Posted by : CanasOminous Dec 21, 2012

MITOLOGIA

“No início havia apenas um tumulto na agitação do caos, e no coração do caos, onde todas as coisas se tornaram um, surgiu o ovo, e tudo caiu no vórtex da existência. O ovo deu origem ao Um Original, e de si, dois seres coexistiram. O Um os fez, o tempo começou a girar e o espaço a se expandir. Enquanto a guerra entre a luz e escuridão continua, heróis e vilões se tornam mais difíceis de identificar. Espíritos gêmeos separados no nascimento lutam por seu lugar no tempo e espaço para se solidificar.
          De si mesmo, novamente, três coisas vivas o Original fez. O relógio bate rápido e mais rápido enquanto a vida corre como uma maratona. O mundo criado levou ao sono inflexível... O fim é só o começo, o começo da calmaria antes da tempestade.”

A Comandante caminhava no mesmo ritmo dos jovens com passos lentos e incontidos. Martha parecia ser guiada de forma maquinal para seu rumo, não dirigia nenhuma palavra às crianças e mal conseguia olhá-las no rosto. Luke e Lukas iam acompanhando sua tia e perguntavam-se do motivo de tudo aquilo, mas optaram por serem discretos e não se meterem nos assuntos particulares da mulher. Martha guiou seus sobrinhos até uma área afastada de Canalave, próxima à uma gruta na costa e com diversas criaturas aquáticas que faziam daquele ponto sua moradia. Assim que ela atingiu seu destino soltou um longo suspiro e virou-se para trás, dizendo com certa apreensão:
— É aqui, chegamos ao nosso destino.
Os Irmãos Wallers olharam tudo ao seu redor e estranharam que a mulher tivesse tamanha urgência em realizar um trabalho no meio do nada. A vista era bela, o mar encontrava-se calmo, mas a clara mudança na temperatura trazia a sensação de uma possível virada no tempo. Os jovens já estavam há um pouco mais de uma milha de distância do hospital onde Marshall os aguardava, e se demorassem em suas tarefas não seriam capazes de voltar há tempo de receberem seus pais.
Lukas olhava no relógio incansavelmente vendo que Martha até então não dera nem dica do que se tratava aquele favor. A Comandante procurou por um pedaço de graveto no chão, e assim começou a desenhar um círculo na areia branca da praia. Os jovens observavam com atenção contemplando a perfeição da natureza enquanto o som das ondas trazia em conjunto da bela visão do pôr-do-sol no horizonte distante. Poderia alguém odiar aquilo? Assim que Martha terminou seu círculo ela voltou-se para os jovens e demonstrou um sorriso triste e dissimulado. Ela parecia extremamente chateada com algo, por isso suas palavras saíram quase que um lamento:
— Vocês acham que as pessoas merecem uma segunda chance pelas coisas ruins que fizeram em vida?
Lukas estava sentado sobre um monte de areia, e ao notar a expressão no rosto de sua tia percebeu que algo claramente a incomodava, e aquilo não se tratava de uma simples pergunta cotidiana.
— Apesar de toda a maldade que existe no mundo creio que o perdão seja a maior dádiva dada à raça humana. Se há arrependimento, há perdão.
Martha sorriu, e vendo a sabedoria nas palavras de seu sobrinho apenas agachou em direção deles e abraçou-os levemente. Os jovens não entenderam muito bem a reação espontânea da mulher, mas retribuíram de forma carinhosa. A mulher agarrou um dispositivo de seu uniforme, revelando uma Master Ball que fez os olhos de Luke brilharem ao vê-la nas mãos de sua tia. A Comandante lançou a cápsula para o alto e dela surgiu uma estranha criatura rósea que flutuava em volta da mulher de forma serena e agitada. Martha segurou no rosto do Pokémon e voltou-se para os jovens.
— Este é Mesprit, a essência da emoção.
— W-Woah! Espera um pouco, tia. Como foi que você conseguiu um... Um Pokémon Lendário?! — bradou Luke extremamente surpreso.
— Esta é a criatura que habita o Lake Verity, próximo de Twinleaf! — acrescentou Lukas pasmo — Nós o vimos em um sonho no começo do ano, como eu poderia esquecê-lo?
— Eu e este Pokémon temos muito em comum. — afirmou Martha — Na realidade, todos nós temos, e por este motivo eu os convoquei aqui. Hoje daremos início ao nosso Novo Mundo, longe do caos, da tragédia, da violência e do desespero. Este dia será marcado como a criação de um mundo melhor para todos nós.
Martha segurou no braço dos jovens e os trouxe para dentro do círculo desenhado no chão. Os Irmãos Wallers sentiram uma aura intensa percorrer a sua volta, e por um momento pareceu que toda a noção de tempo e espaço tornou-se nula. Martha permanecia com uma feição de decepção, e assim que seus sobrinhos adentraram o portal a mulher encontrou-se fechando os olhos com força e balbuciando palavras de arrependimento:
— Perdoem-me por tudo.
Mesprit, o lendário guardião do lago, começou a contornar o portal numa velocidade impressionante. A areia ao redor formava redemoinhos de pequeno porte e as palmeiras curvavam-se como num ritual. Luke fechou os olhos vendo tudo ao seu redor escurecer, o pôr-do-sol desaparecer, e os mundo onírico o dominar. Quando voltou a abri-los notou que já estava em um lugar totalmente diferente de Canalave, tratava-se de uma espécie de santuário decorado por ruínas antigas e pilares que cortavam os céus. O chão era condecorado por flores e um imenso vitral exalava toda sua grandeza diante das paredes de mármore do ambiente. Onde eles estavam?
Sua tia e seu irmão ainda estavam do seu lado, e Lukas compartilhava da mesma expressão espantada. Martha soltou a mão dos jovens e deixou o portal na medida que Mesprit a acompanhava e tocava seu rosto como se mantivesse uma comunicação direta com a moça. A Comandante Mars virou-se para os jovens e fez um aceno.
— Sigam-me.
— E-Ei, tia Martha, onde nós estamos? Como foi que viemos parar aqui, o que está acontecendo?! — Luke repetia incansavelmente em meio àquela estranha situação. Martha virou-se para o jovem e sorriu de forma confortante para que ele se acalmasse, e com um sorriso sereno de sua juventude disse com palavras suaves:
— Confiem em sua família, confiem em mim.
Levados pela confiança que sempre depositaram na mulher, os dois começaram a segui-la ainda que com certa hesitação. Martha era irmã de Melyssa, e desde pequenos Luke e Lukas lembravam-se de quando ela os visitava e trazia presentes para a alegria dos sobrinhos. Sua mãe era filha de uma família muito rica, mas havia algo que nunca lhes fora dito. Martha fora adotada quando ela ainda era muito nova. A grande diferença de idade sempre trouxera conflitos entre as duas, mas Melyssa cuidava da pequena como a uma verdadeira irmã mais nova, e nunca a condenou por não terem ligações diretas de sangue. Os jovens confiavam em Martha como a qualquer outro membro da família.
A Comandante guiou os jovens por entre os pilares, e no fim do corredor era possível ver um grupo de pessoas, membros dos Galactics atuavam na área ativando máquinas e fazendo reparos na estrutura do santuário o que destruía todo aquele ambiente místico e natural outrora existente. Um homem de cabelos azuis mantinha o controle da situação. Luke e Lukas estavam familiarizados com alguns membros e inclusive chegaram a cumprimentar dois deles que haviam roubado suas pokéagendas há muito tempo. Luke acenou para os soldados dos Galactics e disse:
— Ei, eu lembro de vocês dois. Cosmo e Star, ou algo assim. Vocês fazem parte do grupo de pesquisa da minha tia, não é?
Os dois viraram o rosto e pareceram esconder algo, como se não quisessem conversa. Não por maldade, mas a mesma expressão de apreensão era compartilhada com a Comandante Mars. Luke recuou um pouco ofendido, desejava ao menos que fosse bem recebido, mas todos naquela sala agiam de forma fria e até melancólica para com os visitantes. Mars foi em direção do homem de azul e apresentou seus sobrinhos para o superior. Ela fez um gesto honroso de devoção, ajoelhando-se antes de anunciar:
— São eles, senhor Cyrus. Luke e Lukas Wallers. — disse a mulher ao levantar-se, apoiando a mão sobre o ombro das crianças.
Cyrus virou-se e encarou aqueles jovens, lembrando-se perfeitamente de quando os vira na beira do lago da verdade. Luke e Lukas não teriam uma memória tão boa quanto a do velho homem, mas compartilhavam da mesma sensação de que já o viram em algum lugar. Martha voltou-se para seus sobrinhos e apresentou-os formalmente:
— Crianças, este é meu chefe. Senhor Cyrus, organizador, desenvolvedor e fundador de toda a corporação de pesquisas dos Galactics. Um fascinante e de ideais imagináveis. Nós buscamos criar um Novo Mundo.
Cyrus lançou apenas um rápido olhar para trás, mas não disse nada. Voltou-se para Martha e assentiu com a cabeça, ordenando com sua voz grossa:
— Prepare-os.
Martha acenou em despedida, e logo guiou seus sobrinhos para uma área mais afastada do santuário. O ambiente era sombrio e nefasto, a penumbra cobria a região e tudo parecia ter escurecido, não havia céu, os jovens pareciam estar acima dele. Eles mal se lembravam do sol desaparecer no horizonte. Por algum motivo o relógio de Lukas estava travado, e o ponteiro fazia o caminho reverso quando no voltava algumas horas para piorar ainda mais a apreensão do jovem. Logo a Comandante Jupiter se encontrava no caminho, observando-os de braços cruzados na medida que Mars caminhava de forma lenta e melancólica. Jupiter balançou a cabeça negativamente e olhou para a companheira de trabalho com enorme desdém.
— Você é uma mulher terrível, Martha.
Luke não gostou nada da ofensa.
— Ei, quem você pensa que é para chamar minha tia dessa maneira? — bradou enfurecido, vendo uma expressão de surpresa no rosto de Jupiter. A mulher de cabelos roxeados abaixou a cabeça e voltou a perguntar:
— Você não... Você não contou para eles?
Martha acenou negativamente, mas as palavras mal saiam de sua boca. Tudo aconteceu muito depressa, mas se dois soldados da corporação não a segurassem a Comandante Juptier teria acertado um soco no rosto da ruiva com tanta força que ela teria dificuldades em levantar-se. Luke e Lukas ainda podiam ouvi-la na medida que os soldados a levavam para longe para que ela se acalmasse.
— Martha, sua miserável!! Eles são seus sobrinhos, sua família!! Como pode fazer um coisa dessas?! Como você acha que o Saturn reagiria? Quer saber de uma coisa? Ele não merece uma mulher como você!!
— Cale-se, Jupiter! Vá embora, não piore a dor que estou sentindo, não torne minha situação ainda mais insuportável e meu sofrimento incontido! Já basta! — respondeu Mars.
Movido pela atenção que a discussão gerara, Cyrus aproximou-se do comitê com as mãos para trás. A presença dos jovens irmãos era quase que insignificante, e as dúvidas em suas mentes eram deveras confusas. Assim que Cyrus chegou a briga cessou, mas o homem ainda não hesitou em dar um toque para sua equipe:
— Comandante Jupiter, qualquer um que se opôr aos nossos planos à essa altura deve deixar a facção imediatamente. Não terei piedade daqueles que se oporem, e saiba que o que a Comandante Mars está fazendo aqui nenhum de vocês seria capaz. Então siga meus conselhos e cale-se, deixe-a cumprir seu trabalho com êxito, e o triunfo de nossa facção não tardará em chegar.
As duas se encararam brevemente e logo seguiram caminhos opostos. Luke já não gostara nada da amiga de sua tia, e perguntava-se se os companheiros de trabalho dela eram todos tão esquisitos. O jovem colocou as mãos no bolso enquanto caminhava tranquilamente rumo à sua desgraça.
— Tia Martha, o que aquele homem quis dizer com aquilo?
— Vocês verão. Vocês verão... — respondeu a moça com um suspiro, contendo as palavras que não puderam ser proferidas, resumindo-as a um mero pensamento: Só espero que me perdoem por tudo isso.

• • •

Em Canalave a situação beirava a perda do controle. Mais uma vez Marshall convocara sua frota de policiais atrás de uma moça ruiva e duas crianças, mas não havia sinal da Comandante Mars em lugar algum. As pessoas do porto afirmavam inclusive que sequer a viram sair, era impossível que ela tivesse deixado a cidade, há menos que tivesse partido pelo oceano, o que era improvável.
Walter estava quieto até demais, massageava a região dos olhos demonstrando claramente que algo o incomodava. Aquele gesto era temido por toda uma nação, significava que o velho homem estava perto de perder o controle. Glenn caminhava inquieto de um lado para o outro enquanto Melyssa tentava de todas as maneiras entrar em contato com sua irmã, mas sem sucesso. Após um tempo Dawn fez seu caminho até o hospital, e quando encontrou praticamente toda a ex-Elite completa não escondeu imensa surpresa. Walter dirigiu seu olhar a entrada e sorriu:
— A menina das batatas. — afirmou o velho campeão de forma simpática.
— S-Senhor Walter Wallers, Melyssa Wallers, Glenn Combs, Marshall!! O que está acontecendo aqui, qual o motivo desta reunião inesperada?
— Opa, é a mocinha que dava em cima do Luke. — afirmou Glenn de forma espontânea — Como vai, broto?
— Estou bem, senhor. Vieram ver o Luke e o Lukas também? Eles ficarão muito felizes com a visita de todos vocês! Inclusive demorei porque eu quis aprender a costurar nesse tempo, e fiz um par de cachecóis para eles. Mal posso esperar para vê-los.
Marshall respirou fundo, e após retirar o chapéu teve de dar mais uma dura notícia:
— Senhorita Manson, temos um pequeno problema... Eles desapareceram.
A bolsa que Dawn tinha em mãos quase veio a cair de seus braços num gesto surpreso. A moça ajeitou os cabelos e compartilhou da mesma expressão de euforia dos demais presentes.
— Sumiram... De novo...? — indagou ela decepcionada.
— Não se preocupe, creio que não seja nada grave dessa vez, visto que eles saíram com a tia deles. O problema é que já faz cerca de três horas e os jovens ainda não voltaram. Em momento algum conseguimos manter contato. Isso me preocupa, algo pior pode ter acontecido. — explicou Marshall.
— Tia? Está falando daquela moça de cabelos vermelhos que trabalha para os Galactics?
Melyssa ajeitou-se na cadeira do hospital e opinou:
— Sim, é a Martha. Você a conhece?
— Nós tivemos alguns incidentes e a encontramos duas vezes em nossa jornada. Perdoe-me pelo uso da palavra, mas ela é uma mulher... diferente, sempre está envolvida nos planos de sua facção, e da última vez que a encontramos eles tentavam apagar um incêndio em Eterna, causado por um dos membros dos Rockets.
A atenção de Marshall voltou-se para a menina, ele cruzou os braços como se procurasse saber mais e sentisse que aos poucos chegava a uma solução.
— Qual era a relação dos Rockets com os Galactics? — perguntou o rapper.
— Até onde sabemos, nenhuma. — prontificou-se Marshall — Por algum motivo os Rockets pareciam ter certa rivalidade com eles, mas em meu encontro com Archer não notei nenhum resquício de um plano maior que envolvesse os Galactics e muito menos a Lustruous Orb roubada de Hearthome. É uma pena, mas creio que ela tenha afundado no oceano junto da Ilha de Ferro, aquele artefato era muito precioso...
Um breve silêncio pairou no salão de entrada do hospital, e apenas o barulho das macas dos enfermos chegando podiam ser ouvidos. Marshall voltou-se para Dawn e continuou a indagação:
— Sabe me dizer quem foi o responsável pelo incêndio?
— Não me lembro do nome dele, mas... Sinto que já vi o duas vezes. Ele usava uma boina e tinha cabelos esverdeados...
— Executivo Proton. — afirmou Marshall com prontidão — Ele foi liberado da prisão no último fim de semana. Então quer dizer que esse homem estava envolvido com os Galactics?... Isso faria sentido caso ele tenha roubado a Lustruous Orb, mas até onde sei não há como este artefato ter caído em suas mãos.
— E o que isso afeta na história? — perguntou Glenn.
— Eu desconheço desse assunto, poucos são os especialistas em mitologia Pokémon em nossa região. — acrescentou o policial.
Dawn logo levantou-se de sua cadeira, demonstrando certa apreensão no assunto. No momento em que todos voltaram seus olhares para ela a garota ficou um pouco acanhada, mas alertou com convicção:
— E-Eu conheço uma moça! Bem, na verdade foi esses dias quando voltei para Sandgem no fim de semana, mas nos tornamos amigas desde então. Digamos que foi por puro acaso...

Flashback On

Dawn aguardava pacientemente que o Professor Rowan terminasse de enviar os Pokémons de seus companheiros. O velho guardava o último dentro de sua respectiva pokébola para finalmente enviá-lo de volta à moça que controlava a central de depósitos em toda a Sinnoh. Ao terminar de enviar o último Rowan sentou-se na e soltou um leve suspiro de gratificação, elogiou Dawn por seu desempenho na Ilha de Ferro e com um leve toque em seu ombro falou:
— Eu não poderia esperar menos de minha aprendiz. — disse Rowan — Fico feliz que tudo tenha terminado bem, e que os Irmãos Wallers estejam a salvo. Esses Pokémons têm muita força de vontade e determinação, eles tornam seus treinadores ainda mais surpreendentes!
— Esses dois são importantes para todos nós, professor. — disse a menina — Bem, mas estou exausta depois de tudo isso! Mal posso esperar para voltar à Canalave e revê-los depois de saírem do hospital, mas ainda não é hora de descansar, quero fazer um presente para meus amigos!
— Um presente? — perguntou o velho, acendendo seu cachimbo. Dawn acenou positivamente com a cabeça num gesto alegre.
— Sim, sim! Eles sempre me ajudaram e fizeram companhia, inclusive me lançaram nessa aventura maluca atrás de meus sonhos, e a cada dia sinto que estou mais próxima deles. Quero dizer, mais próxima de meus sonhos, não dos garotos... Ah, o senhor me entendeu.
— Diga-me, pequena, você acredita em destino? Ou acha que as pessoas simplesmente vivem sendo levadas pela brisa, sem rumo?
Dawn ficou pensativa, olhando para a janela e pensando tratar-se de mais uma das velhas metáforas do professor. Após muito refletir ela anunciou:
— Acho que é um pouco dos dois. Tudo que acontece tem um motivo, e à medida que vivemos sendo levados pelo vento, conhecemos lugares, culturas e pessoas novas!
O velho sorriu, afagando a cabeça da jovem menina.
— Você cresceu muito, minha querida. Quando você vivia aqui em Sandgem ainda tinha pensamentos leigos e infantis, e hoje já é uma adulta. Essa nova geração, sempre surpreendendo.
Dawn sorriu e agradeceu o velho por toda ajuda, mas jpa ficava tarde e logo ela precisaria voltar para casa. Foi em direção da porta, mas Rowan chamou-a antes.
— Minha jovem, sinto que eu tinha alto importante a lhe dizer.
— O que seria, professor?
— Não estou lembrando, mas era importante... Bem, de qualquer maneira, se eu esqueci é porque não tinha utilidade! Pode ir, pode ir. Aproveite seu descanso antes de retornar à viagem!
— Obrigada, professor. Estou voltando para casa, se precisar de algo basta me chamar!
O velho parou e ficou olhando para a porta.
— O que será que eu tinha que contar para ela mesmo? Ah, deixe para lá. Acho que estou ficando velho...
Dawn foi em direção de sua casa, pegou a chave que há tanto tempo deixara guardada em sua bolsa, e finalmente abriu a porta. Tudo estava arrumado, provavelmente o professor dera uma geral no imóvel no tempo em que ela esteve fora. Era uma sensação boa voltar aos tempos antigos; ver seus bichinhos de pelúcia, sua mobília, a cozinha mal usada, tudo no mesmo lugar de sempre. Exceto por algumas ligeiras mudanças.
A menina viu um quadro de sua família e deu um suave beijo na tela, em seguida foi direto para seu quarto. Ao abrir a porta jogou a mochila no chão e espreguiçou-se ao murmurar: Lar, doce lar. O silêncio prevalecia como sempre, ela imaginava que não havia ninguém por perto. Voltava a morar sozinha depois de tanto tempo, mas em seu íntimo sentira saudade daquilo. A primeira coisa que fez foi ir em direção do banheiro para tomar um bom banho sem se dar no direito de fechar a porta, deixou a água esquentar e ficou lá embaixo por várias horas. Ao sair enrolou-se na toalha e vestiu uma camisola, e mesmo que fosse cedo queria ficar de pijama a inteiro. Porém, assim que passou na cama viu que algo se mexia embaixo da coberta.
— Tem alguém aí? — perguntou assustada.
A menina imediatamente agarrou um taco de baseball que tinha na estante e ergueu insinuando uma possível investida. Pensou que fosse um Pokémon selvagem que invadira sua moradia, mas ao puxar o cobertor notou uma cabeleira loira deitada em seu travesseiro. Dawn deixou o taco cair e soltou um grito de surpresa ao encontrar-se em meio a seus murmúrios:
— T-Tem uma mulher dormindo na minha cama!!
A mulher virou-se lentamente demonstrando seu rosto sonolento. Ela era bela, lembrava a Bela Adormecida em meio àquela situação inusitada. Ainda estava vestida com roupas de sair como se simplesmente tivesse despencado na primeira cama que viu e adormecido como uma princesa. A loira foi abrindo seus olhos de forma lenta e vagarosa, encarando Dawn com sua feição de espanto.
— Quem é você? — perguntou  loira.
— Eu é quem pergunto, o que você está fazendo em minha casa?! — indagou Dawn frustrada.
A moça sentou-se na cama esfregando as mãos no rosto e tentando ajeitar seus cabelos bagunçados. Ela parecia ter acabado de despertar de um longo dia de trabalho, e ainda continuava cansada. Após espreguiçar-se ela falou:
— Eu sou a dona da casa.
— O quê? Sou eu quem morava aqui moça, morei aqui minha juventude inteira!! Desde quando os moradores de Sandgem saem por aí tomando posse da propriedade dos outros?
— O Professor Rowan recomendou que eu ficasse aqui, eu aluguei a casa por alguns dias, ele não a avisou? Sou uma viajante, desculpe-me se a incomodei. Não foi essa a minha intenção, eu vou embora.
— N-Não! — apreçou-se Dawn — Eu é que peço desculpas por recebê-la dessa maneira, é que sai em viagem há quase um ano, e fiquei um pouco surpresa quando voltei e encontrei uma mulher dormindo em minha casa. Não é sempre que esse tipo de coisa acontece, não?
— Só em cidade pequenas. — sorriu a loira, lançando uma piscadela para a garota — Posso saber seu nome?
— Dawn Manson. E o seu, moça?
— Eu sou Cynthia, a campeã de Sinnoh.
Dawn quase caiu para trás ao ouvir o título daquela mulher. Ela poderia ter a reconhecido pelas roupas, mas seu cabelo estava tão bagunçado que naquela situação ninguém teria sido capaz. Cynthia levantou-se e retirou algumas de suas roupas, vestindo chinelos e indo em direção do banheiro na medida que olhava para o relógio de forma descontraída.
— Acho que dormi demais, mas há tempos eu não tinha uma noite tão boa. — disse a moça, ligando a pia e enxaguando o rosto — Bem, vou ficar aqui por um tempinho, se não se incomodar. Estou dando um tempo da Liga Pokémon.
— A senhora está tirando férias da Elite? Como é possível o cargo mais poderoso e influente da região tirar férias?
— Eu não sou de ferro, mocinha. Esse tipo de coisa me deixa exausta, devo dizer que ser campeão é muito mais do que ganhar batalhas. Eu acho que não sou capaz de lidar com tamanha pressão, tem horas que tenho vontade de desistir de tudo e fugir. E foi o que eu fiz nesse fim de semana. Minha Elite deve ter iniciado uma busca inesgotável atrás de mim, adoro isso. — disse ela, não escondendo uma risada.
— É como ter uma celebridade em casa, eu nunca esperaria por isso! — disse Dawn, sentando-se em algumas almofadas que estavam jogadas no chão. Cynthia logo terminou sua higiene pessoal e foi sentar-se também, a campeã esticou as pernas e soltou um suspiro de alegria ao estender as pernas de forma confortante.
— Sim, eu também não esperava que fosse sentir tanta saudade de uma vida mansa assim.
Cynthia ajeitou seus longos cabelos loiros, e perguntou:
— Diga-me, quando seus pais chegam? Creio que agora que você está de volta não seria bom se eles encontrassem uma estranha em seu quarto. É melhor eu começar a procurar outro lugar para ficar.
— Bem, meus pais não estão mais presentes... em vida. — respondeu Dawn, tentando fugir do assunto. Cynthia logo captara a mensagem, endireitando a coluna.
— Meus pêsames... Eu sei como se sente. Já passei por uma situação semelhante.
— Não tem problema, isso já foi há muito tempo... Não devemos viver ligados ao passado lamentando por essas coisas, não?
          Cynthia sorriu ao confirmar. 
As duas inclusive chegaram a conversar por um longo tempo, a tarde toda passou num piscar de olhos. Elas pareciam amigas da época de colegial, compartilhando um apartamento juntos. Cynthia divertia-se com o fato de Dawn morar sozinha por tanto tempo e nem saber cozinhar direito, enquanto Dawn trazia de volta para a campeã a sensação de ser mulher, uma vida além de viver atrás de um escritório assinando papéis, cumprindo obrigações e normas. A loira ajeitou um avental em seu corpo escultural e logo sacou uma panela enquanto preparava um belo banquete que a menina há muito não tinha. A noite caiu na medida que as duas iam conhecendo mais uma a outra, e no fim, Dawn desejou que aquela semana fosse estendida por muito mais tempo.
— Da próxima vez que for encontrar esses garotos, saberá preparar um verdadeiro banquete. E trate de ficar bem longe das batatas, se você preparar isso para o sogrão as coisas ruins à seu respeito serão as primeiras que ele irá lembrar-se.
— A-Aquilo foi um acidente! E ele nunca vai esquecer as batatas, aposto... E ele ainda não é meu sogro...!
— Ainda? — perguntou Cynthia com uma risada.
— Ah, esse garoto de que tanto falo é muito cabeça dura. O Luke não toma decisões para nada! Ele já está me enrolando há quase um ano, um ano!
— Olhe Dawn, tem coisas que nem sempre nós precisamos esperar. Não há problemas em uma mulher tomar atitude, na próxima vez que em encontrá-lo o que acha de você também tentar? Digo que não há homem nesse mundo que resista à tentação de uma bela mulher, e de quebra leve aquele presente que você fez para ele.
— O cachecol?
— Isso mesmo! — assentiu a loira — Veja só, você está aprendendo a cozinhar, limpar, costurar. Que tipo de rapaz não gostaria disso? Os homens adoram.
Dawn sorriu olhando para tudo ao seu redor, e não se conteve em dar um forte abraço que Cynthia não esperara. Era um abraço que a morena não pudera dar em ninguém desde que sua mãe falecera, e agora sentia que ela estava de volta, ou que um anjo fora enviado para tomar conta de sua pequena menina. Cynthia acariciou os longos cabelos de Dawn ao ouvi-la falar:
— Obrigada por me tornar mais mulher, Cynthia.
— Eu é quem agradeço, Dawn, por me fazer voltar a ser menina....

Flashback Off

Walter ouvira a história atentamente, e não se surpreendeu ao ouvir o trecho em que Dawn disse que a atual campeã precisava de um tempo longe da Liga Pokémon. O velho coçou a barba e perguntou para a moça assim que ela terminou sua história:
— E onde podemos encontrar a senhorita Cynthia a essa altura, Dawn?
— Vocês tiveram sorte, foi ela quem me trouxe para Canalave. Ela pediu sigilo, mas creio que esta seja uma situação importante! Provavelmente ela não queira que a Liga saiba de sua fuga inusitada... Ainda a encontraremos no porto, ela não deve ter saído da cidade. Cynthia é a maior especialista em Mitologia Pokémon que já conheci.
Imediatamente Marshall fez um rápido aceno pedindo que Dawn o seguisse. Não era bom que Walter e os outros saíssem, eles chamariam tanta atenção que encontrar uma agulha no palheiro seria uma missão ainda mais complicada. Porém, não demorou muito para que os dois fizessem seu caminho até o porto e a própria Cynthia os encontrasse. Marshall podia ser facilmente reconhecido por aqueles que ainda admiravam a glória do passado, e dentre as ruas estreitas e prédios altos um vulto segurou no ombro de Dawn que virou-se num susto. Escondida em vestes diferentes e um cabelo totalmente novo a loira segurou no braço da jovem e perguntou de forma discreta ao retirar seu capuz:
— Conseguiu entregar o cachecol para seu amado?
Dawn sorriu ao encontrar Cynthia, e imediatamente avisou Marshall. O policial cumprimentou-a de forma breve, pois sempre tivera muito contato com a campeã pelo envolvimento da polícia e do governo. Ele guiou a mulher até o hospital, pois eles não poderiam deixar Walter apreensivo naquela situação. Ao chegarem no salão de entrada imediatamente adentraram uma sala de paredes bem pintadas e que evitavam a propagação do som para terem mais privacidade. Walter levantou-se para cumprimentar Cynthia que retribuiu num gesto de respeito e ansiedade.
— Senhor Walter Wallers, é uma honra conhecer um dos campeões mais mirabolantes e surpreendentes dos tempos antigos, o homem que trouxe os anos de ouro para esta região! É um imenso prazer conhecê-lo. — cumprimentou Cynthia num ato de reverência.
— E você é a moça que ocupa o cargo atualmente. — confirmou ele — Já a vi atuando em batalha, e devo dizer que suas técnicas são fascinantes.
— ...Mas ainda assim eu não poderia fazer frente ao senhor em seus tempos áureos, até nos dias atuais creio que eu não teria chances de derrotar sua equipe. Se o senhor desejasse, facilmente ocuparia o posto novamente.
— É preciso deixar o tempo e o destino seguirem com seu rumo. Eu estava fadado a ceder meu cargo um dia, tal como você está fadada a ocupá-lo nos das atuais. É a sua geração que deve governar, e você o faz por merecer tal mérito, mas não deixe as obrigações tomarem conta de sua mente e disposição. Certas coisas precisam acontecer para que outras melhores possam vir. — respondeu Walter com palavras sábias e experientes.
Marshall ficou encostado na porta enquanto Glenn permanecia debruçado sobre uma poltrona. Cynthia estava disposta a ajudar no que pudesse, pois era perita em Mitologia Pokémon, e uma das mentes mais grandiosas da atualidade. Walter ajeitou o paletó enquanto apoiava suas mãos para trás e a moça se assentava numa mesa, como num interrogatório formal.
— Diga-me, minha jovem, o que sabe sobre a Adamant e a Lustruous Orb?
— Em conjunto estes artefatos são os únicos capazes de invocar os guardiões sagrados, mas tais rituais só podem ser iniciados com os guardiões do lago. — explicou a loira.
— Dizem que eles desapareceram. — comentou Melyssa — É possível que tenham sido capturados?
— A captura de um lendário? Qual é, isso é impossível, há anos um lendário não é domado por um humano, isso pode ter acontecido em outras regiões, mas nunca em Sinnoh! — argumentou Glenn.
Cynthia abaixou a fronte e logo buscou um livro que sempre levava em sua bolsa. A moça abriu-o e folheou as páginas por alguns minutos, logo indicando que encontrara algo de interesse.
— Palkia é o guardião do espaço; e Dialga, do tempo. Eles são os lendários mitológicos em nossa região, o dragão metálico têm o poder de controlar e distorcer o tempo, tal como Palkia é o sopro do espaço estável. As lendas contam que o tempo começou a correr assim que Dialga nasceu. Ambos os lendários foram criados por Arceus. Eles batalharam por toda uma eternidade em uma outra dimensão.
Conforme Marshall atentava-se à todo aquele aprendizado e chegou a uma possível conclusão:
— Se por ventura os Galactics conquistassem as duas orbes eles seriam capazes de formular um novo mundo criando um colapso entre o tempo e o espaço?
Cynthia soltou um longo suspiro, e por fim confirmou:
— Se eles tivessem controle sobre os três lendários do lago, sim, eles seriam capaz de criar algo muito pior. Dizem que uma sombra habita um mundo inverso ao nosso, o Distortion World, e tendo o poder de abrir este portal eles poderiam causar o fim do mundo, criando um novo. 
— Criar um novo mundo? — indagou Melyssa, um pouco surpresa — Minha irmã sempre teve esse sonho, sempre teve o desejo de construir um mundo melhor. Ela sofreu muito quando mais nova, e  mesmo que nossos pais dessem todo o carinho possível ela ainda nunca deixou de lado esses pensamentos. Por mais que hoje seja adulta ela nunca perdeu a essência e os sonhos de uma criança, e isso me preocupa.
Glenn comentou:
— E o que há de ruim em tentar criar um novo mundo?
— Não digo que a criação de um novo mundo seja condenável, e sim, os ideais que os Galactics abordam. Eles passam por cima de todos aqueles que se oporem, são egoístas e não se importam com a opinião dos outros. Eles querem um novo mundo para ser governado, para se tornarem os deuses dessa Era e iniciar uma verdadeira babilônia numa luta por poder. — explicou Cynthia, voltando-se para a mãe dos jovens — Perdoe-me, senhorita Melyssa, mas esse mundo perfeito que sua irmã sonhou nunca vai existir. No fim de tudo ela será apenas mais uma peça na construção dessa torre de babel que um dia encontrará seu fim, e jamais será terminada.
Dawn ouvia tudo com atenção enquanto permanecia sentada numa poltrona ali perto. A garota poderia considerar-se prestigiada em participar de uma reunião daquelas, mas não deixou escapar um comentário de grande importância.
— Bem, nós podemos impedir facilmente os Galactics de qualquer plano fajuto. Temos os melhores conosco, não será nada difícil... — comentou Dawn não escondendo certo egocentrismo — Mas o que o Luke e o Lukas têm haver com essa história?
Cynthia abaixou a cabeça, pensando sobre aquilo e folheando o livro como se lembrasse perfeitamente de algum trecho que mencionara algo parecido. Após ler, a moça soltou um suspiro de temor, explicando a seguinte questão para Walter e os outros:
— Este ritual requer muito mais do que apenas juntar Pokémons lendários e artefatos sagrados. O clima controverso e o tempo em atividade podem ser indícios de um possível colapso. Como é de conhecimento de todos, os Galactics sempre mantiveram a Adamant Orb sob posse para pesquisas. Nos últimos meses o trio lendário do lago simplesmente desapareceu sem explicações, então se eles tiverem a Lustruous Orb em mãos precisarão apenas de uma chave para abrir o portal para o Distortion World.
Walter levou a mão até o rosto em sinal de desapontamento como se já tivesse sacado a resposta para tudo aquilo.
— E qual seria o método de abrir os portais? — perguntou o ex-campeão.
— O único método conhecido é encontrar a oferenda certa para o ritual, e apenas assim o portal será aberto. Os manuscritos antigos dizem que as sombras consomem a alma, espírito, e o sangue; necessitando de uma quantia imensa para satisfazer-se. No passado muitos povos antigos tentaram, mas falhavam porque suas oferendas não tinham uma quantia grande o suficiente de sangue para ser consumido. Ninguém tem e nunca terá tamanho estoque, pelo menos não sozinho. É impossível existir um único ser humano com tamanha força vital.
Walter ponderou sobre aquilo enquanto tomava um gole d'água e olhava em direção do topo do Mt. Coronet que encontrava-se cercado de nuvens negras e trovões. Algo parecia estar para acontecer naquela região. Ele era um homem inteligente, e apesar de todas as dúvidas e medos em sua mente pôde chegar a uma conclusão apressada e decisiva.
— Gêmeos idênticos compartilham do mesmo gene, do mesmo sangue. — explicou Walter de forma breve e enigmática, voltando-se para seus velhos amigos e ajeitando o paletó — Meus senhores, preparem-se para um resgate. Vou  adiar um pouco esse fim do mundo.

Enquanto a máscara do engano cai do rosto da humanidade, revelando a dura realidade da dualidade, cada um é vítima, ninguém será isento. Embora muitos, somos um, portanto, em última análise... Será que estamos lutando uma guerra que não pode ser vencida?

      

{ 22 comments... read them below or Comment }

  1. Yo, Canas! Como vai?
    O que tenho a dozer sobre esse capítulo? Simplesmente divino, é aqui que damos início à mitologia e às lendas de Sinnoh, algo que eu sempre procuro em fanfics Pokemon.
    Martha e os gêmeos: Martha maldita. Se eu fosse a Jupiter, teria socado a cara dela, pelamor de Arceus, vai sacrificar os gêmeos?! E onde eles estão? Õ.o Não parece o Spear Pillar, mas vai saber... E poarr, esqueci que o Saturn não está presente nesta parte do jogo, então provavelmente não apareça nesta parte da fanfic. Quero só ver a cara dele depois...
    Dawn e Cynthia: Cynthia!! Minha mulher favorita de Pokemon, minha diva, a maravilhosa campeã de Sinnoh! Eu teria a mesma reação que a Dawn, mas se fosse alguma mulher que eu admiro (cof cof, Amy Lee, cof cof), eu ficaria muito contente!! >_< As vezes sinto uma vontade enorme de crescer e me tornar logo uma mulher, mas vou me contentar com meus 14 aninhos~
    Walter, Marshall e os outros: Cynthia ficou linda, hein! O3o E aqui damos início à discussão sobre a mitologia, estou ansiosa! Manda ver, Marshall! Vai, Walter! Vocês são os caras!! XD

    Excelente capítulo, Canas! Beijinhos!

    ReplyDelete
  2. Ainda bem que o mundo não acabou!kkkk!
    Tá, pensando aqui com meus miolos,] prevejo esse fim de temporada fodátisco! kkk!
    Tô doido pra ver a Melyssinha entrando na batalha e destruindo legal, snedo ela o prórpio armageddon! kkkk! Ela sim vai ser foda! kkkk!
    Imagina Waltão e Cynthia lora batalhando lado a lado? Salamence do lado de Garchomp? Lindo, sem sombra de dúvidas! Imagina um Draco Meteor comibando combado destruidor? Bye, bye, Mt. Conoret! kkkk!
    Tá, adorei o capítulo, pois ele deu um gosto de quero mais bem bão, pois semana que vem só melhora! kkk!
    Agora nos resta ir estudar pra segunda etapa de vestibulares com Sinnoh na cabeça! kkk!
    Muito bom o mundo não ter acabado pra lermos mais dessa puta história! kkkk!
    Adios,
    Moacyr

    ReplyDelete
  3. Diga ae, people! Olha Kohai, digo que quando comecei a escrever essa fic há uns milhões de anos atrás o que eu mais queria era chegar nos lendários, essa coisa de mitologia e tudo o mais. O tempo foi passando e infelizmente perdi esse interesse, notei que eu gostava bem mais de outras coisas, tanto que planejei durante mais tempo o Arco da Iron Island do que esse. Mas ainda assim, digo que consegui atingir meu objetivo! De uma estudada na mitologia da região e acrescentei alguns pontinhos novos para nosso enredo, mesmo não sendo tão grandioso e detalhado quanto o arco passado sinto que ainda conseguirei surpreender os mais fissurados por Pokémon, até porque a grande maioria sempre aguardou esse tipo de batalha! O que seria de Diamond e Pearl sem Palkia e Dialga?

    Eu nem lembrava que o Saturn não estava presente nessa parte do jogo, foi por acidente kkk Na verdade ele estava meio ocupado, mas logo voltará a aparecer... (Desculpa esfarrapada Lv. 99 kkkkkkkk) Spear Pillar, Spear Pillar! Acha que eu daria pistas tão fácil do local? Eu ainda não mencionei o nome só para confundi-los um bocado, inclui um pouco de imaginação para tudo não parecer manjado demais kk E eu estava pensando à respeito de algo que você comentou Kohai, sempre me disseram que as mulheres amadurecem mais rápido que os homens, mas na verdade creio que não seja apenas a idade que conte isso, e sim, a sua vivência, as pessoas ao seu redor, suas vontades... Cada um amadurece de uma maneira diferente, independente da idade (: Vish, com meus 14 anos eu era muito mais bobinho, às vezes converso com a galera do blog e penso que temos a mesma idade! Ou são vocês que são muito geniosos, ou eu que não perdi a essência da infância kkkkkkkk

    Opa, e Grande Moa, eu não poderia deixar de vir e te desejar boa sorte nos vestibulares! Agora entramos na reta final campeão, eu estou torcendo para cada visitante do blog que passou para a segunda a fase e digo que fico muito feliz sempre que alguém me fala que conseguiu. Aposto que tu vai conseguir passar em tudo que pretende cara, e logo no ano que vem o pessoal das antigas aqui vai estar tudo de cara nova, mas sem perder a essência em visitar a boa e velha Sinnoh... É bacana cara, digo que é muito bacana mesmo acompanhar esse progresso do pessoal. É uma conversa informal que se dá apenas por meio de comentários, mas com essas notícias sinto como nos tempos antigos em que as pessoas ainda escreviam cartas e nunca sabiam quando a resposta ia chegar. Há certos costumes que nunca se perdem... Boa sorte companheiro, que a força esteja com vocês!

    ReplyDelete
  4. oferendas? que surpresa a matha e mais cruel do que eu pensava!para você ter uma ideia eu achava mais possivel kyuren aparecer em sinnoh do que isso, que arceus ajude os irmaos wallers (se ele nao for controlado tambem) entao o jeito e giratina mesmo.canas a comandante mars tem ponto fraco ou ela tocou mesprit e perdeu as emoçoes?

    ReplyDelete
  5. Canas uma coisa que o Alan falou que tambem não saiu da minha cabeça, a comandante Mars não deveria ter perdido as emoções, já que ela tocou Mesprit? Eles estão na ruinas sinjoh? Você vai fazer Arceus chegar e arrebentar com todo mundo ou vai ser a ex-elite? Cirus vai lutar usando os lendarios ou o time que ele tem nos games? Eles irão ao Distortion World ou ele ficara apenas como citação? O Cirus tem 40 anos?(Pergunta da minha prima) A elite atual vai agir? Os lideres de ginasio ficarão neutros quanto a essa situação? E a ultima pergunta: O Roark já voltou para Oreburgh?

    Agora sobre o capitulo: *--*. A minha prima me chamou pra vir pra casa dela, e enquanto eu tava lendo o capitulo ela viu a imagam do Cirus e falou que ele tinha a bunda sexy kkkkkkk. se o mundo não acabar hoje eu vou ficar esperando o proxio capitulo (Mas ele não pode acabar amanhã tem SAO e FT)

    ReplyDelete
  6. Canas vc quer me matar do coração eu ja tava muito ansioso para começar essa grande batalha, agora com a Cynthia eu vou ficar louco kkkkkk

    Canas nao pude deixar de reparar q vc disse q a aparencia da Sophie(Gardevoir) nao te agrada entao vc vai mudificar, entao fiquei com duvidas vc vai mudar apenas dela ou de mais alguns???

    Biel...

    ReplyDelete
  7. MARTHA!maldita o k pretende com eles?
    eles terao k se sacrificar?!veremos Arceus giratina dialga palkia?mais os tres?(eles tem uma ligaçao com o luke,lukas e dawn k nem o anime?)
    WV(voce pretende fazer k nem o anime?)

    ReplyDelete
  8. a proposito a cyntia ela vai falar mais da mitologia pokemon?(fale!é legal!)e vai batalhar contra os galatcs?
    WV

    ReplyDelete
  9. Devo dizer que eu estava aqui maior bonitinho respondendo as mil perguntas que me fizeram, quando de repente... eu dei uma apertada no F5 tão gostosa que me deu vontade de chorar ao ver a página ficando branca kkkkkkk Eu perdi todas as respostas e comecei a reescrever, então, fui dar uma olhada numa outra página e perdi o comment de novo. Para acabar com essa frustração fiz o seguinte galera, juntei as perguntas feitas aqui e joguei para o FormSinnoh, porque lá eu tenho mais espaço (: Então para a galera que tinha me perguntando um montão de coisas não se esqueçam de dar um pulo lá, okay? Ou nós estaríamos lendo um Comentário de três páginas kkkkkkk As perguntas foram as seguintes:

    • A comandante Mars não deveria ter perdido as emoções, já que ela tocou Mesprit?
    • Você vai fazer Arceus chegar e arrebentar com todo mundo ou vai ser a ex-elite?
    • Cirus vai lutar usando os lendarios ou o time que ele tem nos games? O Cirus tem 40 anos?
    • Eles irão ao Distortion World ou ele ficara apenas como citação?
    • A elite atual vai agir? Os lideres de ginasio ficarão neutros quanto a essa situação?
    • O Roark já voltou para Oreburgh?
    • Você disse q a aparencia da Sophie(Gardevoir) nao te agrada entao vc vai mudificar, entao fiquei com duvidas vc vai mudar apenas dela ou de mais alguns???

    E só para acrescentar à pergunta da WV, que só recebi agora. Bem, vocês sabem que não gosto de ficar próximo do Anime, se alguém fez isso é porque já é fachada, e não quero que vocês leiam algo sabendo o que vai acontecer. Essa ligação lendário protagonista é meio fachada, óbvio demais, todo mundo esperaria por isso, portanto, eu faço um caminho totalmente inverso ao Anime (: Eu adoraria falar mais sobre a Mitologia de Sinnoh querida, mas sou terrível nessa área, tive que dar uma pesquisada federal para entender o mínimo e criar esse capítulo. Acho que precisaríamos de uma Cynthia de verdade para extrair e decifrar muitos desses enigmas, mas eu juro que se soubesse tão bem eu falaria mais. Bem, gostei de ver essa disposição da galera em entender muitos dos mistérios, afinal, apenas agora estamos tendo as respostas de coisas que vimos no Capítulo 3! O tempo passou, mas nem por isso vocês se esqueceram, e com isso tenho certeza que o Capítulo 63 será surpreendente para todos vocês. Lendários, né. Eles continuam sendo os favoritos da galera.

    ReplyDelete
  10. Eae Canas, blz? Cara, nem deu para os dois descansarem um pouco e já estão estre a vida e morte... que sorte a dele eim? Bom, esse capítulo, foi ótimo; toda descrição e tranquilidade(de certa forma) do inicio, contribuíram para isso. Cara, meu sonho era encontrar a Cynthia dormindo na minha cama. kkk Sério, se eu me casar com uma mulher igual a ela, estou feito. hehe. Bom, uma pergunta, talvez boba, mas porque a Cynthia foi logo dormir na casa de Dawn, tipo foi o acaso ou o destino que havia sido citado pelo professor?Bom, aí depois vem a parte que todos se reúnem, contras as forças do mal para salvarem o mundo. kk É, a coisa está séria, tem até sacrifícios! Só posso esperar pelo melhor arco na minha opinião, claro antes das batalhas da liga. Mas é isso, flw, té mais!

    ReplyDelete
  11. Bem Luís, o fato da Cynthia estar justamente na casa da Dawn não é destino, seria mais o acaso mesmo. Veja bem, se o Professor Rowan tinha uma casa vazia (pois a Dawn estava viajando) e a Cynthia procurava um lugar para ficar, o mínimo que ele poderia fazer era fornecer a casa ou colocar para alugar. Isso não destino cara, a Dawn é uma garota normal, mas poderia acontecer com qualquer outro. Coisa de livros kk Destino é um moleque nascer abençoado por Arceus e a partir daí ter a proteção de todos os Pokémons Lendários, isso sim seria destino kkkkkkkkkk Mas certamente cara, eu também adoraria encontar uma mulher dormindo na minha cama, nem precisaria ser a Cynthia, qualquer uma já me deixaria menos forever alone! kkkkkkkkkkkk Bem, mas garanto que tudo isso foi a calmaria que vem antes da tempestade, o suspiro antes do mergulho. Estou com o Capítulo 63 em andamento, e devo dizer que ele poderá concorrer ao prêmio de Melhor Capítulo dessa temporada. Espero dar o meu melhor!

    ReplyDelete
  12. entao k venha o 63! como imaginei seguir o anime é uma coisa e voce outra!(alias kem inventaria um garcomp sexy e uma super foda stelix k ganhou o concurso!^^)
    k pena os bagulhos serem "pof" sumiram!(devem estar com a tih!ò_Ó)
    isso acontece toda hora nos bagulhos do not!(alias cade o meu caderno de desenhos e o celular?ò_O é hoje k eu me ferrei!Sorte k ela nao chegou!^^ entao tenhos alguns minutos de vida!
    WV

    ReplyDelete
  13. Eae Canas, blz? Cara, eu casco o bico contigo! kkkk Bom o fato de eu ter citado isso foi no caso sei lá, tipo a Cynthia teria alguma ligação com os pais da Dawn ou algo do tipo, entende? Wow, mal posso esperar por esse capítulo, envolve batalhas já de cara?

    ReplyDelete
  14. Canas-sama e pessoas que escrevem bem... Porque eu não escrevo como vocês? (Sama significa Digníssimo, então saiba que você faz parte da galeria dos grandes 'Samas' da vida U.U)

    E AÍ, SEU ESCRITOR MODHAFUCKA? Fazia tempo que não comentava, né? Eu sei, eu sei.. Sentiu saudades de meus apelidos malucos, certo? Agora, faça um favorzinhu pra sua linda leitora, Que por sinal tem só 10 anos:

    Veja meu coment no FT 23, pelas asas de Giratina! Eu passei 15 minutos da minha precious life digitando aquela bagaça.

    E respondendo a sua pergunta em sua resposta anterior: VOCÊ NÃO GANHA PONTOS POR NUNCA TER SE INTERESSADO POR INAZUMA ELEVEN! VAI, MEU RAICHU DO POKÉMON DELUGE! USE EARTHQUAKE!(Que eu comprei por 8,400. Sou chike, bem!)

    Oh, shit! Esqueci que não tenho um Raichu na vida real... Okay. Essa é a vida, né? PUUUUUUUUUUTZ, me esqueci de comentar o ep. Todos são ééépicos, mas este está épico-maioral! Acho que é só por causa da Titia Cyntia mesmo! É minha campeã favorita (CHUPA ALDER! EU TE ODEIO, SEU NOJENTO!

    Tô cheia de coisas pra fazer, tipo ganhar dos líderes no PKM Deluge, escrever um ep de minhas fics de Shoujo no AnimeSpirit e ler o detonado completo de Pokémon Black White 2 (Não tenho o jogo, mas é um passatempo legal ler os detonados.).

    Aliás, qual é seu tipo de treinador favorito dos jogos, mano? Lembrei de perguntar agora, tenho uma cabeça-de-Aerus danada! 'kkkk...

    SAYONARA, SEU ESCRITOR QUE TEM O MESMO NÍVEL DE BELEZA QUANTO MEU FEEBEAS SHINY DO PKM DELUGE!

    ReplyDelete
  15. Foi mal, Júlia! Eu leio todos os comments que chegam em minhas mãos aqui no blog, mas nem sempre respondo pela falta de tempo, ou então porque quando vou responder muitos outros foram postados depois e nós acabamos perdendo a linha do raciocínio. Eu me lembro de quando você enviou, e digo que foi em boa hora. Não respondi porque julguei que não tinha necessidade, há coisas que absorvemos com o coração e não precisamos sair repetindo mil vezes, sabe? Eu costumo ser um cara discreto, compreendo pequenos atos com um simples olhar e um único sentimento, por isso não respondi aquele comentário. Mas eu o li, e saiba que para mim foi tão importante quanto qualquer outro, principalmente pelo fato de serem palavras honestas em momento que tanto precisei, e por isso eu a agradeço! (:

    Estou sempre tentando responder, mas às vezes complica né, ainda mais nesse fim de ano que tudo anda numa correria maluca, mal tive tempo para finalizar o Capítulo 63 da maneira que eu queria, então vou ter que correr muito pra fazer um bom trabalho até amanhã, mas estou disposto a aceitar o desafio. Bem, e tipos de treinador Você se refere àquelas classes de treinadores normais que enfrentam os personagens principais durante os jogos? Essa é uma pergunta difícil, sou mais familiarizado com os de Sinnoh... Se for isso mesmo, então digo que adoro aquelas School Girls, e também as treinadora da class Beauty. É isso mesmo? Tenho a impressão de que era outra coisa kkkkkkkk

    E respondendo à sua pergunta Luis Felipe, o próximo capítulo já trará batalhas, mas nenhuma no nível da Ilha de Ferro. De fato, nenhuma outra batalha da fic será tão bem feita quanto aquelas. Primeiro que lá eu tinha suporte para os Pokémons em sua forma Gijinka, então as descrições saíram no melhor nível possível. Aqui voltamos para o Mundo Pokémon, para a velha mecânica RPG onde um ataca e o outro defende. Na verdade estou planejando algumas coisinhas que se aproximarão do estilo de batalhas daquele Arco, ou seja, sabemos que a galera da Fire Tales voltará a se evidenciar, mas aquele Arco foi praticamente só deles e agora eles têm de dar espaço para personagens humanos, o que sempre dificulta na descrição e no desfecho de batalhas. Vou tentar adotar um tipo de batalha diferente do Mundo Pokémon, vou deixar de lado essa mecânica ataque/defesa/combinações para levar em conta as batalhas épicas de personagens de verdade, e não criaturas que esperam receber ordens. Esta é a minha Sinnoh, este é o meu estilo (:

    ReplyDelete
  16. "— ...Mas ainda assim eu não poderia fazer frente ao senhor em seus tempos áureos, até nos dias atuais creio que eu não teria chances de derrotar sua equipe. Se o senhor desejasse, facilmente ocuparia o posto novamente." veey n concordei com isso ae o/, se vc tiver falando das habilidades da cynthia q ela tem no anime eu acho q o Walter nunk ganharia dela apesar de ela querer ser modesta ela er muito boa ela ta top 3 de favoritos junto com 1 -Paul , 2 - Flint, 3-Cynthia, o walter pode ser otimo mas pra min nunk iria ganhar da cynthia xD, ce quiz ser modesto d+

    ReplyDelete
  17. Não, isso não é o Anime, é uma fic. Meus personagens aqui são diferentes dos que existem em qualquer outro lugar. São universos distintos, não junte as coisas. Se essa é a minha história, eu posso criar meus personagens do modo que eu bem entender.

    ReplyDelete
  18. Eu sei poh, por isso disse "eu acho" se vc n percebeu , sem falar que disse que "se ela tiver as habilidade do anime" mas se não tiver? , até pq as habilidade dela aki n foram reveladas, n confunda as coisas eu não estou afirmando estou falando o que acho até pq mesmo no universo do anime não se sabe quem ér o mais forte não encare de outra maneira!

    ReplyDelete
  19. Bem, cá estou para comentar sobre esse capítulo. Na verdade, prevejo que esse comentário vai sair um lixo, pois estou sem criatividade e com a cabeça um pouco distante ainda. São muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo. Mas vamos lá.

    Cara, a Martha conquista meu coração de forma alucinante! Proton e Saturn que se danem! Sabe quem é o cara certo pra essa diva? Esse cara sou eu! Garanto que ela seria bem feliz. Usar os próprios sobrinhos como sacrifício para o cumprimento de seus ideais é algo fora do comum! Típico da personalidade de um vilão formidável! Eles conseguiram mesmo capturar os guardiões dos lagos, e agora vão atrás de Dialga e Palkia! Meu, esse arco vai ser épico!

    Ver também toda a antiga Elite, com exceção da Selena (um minuto de silêncio), mais a Campeã Cynthia, será um momento único na história. Aposto como você mesmo estava aguardando essa parte. Bem, vamos ver até onde essa história toda vai se arrastar.

    Bem cara, por enquanto é só. Mais uma vez peço desculpas pela falta de qualidade no comentário, mas prometo compensá-lo em breve. Você sabe que eu cumpro minhas promessas!

    ReplyDelete
  20. Ih veja só! Lembro que desde o começo tinha uma imagem no menu da Dawn e da Cynthia, que agora está em Parceria, mas eu sempre me perguntei se tinha ou não relação com a fanfiction! E posso dizer que não poderia haver uma ligação melhor de amigas com diferença de idade que ambas contribuindo para o crescimento uma da outra. Por que será que eu senti um Déjà vu quando escrevi isso? kkkkkkkk

    Notei que o capítulo tem o mesmo título do 32 de Ethron, mas ao contrário de mim, você levou para um lado bem mais dinâmico que um falatório kkkk Eu cheguei a esquecer que a Cynthia não havia aparecido para os protagonistas ainda, será que o Lukas reconheceria ela? Ou o Karl? (O Karl não, né, Haos? kkk) Tivemos uma prévia de tudo. Eu curtia a antiga elite, então aposto que será épico, cara. Já foi épico no arco dos clones, agora com as lendas da região... Show! Mas vi que você citou acima, e realmente, a campeã ainda não conseguiria peitar o Waltão. Aliás, alguém conseguiria? kkkkk Mas não tenho dúvidas que ela é fortíssima. Afinal, ela será o último desafio antes do Luke se tornar um campeão, não é? Talvez sim, talvez não, mas tenho certeza que será uma das melhores batalhas. Indo para os próximos posts! õ/

    ReplyDelete
  21. Bah.. esta coisa está ficando boa!
    Canas como você consegue ter estas ideias? Tudo fez sentido!
    Logo no inicio do capitulo houve uma citação que gastei alguns minutos para interpretar e descobrir sua conexão com a história.
    Fiquei pensando nas palavras e traduzinho suas vírgulas... eu sabia do que se tratava... mas quando eu li o ultimo paragrafo... dei um suspirou e pensei “como ele consegue?”
    Este capitulo foi uma caixinha de surpresas e um exercício para a cabeça kkkkk Lembrei de coisas que passaram que eu achava que nem estavam na minha mente, mas fui capaz de relembrar todos os detalhes!
    Que ótima nostalgia.
    Ver a ex-elite inteira reunida foi incrível... senti falta do Erick, mas creio que uma participação muito especial para ele esta guardado na próxima saga!
    Não sei do que irá se tratar... mas vindo da mente de um escritor que só evolui, tenho certeza que vou gritar que FODA! E dessa vez até o cachorro vai ouvir kkkkk (só minha mãe que não pode) kkkk
    Ahhh guri... como você pode fazer um rapper como o Glenn falar broto... só gente muito velha fala isso kkkk mas é aceitável
    Uma coisa que achei completamente verdadeira foi a Cynthia dizendo, que se a mulher sabe cozinhar, limpar e costurar já tem o coração de um rapaz. Bem... o meu coração ia ter com certeza kkkkk e ainda vou adicionar um item nesta lista... ainda tem que ser boa de cama kkkkkkk (tá, parei)
    Uma coisa que você mencionou foi estranhamente inteligente “ as coisas ruins sempre são as primeiras coisas a serem lembradas pelas sogras(os) kkkkkk Meu... se a sogrona não te curte... nem tenta, que vai dar merda!
    Enfim parabéns pelo excelente capitulo
    E o Waltão acabando com o fim do mundo! Kkkkkkk
    Flw

    ReplyDelete
  22. GENTE, GENTE, GENTEEEE!

    Agora sim Sinnoh vai vai pro beleléu!
    Socorro, gente, socorro!

    Quem diria em Mars? Que coisa feia! Induzindo os sobrinhos a ajudar numa coisa arriscada dessas! E eu pensando que tu era uma moça boazinha. MORTE A MARS! Pobre Luke e Lukas, o que será que vai acontecer com eles agora? D:

    Bem, agora fica nas mãos da Ex-Elite ir atrás e dar um fim nisso! Dawn voltou, e cara, amei o flashback que ela teve com a Cynthia. Ops, achei que um novo casal yuristico tava surgindo... Hihih. Mas depois mudei de ideia e acho que as duas tem uma amizade muito bonita para ir a outro ponto, sabe? É uma coisa tão "mãe e filha". E se não fosse pela Cynthia acho que eles nem saberiam o que tava rolando no quesito mitologia eim? Agora vamos ver! A Ex-Elite vai toda dar uma porrada nos Galactics, tô sentindo! Da-lhe Walter, é hora de dar um fim ao fim do mundo! E Melyssa... VAI QUE VAI MINHA FILHA! DÊ UNS TAPAS NESSA MARS QUE ELA TÁ MERECENDO! YEEHUL!

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -