Posted by : CanasOminous Apr 27, 2012

Antes de mais nada, quero compartilhar algo com vocês. É só uma pequena história, na verdade, sobre tantas outras: Dois amigos. Um escritor. Uma fanfiction. E um Sonho.
Semana passada eu estava muito concentrado assistindo meus seriados, quando estou no meio de uma tarefa é difícil conseguir minha atenção. Acessei meu e-mail como de costume, havia um comentário e mais duas mensagens de um leitor que conheci no ano passado. É bem comum que muita gente venha me pedir ajuda em fanfictions e dicas para construção de Blogs, ou até um simples desabafo, então, acessei a mensagem como qualquer outra.
Li um pedaço daquela forma automática, sabe? Mas foi estranho, me deparei com algumas coisas que por um momento me fizeram retomar consciência e voltar só para conferir. Fechei o seriado sem nem olhar onde tinha parado, eu precisava entender aonde aquela mensagem iria chegar. Bom, o emissor havia citado a possibilidade de eu fazer uma homenagem para um amigo dele. Poxa... Colocar personagens novos na história? Vocês sabem que nem sempre consigo, para mim é complicado mexer no enredo central. Mas continuei seguindo a mensagem. Li a seguinte questão:

"Sexta feira, dia 27, é o aniversário do meu amigo muito, muito, especial! O Nicolas, ele é seu chará, e gosta muito da fic. Ele foi adotado pelos meu avós e é muito deferente, sabe, ele não gosta muito de falar e me odiava, mas um dia eu estava lendo um episódio de Aventuras em Sinnoh e ele entrou no quarto e viu a tela, começando a dizer:
— Aaaaahhhh! Eu não acredito que você gosta de Aventuras em Sinnoh! Eu adoro essa fic e as outras do Canas, eu lia lá no orfanato. E gosto muito dessa nova."

Esses dois jovens passaram a se tornar amigos. Um de dezessete, o outro de doze. Acho que o que me cativou foi o motivo dessa amizade ser formada.
O que Sinnoh é para mim? O que Sinnoh é para as pessoas? Eu não o vejo como um blog, vejo como um quarto. Talvez um refúgio, talvez uma área de trabalho, ou simplesmente um lugar onde você pode se sentir bem. Eu sabia que minha fanfiction era importante para o jovem Nicolas? Digo que nem sempre são precisos comentários para um escritor saber que o acompanham, é pelo simples fato de você saber que a história é importante para alguém que ela se torna importante para você mesmo. Não é por dó, não é pelo fato dele ter o mesmo nome que eu, é por um motivo mais alto... Retomo minha pergunta do início do parágrafo, então, o que Sinnoh é para mim?
Simplesmente, um Sonho. O Sonho de fazer as pessoas Sonharem.

Hoje deixo com vocês esse pequeno capítulo em homenagem à esse garoto, é o aniversário dele. Agradeço ao Gabriel Simpson por enviar a mensagem, compartilhar esse acontecido comigo e permitisse que eu compartilhasse com todos vocês. Por quê continuo escrevendo essa fic? Todos nós temos objetivos, se você acha que é uma obrigação nunca vai chegar em nada. Nossos objetivos são vários como escritores, seja alcançar sucesso ou simplesmente se divertir. Meu intuito é alegrar as pessoas com o que posso, formar amizades de maneiras inesperadas, dando um significado diferente para cada um conforme suas necessidades. É a magia dos sonhos.
Sabem que dia é hoje? 27 de Abril. Então...

Feliz aniversário, Nicolas!

And now, my friends, I address you all tonight, as you truly are; Trainers, Coordinators, Rangers, Adventurers, writers... Come and Dream with Me.

O sol brilhava com fracos feixes da janela do quarto dos Irmãos Wallers. Luke e Lukas se levantaram para sair do Centro Pokémon na companhia de Dawn, aquele seria um dia excelente para treinar os Pokémons nas redondezas da cidade e ainda se preparar para os desafios futuros. O jovem Lukas estava num bom humor capaz de cumprimentar qualquer pessoa que passasse ao seu lado na rua, já seu irmão não parecia na mesma situação. Caminhava de mãos no bolso com pisos firmes no chão, bocejando praticamente de minuto em minuto, mas ainda não escondia o ânimo em ter uma boa manhã de treinos ao lado dos amigos.
— E então? O que pretendem fazer de bom hoje na cidade? — perguntou Dawn.
— Vamos para próximo do lago ao sul da cidade. Eu soube que existem muitos Pokémons aquáticos por lá, seria excelente para treinarmos e ainda aproveitarmos esse dia lindo de sol! — respondeu Lukas.
— E você, Luke? O que pretende fazer? — continuou a garota, não recebendo uma resposta do garoto que mais parecia um sonâmbulo caminhando — Você está acordado?
— Ah, acho que sim, eu só fui dormir muito tarde. De noite ficou passando um seriado épico de cavaleiros em tempos medievais, acho que tão antigos quanto a Titânia. É aquele tempo em que as pessoas ainda carregavam uma espada, já pensou? — disse Luke, notando que os amigos não entendiam muito bem do que ele falava.
         — Para quê uma pessoa precisaria carregar uma espada hoje em dia? — perguntou Dawn.
          — Ora essa, quer símbolo maior de honra e poder? — respondeu Luke com uma risada — E também, para poder se defender! Contra um ataque de cócegas!
Luke avançou em direção de Dawn fazendo um bocado de cócegas na garota, de modo que ela implorasse para que o jovem parasse enquanto os dois caíam na risada.
— Hah, hah, hah! Pare com isso, Senhor Cavaleiro! Por hoje já basta! — respondeu a menina ofegante.
Lukas retirou sua mochila e depositou embaixo de uma árvore, seu irmão correu para longe sendo seguido por Dawn logo na sequência. Os jovens se aproximaram de um laguinho raso o bastante para que a garota tivesse a possibilidade de entrar, já que ela não sabia nadar. Luke retirou a camiseta, lançou a bolsa para longe e pulou na água, os respingos haviam molhado a roupa de Dawn quase inteira.
— Ahh, meu cabelo! M-Minha chapinha, seu moleque de Darkrai!! Se eu tivesse uma espada eu furava você inteirinho agora! — gritou ela.
— Entre aqui e me enfrente, seja minha adversária. — respondeu Luke.
— Eu vou ser sua adversária quando eu mandar o Lairon acabar com sua raça!
Luke caiu na risada, e continuou a jogar água com os pés para longe. Logo Dawn se encontrou obrigada a cair na diversão também, Lukas aproveitou para liberar seus Pokémons e assim todos passaram a se divertir. Pachirisu deliciava-se com pequenas frutinhas, a doce Roselia recolhia flores ao lado de Shellos, e a grandiosa Milotic demonstrava toda a sua beleza ao lado de seu defensor, Mikau. Leafeon e Glaceon descansavam próximos de seu ovo, e o protetor Lairon não hesitava em sair de seu posto protetor em momento algum.
A tarde foi passando, e os três se deitaram sobre a grama baixa para olhar o formato das nuvens.  Elas mais pareciam Mareeps gigantes com novelos de lã, ou então Altarias com suas nuvens de algodão doce. Dawn rolou até parar do lado de Luke demonstrando um largo sorriso para o jovem, ela recolheu seus braços e apoiou sua cabeça sobre suas mãos encarando o garoto com um sorriso apaixonado por um longo tempo.
— Me diga, com que Pokémon eu me pareço?
— Gyarados. Pelo tamanho desse sorriso eu até diria um Quagsire. — respondeu Luke quase que de imediato, recebendo uma cotovelada da garota que voltou rir.
— Idiota. Eu estou falando sério.
Luke fez uma feição pensativa por um momento, e assim voltou a dizer:
— Ok, talvez uma Loppuny?
Dawn deu um leve beijo no rosto do garoto e o abraçou com muita força. Agora era a vez de Luke perguntar:
— E você? Acha que pareço com qual Pokémon? Aposto que deve ser um gato de um Luxray, ou musculoso como um Machamp.
— Magikarp. — respondeu a garota.
— O quê?
— Você parece um Magikarp. Se eu sou um Gyarados, você é tão esquisito quanto uma Magikarp. Ou prefere um Feebas? Heh, heh, heh... — respondeu Dawn.
Luke levantou na mesma hora, parecia estar estressado novamente. Dawn sentou-se e ficou a observá-lo por um tempo, ele arrumou sua camiseta e deixou os amigos para trás bufando de raiva. Pelo menos havia deixado a bolsa com alguns Pokémons, logo, em breve seria obrigado a voltar.
— Ai, Lukas. Seu irmão é muito complicado. Ele faz brincadeiras com todo mundo, mas não aguenta quando fazem com ele. — disse Dawn.
— Deixe ele, por enquanto. Daqui a pouco ele se toca e volta para pedir desculpas, mas só para certificar, chame-o de Luxray na próxima, Senhorita Loppuny. — brincou Lukas.

Luke continuou caminhando enquanto chutava uma pequena pedrinha para longe. Estava concentrado naquilo há pouco mais de três minutos. Tinha apenas duas pokébolas consigo, Duskull e Gabite. Às vezes era necessário um tempo sozinho para que tudo comece a fazer sentido em nossa mente. Estava andando sem rumo somente para esquecer o acontecido.
— Magikarp... Só pode estar de brincadeira. — bufou.
Enquanto o jovem se concentrava na pedrinha, um garoto acabou por passar em sua frente. Luke se desconcentrou e tentou recuperar o percurso com a pedra, mas acabou se trombando com o garoto que veio ao chão. A pedra caiu num riachinho próximo e assim terminou com sua diversão. Ele já não estava em um dia agradável, e imprevistos sempre aconteciam para piorar ainda mais a situação.
— Poxa, olha por onde anda, cara! — gritou ele, com seu típico modo de tratar os desconhecidos. O menino continuou no chão, demorou para se levantar. Nem sequer encarou Luke nos olhos, parecia muito assustado.
— Me desculpe, não foi de propósito...
Palavras daquele porte sempre conscientizam a fúria de alguém. Luke acalmou-se e esticou a mão para o menino que se levantou. Seus olhos pareciam dispersos e cheio de dúvidas. Carregava apenas uma mochila, mas não tinha Pokébolas, Luke sequer dera conta disso, para ele qualquer criança era um treinador.
— Vish, foi mal ae cara. Tô num estresse daqueles, tá ligado? Mulheres, sabe como é. — respondeu Luke, agachando e pegando a mochila para o garoto — Acho que isso é seu.
— Sério? Essa bolsa é minha? — perguntou o garoto.
— Claro que é, você acabou de derrubar ela.
— Putz, e não é que é verdade? Hah, hah, hah...
Luke caiu na gargalhada, aquele jovem era muito esquecido e parecia ser também muito divertido. Apesar do encontro conturbado de início, tudo indicava que aqueles dois se dariam bem.
— Cara, cê é comédia! Qual é o teu nome?
— Pode me chamar de Nicolas. E você?
— Luke Wallers, é um prazer te conhecer, companheiro. Diga aí, bora tirar uma batalha! Dois contra dois, o que acha da ideia?
Nicolas ficou quieto por um momento, mexia em suas mãos o tempo todo e desviava seu olhar enquanto hesitava em respondê-lo. Luke estava com suas duas Dusk Balls em mãos, por mais que o oponente fosse um iniciante, ele dizia que não pegaria pesado.
— Vamos lá, cara! Só pra se divertir! — disse Luke.
— Eu não sou treinador...
Luke ficou em silêncio. Ele guardou a pokébola de Duskull e coçou a cabeça.
— Ah, por essa eu não esperava, desculpa aí. Mas diga, você tem cara de já ter mais de dez anos, certo? Por quê não começou uma aventura ainda, cara?
— Eu não posso. Tenho medo de sair de casa, não pude comparecer à entrega de iniciais com o Professor Rowan há dois anos consecutivos, minha cidade é muito longe de Sandgem. Tenho esse receio, sabe? De não conseguir me adaptar, de não encontrar bons Pokémons, de não poder fazer bons amigos. — disse Nicolas.
Luke não sabia como lidar com aquela situação. Ele não era a melhor pessoa para dar conselhos, e muito menos para falar a língua de uma pessoa que não era treinadora.
— Bom, eu... Você. Sei lá, quer ver meus Pokémons, então? — sugeriu Luke.
— Sério? Putz, eu adoraria!
Luke pegou as duas Dusk Balls e jogou-as para o alto. Gabite espreguiçou-se e logo sacou oBlackglasses para que evitasse a forte luz do sol. O General Duskull também não apreciava a luminosidade, mas se seu chefe o chamava ele deveria atender a qualquer momento. Os olhos de Nicolas brilharam assim que ele viu os dois Pokémons. Luke se enchia de orgulho, assim como as criaturas.
— Cara, eles são simplesmente fantásticos! Principalmente esse Duskull, você tem um Duskull!! Um fantasma de verdade, o melhor Pokémon de todos!! — disse Nicolas.
— Ele é o comandante dos meus exércitos, era o líder da Lost Tower quando o capturei. Eu o chamo de General por sua autoridade. — gabou-se Luke, enquanto via o jovem Nicolas rodopiar Duskull que permanecia em sua posição.
— Duskull, Duskull, Duskull! Ele deve ser o melhor Pokémon do mundo, como o encontrou?
— Eu acabei de falar que foi na Lost Tower, cara!
— Ah, é verdade! Hah, hah, hah!
Os dois caíram na risada novamente. Luke aproveitou o momento para mostrar toda a força que seus Pokémons tinham. Por mais que Gabite fizesse excelentes apresentações, Duskull ainda era o centro das atenções. Nem mesmo um dragão de óculos escuros era mais cativante do que aquele fantasma para o jovem Nicolas. De repente, uma rápida ideia surgiu na mente de Luke, parecia um tanto extravagante, principalmente quando se tratava dele como uma pessoa egocêntrica e que nunca pensava no próximo, mas por algum motivo, algo lhe dera aquela ideia.
— Ae, Nicolas, acho que vou precisar ir andando...
— Sério mesmo? Que pena, eu poderia ficar o dia inteiro vendo os seus Pokémons! Eles são brilhantes, mal posso esperar para começar minha aventura no ano que vem. Ou quem sabe no outro... Ou no outro...
Luke deu um sorriso quando ouviu aquilo, agora sim ele teria certeza de que seu plano daria certo. Deu um rápido aperto de mão e perguntou onde poderia encontrar Nicolas na manhã seguinte. O jovem apontou onde era sua casa, morava com os avós nas proximidades do Pokémart. Era tudo que Luke precisava saber.
O garoto correu e encontrou-se com Lukas e Dawn no caminho. Os dois já pareciam preocupados com a demora do amigo, mas Luke tocou no ombro do irmão de forma eufórico lotando ele de perguntas e anseios.
— Cara, eu sou a pessoa mais egocêntrica do mundo, vocês sabem disso. Mas sabe quando a gente sente a necessidade de ajudar alguém? É o que estou sentindo agora! — disse Luke.
— Calma aí, irmão. O que houve? — perguntou Lukas.
— Preciso de um Pokémon, preciso de um Pokémon inicial. E rápido.
— Ei, Luke, você está bem? Você sumiu de repente, nem deu tempo para que eu me desculpasse! — disse Dawn — Eu só queria pedir desculpas pelo acontecido e dizer que para mim você é um verdadeiro Luxray! Rawwr! — disse ela fazendo um sinal provocativo.
— Agora não, eu preciso desse Pokémon, preciso da ajuda de vocês! — respondeu Luke de forma eufórica.
— Nossa, já vi que a situação é séria mesmo. O que aconteceu para você se sentir dessa maneira?
O jovem parou e explicou todo o seu plano com mais calma para os amigos. Dawn fez uma posição pensativa, enquanto Lukas olhava em volta à procura de Pokémons selvagens. O plano era capturar um inicial para que Nicolas pudesse começar sua jornada. Por mais que não fosse um Turtwig, um Chimchar ou um Piplup, eles ainda acreditavam que poderiam capturar algo realmente poderoso.
— Um Pokémon inicial para um treinador novato... Essa é complicada, nos arredores da ciade só temos Starlys, Bidoofs, Geodudes; Pokémons bem convencionais. Pelo que você me falou, esse jovem precisaria de um amigo para todos os momentos, e pelo gosto dele, talvez uma criatura mais excêntrica. — comentou Lukas.
— Um amigo para todos os momentos? Que tal um Pokémon fantasma? Seria literalmente para todos os momentos, fantasmas vivem a eternidade. — disse Dawn.
— Brilhante!! Ele adorou o meu Duskull, será que não encontramos algum deles por aqui? Acho que o próprio General seria capaz de convocar algum de seus soldados ao anoitecer, e então, eu o capturo! — e assim, os jovens esperaram o anoitecer.
Luke estava muito impaciente, olhava para o horizonte a todo o momento aguardando que as nuvens dispersassem e a lua exibisse toda sua grandeza. Às sete horas tudo começou a escurecer, Luke lançou seu Duskull que ergueu-se com toda sua pompa no aguardo das ordens de seu mestre.
— Vamos lá, General. Sei que você era o líder de todos os demais fantasmas na Lost Tower, então, acredito que você seja capaz de convocá-los com sua habilidade de liderança! Vá, busque um excelente soldado, e volte o mais cedo possível!
O fantasma desapareceu. Agora restava apenas que os jovens aguardassem. Passaram-se algumas horas, e o General Duskull não voltava. Dawn já bocejava de sono, e mesmo que Luke tivesse dormido tão pouco, parecia recém despertado, apto a esperar até que seu Pokémon voltasse. Dawn estava deitada no colo de Luke debaixo de uma árvore, a menina acordou por um momento e tocou em seu ombro.
— Ele já voltou? — perguntou Dawn com um ar sonolento.
— Ainda não. Querem voltar para o Centro Pokémon e descansar? — perguntou Luke.
— Não, estamos juntos nessa, damos todo o apoio para você, mas... Me acorde assim que ele voltar. Boa noite, Luxray.
Dawn voltou a dormir. Luke olhou para o céu e deu um sorriso enquanto olhava as estrelas. Tão brilhantes, tão repletas de anseios e desejos... Muitas crianças esperavam muito tempo para iniciar suas jornadas, mas nem sempre eram capazes, tanto por motivos familiares, problemas com os iniciais, o que quer que fosse. Era o sonho de toda a criança, e pela primeira vez Luke se sentia tão bem por ajudar alguém.
Quando retomou sua atenção notou o General Duskull surgindo das sombras com um novo fantasma ao seu lado. Era um de seus soldados, se não um dos mais habilidosos da torre perdida. Luke não iria capturá-lo sem uma batalha, entou em posição de combate enquanto seus amigos ainda estavam adormecidos. Iria capturá-lo com grande honra.
— Shh... Façam silêncio, se a Dawn acordar garanto que vocês vão descobrir o que é a fúria de um Gyarados! Vamos lá, General, comece com o Shadow Sneak!
Duskull atacou o soldado que se defendeu com grande êxito, o oponente era inferior, mas tinha muitas habilidades promissoras. Luke ordenou um Confuse Ray para atordoá-lo, dando a chance perfeita para que ele lançasse uma pokébola e tentasse a captura. Rápida e direta. O próprio fantasma parecia disposto a seguir viagem. Luke segurou a pokébola e sorriu.
— Obrigado, General. Ele estará em boas mãos.
Luke voltou seu Pokémon e chamou pelo irmão. Lukas despertou, estava mutio feliz por terem finalmente encontrado o fantasma. Porém, Dawn parecia não acordar. Estava muito cansada, Luke até sugeriu que a levasse no colo, mas não a aguentava de maneira alguma, a menina só despertou quando os dois vieram ao chão.
— Idiota!! Por quê não me acordou ao invés de fazer esse alvoroço?
— Eu tentei, mas você dorme que nem um Snorlax!
— E você também não me parece nem um Machamp para não aguentar sequer uma garota indefesa como eu!
Os xingamentos de Pokémons continuaram por um tempo, mas logo cessaram com o interrompimento de Lukas. Luke e seus amigos seguiram para a casa de Nicolas, àquele horário tudo estava apagado e o jovem provavelmente já estava adormecido. Eles haviam demorado demais.
— Ele já está dormindo... — disse Lukas.
— Claro, e nós também deveríamos estar. Puxa, então acho que vamos ter que esperar até amanhã para entregar o Pokémon. — disse Dawn.
Luke hesitou.
— Espera, tenho uma ideia melhor.
O garoto pediu o diário de Dawn, que após muito negar arrancou uma única página para que o plano fosse sucedido. Com uma caligrafia falha e infantil, ele escreveu um pequeno cartão com ajuda do irmão e deixou em frente à porta da casa com a pokébola do Soldado Duskull dentro de uma caixa. O trabalho estava feito.
— Luke, amanhã nós vamos embora da cidade logo que amanhecer, você não vai nem se despedir do Nicolas ou dizer que foi você quem entregou? — perguntou Lukas.
— Ele não precisa saber que fui eu, o que eu quero é que esse cara seja um treinador para que possamos nos enfrentar no futuro, como grandes amigos!
E então, os três partiram. Naquele momento tudo que buscavam era uma bela cama e uma boa noite de sono. A manhã veio junto da aurora, Nicolas levantou-se de sua cama e recebeu os parabéns de seus amigos mais próximos e dos avós. Era o aniversário dele, um dia muito importante. Ou pelo menos, era o que deveria ser se ele pudesse começar sua jornada. 
— Nicolas, venha aqui, por favor... Acho que alguém deixou um presente para você... — disse uma velha senhora.
O garoto andou até a porta e viu uma caixinha de bomboms com um embrulho mal feito e uma cartinha ao lado. Ele estava muito curioso, pensou ser alguma admiradora secreta, mas havia uma pokébola dentro, e ao lado, uma pequena carta escrita manualmente. Aparentemente por alguém muito cansado ou que escrevera tudo no escuro. Nicolas não ligou para os erros, e sim, pelo motivo pelo qual havia sido escrita.
Nicolas abraçou a pokébola e mal pôde conter a felicidade. Contou para seus avós como havia recebido um presente dos céus e poderia finalmente começar sua jornada. Qual fora sua surpresa quando descobriu que era um magnífico Duskull? Seu maior sonho havia sido realizado. Se ele sabia que era Luke quem havia enviado o presente, então preferiu acreditar em algo maior. Talvez o próprio Luke fosse um Pokémon realizador de desejos, e não é que no final de Magikarp o jovem havia se transformado em um miraculoso Jirachi?

{ 15 comments... read them below or Comment }

  1. Cara... eu mal acreditei no que li! Sei lá, não é algo que vemos todos os dias. Uma boa pergunta é: o que o blog significa para cada um de nós? Considero Aventuras nas Ilhas Laranja um verdadeiro refugiu para mim. O lugar mais perfeito, para onde vou quando tudo a minha volta parece conspirar.
    Digo que para mim, minha própria fanfiction não é apenas um dever, e sim um verdadeiro sonho!

    Adorei a pequena homenagem que você fez ao pequeno Nicolas cara. Aposto que quando ele ler isso ficará muito feliz! E deixo aqui nesse comentário um Feliz Aniversário a você Nicolas, e que todos os seus sonhos tornem-se realidade!

    Ps: a cartinha do Pokémon dos Desejos foi muito engraçada :D

    ReplyDelete
  2. Cara, você me surpreendeu mais uma vez. Não é que além de ser um bom escritor, você também é uma boa pessoa? Na boa, você merece um prêmio por isso.

    Esse foi sem dúvidas um capítulo magnífico, e por um momento deixei de ver o Luke e imaginei você, acredito que essa tenha sido a maior maneira de ler. Só o fato de realizar um ato tão nobre quanto esse, já faz você ganhar mais e mais fãs.

    Sei que me ausento muitas vezes, mas acredito que eu simplesmente enjoo dos meus comentários e preciso de motivações como essas para ganhar inspiração.

    Pois bem, acredito que comentar sobre ortografia e afins não vêm ao caso, pelo menos não hoje. Tudo o que resta a fazer é desejar parabéns ao aniversariante, Nícolas, e alertá-lo de que ele tem sorte de ter um sobrinho(?) com um coração tão bom assim. E também um escritor que colabore muito com a felicidade dos fãs.

    ReplyDelete
  3. Muito interessante Canas! Eu nunca pensei em uma coisa assim como um leitor homenageado aqui. Será que ano que vem vc faz uma homenagem no meu aniversário? Kkkkkk só to brincando mais se gostar da ideia manda um e-mail zuera.
    Yaoi Girls ao ver o coraçãozinho: EEEEEEh
    Yaoi Girls apos ver que não foi ele que desenhou: AAAAAAAH! Kkkkk zuera até o capitulo 36 que por acaso está demorando um poukinho

    ReplyDelete
  4. Hoje faz somente uma semana que postei o último capítulo, Dark Lugia. Eu costumo trazer um episódio importante todas as sextas feiras. Hoje, já fiz esse, e acho que ele é tão importante quanto qualquer outro, e por isso, vou adiar o 36 por mais um tempo. Ainda tenho o 35.5 para começar a trabalhar, então acredito que essa demora irá estender-se ainda mais principalmente pelo fato do 36 estar tomando medias imensas. Quanto à essa questão da homenagem, você vai ter que me desculpar cara, mas acredito que vou manter só nessa. Este foi um capítulo como qualquer outro, tive o mesmo trabalho de escrevê-lo e adaptá-lo. Por mais que eu queira, se eu fosse fazer uma homenagem para todos os meus leitores nós não teríamos mais história.

    O que fiz aqui entra em todo o nosso enredo, foi mais uma história sobre o site do que sobre os personagens em si. Não sou a pessoa mais adequada para fazer homenagens, tive sérios problemas com isso em outra fic e perdi total interesse, mas nesse caso, acho que me comovi pelo história de amizade. Essas coisas sempre me cativam, acho que é válido mais pela mensagem que ele trás do que na homenagem em seu todo. See ya! (:

    ReplyDelete
  5. Esse sim eu posso chamar de "um capítulo feito as pressas", mas, o incrível, é que não perdeu a qualidade! Cara, amei. E aposto que o próprio Nícolas irá adorar, mais do que a todos nós. Finalmente, o feio Magikarp se transformou no misterioso e fofo Jirachi...

    Ontem foi meu aniversário também (26/04), mas garanto que nenhum presente (eu não ganhei '-') se compara a isso que você fez, Canas, a pedido do Gabriel. Qualquer criança adoraria este tipo de homenagem, e me sinto feliz também =)

    PS: Um feliz aniversário, Nícolas. E que você possa sempre contar com o Gabriel e com pessoas como o Luke =)

    ReplyDelete
  6. KKK Muito bom
    O que o blog significa para mim?
    Um exemplo.Um modelo,de escritor,de história,de pensamentos,de ações,de pessoa.
    Você mostrou que é preciso mais de uma mente brilhante,também é preciso de um coração ainda mais reluzente que reflita o amor em todos á sua volta.

    Apesar dos momentos de tensão no enredo principal,você conseguiu mudar o foco deste especial,é claro que não mudou a personalidade do Luke,mas isso só torna mais real e ainda alivia um pouco a cabeça dele que está sendo perseguida.

    A carta do Luke ficou muito boa,principalmente na parte "Não fui eu que desenhei essa parada,demorô?" haha

    Eu até iria comentar com raiva sobre a Dawn ter chamado o Luke de Margikap em um dia comum,mas hoje não estou muito afim não.
    Início de feriado,cansaço,paz interior e exterior,ua mensagem dessas,e tudo isso somado a um Is This Love do Bob Marley,não tem preço. kkk

    Há,já ia me esquecendo,feliz aniversário Nicolas e que seus sonhos sejam realizados,e sempre que aparecer alguém tentando te impedir de ralizá-los,alegre-se pois isso significa que uma pessoa que te apóia também aparecerá.

    Happy Birthiday Nicolas!!

    ReplyDelete
  7. Poxa, Dento! Foi seu aniversário também? Cara, essa me passou batido, que pena, mas nunca é tarde para te desejar um feliz aniversário também, parceiro! Pelo visto temos várias figuras que fazem aniversário agora no fim de abril. Cara, na verdade, posso dizer que tive bastante tempo para trabalhar no capítulo, faz um tempinho que recebi a mensagem, e há uns cinco dias pelo menos eu já estrava trabalhando nesse roteiro (: Tentei adequar o capítulo ao máximo para um enredo bacana nessa idade, eu não quis de maneira alguma tirar o brilho dos Pokémons, e assim, trazer este pequeno ocorrido para vocês presenciarem.

    Loks, rapaz, agradeço muito seu elogio. Fico feliz que o blog signifique isso para você, e para mim é muito gratificante ver todos os lados das pessoas que entram em Sinnoh uma espécie de modelo. Uma coisa que notei é que você curte Reggae, é a segunda vez que menciona o grande Bob Marley. Poxa, estou lutando para encaixar um reggae nos temas de meus Pokémons, afinal, isso não poderia faltar, não é? Um bom fim de semana para ti também, esse feriadão vai ser excelente. Obrigado pelos elogios pessoal, acho que este pequeno capítulo é digno de tudo isso.

    ReplyDelete
  8. Adorei está homenagem... Cara esse foi pequeno, mas rendou bastante, adorei ter arrumado um tempinho para ler este hoje.
    Esse foi perfeito, foi uma bela homenagem,principalmente por se tratar de uma homenagem tratando do assunto amigo, adoro capitulo com esse tipo de tema.
    E notei que o Luke finalmente fugiu daquele disturbio magalomaniaco e voltou a ser o velho Luke por pelo menos um capitulo.
    Ah sim, feliz aniversário Nicolas, tenha um bom fim de semana e um bom feriado.
    Também desejo um bom feriado para você Canas e para todos os outros leitores do AeS.
    By: Shadow Ballator.

    ReplyDelete
  9. 5 coisas:

    1ª: 5M-0N :P

    2ª: Parabéns pra você, desta data querida, muitas felicidades, muitos anos de vida! Parabéns pra você, desta data querida, muitas felicidades, muitos anos de vida! AEEEEEE!!! Com quem será? Com quem será? Com quem será que o Nicolas vai casar?
    -Vai ser com ah tih- esculachava gabite, recebendo um belo de um tackle da titânia
    KKK feliz aniversário cara!

    3ª: Meu vc pode fazer um pra mim 13 de julho?? kkk zoa

    4ª: Cara que história emocionante, mas eu pago pra ver o Luke fazendo isso na história central, pago 1 centavo! kkk!
    gostei da cartinha, se não fosse pelo Lukas olha como ia ser a carta:

    E ai cara beleza? Aqui fala o Luke Wallers, tem um duskull aí na pokébola. ME DEVE 15 CONTO PELOS BONBONS! Mas mano, te vejo na liga! Mas, sacumé né vo te vencer! Xau!
    PS: Antes de me confrontar na liga quero meus 15 conto
    PS2: Não fui eu que desenhei essa jossa desse coraçãozinho aí!

    ( )!

    ReplyDelete
  10. Ah, esqueci de responder a pergunta feita no inicio: O que é Sinnoh para mim?
    Para mim o AeS é um refúgio, é um local onde posso relaxar e voltar a alguns anos atrás, ter 10 novamente, ou até ter 9... O AeS é simplesmente incomparavel, o AeS me faz ter um momento somente meu, único, me tras paz de espirito, me faz esquecer dos problemas diários, me faz poder ter paz por algumas hora do meu dia caótico e monótono.
    Emfim, o AeS é simplesmente... INDESCRITIVEL.

    ReplyDelete
  11. esqueci do 5º:

    5M-06F
    agora é tarde né..

    bem vou responder a questão:

    para mim, é um paraíso tranquilo no meio de um inferno caótico, é a salvação do mundo da minha mente, é o meu maior bem-estar de todas as semanas, e espero que esse projeto faça tanto sucesso, para quando eu olhar no futuro, 3 fanfics em um único blog, com um único escritor, e vários escritores juntos criando centenas de homenagens e milhões de fanarts! Que um dia quando tivermos mais velhos, voltarei aqui e sonharei de novo.
    Resumindo, AeS é... como posso dizer... TUDO PRA MIM!

    ReplyDelete
  12. Yo Canas!Terminei de ler todos os caps depois de uma pausa por 3 semanas, ou seja, agora comentarei sempre a cada ep.Adorei essa homenagem a esse garoto, porque muitas vezes crianças adotadas tem muito receio de se abrir com a familia nova e isso pode trazer complicaçoes no futuro(como aconteceu com minha prima adotada) e talvez esse pedido do primo pra essa homenagem possa trazer um laço de amizade maior.Agora indo para fic vou falar um pouquinho da minha opinião sobre os ultimos caps
    Primeiro vc ta na minha concepção ta destruindo a equipe perfeita do Lukinhas.Por faor a Chimchar nao combina nada com uma team de cordenador e essa historia de Lucario nem no pensamento.Adorei a maneira que a Dawn ta tratando o Luke, é isso mesmo que ele merece(conto com tigo Dawn pra da uma lição nesse traste), ele ta se comportando com um idiota... ou pior um psicopata nao paree tre sentimentos, e me surpreendi com a entrada do Porygon na team dele pq é bem inovador porque poucos esritores se ousam a esse ponto e acho tambem que a team do Luke ta muito repetitiva pq tem 2 ghost e nao gostei nada da Gardevoir(msms que eu adore esse pokemon) acharia mais legal de Gallade nesse time.
    E mais uma vez revolucionando mudou completamente as consepçoes sobre Togepis, o togepi do Lukas é diferente da nossa imaginaçao ja construida no anime pelo Togepi,atualmente Togetic, da Misty e o Togekiss da Dawn.E tambem queria saber queessa tal de Gangue que o Lukas entrou ira ajudar ele em algum momento como o do Lucio.
    E meu caro vc ta meio dificultando eu ler sua fic pq eu so leio ela com um dicionario em mãos e tenho uma leve impressão de que a Gardevoir e a Frosslass iram mudar o comportamento do Luke.E confesso que fiquei meio confuso sobre o Hidden Power pq pensava que ele funcionava de outra maneira e nao que ele vinha ja ocm um tipo definido(se tiver tempo poderia me explicar melhor sobre esse golpe?)
    E me apresente esse muleke que ffez baderna nos coments aqui pq eu vou fazer com ele o msm que o Luke fe com o Lucio, esse idota.Qm ele pensa que é pra fazer isso com esse paraiso?

    ReplyDelete
  13. Cara, que foda!
    Achei muito legal você escrever esse capitulo, o Nicolas deve ter adorado.
    A carta foi engraçada, toda riscada XD
    O que é AES pra mim? É algo tão complexo e tão simples que não sei explicar. Continue Assim Canas.

    ReplyDelete
  14. Canas isso foi muito legal, parece com as histórias de filmes que vemos nos cinemas, algo extremamente motivador que não ocorre com muita facilidade na vida. É como se o acaso se juntasse com o inimaginável.
    No decorrer do tempo que ia lendo o post, só percebia que eu começava a ficar arrepiado. Quando que uma coisa dessas iria cruzar por nossas vidas?
    O mais divertido, é que você disponibilizou este fato para todos, e é como se cada um, de nós leitores participasse deste incrível destino.
    O capitulo foi bem escrito, e muito divertido, me tirou boas gargalhadas kkkkk Pincipalmente o comentário do Luke sobre o rabisco da Dawn. E Canas, quem sabe faz ao vivo!! Se virou nos trinta com este capitulo, pois mesmo adicionado as pressas na história principal, ele esbanjou criatividade e diversão
    E posso estar um pouco atrasado (quase três meses), mas parabéns Nicolas!! (antes tarde do que nunca né kkkkkkkk)
    Será que ele vai ler o meu comentário? Preciso regular o meu calendário kkkkkkk
    Uma coisa que percebi é que quase todo mundo respondeu uma simples pergunta jogada no meio do texto, que por sinal me fez refletir por um tempo...
    O que Sinnoh significa para mim? Talvez um complemento da minha vida, onde possuo amigos que nunca vi e que talvez não veja. Uma pequena caixinha de surpresas, cujo próprio destino trilhou meu caminho para clicar naquele pequeno botão do computador para observar os primeiros passos de uma fiic. Canas, não sei se você percebeu, mas o seu blog, interliga milhares de pessoas, com o mesmo intuito de ler uma boa história.
    O que Sinnoh significa para mim? O sonho de ver as pessoas sonharem

    ReplyDelete
  15. O que é AES para mim? Eu poderia citar como uma referência, a qual olho e vejo que tenho muito a aprender, muito a melhorar. Poderia dizer que, assim como você pensa, é o sonho de fazer as pessoas sonharem. Mas, sinceramente, o meu ponto de vista diz algo parecido. Para mim, AES é ver o sonho de um grande amigo se realizando. O que um pouco de esforço não faz? Você fez parecer fácil chegar onde chegou.

    Imagino a cara do jovem Nicolas ao ler essa homenagem. Bom, embora eu esteja atrasadão aqui ainda comento que ele parece ter tido um excelente aniversário. Você conseguiu construir muito mais do que uma fanfic. Conseguiu levar felicidade à uma pessoa. Isso sim é ser grande. Isso sim é ser alguém a respeitar.

    Bom, quem sabe em breve não nos deparamos com uma homenagem a outro leitor? Afinal, são eles que construíram a Aliança Aventuras. Nós apenas escrevemos as fanfics, você sabe.

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -