Posted by : CanasOminous Apr 6, 2012

A fogueira central lutava para manter-se acesa em meio à umidade e as pedras degastadas em volta, já estava praticamente tudo reconstruído depois da forte enchente na manhã passada. O céu ainda estava um pouco manchado pela poeira que emanava da cidade, mas no alto daquela colina era possível arranjar um belo abrigo e proteção no meio de árvores e pedras antigas na encosta da montanha. 
Gabite havia acabado de surgir com as mãos enfiadas no bolso e um sorriso descontraído como de costume. Pachirisu estava em seu ombro. Examinava seus companheiros que haviam acabado de retornar de um concurso, os últimos dias de treino já haviam começado para os Ginásios e Competições contra guildas adversárias. O esquilinho deu um salto do ombro de seu amigo e convidou a sua equipe para apresentar uma nova integrante.
 Gente, quero apresentar nossa nova amiga. — disse Pachirisu, sendo interrompido por uma pequena menina que entrelaçou seus braços no ombro do pequeno e sorriu.
 Oi, gente!! Eu sou a Chimchar!!
— Ela nasceu de um dos Ovos de nosso Mestre. É uma guerreira de fogo, uma habilidade que faltava em nossa equipe e com certeza compensará com enormes qualidades. — acompanhou Mothim.
— Oe, Marco. Só porque a habilidade dessa garotinha é fogo você não vai ficar dando em cima dela, vai? Hah, hah, hah... Pedomoth. — brincou Gabite.
— Claro que não, olhe só a idade dela, mal sabe das coisas! — respondeu a mariposa.
— Convenhamos que não há importância à respeito da idade, ela deu um verdadeiro show na competição de dança hoje. — respondeu uma moça, que acabava de surgir por trás de seus companheiros com as mãos na cintura e um ar sereno — Eu mesma nunca seria capaz de fazer o que a pequena Chimchar fez hoje.
 UOW!! Que gata!! Desculpa, mas, quem é você? — perguntou o dragão.
— Como assim, Gabite? Você não reconhece alguém que já está conosco há várias semanas? — indagou Roselia.
 Ahh, tenho certeza que eu reconheceria. — o dragão correu e ajoelhou-se aos pés da serpente marinha, dando-lhe um beijo de boas vindas — Senhorita, permita apresentar-me. Eu sou Gabite, o Guildmaster da equipe, mas pode me chamar de Aerus. E você seria...?
— A esquisita. — brincou ela. Não por mal, mas sentiu uma imensa vontade de pregar uma peça em seu companheiro líder. Gabite deu um pulo para trás e soltou um grito.
— WOAH! Milena!! A peixinha esquista que andava com o mamífero-peixe novato! Como é que você... Não me leve a mal, tipo, aumentou taaaanto? — disse Gabite, muito concentrado no corpo de sua antiga companheiro.
— Ah, não achei que fosse necessário, mas o Mestre cuidou de mim por um tempo, decidi embelezar-me para atrair mais atenção nas Competições...
— E para o aniversário dela! — gritou Chimchar. Milotic olhou assustada para a pequena e fez um sinal de silêncio como se não quisesse que ninguém soubesse daquilo, mas agora já era tarde demais.
— Aniversário? E você não contou para ninguém? — perguntou Titânia.
 — Nós teríamos deixado tudo preparado e feito uma grande festa, me sinto até mal por estar de mãos vazias e não der sequer um presente para a aniversariante. — concordou Gardevoir.
— N-Não é um aniversário, pessoal. Não me lembro a data em que nasci, não conheci minha família, por isso apenas considero uma data importante o dia em que cheguei à região de Sinnoh. Hoje completa dois anos.
Milotic deu um singelo sorriso fez um aceno insinuando que não precisava de mais nada além da presença de todos os seus amigos. Rapidamente tentou fugir do assunto.
— Diga-nos, Chimchar. Como foi seu primeiro dia aqui na cidade? — perguntou Milotic.
— Foi muito corrido, mal tive tempo de conhecer o pessoal da equipe, mas no caminho a Tia Milotic me falou de todos vocês! Ah, ah!! Mas já fiz amizades, esse aqui é o manolo Togepi, meu irmãozinho. — disse Chimchar, apontando para o sujeito que jazia segurando na ponta da saia de Gardevoir  Foi muuuuito legal! Me diverti tanto, tanto, tanto! Conheci gente nova, fiz tantas coisas legais! Hoje foi o dia mais legal do mundo, mas aposto que amanhã vai ser ainda melhor!! — disse Chimchar.
— Togepi, você não deu nenhuma erva sua para essa garota, deu? — perguntou Gardevoir.
— Juro que não, mano. Imagina se eu desse? Ela já é hiperativa sem ervas, mas se ela pegar uma seria engraçado. — respondeu Togepi.
 Chá-hah! Né, adoro dançar, me divertir e fazer bagunça! É um grande prazer conhecê-los. — disse a pequena macaquinha.

Mikau havia acabado de retornar assim que fora sido dispensado dos serviços de batalha de seu Mestre, estava constantemente olhando para os lados como se procurasse alguém. No centro das atenções pôde notar um balançar suave de fios vermelhos como o as pétalas de uma rosa, escorrendo dos cabelos de uma moça como um manto calmo em meio ao oceano.
A moça virou-se quando notou que seus companheiros saíam do salão. Notou Mikau no mesmo instante, o jovem hesitou no momento em que a viu, mas ela correu em sua direção abraçando-o e encostando suas mãos no rosto do amigo pequeno Horsea.
— Mikau! Como foi o seu dia? Senti tanta saudades, muita mesmo! — disse Milotic.
Mikau ficou calado, preferiu apenas sentir o conforto entre seus braços. Ela havia crescido tanto, estava linda, agora era o centro das atenções. E quanto à ele? Nada havia mudado, continuava sendo o jovem miúdo de sempre, continuava sentindo-se a pessoa mais inútil do mundo.
— Você está tão... linda. — disse ele.
— Na última vez que eu parei de contar você havia dito isso sete vezes. Heh, heh... — respondeu, ela, ajeitando seu cabelo atrás da orelha — Qual é, Mikau! Sou a mesma pessoa, ainda somos amigos! Posso ter mudado por fora, mas garanto que nada dentro de mim está diferente. Conte-me de seu dia, de suas conquistas, quero saber de tudo!
— Meu dia não importa, eu quero saber de você, afinal, acha que esqueci de uma data tão importante quanto o dia em que você chegou àquele aquário e nós nos conhecemos?
Mikau retirou um pequeno pacote azulado que continha uma concha enorme dentro. Milena agradeceu imensamente, adorava conchas, pois a lembrava dos rios de Hoenn que desaguavam nos mares e ela podia recolher as mais belas conchas no fundo quando tinha a oportunidade.
— Mikau, eu... Hoje é uma data importante para mim, não preciso de festas e nem presentes, tudo que há de mais especial para mim é a presença de vocês ao meu lado.
A pequena Chimchar continou saltitando e caminhou em meio de Milotic e do Horsea que agora conversavam. Mikau levou um susto por ser interrompido de seu transe, pois até agora estivera enfeitiçado pelas belezas e encantos de sua pequena amiga, que agora era uma linda mulher.
— Tia Milotic, já deu o presente para o seu amigo? — perguntou Chimchar.
— Oh, eu quase havia me esquecido!
A moça retirou um pequeno colar que tinha em volta de seu pescoço, apontando-o na direção de Mikau. O jovem hesitou duvidoso por um momento, mas em seguida abaixou sua fronte permitindo que ela colocasse aquele colar nele.
— É uma Mystic Water, faz parte dos prêmios que recebemos de nosso Mestre na competição de hoje. Quero que fique com ele.
Mikau hesitou.
— Mas hoje é o seu dia, e sou eu quem está ganhando presentes?
— Hoje marca o dia que nos conhecemos, é especial tanto para mim quanto para você.
— Eu não posso aceitar. Isso é seu...
— É meu, para eu dar para quem eu quiser. Assim como o meu coração.
Milotic deu um leve sorriso e ficou a observar Mikau com aquela feição assustada de costume. O jovem tocou no colar e agradeceu sem graça, numa situação daquelas teria dado um forte abraço na amiga, ele segurou em suas mãos e sorriu exibindo seus dentes que mais lembravam pérolas. Não se pode dizer o que Mikau viria a dizer na sequência, pois fora interrompido por um sujeito que surgiu pulando por cima dele e empurrando-o para longe. 
— Woahh, Milena! Milena!! Garota, você está mais radiante do que ontem, tudo bem que a gente nem se viu ontem, mas acho que o amanhecer trouxe uma verdadeira aurora para os seus olhos! E a propósito, falaram para mim que hoje completa dois anos que você aprendeu a cozinhar feijão. Eu não entendi muito bem, mas, feliz aniversário por aprender a cozinhar feijão! — disse Gabite.
— D-Dragão! Não estraga o momento! — gritou Mikau, recuperando-se do susto.
— Eu sinto cheiro de mulheres de longe cara, especialmente quando é uma lindona cheia de... curvas sinuosas.
— Ahh, sai pra lá!! Você nunca ligou para a Milena, vai ficar em cima dela justamente hoje? Volta para as profundezas de onde veio!
— Rapazes, fiquem calmos... Mikau, ele só está brincando, você conhece o Senhor Gabite. Não o leve a mal. — disse Milotic, ela era a única capaz de fazer seu amigo parar qualquer atividade que estivesse fazendo, e depois de um longo dia sem poder vê-la, ser interrompido por um dragão enxerido era a gota d'água.
— Oe, Milotic! Me liga mais tarde, sabe onde me encontrar. Ciao, baby!
Mikau voltou seu olhar para Milotic que acenava amigavelmente e sorria com a situação que seu amigo se encontrava.
— Qual é, “Sabe onde me encontrar?” — indagou ele furioso.
 Eu não faço ideia, mas gosto do Gabite. Ele sempre é muito divertido.
— Milena, ele te azucrinava, falava coisas ruins sobre você, é um falso, endiabrado, retardado, incompetente, e...
— ...E só me chamou de esquisita. Foi uma brincadeira.
Mikau se calou.
 Não fique ao lado dele, isso será ruim para você.
— Está com ciúmes? Own... Não fique, o Gabite é um amigo. É bonito, mas apenas um amigo. Vou sempre estar ao seu lado, não importa o que aconteça! — sorriu ela.
Eu espero. Foi o que Mikau pensou em dizer, mas preferiu ficar calado. Não duvidava do que sua melhor e única amiga dizia, mas tinha medo de que pudesse ser formada alguma aproximação com aquele dragão que ele tanto odiava. Talvez não fosse tempo de pensar naquilo, ele olhou profundamente na Mystic Water que recebera de Milotic, viu seu reflexo, e sorriu.
É meu, para eu dar para quem eu quiser. Assim como o meu coração. — pensou o Horsea, relembrando-se das palavras da moça. Agora estava apenas a fitar o maior presente que poderia receber da única amiga que tinha.
 PEGUEI! CHÁ-HAH, HAH, HAH!! — gritou Chimchar, pegando o colar das mãos de Mikau e saindo correndo.
 WOAH!! Ela me roubou!! — gritou Mikau, fazendo Milotic cair na risada.
 Corra atrás dela, ou então ela não irá te devolver o colar nunca mais!
Mikau levantou-se e logo começou a maior corrida de sua vida. Gabite continuaria dando em cima da mais linda moça da equipe, bastasse que o jovem rival abrisse a guarda por alguns segundos. 
Image by: Leeca

O dragão aproximou-se sorrateiramente de Milena, mas antes sentiu alguém puxá-lo com imensa força pelo colarinho. Titânia encarou-o nos olhos segurando um balde e um esfregão na mão direita.
— Tenho um dever urgente, e é você quem irá cumpri-lo por ser o mais rápido da equipe. Vamos preparar e limpar a imundice do Salão Central e fazer uma festa para a Milena, enquanto nós a distraímos você limpa  salão, entendido?  — indagou Titânia.
—  C-Claro que sim, Tih, o salão será limpado... — respondeu Gabite.
Titânia deu um sorriso e largou-o no chão, entregando os produtos de limpeza. A conversa com Milena poderia ficar para outra hora, mais compensava acrescentar alguns dias na sua vida e esperar uma próxima oportunidade do que ser enterrado naquele mesmo instante pelos braços de ferro de sua meiga companheira Titânia. Notou que Horsea havia recuperado seu colar e agora caminhava de volta para o pátio. Gabite não poderia perder aquela oportunidade.
— Oe, mamífero-peixe, quero te apresentar duas amigas que disseram estar muito chegadas em você. — disse Gabite, aproximando-se de seu amigo Horsea com as mãos para trás e com um sorriso de quem pretende aprontar — Essa aqui é a Senhorita Vassoura, e sua amiga Dona Balde. Espero que passem uns bons tempos juntos.
— Puxa, como você é gentil. — respondeu Mikau num tom irônico. Ao longe era possível ver o dragão saindo de fininho, mas nada conseguia passar despercebido pelos olhos atentos de Titânia.
— Gabite, onde estão os produtos de limpeza que acabei de lhe entregar para limpar o Salão Central? O que você fez com eles?! — gritou a serpente.
Aerus correu o mais rápido possível e assim começou a ser perseguido pela serpente. Cedo ou tarde ela o alcançaria, mas aquilo não mudava o fato de que agora Mikau estava incubido de limpar o salão e fazer uma hora extra. Missão cumprida.
 Milena, eu tenho que limpar o salão agora... Mas, depois podemos conversar mais um pouco? — perguntou ele.
— Claro, Mikau! Deixe-me ajudá-lo com a tarefa, podemos agilizar. Não quero que limpe esse salão inteiro sozinho. — respondeu a Milotic. Enquanto os dois seguiam para a área eles puderam ouvir o nome de Milena sendo chamado na área do bar, era uma recepção pela vitória no último Contest.
— Ei, Milotic! Precisamos que você venha no bar, vamos fazer uma comemoração para a vitória de vocês na competição de hoje. A Gardevoir deixou os mais novos entrarem, só que eles só podem tomar Oran Juice! Vamos aproveitar bastante! — disse Mothim.
— Estou ocupada, Marco. Vou ajudar o Mikau no salão. — respondeu ela.
— M-Mas a festa é para você, você precisa ir! Deixa o salão para depois, pega nada se ele ficar sujo por mais uns meses, faz duas semanas que estamos adiando a limpeza! Quem mandou limpar o salão?
— Titânia. — disse Mikau.
Ah, aí a conversa era outra.
— Melhor você limpar mesmo. — aprontou-se Mothim.
Mikau tocou de leve no braço de sua amiga e sorriu para ela, ele tomou o balde de suas mãos e fez um leve sinal em direção do bar, insinuando que ela devesse ir para a festa.
— Vou dar um jeito nesse salão enquanto você se diverte. Prometo que assim que eu acabar vou correndo para comemorar, afinal, essa festa é sua! Não podemos deixar de lado uma data importante assim, não é?
Milotic não sorriu, estava chateada por não poder ajudar seu amigo e deixar todo o trabalho para ele, mas foi obrigada a ceder. A festa era justamente para ela, e seria falta de educação não comparecer. Antes de sair ela tocou de leve na mão de Mikau, mas ele não segurou, apenas ficou a olhá-la enquanto a via partir e se divertir. E agora, um salão sujo o esperava.
Era imenso, a área aparecia não ser limpada há meses. Mikau entrou resmungando e não parou de resmungar pelos próximos dez minutos, por mais rápido que fosse, o Salão Central sempre era a parte mais demorada. Quando tinha a oportunidade de ficar ao lado de Milotic lhe designavam uma tarefa como aquela.
— Já sou obrigado a lidar com água o dia inteiro. E agora me vêm isso? Essa guilda é uma droga. — resmungou Mikau, passando o esfregão no chão e chutando o balde de água para longe.
A água com sabão se esparramou por uma pequena área do salão, escorrendo até uma plataforma ingrime atrás de um pilar antigo  e assombroso. Mikau olhou para longe e viu a espuma brilhar com seu aroma suave e seu afeto liso, lembrou-se de Milena. Caminhou até o balde e pegou-o de volta, olhando para seu reflexo na pouca água que restara.
— Idiota. — resmungou novamente. Não se sabia dizer se estava falando de si mesmo ou se chingava Gabite. Quando Mikau atentou-se, notou então um par olhos vermelhos que o observava de cima da mesma árvore, ele assustou-se e lançou um potente jato d’água como reflexo, mas a sombra por pouco se esquivara.
 Abaixe a ofensiva. Estamos no mesmo time. — disse a sombra.
— E quem é você? Nunca te vi por essas bandas, e nem mesmo sob posse de de nenhum de nossos mandantes. Quem garante que não é um espião de uma equipe rival? — indagou Mikau.
A sombra levantou-se e ajeitou o chapéu que por um triz não fora arrancado para longe com o jato d’água. O sujeito voltou seu olhar para Mikau e o encarou.
— De fato, sou um espião, mas cabe a você julgar se sou uma ameaça ou não. Eu estava apenas mantendo a vigia do local, conhecendo os outros membros. Presumo que você seja o Senhor Mikau. Meu nome é Alphonsus Capone, sou um Murkrow.
Mikau parecia sério, e não estava com uma feição muito amigável naquele momento. Ignorou a sombra e voltou a limpar o salão com calma.
Murkrow sentiu-se no dever de ajudá-lo com aquilo, mas realmente não era sua habilidade. Retirou o paletó, o cachecol e o chapéu; desabotou a camisa na região do pescoço e começou a limpar o chão com outra vassoura que estava ali perto.
 Fiquei enrolando e reclamando, esqueci de terminar isso aqui. Esse lugar é uma droga. — grunhiu Mikau.
— Deveres são necessários quando se constrói uma equipe, ignore os momentos ruins e guarde os bons momentos e amizades em seu coração, se viveres só de tragédias vai enlouquecer. — comentou Murkrow, passando a vassoura e retirando os montes de folhas que se formavam.
 E a propósito, obrigado pela ajuda.
— Disponha. Use seus poderes aquáticos para isso, é a sua habilidade.
Os dois continuaram a limpar o salão por mais alguns minutos quando viram o General Duskull aproximar-se. O fantasma adentrou o local com toda sua pompa, mas não escondeu uma leve patinação que quase o fez perder o equilíbrio com seus sapatos envernizados. O militar ajeitou seu chapéu e deu uma olhada em volta para ver se alguém vira aquilo, notando Mikau e Murkrow ao longe.
— Hm. Essa foi quase. — disfarçou Duskull num tom sério, mas não escondendo uma ligeira risada.
— Pelo menos o Senhor não foi ao chão, não é mesmo, General? — brincou Mikau.
Duskull acenou num sinal positivo, e logo atrás dele veio Froslass que deu uma veradadeira patinada até cair no chão exatamente ao seu lado com as pernas viradas para o alto. O gelo de seu corpo piorara a situação, e ao cair no piso frio como ver um jarro de vidro estilhaçar-se em mil pedaços. O General Duskull ficou sem reação, nem mesmo tivera a oportunidade de ajudá-la a não passar por tal vexame. Ajoelhou-se ao seu lado e segurou-a em seu colo.
— Minha donzela, a Senhorita se machucou?! — perguntou o fantasma aflito.
— Ahh... Acho que torci o tornozê-lo... — gemeu Glaciallis.
Mikau abraçava a vassoura com espanto, o General levantou-se e ajeitou seu chapéu, lançando um olhar intimidador para o Horsea e o Murkrow que nada podiam fazer quanto àquilo. Não era culpa deles se estavam cumprindo seu dever e limpando o salão, mas Duskull não podia esconder a ira que sentiu ao ver sua mulher machucar-se.
— Eu não permito que causem mal algum à minha princesa. Vocês serão punidos.
— C-Calma aí, General... Somos todos da mesma equipe!
Mikau não teve tempo de argumentar. Nesse mesmo momento Duskull avançou em sua direção e carregou seu punho direito como uma bala. Mikau recuou por não esperar aquilo, mas Murkrow que estivera ao seu lado protegeu seu companheiro com seus braços e desviou o poderoso soco de Duskull que partiu o chão como um canhão virado diretamente para o solo.
— Inimigo? — indagou o General, notando então a presença do corvo.
— Aliado. Às ordens da casa. — retrucou Murkrow, recuperando o fôlego e tocando com a mão a região que recebera o soco de raspão.
 Ninguém entra na equipe sem a minha supervisão, desde quando pensa que faz parte deste lugar? — perguntou Duskull.
Desde antes mesmo que você desse as caras.
Murkrow avançou na direção de Duskull com a vassoura e atacou-o, mas o General segurou o objeto com tanta força que partiu-o ao meio no mesmo momento que foi ao seu encontro. O corvo parecia uma sombra com seus movimentos soturnos, mas não podia esconder-se de um fantasma que vivia na escuridão. Froslass que continuava no chão, esticou a mão e chamou pelo nome do General que parecia não ser capaz de ouvi-la naquele instante, mas ela continuou a gritar:
 C-Castelo! Por favor, pare com isso! — gritou Glaciallis o mais alto que podia, embora ainda parecesse um simples sussurro em meio à batalha.
O fantasma se desatentou quando pôde ouvir a voz delicada de sua donzela, abrindo a guarda para que levasse um golpe de Murkrow em sua face e fosse ao encontro de uma parede de pedras. Froslass correu para ajudá-lo, enquanto Mikau continuava abraçado a vassoura, encarando Murkrow que permanecia numa posição de combate.
— Cara, você é muito habilidoso! — disse Mikau.
— Não vejo muita diferença entre nossas habilidades, você apenas não aprendeu a usá-las ainda. — respondeu o corvo.
Duskull passou o braço na região de seu queixo para limpar seu rosto e retirar a poeira que pairava no ar. Glaciallis cambaleou em sua direção e veio ao chão novamente, segurando em seu rosto com um olhar espantado.
 O que você estava fazendo?! Ele está em nossa equipe, é o homem que cuidou do Ovo da pequena Chimchar por várias semanas! Como pode recebê-lo de forma tão rude...? — perguntou Glaciallis, evidenciando uma feição rara de preocupação.
— Eu só estava tentando protegê-la. — respondeu Duskull de forma séria.
— Você tentou me afastar dos meus amigos...
Duskull hesitou. Olhou para Murkrow e Mikau que agora estavam do outro lado, mas não soube o que responder. O corvo ajeitou suas luvas e ficou em silêncio, somente quando todos se calaram e a adrenalina abaixou que o General pôde perceber o que fizera.
— Eu fui precipitado. — concluiu ele, encarando seus companheiros — Peço-lhes perdão.
Para um alto guerreiro, orgulhoso como Duskull, aquele ato era o mais nobre que existia, e Glaciallis era a única capaz de fazê-lo pedir desculpar.
— Eu deveria ter me apresentado, e também devo desculpas por esta confusão. — respondeu Murkrow com um leve acenar de cabeça — Só preciso de uma outra vassoura, acho que a última quebrou.
Duskull pegou seu chapéu que estava caído ao lado e baixou a fronte. Froslass abraçou-o e agradeceu pelas desculpas que ele pedira, embora ainda estivesse chateada com tudo aquilo que acontecera.
Nesse momento, Titânia havia acabado de voltar com Gabite amarrado entre correntes em suas costas. Provavelmente ela havia finalmente alcançado e capturado-o para que voltasse ao seu trabalho no salão, mas levou um tombo tão forte que até mesmo o dragão acordou com o susto.
— AUGH! Um Snorlax gigante caiu em cima de mim, eu não consigo respirar!! Caracoles, Tih! Um regiminho ia bem! — gritou Gabite.
— Cale a boca, seu dragão desgraçado. Fez bem em armotecer a minha queda, isso não teria acontecido se não tivesse fugido de seu dever de limpar o salão! — respondeu Titânia.
A serpente lançou um olhar pela sala e notou o estrago que havia acontecido. Duskull quase derrotado em um canto, e uma misteriosa sombra ao lado de Mikau. Era um clima tenso, mas a própria serpente não escondeu a risada depois do tombo que levara.
 Podem rir, não tem problema.
Mikau foi o primeiro a dar uma risada singela, seguido de seus companheiros que também se recuperaram do susto e da sequência de tropeços em poucos minutos.
— O que houve aqui? Parece que houve uma guerra.
— Apenas um desencontro, Lady Titânia, e eu me responsabilizo pelo ocorrido. — disse o General Duskull, levantando e recompondo sua postura.
Titânia acenou, e então direcionou seu olhar para Murkrow que a encarava. O homem mantinha-se sério, mas fez um cordial cumprimento para aquela que ele sabia ser a mais experiente de todas.
— Então, a sombra caridosa decidiu revelar-se. — concluiu ela.
— Peço perdão por causar um aumento na vigilância por tanto tempo, mas sempre manti o Senhor Lairon informado de minha presença. Eu apenas esperava a hora certa, e agora estou com aqui prestando os serviços ao meu Mestre, e me assegurando de proteger a pequena Chimchar. — disse Murkrow.
 Para muitos, a presença de Murkrow nunca foi notada, o que evidenciava suas habilidades como espião. Titânia, Pachirisu e Lairon deviam ser os únicos que notaram sua presença antes da hora, mas agora, todos finalmente estavam apresentados.
— E o que faz aqui dentro limpando o salão? Deixem essa tarefa para depois, vamos todos nos reunir no bar mesmo, vamos fazer uma festa para a Milena. — disse Titânia com um sorriso.
Mikau revelou um imenso sorriso, largando a vassoura num canto no mesmo instante. Murkrow pegou suas vestes e ajeitou-se novamente para que todos finalmetne saíssem.
— Oe, Titânia!! Vai me deixar acorrentado aqui dentro?! — gritou Gabite.
— Desamarre-se sozinho. E depois, termine de limpar o salão, tudo bem? Afinal, essa tarefa foi inicialmente incumbida à você. — respondeu a serpente.
Antes que os outros deixassem a sala, Duskull ajoelhou na altura de Glaciallis e perguntou com sua voz austera:
— Ainda está sentindo dor em seu tornozelo? — perguntou o General.
— Um pouco... — acenou Glaciallis com timidez.
— Então permita-me levá-la para as Casas de Cura.
Duskull pegou Glaciallis em seu colo como se fosse uma pena. A princesa de gelo olhou para o rosto do homem que agora estava muito sério e arrependido do que fizera. Ela sabia que tudo aquilo fora somente para protegê-la, mas não deixava de ter sido errado. Froslass encostou a cabeça em seu peito entrelaçando suas mãos nos ombros do General. Não gostava muito da forma excessiva como ele a protegia, mas no fundo entendia como tudo sempre era pensado com o intuito de protegê-la.

Todos seguiram em direção do Bar e encontraram Milotic ao lado das crianças e dos outros. Até mesmo Glaceon, Leafeon, e o Senhor Lairon estavam presentes. Aquela fora a ocasião para apresentar Murkrow ao restante da equipe, a jovem Chimchar quase deu um pulo em sua direção, chamando-o incondicionalmente de "titio!". O corvo, que aparentemente era rigoroso e arisco, abraçou-a de modo sereno como se fosse seu próprio pai. Milotic correu em direção de Mikau e segurou uma de suas mãos, levando-o para o lado do bolo que Gardevoir fizera.
— Quero que corte comigo. Comemorando o dia em que nos conhecemos.
Mikau segurou a Mystic Water em seu pescoço e sorriu, tocando na faca junta à mão de sua amiga. No momento em que estavam para realizar seus desejos eles foram interrompidos por algo caindo de cima da árvore sobre o jovem Horsea.
— Uhuules! Porra, Titânia! Essas correntes são feitas de titânio? Não consigo quebrá-las por nada!! — resmungou Gabite.
— Augh... Você sempre aparece para estragar o clima? Quando eu for cortar o bolo vou pedir para que você desapareça!! — respondeu Mikau, notando que agora Gabite olhava atentamente para algo em cima da mesinha...
 BOLO! — e desapareceu.

{ 10 comments... read them below or Comment }

  1. Yo Canas! É uma pena que o Capítulo 34 ainda não será postado, mas você ainda vai trazer a página do Porygon? ^.^' Mas posso garantir que foi um ótimo Fire Tales, vejo que a Milena ganhou os elogios que sempre mereceu, e agora quero ver o Aerus correndo atrás dela, para ele ver o que é bom, embora eu tenha certeza que a Titânia não vá deixar kkk. E o nome do Mothim é Marco Polo? Kkk muito criativo Canas, como sempre, e agora estou louco para saber, não sei por que, o nome da Glaceon e do Leafeon. E que chegada "chegante" do Murkrow, ein? Mostrou quem é que manda, realmente estava faltando alguém assim no time do Lukas! Pobre Mikau, sempre surge o Gabite para cortar o clima :'( Foi um ótimo Fire Tales Canas, como sempre, está de Parabéns k. Até mais o/

    ReplyDelete
  2. Gostei. A apresentação da Milotic, da Chimchar e do Murkrow. Esperei muito para que o Murkrow tivesse mais destaque, ele é um dos meus pokémon preferidos. Só que eu estou eperando mais o Fire Tales 13, "PORY-TRON". Aposto que este vai ser um dos, não, o melhor Fire Tales!!! Aguardo anciosamente o Cpítulo 34, o 2º capítulo do especial da Dawn, o 2º capítulo do "A GYM Leaders Life" e o Fire Tales 13, "PORY-TRON".

    Att.

    ReplyDelete
  3. WOW, que Fire Tales demais, adorei todas as batalhas, Murkrow vs Duskull, por um pequeno descuido o grande General foi abatido, esse lado super-protetor dele pode gerar problemas futuros...
    E o Aerus, mas que grande FILHO DA MÃE, mandou o pobre Mikau fazer o trabalho sujo que ele deveria fazer, mas logo após a Tih pegou o Gabite e amarrou ele com umas correntes de titânio, nunca mais ele se livra delas... E o bolo, sumiu, e como o Gabite conseguiu pegar ele e desaparecer? Esse Dragão é mesmo habilidoso...
    Bem, fico por aqui...
    By: Shadow Bellator

    ReplyDelete
  4. Eu entendi outra coisa. O Mikau disse que ia pedir pro Aerus desaparecer, eu acho que foi ele que desapareceu, e não ele E o bolo.

    ReplyDelete
    Replies
    1. hahahe Fos isso mesmo cara, na verdade eu tive um verdadeiro problema com esse capítulo antes de postá-lo. Tive que rever duas vezes, ele tinha ficado sem um clímax e confuso, então precisei mudar a ordem. Na verdade essa disputa do Duskull contra o Murkrow era no começo, e nem teria nenhuma celebração para a Milotic. Sorte que eu consegui dar uma melhorada (: Cara, e eu posso te dizer com orgulho que esses quatro capítulos que vocÊ pediu já estão prontos, só esperando alguns retoques e a oportunidade para serem postados! O Capítulo 34 ainda vai precisar de um último ajuste, o PORY-TRON é na minha opinião um dos melhores com a introdução desse personagem, e o especial da Dawn já vai desenrolar muito bem o enredo. Abraços ae Anderson, e aproveito para deixar um rápido agradecimento pelos títulos que você tem mandado! Abraços ae meu caro.

      Delete
  5. canas cara vc fez direitinho como eu falei!(mais ou menos) milotic recbendo toda atenção chimchar + ou - togepi sendo chamado de maninho cara é muito bom saber que eu te inspirei para esse fire tales!

    ReplyDelete
  6. Canas a cada Fire Tales que passa, um consegue superar o outro. Achei este especial muito loko, todas as conversas foram interessantes e a cena da batalha entre o Castelo e o Murkrol foi animal, nessas horas dá até impressão que leio mais rápido, para igualar a agilidade dos atraques, e tudo foi feito com mãos nuas e uma vassoura!
    Cara eu ri muito com os tombos, imaginei perfeitamente o General chegando com toda a sua pompa e dando umas escorregadinhas... e a Titânia então, morri de rir!
    Eu tenho que elogiar esta personalidade do Horsea acho esse carinha ponta firme, e olha que ele acabou se tornando o meu preferido entre os Fire Tales!
    E Canas, meu amigo... maldade com a minha querida Glaciallis, você torceu o tornozelinho dela... se eu fosse o Duskull teria feito o mesmo kkkkkk Vem mexer com a minha mina que eu viro o bicho!
    E a Milotic... meu este Horsea tem muita sorte
    Tenho apenas uma pequena observação, posso estar enganado, mas aquela cena que a MIloti dá o colar para o Mikau e diz “É meu, para eu dar para quem eu quiser. Assim como o meu coração” seria da bela Arwen?
    Flw

    ReplyDelete
  7. E ae Canas, por hoje vou parar por aki, amanhã eu termino os comentários! Confesso que fiquei bastante animado em ter voltado a fazer o que mais amo! Espero que você não tenha se assustado com o numero de coments kkkkkkk Dessa vez eu literalmente perdi a conta!
    Tenho muita coisa para dizer, mas vou deixar tudo para o fim.
    E não deixei de reparar no lovo layout não, só pretendo comentar sobre ele em seu devido lugar, para o comentário não ficar jogado! Mas uma coisa me deixou bem animado!!
    Top comentaristas =====>
    É sempre bom ter com quem concorrer kkkkkkkkkkkk
    Flw até amanhã, na mesma hora e no mesmo lugar

    ReplyDelete
  8. É, esse Fire Tales teve de tudo! Até porrada, mah ôe!

    Confesso que a Milotic ficou uma gata depois da evolução. Mas ela também era bonitinha quando era uma Feebas. Quero dizer, Feebas são esquisitos, mas o desenho dela ficou bonito.

    É, o bicho pegou ali. E pra variar, foi tudo culpa do Aerus. Se ele tivesse se prontificado a limpar o Salão, como a Titânia lhe havia requisitado, nada disso teria acontecido. Mas o que o público quer é ação, então ele acertou sem querer.

    É isso aí Canas. Está muito bom. Até a próxima!

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -