar a essência desse blog será capaz de entendê-la. Obrigado pelo linda frase Juh, um beijão!

    ReplyDelete
  6. FT que saudades!

    Por um momento pensei que você não tinha levado muito a serio essa historia que uma batalha realmente real com ferimentos graves.Mas você levou!

    Depois que eu li que o braço do Coffey ia ser amputado pensei que um tinha morrido.Tive uma pontada no coração quando vi que a Wiki estava a beira da morte, não gosto muito do Vista mas agora ele ganhou um pouco o meu respeito.

    Fiquei perplexo com o Mikau,.Como ele pode deixar minha querida Milena sozinha?Como ele ainda tem a audacia de dizer que não aprendeu a lição?Meu Arceus, e pensar que ele era super legal há algum tempo...

    Mas pelo menos uma noticia boa.A FT e o Luke que nós conhcemeos e adoramos está de volta!UHUUUUUU!Adeus clima funebre, bem vinda alegria!!!

    ReplyDelete
  7. Fire Taaaaaales! Canas, vou te matar! @.@'
    A Wiki pode perder a memória?! Noooo, não permita!! O Vista, querendo ajudá-la, que lindo! Finalmente pensou em outra pessoa além de si mesmo! *-*'
    MIKAU!! NÃO!! T.T' Eu sei que foi pelo bem da guilda, mas... Mesmo assim... Mikau... @.@'
    Ah, só o Aerus pra animar todo mundo mesmo! XD Até o Coffey que teve o braço amputado ficou feliz, ooown! Coffey-kun, seu fofo! <3
    Espero que nada aconteça com o Mikau enquanto ele estiver fora da guilda, se não, Canas será o próximo. (zoa)
    Aliás, por que o FT 24 foi cancelado mesmo? Acho que eu me perdi um pouco. @.@'

    Ficou lindo, espero que todos fiquem melhores! Ja nee!

    ReplyDelete
  8. Oi, Kohai! Bem, essa questão do FT 24 nem foi muito cometada, só a galera que visitava a página dos Fire Tales e deu uma olhada nos comments estava a par da situação, mas eu também não dei explicações concretas kkkk O fato é que não foi cancelado, ele apenas está em fase de adaptação. A primeira versão não passou pela produção, então estou tendo de adaptar uma coisinha ou outra. Será um capítulo para maiores de 16 anos, então uma galera do blog não poderá ler. É um conteúdo mais acentuado no estilo Ecchi, com algumas cenas mais apimentadas envolvendo a Wiki, o Vista e o Marco. Vou tentar adaptar essas pontas que estavam falhas, e provavelmente disponibilizarei no blog para quem tiver interesse. É um conteúdo bem diferente do que temos,uma mistura daquela quebra de taboos com uma missão inesperada para os personagens. Eu gostei bastante, espero ter a oportunidade para mostrar para quem tiver interesse (:

    Eu acho difícil lidar com personagens como o Vista e o Mikau. É complicado trabalhar com ele porque o Vista é exagerado em tudo que faz, não é de mostrar sentimentos e consegue assustar qualquer adversário só pelo tamanho. Fica ainda mais difícil incluir romance com ele, então pode-se dizer que o FT 24 terá algumas cenas raras de romance envolvendo ele, o que é bacana. Já o Mikau... Minha nossa, cada frase que vou escrever para ele eu preciso parar, sentar, pensar durante três horas para ter certeza de que está tudo impecável. Sério, eu acho que o Mikau é um dos personagens mais difíceis de se escrever a respeito aqui em Sinnoh. O fato dele ter saído não diminuirá a atenção que dou para ele, e muito menos o carisma do cara. Ele é louco, e nada vai mudá-lo tão cedo. Pode ter certeza que cuidarei do nosso atirador como nunca, e se quer saber um dos motivos pelo qual ele saiu foi exatamente para torná-lo ainda mais especial. Quero que as pessoas vibrem quando forem vê-lo, assim como é com a Titânia. Esses são os dois que fazem você se ajeitar na cadeira quando voltam a aparecer.

    Valeu pelos comentários galera, esse seria o último FT definitivo da temporada (mas acho que ainda teremos o FT 24 kk), então por um tempo teremos que nos contentar com os Supports. Eu quis transmitir de volta essa sensação de alegria Gabriel, mas sério cara, acho que eu mesmo estou mudado. Nada será como antes, é inevitável... Quando comecei a escrever a Saga Platina achei tudo tão... Maduro, sabe? Estranhei minha própria escrita, pois não é nada como aquelas aventuras bobinhas do início de jornada. Não digo que isso seja bom ou ruim, é apenas novo, diferente, tudo é novo e está em constante mudança. Pode até ser que a alegria tenha voltado, mas não a inocência, aí ainda está algo que não consegui encontrar mais depois dos primeiros capítulos dessa história. Bem, mas chega de pensamentos, quero mesmo é que vocês aproveitem as postagens enquanto elas estiverem aqui para diverti-los, e a festa mesmo vou deixar para as mais bizarras aventuras que os leitores escolheram para os Supports kkk Estão um arraso, abraços aí pessoal!

    ReplyDelete
  9. Canaaaaaaaaaaaaasssss, que sdd. (sério, férias na fazenda trituram a vida social de qualquer pessoa y.y, mas agr estou aqui de volta firme e forte kkkk).
    Sério, não me assuste mais com coisas assim, primeiro o Watt fala la q tem algo com o Coffey a Wiki e o Mikau, e ai aparece o Coffey com um braço amputado, sequencia de pensamentos: vish, qual dos dois morreu então??? o canas idolatra a Wiki, então ela não morreria, consequência: O MIKAU MORREU!!!!!! OOOOHHH NAOOOOO, CANAS MALDIDO!!! (sério, bateu um desespero, quase pulei as conversas só pra chegar no Mikau, QUASE.
    Concordo nesse termo da Titania e o Mikau saírem e serem ainda mais aclamados pelos fãs, mas isso é o limite ok, mate algum deles e veremos os jogos começarem ¬¬
    Sério canas, já pensou em fazer um programa humorístico com o Aerus como apresentador, tipo o programa "televisivo" do aventuras nas ilhas laranjas (não q não seja hilário [e realmente é hilario mesmo kkkkk] mas um mais focado em comedia mesmo, (serio, não liga para o q estou dizendo, devo estar delirando -.-"), serio, vcs poderiam começar a competir a audiência, pq o Aerus faria daria um show, literalmente kkkkkkk.
    Ah, sei q o lugar certo para essa pergunta seria no forms sinnoh, mas não aguento a emoção e vou falar tudo aqui mesmo, quando for fazer o remake do Watt faça-o adulto, ele não pode ser tao infantil para sempre, e espero a hora dele crescer e botar pra quebrar tbm kkkkkkk.
    Bem, acho q ja falei tudo (talvez ate demais kkkk), mas esse merece, não importa se é só um especial, mas os Fire Tales conquistou um lugar tão importante quando os capítulos mesmo, ele se tornou o local onde procuramos nos integrar e nos unir ainda mais com a história e com personagens tão envolventes, te parabenizo por este especial de tanto sucesso, espero que continue cada vez superando a si mesmo, como sempre tem feito, vc Canas, merece aplausos por ter feito algo que certamente levaremos para sempre em nossas vidas.
    Agr antes que eu crie uma história nos comments vou dar adeuzinho e partir néh, ainda tenho q desfazer as malas, mas sacomené, a gente tem prioridades, por isso corri pro pc na hora q cheguei kkkkkkk e vejo q valeu a pena, (vish, outros devaneios e ainda não fui embora -.-) agr é serio, fui u.u !!!!

    ReplyDelete
  10. Oi, Laísa! Saudades de você viu, eu imagine se você tinha ido viajar mesmo, mas isso é bom para esfriar a cabeça e aproveitar, admito que depois que voltamos parece que ficamos 1000 anos sem tecnologia, é uma sensação muito engraçada, nada que 2 dias inteiros na frente do PC não resolva kk Sério, uma das cenas que mais curte fazer foi essa que o Watt comentou os três que estavam piores, a gente fica meio: Putz grilla, mano!! Alguém morreu! kkk Foi bem perto mesmo, não foi agora. Qual é, eles são a Fire Tales, ninguém aqui vai cair tão cedo... Acho que eu nunca devia ter usado aquele termo "morte" com vocês, foi cedo demais e só os deixei ainda mais assustados kkkk Mas isso até que é bom para que vocês acreditem mais nos personagens, e torçam para que tudo termine bem. Nunca sabemos quando uma zica pode rolar, né?

    E olha, uma coisa eu posso garantir Laísa, eu tirei a Tih e o Mikau da jogada, mas tenho meus bons motivos e obrigado por reparar na elaboração que tive que ter somente para tirá-los; adianto que não vou repetir isso. Agora é definitivo, chega de gente saindo da equipe. Se eu já tirei os dois melhores não tem porque continuar nisso, ou vai virar farra. Eu quis tirar o Mikau para o pessoal passar a duvidar, para eles perceberem que tudo pode acontecer quando menos esperam. Quem achava que o bonzinho voltaria ao normal no fim, se deu mal, ele nunca vai aprender a lição. Quero que os leitores se surpreendam com acontecimentos que jamais passariam por nossas mentes!

    Sobre sua sugestão do programa televisivo do Aerus, poxa, um especial só de comédia não seria meu forte... Sério, eu adoro muito esse das Ilhas Laranja, e o que eu mais adoro é que não é só o Thiago que escreve, sou eu também. Nós entramos no MSN e encarnamos o personagem, e por isso fica tão dinâmico e engraçado, é uma jogada de velocidade e improviso, e eu jamais conseguiria escrever algo melhor que aquilo, mesmo com o Aerus. Vamos aguardar a oportunidade em que o próprio Aerus seja chamado para o Talk Show, e aí vou querer ter vocês ao meu lado para votarem nele! Eu adoraria que ele fosse entrevistado, vamos ficar de olho nas próximas iniciativas do Thiago! Adoro aquele programa kk

    Sobre o Watt... Hmmm, olha, quero tentar manter um pouquinho de segredo sobre ele! Olha que dificilmente vocês me veem guardando segredo sobre algo na fic, mas dessa vez estamos realmente perto de alguma coisa. Eu tenho reparado muito no Watt, e sei como ele não está conseguindo honrar o cargo dele como "sub-administrador". Tenho minhas cartadas para ele, e isso inclui transformá-lo em um guerreiro de dar inveja na Saga Platina. Vou tentar dar atenção para esse pequeno como nunca, e pode ter certeza que todos seus desejos serão atendidos na hora certa. Espero que você esteja aqui para vê-los tornarem-se realidade! ;)

    Por fim, muito obrigado Laísa, por todo o apoio recente e pelos elogios. Sério, não faz muito tempo que você comenta, mas sinto como se você comentasse o blog há anos. Os Fire Tales são meu maior tesouro aqui, e pensar que antes eles só faziam parte de um especial, e veja só, hoje ganharam até um Menu ali no canto! kkkkk Obrigado mesmo por esses elogios, espero continuar me dedicando e poder trazer capítulos em breve, junto com tantos outros Supports né, quero ver aquela página movimentada! kk Beijos, até a próxima.

    ReplyDelete
  11. Canas, adorei esse Fire Tales! Ficará entre um dos meus favoritos, com certeza! Man, sério, você foi a um patamar totalmente diferente. Deixou de lado a comédia para um drama mais sério. Machucou ver personagens que tanto amamos inconscientes, derrotados, feridos, à beira da morte. As descrições no ritmo perfeito trazendo aquela ideia de tristeza. Mandou bala.

    A saída do Mikau da guilda também deixou um peso. Mas após tudo o que fez... Será que quando ele voltar será um cara melhor ou um assassino em série? Seria capaz de melhorar pela Milena?

    E a cena final... Cara, me fez abrir um sorriso. Foi muito foda. E é isso mesmo, psicologicamente apoiando os amigos. Por isso o Aerus é o líder. Essa foi foda, Canas! Parabéns!

    OBS: Visitas foram embora. Agora vai õ/

    ReplyDelete
  12. Véio, na boa, essa budega tá ficando boa mesmo. Geralmente eu leio sem nenhuma emoção e só quero saber dos fatos. Poucas coisas escritas me despertam sentimentos, e, véoi, na boa, chorei caichoeiras aqui!

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -