Posted by : CanasOminous Nov 23, 2012

Cerca de uma hora antes da sirene ser ouvida por Aerus e Watt no terraço da Ilha de Ferro, seus companheiros de equipe ainda buscavam por Luke, mas não obtinham muito sucesso. Reinava um profundo silêncio nos arredores do Setor 4, sua quietude era tanta que o vento no corredor passava zunindo sem interferências. Um estranho clima começava a pairar trazendo a sensação de que algo maior estava por vir, era o suspiro antes do mergulho, e muito em breve a onda de sua repercussão seria catastrófica.
Uma moça jazia sentada sobre uma mesa em uma sala destroçada, as paredes caiam aos pedaços e o chão era manchado por pegadas da poeira que fora deixada de uma intensa batalha. Eleanor estava de pernas cruzadas e alguns medicamentos em mãos, tentava segurar com a boca a bandagem sobre uma das queimaduras em seu ombro e na medida que os remédios ardiam ela não escondia um gemido de dor. 
— O-Ouch... — gemeu Eleanor, não escondendo certo prazer ao deparar-se com a dor daquela ferida. A queimadura lhe trazia lembranças de um encontro suave com aquela moça de cabelos curtos. Sua batalha contra Wiki deixou feridas por conta do elemento fogo do Hidden Power, mas era uma dor suportável e com um pouco de cuidado ela esperava levantar-se daquele local e fugir para muito longe, onde nunca mais pudesse ser encontrada.
Ao terminar de limpar os ferimentos deitou-se com os braços esticados no chão de pedra, encarando o teto de sua sala de tortura por um longo tempo. Lentamente Eleanor fechou os olhos e começou a tentar imaginar como seria sua vida fora daquele lugar, mas seus pensamentos foram interrompidos no momento em que passos chegavam cada vez mais próximos de onde ela estava.
A mulher mal pôde se levantar, preferiu ficar em silêncio e aguardar que o destino a levasse fosse quem estivesse para chegar àquela sala, mas surpreendeu-se ao notar um sujeito carregando uma menina amarrada em suas costas. A princípio Eleanor pensou que ele fosse algum tipo de criminoso, mas ele e a garota conversavam calmamente enquanto caminhavam pelos corredores e só pararam quando a menina gritou:
 YOSHIKI, PARA!!! Volta, volta, volta!!!
 Keh, heh, heh... O que foi? Encontrou alguma coisa? — perguntou o rapaz.
O sujeito voltou de ré enquanto a menina em suas costas observava os objetos de tortura na sala de Eleanor. Seus olhos brilharam numa intensidade mágica enquanto ela apontava para aqueles equipamentos e seu parceiro apenas ria. Eleanor forçou para levantar-se e só então aqueles dois notaram sua presença.
 O que estão fazendo aqui? — indagou a Pinsir.
 Ali, Yoshiki! É a dona da loja, fala que vou levar TUDO!! — gritou a menina.
Eleanor arqueou a sobrancelha e não escondeu uma risada ao ver a empolgação da pequena. Era uma Yanma e um Croagunk, os dois pareciam ser mais visitantes do que guerreiros envolvidos em uma terrível batalha contra uma facção criminosa. A Yanma se debatia de alegria nas costas de seu companheiro enquanto ele fitava Eleanor com certa curiosidade. Eleanor estendeu o braço em direção de Jade e comentou com indignação:
 Mas o que você pensa que está fazendo ao deixar essa pobre garotinha amarrada assim?
Ela caminhou em direção do Croagunk e tirou a menina de suas costas, desfazendo os laços com as cordas. Em seguida ela deu dois rápidos nós, suas mãos eram entrelaçadas com precisão demonstrando clara experiência no assunto, ela enrolou a ponta da corda em volta de uma parte já esticada fazendo com que dessa forma a pressão segurasse a ponta no lugar, mas ainda sendo rápido de se soltar. Ao terminar deu um forte puxão que fez Jade gemer.
 Ai...!! 
 É assim que se faz um nó. — respondeu Eleanor com convicção, voltando a colocar a pequena Jade nas costas de seu companheiro. Yoshiki ficou a fita-la com certo interesse e não hesitou ao perguntar:
 Keh, heh heh... Vejo que você conhece do assunto.
 Bem, modéstia a parte, mas sou uma veterana nesse aspecto, mesmo que eu tenha ficado muito tempo sem treinar ainda aprendi alguns truques com cordas quando estou sozinha. É bem interessante, vocês iriam adorar.
 Sério?? Oh, puxa, puxa! Yoshiki, podemos levar ela conosco?! — indagou Jade animada como uma criança em uma loja de animais, pronta a levar um bichinho.
 Vamos com calma, não podemos esquecer de nossos deveres primeiro. Temos de resgatar o humano, e depois voltamos aqui na loja para escolher tudo que você quiser. — respondeu o Croagunk, mas sua amiga ficou muito chateada com a notícia.
 Ahh, e se não der tempo? Eu vou ficar com vontade... — disse Jade.
 Então vamos levá-la agora. Ei, mulher, você vem com a gente.
 Vocês estão achando que sou o que? — retrucou Eleanor apoiando as mãos na cintura.
Yoshiki ergueu a barra de seu kimono e revelou um kit completo de facões perfeitamente afiados. Seu rosto macabro continuava a encarar Eleanor com certa malícia e a mulher mal pôde esconder uma risada rasteira de seus lábios carnudos de cor escarlate.
 Ela pediu. Você vai.
 Ora, ora. Para um homem você é bem interessante. Acho que estou começando a gostar desses dois.
Eleanor não hesitou em juntar suas bagagens para seguir aquela peculiar equipe de viajantes. Mal ela sabia que eles eram companheiros de Wiki, sua grande inimiga, mas a conversa com aqueles dois jovens logo se estendeu tornando-se mais interessante na medida que eles caminhavam pelos corredores do quarto setor. Jade continuava sendo carregada nas costas de Yoshiki enquanto Eleanor vinha logo atrás encarando-a sorrir e divertir-se com suas histórias malucas.
 Então, diga-me uma coisa, desde quando vocês são amigos? — perguntou Eleanor.
 Ahh, eu e o Yoshiki morávamos no Great Marsh ao sul da região. Nos conhecemos num dia em que cai em uma armadilha de um humano e fiquei pendurada nos galhos de uma árvore. Ele me resgatou e preparou-se para ir embora, mas pouco depois cai em outra armadilha e ele me soltou de novo. E foi assim por umas duas semanas até que ele decidiu ser o meu guardião.
 Hm, você deve ter uma queda por ficar pendurada assim. — brincou Eleanor.
 É divertido, mas tudo vem a um preço! Ele pediu a minha orelha em troca, mas eu me neguei a dar para ele e fugi. Já te falei que o Yoshiki não tem o dedo anelar da mão direita?
 Como é? — indagou Eleanor com uma risada.
 É isso mesmo! Ele disse que não precisava dele para nada, então cortou. Acho que foi bom porque isso deu uma maior facilidade em manusear facas, ele tem um equipamento retrátil de facões que só funciona sem esse dedo, ele pode injetar veneno nos inimigos enquanto ativa uma lâmina escondida!  Mas isso é segredo, tudo bem? Então, daí nós começamos uma caçada louca durante um tempão e só parávamos quando eu caía em alguma armadilha de novo, mas no fim nos tornamos grandes amigos e tudo terminou bem quando o mesmo treinador capturou os dois!
 Keh, heh, heh... Claro, depois de você espernear, correr atrás dele, quase enforcar o garoto com seu cachecol e obrigá-lo a te capturar... — respondeu o anfíbio com uma risada sinistra.
Eleanor não pôde conter o riso com a história daqueles dois jovens, ver o sorriso da doce Yanma era contagiante e seu parceiro sádico deveria ser um companheiro muito interessante de se ter ao lado. Jade contou-lhe sobre as guildas, sobre os Fire Tales, chegou inclusive a mencionar que Wiki fazia parte de sua equipe, e ela surpreendeu-se ao ouvir o convite que se prosseguiu:
 Ei, ei! Erina-chan, você não quer entrar em nossa equipe também?
Eleanor levou a mão até o peito, seus olhos cor de mel tomaram um brilho especial e apesar das palavras não saírem seus gestos mostravam que ela estava um pouco acanhada pela oferta.
 Mas, e se não me aceitarem como sou?
 Keh, heh, heh... Moça, estamos falando da Fire Tales.  — assentiu Yoshiki.
 Naquele lugar não importa se você é homem ou mulher, ou até mesmo os dois; se é alto ou magro, covarde ou justiceiro, um monstro ou uma fofura, inteligente ou fracassado, liberal ou acanhado; essa é a nossa família, e nós aceitamos nossos membros como eles são. — respondeu Jade.
Eleanor fitou-os incrivelmente surpresa, sentiu algo que há muito tempo não sentia, suas memórias diziam que ela já tinha vivenciado aquilo, mas ainda não era capaz de se lembrar. Mesmo sendo um clone a moça pôde sentir emoções tão fortes quanto de qualquer outra criatura viva, chegou a desejar aquele convite de todo o coração e faria o possível para fazer parte daquilo que os extravagantes viajantes chamavam de família.
 Mas se desejarmos voltar para nossa equipe temos de encontrar nosso treinador antes, caso contrário corremos o risco de não nos ver novamente... — disse Jade um pouco chateada.
 Treinador?! Está falando do garoto de boina que foi aprisionado pelos humanos? Eu sei exatamente onde ele se encontra, posso levá-los para lá se desejarem!! Venham comigo, não podemos perder mais tempo!
Eleanor agachou e agarrou tanto Croagunk quanto a Yanma em suas costas. Ela imediatamente começou a contornar os sinuosos corredores daquele labirinto e não olhou mais para trás. Jade e Yoshiki haviam encontrado uma parceira em potencial, e para melhorar, que compartilhava de gostos muito parecidos.

Setor Zero

Uma fumaça negra ofuscava o campo de visão, e na medida que Marshall subia os andares um mormaço ardente podia ser sentido nas paredes de aço. O Setor Zero era o mais perigoso da base e fora desativado desde os tempos em que um terrível acidente cobriu os laboratórios dos Rockets. Ele se interligava com todos os outros setores de alguma maneira, era o mais longo de todos e agora servia como a passagem final do policial e sua equipe. Marshall tinha sua arma em mãos, era guiado por seu Honchkrow na medida que Pokémons clonados erguiam-se em seu caminho para atrasar seu progresso. Dawn escondia-se atrás do homem conforme via aquelas criaturas horripilantes sem alma, muitas tinham deformações e aparentavam ser verdadeiras aberrações para os olhos humanos.
— Senhor Marshall, o que aconteceu com este lugar?
— Infelizmente não sou capaz de dar-lhe a resposta, senhorita Manson. Tanto que este lugar não era de conhecimento da Polícia Internacional até nossa atual situação. Creio que os peritos em investigação terão muito para descobrir a respeito destes criminosos, e tenho certeza que dessa vez poderemos colocar um fim definitivo ao legado de terror que os Rockets vêm disseminando há tantos anos.
Marshall foi interrompido no instante que viu uma sombra aproximar-se com velocidade em sua direção. Ele ergueu sua arma contra a criatura, mas imediatamente a abaixou quando avistou um Murkrow ensanguentado voar com dificuldade e cair em sua frente quase inconsciente. Dawn imediatamente o reconheceu, aquele era o Murkrow de Lukas; e Marshall era o homem que havia incumbindo-o de proteger o garoto. Vê-lo naquela situação lastimável dava-lhe o pior dos pressentimentos.
 S-Senhor, este é um dos Pokémons do Lukas, veja o estado dele!! — gritou Dawn apavorada.
Marshall pegou o pequeno corvo em seu colo tentando compreender o que havia acontecido com ele. Al Capone não passava de um mero espião ao lado do grandioso Honchkrow do homem, aquele era o verdadeiro líder de todos os corvos da espécie, mas até mesmo ele surpreendeu-se ao ver um de seus melhores integrantes derrotado daquela maneira. Marshall sabia que aquele não era o melhor lugar para fazer curativos, mas quando tentou dar qualquer medicamento para o Pokémon o Murkrow esperneou e levantou-se até cair no chão.
Marshall tinha sua atenção fixada nos olhos vermelhos da criatura, sua cicatriz ardia como uma queimadura e suas asas manchadas por sangue já não exalavam a glória de seus dias de ascensão.  Al Capone voltou-se para seu velho treinador e o encarou com olhos profundos, tão profundos e centrados que eles pareceram estabelecer uma conexão mental naquele instante.

Eu não desejo mais fugir. Não desejo mais esconder-me nas sombras. Fortaleça-me.”

Marshall soltou um suspiro.
— Você percebeu que não é mais capaz de proteger aqueles que deve, não é? — perguntou Marshall, não esperando uma resposta do Pokémon — Os inimigos daqui para frente são de uma força muito superior, e você também deve chegar ao nível deles.
Al Capone sempre evitou a evolução, desde quando ainda pertencia ao ex-elite. Ele poderia ter sido facilmente cotado como o braço direito do líder se ele bem desejasse, mas preferia uma vida nas sombras à glória de sua evolução. Marshall colocou a mão no bolso retirando assim um artefato raríssimo conhecido como Dusk Stone. O policial olhou atentamente para o corvo que sangrava mal conseguindo manter-se de pé, mas ainda lutava para não perder sua posição e a determinação em recuperar a honra que lhe fora tirada.
Subitamente pôde-se ver uma criatura ao fim do corredor. Dawn caiu no chão ao tentar esquivar-se de uma parede que ruía quando todo o andar começou a estremecer. Do outro lado havia uma legião de  Pokémons clonados, parecia que os Rockets haviam liberado todas as suas criaturas naqueles últimos instantes para que com a confusão eles tivessem alguma chance de escapar, mas a polícia não permitiria que aquilo acontecesse mais uma vez. Uma intensa batalha se aproximava, e para isso os humanos deveriam contar com toda a ajuda possível. Marshall levou a pedra negra em contato ao Pokémon, suas palavras pairaram no ar:
          Fortaleça-me.
O corpo do Murkrow foi coberto por um brilho luminescente e todo o andar foi coberto pelas sombras que o consumiram. Marshall ergueu-se e esticou o braço vendo seu Honchkrow pousar com a suavidade de uma pena. Um Tropius inimigo liderava a manada descontrolada de Pokémons clonados, as criaturas avançavam contra os treinadores numa fúria incontrolável, mas quando duas sombras juntaram-se elas pareceram criar um par de asas negras atrás de Marshall, revelando assim dois Honchkrows de poder surpreendente.
Marshall não precisou dizer nada. Apenas esticou os dois braços para frente e o vento foi criado na medida que as sombras avançavam. O Honchkrow de Marsall voou como uma lança perfurando seu oponente com o Brave Bird, enquanto Al Capone liquidava as criaturas ao redor com o Superpower abrindo uma passagem estreita para seus treinadores.
— Vamos, garota! Não temos muito tempo!
Dawn correu para acompanhar o policial na medida que os dois corvos os protegiam. Eles se aproximaram de uma escadaria, mas os Pokémons que os perseguiam não paravam de surgir. Marshall mandou a menina subir enquanto ele voltou-se para trás e derrubou com um chute as criaturas desprovidas de alma. O homem lançou um rápido olhar para Al Capone e indicou uma saída aos fundos.
— Vá. Está na hora de você cumprir a sua obrigação.
O corvo da máfia passou zunindo como um arco e não importou-se com ninguém que ousava ficar em sua frente. Marshall, por sua vez, comandou que seu Pokémon fosse aos poucos retornando na medida que eles subiam os andares. Ele fechou uma porta com força torcendo para que aquilo impedisse as criaturas de chegarem até eles por um tempo. Jogou alguns móveis velhos no chão e empurrou-os para frente, impedindo a passagem até mesmo da maior das criaturas por alguns minutos. Dawn olhava para aquela sala atentamente, parecia ser um dos locais mais altos da base e tinha uma bela visão para o mar. Uma longa mesa de reuniões estava manchada e empoeirada, e nos cantos armários e documentos pareciam ter sido abandonados há muito tempo. Dawn olhou tudo com velocidade e afirmou:
 Senhor Marshall, achei uma saída!
O homem virou-se ao ouvir a garota e imediatamente correu para checar tal afirmação. Havia, sim, uma saída, mas estava trancada. Retirou a gravata do terno e revelou um clips no bolso começando a tentar abrir a cadeado numa velocidade impressionante, mas foi obrigado a parar quando ouviu uma ameaça vindo de trás:
— Parados!!
Marshall lentamente fechou os olhos e virou a cabeça. Um sujeito estava escondido naquela sala e agora apontava uma arma para os intrusos com enorme apreensão. Marshall olhou para o rapaz e arqueou a sobrancelha. Ele era jovem, mas tremia tanto com aquela arma na mão que era ele quem parecia estar mais assustado, mas em situações como aquela são os descontrolados que podem apresentar o maior perigo. Marshall não tinha como pegar sua arma e foi obrigado a render-se junto de Dawn.
— O que faz aqui? — perguntou Marshall.
— E-Eu sou o novo executivo dos Rockets, meu nome é Wilson!! São vocês que invadiram nossa base e destruíram todos os nossos planos, não permitirei que saiam daqui com vida!!
— Meu jovem, você sabe que isso que está segurando é uma arma, não? — disse o policial não escondendo certo sarcasmo, mas aquilo até fazia sentido. Ele tinha a impressão de que a arma nem estava carregada, e Wilson tremia na medida que o chão estremecia com a chegada de um exército de Pokémons descontrolados — Largue essa arma, meu bom rapaz. Você não quer causar o pior.
Dawn tremia de medo, mas chegou a tranquilizar-se quando viu aquele pobre sujeito largar o perigoso mecanismo e ficar encarando o vazio com seus olhos apavorados. Marshall foi aproximando-se aos poucos, mas notou que algo parecia muito suspeito naquele ambiente. Pôde notar que alguém ainda escondia-se atrás de um balcão, e também estava armado. O policial foi empurrado para o lado quando o misterioso sujeito chegou a disparar três vezes contra Wilson que caiu no chão agoniando de dor. Seu Honchkrow foi capaz de salvar seu treinador, e no mesmo instante ele ordenou que o corvo protegesse Dawn e retirasse a menina daquele salão. O corvo cumpriu as ordens de seu mestre enquanto a voz de Dawn desapareceria no corredor seguinte.
Assim que o policial levantou-se pôde ouvir uma risada do outro lado.
— Ora, ora! Então você veio! Eu estava aguardando ansiosamente a sua chegada!
— Você é Archer, ex-executivo dos Rockets e atual líder da corporação.
— Sim sou eu mesmo, mas se aprecia tanto o uso dessa palavra pode dizer também ex-facção. — respondeu Archer com uma tranquilidade anormal — Acabou. Está feito. O fim chegou.
Marshall arqueou as sobrancelhas de espanto ao ver que Archer jogou sua arma no chão e esticou suas mãos para os lados demonstrando que não queria arrumar encrenca. O criminoso foi lentamente caminhando até uma das janelas empoeiradas, observando assim o mar por alguns instantes e esquecendo estar frente a frente de seu pior inimigo.
— O ser humano está sempre buscando estar no topo, não acha, doutor Marshall? Mas para isso ele precisa derrubar muitas barreiras, passar a perna em muitas pessoas, e se preciso, até mesmo naqueles que confia. — disse Archer.
— Vejo isso claramente em seus atos, miserável. Usou desse sujeito indefeso para tentar uma emboscada, e mesmo assim, falhou, tal como todos os seus outros planos.
— Planos infalíveis! É assim que nós costumávamos chamá-los, e eu ria ao lembrar-me daquelas histórinhas que lia quando criança. Eu me perguntava: Por que eles falhavam se eram infalíveis? É simples,  o tempo me deu a resposta, em algum ponto eles estavam errados, tal como a raça humana está errada em apenas tentar alcançar o topo.
Outro tremor pôde ser sentido no salão fazendo com que todos os vidros trincassem e se espatifassem em milhões de pedaços, mas Archer nem se mexeu. Sua mente estava distante enquanto seu corpo era rasgado pelos estilhaços do vidro, ele parecia estar perdido nos próprios pensamentos sem sentir absolutamente nada.
—  Como o senhor deve ter notado, sou o último membro remanescente da facção. Os outros fugiram ou morreram tentando. Sou o maior terrorista que a polícia procura, e agora, estou logo a sua frente! Mas dessa vez tenho tudo sobre controle. — disse Archer.
— Os Rockets decaíram muito, eles próprios gastaram bilhões com suas pesquisas e passaram de uma das empresas mais lucrativas do mundo para o maior declínio da história. Vocês tinham grandes mentes envolvidas em seus projetos, mas desperdiçaram cada uma delas.
— Tudo está na mais perfeita sincronia. Você não pode me pegar.
— Eu não diria a mesma coisa. — respondeu Marshall, sacando a arma e apontando contra Archer que ficou a encará-lo com uma feição sarcástica de loucura.
O homem estendeu as mãos para os lados e riu ainda mais alto.
— É impossível esse plano dar errado, pois não há plano!! O fim é inevitável, para todos nós, mas não fará nenhuma diferença adiantá-lo por mais alguns dias. Obrigado por tornar este meu show ainda mais fascinante, e espero que possa aproveitar de seu tempo no inferno! Vamos juntos para o abismo.
Para Marshall estava claro que aquele homem estava em seu estado final de loucura. Era possível que aquilo acontecesse para qualquer pessoa que tinha um grande império e o via cair aos poucos até não restasse mais nada. Para Archer, os Rockets era tudo que lhe restara, e o mundo tirara tudo que ele tinha. O homem sacou um pequeno dispositivo do bolso e o apertou, acionando assim uma sirene que soou cinco vezes antes de algumas explosões começarem a serem ouvidas.
 O que você fez, miserável?! — gritou Marshall.
 Estou tirando o que vocês tiraram de mim. São negócios, doutor Marshall. Apenas negócios.
Archer esticou os braços para os lados e olhou para o céu que brilhava anunciando a chegada da aurora. O homem fechou-os e jogou seu corpo para trás mergulhando no abismo sem fim de uma morte evidente. O policial sequer chegou a disparar, não precisou se dar no trabalho, ele suspirou e guardou sua arma, no fim, tudo havia sucumbido à loucura, mas pelo menos aquele ato marcaria o fim definitivo do império de terror espalhado pelos Rockets. A sirene continuou soando, e de trinta em trinta segundos ela retornava a anunciar seu desespero. Marshall estimou que a ilha fosse explodir em trinta minutos, exatamente como Proton previra. Em breve ele seguiria pelos corredores e encontraria Dawn, sua missão agora era evacuar todas as tropas da ilha, mas uma indagação ainda pairava no ar: Onde estavam Luke e Lukas?

Setor 4

Wiki corria com pressa pelos corredores do setor, mas de maneira alguma encontrava a saída. Todas as paredes pareciam iguais, as portas não lhe davam saídas e a moça tinha a impressão de sempre regressar ao mesmo beco. Ela não conseguia encontrar nenhum arquivo de mapa do local, e seus circuitos sofriam interferência impedindo-a de manter contato com qualquer outro companheiro, inclusive com Vista. A moça ofegava de cansaço, mas não desistiria enquanto seu treinador não estivesse a salvo em seus braços. Ela continuou correndo até notar um movimento maior em um dos corredores, e ao descer uma leva de escadarias viu uma figura bem familiar.
 Eleanor? — indagou Wiki surpresa. — Jade? Yoshiki?
 Ohh, é você, minha fofa! Entre no embalo, estamos quase chegando.
Wiki não teve tempo de fazer perguntas, mas estava feliz por ver Jade e Yoshiki nos ombros da mulher e sabia que poderia confiar nela naquele instante. As duas corriam com velocidade, e mesmo com toda a inquietação Eleanor não se conteve em virar para trás e mandar uma piscadela para a garota.
 Ei, gata, você disse que gostaria de me encontrar depois. — disse Eleanor — Já é depois.
Wiki não escondeu uma risada enquanto acompanhava a moça, e certamente estava contente por saber que ela havia passado para seu time. Ao chegarem em uma passagem viram que o portão havia sido destruído e uma enorme pedra estava no caminho.
 Maldição, há alguma outra passagem? — perguntou Jade.
 Existem inúmeros caminhos para o amor, mas eu quero ESSE!
A Pinsir estendeu seus braços e socou a parede de pedra com o Superpower. O impacto do golpe a fez ruir como se tivesse levado o tiro de um canhão descontrolado. Os ossos de Eleanor estremeceram e ela chegou a vacilar caindo nos braços de Wiki que impediu-a de ir ao chão. Os olhos das duas se encontraram, e por um instante foi como se as sirenes parassem de soar e apenas as duas estivessem ali.
 Acho que ainda não me recuperei de nossa batalha... — disse Eleanor ofegante.
 O que está dizendo? Você é uma mulher forte, não vá me fazer pensar que você desistiria no meio do caminho, mostre-me sua força!
 Eu queria ter essa sua determinação...
 Então vamos fazer isso juntas!
As duas se apoiaram uma no ombro da outra na medida que iam correndo e cada vez chegavam mais próximas de alcançar o objetivo. Jade e Yoshiki iam na frente derrubando Pokémons descontrolados, mas os guerreiros criados pelos Rockets haviam sido comandados a não permitirem que mais ninguém escapasse, e por isso, começaram a atacá-los inconscientemente  Eleanor ergueu sua mão e apontou para um portão enferrujado no fim do corredor.
 É ali, o treinador de vocês foi aprisionado naquele local.
Jade e Yoshiki correram na frente no mesmo instante, mas quando eles ultrapassaram as linhas do quarto setor os Pokémons clonados ativaram um botão que fechava aquele portão, e para acrescentar, destruíram o único meio de ativá-lo.
 Era só o que me faltava! — esperneou Jade. — Temos que chegar naquele portão antes que ele se feche!!!
— Keh, heh, heh... Então segure-se, Jade.
No instante seguinte, Yoshiki agarrou a libélula pela cintura e atirou-a com toda a força para frente,  mas o sapo havia se esquecido que prendia sua mão na corda que também prendia a menina, então acabou sendo arremessado junto chegando até o outro lado do portão. Mas Wiki e Eleanor ainda permaneciam para trás.
 Minha nossa!! Wiki, venha logo para cá!! — gritou Jade, recuperando-se do susto.
 Vamos lá, Eleanor, não se faça de difícil! — respondeu Wiki.
Por mais que elas corressem seria um grande desafio alcançar o portão há tempo, e para piorar a situação um imenso Nidoking derrubou-as no chão pronto para atacá-las com suas espadas afiadas e seu veneno mortal, mas Eleanor foi mais rápida ao golpear o guerreiro na rosto com suas botas de couro. Ela levantou-se e abraçou Wiki com intensidade, encarando de perto aqueles olhos tão sedutores da garota, e assim, sorriu.
 O que pensa que está fazendo?! Precisamos correr!! — gritou Wiki.
 Não se esqueça de mim, tudo bem?
Eleanor empurrou Wiki e arremessou-a com toda a força que tinha em direção do portão que aos poucos se fechava. A androide levantou-se e viu de relance o rosto da amiga desaparecer conforme o portão abaixava e uma enorme quantidade de guerreiros clonados se aglomeravam em volta dela anulando qualquer oportunidade de escapar. Eleanor virou-se, retirou os óculos, e balbuciou algumas palavras num tom tranquilo e sedutor.
 Se cuida, gatinha. 
Wiki esticou o braço o máximo que pôde, mas o portão fechou antes. Teve de ser arrastada para fora dali aos berros, sua mente almejava fugir o mais rápido possível, mas seu corpo desejava ter ficado para trás e ajudar uma pessoa que tornou-se tão especial para ela atiçando sentimentos nunca antes imaginados. Yoshiki e Jade a seguraram no braço e a levaram para longe, mas o portão de ferro permaneceu imóvel e nunca mais foi aberto.

Setor Zero

A sirene soava com uma insistência horripilante na mesma sintonia de uma canção à caminho do purgatório. O chão começava a estremecer e as paredes rachavam desmoronando pedras na medida que o teto ruía despencando na frente dos desatentos como uma bomba. A batalha no inferno de Beliel estendia-se por ainda mais tempo, mas Lyndis não se daria por vencido. O cão do inferno encarava o vazio coberto por sua bandagem, mas em questão de segundos avançava contra a garota usando suas garras e queimando sua pele com uma labareda flamejante. A Monferno dava cambalhotas no ar e na medida que conseguia aproximava-se do oponente para dar-lhe golpes rápidos e precisos. Agarrou um dos braços do homem e  o puxou, pressionando-o contra sua virilha e finalizando-o naquele instante.
 Se você não desistir eu irei quebrar o seu braço...! — disse Lyndis ofegante.
Mas Beliel tinha músculos formados e o corpo bem definido. Forçou-os como uma alavanca, em seguida lançando uma bola de fogo no rosto da garota que encontrou-se obrigada a soltá-lo para proteger-se. O monstro permaneceu em silêncio, mas já arfava de cansaço. A sirene soava e naqueles últimos instantes ele se mostrara mais quieto do que o normal. Limpou o sangue que escorria por sua boca, e assim falou:
 Todos nós iremos morrer aqui, e agora.
 Não se eu for capaz de derrotá-lo antes. A essa altura você não pode mais encontrar o meu Mestre, ele já está muito longe daqui. Você não foi capaz de cumprir a sua missão! — respondeu Lyndis num tom agressivo.
 Missão? Não há mais nada para mim aqui, a ilha será destruída e tudo que construí aqui estará debaixo do oceano dentro de alguns minutos. Mas eu não deixarei que você morra dessa maneira... Eu a consumirei antes.
Beliel fez um movimento suave com seu braço direito, em seguida apontou-o para frente e nesse instante uma explosão de fogo saiu de sua mão em direção da garota. Lyndis deu uma cambalhota para esquivar-se e logo em seguida partiu para atacá-lo, acertou três socos em sua mandíbula e o feriu com um chute frontal no peito. Beliel agarrou a perna da menina e lançou para cima das brasas que ardiam em chamas.
Lyndis caiu no fogo, mas por ser uma guerreira treinada para aguentar altas temperaturas aquilo não a matou, ainda que ferisse muito. As chamas que permaneciam acesas no salão iam aos poucos diminuindo, e Beliel já havia sugado tudo que conseguia para continuar de pé. Avançou contra ela e arranhou seu rosto de tal maneira que a dor fez com que algumas lágrimas escorressem do rosto de Lyndis.
 Está doendo muito? Saiba que não haverá ninguém para curá-la no fim de tudo isso.
Beliel não riu de sua maneira sarcástica com aquele ato, mas quando a sirene soou mais alto uma oitava vez teve sua audição interrompida abrindo a brecha para que Lyndis o surpreendesse como um chute e o jogasse no chão de tal maneira que eles fossem lançados para o andar inferior através de um pedaço do chão que despencara.
Os dois foram rolando e batendo no concreto na medida que lutavam. Ao atingirem o chão novamente Beliel caiu com os braços esticados e Lyndis sentada sobre seu corpo. A moça apoiava suas coxas no abdômen do rapaz, os joelhos estavam encostados em seu corpo e um pôde sentir o calor do outro de forma intensa. Beliel ficou em silêncio, se não estivesse respirando era possível dizer que tinha desmaiado, pois estava manso como um cãozinho adestrado. Lyndis ofegava, sentiu uma gota de suor lhe escorrer pelo rosto até cair na bandagem do rapaz, ignorou todos os instantes de fúria que se passaram daquela batalha até então e deitou-se sobre o corpo de Beliel encostando sua cabeça no peito definido do homem.
 Estou exausta. — disse Lyndis, não conseguindo sair daquela posição que lhe dava tanto conforto.
Beliel era uma criatura malévola e violenta, mas ela não conseguia se levantar, estava praticamente derrotada, e se ele desejasse poderia ter matado-a naquele instante. A moça ainda teimava em acreditar que Beliel podia ser apenas um cão perdido aguardando a chegada de seu dono, um animal carente que requer cuidados e que muitas vezes é considerado como uma criatura agressiva por todos ao seu redor.
 Eu poderia ter te matado, sabia disso? — indagou Beliel não mexendo sequer um músculo.
A garota apenas sorriu e fechou os olhos, dizendo com enorme tranquilidade:
 Sabia.
Mas não matou. Eram as palavras que provavelmente teriam saído de sua boca se uma explosão não tivesse feito o teto despencar exatamente onde eles estavam. Beliel abraçou os ombros da menina e a protegeu criando uma roda de fogo que consumiu a pedra até que ela derretesse e virasse apenas cinzas e poeira. De cima do teto surgia uma sombra negra envolta por escuridão, a figura pulou e planou no ar de tal maneira que sua capa simulou as asas de um corvo mergulhando diretamente em sua vítima. Beliel empurrou Lyndis para longe e quando a garota pôde notar estava sendo segurada pelos braços de outro homem. Notou claramente uma cicatriz no olho esquerdo do sujeito que revelou um sorriso ao observar que a garota ainda estava viva. Os olhos de Lyndis quase se apagaram, mas ela ainda teve forças para sibilar algumas palavras.
 V-Você voltou... — disse ela com alegria.
 Eu vim para protegê-la, minha pequena. — respondeu a sombra.
Beliel apenas os observava de longe.
 Por algum motivo não fui capaz de preceder essa visita indesejada, mas agora eu sei de quem se trata. É você, Sombra. Voltou para tentar vingar-se daquele que o derrotou.
 O vento mudou em nosso ambiente. Dessa vez vim aqui para te dar uma carona para o inferno. — respondeu o Honchkrow.
Beliel riu.
 Mas já estamos no inferno.

O corpo de Beliel foi completamente tomado pelo fogo no momento em que tudo ao seu redor aqueceu-se de tal maneira a ponto de derreter. O movimento Overheat utilizava o máximo de seu poder de fogo, e Al Capone não seria capaz de fazer frente ao demônio em seu próprio domínio. O mafioso avançou e de um instante para o outro estava atrás de Beliel. O Houndoom não pôde notar tal movimento e surpreendeu-se ao sentir que seu oponente o acertara de tal maneira que seu ataque fora cancelado. Beliel riu e disparou um Flamethrower contra o corvo, o Honchkrow revidou com um Wing Attack e o fogo apagou voltando-se para quem o lançara. Beliel podia absorver seus golpes, mas de nada adiantava se ele não pudesse ferir seu adversário da mesma maneira.
 Cansei de correr, de fugir, de esconder-me nas sombras. Aquela foi a última vez que deixei um companheiro para trás, e agora estou aqui para finalizar aquele que trouxe tanto sofrimento para minha pequena. — disse Capone.
Beliel correu para seu encontro com seus braços estendidos e as garras prontas a mutilar. O corvo o impediu da mesma maneira de modo que os dois se encarassem de frente numa luta de força física. As chamas da mão do Houndoom queimavam as mãos de seu adversário, mas Al Capone tomou impulso e num poderoso golpe atirou-o para longe numa técnica antiga dada pelo clã mafioso de Marshall:
 Superpower!
Beliel foi arremessado para longe, de modo que uma parede inteira ruísse e caísse sobre ele. Como se já não bastasse Al Capone caminhou até os destroços e o tirou dali segurando-o pela gola, mas Beliel ergueu o braço e o arranhou no rosto com suas garras, mas tudo se tornou fumaça e o corvo reapareceu atrás do Houndoom.
 Você se alimenta do fogo, e eu, da escuridão. Vou deixá-lo surdo para todo o resto que se mova.
Beliel já estava cansado da longa luta com Lyndis, e por isso não tinha mais como retrucar. A sirene agora soava com mais intensidade, enfatizando que faltavam poucos minutos para a destruição da ilha. De repente um terremoto tomou conta do local, mas dessa vez era um tão forte e descontrolado que o andar completo do Setor Zero veio abaixo. Al Capone cobriu-se em seu manto e seus braços formaram asas que o deixaram a salvo. Ele segurou no pescoço de Beliel e o ergueu perante o abismo que se formava abaixo dele.
 Morra com tudo que construiu. — disse Al Capone.
E o largou, mas imediatamente Lyndis deu um salto em sua frente e correu para segurar no braço do Houndoom que caía. A menina era forte e determinada para sua idade, com músculos fortalecidos foi capaz de segurar o peso de um homem com apenas um braço, e assim que Beliel ergueu seu rosto para entender o que acontecia pôde sentir lágrimas caírem do céu como uma chuva fina e melancólica.
 Lyndis, o que pensa que está fazendo? — o Honchkrow parecia não acreditar no que via.
 Al, eu não aguento mais ver luta e sangue! Não quero que mais ninguém morra! Não aguento mais ver Pokémons mortos por todo canto!
 Ele te machucou! Ameaçou o Lukas! Não vou permitir isso!
 Talvez ele não tivesse escolha!! Você mesmo me disse um dia, às vezes fazemos escolhas e ações ruins por falta de opções! Todos merecem uma segunda chance!!
Al manteve-se calado, pensando na frase que lhe fora dita, Lyndis era forte, mais forte do que podia imaginar, no fundo ela estava certa, nenhum do dois sabia o que o cão do inferno passara, talvez, só não lhe fora dado liberdade. O Honckrow concordou com a cabeça, mas manteve-se imóvel e calado.
 O que está fazendo, mulher? — indagou Beliel, surpreso.
 Estou ajudando você! Segure a minha mão, depressa...! — gritou Lyndis ofegante enquanto tudo ruía ao seu redor.
Beliel apenas calou-se, conseguia sentir e ouvir melhor do que ninguém devido a sua falta de visão, sentia o calor que emanava da mão da garota sentia sua respiração entrecortada e conseguia escutar o lugar ruir de pouco a pouco.
 O que está esperando?!! — Lyndis tentava segurar com mais força o homem que caía. — Segure logo!!
Beliel suspirou, mas deu um sorriso logo em seguida.
 Já te disseram que você é muito esquisita?
 O quê? O que pensa que está dizendo?!! Você vai cair!!
 Você acha que mereço uma segunda chance?
 Todos merecem!! Você talvez só não tinha alguém para ensiná-lo o que era certo e o que era errado!
 Devia ter te matado enquanto tive a chance.
— Beliel!!
 Nunca foi me concedido nenhum desejo, mas se pudesse pedir algo... Eu gostaria de ter visto o seu rosto. — respondeu ele numa enorme tranquilidade.
Lyndis respirava com dificuldade na medida que as pedras caíam ao redor e lhe machucavam. Ela gritou mais uma vez, e mais alto do que a sirene.
— Mas ainda dá tempo!!! Por favor, Beliel, segure a minha mão!!!!!
— Meu tempo acabou no momento em que perdi. Obrigado pela oportunidade, menina. Obrigado pela segunda chance.
Lyndis continuou a encará-lo enquanto tudo ao seu redor desmoronava. Al Capone não mexeu sequer um músculo para ajudar, e se dependesse dele deixaria Beliel cair no abismo e morrer como bem desejava. Aquela era uma decisão de Lyndis. Ela continuou a encarar a bandagem do cão das trevas e desejou também poder olhar aqueles olhos tão perdidos, mas viu apenas um sorriso vindo de Beliel seguido de um arranhão tão forte em seu braço que a fez largar. O guardião caiu no abismo sem fim enquanto a menina gritava em sua agonia e desespero. Al Capone colocou-a no colo e partiu imediatamente, não deixando mais nenhum rastro de consolo ou destruição.

Image by: Nyx

      

{ 21 comments... read them below or Comment }

  1. Superultramegahiperfodastic perfeito!!!
    Não tenho muito o que comentar, só que ate agora foi o melhor capitulo (empatado com a luta Luke&Lukas vs Byron&Roark)!!!

    ReplyDelete
  2. É bom vocês já irem pensando no Capítulo do Oscar cara, aposto que no fim do ano a luta será tão acirrada que nem eu vou saber em qual votar! kkkkk Isso porque ainda falta um último Arco para concluirmos essa saga, e se eu conseguir atingir o mesmo nível de excelência que desejo para esse último capítulo creio que a batalha será melhor do que qualquer outra! Mas fica tranquilo, estou pensando em separar uma categoria de Melhor Capítulo e outra de Melhor Ginásio, então vai dar para escolher os dois kkk Vou fazer uma reforma severa no Oscar, vou deixá-lo mais dinâmico usando imagens e cores, então votar vai se tornar uma tarefa bem divertida, diferente daquele do ano passado que acabou tornando-se muito longo e um pouco cansativo para leitura. E de presente ainda virá uma reforma no blog inteiro, aí sim tudo vai ficar perfeito, esse fim de ano vai bombar! (: Abraços ae, galera.

    ReplyDelete
  3. Fodástico é pouco! Foi hiper-mega-super-truper-megazord-magnific-fodástico! Pindamonhangaba! Como assim?
    Ok, voltando ao espírito nostálgico menor de volta! kkkk! Capítulo perfeito! Lindo, magnífico, excelente (as always...) e tudo de bom! kkkk!
    Sim, adorei que a Eleanor voltou e espero que ela fique mais. Imagine ela na Fire Tails? Destruía tudo! E ainda fazia competição com os "garotos" pela Wiki! kkkkk! E dúvida: por que Erina-chan, Canas?
    O Beliel não é tanto o demônio que eu pensava, pois foi aquela linda cena onde tem um bonzinho que acredita na segunda chance, o anti-herói (um Honckrow fodão no caso! kkk) e o vilão "do bem" que se sacrifica para que a donzela do bem possa se salvar! Perfect! Extremely perfect! kkkk!

    Agora elogiar a imagem do Honckrow lá na página dele. Sempre achei esse mero mafioso um cara superior, assim modesto no seu canto, mas agora ele como um mafiosão italiano ficou além de intimidador, ficou foda! Imagina a Lyndis de Infernape então? Destrói qualquer um! kkkkk!

    Canas, A saga tá ótima e agora nos resta terminá-la de forma perfeita, e sinto em dizer que vai! kkkk! (só pq disse q sinto n quer dizer q me sinto triste, e sim tremendamente feliz! kkkkk)!
    Falei muito e agora vou me ir-me.
    Adios,
    Moacyr

    ReplyDelete
  4. Diga ae grande Moa, o inventor de palavras! kk Ehh meu companheiro, nesse capítulo eu quis deixar exatamente essa impressão de que a Eleanor poderia vir a entrar na equipe, mas adoro destruiur tudo que construí depois de fazer o pessoal adorar a personagem! kkk Mas não perca as esperanças meu caro, posso reaproveitar qualquer um dos Pokémons dA Grande Criação, ninguém garante que eles não reaparecerão, e quem sabe um deles até mesmo acaba entrando na equipe na Saga Platina? Tudp depende de como será o desenrolar da fic daqui para frente, e uma coisa eu garanto, será no melhor nível possível!

    Ahh... Erina é tipo... Um apelido carinhoso! kk No japonês lê-se Ereanor, por causa daqueles esquemas do "L" e do "R". Então levando para o diminutivo e o jeito meigo da Jade ela inventou uma forma bonitinha de chamar a amiga, Erina-chan! É que Eleanor já é um nome meio forte, parece de homem, né? kkkkkk Whathever cara, tu captou a alma da luta do Beliel e do Capone, fi um jogo de vilão e anti-herói que terminou com o próprio Honchkrow parecendo o vilão da história.

    Mas foi bacana cara, foi muito bacana. Hoje consegui atualizar tudo bem rapidão, mas logo estarei voltando aos meus afazeres dos trabalhos finais. Tenho algumas cartas na manga que deixarão o pessoal entusiasmado para o que for vir para esse capítulo final do Arco, na verdade são tantas coisas para se terminar que fica até difícil escolher como será o clímax disso tudo! Sim, meu caro, eu também sinto o final da saga... Não sei se é um sentimento de felicidade ou tristeza por concluir esse imenso arco que eu gostaria de nunca ter terminado! o jeito agora é planejar o próximo, e uma coisa eu garanto: Ele virá muito melhor. Abração!

    ReplyDelete
  5. certo agora ja podem votar no beliel!kkkkk brincadeira o beliel e meio do bem e do mal eu gosto disso ele acabou como um heroi no final pelo menos pra mim al capone nao podia ter evoluido em momento melhor ficou ainda mais poderoso foi pokemon contra pokemon treinador contra treinador al capone vs beliel marshal vs archer acho que e isso que acontece quando alguem tem muito poder e nimguem para dividir e isso que acontece eu fiquei pensando se fosse o mikau no lugar dos dois eles nao teriam o direito nem de dizer uma palavra.kkkkkkkkkk

    ReplyDelete
  6. Vish Alan, juro que foi inconsciente, mas só agora parei para perceber sobre o que você falou! Ao mesmo tempo que o Beliel e o Al Capone se enfrentavam o Marshall e o Archer também lutavam um contra o outro, foi como se os humanos lutassem da mesma maneira que seus Pokémons, e o mais legal é que ambos já pertenceram a eles kkkkk Bizarro cara, é engraçado notar coisas que nem mesmo o autor tinha pensado, mas apenas os leitores acabam notando. Dei sorte dessa vez por ter sido algo que combinou perfeitamente!

    Ah, mas se fosse o Mikau ai mudava a história né... Esse cara já está conseguindo ser mais maldoso do que os próprios vilões! Tem uma comparação que eu gosto de fazer com ele, eu digo que o Vista é muito violento, mas não maldoso de coração; já o Mikau é MAU, nocivo, o antônimo de tudo que é bom. Acho que ele é um personagem impressionante, e pode-se dizer que de todos os personagens ele foi o único que saiu dessa guerra rindo e sorrindo. Tenso, aqui me despeço de personagens que eu adoraria utilizar novamente... Tenho que começar a criar novos vilões para a Saga Platina, mãos à obra!

    ReplyDelete
  7. Adorei este capitulo!

    Nossa a Eleanor conquistou meu coração neste capitulo, confessso que não gostava muito dela masi agora to adorando!Mesmo que breve foi muito bom ter a participação do Yanma e do Croagunk, ainda quero ver uma participação deles em uma batalha de verdade, ri muito com a parte que ele jogou e foi junto nossa eu acho que se fosse eu ali eu ficava junto com Eleanor porque eu n conseguiria correr pq eu ficar horas rindo kkkkkk
    E o Al Capone até que enfim evoluiu, ele deve ter ficado imperial(louco pra ver a pagina dele) esse cara vai abalar a Fire Tales!Eu esperava a evolução da Lyndis ja que no mangá voce afirmou que ele taria no nivel 32 se não me engano.
    Senti um certo clima entre Beliel e Lyndis pairando por ali hein, que pena que ele se suicidou seria tão bom ter a presença dele so mais um pouquinho.

    Vou ficando por aqui!

    ReplyDelete
  8. Diga ae, Gabriel! Olha cara, essa questão das evoluções é muito importante e creio que seja melhor explicar agora para não deixar o pessoal confuso daqui para frente. Peço encarecidamente que vocês ignorem níveis, chegamos a um estágio que fica impossível fazer algo idêntico aos jogos, ou o roteiro ficaria previsível e sem graça. Nesse Arco já tivemos quatro grandes Pokémons que evoluíram, e se eu fosse seguir essa lógica dos games eu teria que evoluir outros sete; o Lairon, o Piplup, a Monferno, o Metang, a Yanma, o Croagunk e o Rhyhorn. Eu teria que enrolar de tal maneira que ia parecer que eu joguei tudo sem pensar só para cumprir esse esqueminha. Aí já iria ficar muito forçado, acha não? Por esse motivo estou passando a ignorar níveis e utilizarei mais do enredo do que de regras para fazer meus personagens, porque se eles fossem evoluir por níveis vocês já leriam um episódio sabendo que isso vai acontecer. É uma troca complicada, eu mesmo sempre tento me manter na lógica dos jogos, mas a história alcançou um nível muito maior e não há como juntar as três coisas. Ignore os níveis, porque todos eles já o ultrapassaram faz tempo. Afinal, qual seria a graça de ler uma história se ela fosse idêntica ao resto, e nós pudéssemos jogar o jogo ou ler o Anime? Alguma coisa tem que ser diferente, e eu estou investindo nisso.

    Creio que essa seja a explicação para os níveis, na página do FormSinnoh você pode conferir mais ou menos em qual nível os Pokémons estarão ao término da temporada. Tive que adaptar isso porque eu não queria que o pessoal pensasse que os clones eram fracos, todos eles são muito poderosos e de nível elevado, e para fazer frente a eles todos os demais deveriam estar num nível equivalente!

    Eu também adoro a Eleanor, espero trazer algum especial dela no futuro! E prometo que tornarei a primeira luta do Yoshiki e da Jade a mais épica de todas, afinal, até agora eles estão apenas treinando e não mostraram sua força, mas garanto que eles formam uma dupla imbatível e terão seu lugar reservado na Saga Platina! kkkkkkkk Vou indo ae galera, abraços.

    ReplyDelete
  9. Eae Canas, blz? Dessa vez cheguei na hora, no próximo capítulo quero ser o primeiro a comentar, será que consigo? Enfim, vamos ao que interessa!

    Primeira Parte.1: Aqui temos o retorno da Eleonor(admito:já tinha me esquecido dela kk foi mal), para mim ela se mostrou outra pessoa ou outra Pokémoa, sei lá... Dessa vez ela foi mais afetuosa, não? Assim como já foi citado acima, eu fico no aguardo do Croagunk com a Yanma.

    Segunda Parte.1: Mais um evolução, quem diria. Bom, eu já esperava a evolução do Al Capone, mas não que ele iria se tornar um Batmam. kk Archer ficou louco,a alucinado, maluco, sei lá. Não sei porque mais ele me lembra ao Coringa. Bom, não tenho muito a comentar dessa parte, apenas umas perguntas. Como, qual era a ideia de Archer ao iniciar tudo? Acredito que não fique somente focado em destruir uma ilha com muitas pessoas e Pokémons nela. E mais, como já apareceram especiais como da
    Ariana capturando o Mesprit, ainda os Rockets devem estar em ação mesmo com a morte de Archer(será que ele morreu mesmo?).

    Primera Parte.2: Bom e aqui chegamos com a morte de Eleonor e mais uma pergunta fica em minha mente. Será que atrás desse portão realmente está o Luke e se ele está, será que ele está sós?

    Segunda Parte.2: E aqui chegamos com a morte de Beliel, a qual eu curti bastante. Sério, para mim ele tinha que morre mesmo. A personalidade dele se mostrou como um monstro, poderia ter a segunda chance, claro, mas para mim ele morrendo dessa maneira foi melhor. Aliás ele mesmo se entregou a morte. E ao meu ver o Al não pareceu em nenhum momento um vilão.

    Bom, Canas, estou na pressa aqui, mas te agradeço por ter nos proporcionado leituras muitos agradáveis até aqui. Fico no aguardo do próximo. Até mais!

    ReplyDelete
  10. Canas, o capítulo, foi ótimo, mas por talvez ter sido preparado muito em pressa, não pode ser revisado todo e completamente, encontrei os seguinte erros, e gostaria que consertasse, se não for pedir demais:
    "— Eu poderia ter te matado você, sabia disso?"
    O outro, eu não consegui encontrar novamente no texto, porém me remete ao Al.
    Acho que é só, parabéns pelo ótimo cap.

    ReplyDelete
  11. Olá, companheiro! Devo dizer que esses últimos dias realmente foram numa correria só, mas isso não influenciou na questão da falta de revisão ou do capítulo ter sido feito na pressa, eu li e corrigi tudo na mesma quantidade que os demais. Esses errinhos sempre aparecem né cara, são coisas que mesmo lendo um milhão de vezes eu não notaria, pois o ser humano tem uma visão crítica sobre si mesmo muito diferente dos demais. Nesse ponto dependo de vocês, leitores, para encontrarem esses errinhos e me avisarem, caso contrário eu não consigo encontrá-los para corrigi-los. Esteja à vontade de indicar sempre que encontrar um, okay? Isso ajuda na leitura daqueles que ainda não viram o capítulo, e me mostra uma visão diferente da minha, e é exatamente disso que eu preciso!

    Diga ae, Luis. Vamos aos poucos também, pois você deixou um bocado de dúvidas que podem não ter sido facilmente compreendidas pela galera! Primeiro a Eleanor. Me dê um motivo para ela continuar má depois de apanhar feio para a Wki kkkkkkkkk Você comentou sobre essa mudança de personalidade, mas creio que tenha sido mais um retorno ao que ela era. Há três vilões nesse Arco que eu não chamaria de vilão, o Barão, a Neon e a Eleanor. O que a Wiki fez foi abrir os olhos dela para que ela passasse a agir como realmente é, mais carinhosa, espontânea muitas vezes extrovertida e exagerada... Essa é a verdadeira Eleanor, ela foi aos poucos descobrindo como ela realmente era, e eu mencionei isso no trecho em que digo que os sentimentos dela eram mais intensos do que de qualquer outro ser vivo! ;)

    À respeito do planos dos Rockets, tenho apenas a dizer que todo mundo está esquecendo de algo muito importante, tal como o nome do próximo capítulo, Forgotten. Eu ainda não terminei o Arco, e tenho mais um capítulo para dizer mais precisamente sobre qual era o plano por trás de tudo. Vocês podem acreditar que era só vingança, ou que tinha algo muito maior por trás disso. É um jogo onde um derruba o outro para conseguir o que quer, mas quem será que irá sair ganhando disso tudo? E não foi a Ariana que capturou o Mesprit, foi a Comandante Mars (: Fica a dica kkkkkkkk

    Cara, é preciso ver os personagens com outros olhos para entendê-los como vilão. Se você gosta do Honchrkrow ele NUNCA será um vilão, é óbvio, cada um tem sua visão à respeito do que gosta, mas vendo o momento percebemos que a Lyndis tinha finalmente acalmado o Beliel, o que significa que a luta poderia ter acabado ali, e subitamente o Al Capone surgiu para obrigá-lo a voltar a batalhar até que um dos dois caísse. Ele pode ser considerado um vilão? Depende de quem o vê, depende dos personagens que você gosta. Eu prefiro a Lyndis formando um par com um Beliel do que com ele, o Al já tornou-se mais um pai superprotetor dela, e mesmo que os pais sempre façam o certo os filhos ainda teimam em achar que eles estão errados, não é? Tudo depende de quem olha. Este foi um capítulo cheio de informações e certamente deixou muitos mistérios, mas no desfecho vocês perceberão que havia muito mais por trás da Ilha de Ferro do que se imagina, e que confiar em inimigos muitas vezes pode ser muito melhor do que naqueles que dizem estar do nosso lado... Aguardem!

    ReplyDelete
  12. Rapaz, agora só falta o Luke aparecer! Enfim, essa longa batalha vai chegando ao fim. Um arco extra que você planejou. Bem, vi que de certa forma isso funcionou como um filler, não? Porém, ao contrário da grande e esmagadora maioria dos fillers, esse foi muito bom! E não digo isso da boca pra fora.

    Cada um dos dez guerreiros da Grande Criação derrotados. Archer morto. Os Rockets chegam ao fim. Creio que a partir daqui você passará a dar mais valor à Team Galactic, não? Agora poderíamos ver a trama deles. Paramos lá com as Master Balls e os três guardiões dos lagos.

    Bem, que venha o último capítulo da saga, e com ele a Saga Platina, dando à história um novo início!

    ReplyDelete
  13. Interessante, você acabou de chamar o arco mais importante da minha história de filler kk Começou como um Arco extra, sim, mas ele já tomou medidas muito maiores do que um simples preenchimento e será essencial para tudo que virá daqui para frente na história até os seus últimos dias. Já estava na hora de dar um fim aos Rockets, eles estão perambulando pelas histórias da aliança e causando problemas desde Kanto, mas agora foi bom colocarmos um final definitivo para deixar Unova com aquele ar de novo! Agora sim eu entrarei na verdadeira facção da minha região, mas para ser bem sincero acho que os personagens da Grande Criação que criei foram muito mais vilões do que o pessoal dos Galactics, e eu sempre terei um carinho maior por esses capítulos do que pelo o Arco que envolverá os Galactics. Não acho que o Cyrus tenha ideais de uma facção aterrorizante, então deixo esse papel com os Rockets, prefiro fazer mais um jogo de conceitos bons e ruins para esse finalzinho, mas ainda assim espero trazer um último capítulo muito melhor do que todos esses que passaram! Mas não se engane, esse não é o fim da saga kk

    ReplyDelete
  14. Hehehe, não foi essa a intenção. Eu tinha em mente quando disse isso exatamente o que você disse: um extra que acaba se tornando parte da história. Isso realmente foi caracterizado assim, principalmente em função das evoluções de personagens importantes.

    Bem, é verdade que os Rockets causaram imensos problemas para as regiões. Acho que só Hoenn se salva, porque ao entrarem lá eles teriam que guerrear contra dois inimigos que já se faziam presentes no território. Então há uma participação mínima deles.

    Mesmo que os Rockets tenham acabado agora, ainda que você guarde um apreço especial por esse arco, ainda creio que você fará algo especial para os Galactics. Eu me lembro bem que você tinha deixado claro que não trabalharia diretamente com os lendários da região, mas que mal faz se eles aparecerem para fazer uma canja?

    Bem, desculpa aí o mal entendido parceiro! Vamos em frente!

    ReplyDelete
  15. kkkkkkkk Tá certo companheiro, foi mal por eu também estar assim explosivo hoje, é que fim de ano é fogo principalmente quando temos um bocado de coisas pra fazer! Estou fazendo um trabalho onde devo criar um livro infantil do zero, desde o enredo até a arte final e paginação, aí já viu né, fala se não é o sonho de qualquer ficwriter! Mas o problema é que o limite de idade é para 12 anos, e eu não sei escrever coisa para crianças nessa idade, trabalhar em equipe fica ainda mais complicado!! É como star de frente àquilo que você sabe fazer de melhor, mas então tirarem seus dois braços para qualquer coisa. Tá sendo uma loucura cara, mas sei que vai valer a pena no final, quem sabe eu posto aqui no Portfolio de Sinnoh para vocês darem uma olhada se o resultado ficar bacana! ;)

    Man, eu posso não gostar de trabalhar com lendários, mas eles precisam aparecer nas fics cara, o público espera por isso!! Se eu arrancasse esse brilho dos momentos finais a galera ia cair matando, devemos nos adequar ao gosto dos leitores e assim trazer o que eles pedem no melhor nível de excelência! Eu não tenho uma sacada assim formidável para os Galactics, mas para os lendários eu já tenho, pode ficar tranquilo. É coisa de soltar um grito de surpresa de tão ousada que será, como sempre, adoro ser diferente kkkkkk É uma coisa meio loucona, mas pode deixar que darei um jeito de deixar tudo assim, meio fascinante! kk Abração ae Shadow.

    ReplyDelete
  16. Eae Canas, blz? Cá estou eu novamente, envergonhado. Que erro terrivel que cometi, mas tudo bem. Acredito que acabei confundido a comandante Mars com a Ariana pelo o fato da primeira ter uma relação com o Proton, que é, de certa forma, um Rocket. E também por fazer um tempo que aquele especial já foi postado, mas tudo bem. Cara, peço desculpas por ter me precipitado sem pesquisar antes. Talvez eu possa estar me equivocando novamente, mas os Galacts que antes estavam parecendo os bonzinhos agora virão para o mundo dos vilões? Como você sabe, eu fiquei um tempo sem acompanhar a fanfic, por isso posso estar meio perdido. ok, Até mais!

    ReplyDelete
  17. Olha eu aqui de novo! kk'
    Canas, você é incrível! Por onde começo? São tantas coisas que quero dizer! Bom, vamos por partes!
    Jade e Yoshiki: Fofos! A Jade é mesmo uma masoquista e tanto! E o Yoshiki com esse jeito de sádico, ele é o par perfeito para ela! Eles são muito fofos juntos! E a Erina-chan voltou! XD Nem gostei muito dela no começo, mas acho que mudei de ideia. Que engraçado, a Jade achando que a Erina-chan é dona de uma loja de itens de tortura kk Devagar, Jade! Tem pra todo mundo! kk
    Marshall e Dawn: AL CAPOOOOOOONE, você evoluiu! Isso, não seja covarde, eu te adoro demais! ;-; E qual é a do Archer...? Ele colocou a ilha pra explodir e depois se matou? É um louco mesmo... Mas foi engraçado, ver personagens assim é divertido! Q
    Lyndis e Beliel: Nhah, que bonitinho! Por um momento, eu vi Beliel x Lyndis aí. Eu vi, Canas! E.E Até gostei do shipping, mas a Lyndis é do Al Capone! U.U Enfim, senti agora o quanto eu gosto do Beliel. Ele, junto com o Barão e o Seth, são meus favoritos da Grande Criação. Criei um carinho especial por eles. Mas que droga, não queria que o Beliel morresse. Por que isso tinha que acontecer? T.T' Beliel, descanse em paz. <3'
    Enfim, vou indo, Canas! Tenho prova de física e não posso me atrasar @.@
    Até mais! Beijos!

    ReplyDelete

  18. Opa, outro magnífico capítulo para comentar! :D

    Começando com aquela cena da Eleanor. Eu tinha gostado já da personagem, mas quando você apareceu de novo com ela eu me apeguei ainda mais. kkkkk Aquele comentário sobre a Jade vendo os objetos de tortura da Pinsir foram palavras da boca pra fora, nunca cheguei a cogitar que isso realmente fosse acontecer,mas olhaí eu rindo com os comentários da Yanma! kkkkkkkkkk Ela e o Yoshiki são uma dupla muito legal, porque não são aquele conjunto perfeitinho, a personalidade deles em conjunto é o que os torna tão fascinantes! Imagina só uma luta em dupla com duas evoluções? *-------* Ainda vou esperar por um dia assim. A Eleanor também entrou como vilã e saiu como heroína. Ja pensou um Fire Tales onde ela volta? Em dupla com a Wiki? KKkkk deixa eu parar, porque daqui a pouco estou babando no teclado. Mas o capítulo esteve impecável se formos ver essa interligação. Passaram-se quase dez capítulos, então é difícil pensar que quase todas as lutas ocorreram simultaneamente, embora seja assim. Por isso foi legal você ir reforçando esses detalhes, porque os lerdos que nem eu precisam disso! kkkkkk

    A evolução do Al Capone foi sem comentários! Deu até um arrepio naquele "Fortaleça-me". Ele ficou ainda mais forte que antes (Haos Genius!) e ganhou ainda mais meu respeito. Mas o que eu mais adorei foi a dupla Lyndis X Beliel. Admito que eu já sabia que o Houndoom seria um dos mais complicados de se vencer, e achei que ele seria uma máquina mortífera, mas mostrar um lado mais manso dele, combinado com um romance... Foi muito bom. Para mim a Monferno com o Honchkrow era tão natural que eu nem parei para imaginar ela com outros personagens. Adorei ela com o Beliel, e como já disseram, seria incrível se ele voltasse a aparecer, mas vamos ir vendo como o enredo vai indo durante os próximos meses. Quem sabe não surge mais alguém? Parabéns também para a Nyx por esse lindo desenho no final, e aquela frase do Beliel: "— Nunca foi me concedido nenhum desejo, mas se pudesse pedir algo... Eu gostaria de ter visto o seu rosto."... Mano, o Beliel é o dono das frases mais épicas e memoráveis de todos (isso que não tem um clone sem uma frase fantástica, então é tudo bem acirrado kkkk).

    ReplyDelete
  19. JAAAADE *OOOO*
    YOOOOSHIKI *OOO*
    ELEANOOOOR *OOO*

    Arceus, eu pensei que morreria antes de ver esse lindo encontro chegar! Sério, cheguei a me emocionar cara! Que foda, que foda, que foda! Os três personagens mais hiper demais (na minha humilde opinião) interagindo juntos! E tudo ficou tão foda cara *---*
    Quem diria que em meio a uma explosão daquelas, esses três ficassem tão próximos e normais?

    Cara, eu juro que ri em quase todas as cenas dos três! Quando a Eleanor fala pro Yoshiki do porque a Jade estar amarrada nas costas eu pensei: ah ela vai tirá-la de lá. Mas quando ela foi e apertou mais ainda, eu cai na risada! Mas a felicidade durou pouco tempo... A Wiki voltou e elas se reencontraram, mas a Eleanor... É, ela salvou sua gata ao custo de sua vida pelo jeito ):
    Aqui jaz Eleanor, uma heroina.

    E mano, esse Archer tem sérios problemas. Que isso cara! Essa loucura resultou num grande fato para Sinnoh! E agora o Al evoluiu! Caraca, é hora de sair na porrada! A Lyndis é uma linda cara, batalhando com toda a garra! A batalha dela e do Belliel foi uma das melhores. E admito que fiquei com muita raiva quando o Al fugiu achei que ele não voltaria. Mas voltou, evoluído e virou o jogo!

    Aaah véi, por que o Belliel tinha que morrer? POR QUE CANAS VOCÊ TEVE QUE MANDÁ-LO VISITAR GIRATINA HOMI? D=
    Eu pensei que a Lyndis iria conseguir salvá-lo e então os dois se tornariam amigos, depois talvez namorados, ele entraria pros Fire Tales... É, mas nem tudo é como esperamos né? E a Ilha tá a ponto de explodir! Caraca! É bom correr negada, vai tudo pros ares já já!

    Vou correndo conferir o próximo *-*
    Sayo Canas \õ

    ReplyDelete
  20. Guri você é foda... eu não consigo imaginar como começar o meu comentário! Este capitulo foi muito dinâmico... vários personagens e varias historias entrelaçadas
    Por alguns momentos a minha mente se perdeu... não sei se por delírio e empolgação, ou talvez de tantas informações importantes. Cara... estou em completo transe, mas sejamos organizados ( no mínimo vou tentar kkkk)
    Infelizmente neste capitulo não vou conseguir separar por parte, logo farei por historias ou personagens (do jeito que vir)
    Antes de tudo queria te parabenizar pela escrita! Ela conseguiu prender minha atenção, e nos permitiu viajar até o mais alto céu com a imaginação
    Cara, o Yoshiki e a Jade não apareceram muito na historia e fazem algumas participações nos FT, mas quando eles aparecem pra valer eles brilham! Mesmo em meio ao caos esta dupla consegue ofuscar, e ainda complemento que eles são hilários e extremamente divertidos.
    A parte dos nós foi hilária, e a Eleanor ensinando como se faz foi perfeito. Canas você já tentou usar estes equipamentos exóticos? Kkkkkk Feliz é o Yoshiki em ter uma companheira como a Jade que pode usufruir de cordas e comandos kkkkkk se meu casal preferido não fosse a Mikau e a Milena (amor bandido) com certeza eu escolheria o Yoshiki com a Jade (amor sadomasoquista) kkkk
    Canas imagino que sua namorada deva ter sorte, num estalar de dedos ela pode desejar um mafioso, um cavaleiro, um sádico, um megalomaníaco, um carinhoso, entre muitas outras kkkkkk quem diria eu ter todas estas personalidades kkkkk
    Achei muito loko o Yoshiki não ter o anelar kkkk Genial!!
    Não é que a Wiki faz um par muito bem com a Eleanor! Quando ela cansar de ficar com mulher pode mandar o Mozilla!! Isso sim que é uma relação diferente.
    A cena das duas foi bem comovente e assim com o Seth cheguei a pensar que a Eleanor podia estar pra entrar pro time, mas quem sabe um dia. Adorei esta Pinsir... isso sim que é mulher de atitude, e já que ela curte a mesma fruta que eu é só juntar o útil ao agradável!
    Quando os alarmes soaram e a porta estava se fechando e neste momento o Yoshiki arremessou a Yamna e foi levado junto com ela por ter esquecido a corda na mão foi muito boa, comecei a rir que nem besta! Mas a situação engraçada foi logo substituída pela partida da Eleanor. Canas, não use a palavra “nunca”, ela tira a esperança dos leitores em rever seu personagem!
    A parte dos humanos foi bem legal, por um momento eu até esqueci que eles estavam lá kkkk. Mas o Marshall fez uma diferença estrondosa, e nunca tinha passado pela minha cabeça que ele iria evoluir o Murkrow do Lukas. E a descrição das duas aves pousando em suas costas formando uma asa negra foi perfeito.
    O Archer possesso pela loucura me deixou bem intrigado, porque fico tentando imaginar como será o fim dele, ou se ele realmente terá um fim!
    A sua teoria dos planos infalíveis foi muito boa... acabei lembrando de minha infância quando eu lia os quadrinhos e me divertia, porém a sua conclusão em dizer que o plano é infalível no papel, mas o humano é suscetível ao erro foi simplesmente, perfeito.
    A luta contra o Beliel foi excelente, porém ela teve algo que até então não tinha reparado, e que foi uma leve insinuação de romance com um pequeno fagulho de luxuria. A descrição da Monferno deitada sobre o corpo do Houndoom, me fez até me ajeitar na cadeira para prestar mais atenção kkkkk
    Toda a descrição foi perfeita, em todos os momentos!! Na minha opinião o Al ficou meio apagado perante todos os acontecimentos. Talvez por ele não ser um dos meus personagens favoritos! Acho as características dele normal... típico personagem misterioso que todos amam!
    Prefiro aqueles exóticos... tipo o Mikau kkkkkk (sim ele de novo kkkkkkk)
    Por fim... parabéns pelo excelente trabalho!
    Te encontro no próximo capitulo.

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -