Posted by : CanasOminous Sep 21, 2012


Uma semana antes da batalha de ginásio em Canalave...
  
Em uma sala escura um homem aguardava o início de uma reunião que jamais começaria. Cinco eram as cadeiras dispostas na mesa circular, e quatro delas estavam vagas; a principal de todas, adornada em cores avermelhadas e detalhes dourados, estava vazia e praticamente empoeirada, uma vez que mais ninguém se dava no trabalho de limpá-la. Do outro lado da mesa jazia um homem com uma taça de vinho na mão a observar uma vasta janela que dava visão para a imensidão do mar bravio daquela região.
Não se ouvia nada além do tilintar emitido pelo vidro ao tocar a madeira rústica da mesa de reuniões. Pouco depois entraram dois sujeitos na sala, ambos trajavam uniformes negros com a letra “R” estampada em evidência na cor vermelha. Os soldados bateram continência, mas o sujeito que encarava a janela de vidro não fez nem questão de virar-se. O silêncio dominou a sala por alguns segundos, então, um dos oficiais prontificou-se:
— Senhor Archer, não fomos capazes de localizar o Executivo Proton. Petrel encontra-se sob custódia da Polícia Internacional da região, e quanto à Ariana... Bem, não se ouviu mais nada dela desde o incidente nas Ilhas Laranja.
Archer esboçava uma feição pensativa ao observar o reflexo perfeito de seu rosto estampado no vidro de cristal de sua taça. O homem permaneceu sério, tomou mais um gole de seu vinho, e então disse em voz baixa:
— É uma pena. — sua voz soava traiçoeira e não era possível dizer se aquela frase ecoara como uma lástima ou uma ironia. Era como uma serpente tentadora envolta de uma árvore, pronta a oferecer um fruto condenado aos desatentos. Os soldados ainda se mantiveram em posição de continência até que o homem voltou-se para eles e sorriu.
— Não preciso mais deles. De nenhum deles. — ao terminar sua frase, jogou o copo de vinho no chão e começou a observar o líquido escarlate escorrer por entre as frestas do piso de mármore. Archer ficou ali a observar o estrago propositalmente causado, parecia ter alguma malícia escondida em seus movimentos ao ver a destruição do próprio domínio, afinal, há muitos anos os Rockets andavam falidos.
O Executivo ficou a encarar o vinho escorrer, os oficiais permanecem em completo silêncio  ao ver o homem fitar o líquido vermelho, estático e com atenção, mas a um dado momento um sussurro de indagação pôde ser ouvido vindo de um dos soldados:
— Nem do Senhor Giovanni?
Giovanni era o líder e fundador da facção dos Rockets, desaparecido desde os tempos de Kanto os criminosos passaram cada vez mais a perder sua reputação, até chegarem ao fundo do poço em que estavam atualmente. Archer levantou-se e lançou um olhar assustador para o soldado que fez a pergunta, caminhou em sua direção como se o ameaçasse, mas as outras palavras soaram quase que como um lamento de desolação:
— Não, nem do Giovanni, meu caro soldado. Estamos aqui por minha causa, não? Enviamos uma mensagem há cada um dos representantes da facção, e nenhum deles compareceu à esta reunião. Seguirei com este meu último plano sem eles. Nada vai mudar. Absolutamente, nada. — disse Archer, chegando tão próximo que o sujeito até mesmo chegou a assustar-se — Agora, podem ir embora. Avise todos para iniciarmos nosso plano.
Os soldados fizeram continência e se prepararam para sair, mas antes, Archer chamou pelos dois novamente que retornaram com pressa.
— Eu derrubei um pouco de vinho no chão. — disse o Executivo.
— Estarei pedindo para que limpem urgentemente. — respondeu um dos oficiais.
Nesse instante Archer sacou uma arma de dentro de seu uniforme branco e atirou no peito do mesmo soldado que o indagara se a presença de Giovanni era importante. O companheiro ao lado assustou-se, mas não correu para auxílio por ver a assustadora figura de seu superior com uma arma na mão. Archer guardou-a novamente e tornou a falar com enorme calma:
— Peça para darem uma limpeza nisso aí também.
O outro saiu da sala correndo, deixando Archer a sós com o corpo estendido na sala. O homem foi pisando por cima do sujeito até sair de sua sala onde tinha vista para o mar. Aquilo era tudo que restara do que outrora já fora uma das maiores bases secretas dos Rockets, pelo menos o vento que lhe batia no rosto dava a sensação de quem nem tudo estava perdido, e ainda havia a esperança de que suas últimas conspirações dessem certo. Foi então que um garçom chegou para trazer-lhe mais vinho, Archer pediu para que o homem se aproximasse e sorriu ao vê-lo de perto.
— Por favor, venha até aqui.
— Senhor? Precisa de algo? — indagou o garçom.
— Quero contar-lhe todos os meus planos para nosso futuro. É importante que você, como um bom servente, saiba de nossos planos, afinal, garçons são peças muito importantes no andamento de uma empresa, não?
O homem esboçou uma feição de desentendimento, aquilo que Archer dissera não fazia sentido algum. Não sabendo ao certo o que ele tinha haver com os planos de seu superior, pensou apenas que ele era como a típica figura de um empresário falido que enlouquece ao perder todo seu império.
— Coloque um pouco de vinho em duas taças. Venha beber junto comigo.
O garçom serviu o vinho requintado ao chefe, em seguida colocando um pouco para si mesmo. Sentou-se na varanda e ficou a aguardar o que seu superior tinha a dizer naquela estranha situação.
— Diga-me seu nome.
—Wilson, senhor. — afirmou o garçom.
— Fascinante. Então diga-me, Wilson, como é trabalhar para os Rockets? Quero dizer, como andam as coisas lá embaixo? Meio vazias, não? Pelo menos creio eu que os cientistas remanescentes seguiram com aqueles projetos de clonagem, os salões inferiores devem ter virado uma bagunça cheia de Pokémons idênticos para todos os lados!
— Na realidade eles são bem obedientes, senhor. O projeto de clonagem dos Rockets requereu milhões de dólares para ser concluído, mas parece ter rendido um resultado inesperado. Qual seria o motivo exato de criar um exército de Pokémons, meu senhor?
Archer nada disse, parecia não star disposto a responder perguntas, apenas a fazê-las. O homem confirmava as indagações de seu chefe que teimava em prendê-lo naquela situação, e o assunto de Archer parecia não ter fim.
— Agora, não temos nada além de laboratórios abandonados e fugitivos pouco experientes que nada mais faziam além de roubar Pokémons de crianças. O que acha disso? Roubar Pokémons de crianças?
— É a nossa função, senhor.
— Nossa função... Interessante. Você é de Sinnoh mesmo, estou certo? Percebi pelo sotaque. Agora deixe-me perguntar, presumo que conheça uma notável figura do passado desta região, seu nome é Walter Wallers.
— Sim, era o campeão da Liga Pokémon — continuou o garçom.
— E ele tem filhos, não é? — indagou Archer como se perguntasse aquilo afirmando estar correto. O Executivo então tomou um gole de seu vinho e voltou a falar — Vou sequestrar o filho desse homem. Roubar Pokémons é coisa de crianças mesmo, gostou da minha comparação?
O garçom fez uma expressão de surpresa apreciando profundamente a ideia que seu superior tivera. Archer levantou-se e então falou para Wilson tocando em seu ombro:
— E quero que você esteja no comando.
— Perdão? Senhor, mas não tenho qualificações de espionagem, não tenho condições de realizar um sequestro sem que descubram minha identidade, e...
— Exatamente! Você é perfeito para o cargo — disse Archer colocando a mão no ombro do garçom e levando-o para a sala de reuniões — É simples, você deverá sequestrá-lo e trazê-lo até aqui chamando o máximo de atenção que conseguir. Quero todos eles aqui, toda a polícia internacional e toda a mídia que desejar.
— Mas, Senhor, você está disposto a revelar nossa localização? O Homem de Ferro, Ike, da Elite dos 4, já imagina onde estamos alojados, tanto que até mesmo comprou a Iron Island que servia como um refúgio para que nos escondêssemos. Nos tornaríamos uma presa fácil para que eles nos atacassem.
— Você pergunta coisas demais... — disse Archer, mostrando o corpo do oficial morto na sala ao lado que fez com que o pobre garçom quase congelasse — O que foi? Você tem medo de morrer? Basta responder minha pergunta, é simples, aceita ou não?
O garçom suava, mas confirmou a pergunta várias vezes. Wilson saiu correndo da sala deixando o Archer para trás, prometendo que faria de tudo para que cumprisse seu dever na facção. E então, Archer despediu-se de seu mais novo executivo com um breve sussurro:
— Por que será que temem a morte? O final de todos nós é o mesmo de qualquer maneira...
A brisa suave passava por entre a cidade portuária de Canalave guiando as ondas e os barcos para o horizonte até onde os olhos alcançavam na imensidão azul dos oceanos. Veleiros cortavam o céu com suas bandeiras brancas ao lado de pesqueiros que garantiam sua refeição de cada dia com o esforço e o trabalho das manhãs de pesca atrás de cardumes de Magikarps. Havia uma ponte de madeira que estendia-se sobre o mar guiando aqueles que ficavam para trás com seu último adeus àqueles que partiam, e por isso, a presença de um jovem garoto sobre ela lamentava a partida de alguém que amava, mas havia deixado-o.
Luke estava sentado em uma das beiras com as pernas aéreas e suas mãos entrelaçadas. O vento que lhe percorria o rosto mal podia ser sentido, pois sua mente estava tão perdida e desatenta, com tantas dúvidas, que o que acontecia ao seu redor era de menor importância. Não sabia ao certo qual rumo tomar a partir daquele ponto, pois sentia falta dos conselhos de sua protetora.
Já está pronto para o próximo ginásio?
Luke virou-se para trás no mesmo instante como se sentisse que Titânia ainda estivesse ali presente para consolá-lo e guiá-lo em sua aventura, mas não havia nada. A serpente de pedra havia deixado-o para que o jovem seguisse seu próprio caminho, afinal, todas as mães precisam deixar suas crias a um determinado ponto da vida. Luke compreendia aquilo, mas ainda assim não deixava de sentir um enorme vazio em seu coração
— Por que você tinha que ir? — indagava para si mesmo.
Enquanto Luke permanecia sozinho no píer seu irmão continuava no Centro Pokémon ao lado de seus amigos. O treinador estava feliz por seu Pachirisu já ter se recuperado, e agora apenas ficava no local preparando-se para uma competição que haveria naquele fim de semana, almejando assim conquistar sua quarta fita. De hora em hora Dawn ia para a janela ver seu Luke voltara, mas não tinha resposta do retorno do amado. Roark estava na companhia dos amigos aguardando que seus Pokémons se recuperassem da mesma forma, e ficara sabendo por intermédio de Lukas da partida de Titânia. 
O líder retirou o capacete e lamentou em sua tristeza:
— É uma pena que ela o tenha deixado, era um Pokémon fenomenal. — disse Roark.
— Mas não há nada que possamos fazer quanto ao destino de um Pokémon que decidi como traçá-lo. — continuou Lukas — Por mais que haja aquele conceito de que quando um Pokémon é capturado ele deve servir seu treinador para sempre, não é assim que as coisas funcionam para nós. Damos o livre arbítrio para que fiquem ou não ao nosso lado como desejarem.
— Chegou a pensar neste conceito sozinho, meu jovem? — indagou Byron, que ouvia a conversa — O Senhor Ike, da Elite dos 4, é um treinador que também trabalha com esse código. Seus Pokémons o seguem por opção, e isso os torna tão fieis que é como se ambos lutassem com suas mentes conectadas. É uma técnica incrível.
Lukas sorriu, surpreso por ouvir aquilo vindo de um veterano em batalhas como o líder de ginásio metálico. O jovem afagou a cabeça de seu Pachirisu que estava todo enfaixado, mas já se recuperava dos danos que recebera em batalha. O próprio garoto sentia como se estivesse em harmonia com seus Pokémons, e sentia-se feliz em ver que seu irmão tinha o mesmo respeito.
Gabite estava do lado de fora em uma zona reservada para os Pokémons. Se alguém havia sofrido mais pela partida de Titânia, então esse indivíduo era o dragão. Parou de falar com seus companheiros de equipe por um tempo e preferia manter-se isolado assim como seu treinador. Dawn ficava a observar os atos do dragão pela janela, Gabite permanecia em cima de uma pedra em profunda reflexão, e quando perdia a concentração destruía qualquer coisa que estivesse a sua volta com enorme fúria. Por mais que nenhum humano entendesse a língua dos Pokémons, o rugido do dragão dava claros sinais de lamento e ódio, amaldiçoando os céus e também aquela que julgara ser a pessoa mais importante de sua vida, mas agora o abandonara. 
Dawn observara a cena em silênio, e então, por um momento um pensamento lhe cobriu a mente:
— Não acha melhor irmos ver o Luke?
— Há momentos em que apenas a solidão pode nos dar o conforto da liberdade. — disse Roark, repetindo as palavras que vira em livro.
Dawn compreendeu, mas voltou seu olhar para a janela e comentou:
— É que todos os Pokémons dele estão aqui descansando. E não sei quanto a vocês, mas me sinto tão desprotegida sem a Titânia... É como se as paredes que envolviam nossa equipe tivessem aberto uma fenda.
Certamente, o que Dawn dizia era verdade. Os irmãos Wallers haviam ganhado nome pela força e potência de uma Onix que caminhava ao lado da equipe, mas agora que Titânia havia partido a notícia logo correria toda a região, e notícias daquele nível poderiam facilmente cair em mãos erradas.
De volta ao píer, Luke estava tão desatento que sequer dera conta de três homens que caminhavam pela ponte, todos vestidos de negro. O garoto estava mais preocupado em observar os Wingulls voarem do que notar se alguém chegava por perto, principalmente se fossem treinadores. Não estava nem um pouco disposto a batalhar, e certamente, queria manter-se longe delas por alguns dias. Os homens pararam, e então, um deles falou:
— Lukas Wallers? — indagou, como se fosse uma afirmação.
Luke virou-se notando imediatamente o uniforme que os Rockets trajavam, vestes já bem conhecidas de suas aventuras. Encarou aqueles três sujeitos de forma tão desinteressada que faria com que os supostos criminosos até se sentissem ofendidos.
— O que foi?
Encontrar Rockets parecia ter se tornado algo tão normal que não havia o que temer. Luke não tinha nenhum Pokémon consigo, logo, eles não tinham o que roubar. E de forma geral eles não seriam capazes, afinal, soldados inúteis como aqueles sempre eram derrotados no final. 
Porém, daquela vez ele estava enganado. Não eram Pokémons o que buscavam, e nem mesmo dinheiro, relógios, jóias ou roupas de marca. Um dos homens retirou um pano branco e cobriu o rosto de Luke que tomou tamanho susto que não foi capaz de gritar. O pano continha uma mistura de clorofórmio entre outras composições químicas que fizeram o garoto perder a consciência em poucos segundos. Um carro estava estacionado ali perto, Luke não tivera nem como reagir, os três agarraram o jovem e o colocaram dentro do carro que saiu em disparada. Ninguém estava presente, ninguém ficou sabendo. Não se ouviu mais nada.

• • •

Em uma tarde de junho um telefonema logo chegou à Polícia Internacional. Marshall estava em seu escritório acertando algumas informações de um corpo encontrado no meio do mar, uma vítima que parecia ter sido morta há algumas semanas, trajando uniformes de uma perigosa facção criminosa na ativa. De repente um oficial entrou em sua sala com uma feição espantada de desespero, Marshall até mesmo estranhou aquilo vindo de um de seus melhores homens, e atentou-se à um Pokegear que estava nas mãos do homem, que entregou-o diretamente para o chefe do departamento.
— Vai querer ouvir isso pessoalmente. — disse o policial.
Marshall estranhou, atendendo o celular na sequência. Começou a ouvir vozes ameaçadoras, pediu um bloco de notas e segurou a caneta com firmeza ao ouvir tais palavras:
Lukas Wallers. Esse nome lhe é bem familiar, doutor Marshall? Nós estamos com este jovem sob nossa posse, sou da corporação dos Rockets, e procuro seu responsável.
Marshall virou-se e pediu imediatamente que grampeassem a ligação e marcassem de onde estava sendo feita. A voz continuou a falar, enquanto o delegado continuou ouvindo tudo atentamente.
          — Boina púrpura, blusão azulado, cachecol branco e olhos esverdeados. Confere?
— Eu sou o responsável pela criança. — disse Marshall com uma voz grave — O que querem?
Garanto que não faremos nada ao garoto, mas peço que compareçam ao local indicado.
Marshall ouvia tudo atentamente procurando manter a calma, ainda que suas mãos suassem frias e preocupadas. Lidava com aquilo todos os dias, mas agora haviam sequestrado alguém de sua família, e pior, o filho de seu maior amigo. No mesmo instante pediu também que seus homens localizassem Lukas, para terem certeza se aquilo que os sequestradores diziam era verdade. A grampeação chegaria em poucos minutos, mas as vozes do outro lado pareciam manter total controle da situação tendo em mente cada passo e fala pré-determinados.
Presumo que conheçam a localização das Ilhas de Ferro.
— Posse de Ike Smithsonian, o homem mais rico de Sinnoh. O que procuram? Dinheiro? Pokémons? — continuou Marshall, mas a voz do outro lado mantinha-se calma e cheia de malícia.
Somos profissionais, senhor. Não procuramos nada que tenham neste presente momento. — interrompeu — Pedimos apenas para que você vá até a Ilha de Ferro.
— O que devo levar?
O que julgar certo. Para o garoto. Apenas apareça, mas leve o lendário campeão se desejar.
A voz apagou, a última frase soara quase como uma ameaça. Marshall ficou estático do outro lado da linha por um tempo. Esboçou uma feição de ódio e receio por um momento, ficou com a mente perdida por poucos segundos, mas logo organizou todas as suas ideias e experiência lidando com a mesma convicção e interesse que qualquer outro caso de extrema importância. Antes mesmo de ligar para o pai do garoto seguiu até uma sala que funcionava como uma zona de espera, era um interrogatório. Em uma das cadeiras estava um homem de boina negra e cabelos esverdeados, Marshall segurou-o pela gola e quase arrancou-o do chão encoberto por sua fúria.
— Qual é o plano ridículo que este paranoico do Archer tem em mente agora, Executivo Proton? Que tipo de facção é esta que sequestra crianças?!
— Devo admitir, essa me surpreendeu. — afirmou Proton, afastando as mãos como se insinuasse que não tinha nada haver com aquilo.
Marshall soltou-o, acalmando-se um pouco. Ajeitou o chapéu na cabeça e ficou encarando o criminoso que naquela situação também parecia surpreendido refletindo profundamente sobre quais eram os planos que seu antigo companheiro de trabalho planejara. Proton ajeitou o blusão negro, foi caminhando pela sala interrogatória da polícia e examinou um mapa da região de Sinnoh, atentando-se à Ilha de Ferro, excluída no noroeste  dos mares bravios; o homem voltou-se para Marshall com uma feição risonha e descontraída.
          — Posso dar apenas um aviso para o doutor. Não leve o pai, não leve a mãe. Leve o menor número de pessoas possível, e mantenha suas tropas afastadas da ilha.
— Afastar-se da ilha? — indagou Marshall.
— Esta área foi comprada por um grande magnata há pouco tempo, não é? E antes disso, como a ilha estava?
— Abandonada. Há pelo menos quatro anos.
— Quatro anos, doutor. O tempo que viemos para cá e começamos a iniciar um plano com nossos subordinados. — Proton explicava minunciosamente parecendo revelar tudo que sabia — A ilha abandonada tornou-se nossa base, seguindo para o norte dela, na área rochosa, encontrarão uma base dentre as pedras, inacessível via barcos e perfeitamente ocultada, mas presumo que a polícia já tivesse suspeitas disso. Agora, um centro que não recebe atenção é o local perfeito para que se criem todo o tipo de armadilhas, não acha?
— Armadilha? Que tipo de armadilha?
— Ainda não percebeu, doutor Marshall? Neste ponto, devo dizer que o homem da Elite, este tal de Ike, foi mais rápido do que o senhor. Ele comprou a ilha com o intuito de destruí-la antes que ela destrua toda a região, como um núcleo. Milhões de partículas juntas, e de repente, “BOOM!”
Talvez pelo fato da mente de Marshall estar tão dispersa e ocupada ultimamente com o caso do roubo das Orbs sagradas dos lendários ele nem fora capaz de pensar no motivo pelo qual os Rockets se concentravam na região. Vingança, era o motivo pelo qual Proton dissera pela primeira vez que Archer queria acabar com tudo a sua volta. Agora tudo parecia fazer sentido, ele pretendia explodir a ilha levando o maior número de audiência possível, e de quebra, concentrar todo o governo e a mídia para o profundo abismo nos mares de Sinnoh.
A teoria de Proton tinha uma única falha: Não havia um motivo para os Rockets roubarem a Lustrous Orb, pois eles almejavam apenas explodir uma parte da região, e não criar um colapso entre as duas dimensões. Marshall presumiu duas coisas, ou o Executivo mentira sobre as bombas, ou Proton roubara aquela Orb visando algo diferente, talvez para benefício próprio. Ele não tinha outra alternativa senão confiar no Executivo que até então se mostrara leal revelando todos os planos de sua facção. Imediatamente deixou a sala procurando realizar um telefonema para Lukas, torcendo que o jovem estivesse a salvo com todas as energias que lhe restavam.

• • •

O céu começava a ficar acinzentado, anunciando a possível chegada de uma chuva. Dawn sentiu seu pokégear vibrar, e estranhou o número intitulado como “Restrito” que ligava para ela pela terceira vez. Dawn atendeu ainda muito que contra sua vontade, e a voz do outro lado fora mais rápida que as dúvidas na mente da menina.
Seu nome é Dawn Manson, você é atendente do Professor Rowan e é a acompanhante de viagem dos Irmãos Wallers. Meu nome é Marshall, sou da polícia internacional, e sei do seu envolvimento com os Galactics ao lado do detetive Observador.
Dawn virou-se para trás para ver se alguém a observava, viu que Lukas a olhava com um semblante surpreso, mas aquilo não a impediu de afastar-se com uma feição um tanto quanto hesitante. A menina não respondeu, estava surpresa com todas aquelas informações reveladas sobre sua vida em questão de segundos, estava completamente sem falas. Marshall continuou:
Tive conhecimento de você após uma ligação confidencial com o professor Rowan, e ele me indicou você como a acompanhante dos irmãos. Necessito de sua colaboração com este caso, e por isso peço para que me diga se Lukas Wallers encontra-se com você neste exato momento?
— S-Sim, ele está aqui comigo, senhor Marshall... Deseja que eu passe o telefone para ele?
Marshall confirmou. Dawn apareceu na janela do Centro Pokémon e apontou para seu Pokégear, em seguida fazendo um sinal de que a ligação era para o próprio Lukas. O garoto aproximou-se surpreso, indagando na sequência:
— Quem é?
— O nome dele é Marshall, é da Polícia Internacional. — disse Dawn não escondendo certa surpresa.
— Tio Marshall? — continuou Lukas extremamente animado. O garoto segurou o celular e pôde ouvir a voz preocupada de seu tio, e também um tanto aliviada ao saber que o garoto estava bem.
Lukas? Minha criança, estou muito feliz em saber que está bem...
— Tio Marshall! Como é bom revê-lo, eu gostaria de poder estar com você e contar todas as aventuras que tivemos até então... Puxa, como conseguiu o celular da Dawn? Fez isso somente para conversar comigo?
Meu jovem, sei que está animado, mas preciso que preste atenção no que estou a lhe dizer. Sabe onde está o seu irmão?
— No momento, não. Ele saiu hoje à tarde, já fazem umas duas horas. Ele foi para próximo do cais alegando precisar de um tempo sozinho, deixou até os Pokémons. — explicou Lukas com certa relutância — Admito que ele está demorando para voltar... Mas, tio Marshall, o que aconteceu? Sua voz parece assustada...
O homem hesitou.
Lukas, não sei como lhe dizer isso... — ele relutou — Mas creio que o seu irmão foi sequestrado.
O garoto ficou estática. Completamente sem reação não sabendo se era uma brincadeira, mas tratando-se de Marshall ele jamais brincaria daquela maneira. Sua mão tremeu, o pokégear quase veio ao chão, mas Marshall pediu para que ele fosse firme especialmente naquele instante.
Ouça, Lukas. Lukas! Está me ouvindo?
— E-Estou... — gaguejou a criança.
Conversei com o pai de vocês, e garanto que tudo estará sob controle. Sua mãe ficou bem preocupada, mas deixe isso para a polícia, e peço apenas que tome o máximo de cuidado e não saia da cidade. Está me ouvindo?
Lukas colocou a mão em seu rosto como se tentasse evitar um soluço pela notícia surpreendente que recebera. Não podia acreditar naquilo e nem compreendia como havia acontecido, sabia apenas que agora encontrava-se preso nela, de modo que a longa ausência de seu irmão agora tivesse uma explicação. Marshall precisava dar forças para a criança, aquela era uma notícia devastadora que alguém como Lukas jamais tinha experienciado. Por mais que eles estivesse distantes um do outro, o homem precisaria mais uma vez agir como seu protetor absoluto evitando que o pior acontecesse.
Você tem que ser forte neste instante, está me ouvindo? Muito forte. Saiba que farei de tudo para trazê-lo de volta são e salvo, e neste momento também estou preocupando-me especialmente com você.
Lukas acenou positivamente.
— E-Eu... Eu vou tentar, tio Marshall. Serei forte...
Vou falar com o Glenn, tenho dois dos membros da corporação dos Rockets sob minha custódia, e tratarei tudo com eles com muita cautela e precaução, podemos muito bem negociar. Estaremos indo até a Iron Island resolver isto de uma vez por todas. Tome cuidado, meu pequeno. A sombra se ergue sobre nós.
Nenhuma lágrima caiu de seu rosto, pois Lukas estava espantado demais. Lukas desligou o celular permanecendo na mesma posição por vários minutos, voltou-se para o Centro, e então, explicou o ocorrido para seus companheiros. Dawn de ficara perplexa ao saber do acontecido.
— Você... Não está falando sério. — afirmou a moça.
Lukas ficou quieto, mordeu o beiço inferior sem ter uma reação certa. Dawn sentiu seu coração tão apertado a ponto de explodir, seu mundo desabou. Teve a sensação de que algo ruim acontecia ao garoto, e estava certa. Se naquele instante ela tivesse se certificado de ir ver como o jovem estava nada daquilo teria acontecido. Inúmeras lágrimas começaram a rolar em seu rosto e Dawn foi ao chão perdida em alucinações e desespero
— É culpa minha!! Como pude deixar isso acontecer?! Nós estávamos ao lado dele esse tempo todo, e o Luke nos protegia todos os dias, e nem mesmo agora fui capaz de dar o devido apoio à ele!
— Dawn, não se culpe! — pediu Lukas, abraçando a moça que tentou aconchegar-se nos braços do amigo. Pouco depois Roark chegou espantado.
— O que houve? — perguntou o líder.
A resposta soou rápida e sem emoção.
— O Luke foi sequestrado.
A notícia correu tão depressa quanto o vento. Roark imediatamente avisou seu pai, embora eles não tivessem muito o que fazer naquela situação. Marshall havia pedido apenas para que Lukas se protegesse, mas como um irmão poderia sentar-se e esperar enquanto o outro sofre nas mãos de criminosos? Lukas não chorava, lutava contra as lágrimas ao lembrar-se da promessa em que dissera ser forte, não conseguia acreditar que aquilo havia acontecido; Dawn desaguava em lágrimas, sentia-se inteiramente culpada, Roark apenas tentava consolá-la.
— Que tipo de situação para o Doutor Walter... — comentou Byron — Eu não teria reação se meu filho fosse sequestrado.
— Ei, Lukas. Você tem que manter a calma agora. O homem da polícia é seu tio, não? Diga-me uma coisa, você confia nele?
— É claro que confio. Mais do que qualquer pessoa.
— Então deixe o resto nas mãos dele. — afirmou Roark.
Lukas ergueu-se esticando as mãos para os lados mostrando sua injúria perdida em um mesclado de dúvida e tristeza que aprisionava seu coração como se fosse uma prisão.
— E pretende que eu apenas fique aqui sentado, aguardando tudo terminar bem ou mal? Que tipo de treinador eu seria se fujo aos meus desafios e não sou capaz de enfrentá-los? O Luke é o meu irmão! — gritou ele.
— E é o meu melhor amigo. E também a pessoa mais importante na vida da Dawn. — completou Roark de forma calma — Entenda, Lukas, não há nada que possamos fazer.
Roark não tinha outra maneira de fazê-lo acalmar-se. Lukas sentou em dos sofás com as mãos em seu rosto. Estava completamente arrasado. O garoto levantou-se e saiu correndo do Centro. Seu Pachirisu correu para acompanhá-lo, mas não teve tempo. Gabite imediatamente notou o jovem correr e ficou sem entender por um instante. Lukas parou por e sentiu o esquilinho puxar a barra de sua calça, voltou-se para trás encarando os olhos brilhantes da criatura sem saber ao certo como reagir à situação.
— O Luke... Eu não posso acreditar que foi sequestrado.
Os olhinhos do Pokémon se abriram ao ouvir a notícia, ele virou-se e imediatamente correu em direção do Gabite que descansava em cima de uma pedra nas redondezas. Com a notícia que Pachirisu dera para seu amigo aos poucos o semblante do dragão começou a alterar-se. Ele rugiu com imenso ódio, um grito que a cidade inteira teria ouvido. Gabite saltou da pedra e correu para dentro do Centro Pokémon à procura de seus companheiros. Luke estava com seis Pokémons naquele dia, eram eles sua própria elite; Gabite, o General Duskull, sua Porygon-Z, Mikau, Froslass e o novo integrante, Beldum. Quando os seis Pokémons souberam da notícia quase não puderam conter-se. Seriam capazes de destruir o Centro se não fossem acalmados. Sem um treinador e fora de suas pokébolas ficariam desatentos e desunidos.
Gabite correu em direção do irmão de seu Mestre implorando para que explicasse o que havia acontecido mais detalhadamente, mas Lukas não entendia sua linguagem e limitava-se a dizer sobre o que tinha conhecimento até então.
— Eu não sei, eu não sei! — lamentava ele — O tio Marshall disse para que eu mantivesse a calma, e que eles dariam conta do recado na Ilha de Ferro, mas não sei o que fazer, Gabite! Estou completamente perdido!
O dragão abaixou a cabeça e olhou para suas garras. Ele não havia sido capaz de proteger seu próprio treinador, mais uma vez perdia alguém que amava, mas dessa vez não faria questão de baixar a fronte e aguardar as lágrimas jorrarem como uma cachoeira sem fim.  Começou a caminhar em direção do porto com os olhos fixos no horizonte onde sua percepção dizia-lhe situar-se a abandonada ilha do ferro. Lukas viu o Pokémon de Luke se afastando, logo, os outros cinco da equipe de seu irmão também seguiam Gabite unindo-se com um único desejo. Lukas gritou:
— Aonde está indo?
Por mais que soubesse que não receberia uma resposta gritou da mesma maneira, porém, o dragão parou. Gabite não voltou-se para o jovem e mesmo que tais palavras tivessem sido ditas na linguagem dos Pokémons, Lukas sentiu como se fossem proferidas em sua própria língua.

      

{ 18 comments... read them below or Comment }

  1. AAAAAAAAAAAAAHHHHHH, Canas mau, porque tem que fazer isso conosco, esperar até a semana que vem pra saber o que vai acontecer! o Luke foi sequestrado, o Gabaite quer começar uma guerra, bem, vai ser massa o episódio que vem, pelo menos você compensou a saída da titânia com uma história que num dá nem tempo de pensar no que passou, mas, espero que você lançe bem rápido os episódios viu, se não ou morrer de ansiedade, já num tô aguentando. Mas tem razão todos os homens tem que morrer um dia, Valliar Morgulius, (é uma frase que li no livro as cronicas de gelo e fogo é um livro muito bom), eu não sei por que todos tem medo de morrer, mas deve ser puro instinto.
    Ei canas, desculpe ae num postar nuitos comentarios, é que eu já tiro tempo de onde não tenho para ler a fic, eu só leio por que é muito boa mesmo, mas de agora por diante eu vou comentar nem q seja uma linha por capítulo ou especial. :)

    De: Firewall

    ReplyDelete
  2. Diga, Firewall! Cara, você é um leitor que vejo por essas bandas desde a primeira temporada, e mesmo não vendo-o comentando sempre é muito bacana saber que você tira desse tempo precioso para mostrar sua apreciação por Sinnoh (: Vou ter que concordar contigo companheiro, as Crônicas de Gelo e Fogo são excepcionais! Eu comprei o livro mas ainda estou tomando coragem para ler, porque o seriado já é fabuloso, show de bola que você também conheça, eu pensava que ninguém do site tinha conhecimento sobre Game of Thrones.

    Estou com um bocado de capítulos prontos, não é até o final desse Arco, mas pelo menos é o suficiente para não atrasar postagens até o fim de outubro. Se tudo ocorrer bem e eu conseguir passar por essa semana de provas sem maiores problemas logo começarei adiantar as coisas. Valeu pelo comment rapaz, fico feliz que o pessoal esteja aprovando essas ideias. Não deu nem tempo de respirar mesmo, né! kkkkkk Cara, mesmo que tenha bastante gente que não consegue comentar sempre é ótimo vê-los dando as caras de vez em quando, dá uma baita inspiração ver que esse pessoal das antigas continuam acompanhando, mostra que tenho conseguido prender a atenção! Valeu pelo comentário Firewall, até a próxima!

    ReplyDelete
  3. Dafuq!?!!!!!!!!!!?
    Canas, venho lhe apresentar uma oferta tentadora: em vez de apresentas os capítulos toda sexta, proponho que o senhor publique todo dia ou até dois por dia, quem sabe?
    Pelamorde Deus! Preciso desses capítulos, and now!
    Sério, muito foda! Chique!
    Falar que não tinha lido o Fire Tails até hoje e quando li fiquei com aquela cara: Porra!
    Muito bom o FT e devo dizer que você se superou, caro Canas. Muito bem escrito tudo e fico muito animado pros próximos (estou em semana de provas de novo mas AeS é mais importante, uai! kkk)

    Vou me despedindo ainda tentando digerir o fato de que a sequência dessa incrível "historinha" só vem na sexta. Portanto, faça a semana do excesso : um capítulo por dia. No mínimo.
    Adios muito ansioso (MUITO!)
    Moacyr

    ReplyDelete
  4. Caraca Canas.

    Serio vc ta pegando muito pesado.Realmente cumpriu com sua palavra, não teve tempo pra chororo e lamentações.
    Esse Arche ele ´inacreditavel, esse tipo de pessoa não existe.Se fosse definismo uma palvra para defini-lo seria, psicopata.Matar um pessoa pra fazer perguntas, tentar explodir uma ilha toda para simplismente acabar com os elites?Ta parecendo a União Sovietica ameçando os E.U.A, mas como todos sabemos os E.U.A sempre se sobressaem.
    Graças a Arceus temos o Proton do nosso lado.Espero que ele não esteje blefando ou o Luke pode sofrer serias consequenncias.Esses Rockets são muito incompetentes, pegaram a vitima errada e ainda continuam no erro, mas assim ate ficou melhor ja que o Luke não teria emocionalç para aguentar perde o Lukas.Só que eu ainda acho o Lukas e a Dawn muito fracos em caso de uma seria batalha.
    Aerus eu te amo, Aerus eu te amo!Para muitos essa atitude impulsiva e totalmente sem noção do Gabite pode ser errada, mas para mim é totalmente correto.Por que se eles ficarem la seria totalmente inultio, ELES SÃO OS FILHOS DOS CAMPEOS ELES SÃO MAIS FORTES JUNTOS E DEVEM PROTEGER A AQUELES QUE AMA, JA QUE É ISSO QUE A FIRE TALES FAZ!!!!!!.
    kkkkk nesse clima que se forma eu to compena dos Rockets.kkkkkkkkkkk já pensou a Titânia descobrirkkkkkk a ilha concerteza vai ser destruida, por um fodastico Earthquakekkkkkkkkk.Aerus vai com tudo meu irmão, pq se for contar com essa elite vcs vão é perde, eles são muito cauteloso e precisa de mais ações nisso, coisa impulsivas e surpreendentes ja que os rockets não esperam que eles apareçam.

    ReplyDelete
  5. Eae Canas, blz?(cara, tento iniciar meu comentário de outra forma, mas não consigo. kkk) Bom, a cada dia os capítulos fica mais emocionantes; capítulo 49, ação e uma batalha intensa, 50, um pouco de drama e 51, drama e mistérios. Estou começando a achar que no próximo terá uma evolução. Como foi dito em um comentário a cima, você conseguiu fazer um estratégia que fizesse com que nós nem sentíssemos muito a ausência de Titânia. O foco inicial nos Rockets, no meio no Luke, no final Marshall e companheiros de Luke desesperados. Foi ótimo. Estou ansioso pelo próximo, fico no aguardo. Até mais!

    ReplyDelete
  6. Meu amigo Canas, você realmente cumpre o que diz. Lembro-me bem que você mencionou que os acontecimentos desse novo arco não deixariam nem mesmo nós leitores entrarmos em uma ressaca com a partida da Titânia. E agora o Aerus vai botar pra quebrar, junto com a equipe inteira do Luke!

    Cara, eu não tenho nem palavras para descrever o que sinto agora! Eu fico totalmente empolgado quando os autores dão à Team Rocket seu devido valor. Sabe, o próprio Giovanni é um homem com enormes pretensões. Acho que o pessoal tomou uma imagem muito precipitada a respeito dessa organização por causa dos ladrões banais, como Jessie e James, ou Cassidy e Butch (e pensar que Jesse James e Butch Cassidy foram dois bandidos lendários dos tempos do velho oeste...).

    Bom, estarei no aguardo para ver o que vai ser dessa história. Se possível, me responda uma cosia: o sequestro vai ser o tema de todo o arco, ou vai ser só uma passagem dele?

    Fico por aqui parceiro. Até a próxima!

    ReplyDelete
  7. Oloco, um sequestro, agora assim saquei por que esse será o melhor arco da Saga Diamante (ou de toda a estória), cara a Iron Island será completamente destruída, Ike, Lukas, Dawn, os pokémons do Luke, Roark, Byron, Marshall, Glenn, Walter, Melissa (falta só o Erik) vs Archer, Wilson e todo o resto da equipe Rocket.

    Eu to muito empolgado com este Arco, to doido pra que a próxima sexta chegue logo para que eu possa continuar a ler estes capítulos. Finalmente teremos ladrões dignos de uma grande facção como os Rockets, concordo com o Zangoose nisso, no Anime os Rockets tinham uma imagem de um bando de incompetentes com a Jessie e o James e a Cassidy e o Butch, mas agora não, agora eles tem uma imagem de vilões potencialmente perigosos que podem passar por cima de qualquer um para conseguirem o que querem, é este Arco promete, e muito...

    Bem, fico por aqui, até a próxima amigo.

    ReplyDelete
  8. Aí, Moa! Poxa cara, se vocês estão ansiosos para ver o que acontece, imagina como eu estou para mostrar!! Admito que realmente tenho uma série de capítulos prontos, mas se eu postasse tudo de uma vez perderia a graça e não teria nem tempo de todo mundo conseguir ler... São minhas técnicas de marketing companheiro, vamos ter que nos contentar com um capítulo, mas aposto que a curiosidade final vai ser ainda maior, e dessa forma terei tempo para fazer capítulos impecáveis repletos com artes exclusivas e descrições minuciosas. É, certamente, vai ficar show de bola!!

    Acrescentando a resposta para meu mano Shadow: O sequestro é o tema desse arco até o final agora, longos oito capítulos nesse tema, companheiro. Agora você pensa: Putz, acompanhar oito semanas pra já saber como isso vai terminar? Não cara, vocês não sabem como isso vai terminar, são tantas evoluões tantas batalhas e tantos desafios que não dá pra ter ideia da quantidade de coisas que preparei para esse Arco, e por isso ele ficou imenso. Mas posso garantir, oito capítulos de pura adrenalina, e quem gosta de batalhas e ação nesse esquema, como você, poderão ter uma boa diversão. Nos Capítulo 52 apresentarei um fato que já irá clarear a mente dos leitores, e ficará mais explícito como trabalharei um único tema em tantos capítulos. E eu juro, não ficou maior porque estou evitando colocar mais de 6000 palavras por episódio! kkkkkkkk Ahh, Shadow. Tu falou também do Jesse James e do Butch Cassidy, os lendários ícone do velho oeste. Eu não sabia disso man, achei maior interessante, vou dar uma pesquisada mais tarde (:

    Bem, Gabriel,uma coisa vou ter que descordar de você! Nesse Arco algumas das batalhas mais intensas serão realizadas pela equipe do Lukas e da Dawn. Como eu havia mencionado, quero dar atenção para Pokémons que ainda não fizeram muito, e poxa, a Dawn tem o Lairon!! O bicho é um dos mais fodas da equipe, e nunca batalhou! Quando o cara lutar de verdade não vai ter ninguém que fique de pé no caminho deles kkkk Mas admito, nesse quesito a equipe do Luke ainda tem mais experiência, e eles provarão isso no Arco levando as batalhas com mais determinação e habilidade. Por fim, agradeço todos os meus compatriotas que leram e curtiram esse capítulo, sei que essas próximas semanas são chatas e cansativas, com muitas provas, trabalhos e cursos, mas estarei no aguardo de vocês todas as sextas feiras com mais uma parte desse meu grande projeto, por isso conto com a participação de todo mundo nos comentários para dar uma inspirada nas ideias! Isso se tiver como esse Arco ficar melhor né, estou ansiosíssimo para mostrar meus projetos de Pokémons Vilões! Vocês não perdem por esperar, até a próxima.

    ReplyDelete
  9. Eu lembro de ter comentado sobre uma vontade que eu tive de parar de ler a estória a alguns dias atrás, sinceramente Canas, esqueça esse comentário, depois de ler o capítulo 50, sempre na hora de dormir eu ficava imaginando o que aconteceria na fic, mas eu jamais imaginei um sequestro! (eu até imaginei uma separação temporária do grupo! sério) Um sequestro deve ser algo um pouco complicado, mais complicado ainda uma explosão que pode resultar destruição em parte de uma região!Porque não é uma coisa que você pode consertar, se Iron Island explodisse, no mínimo Canalave iria embora, e Canalave se tornou bem importante, mas é melhor esperar os próximos capítulos. Essa "guerra" que Gabite quer começar me lembra alguns capítulos, não me recordo os números, mas me lembro quando eles atacaram o Hotel Deluxe Heart, e me lembro também quando os rockets atacaram Luke, Lukas, Dawn, Riley e Marley. Aqueles capítulos foram Incríveis, mas melhor deixar o passado onde ele deve ficar e ver o futuro, pois creio que esse oito capítulos serão ainda melhores!

    Gabite está muito deprimido, mas imagino que agora com este sequestro ele ponha a cabeça no lugar, principalmente porque a vida de seu mestre está em perigo. E como a Titânia saiu, acho que Luke precisa de um pokemon que passe a ser o mais forte da equipe dele, um novo protetor, não para Luke, mas sim para seus pokémons, uma vez que Gabite é o líder, ele deve fazer jus ao seu cargo, e ser o novo pokémon mais phoda da equipe, mesmo que o Vista seja muito forte e também um pseudo-lendário, Gabite está na equipe a mais tempo e ele já está próximo de evoluir (pelo menos eu espero que esteja, Garchomp é meu pokémon preferido de sinnoh) e espero também outras evoluções, como de Atros por exemplo, Dawn mesmo que não esteja disputando por insígnias ela precisa de um super powerhouse, e espera que Eva também evolua, assim Lukas terá um forte pokémon novinho em folha para o Contest, mas a evolução que eu espero acima das outras é do General, ele pode ser um dos mais fortes, mas ele precisa evoluir (eu lembro de ter visto em um dos capítulos, você comentando que ele ia evoluir, estamos próximos de um momento oportuno creio eu.
    Fico no aguardo de coisas novas Canas, até mais.
    Ass: Paulo Henrique Rasia

    ReplyDelete
  10. noooooooooooooooooooooooooooooooooo, to até arrepiado cara, putz, quando vi ele dizer que ia começar uma guerra cara, to esperando ansioso o outro capitulo cara.

    ReplyDelete
  11. CANAS SÓ UMA COISA SEM PALAVRAS!cara eu nunca imaginava um sequestro!canas e isso é bom porque as pessoas tem tratado as fics só como batalhas pokemons e nada muito forte,por isso a maioria das pessoas acha que pokemon é coisa de criança mais você principalmente está sempre provando o contrario
    cara sinceramente eu acho que o gabite vai evoluir!porque já que a titânia saiu o luke precisa de outro pokemon foda pra caramba!e um garchomp é perfeito para isso e também já esta na hora de sua evolução e como você já havia falado anteriormente quando o gabite evoluir iria começar a época da evolução e só uma coisa,não dá pra postar pelo menos 2 vezes por semana?seria muito bom mais se não der eu compreendo,ESPERANDO ANSIOSAMENTE PELO PRÓXIMO CAPITULO!

    ReplyDelete
  12. Eu demorei, não? Cara, eu evitei esse capítulo o máximo possível, tentei adiá-lo. Por que? Pelo simples fato de saber que não conseguiria manter a ansiedade pelo próximo capítulo. Mas veja, nem por esse capítulo eu consegui, acha que conseguiria pelo próximo? Hesitante, eu comecei a ler esse capítulo por um descuido e quando vi, já estava me surpreendendo com os acontecimentos descritos.

    Você bolou uma volta triunfal para os temidos vilões. Você trabalhou tão bem com cada um deles que fiquei boquiaberto, principalmente com o Archer. Man, você criou um vilão assustador, muito pior do que o velho Giovanni.

    Você conseguiu acabar com o sofrimento pela partida da Tih tão rapidamente que sequer deu tempo de enxugar as lágrimas. Eu jamais vi tamanha brutalidade em um só capítulo nas fanfics de pokémon. Armas, mortes, sequestro? Man, sua jogadas são muito bem boladas e surpreendentes. Até mesmo para um cara que se surpreende com um Caterpie usando Tackle *risos*

    Fico imaginando: como o Aerus & cia. farão para chegar à Iron Sland? O trio Walter, Marshall e Glenn terá um foco fascinante como você sempre faz? Sua resposta: Não interessa, isso não é nenhum FormSinnoh! u_u *risos*

    Cara, é realmente difícil expressar-se. São tantas dúvidas que a vontade de ler o próximo capítulo apenas aumenta. Numa tentativa besta, eu abro a página do blog a cada dez minutos, apenas tentando ver se você deixou de ser tão severo e deu continuidade ao capítulo, naquele mesmo dia. É sim algo besta, eu jamais queria que isso acontecesse, mas sei lá, é algo automático.

    Pois bem, eu não tenho muito o que dizer, além de perguntar muitas coisas. Então, como não quero ser impertinente, apenas fico por aqui, esperando cada vez mais pelo próximo capítulo.

    See ya!

    ReplyDelete
  13. LUUUKE NOOOO! Eu já sabia que isso ia acontecer, mas não deixei de me surpreender, acredita? '-' kkkkk Canas, essa parte foi muito bem elaborada por você, tenho que admitir.

    Uma coisa muito legal foi essa interligação aqui:
    "Senhor Archer, não fomos capazes de localizar o Executivo Proton. Petrel encontra-se sob custódia da Polícia Internacional da região, e quanto à Ariana... Bem, não se ouviu mais nada dela desde o incidente nas Ilhas Laranja."
    Tipo, você mostrou uma interligação difícil, pois como Sinnoh acontece no futuro seria quase impossível dizer o que aconteceu sem dar spoilers tensos como "fulano morreu, ou fulano foi preso". Você colocou como "incidente", o que nos dá bastante curiosidade para tentar descobrir o que aconteceu, e acompanhar ANIL. Boa sacada essa.

    Esse desenho do Gabite ficou muito legal também. Imagino como ele se sentiu com a partido da Titânia. Deve ter ficado arrasado como o Luke, ou até mais, já que era mais próximo dela. Essa reviravolta ficou genial. Os Rockets são muito cruéis, e os planos deles você elaborou perfeitamente, todas as interligações de capítulos passados (até do capítulo 7 kk) agora fazem sentido. Que venha a segunda parte de Canalave!

    ReplyDelete
  14. JESUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUS PÕE A MÃO! CANAS IS A BAD BOY!

    Cara primeiro tu tira a Titânia do Luke e agora o coitado é sequestrado? COMO ASSIM? Oh God! Agora a porra vai ficar muito séria. Foi tudo muito fodasticamente arquitetado cara.

    O Archer é muito doido, no sentido de psicopata mesmo! Agora que ele está vendo toda a corporação desmoronando vai entrar em total estado de loucura. Apenas o Archer ali, sem os outros executivos por perto, nem mesmo o Giovanni quer saber mais eim? E a que ponto chegou, chamou o garçom para uma missão dessas! Claro que precisava chamar atenção para que todos fossem atrás do Luke, mas agora quero só ver o que realmente o Archer planeja.

    Arceus nos acuda! Marshall já tá sabendo, e espalhou a notícia para o Walter e todo o resto do pessoal. Cara sinto que uma batalha épica vai acontecer na Iron Island! E o Gabite vai tomar as rédeas da situação! Fico imaginando: agora que a Titânia saiu do grupo, como o pessoal vai agir. Espero algo fantástico eim Canas, e sei que você trará algo muito, muito bom!

    See ya

    ReplyDelete
  15. 3 acontecimentos em um único capitulo. Guri desse jeito você me mata companheiro, nem deu tempo da Titânia sair e o Luke já foi seqüestrado.
    Cara, desculpa, mas vou ter que dizer “garçom, aki... nesta mesa de bar, você já cansou de escutar centenas de historias de amor” kkkk meu nem acredito que você fez uma coisa banal como esse garçon ser tão importante kkk quem nunca afogou suas magoas numa mesa de bar e não pagou uma única gorjeta ao garçon? kkkkkk
    A cena em que o Archer apareceu foi bem intensa, e a interpretação da mente dele tomada pela decadência de seu império e os detalhes da sala empoeirada deram ao contexto um ar de frieza, loucura e desespero. E o fato de como os casos se interligam (passado, presente e futuro) obrigam a nós leitores lembrarmos de todos os detalhes, que por sinal me fascinam.
    Percebi que este capitulo foi dividido em algumas partes, sendo a primeira do Archer, a segunda com o Marshall e a ultima com os nossos protagonistas.
    A parte especifica da policia internacional me interessa muito, pois o dialogo e o ambiente se alteram, de um lugar afastado processo pela falência, pulamos para um ambiente agora tenso do seqüestro de um ente querido.
    A tristeza e o medo que tomou conta do Lukas foram bem rápidos e pouco explorados, mas graças a isso pude sentir como este processo durou poucos minuto, pois nessas horas ninguém fica parado. Tudo passa num piscar de olhos.
    Canas parabéns pelo excelente trabalho nestes capítulos. Cada vez mais você está superando as minhas expectativas, pois quando eu penso que este poderia ser o melhor capitulo vem outro surpreendente.
    Continue assim, pois agora vou para o próximo comentário.

    ReplyDelete
  16. Uau! Que demais esse capítulo, Canas... Bem, acho que você nunca me viu comentando em um capítulo antes, mas isso porque eu tinha deixado de ler faz tempo. Não por não gostar, mas por preguiça. Quando lançava um capítulo novo, eu deixava acumular. E de tanto acumular, eu resolvi largar de mão. Mas sempre fiquei de olho nas noticias, viu? Kkk.

    Foi então que me bateu uma forte vontade voltar a ler a história. Resolvi deixar de lado meu horário de ler livro (que é antes de ir dormir) para vir pra Sinnoh, continuar de onde parei. E agora finalmente resolvi, vou voltar a ler e rapidinho, vou conseguir chegar até o capítulo recente.

    Mas fique sabendo que meu maior motivo para voltar a ler foi sua escrita. Eu tinha esquecido da sua capacidade de fazer os leitores imaginar as "cenas" com apenas poucas palavras! Aventuras em Sinnoh é muito bem escrita, merece muito respeito kkk. Ok, admito, eu imagino com muita facilidade uma cena ao ler. Entretanto, sempre dou uma escorregada e fico sem entender o que acabara de acontecer, obrigando-me a voltar o parágrafo. Mas com esse capítulo não! Tudo fluiu em minha cabeça, e a cada palavra que lia, a cena formava-se. Mas agora, vamos ao capítulo? Kkk.

    Esse Archer é um FDP mesmo, né? Caraca, que raiva desse homem. É o típico vilão que me faz sentir um pequeno ódio (como o Lord Voldemort, da saga Harry Potter). Entretanto, A.DO.REI a frase que ele disse:

    "Por que será que temem a morte? O final de todos nós é o mesmo de qualquer maneira..." (sempre pensei da mesma forma, rsrs).

    Mas eu me pergunto, por qual diabos ele sequestrou Luke? Acho que terei de ler o próximo capítulo para descobrir (se é que você não explicou nesse capítulo, sou meio desligada, sabe? Me esqueço rapidamente quando vou comentar algo kkk). E essa Dawn é fodinha, viu? Quis ver o Luke pouco antes dele ser sequestrado kkk. E o Lukas? Coitadinho dele, Canas! Imagine receber a noticia que seu irmão foi sequestrado, isso não deve ser fácil, viu? Por um instante eu me imaginei no lugar do Lukas... Recebendo uma ligação do seu tio, uma coisa que parecia boa, mas logo em seguida, é atingido por uma noticia ruim. Acho que a minha reação seria a mesma, só que diferente dele, eu cairia no choro kkk. Mas agora sim! Parece que a coisa está ficando interessante, hein? "Está na hora de começar uma guerra!". Ai, me emocionei viu? Próximo capítulo promete (o qual eu lerei amanhã, assim que eu acabar de escrever o meu capítulo kkk). Bem, é isso, Canas. Beijos!

    P.S.: Uma coisa que eu não entendi... Você deixou claro que os humanos não podem escutar a língua dos Pokémons. Mas quando o Gabite tentou falar com Lukas, ele estava em sua forma humana ou Pokémon? E como funciona esse esquema?

    ReplyDelete
  17. Oi, Rafinha! Nunca a vi comentando por aqui mesmo, (sem contar as tirinhas ou fanarts que você enviava né) e na realidade hoje mesmo eu estava conversando com um amigo seu que a mencionou, e acabamos caindo em você como o assunto principal. Foi muito interessante ver o seu nome na minha caixa de e-mails, muita coincidência. Tenho que admitir que há certos nomes que causam impacto pela reputação que possuem, e você é uma autora que há tempos eu tenho tido vontade de conhecer melhor. Espero que essa seja uma oportunidade para que possamos ir conversando mais! (:

    Agradeço os seus elogios, e costumo dizer que recebê-los de quem já escreve fanfictions é uma recompensa dobrada, porque é duas vezes mais difícil de agradar visto que essas pessoas possuem um olhar mais crítico para algumas coisas. Olha, vou ter que admitir que não é fácil olhar para os 1000 capítulos de Sinnoh e ter forças para ler, mas o que posso fazer? É a minha história né, as palavras vão fluindo e chega uma hora que a gente nem percebe! Tem que ter muita coragem para ler tudo, mas no fim das contas vai valer a pena, porque o mesmo esforço e compaixão que tenho para escrever vocês têm por ler. Duas coisas eu posso garantir: Ter sua presença por aqui será maravilhoso, e mesmo com o tamanho da fanfiction você acaba de entrar no melhor Arco dessa história. Se você gostar do que ver aqui acredite que a tendência é apenas melhorar, porque nessa etapa Sinnoh entra em um nível completamente diferente.

    Agora deixe-me contar o que aconteceu nesse final sobre o Gabite... Uma das dádivas das fanfictions é o poder das palavras. Vocês têm o poder de ver o que quiser ver e imaginar. Você me perguntou se nessa cena o Gabite estava em sua forma de Pokémon ou humana, e a minha resposta é que ele era as duas. Não é como num filme, desenho ou mangá onde você têm a visão do que acontece, daqui para frente é você quem formula o que você quer ver. Eu gosto especialmente dessa Parte 2 da Saga Diamante porque ela é o marco onde meus Pokémons deixam de ser Pokémons e passam a se tornar Guerreiros. Eu raramente os chamo de humanos. Eles são Pokémons, certo? Nunca poderão ser humanos! kkkkkkk Mas em minha mente eles sempre, sempre, sempre serão os maiores guerreiros de todos, pois é isso que eu quero ver. Tudo depende de você, sua mente e criatividade.

    Espero vê-la por aqui mais vezes, Rafinha, para que possamos conversar mais sobre nossas fanfictions e trocar uma ideia. Acho que você ainda tem muito a me contar, e eu também espero ouvir e aprender coisas novas com você. Estarei no seu aguardo, okay? Foi muito bom receber esse seu comentário, então agradeço-a com carinho! Um grande beijo! See ya! :D

    ReplyDelete
  18. Nossa... Nossa...Confesso que a coitada da Titânia foi completamente esquecida com esse episódio e.ê. Eu ainda estou triste com a saída dela, mas o sequestro do Luke mais que tampou qualquer brecha. Não cheguei a ficar triste com isso tudo, acho que realmente a intensão do capítulo não foi a de deixar os leitores tristes. Fiquei mais para surpreso, talvez perplexo, encabulado... A priori, as descrições desse capítulo estão no mínimo sensacionais. A cena do Archer conseguiu transmitir todas as sensações, todos os sentimentos e formular em minha mente cada detalhe do que ocorria, por isso pode dizer que você está de parabéns nesse sentido. Também achei impressionante a forma como você reverteu a situação do capítulo anterior, impondo como meta mostrar que os outros pokémons do Luke também são fortes, capazes de resgatar o próprio mestre e preencher a brecha da Titânia. Não sei se foi essa a sua intensão, mas transmitiu isso, e é algo bacana, realmente bacana.

    Nunca vi Pokémon tão determinado quanto o Gabite. Creio que ele será o quase protagonista desse arco, o que se empenhará para salvar seu mestre. Ou melhor, creio (até pq sou curioso e amo spoilers cof cof) que esse será o arco mais voltado para os Pokémons de toda a fic (será?) Hum... Ansioso e curioso.

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -