Posted by : CanasOminous Sep 12, 2014

Ilustrações do Mangá feitas por Nyx.

Ouviu-se uma tosse incessante.
— Querido? Querido, onde você está?
Dornelles caminhou com pressa em direção do quarto, e na sequência, seus passos tornaram-se hesitantes rumo à cama. Ele ajoelhou-se ao lado da mulher e beijou-lhe a mão com doçura. Sob o véu branco jazia um livro aberto marcado na página dezessete, a história mal tivera tempo de tomar sua forma, revelando que havia sido começada recentemente. As dores pareciam ter aumentado e ela não pôde acabar de deliciar-se com as palavras que lhe eram oferecidas.
Ao lado, na escrivaninha, quatro outros livros já estavam concluídos. Glade já estava de cama há tempos. Com os dias de trevas aproximando-se de maneira soturna, nem mesmo o alto escalão do vilarejo ficava impune às variações da doença que chegara destruindo tudo e todos. A morte andava por todos os cantos, ruelas, mansões... Onde existisse gente, haveria morte.
Glade tossiu, vinha ardendo em febre, sentia dores no corpo que nunca paravam. Mas os seus olhos... Aqueles olhos azuis nunca deixavam de brilhar. Os cabelos louros, mesmo sujos de não serem lavados há algum tempo, lhe traziam lembranças da formosura das rosas e da baunilha colocada em seus doces favoritos antes de ficarem prontos na cozinha.
Dornelles trouxe um prato de bolo e acompanhou a entrada com uma linda rosa vermelha sobre a cama. Sentou-se gentilmente ao lado da mulher e aproximou o nariz bem perto dela. Ainda podia sentir aquele aroma.
— Para você, minha dama.
— Não chegue muito perto, Vargas... Não tomei banho hoje — disse a mulher meio encabulada e constrangida. Ela já era próxima o suficiente de seu parceiro para dizer aquilo.
— E acha mesmo que isto seria motivo para eu me manter afastado? Oh, Glade... Já passamos por tantas coisas, enfrentamos pais incompreensíveis que nunca teriam apoiado a nossa decisão de nos unir. Passamos por tempos de sombras, guerras sem fim, você subiu da miséria para pedir que eu não chegue muito perto? — O homem acariciava seus longos cabelos, dando-lhe um beijo na testa. — Pois, para mim, você ainda cheira a rosas.
— Você deve estar confundindo com essa que acaba de trazer — respondeu Glade com uma risada, agradecida pelo presente. Logo voltou a abrir seu livro na página dezessete. — E obrigada pelo bolo. Vou comer mais tarde, não estou muito bem do estômago.
— Oh, mas é seu favorito. Acho que deveria comer agora.
— Não, não... É melhor não. Deixarei para mais tarde. Obrigada.
Vargas lançou-lhe um olhar quase suplicante.
— Por favor, fui eu que preparei com todo carinho.
Agora ela fora convencida.
— Tudo bem, tudo bem — Glade concordou com um sorriso, pegando o primeiro pedaço e levando até a boca.
Os dois jovens apaixonados já não viviam mais no casarão da família de Dornelles. Glade não era uma mera serviçal, mas pelo contrário, era a senhora de todos aqueles domínios. Mesmo contra a vontade de seus pais, Dornelles havia assumido um compromisso sério com a pobre moça, dando-lhe uma vida digna de reis.
O tempo havia passado tão depressa... Nem se lembravam mais de quanto tempo estavam juntos. Já deviam ter se passado dois ou três anos, mas aqueles dois ainda se amavam como nos primeiros meses da sedução e conquista. Todos os dias era uma experiência nova, era a oportunidade de estar ao lado daquele que esperava viver para todo o sempre.
Quando Glade comeu um pequeno pedaço do bolo, percebeu então que ali dentro havia algo duro, e que por sorte não fora para sua barriga. Vargas era um cozinheiro de mão cheia para ter esquecido uma casca de ovo ou qualquer coisa que não pudesse ser ingerida na receita. Em dúvida sobre o que era, Glade pegou o guardanapo discretamente só para certificar-se, e viu que havia ali um anel dourado, meio sujo e repleto de açúcar agora.
Vargas sorriu, ajoelhando-se novamente ao seu lado.
— Glade Ciary Lissili. Aceita casar-se comigo?
O bolo chegou até a cair do prato.
— V-você está falando sério? — Um turbilhão de pensamentos passava por sua mente naquele instante. — E-eu não posso acreditar, foi por isso que você insistiu tanto que eu provasse do bolo...?
— Espere. Não diga nada. Sei que você está confusa — ele a calou com o indicador, dando-lhe um beijo terno e suave. — Por enquanto este não é meu pedido formal, mas assim que eu puder, repetirei o pedido na frente de todos os demais, inclusive de meus pais. Gostou da atuação?
— O bolo até caiu da minha boca — ela deu uma risadinha ligeira.
— Consegue visualizar o nosso futuro, Glade? Em breve finalmente estaremos casados, oficialmente!
Ela revirou os olhos. Quando eles se fechavam, nem que fosse por alguns segundos, todo o brilho na vida do rapaz se apagava.
— Dornelles, mas... Já falamos sobre isso, há tantos “poréns”... Seus pais nunca irão aceitar, e isto não é o pior... A doença têm se tornado cada vez mais mortal em todos os cantos do mundo. Os médicos acreditam que meus sintomas se enquadram...
— Não fique pensando nos “poréns”, você sempre faz isso. Sempre pensando nas outras oportunidades que sua vida pode tomar, não é? — Vargas falou de maneira mansa, sem parecer pretencioso ou enfurecido. Queria apenas confortá-la, e logo envolveu-a num abraço carinhoso. — Apenas coma seu bolo, pois ele está uma delícia.
Antes de Dornelles levantar-se para sair, Glade segurou em sua mão.
— Eu te amo. Muito. Muito mesmo. Promete que também sempre vai me amar?
— Que pergunta é essa, minha querida? Você sabe melhor do que ninguém a resposta.
— Mesmo que eu piore, mesmo que eu fique velha, feia... Que eu não possa mais me mover, que a vida vá me levando aos poucos, a ponto de que eu nada mais possa fazer, além de sorrir e acenar... Você me amaria até o fim?
Vargas ajoelhou-se ao seu lado na cama, eles entrelaçaram seus dedos e ele beijou a face da mão daquela que amava.
— Nem mesmo a morte poderia me distanciar de você. Eu nunca abandonaria esse nosso amor, eu a seguiria nas próximas reencarnações, eu não saberia viver sem você. Eu a procuraria por toda a eternidade, e só descansaria quando estivesse ao seu lado mais uma vez. Para nós, nunca existirá um fim. O amor sempre ganha.
Glade sabia que não estava bem. Torcia por uma recuperação, e estava apta a dar tudo de si para melhorar, mas ela ainda temia. Algumas lágrimas escorreram de seu rosto, e quando Dornelles levantou-se para secá-las, ela pôde apoiar-se em seu ombro, tendo perto de si todo o consolo que precisava quando mais sentiu-se frágil.
— Sei que apenas um “eu te amo” não pode curar todas as suas mágoas, mas saiba que eu serei mais forte do que isso. Eu serei o seu guia na escuridão, e se alguém tentar leva-la de mim, prometo que irei correr atrás de você até encontra-la, ouviu?
Glade concentrou-se apenas em soluçar e abraça-lo com ainda mais força. O rapaz desviou a atenção para a janela, mas não olhou e nem viu nada em especial, apenas pensamentos e promessas que jamais iria esquecer.
— E que nem a morte nos separe.




Então era verdade... Talvez ela nunca se lembrasse.
Presidente sabia bem que não importava o que fizesse, a amada que um dia o deixou jamais voltaria, por mais que ele insistisse. Desejou de todo o coração acreditar naquilo até o fim, mas estava errado. Quem era aquela mulher em sua frente, sofrendo, aos prantos, pela morte de um alguém que não fosse ele?
As palavras não saíam mais. Esticou a mão em direção dela, mas recuou e decidiu apenas escutar. O que estava feito simplesmente não tinha volta.
Quem eram aquelas pessoas em volta dela? Por que eram elas quem forneciam conforto à sua amada, quando na verdade aquele deveria ser o seu papel? Não se lembrava mais do conforto e carinho de um abraço honesto, tinha medo de que as pessoas desaparecessem se voltassem a tocar seus braços.
Os olhos de Glade... Não conseguia enxerga-los... Por que eles não brilhavam mais para ele?
A mulher ergueu sua fronte, e todos ao seu redor abriram espaço. Seus amigos temeram o que pudesse vir em seguida, era um medo de que ela já houvesse sido perdida. Presidente perdera sua Glade há muitos anos antes mesmo daquela batalha começar, e por mais que tentara recuperar o amor perdido, tudo que encontrou era uma nova figura que assemelhava-se tanto à ela, mas que no fundo não era.
— G-Glaciallis... — uma voz abafada saiu, vinda de um homem trajado em armadura completa, já repleta de rachaduras por todas as batalhas que se sucederam na Liga até então. Como Chaud poderia confortá-la, quando a dor que ela sentia não poderia ser mensurada por meras palavras ou sentimentos? O Bastiodon, com toda sua experiência e vida passada, com todas as guerras que enfrentara e amigos que perdera, não seria capaz de compartilhar o que a mulher sentia? Não havia nada a se fazer.
A dama de gelo não olhou para Chaud, não olhou para nenhum outro membro da Fire Tales e nem para o corpo estendido de General.
Durante todos aqueles anos na vida pós-morte, Presidente lutara para reencontrar sua mulher, desejando que ela tivesse olhos somente, e unicamente, para ele. E agora, ele conseguira.



Presidente não teve outra reação, senão sorrir.
— N-nossa... Veja isso. — O homem passou a mão em seu próprio rosto. Havia começado a suar e sentia seu coração batendo numa frequência ainda maior. Estava ansioso, e também assustado. — Mal posso acreditar! Aqui estamos nós... No final de nossa história, ou seria este o recomeço?
— De pouco importa, pois ao meu ver este é um livro que eu nunca abri e nem pretendia começar a ler — respondeu Glaciallis —, mas, aparentemente, fui obrigada.
Apesar das palavras do Presidente terem soado bondosas, ele não foi recebido com o mesmo entusiasmo.
— Glade... — ele sorria como um menino que finalmente cria coragem para enviar sua cartinha de amor para a garota que sempre sentou tão longe na sala. — Estamos juntos, afinal. Isso não é bom?
Quando Glaciallis preparou-se para dar-lhe uma resposta bem dada, o homem foi mais rápido.
— Por favor, não responda. Deixe-me... Deixe-me apenas dizer o que tenho a dizer...
— Não acha que suas palavras já machucaram pessoas demais, Presidente?
— Se atingi tantos no caminho, então esta não foi a minha intenção. Escrevo minha a história — a nossa história — com o único intuito de tê-la comigo, para sempre. Como eu lhe prometi.
Ele tirou seu chapéu e olhou para a arena de batalha. Não haviam soldados, não haviam capitães ou generais. Todos os espíritos haviam retornado para os devidos postos, Wiki e Beliel retornaram para juntos de seus companheiros com a vitória em mãos. Era apenas ele e ela — sua amada. Demorou tantos anos, décadas, para planejar tudo aquilo... E agora, não tinha certeza do que deveria fazer.
— Este é o Jogo da Vida em que fui arremessado, onde me disseram: Entre, e ganhe. Sou um estrategista, não gosto de perder. Meu troféu final era você, e eu estava disposto a consegui-la custe o que custar, não importava quantos anos eu tivesse que esperar. Desenvolvi afeto por este jogo e aprendi a jogá-lo bem, sempre almejando chegar ao final, mas nunca pensei exatamente o que seria de mim depois que ele realmente terminasse...
Presidente parou de andar, e assim, colocou de volta seu chapéu. Seus olhos estavam perdidos, indecifráveis. Glaciallis continuava tomada por um ódio profundo. O homem dirigiu-se para ela, e com a voz mansa, assumiu:
— Agora que estou aqui, eu não sei qual deve ser o caminho que devo tomar. Por favor, Glade, faça a próxima jogada.
O rosto da mulher estava avermelhado, enraivecido. As lágrimas não paravam de rolar, mas não era nada como as de sofrimento que já haviam se esgotado. Era como uma tempestade lenta e dolorosa que não atingia nenhum outro que não fosse ele.
A mulher soluçou, limpando o rosto manchado com as mangas.
— E como quer que eu termine?
Presidente encostou-se a uma pilastra com um olhar desamparado e sorriu uma última vez para ela.





Maldição, agora não conseguia mais tirar aquela música da cabeça... Com tantas coisas a se pensar, talvez aquela fosse a única que ainda lhe daria conforto.
Era uma noite calma e tranquila quando a morte levou Glade embora.
Ninguém pôde ver sua alma ser levada, ninguém estava ao lado. Ela simplesmente se foi e... não voltou mais a abrir os lindos olhos azuis. Os livros ficaram empoeirados, e o prato de doces vazio deixaria de ser usado. A criança de cabelos dourados e olhos claros deixara seu brilho e a beleza para trás, embalsamados em um túmulo de gelo, onde um dia desejara ter uma vida longa e feliz.
— Ah, então, ela se foi... A doença por fim a levou, escolhe suas vítimas a dedo e não sente remorsos por nada — Vargas ouviu um médico dizer.
De que lhe servia a medicina, se nem mesmo ela podia ajudar?
Em pouco tempo, o homem encontrou-se mergulhado em uma insanidade profunda. O gosto amargo que ficara em sua boca não podia ser tirado, a vida perdera o sentido. Mesmo com um império a ser guiado, nada mais valia a pena.
— Você sabia que é capaz de revivê-la, meu jovem?
Ouvira falar na magia negra que alguns bruxos possuíam. Ouvira falar também de milagres, de pessoas trazidas de volta à vida. Poderia tudo aquilo dar certo? Durante anos, viveu em seu limite além do permitido. Aprendeu as piores e mais abomináveis técnicas dos xamãs antigos, envolveu-se com druidas, vendeu sua alma para Darkrai, e não arrependeu-se nem por um segundo. Tudo que queria era ter mais um dia ao lado de sua falecida esposa.
— Você nunca mais poderá encontra-la em vida, senhor Vargas, mas a alma de vocês está ligada, e se continuar lutando, pode ser que algum dia se reencontrem.
— Eu faria de tudo para tê-la nem que seja por um único dia — respondia sempre que questionado.
Participou de rituais, viu seu nome degradar pouco a pouco, e logo as pessoas do vilarejo não o viam mais como o um renomado príncipe, e sim, um bruxo que se entregara aos feitiços do mal.
— Cacem-no! Ele não é como nós, ele é um monstro!
— Queimem, queimem a casa, queimem tudo! Não permita que essa espécie repugnante se espalhe, acabem com todos!
Em uma noite similar, calma e tranquila, sua casa foi incendiada.
Não haviam mais pais para dizerem-lhe o que era certo e o que era errado. Quando foi que suas atitudes mudaram o rumo de sua vida, tudo pelo coração de uma mulher? Dornelles viu-se sozinho, mas nunca desamparado. O sentimento de algum dia reencontrar sua alma gêmea o motivava. E tudo ao seu redor queimava.
Jamais permitira que o fogo o consumisse por inteiro. Sentia as chamas crepitarem em seu corpo, a brasa queimar seu rosto, mas não doía. Ele jamais poderia sentir uma dor maior do que o amor que lhe fora tirado.
Uma bala. Abriu o pacote e deliciou-se com o sabor do doce, mas a bala que viria a seguir teria um sabor mais amargo de chumbo que foi alojado em sua cabeça, da direita para a esquerda. Com aquele último gesto, foi consumido pelas trevas, e tudo ficou escuro e sem sabor.










           
Ele sabia que ia morrer.
    E, ainda assim, não ergueu sequer um dedo contra ela.




Quando partiu sozinho para enterrar o corpo de Glade, percebeu que ela era tão linda e perfeita que jamais poderia ser deixada junto dos demais. Queria que ela ficasse congelada, como uma santa, para que todos a louvassem. Juntou pertences, livros, objetos... Enquanto fazia os devidos preparatórios, em meio a toda aquela bagunça, encontrou um acessório que arrancou-lhe um sorriso. Lembrou-se de quando dera para a amada uma linda caixinha musical com uma melodia da época que ela adorava, vivia cantarolando com sua voz fina, mas não muito profissional. A canção falava sobre a menina que um dia dormiu, e nunca mais acordou. Como era mesmo a letra? Ah, finalmente se lembrara.

O tempo parou por um tempo
Sua mão estava segurando a minha
As estrelas que brilhavam em seus olhos
Não deixe-as passar
Voe para longe, menina de ouro!
E assuma seus medos
Eu vou estar com você em seus sonhos
O mundo é mais escuro do que parece

E eu vou estar à espera da luz
Isso nos guia através do pior das noites
E eu estarei esperando o sinal
De que você está voltando
E que você encontrou o seu caminho





Ele agora tremia de frio, mas sabia que não teria ninguém para confortá-lo. Prometeu para si mesmo que as dores que vieram depois da perda de sua amada não doeriam tanto quanto o dia em que ela partiu. Seus lábios mal podiam sibilar para dizer alguma coisa que fizesse sentido, mas a música continuava em sua cabeça, ainda que ela não fizesse mais sentido para aquela que um dia a valorizara.
Estava nas alturas agora, um pouco mais alto do que esperava. Seu corpo inteiro doía tanto que a dor não era relativa, ela só ia tirando-lhe aos poucos a lucidez, esperando sua hora chegar mais uma vez.
Quando Glaciallis chegou bem perto, ainda pôde ouvir a voz de Presidente sussurrar bem baixinho:
— Eu estarei esperando o sinal... De q-que você está voltando... e que você encontrou... encontrou... o caminho...
— Essa música — Glaciallis sibilou e aproximou-se com a fronte erguida em direção do homem. — É muito bonita... Imagino que algum dia ela tenha significado muito para a mulher que você amava.
Os lábios de Presidente se contorceram. Aquele comentário havia doído mais do que qualquer coisa.
— E-ela adorava, e cantava para mim quando estávamos sozinhos e imersos na mais profunda p-paixão de nossa... juventude...
As palavras finais ainda não haviam saído exatamente como gostaria. Tinha o seu peito perfurado, não lhe restavam muitas. Devia ter ouvido melhor os conselhos de General e pensado em suas últimas palavras com mais calma quando ainda tinha tempo.
Estaria agora sentindo uma mistura de tristeza, solidão? Um amor distorcido, pisado e maltratado? Será que se tivesse sido traído doeria menos, ou seriam as suas próprias emoções que arquitetaram tudo aquilo? Talvez fosse a sensação de uma promessa que não foi cumprida... Tanto esforço, para nada, é o que pensava.
Por fim, decidiu que iria improvisar e dizer o que seu coração ordenasse.








Havia sido difícil chegar à uma conclusão para toda aquela história. Talvez nenhum deles fosse culpado, cada um possuía filosofias diferentes
Quem fora o responsável pelo desfecho da batalha? O quão abstrato poderia ser o “felizes para sempre, até que a morte os separe?” Vargas amou uma mulher tão intensamente que sua vida ganhou um novo sentido, e este sentido o guiou. Até quando deveria prosseguir, até admitir que precisava parar? O quão obcecado nos tornamos por algo, que não aceitamos a derrota e aprendemos a tentar de uma outra maneira?
No fim daquela história, será que Glaciallis era a culpada por abandonar um amor que sua vida deixara para trás? Estaria ela errada por amar um outro sem saber que era destinada a alguém que nunca conhecera? General certamente teria uma opinião concreta sobre aquilo, se ainda estivesse ali para guia-los...
Mas creio que a culpa realmente deva cair no destino. Nele, por simplesmente misturar todas as peças e colocar uma em frente da outra enquanto aprecia seu showzinho começar. Nele, por entrelaçar cada pessoa em sua existência, e rir de todos no final.





Talvez um dia ele encontrasse um caminho que pudesse seguir. Dessa vez, poderia olhar para trás sem a ansiedade de aguardar alguém retornar, mas podendo procurar novas oportunidades, uma nova luz que pudesse guiá-lo.
— Bom dia, moça dos lindos olhos azuis. Poderia dizer-me para onde devo rumar em minha caminhada nesta nova vida?
— Não olhe para os meus olhos, Presidente Dornelles Vargas, mas para os seus.
Sua Menina de Ouro trilhara o caminho oposto, mas na tentativa tola de persegui-la, sua luz decidiu brilhar uma última vez. Presidente olhou na direção oposta, onde o tempo todo ela estivera olhando, em sua direção, e por fim, sorriu satisfeito.
— Ah, acho que encontrei o caminho.



      

{ 13 comments... read them below or Comment }

  1. Cara,esse cáp foi emocionante,muito bom.Sinceramente,acho que essa vai ser a casa da liga que mais marcará presença em minhas memórias.Eu cheguei a sentir pena do President nesta cáp,sério.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Agradeço os elogios, companheiro! Certamente acredito que essa casa ficará marcada por todos os sentimentos nela contida. Creio que ela se assemelhe mais à uma discussão do que uma guerra, retratando algo além de feridas que armas e espadas podem causar...

      Se você sentiu pena do Presidente, então fico feliz por ter atingido meu objetivo, que era justamente o de fazê-lo não sair daqui como vilão. Aos poucos vamos percebendo que nenhum dos membros dos Remarkable Five eram realmente maldosos, e acabamos por sentir toda essa tristeza quando somos obrigados a deixá-los... Bem, então vamos nos preparar para a próxima! Valeu pela presença cara, abraços.

      Delete
  2. Nossa Canas eu... Eu não sei o que dizer. Capítulos assim, que fazem as lágrimas brotarem nos olhos e a visão ficar embaçada me fazem refletir. A mensagem é sincera, trágica, triste e absolutamente melancólica, mas muito linda.

    Perder o General me fez sentir desamparada, perdemos uma peça importante deste jogo, pobre Aerus... Imagine o peso eu sente agora nas costas? E as últimas palavras do Vargas... Arceus do céu, aquilo me tocou. Nossa, a coisa está realmente... Okay, colocar “esquentando” depois dessa batalha seria uma brincadeira de muito mal gosto, mas digamos que estão ficando realmente sórdidas com eles, não concorda?
    Bem, continuem sempre com o bom trabalho, Canas e equipe.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Muitíssimo obrigado pelas palavras, Bruna! Assim como a Nyx teve muito trabalho para fazer desta casa a mais sentimental, também encontrei dificuldades em encontrar as palavras certas. Não é fácil falar de amor e dar prioridade para apenas um dos lados, o outro sempre vai acabar saindo chateado...

      Acredito que perder o General foi um baque para todo mundo, mas com ainda mais intensidade pro Aerus. A Glaciallis sofreu, mas em momento algum tive a maldade de mostrar como o Aerus estava se sentindo. Tem quatro pessoas que ele não pode sonhar em perder: Watt, General, Mikau e Titânia. A falta deles pode influenciar no rumo da batalha, perceberemos nos próximos capítulos como a Fire Tales foi afetada pela queda de um único homem. Nos resta ter a esperança de que eles saibam como se virar!

      Fiquei contente em notar a reação de vocês, perceber que concordaram comigo e acreditaram que o Presidente não era uma pessoa má. Podia ser doente, mas talvez em suas considerações finais possamos considerar que ele foi curado. E mal posso esperar para o fim da Liga, onde poderei falar que fim levou cada um deles, mesmo os que já foram derrotados. E quem sabe agora ele não encontre a pessoa que lhe devolva um amor sincero, não é? Fico feliz que tenha comentado por aqui, beijos!

      Delete
  3. Sabe como eu li o capítulo? Comendo um bolo! E NÃO TINHA UMA ALIANÇA NO MEIO. Decepção :v

    Enfim, essa conclusão foi mais triste que as das outras casas, sei lá, acho que porque ter que se desapegar de repente de uma pessoa que ama...é tenso. :<
    Tenho duas músicas que definiriam perfeitamente, uma delas define a Glaciallis, e a outra o capítulo como um todo. Tímida e A Viagem, ambas do Roupa Nova :33

    "...jazia um livro aberto marcado na página dezessete..." , devo comentar algo? Dezessete everywhere :v
    FIZ A DESCOBERTA DO SÉCULO! Mentira, todo mundo já sacou e nem é novidade :
    Glade Ciary Lissili
    Gla - de
    Ciary - ry
    Lissili - sili + L no começo
    Glaciallis
    PALMAS PARA MIM ! (não era esse o foco o comentário )

    Glaciallis conseguir mostra o quão vingativa pode ser em meio capítulo... Tô com medo dela agora :s
    ô, Deus, falar de morte é tenso, e de amor pior ainda, são duas coisas que cada ser humano encara de maneira diferente, o legal é que você expressou esses dois temas com palavras que tocam. Aposto que muitos se sentiram no lugar do Presidente.
    Quem foi o vilão? Bom, ninguém, foi apenas um confronto de ideais :33 ( se bem que eu culparia a vida kkkk )

    General, foi um bom capitão, foi uma honra tê-lo como bom comandante. Nossos sentimentos T.T
    Destaque para as pequenas participações de Chaud <3
    E é com esse sentimentalismo em mãos que eu digo: Vem Quarta Casa ! \o/

    Muito bom o capítulo *u* E que venha o próximo!

    ReplyDelete
    Replies
    1. A ideia de colocar um anel dentro de doces é meio arriscada, e se acontecer tipo aquelas cenas de filmes românticos onde o cara coloca o anel na taça de vinho ou coisa do tipo e a mulher vai lá e engole? kkk Okay, vamos ignorar as possibilidades e simplesmente acreditar na magia de uma história romântica e de fim dramático!

      Apesar de toda a tristeza de um amor perdido, ainda senti uma pontada a mais na casa da Sophie e do Sonnen. Putz, falar de família perto de mim é pra me fazer chorar kk Curtiu as referências escondidas ao número 17?? ("Escondidas" bem entre aspas neh kk) Se tivéssemos percebido esse número antes, eu teria colocado muitas outras coisas na fic tipo 17 participantes, 17 Pokémons, 17 anos, 17 itens, ia ser muito bizarro kk Fascínios por esse número desde então!

      Bem, e aqui ficam nossos pensamentos à respeito de amor, morte, obsessão, exagero, tristeza, destino e vida... Quem está certo, e quem está errado? A gente tentou encontrar uma resposta durante bastante tempo, e até agora a equipe ficou separada kk Acho que ninguém é certo e ninguém é errado. Pronto. A Terceira Casa, e agora voltamos pra PORRADA kkkkk Não chame o General de capitão, não rebaixe o cara! Vai ser tenso ver como a galera da Fire Tales vai se virar ser um líder, até porque o General liderava mais eles do que o Aerus. Quais são as apostas para o protagonista da Quarta Casa? kk

      Valeu pelo comment, Vanessa!! \õ E a sua capa de face também ficou show, aposto que a Nyx vai curtir :D kkkkk Beijos!

      Delete
  4. Posso começar dizendo que essa imagem de capa tá absurdamente linda? <3
    Enfim
    Sempre 17 aparecendo no meio dos textos, sempre... (se tu soubesse o quanto vi esse número no livro que to lendo, mds)
    Glade >>: Começando a leitura bem no leito de morte dela, olha que animador
    Own, ele até que era um fofo, né? :3 (pra quê distorcer isso tudo e se tornar um obsessivo, pra quê??)
    Mano, achava que eles tinham ficado pelo menos uma década juntos, mas nem metade disso tiveram t-t
    MDS O PEDIDO DE CASAMENTO DELE, QUE COISA LINDINHA *^^^^*
    Cês nem imaginam todos os poréns :''D E, ah, Glade, ignore isso. Se tu o ama (e nessa época tu amava), dane-se os poréns ~
    Aquele momento em que encontramos alguém que leva a sério mesmo as promessas que faz /q
    OLHA SINCERAMENTE NO PRIMEIRO DESENHO JÁ TACANDO DOR NA MINHA CARA
    E MDS O FINZINHO DO DESENHO ASDKASKDASDKSAKDSAKDSAKDSAKDSAKDKSADKSADKASDKASKDASKD PQ TU FAZ ISSO, CARA, MEU CORAÇÃO AINDA TÁ DOENDO PELO GENERAL, EU NÃO DEVERIA ESTAR COM ESSES FEELS AGORA Ç______Ç AINDA ASSIM DASKDAKDASKDSAKSDASKDSADKSDAKSADKSDAKSDAKSDAKKSDADA [DESABA NO CHÃO]
    Btw, impressão minha ou começou a nevar agora? Toda a dor dela tá afetando até o clima
    [e eu ainda olhando pra bendita imagem SADKASKDSAKDSAKDSAKDSAKDSAKDKSADKASD canas teu nojento]
    AGORA QUE TU JÁ FEZ A M*RDA QUE TU SACOU QUE ELA NÃO VAI VOLTAR A SER A GLADE?? VLW PRESIDENTE, MUITO A+ E_E
    e por mais que tentara recuperar o amor perdido, tudo que encontrou era uma nova figura que assemelhava-se tanto à ela, mas que no fundo não era. > DUH
    Presidente lutara para reencontrar sua mulher, desejando que ela tivesse olhos somente, e unicamente, para ele. E agora, ele conseguira > Falando sobre "cuidado com o que desejas" :v
    No final de nossa história, ou seria este o recomeço? > Algo me diz que é o final, cara, só palpite :v
    Em si, tá me dando muita pena dele. Ele fez tanto, se feriu tanto, feriu tanto, sempre focado no seu objetivo, e agora descobrir que foi tudo em vão >>:
    Meu troféu final era você > okay dane-se a pena, se ferra mesmo que tu merece (eu /odeio/ que tratem pessoas como objetos. odeio.)
    mano tu acabou de matar o cara que ela ama na frente dela PQ SERÁ QUE ELA NÃO TÁ FELIZ????
    ISSAE, GLACIALLIS, OWNA TUDO, MINHA DIVA DO GELO *WWWW*
    minha playlist caindo em música dor bem quando chega ao flashback de depressão insana, mereço
    Mds mano, o cara ficou obsessivo mesmo o___o Pobre Vargas. Apesar de ter dito há pouco que não estava mais sentindo pena, seria impossível. Não sou tão insensível assim. Pobre Vargas >:
    — Eu faria de tudo para tê-la nem que seja por um único dia > Well, seu desejo será concedido, só não garanto um final feliz pra esse dia :v
    A cena do suicídio dele, mano... Sutil e intensa ao mesmo tempo. Não sei como explicar
    MDS ELE NÃO FEZ NADA MESMO?? NEM TENTOU FUGIR??
    carai, confesso que doeu ver esses desenhos. Realmente to com muita pena de tu >>:
    NOSSA MANO, PRA QUÊ OS FLASHBACKS, SINCERAMENTE ???? Ç_____Ç
    POAAR
    AS PALAVRAS DELA PRA ELE
    EU NÃO TO SABENDO LIDAR, MDS
    Destino, sei. PRA MIM ESSE DESTINO TEM OUTRO NOME, QUE É SENHOR CANAS, ESSE SER SEM CORAÇÃO Ç_Ç
    noss mano sério eu já tava quebrada NÃO PRECISAVA DO AERUS SE DESPEDINDO DO GENERAL NEM DE BBZA GLACIALLIS QUEBRANDO, SINCERAMENTE Ç_____Ç
    E esse final??? Devemos entender que ele finalmente encontrou algum tipo de paz?? I hope so >:
    e agora partiu ficar encarando a tela do note sem saber o que fazer da vida apenas sentir .....

    ReplyDelete
    Replies
    1. Pois é, minha cara Anne... No final, será que consegui convencê-la de que o Presidente é uma boa pessoa, ou não? kk Ainda acho que você ficou meio dividida, em alguns aspectos eu acertei fazendo ele parecer um cara arrependido, mas em outros, acho que ainda mantive aquela ideia obsessiva e controversa que ele tinha kk Será que no fim da Liga em cada uma das casas vou conseguir fazer você se emocionar e lembrar-se de seus próprios personagens? Eu também vou precisar ir me preparando psicologicamente se você decidir descontar a raiva em mim kkkkkkkkkk

      Gostou da cena do Chaud e da Glaciallis? Juro que eu a fiz porque você foi uma das que mais apoiou esse casal, e já cheguei a comentar isso com você! kk Às vezes precisamos de uma única pessoa para falar: Cara, eu curto esses dois juntos! E aí já era... A imaginação rola solta, o Chaud teve uma única fala nesse capítulo, e ainda acho que ele chamou tanta atenção quanto qualquer outro kk

      Culpe a Litos e a Nyx pelo flashback, antes a luta contra o Presidente era triste, dava dó, mas a maioria das cenas emotivas não estavam aí. Foi a Nyx que começou com a ideia de sempre colocar lembranças, esses flashbacks desgraçados que fazem toda a diferença! kkkkkkk Não se preocupe porque a Quarta Casa não terá tempo para flashbacks, mas já vai se preparando porque a última... Ali as lágrimas rolarão soltas, você deve conhecer melhor do que eu a sensação de terminar de uma história e despedir-se dos personagens... Juro que tento ao máximo não pensar no meu Capítulo 99, se começar a tocar uma música triste sou capaz de ficar aos prantos kk

      Bem, mas muito obrigado pelo comment e pelos surtos Anne, você sabe que sempre me divirto kk Acabo até dando um pulo no seu twitter pra rir um pouco mais depois, mas é engraçado porque um dia vi um post do você: Todo ficwriter quer alguém para surtar com suas histórias e te mandar ir à merda kkkk E acho que só quando isso acontece sabemos que estamos mexendo com as pessoas! :D Valeu parceira, beijos!

      Delete
  5. * Luto eterno pelo General*
    Fiquei emocionado pelo capítulo. Como explicar essa confusão de paixões? Afinal, quem é Glade? Quem é Glaciallis? A questão é que o corpo pode ser o mesmo, mas a consciência muda e isso faz delas pessoas totalmente distintas. Essa foi a maldição de Presidente, ver que sua amada não existe, apesar de todas as buscas dele porque trata-se de outra pessoa. Infelizmente, ele só notou isso após morrer, quando viu em Glaciallis o olhar de força e segurança que ela adquiriu com o General. Meu desejo era de que a Glaciallis entrasse em batalha antes do General morrer, mas o velho comandante não estava em seu melhor estado (e poder levar alguém como ele pra toda a Elite seria apelação) e o veneno acabaria por consumí-lo em algum momento. Melhor morrer honrado com o nome da amada.
    Glaciallis com toda sua fúria conseguiu despertar seu poder oculto e que esperava desde a sua aquisição na Eterna Forest (saudades desses capítulos). Na verdade, esperava que ela o congelasse em um túmulo, mas, nesse estado, ela não conseguiria sentir pena e apenas congelar o algoz do seu amado. Chaud e Glaciallis foi um casal que eu shippei porque sempre achei os dois lindos juntos; ambos tímidos, introspectivos, se conhecendo através da arte da literatura; por isso a cena deles foi um alimento pra minha alma carente dos dois juntos. Ainda tinha um pé atrás com EvaxChaud e GeneralxGlaciallis por causa disso, mas isso era apenas para os casais porque os personagens Eva e General são incríveis, porém, depois de começarem as lutas da elite com cenas EvaxChaud e agora com GeneralxGlaciallis, devo admitir que ficou bom assim.
    Posto isso, parabéns pela obra, Canas, e pelas ilustrações que a compõe, Nyx.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Cara, sempre fico muito apreensivo quando vejo usuários Anônimos, eles têm essa reputação que funciona como uma faca de dois gumes, grande parte deles vêm aqui para causar tumulto ou jogar spams em todo lugar, mas geralmente quando aparece um que seja bacana, costuma ser uma experiência muito gratificante e agradável. Por um tempo tranquei os comentários anônimos porque semanalmente eu recebia quase 150 comentários só de spam, coisa nada a ver divulgando sites e talz, mas então encontrei um jeito de resolver isso e colocar os comentários disponíveis novamente, e não me arrependo.

      Costumo me deparar com bastante coisa que me deixa bem contente, agradeço os elogios sinceros cara, você certamente se envolveu tão bem com os personagens quanto eu. Gosto de alimentar diversos shippings para a imaginação dos leitores, essa coisa de uma pessoa só combinar perfeitamente com outra é fachada, nem na vida real isso acontece kk Há diversos tipos de casais que o pessoal gosta, desde os mais conservadores, os mais atirados, ou os mais doidos como o relacionamento do Marco, Wiki, Mozilla e Vista, um que por sinal eu adoro. E é engraçado notar que mesmo com pouquíssimas cenas juntos vocês valorizaram esses casais raros, é a melhor prova de como a química entre eles funcionou bem. Acho que preciso aprender algumas coisas com meus próprios personagens! kkkk

      Aparentemente você é das antigas cara, se estava aqui nos tempos que a Glaciallis ainda vivia na Eterna Forest carregando seu pequeno diário, então você viu muita coisa MESMO kkk Ah, bons tempos, realmente... Mais uma vez, agradeço pelas palavras cara. Continuaremos dando nosso melhor com a história, as cenas do mangá e cada ideia que é trabalhada com todo carinho e dedicação para sair perfeita para vocês. Um grande abraço!

      Delete
  6. Ah tive que escrever de novo...:v
    Ahhh agora é LERIGOU DEFINITIVAMENTE!
    N entre nesta onda WV....'-'
    Com ele dizendo q estava com a musica na cabeça e aquele golpe divasticamente divoso..'-'
    General...Presidente...vou fazer a lista Sor Canas.
    Any objections? *aonda surto naquele comentario anterior e momento Sadamtastico :3**ainda cryio(cry sacas?) Sadam...shippo Eu e Samus, Eu e Adam, Eu e o Jon..e mais uma lista ai '-'Todos morrem *
    Quando eles fazem vc ler muitos capitulos e matam o personagem favorito no fim...oi quade isso. MAX REVIVERS CADE VOCÊSSSS? KARL AJUDA AQ!!!!
    Em tema de Drama, Vanas vc é um dos melhores! Suas fics sâo sensacionais mesmo sabendo que alguem morre no fim '-'
    Vou ver sempre quando sair um cap ^^ castigo eterno.....;-; ai vem provas '-'
    Cyao!

    ReplyDelete
    Replies
    1. São muitas coisas para a cabeça, não é, senhorita WV? kkkk Não diga que sou uma pessoa que sempre mata meus personagens no final, é previsível, mas SÓ porque THIS IS SINNOH! KKKK estou só fazendo alguns testes quanto à reação dos leitores sobre personagens que morrem, mas, geralmente, eu fico LOUCO DE RAIVA quando matam alguém que eu gosto em animes/jogos/filmes, então muito provavelmente em futuras histórias tomarei bastante cuidado com isso kkkk É muito triste, prometo que vou matar só mais alguns, aí eu paro :3

      Drama sempre foi uma de minhas especialidades, ou melhor, eu aprendi a adorar. No começo eu nem entendia o que era, mas às vezes é bacana retratar esse lado mais emotivo das coisas ao nosso redor. É um castigo provisório, mas em breve trarei Max Revives para todos, OH YEAH!! kkkk

      Bem, e esta foi a casa com o estilo mais próximo que tivemos de algo como Adam Malkovich e Samus, mas quem sabe com o tempo sobra tempo e disposição para fazer mais algumas fanarts? Posso dizer que a Samus têm me trazido muitas visitas lá no DeviantART, então provavelmente continuarei desenhando várias Samus, minha musa! ❤ kkkkkk Valeu pelo comment, WV! See ya.

      Delete
  7. Cara, esse foi um dos melhores capítulos de todos! Sério! A mensagem dele foi linda. Você criou um enredo para essa casa muito mais complexo que qualquer batalha de Pokémon por si só. Estamos falando de amor e destino. Como já falei, a Glaciallis é uma personagem que fiquei muito feliz de ver com mais destaque. Achei engraçado que a Froslass e a Gardevoir foram Pokémons não muito usados em batalhas ao longo da história, mas foram peças fundamentais na Liga.

    Confesso que na maior parte do capítulo (desde a primeira parte) eu estava torcendo mais para o Presidente. Acho que por essa questão de eles terem um passado me tocou, sabe? Toda a história, as ilustrações deles crianças... Isso me fez torcer em partes para ele, embora o General seja um personagem que amo muito. Foi aí que você entrou com uma virada muito legal, e deixou a mensagem: por algum motivo, a Glaciallis não se lembra do Presidente. Também não é justo aprisioná-la por um amor do passado. Ela outrora foi a Glade, mas hoje ela é a Glaciallis. E é louco pensar em como o Presidente tornou-se obsessivo por essa imagem que ele tinha de sua amada, ficando realmente aprisionado por anos a uma imagem do passado. O mais bonito foi isso: afinal de contas ele está livre, e ela também, para viverem um futuro. O passado deles foi junto, mas não o presente. Uma questão de seguir em frente. Esse capítulo mexeu muito comigo, justamente porque eu não esperava como as coisas iriam se desenrolar. Desde que o General foi derrotado, você já me desarmou HAUDHAISHIDUASHI Logo mais partirei para a penúltima casa, e pelo visto ela promete ser bem emocionante!

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -