Posted by : CanasOminous Mar 16, 2012

Talvez aquela fosse apenas uma noite normal nas redondezas da base central dos Fire Tales, mas os integrantes da equipe nunca hesitavam em dar festas de boas vindas à novos visitantes, sendo eles guerreiros veteranos, tímidos, alegres, ou até mesmo aqueles que ainda não havia sequer nascido. Glaceon e Leafeon eram o casal do momento, em meio aos seus braços macios a felina de gelo carregava um amontoado de cobertores que protegiam um pequeno ovo que lutava para aquecer-se no corpo frio de sua própria mãe. Feebas, Gardevoir, Froslass, Titânia e Roselia estavam reunidas em volta da fogueira para apreciar do mais novo membro na equipe, dentro de algumas semanas haveria um lindo Eevee correndo pelo pátio e se divertindo nas florestas distantes. Não se falava em mais nada.
Glaceon era parabenizada por todas as fêmeas, Leafeon estava em meio aos machos que se divertiam com o momento delicado do amigo que parecia não saber muito bem como lidar com a situação. Gabite até brincava dizendo que ele nunca mais poderia participar das festas exclusivas dos machos, mas no fundo todos sentiam-se felizes pela grande conquista de um verdadeiro pai. Leafeon sempre foi um dos mais responsáveis da equipe, e por muito tempo educou Piplup como um próprio filho, mas aquela sensação era diferente, e simplesmente indescritível.
 Ahh, é tão lindo! Estou muto feliz por você, Glaceon. Aposto que será uma mãe tão carinhosa e dedicada quanto qualquer outra, por baixo desta tirania há uma moça espetacularmente zelosa. — disse Gardevoir.
Roselia e Shellos observavam atentamente o novo ovo que havia chegado, em breve ele seria mais uma criaça para que pudessem brincar. O filho dos felinos seria o terceiro, o segundo ovo ainda não havia eclodido, mas apesar de não ter uma mãe que ficasse ao seu lado o tempo todo, Gardevoir prestava todos os cuidados necessários para o pequeno filhote nas Casas de Cura.
 Então, eu nasci de um ovo? — perguntou Togepi com toda sua curiosidade
 Isso mesmo, querido, todos os Pokémons nascem de ovos. — explicou Gardevoir.
 E como exatamente os ovos surgem? — tornou a questionar.
A enfermeira deu uma risada descontraída e evitou a conversa:
 Ah... Não vamos entrar em detalhes por enquanto, querido.

Gabite ria da forma que Leafeon era quem parecia ser o mais envergonhado de todos. Ele sempre fora um Pokémon de família simples, mas se apaixonou por uma dama que o ignorava o plebeu como em qualquer relacionamento impossível. Por algum motivo, o destino traçou seus caminhos, Leafeon dizia que esse era seu objetivo em vida, levar aquela dama maldosa e invejosa para o bom caminho, e foi isso que fez durante toda a vida. Há muito os dois estavam juntos, e Glaceon sempre procurou uma família para que a sucedessem.  Piplup aproximou-se da felina e encarou o ovo:
 Então, supomos que eu vá ter um irmão? — perguntou Piplup.
 Vai sim, filho, será um pequeno Eevee. — disse Leafeon.
 É tão estranho essa sensação de ser o mais velho. Digo, terei que ensinar esse carinha a fazer todas as coisas importantes, como pescar. É estranho dizer isso, mas eu estou ansioso.
Foi então que Gabite saltou ao lado do pinguim e entrelaçou seu braço no ombro do companheiro.
 Poxa, irmãozito, esqueceu de mim? — disse Gabite.
 Sai daqui criatura das trevas!! Você já foi mandado para a adoção!
Hah, hah, hah... Fica tranquilo, Piplup, porque esse Eevee terá o melhor professor do mundo. Cara, vou poder ensinar todas as artimanhas para conquistar fêmeas, as cantadas mais fodas e, principalmente, estilo. Fuck Yeah, esse carinha vai ser um arraso.

Gabite saiu do meio de seus companheiro caindo na risada. No momento não havia muito o que fazer na base, pois todos estavam muito ocupados falando sobre famílias, parentes distantes, e relacionamentos passados. O dragão caminhou até a área do Salão Central, e deparou-se com Titânia que segurava seus braços de modo preocupado como se estivesse incomodada com algo. 
Gabite sentou-se ao lado da serpente e deu um soco em seu braço como de costume, naquela situação ele teria recebido uma cotovelada no queixo, mas não foi o que aconteceu. Titânia continuou parada.
Ihh, já vi que deu treta.  Normalmente você fica nessa posição quando alguém morreu ou quando outro guerreiro mais forte te derrota, mas nem lembro de ter te visto lutando ultimamente. O que aconteceu agora?  — disse Gabite.
Titânia evitou o rosto de Gabite e virou-se com pressa, fazendo um rápido sinal como se dispensasse a conversa.
 Eu estou bem, não é nada.— respondeu ela.
Para mulheres como Titânia, "Não é nada" tem o mesmo significado de "Alguma coisa está me incomodando e você ainda não conseguiu notar, babaca?". Os dois permaneceram em silêncio por um minuto, Gabite apoiou-se em seu joelho fitando cada detalhes daquele céu estrelado. O dragão era tolo demais para entender o sentimento das mulheres, mesmo que Titânia fosse completamente transparente naquele sentido.
Filhotinho bacana, não? O Leafeon que teve sorte, a Glaceon é linda. 
Eu queria muito ter uma família.
Gabite havia descoberto sem querer o que incomodava sua amiga, Titânia virou o rosto como se só então tivesse dado conta do que dissera. Só então o dragão pôde raciocinar, mas não podia deixar de fazer alguma brincadeira num momento oportuno como aquele.
Titânia? Você gosta do Leafeon?!
É claro que não, eu nunca iria gostar de um homem compromissado! — respondeu ela irritada.
Ué, e por que você está toda triste e solitária aqui?
Eu só fico incomodada com toda essa recepção calorosa que dão para o filho da Glaceon. Acho que eu sinto... é complicado dizer, — disse a serpente, fazendo uma longa pausa para prosseguir — Sinto que fico para trás.
Gabite levantou-se e colocou seu braço em volta do ombro da amiga. Apesar de ser espontâneo,  ele só fazia aquilo com pessoas que realmente confiava, e Titânia era uma das selecionadas. O dragão soltou uma longa gargalhada que quase fizeram com que seus óculos escuros caíssem.
Está todo emotiva hoje!! Hah, hah, hah! Poxa, se pelo menos você visse como você fica kawaii com essa expressão.
Idiota! — soco.
 Ouch... Esse aqui vai virar cicatriz. — disse Gabite com uma risada — Na moral, Tih. Agora falando sério. Por quê essa pressa? Tudo bem que machos são atraentes e sedutores, como eu, mas aprendi que não devemos ficar correndo atrás dos outros, temos que esperar acontecer!
Para você é simples, pode ter a mulher que quiser. — comentou Titânia.
E você não pode? Poxa, olha o tamanho dos seus peit... Digo, pra sua altura. Olha só o seu tamanho! Você também pega o macho que quiser, na base da força, é claro, mas pega! Não é isso que você está querendo?
Aquela conversa não parecia estar sendo muito produtiva. A serpente desencostou-se da parede e parou em frente a Gabite, dizendo com toda sinceridade possível:
Aerus, é muito mais do que fazer tudo pela força dos braços. Minha raça sempre foi focada nos treinos e batalhas, e isso me fez nunca pensar em outra coisa. Não tive a oportunidade de me apaixonar, de conhecer pessoas interessantes, tudo em minha vida até agora se resumiu em uma busca frenética por sonhos que não posso realizar. — disse Titânia entristecida.
Então quer dizer que você é B.V. — concluiu ele.
B.V.? E o que significa?
Tu num sabe? Ahh, lá! A Tih é B.V.!! Hah, hah, hah! Huh, huh, huh! Putz grilo, essa foi a maior revelação do século. — brincou Gabite, saindo pulando de onde estava para não ser pego, mas Titânia segurou o sujeito pela gola e jogou-o contra uma pedra e encarando-o com severidade.
Me fala o significado desta maldita gíria. Se você não falar, você morre. E se for mais uma dessas gírias ridículas da sua terra, você também morre.
Tem uma terceira opção? — perguntou Gabite, já retirando os óculos para que não fossem quebrados.
 Titânia simplesmente negou com a cabeça, e o dragão continuou a rir. 
Boca virgem.
E qual o significado disso?
Que você nunca beijou ninguém.
Titânia afundou Gabite na pedra e saiu de lá quase destruindo o chão que pisava, mas ainda se podia ouvir a risada abafada do dragão nas profundezas do mundo. A serpente ficava extremamente constrangida quando falavam de relações, ela nunca havia encontrado alguém que a completasse, e toda sua armadura era como uma proteção para o mundo distante. 
Titânia saiu para caminhar enquanto os outros membros continuavam a falar do ovo de Glaceon, no momento em que ela passou ao lado das outras mulheres Feebas chamou por seu nome, mas naquele grau de raiva que a serpente estava era melhor que não tivesse ouvido mesmo.
O que houve com a Senhorita Titânia? — perguntou Feebas.
Eu acho que ela deve estar com aqueles problemas amorosos entre ela e o Senhor Gabite... Devo admitir que sinto inveja da Senhorita Titânia, ela é tão bonita e cobiçada que poderia ter o macho que quiser. — comentou Glaciallis.
Ora essa, minha fofa. Você já tem um Militar charmoso, educado, cavalheiro, e  mais quente do que uma fogueira em brasas! Quer algo melhor? — brincou Gardevoir.
Todas as moças riram e continuaram suas fofocas produtivas. Conversas entrelaçadas em que todas discutiam das últimas tendências da moda Pokémon até os mais novos lançamentos nas cidades próximas e clãs de batalhas. Apesar de serem mulheres delicadas, ainda não deixavam de desempenhar suas habilidades como verdadeiras guerreiras.
Me diga, Tio Leafeon. Através de sua intuição de pai, será um menino ou uma menina? — perguntou Roselia.
É uma pergunta difícil, querida, não sei se eu seria capaz de respondê-la com clareza. Mas eu sempre quis ter uma menina, para vê-la crescer ao meu lado e ensinar todos os métodos da vida para que seja a pessoa mais feliz do mundo. — disse Leafeon.
 Aiiin, isso é tão fofo! Você encontrou um verdadeiro gentleman, Glaceon. Todas vocês encontraram um homem tão fantástico, o General Duskull, aquele fofo do Horsea, o meigo do Shellos. — dizia Gardevoir, olhando para o seu lado e vendo Togepi com o dedo no nariz — Só acho que eu não tive tanta sorte, encontrei um pentelho pra cuidar e levar pra passear.
 Eu acredito que quando duas almas gêmeas se encontram, elas se colidem para que uma complete o outro. Vejo o sorriso em seu rosto mais do que em qualquer momento quando está ao lado do pequeno Togepi. — assentiu Leafeon

•••

Enquanto todas as fêmeas se divertiam ao lado do educado Leafeon, Gabite finalmente havia conseguido fazer seu caminho para foda da cratera que Titânia o enviara. O dragão limpava seus tão amados óculos escuros, seu rosto ainda estava manchado do soco que recebera, mas pelo menos os óculos não haviam quebrado, e aquilo era o que importava.
Gabite caminhou até uma área onde o General Castelo Branco e Mikau conversavam sobre assuntos políticos e técnicas passadas. O dragão se espreguiçou e sentou-se sobre uma coluna de pedras.
Boa noite, Grande Gabite. Quais são as notícias? — perguntou Duskull.
Nada, cara. Tudo na mesma rotina de sempre. Tô cansadão.
Enquanto os mais velhos tinham suas conversas, as crianças corriam e se divertiam em volta. Assim que Pachirisu avistou seu grande amigo ele deu um rápido pulo em seu ombro, abraçando-o com o intuito de dar um verdadeiro susto como o dragão costumava fazer.
Te peguei, Gabite! — disse Pachirisu animado, empurrando o dragão como se brincasse de pega-pega.
Porém, quando o dragão recebeu o impulso, os óculos caíram de seu rosto e foram ao encontro do chão. Eles eram resistentes, mas talvez o longo tempo em que foram usados em batalhas tivessem desgastado-o, e ainda por cima, Pachirisu acabou por pisar acidentalmente em cima deles, fazendo com que os adorados Blackglasses partissem ao meio.
Duskull imediatamente pôde notar que algo diferente ocupou a feição de Gabite. Àquele ponto ele estaria rindo e já teria derrubado Pachirisu do outro lado, mas quando avistou os óculos quebrados sua reação foi completamente diferente, envolta em surpresa, angústia, e raiva. Pachirisu notou no mesmo instante que tinha quebrado algo que seu amigo gostava muito, e por isso sentiu-se extremamente constrangido.
D-Desculpa, Gabite. Eu queria brincar com você, não foi minha intenção...
Dá o fora daqui. 
Gabite não fez nem questão de olhar para o rosto do pequeno, não se importou com seus sentimentos. Apenas virou a cara e recolheu os restos do óculos caído. O esquilinho estava muito entristecido.
Pachirisu recuou de primeira instância ao ouvir palavras tão grosseiras vindo da boca de alguém que tinha tanto apreço. Até mesmo Mikau se surpreendeu com a reação, e Gabite claramente não estava brincando.
Me desculpa, Gabite! Foi sem querer!
O dragão levantou-se e encarou o esquilo de modo severo, dirigindo-se ao pequeno com muito ódio a ponto de gritar, embora a situação em volta não permitisse que ele explodisse de raiva.
 Pachirisu, só... Dá um tempo! Sei lá, vai brincar, mas não fica na minha frente. Que droga.
Os olhos emotivos de Pachirisu se encherem de lágrimas e ele correu para dentro das Casas de Cura que não eram ocupadas no momento. Duskull repreendeu a atitude de Gabite, que como líder e irmão mais velho teria de conversar com o pequeno Pachirisu de modo humilde e singelo, afinal, ele ainda não passava de uma criança.
 Não foi a atitude correta, sabe disso. — disse Duskull.
Cara, eu só... Olha, General, eu fiquei irritado, foi só isso. Tenho somente esses óculos escuros, e eles são os meus favoritos, mas agora estão em pedaços.
O fantasma nem mesmo pediu licença para sair de lá. Foram poucos minutos para que ele logo voltasse com o jovem Machop ao seu lado, o carpinteiro da equipe. Com suas mãos ágeis e mais desenvolvidas para respectivas artes, Machop emendou facilmente as dobras dos óculos e consertou-os perfeitamente.
Aqui está, General Duskull. Teve sorte da lente não quebrar. Só está meio riscada, mas isso dá para trocar. Já está novinho em folha. — disse Machop.
Duskull agradeceu o rapaz num gesto honroso e pegou os óculos com enorme cuidado, mas na hora de entregá-los nas mãos de Gabite foi quase que um soco em direção de seu peito. O militar não precisou dirigir muitas palavras ao companheiro, mas a essência daquela mensagem se estancara no coração do dragão como uma faca.
 Pegue o seu par de  óculos, e vá comprar o seu amigo.
Gabite saiu correndo no mesmo instante. Ele havia magoado a pessoa que mais amava, mesmo que Pachirisu tivesse se arrependido e pedido desculpas, ele apenas esperava que não fosse tarde para que ele pedisse pelo perdão do pequeno esquilo.


• • • 

Pachirisu estava sentado abraçando seus próprios joelhos atrás do balcão. De seus olhos inchados caíam algumas lágrimas pela forma rude como Gabite o tratara, e agora ele se sentia culpado por aquilo. Enquanto o esquilo se lamentava, ele virou-se para o lado e viu o pequeno ovo de seu treinador. Não o filhote de Glaceon e Leafeon, mas um ovo mais antigo que a cada dia parecia mais próximo de nascer. No momento Gardevoir estava ocupada com o filhote recém chegado, embora o outro ovo ainda recebesse todo o carinho e cuidados possíveis. Pachirisu observou o ovinho por alguns instantes e o abraçou.
 Acho que nós dois estamos sozinhos nesse mundo, não é? Sinto saudades de minha família, acho que não gostam da minha presença aqui...
 Você nunca está sozinho, tem amigos para isso. — disse uma voz que parecia vir do ovo.
O esquilo conversava sozinho, mas se surpreendeu ao receber uma resposta. Não lançou o ovo para longe pelo simples fato dele ser muito delicado e frágil, mas quando olhou para trás pôde ver uma sombra apoiada nas paredes do salão como se apenas mantivesse a guarda.
Pachirisu não se assustou, e antes que pudesse dizer qualquer coisa a sombra se manifestou.
 Por quê chorava, pequeno? — perguntou a sombra.
 Briguei com meu irmão. — disse ele entristecido, limpando o rosto e em seguida olhando para a sombra mais atentamente. O pequeno Pachirisu se levantou e disse co sua voz delicada:
 — Não é a primeira vez que o vejo, você é o Murkrow que trouxe este ovo para nosso Mestre.
A sombra deu um rápido passo para frente, evidenciando um pouco de sua face. Ele usava um chapéu fedora e longas roupas pretas na escuridão, em seu rosto ele tinha uma cicatriz vermelha como o sangue na altura do olho esquerdo. O sujeito apoiou-se com um dos joelhos ao lado do ovo, e tocou-o com enorme suavidade.
 Me foi dado o dever de proteger este ovo até o dia em que eclodisse, eu não sei o que virá a nascer, mas sei que meu dever é continuar protegendo-o como sempre fiz. — disse Murkrow.
 Eu nunca havia visto o Senhor pessoalmente, nem mesmo podia ouvir seus passos quando o silêncio profundo tomava conta do acampamento, mas eu sempre soube que alguém estava aqui.  — disse Pachirisu, vendo o corvo encará-lo de modo sereno — Então é por isso que o Senhor aparece todas as noites. Para cuidar do ovo.
Murkrow permaneceu em silêncio por um minuto, mas logo acertou seu chapéu em sua cabeça e olhou para o esquilo com um sorriso singelo.
 Tenho a permissão de cantar uma melodia?
Pachirisu fez um rápido aceno, e assim, a voz melodiosa da sombra pôde ser ouvida. Não era uma música comum, mais parecia uma canção de ninar para filhotes. Apesar de parecer uma criatura misteriosa, aquele sujeito era extremamente atencioso com os menores, principalmente quando lhe incumbiam de algum serviço.

“Não tenha medo, pare de chorar
Me dê a mão, venha cá
Vou proteger-te de todo o mal
Não há razão pra chorar

No seu olhar, eu posso ver
A força pra lutar e pra vencer
O amor nos une para sempre
Não há razão pra chorar

Pois, no meu coração,
Você vai sempre estar
O meu amor contigo vai seguir”

Assim que terminou a canção, Murkrow tocou novamente sobre o topo do ovo ao seu lado. Aquela canção havia sido boa tanto para Pachirisu quanto para o filhote qua ainda não havia nascido. O choro já não tomava o coração do pequeno, e muito menos a tristeza. Ele voltaria a falar com Gabite e pediria desculpas pelo que fizera. Murkrow olhou para o esquilo e disse com um sorriso:
 Nos vemos em breve, tenho certeza disto.
Não demorou para que Gabite encontrasse seu amigo felpudo dentro das Casas de Cura, o dragão deu um salto e caiu de joelhos em frente ao esquilo, choramingando num sentimento de arrependimento e alegria.
 B-B-B-Bola de pêlos!! Me desculpa por ter sido ignorante com você aquela agora, me desculpa de verdade!! Nunca me senti tão mal, me desculpa!! — dizia Gabite, ajoelhado em frente ao seu amigo.
Pachirisu agachou na altura do rapaz e então abraçou Gabite de modo repentino. A canção de Murkrow havia feito todo o efeito em sua mente, ele agora estava feliz em poder ver seu grande amigo Gabite recuperado como antigamente.
 Me desculpa também, Gabite. Eu não queria ter quebrado os seus óculos!
 Foda-se os óculos cara, sua amizade é mais importante! Chega aí, irmãozinho. Vamos voltar para a base e encontrar o resto do grupo. — disse Gabite, levantando o pequeno Pachirisu e colocando-se na altura de seu ombro.
Ao voltar-se para trás, Pachirisu já não podia ver mais a presença de Murkrow na sala, tudo que via era o ovo solitário em meio aos berços quentes de palha, embora o esquilo soubesse que aquele ovo jamais estaria sozinho. Ele deu um rápido aceno, pois sabia que o valente Murkrow estaria ao lado daquele filhote todos os dias para cantar melodias e fazer companhia. Afinal, nada poderia substituir um carinho involuntário ou uma amizade verdadeira.
Image by: Leeca

{ 12 comments... read them below or Comment }

  1. Show o fire tales car muito emocional ,será que a tih gosta do aerus?(hoje não tem cap 31?).

    ReplyDelete
  2. Eae, pessoal. Bom, estou aqui para já dar um rápido aviso aos navegantes pela postagem do Capítulo 31. Eu tinha planos de trazer esse Fire Tales na quarta feira, mas alguns imprevistos fizeram com que eu só o postasse na madrugada de sexta feira, então quero dar um tempinho para que vocês possam ler este especial para depois postar o Capítulo 31 (:

    O Capítulo já estará sendo disponibilizado no sábado, mas dependendo do meu humor variável por comments eu posto hoje de noite antes de voltar pra minha cidadezinha kkkk Então é isso gente, espero que curtam a leitura desse Fire Tales que ao meu ver ficou muito bacana, ele trás a aparição de um Pokémon misterioso e ainda retrata muito os sentimentos do grupo. Abraços, gente!

    ReplyDelete
  3. Ow my Arceus! Canas, esse foi um dos melhores Fire Tales até agora! Fiquei muito tocado com a pequena lição de amizade );
    Começamos com uma pequena reunião entre machos e fêmeas né? E o assunto do momento: O filhinho do Leafeon e da Glaceon. Que gracinha cara! Aposto que logo vai nascer, e teremos um Eeveezinho correndo pelo pátio da guilda, ao lado do Pachirisu, Roselia e Shellos.
    E falando nisso... Titânia está solitária? Que isso minha dama de pedras... Tô aqui disponível! Mas não sei por que, tenho a leve impressão que a Titânia inda vai ficar com o Aerus... Ou o Aggron.
    E véi... falando no Aerus. Que pisada na bola eim? Deu mais valor aos seus miseros óculos pretos do que ao irmãozinho. Tá ficando pior que minhas irmãs!HUAHUHAUHUAHUHAHA
    E o Murkrow do Marshall foi até a base olhar o ovinho? Hum... Eu sinto que esse Murkrow ainda fará parte do time do Lukas- kun.
    Achei muito bonito o modo com que o Pachirisu e o Gabite fizeram as pazes.

    E aliás, mande meus parabéns para nossas talentosas desenhistas Litos e Leeca. Os desenhos delas ficam cada dia melhores, e sua escrita também! ^^
    Sse ya /õ/

    ReplyDelete
  4. Poxa Canas, que mega capítulo! Admito que ao falar de se tratar de romances entre Pokémons eu fiquei meio na dúvida, mas agora em ver na prática eu achei muito criativo, ver que até os Pokémons tem seus dilemas amorosos é muito show, Glaceon e Leafeon como um casal? Hm, isso vai ser duro, quero ver agora como a mãezona vai prosseguir, vai continuar nessa "metidez" ou vai mudar a personalidade e.e? E agora temos umas possíveis idéias de casais. Gardevoir e Togepi? O_O Será que quando esse pequeno crescer e virar um grandioso Togekiss (uma das criaturas mais show *0*) vai conquistar o coração de nossa linda dama, ou outro membro virá e cativará ela? VIXI! TITÂNIA É BV? Extra extra, revelação da Onix Titânia vira o mundo dos Fire Tales de ponta cabeça! Hahaha brincadeira, mas quem diria, acho que o Aerus pode cativar esse lado sentimental dela... Só sei que quando a nossa querida Onix tiver sua primeira vez você vai retratar de forma especial *-----*. Bom, acho que é só cara. Ahh, e esse jeito do Aerus e do Pachirisu lembra muito de mim e de meu irmão acredita? Poxa, hoje eu tive essa impressão quando eu li, intrigas, brigas, mais no fim eu sei que não substituiria ele (talvez ele me substitua, mas não o culpo ;P). Parabéns Canas, foi um dos melhores Fire Tales na minha opinião! Até mais o/

    ReplyDelete
  5. Realmente um dos melhores Fire Tales, foi muito bom mesmo, nao sei se os outros perceberam mas essa musica é do Tarzan, certo?

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ehh brother, musiquinha do Tarzan mesmo! Cara, eu adoro Phil Collins, e não poderia perder a oportunidade de colocar mais uma de suas participações em minhas fics. A primeira foi Another Day in Paradise, no especial da Dawn, e agora You'll be in My Heart. Música são magníficas, não? Agradeço imensamente seu elogio cara, abraços!

      Delete
  6. 5M-0N
    Vou comentar cada um dos comments ai /\/\

    Venusaur JN: Cara todo mundo se emocionou, dava até pra arranca lagrima de uma pedra (O.O)

    Snow Blaziken: Cara é um romance bem provável, acho que no futuro poderá até ter um onix ou gible pro luke cuida como ovo... quem sabe...

    Canas Onimous: POSTA! POSTA! POSTA! Cara e essa de cidadezinha? tava de viajem?

    Thiago-Senpai: Cara ainda não sei... só se de repente o Marshall sair do beco do togepi e ele da pra ele... quem sabe... Aggron? Essa é nova! e a Tih pode ficar com outro onix ou com o gabite(garchomp), quem sabe... e esse Eevee ainda vai trazer problemas kkk! É verdade... Míseros óculos escuros... leva 5 conto num brechopi brega e compra um marca xik farsa!

    Haos Cyndaquil: Cara essa de BV é louca mesmo... kkk e afinal Togepi com Gardevoir? Não... bem improvável por diferenças de idade... mas é que nem a Selena com o Ike no especial da elite, bem improvável, mas nenhuma idéia pode ser descartada!

    Anônimo: Agora que você disse, eu vi a música e parece que eu ouvi no filme outro dia também...

    Meu comentário(ALELUIA!): Cara emocionou tanto esse cap... meu irmão é que nem no caso do Haos... acho que acontece comigo também...
    Canas Onimous OU Nícolas Eroles EU ESTOU MANDANDO VOCÊ POSTAR O CAP HOJE! LOL! KKK!
    É serio torço para sair ainda antes... :D
    Imagino o que vai vim nos próximos FT: Grandes zonas entre Steelixa e Garchomp, guerra entre Leafeon e Glaceon pra quem ele vai evoluir(e eu já tenho certeza absoluta pra qual ele evolui! Fuça aí nas coisas antigas que você acha muitas respostas!), bem, vai virae GUERRA!!
    FUI! 5M-06F

    ReplyDelete
  7. Cara, este Fire Tales ficou muito bom, fazia tanto tempo que eu não lia nada que ele me arrancou boas risadas kkkkkkk Adorei a parte do BV com a Titânia (se vc quiser perder, vem cá querida estou disponível kkkkkkkkkkkkkkk que sonho!!! Já tenho dona, né Glaciallis kkkk)
    Imaginei perfeitamente a montoeira de fêmeas futricando kkkkk, é quase como aqueles chás de bebês que os homens não suportam, fica todo mundo falando “Como sua barriga é linda” (Meuuuu, a barriga da mulher tah enorme e cheia de estrias, e vc ainda acha que está bonita?), ou “Que bebezinho lindo” (na real, parece um alien que fica babando). Mas não tenho nada contra mulher grávida ou crianças, só acho que ambos enchem o saco kkkkkkk.
    A parte do Pachirisu com o Gabite arrebentou!! Foi uma conversa muita rápida, muito parecida com as brigas de amigos mesmo kkkkkk Canas, você é um mestre da literatura, imagina se a sua fic fosse cair no Vestibular? Eu estaria realizado kkkkkk
    Meu... como aquele anônimo lembrou que era a musica do Tarzan? Eu li e re-li a musica varias vezes!! Eu sabia que já tinha escutado ela em algum lugar do mundo, e sabia que ela estava no meu subconsciente, ai quando soube que era do Tarzan fiquei realizado!!
    E cara.... tem um monte de casal formado que eu não havia notado! Mikau e Feebas, Gabite e Titânia, Leafon e Glaceon, Gardevoir e Togepi e a Glaciallis com o Archie, dentre outros que eu devo ter esquecido!!
    A escrita do Fire Tales, como sempre, está ótima! Sempre com uma mesma linha de pensamentos, cheios de surpresas. Canas não vejo a hora de ler os próximos capítulos!

    Flw mano

    ReplyDelete
  8. Oi Archie,é o anônimo(a vá)que falou sobre a música do Tarzan,cara vc não faz idéia de quantas mil vezes eu vi o filme do Tarzan,eu praticamente sei de cor essa música.Agora que eu reli novamente esse Fire Tales,aquela parte que a Gardevoir fala sobre os homens:"Aiiin, isso é tão fofo! Você encontrou um verdadeiro gentleman, Glaceon. Todas vocês encontraram um homem tão fantástico, o General Duskull, aquele fofo do Horsea, o meigo do Shellos." ela também fala do Shellos,isso quer dizer que pode ter uma possível relação com o Shellos e a Akebia(Roselia)??

    ReplyDelete
  9. Cara, desenhos animados são... Tipo, show de bola!! Eu também adoro, é muito bom ver que o pessoal ainda curte esse tipo de coisa, minha infância será eterna, adoro os filmes em CG atuais, mas não escondo que para os caras fazerem toda aquela ideia de movimento somente por meio de desenhos era, simplesmente, surpreendente. Ah, e essa questão do Shellos e da Akebia você notou bem! Os dois são só criancinhas, mas notou que estão sempre juntos? Seeeempre cara, sempre. Acho que não tem um único parágrafo que eu fale dos dois que eles não estejam juntos, e por sinal, eu adorei você ter citado isso. A participação dos pequenos ainda não começou. Roselia, Pachirisu, Shellos, Chimchar, Togepi... No dia que eles crescerem, ai sim esses baixinhos vão arrasar! Shellos e Akebia, esses dois se adoram muito, mas por enquanto é uma paixão de criança. Eles ainda terão um Fire Tales só para eles, e se minha memória não me falha, é o próximo! Abraços, companheiro!

    ReplyDelete
  10. É, Canas. Mais uma vez você mostrou como sabe trabalhar bem com o tema "amizade" nas suas histórias.

    Fez muito bem em mostrar a postura de justiça do Castelo perante a atitude repreensível do Aerus. E também um momento mais sentimental da Titânia, o que é interessante. Sabemos que ela é muito mais que uma guerreira notável, mas ela precisava desse tipo de momento para certificar esse lado mais sensível que ela possui.

    Está de parabéns Canas. Até a próxima!

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -