Posted by : CanasOminous Jun 22, 2012

— Luke, eu te desafio para uma batalha.
Aquela frase ecoou de forma tão profunda e clara quanto os pingos insistentes de uma goteira no mármore branco do ginásio aquático. A figura de um garoto de boina púrpura parou no mesmo instante que ouviu o desafio, quando se virou pôde ver claramente seu reflexo que não vinha da água e muito menos de um espelho. Luke encarou sua cópia, seu irmão gêmeo que permanecia parado em silêncio. Não havia necessidade de repetir a proposta, ele já havia entendido muito bem.
Soltou uma longa gargalhada debochada e ameaçadora, ajeitou o blusão que lhe caia o ombro e implorou por mais alguns segundos até recuperar o fôlego. Aquela havia sido a proposta mais ousada e ridícula que sequer ouvira, mas seu oponente continuava a encará-lo com a certeza de quem tinha consciência do que fazia. Luke passou a mão no queixo e em seguida deslizou levemente até sua Dusk Ball como se o intimasse a vir e atacar. Seu olhar evidenciava ódio e loucura, ele não tinha noção do que fazia.
— Essa foi a pior escolha da sua vida, irmãozinho.

• • •

Era um dia muito belo, os Irmãos Wallers partiam para uma disputa de ginásio na companhia de seus amigos que não pareciam muito ansiosos por mais uma batalha de Luke. Dawn estava encabulada, segurava a manga do blusão de seu amigo implorando para que deixasse a batalha para outra hora, ou até outra semana. Luke já estava agindo bem melhor desde a última batalha em Veilstone, mas todos temiam que aquela loucura voltasse a qualquer momento. O garoto tocou no gorro da moça e desceu sua mão até o rosto delicado da amiga, tentando forçar um sorriso de quem temia pelo que fazia.
— Eu vou tentar não fazer nada de errado dessa vez.
Dawn acenou com a cabeça e foi obrigada a concordar. Stanley comentava com o rival à respeito das técnicas utilizadas pelo líder Crasher Wake, um lutador muito experiente de luta greco-romana que derrubava seus adversários com golpes aquáticos que os acertavam como uma tsunami. Gerard fora o primeiro líder com uma prévia carreira de lutas a enfrentar Luke, ainda que o velho Wake fosse diferente e mais simpático. Cantava e criava músicas inusitadas para divertir seus adversários, mas naquela manhã o adversário era outro.
— O Crasher Wake havia dito que não poderia comparecer hoje. Sua filha estará tomando o lugar no ginásio até quarta feira, não vê problemas mesmo em batalhar contra ela? — perguntou Dawn.
— Devemos concordar que o Wake é uma figura assombrosa. Imagino se a filha dele seria nesse mesmo estilo seguindo uma possível carreira de... lutadora de sumo. — brincou Stanley.
Luke ajeitou o cachecol branco no pescoço e aproximou-se das portas de vidro do ginásio que convidava os treinadores como um altar de beleza e delicadeza.
— Quanto mais cedo nós terminarmos essa batalha, melhor. Preciso tirar alguns dias sem batalhas, isso está me deixando paranoico. — disse Luke com um sorriso amigável, olhando para Dawn que retribuiu com um aceno inspirador.
As portas automáticas se abriram assim que os jovens pisaram nos tapetes de cor azul claro da entrada. Uma grande quantidade de fumaça e vapor saiu, revelando assim uma área imensa do tamanho de uma piscina olímpica. O ginásio aquático dava espaço para uma linda cachoeira artificial logo na entrada, o som da água caindo não incomodava, soava mais como o toque de calmaria constante dos oceanos próximos.
O azul das paredes tinha um brilho tão forte que mais lembrava pérolas esculpidas nas paredes, a harmonia entre as cores e esculturas demonstrava todo o estilo e sutileza que aparentemente não era presente na figura cômica de Crasher Wake. De forte robusto só tinha aparência, pois ainda mantinha a força e a elegância de uma maré de retorno.
— Sejam bem vindos ao ginásio de Pastoria! — disse uma atendente vestida com roupas de mergulho — Nosso campeão Crasher Wake não está presente no momento, mas vocês podem agendar uma batalha da mesma forma. Gostariam de marcar uma disputa?
— Soubemos que a filha do líder está no comando. Poderia nos levar até a senhorita Marine? — pediu Lukas.
A atendente fez um rápido aceno para uma garota que estava logo na beirada da piscina. Vestia roupas brancas e parecia ser a professora de natação da academia, quando ela se aproximou todos puderam notar a beleza deslumbrante daquela deusa. Ela tinha olhos tão azuis que mais pareciam brancos, seus lábios esboçavam um singelo sorriso coberto por graciosidade e simpatia. O que seu pai tinha de músculos bem definidos, ela tinha de escultural e belo com curvas sinuosas de correntes marítimas.
Stanley estampou um olhar de surpresa, o que incomodou Vivian de certa forma. Até mesmo Lukas que não era de surpreender com mulheres havia notado que aquela em especial tinha uma aura de pureza e serenidade. Por mais surpreso que estivesse, o jovem Luke era quem menos havia se surpreendido. Precisava estar bem concentrado na batalha, esboçou uma feição de preocupação e já pôde começar a sentir o sangue lhe subir pela veia. Não perca o controle, não perca.
— Meu nome é Marine, meu pai avisou que dois irmãos gêmeos estariam passando no ginásio para uma batalha. Seria impossível não reconhecê-los, estão falando de vocês dois por toda parte!
Os dois deram um sorriso sem graça, logo agradecendo na sequência. Marine fez um rápido aceno para que a seguissem, entrando em uma pequena sala que mais parecia ser o escritório onde seu pai agendava as batalhas. A moça segurou o caderno e olhou para os garotos:
— Vocês querem marcar uma batalha contra meu pai, ou preferem realizar uma hoje mesmo?
— Então você seria minha adversária? — perguntou Luke.
— Sim, caso esteja de acordo. Marine, the tidal wave. Não espero que você pegue leve comigo só porque sou mulher, tudo bem?
Luke deu uma risada, e prometeu não duvidar da força de sua adversária. Por um momento Dawn até sentiu-se mais aliviada, ela sabia que seu amigo costumava agir com mais compaixão para com mulheres. Ele sempre agia de forma cômica com outras garotas, e naquele momento era exatamente aquilo que precisava: Distração. Não sentiu ciúmes algum, muito provavelmente Marine já era comprometida e sua função era ser simpática com os desafiantes. Uma cena bem diferente de uma certa líder fantasmagórica que atentava um garoto cinquenta anos mais novo do que ela.
Marine era uma figura angelical, seu caminhar esboçava elegância. Ela guiou os amigos de Luke para algumas cadeiras de pedra próximas da piscina onde eles não poderiam ser molhados caso os Pokémons aquáticos entrassem na piscina. A arena era formada por pequenas ilhotas flutuantes para os Pokémons terrestres, mas de uma maneira ou de outra, aquáticos levariam vantagem.


— As regras do ginásio baseiam-se em três contra três, tudo bem? O uso de itens e movimentos de autodestruição são vetados. Apenas isso. — explicou  Marine.
Luke concordou e começou a selecionar seus três Pokémons. Tinha uma boa tática para aquela ocasião, e sentia que o ginásio de água não seria dentre os mais difíceis, mesmo que seu time tivesse grande desvantagem. A verdadeira preocupação de Luke era outra, precisava concentrar-se e não perder o controle.
— Vamos lá, vamos lá... Foco. Foco. — repetia o garoto, concentrando-se na batalha para que nada saísse errado.
O juiz entrou em cena e logo Marine lançou um Pokémon para o primeiro desafio. Este era um Gyarados grandioso que caiu na piscina liberando água o suficiente para que uma área mais baixa do ginásio fosse completamente alagada. O leviatã era intimidador, mas tinha uma fraqueza que o condenava, assim como os demais Pokémons do ginásio do tipo água.
— Meu Gyarados é uma criatura assustadora, seus níveis de ataque são capazes de derrubar um navio quando está em fúria, porém, simplesmente são arrasados por eletricidade. Tive grande vantagem no ginásio por já estar preparado, tanto é que meu Luxray foi a figura mais importante na disputa. — explicou Stanley.
— O Luke tem um Porygon-Z com Thunderbolt. Se ele souber manuseá-lo bem será capaz de derrubar o Gyarados antes que ele revide e derrube-o na água, o que seria fatal. — acompanhou Dawn.
Como eles haviam presumido, Luke assumiu o cenário com Wiki, a figura cibernética que estava com suas baterias completas para aquela batalha. Marine logo fez sua primeira investida.
— Gyarados, avence com o Brine!
— Porygon-Z, procure esquivar-se e deixe-o atacar antes!
Luke sabia mutio bem como lidar com aquilo, tinha um bom conhecimento de criaturas aquáticas por sua convivência com Erick, da antiga Elite dos 4; e ainda recebeu diversos conselhos do amigo Stanley. O golpe Brine dobrava a força de ataque se o atacante fosse golpeado antes, assim que Gyarados lançou a explosão de água Porygon-Z flutuou com velocidade e partiu para cima do oponente como um foguete.
— Thunderbolt!
O choque elétrico foi de encontro do Gyarados que fora arrasado com aquela investida tão poderosa. Os Porygon-Zs eram criaturas surpreendentes, e era impossível presumir suas estratégias com antecedência antes de vê-las em prática.
— Droga, um golpe elétrico! — afirmou Marine.
Luke manteve-se quieto com o comentário. Dawn levou sua mão ao peito notando que agora algo de estranho acontecia com o garoto. Sendo que as próximas palavras mal puderam sair de sua boca:
— Ele não... Ele não está bem. Precisamos interromper essa batalha.
— O quê? O que estão dizendo, Dawn? — perguntou Stanley.
— O Luke não pode concentrar-se muito numa batalha, ele começa a agir de forma frenética! Pensa que é o treinador mais poderoso do mundo, ver o adversário sem uma reação excita ele, a batalha não pode continuar. — respondeu a garota.
Dawn apoiou-se na grade de vidro e chamou pelo nome da líder de ginásio:
— Por favor, Marine, vocês não podem continuar essa batalha!!
Antes mesmo de lançar seu segundo Pokémon Marine se surpreendeu. Era possível ver claramente uma incógnita em sua mente enquanto do outro lado Luke tinha um olhar enfurecido.
— Cuida da sua vida, Dawn.
Dawn recuou lentamente, Lukas levantou-se após ouvir o quão rude seu irmão havia sido. Nem mesmo Vivian acreditou na forma como ele havia agido. Nunca o vira assim. Dawn sentou-se em sua cadeira e manteve-se quieta, mordeu os lábios num sinal de tristeza tentando segurar o choro, mas não se conteve quando Lukas a abraçou.
— Dawn, isso vai passar dos limites. E quando se exceder, ninguém vai ser capaz de segurá-lo.
O próximo Pokémon de Marine parecia não ter sido a melhor das escolhas. Era um Mantine, uma raia que com o balançar de suas asas parecia flutuar em meio à água límpida da arena de batalha. Luke desamarrou o cachecol que o sufocava, segurou a boina com força e preparou-se para o segundo turno. Interromper a batalha? Para que interromper se sua vitória era praticamente garantida?


          — As Mantines são famosas por sua elevadíssima quantidade de Sp. Defense, e isso trará dificuldades para seu Porygon-Z mesmo que você tenha vantagem sobre meu Pokémon. Infelizmente eu não vim preparada para isso, eu deveria ter trago meu Quagsire ou meu Gastrodon.
 — Você deveria estar preparada para todos os tipos de imprevistos. É o mínimo que uma líder decente poderia fazer.
Marine não respondeu, e Luke permaneceu quieto. A investida deveria continuar.
— Mantine, comece com o Aqua Ring!
A raia foi inteiramente envolvida por uma corrente de água que a protegia absorvendo o líquido natural sempre que necessário. Era um Pokémon criado para defender-se de grandes investidas, e apesar de não ser reconhecido por sua força de ataque, poderia dar muito trabalho para treinadores que só buscam atacar.
— Porygon-Z, congele a água com o Ice Beam. — ordenou Luke.
A piscina foi congelada em partes, mas a força física da raia era o suficiente para destruir o gelo e reconquistar seu território. O Mantine pulou tão alto que mesmo com sua velocidade o Pokémon virtual não foi capaz de se esquivar-se. Com seu ferrão afiado, a raia atravessou o peito do Porygon-Z envenenando-o por completo.
— Toxic! — afirmou Vivian da plateia.
Com sua força maior intoxicada, uma nova tática deveria ser formada. De nada adiantaria congelar a água contra uma criatura que quebrava o gelo como se fosse isopor. Seu movimento chave era apelar para a eletricidade.
— Porygon-Z, Thunderbolt!
— Mantine, Protect! — Marine havia sido mais rápida ao ordenar o movimento. Um escudo de água foi envolvido pelas asas da criatura cartilaginosa. Os raios se dispersaram e acertaram vários pontos aleatórios da piscina. Mantine continuava a absorver energia com o Aqua Ring e a habilidade Water Absorb, podendo se defender sempre que precisava com o Protect e somente aguardar o oponente cair por conta do envenenamento. Suas defesas eram descomunais, por maior que fosse a desvantagem, Luke temia que a raia não caísse na primeira onda.
— Porygon-Z, persista com o Thunderbolt! Não pare!!
O Pokémon continuou a descarregar sua eletricidade, enquanto Marine se encontrava encurralada sendo obrigada a persistir na defesa. A proteção foi destruída pelo uso contínuo, abrindo uma brecha para que a corrente elétrica envolvesse o Mantine por completo e desse uma descarga duas vezes mais forte. O barulho fora tão alto que Vivian deu um salto de seu banco cobrindo os ouvidos, Dawn continuava de cabeça baixada sendo consolada por Lukas.
O Mantine caiu derrotado. Os olhos puros de Marine agora esboçavam uma preocupação imensa. Ela sequer retornou seu Mantine, mandou que alguns nadadores retirassem o Pokémon da água e o levassem imediatamente ao Centro Pokémon. Ela era uma líder, e não poderia argumentar. Era uma batalha.
Os dois se mantiveram quietos, e assim, no campo assumiu o último e mais renomado Pokémon do ginásio de Pastoria. Eram os Floatzels, figuras rápidas e astutas que derrotavam seus inimigos antes mesmo que eles tivessem chances de revidar. A última onda de ataques fora iniciada.
— Porygon-Z, Thunderbolt!
— Não dessa vez, intercepte o ataque com o Aqua Jet!
A raposa partiu com tanta velocidade que mais se assemelhava à um torpedo lançadoa numa alta velocidade. Porygon-Z foi derrubado na água, era o que Luke temia. Seu envenamento piorava, mas ele não pretendia desistir.
— Lance o Ice Beam, Porygon-Z! Não se deixe ser agarrado.
Um raio de gelo saiu da água, e Floatzel se encontrou obrigado a soltar o oponente que foi arremessado para o alto com força. Porygon-Z hesitava, cambaleava e sofria um curto-circuito pelo contato com a água. Foi necessário somente um último golpe para finalizá-lo.
— Floatzel, Crunch!
A mordida rompeu Porygon-Z que caiu no centro de uma das arenas móveis. Estava completamente inconsciente precisando de uma série de reparos depois da batalha. Luke retornou Wiki e lançou o próximo com tanta velocidade que o juiz mal tivera tempo para anunciar o vencedor do turno.
—Vamos lá, Mikau, mostre do que você é capaz.
O pequeno Horsea adentrou na água e sentiu-se em seu território. Os olhos azulados de Marine brilharam quando viram o pequeno, nunca havia visto aquele Pokémon de Kanto no continente de Sinnoh.
— Um Horsea, ele é lindo! — disse Marine .
— Concentre-se na batalha, líder.
Marine se intimidou, não sabendo como responder ao certo. Algumas pessoas da plateia estavam insatisfeitas com os atos daquele treinador tão ousado. Stanley debruçou-se sobre a grade e chamou por Luke que não dava a mínima atenção.
— Você viu como você falou com ela? Ela não é só uma líder, é uma pessoa! No que você está pensando cara? Pare de agir como um idiota! — gritou o loiro.
Luke não deu ouvidos. Dawn continuava com as mãos em sua cabeça condenando-se pela forma como havia deixado a pessoa mais especial de sua vida perder o controle.
— Eu devia ter impedido a batalha, eu devia! Ele não pode batalhar, não pode! Isso está acabando com ele, está acabando com o garoto que eu amo... — disse a garota com os olhos repletos de lágrimas.
Lukas pediu licença e levou Dawn para fora da batalha. Ela não podia continuar a ver Luke agir daquela forma, aquilo pesava muito em seu coração. Ela não tinha culpa, pois eram as escolhas do próprio garoto. Ou ao menos o que parecia, pois no coração de Luke era onde a verdadeira guerra era travada. Ele sequer tinha consciência daquilo que fazia.
— Mikau, crie um Twister!
— Floatzel, ataque com o Brine! — ordenou Marine.
A raposa era rápida, mas as escamas do pequeno Horsea apesar de pequenas eram muito resistentes. O pequeno sabia o que fazia, e queria dar o seu melhor em sua primeira batalha de ginásio oficial. Estava tão concentrado na criação de seu furacão que o céu do lado de fora pareceu escurecer. Um verdadeiro tornado foi criado na arena, era como uma tromba da água que foi diretamente ao encontro do Floatzel que foi muito afetado. Marine revidou com um rápido Aqua Jet para fugir daquela prisão, os dois caíram na água e recomeçaram sua batalhas nas profundezas.
— Mikau, Agility! Iguale sua velocidade ao oponente e não deixe que ele te ataque sempre antes de qualquer investida. — ordenou seu treinador.
Os dois surgiram da água e saíram numa enorme velocidade a ponto de que Floatzel parecesse caminhar sobre as águas. Assim que alcançou uma das áreas com terra pegou impulso e partiu para cima do cavalo marinho com dentes congelados.
— Ice Fang! — disse a líder.
Mikau foi atingido e sofreu muitos danos, mesmo que sua pele fosse resistente ao frio. Ambos os Pokémons caíram na água novamente, a plateia já começava a preocupar-se com a demora, somente impulsos d’água eram vistos.
— Mikau, não me decepcione. Prove para mim que você é um integrante digno de participar da equipe de Pokémons que chamo da Elite. Não me faça acreditar que você é um perdedor, como era antes.
Stanley já estava enfurecido com a batalha, Vivian parecia chocada. A simpatia de Marine havia desaparecido, ela estava completamente desolada pela forma como Luke havia tratado seu Pokémon.
— O que você está dizendo? Ele é parte da sua equipe, acredite no potencial de seus próprios Pokémons!
Luke virou-se para Marine e fez um rápido sinal com seu indicador que calou Marine no mesmo instante, as palavras que foram em seguida proferidas chocaram a todos.
— Cuide daquilo que é seu, e eu cuido do que é meu.
Então,uma explosão pareceu surgir no meio da água. As águas da piscina foram separadas ao meio por um instante. Algum Pokémon havia utilizado um poderoso Brine, e aquele golpe era a grandiosa marca do ginásio. Marine lançou um olhar de vitória.
— Acredite em seus próprios Pokémons.
— Eu acredito, e por isso ganhei.
Floatzel foi arremessado para o alto com uma onda que mais uma vez inundou o cenário. De dentro da água havia um Seadra que estava ofegante após derrotar o oponente aprendendo um novo golpe. Ele havia derrotado o ginásio com seu próprio movimento de assinatura. Derrotada pelas próprias artimanhas, Marine não podia acreditar na situação que passava. Luke permaneceu quieto, e ainda não havia cantado a vitória. A líder hesitou um pouco, mas em seguida teve que admitir.
— Você me derrotou.
Não houveram comemorações, apenas algumas pessoas aplaudiam a força e a capacidade de ambos os Pokémons, mas as palmas não iam para o desafiante em si. Stanley teria uma conversa séria com o amigo, Dawn chorava no banheiro, e por sorte, Lukas havia feito a escolha certa quando levou sua amiga para sair do ginásio. A próxima cena seria chocante demais.
— Marine, você é uma líder desprezível.
A moça ficou atônita, pouco depois do garoto proferir tais palavras ela pôde ver o recém evoluído Seadra cuspir um jato de tinta no rosto do Floatzel derrotado. Aquele era o gesto mais indigno possível, tal ato foi vaiado, e agora Stanley descia da plateia.
— Para onde você vai?! — gritou Vivian.
— Dar um soco na cara do meu amigo. — respondeu o loiro.
Luke ajeitou o blusão e ficou a aguardar que a própria líder desse a insígnia em suas mãos. Os olhos azuis de Marine se encheram de lágrimas. Ela era uma mulher jovem, mas podia sentir quando alguém era rude consigo, e falar dela como uma péssima treinadora de aquáticos havia a chocado. Levou as mãos até o rosto e caiu de joelhos não contendo as lágrimas, Luke soltou um argumento esnobe.
— Além de ser uma péssima treinadora, não sabe perder.
Marine levantou-se e com os olhos encharcados gritou com todas as suas forças:
— É essa insígnia que você quer?! Pegue-a!! Nunca mais volte aqui, pegue ela e vá enfrentar a liga! Se acredita ser o melhor espero que alguém te dê uma lição quando você estiver a um passo de alcançar seu maior sonho!!
Marine jogou a insígnia que caiu no meio da piscina. Mikau imediatamente mergulhou e procurou pelo artefato. Luke voltou a ajeitar o cachecol agindo como se nada tivesse acontecido. Era vaiado por algumas pessoas, e ficou próximo da piscina quando Mikau lhe trouxera a Fen Badge.
Ela brilhava, estava molhada e encoberta de ódio e loucura. Aquela marcava sua quinta conquista, faltava pouco para participar da Liga Pokémon, mas Luke já cantava sua glória.
Porém, um rápido chicote pareceu ricochetear a insígnia da mão do rapaz, o objeto brilhante foi lançado contra o chão e por sorte não caiu despedaçado. Luke virou sentindo um enorme ódio de quem tivera a ousadia de fazer aquilo, e notou quem fizera. Stanley estava do outro lado da arena com seu Torterra. E ambos não pareciam nem um pouco satisfeitos.
— Quero ter o prazer de acabar com você antes que deixe esse ginásio.
— Eu pensei que estivesse do meu lado, Stan. Mas acho que terei mais um no meu caminho. — disse Luke com um ar esnobe — Quer batalhar agora? Acabo com sua equipe num piscar de olhos. E você sabe disso.
— Eu queria guardar esse momento para a Liga Pokémon, mas não vou aguentar. Preciso te dar uma surra antes que você faça algo pior.
Luke chamou Mikau que estava muito disposto a demonstrar seus novos ataques num momento em que sentia-se tão vangloriado, porém, algo chamou sua atenção. O choro abafado de Marine não podia ser ouvido, mas de fora da plateia era possível observar um menino enxugar suas mãos com uma toalhinha e o olhos no chão. Luke ficou em silêncio, o garoto passou ao lado de Stanley que nada disse. Lukas só parou quando ficou cara a cara com seu irmão e pudesse olhar diretamente em seus olhos.
— Minhas mãos estão úmidas. — disse Lukas com uma voz entristecida — Lágrimas da pessoa que você mais ama nesse mundo. Você fez a Dawn chorar.
— Chorar é para os fracos. — respondeu Luke.
Lukas ficou quieto, pensando numa resposta para seu irmão. Até tinha algo na ponta da língua, mas preferiu ficar quieto. Não adiantava humilhá-lo ao seu jeito, em território inimigo era necessário agir a sua maneira. Os dois se encararam, e Lukas proferiu:
— Luke, eu te desafio para uma batalha.
— Essa foi a pior escolha da sua vida, irmãozinho.

Luke sacou uma pokébola e lançou-a para o alto, emanando um brilho que tomou a forma do dragão das profundezas. Ele não estava para brincadeira, Gabite era o líder de sua equipe e havia sido chamado para colocar ordem naquela baderna. Porém, Lukas não precisou de todo aquele brilho e intimidação para seu adversário. Jogou a pokébola que tomou a forma de um pequeno esquilo. Os líderes de cada irmão estavam na arena.
Gabite ficou estático. Pachirisu parecia acanhado do lado de Lukas, e não estava nem um pouco disposto a atacar. O dragão ergueu-se e deixou a posição de ataque, virou-se para seu treinador e retirou os óculos escuros.
— O que está esperando? Avance com o Rock Slide!
O dragão não respondeu. Virou-se para Pachirisu mais uma vez que agora encarava aquele que mais prestigiava sendo obrigado a atacá-lo. A voz do dragão não era ouvida, mas naquele instante Luke pôde sentir seu Pokémon somente pelo olhar.
— “Você pode perder o seu irmão, mas eu não vou perder o meu.”
Luke praguejou de ódio e deixou Gabite como estava. Sacou uma segunda Dusk Ball que tomou o lugar de uma figura fantasmagórica erguendo-se com toda sua postura. General Duskull, o militar nunca levava as tarefas de seu mestre na brincadeira.
Dessa vez, um pouco mais de intimidação. Lukas apenas levantou o seu braço esquerdo e no mesmo momento uma das janelas de vidro do ginásio foram estilhaçadas em mil pedaços. Uma sombra cobriu seu corpo, o corvo negro envolveu seu treinador como um manto de penas e encarou o adversário com seus olhos vermelhos. Murkrow e Duskull. O fantasma não se mexeu, manteve sua pose. Não tinha medo, mas agora entendia o que estava acontecendo.
— General, não vá me decepcionar.
Duskull permaneceu encarando seu rival. Há um longo tempo ele e Murkrow tinham controvérsias, e encontrar um ao outro no campo de batalha mais parecia uma provocação do destino. Porém, Duskull virou-se para Luke e dessa vez foi sua vez de argumentar:
— “Senhor, eu não entro em uma batalha em que eu e meus homens não possam vencer, mas eu faria qualquer tarefa que designasse a minha pessoa. Um homem entra numa guerra visando apenas dois objetivos: Honra e Poder. Hoje, ambos os lados ganhariam nenhum dos dois. Não peça para que eu fira a minha ou a honra de meus companheiros.”
Luke apertou sua própria mão com tamanha raiva que suas veias pareceram explodir. Arrancou a boina e jogou-a no chão tirando a blusa e encarando Lukas que permanecia imóvel observando seu irmão com uma feição serena.
Luke fez um aceno para seu Pokémon ao lado. Mikau não o desapontaria, não iria desistir. Assim como seu treinador ele também almejava o poder e não ligava para mais ninguém, principalmente naquele instante. Sempre sentira inveja, sentira ódio. Sentimentos há muito guardados em seu coração, e agora, ele tinha força para dominá-los.
— Mikau, ataque!! Destrua-os!!
Lukas movimentou-se para sacar uma pokébola ao seu lado, lançando assim Milotic na arena de batalha. Era o que Lukas menos gostaria de fazer naquele momento, mas foi preciso. Colocar Pokémons que conviviam juntos e amavam uns aos outros. A serpente de água não se moveu, mas Mikau hesitou. Não queria machucar sua amiga, todos, menos ela. Seu treinador gritou de raiva:
— Seu idiota!! Você sempre foi um ninguém, eu te treinei, agora faça o que eu mando! O mundo deu as costas para você, ninguém está do seu lado!!
O Seadra novamente retomou sua consciência, e tentou esquecer a figura de Milotic em sua frente. Avançou com o intuito de realmente machucá-la, e a serpente ainda não havia se mexido. Quando Mikau chegou o mais próximo possível pôde ver claramente os olhos da criatura que mais amava, proferir sem vozes, apenas com emoções.
— "Você já foi melhor do que isso."
O golpe de Mikau cessou, ele foi interrompido tão antes da hora que o cavalo marinho acabou tropeçando e sendo atirado contra a parede como num movimento de confusão. O Mystic Water que outrora havia recebido da própria Milotic tilintou e quase despedaçou-se em mil pedaços quando Mikau foi ao chão. Se ele havia se machucado de tal forma sem que ninguém o acertasse, aquela investida seria poderosa demais para imaginar. Milotic não se virou para ajudá-lo, apenas abaixou a cabeça e lamentou em seu silêncio.
— Traidores! Num momento como esse, vocês me deixam na mão?
A figura assombrosa de uma serpente envolveu Luke cobrindo-o por completo com uma sombra protetora, assim que o garoto se virou pôde ver Titânia encarando-o com a mesma feição de decepção da última vez.
— Você é o nosso treinador, fazemos tudo por você, da mesma forma que acreditamos que você também faria por nós. Mas nos é dado o direito de saber dizer o que é certo para cada um de nós. Você escolheu ser sozinho, e essa será sua sina se você bem desejar, mas não tente impô-la aos outros contra sua vontade.
Lukas permanecia parado apenas observando seu irmão ser consumido pela loucura.
O treinador encarou cada integrante da sua equipe. Não havia como vencer, era uma derrota para seu ego. Duskull o encarava como se aguardasse uma resposta digna de líderes, Gabite estava cabisbaixo ao lado de Pachirisu enquanto Mikau ainda se recuperava do impacto e da falha cometida.
Luke agachou, pegou sua insígnia, olhou para seus Pokémons e direcionou-se para seu irmão uma última vez naquele dia:
— Isso não foi uma derrota. — para finalmente ir embora sem dizer mais nada.

      

{ 17 comments... read them below or Comment }

  1. Mas que filho da puta(desculpe pelas palavras) esse Luke hein! Vencer a batalha "sabendo" que vai vencer eu até que aceito mas tratar uma moça tão delicada assim já é loucura. Esse Luke merece uns bons puntapés.

    Agora alguns pontos:
    Desde quando o Luke sabe o nome do Mikau???
    No FT, o Mikau começará a agir feito o Luke?

    Mas uma coisa eu tipo que concordo com o Luke: a Marine pode até ser bonita, mas desde o início ela demonstrou ser uma líder de ginásio um pouco fraca. Ela já saiu falando as fraquesas dela, falou que deveria ter pegados tais pokémons e não pegou. Ela está realmente sendo uma GYM Leader sem experiência.

    Bem, foi isso. Desculpe mais uma vez por aquelas palavras(ele ainda merece mais uns socos por mostrar o indicador - eu acho que o nome dele é Maior-de-todos).

    P.s.: Idéias pro Fire Tales:Que tal o Piplup ter como profissão Professor de Natação? Ia ser legal ter um professor meio desengonçado. :P

    Agora que eu percebi: o Croagunk é um psicólogo??? Quem ia ser o pokedoido que vai consultar com ele?? ...... Já sei! O Aerus, quando ele acabar de ingerir as ervas do togepi. Ia ser a maior "cuada". kkkkkkkk

    Att.

    ReplyDelete
  2. E mais uma vez: desculpe pelas palavras(sem ofença a mãe do Luke, Melyssa).

    ReplyDelete
  3. Cara, eu realmente fiquei boquiaberto. Como já disseram, o capítulo foi épico! Eu nunca pensei que ao evoluir, o Mikau ficasse tão fabuloso quanto está. Ele sem dúvidas, merece um lugar nessa "Elite" do Luke, mesmo que ele pareça ter desenvolvido uma doença muito semelhante à de seu treinador, com essa evolução. Apenas espero que ele consiga controlar-se.

    Eu realmente sinto uma pequena saudade daquele pirralho que começou a jornada a pouco mais de um ano atrás. Hoje eu leio e percebo que o Luke amadureceu de uma maneira tão brusca que qualquer um demora a reconhecê-lo. Será que depois de tantos altos e baixos, quem finalmente estabilizará essa doença do protagonista, será a Fantina? *risos*

    Ainda lembrando um pouco do passado, acredito que você evoluiu muito. Lembro que no início, a fanfic possuía indícios de ter um futuro clichê, mas olhe hoje. Man, sua evolução foi realmente muito significativa e isso trouxe grandes resultados. Veja hoje a maneira que você consegue trabalhar com diversos gêneros em apenas um capítulo. Você realmente é o caro, vélho!

    Introduzir novos líderes, mesmo que não sejam oficiais, dá um "q a mais" na trama. A Marine foi muito bem desenvolvida. Bela e habilidosa, acredito que tenha deixado muitos leitores apaixonados, assim como eu.

    Pois bem, acredito que tenha vindo apenas marcar uma pequena presença mesmo, pois eu prometi que não iria ficar longos períodos fora, por isso estou aqui. Não posso me estender muito, pois o tempo não deixa, apenas espero que esse humilde comentário tenha demonstrado o quanto eu gostei do seu capítulo e de sua evolução.

    Até mais, sir.

    ReplyDelete
  4. Diga ae, pessoal! Oe Anderson, só deixa eu dar uma rápida explicada sobre essa pergunta que ficou em sua mente. Bom, o fato do Luke saber o nome do Mikau não apareceu diretamente na fanfiction, não teve um capítulo que chegasse e ouvisse isso de alguém, mas a Titânia costuma chamar o pessoal pelo nome, então, deixei a ideia de que em algum momento aleatório ele ficou sabendo através dela, e por isso decidiu chamá-lo assim. É como me chamar de Canas, ou Ominous, ou Nícolas, tudo é a mesma coisa, mas daí varia da forma como as pessoas gostarem de chamar. Você nunca me verá chamando a Titânia de Onix, e raramente o Mikau de Seadra, mas tudo varia de quem o chama pelo nome, certo? (:

    Rapaz, e eu curti que vocês entenderam a personalidade dela. Ela é bonita, mas não era lá essas coisas como treinadora, mas ainda assim devemos admitir, o que o Luke fez foi terrível. Essa sua ideia de Professor de Natação para o Piplup, será perfeito cara! Eu vou adicionando as ocupações conforme surgem ideias, e pela primeira vez surgiu algo para o Piplup. Ele será um Professor de Natação e Pescador kkkkk Valeus pela dica cara!

    Ae Léo, devo te agradecer pelos elogios também. Tipo, ver o que você escreveu me fazer ver todo o meu passado com outros olhos também, vejo como melhorei e criei uma aventura que não estivesse nesse clichê, veja só esse Luke! Ver vocês falando assim faz parecer que faz tanto tempo, mas já chegamos na metade do progresso. É um tempo muito curto para passar ao lado de pessoas maravilhosas como vocês, e eu espero poder continuar entretendo cada um com meus capítulos e novidades por aqui. Ah, e foi a Litos quem fez o desenho do Mikau e criou toda essa personalidade para ele desde que ele inaugurou a fic, ela agradece os seus elogios. Vou indo nessa ae, pessoal! Obrigadão, de verdade.

    ReplyDelete
  5. O.o
    Fiquei pasmo com essa última batalha! Putz!
    A batalha do ginásio foi muito boa também, mas, sinceramente, essa última foi extraordinária!
    O lukas, com certeza, é um gênio e honrado. Sou fã dele! O Luke, como já esclareci, só está me fazendo passar raiva : daqui a pouco vou rir se ele de novo perder.
    Agora só nos resta ver o que mais vem por aí, e estou muito animado pelos próximos caps.
    Esse foi ótimo, surpreendeu minhas expectativas: eu tava esperando uma coisa diferente depois das notas suas do 40, e garanto que foi excelente.
    Agora, eu acho que o Lukas bem que podia ficar fortão (em segredo,talvez) pra lutar com Luke pela honra da equipe. A Marine também, pois Lucky humilhou-a sem motivo. Tô puto com Luke! Pokémons tem sentimentos, Lucky, sabia?!?
    Adios, Canas,
    Vou me indo-me jogar meu Pearl de novo e capturar uns aí pra me sentir Lucky-chan (tirando a doidera) e Lukas-kun ao mesmo tempo. Uhul!
    Moacyr

    ReplyDelete
  6. Hei Canas,
    Cara, com certeza o melhor capítulo. Só me explique o porquê de ter deixado aquele final tão vago, isso destrói meus miolos, estou parecendo como se tivesse lido um daqueles grandes mangás e estivesse desesperado para o próximo enquanto crio teorias mirabolantes, final impecável.
    Bem, mas deixa eu começar do lado certo néh? Você é um desgramado mesmo heim, começando com aquele trechinho, você quer que eu tenha um ataque muleke? Quando você começou a contar a história acalmou , maré, menina bonita, Luke normal...Aí começou a batalha e eu pude perceber a mudança de personalidade (e até mesmo de personagem) o Luke sofre, eu nunca tinha parado para reparar , porém fiquei impressionado, em uma linha é um, 13 linha depois é alguém totalmente diferente! Não acompanho sua fic a muito tempo como o Léo, mas eu li desde o começo para poder acompanhar, e mesmo do início da Saga Diamante até esse desfecho, você conseguiu uma forma totalmente nova de trabalhar com o Luke, ás vezes eu releio os cápitulos do começo da fic e comparo o desenvolvimento dos personagens, e é óbvio a evolução que você trouxe ao Luke, ele virou um personagem extraordinário, para mim ele virou um daqueles que você fica todo emocionado quando o vê numa cena e louco jorrando argumentos quando o minimizam, adoro como ele foi encaixado no enredo, suas ações, sua(s) personalidades e seus relacionamentos, sou fã deste grande personagem que você criou.
    Voltando a batalha, os dois primeiros pokemons da líder não foram grande coisa + o Porygon-Z do Luke está muito top.
    Agora vamos ao que importa, a última disputa foi incrível, as palavras trocadas, a força do Mikau e do Floatzel e o término surpreendente da luta. O Mikau foi muito bem,e naquele momento em que ele evoluiu eu não consegui ver a imagem sem um monte de brilhos em volta das escamas dele, no começo eu não gostei de um Horsea na equipe megazóide do Luke, mas veja só, denovo você mudou meu pensamento, tá achando que é assim, você chega e mexe na cabeça dos outros?hehehehe
    Dps eu termino o post que minha mãe está me apertando aki, mas o melhor eu levo comigo para você ver como é ruim fikar ansioso (eu achando que você depende de mim MUHAHAHAHAHAHAHA)^^

    ReplyDelete
  7. canas vc consegue o q vc quer, como nesse capitulo acho q muitos ficaram ou vai ficar nervoso com o Luke a ponto de querer socar seu proprio computador..... rsrsrs
    Lukas teve uma boa escolha em querer desafiar o Luke.
    espero q vc continue assim...
    Biel (eu disse q ia comentar em todos os cap. rsrs)

    ReplyDelete
  8. Chocante!
    Nessa batalha eu so lembrei do Paul no anime.
    Isso ja é muito mais alem de megalomania, ja é coisa de psicopata, ou melhor, do diabo.
    Ninguem consegue ter coração tao frio, parabens ao time do Luke, e esse vai ficar na historia.
    Merece o Oscar.
    Tava ate gostando mais do Luke nos ultimos caps, mas depois disso quero que ele morra multilado pela Dawn.
    Fiquei triste por nao ter o Wake no GYM , mas foi legal a Marine.
    Sorry por nao ter comentado nos ultimos caps é pq o pc deu problemas mas graças a deus ja li todos.
    Stanley da proxima vez tem que dar um verdadeiro soco na cara do Luke
    E esse lUke tinha que ir forma um trio com aquela ex-namorada do Luke e Stanley( esqueci o nome) e com o Lucio.

    ReplyDelete
  9. Caaara, esse capítulo foi muito fod's *-----*

    O começo dando um spoiler foi uma boa jogada, nos deixou curiosos para o que poderia acontecer. Em seguida chegamos ao Ginásio. Manolo, a Marine é lindíssima :3 adorei ela, ainda por cima com essa personalidade serena... Ela é perfect, e desta forma você realçou bem a personalidade do Luke do que se fosse com o Wake. Aliás, fiquei morrendo de vontade de ver o Wake chegar e dar um golpe de luta no Luke, isso que ele mereceu u.ú Veshe, um Mantine! Eu adorava esse Pokémon quando mais novo, acho que estes Pokémons baseados em animais mais diferenciados são os mais dahora! Eu deveria adorar o ginásio de Pastoria, pareceu um lugar muito tranquilo, e com aquela essência da calmaria das águas. Um lugar fantástico. O Luke tentou, mas não consegiu se conter. Poxa, pobre Marine, eu imagino como ela se sentiu, você dá tudo de si para vir alguém e ferí-la psicologicamente, de forma que eu não pudesse deixar de me lembrar do Paul insultando a Maylene. Embora o que você tenha dito espero que o Luke ainda tenha chances de se desculpar. O Seadra ficou ótimo, uma evolução esperada, porém eu não aguardava a mudança de personalidade, e esse ponto foi fantástico. Ainda o detalhe de você usar apenas Pokémons que tinham uma relação forte com o do irmão tornou aquele momento muito surpreendente.

    E cara, deixe te falar uma coisa. Nos primeiros minutos eu começo a odiar o Luke, mas logo em seguida eu começo a apreciar tanto essa sua habilidade de nos fazer odiar alguém. Cara, é ótimo, não é fácil fazer um personagem ser o mais querido de todos e em seguida o mais odiado. Não é algo que se faz de uma hora para outra, então te parabenizo por todos estes pontos planejados. E aproveito para parabenizar a Litos, pelo desenho do Mikau como Seadra, ficou excelente *--* E aquele plano de dar uma misturadinha dos Fire Tales nas batalhas você vai começar a colocar em prática? Foi algo muito original, muito criativo e muito inovador. Não direi seus Pokémosn, mas sim ses personagens, porque o carisma de cada um faz com que esqueçamos que não são humanos por fora. Um capítulo muito agradável cara, fico no aguardo do próximo ou do próximo Fire Tales ou outro especial. Abraços cara o/

    ReplyDelete
  10. Canas, que eu me lembre "Lose Yourself" é uma das musicas do Eminem não é, ela é uma das minha preferidas tanto pela letra quanto pelo começo:
    "Olha, se você tivesse uma chance, uma oportunidade
    Para ter tudo o que você quisesse... em um momento
    Você pegaria, ou deixaria escapar?"

    Deixando esse começo de fã de rapper de lado vamos ao capitulo, o capitulo ficou demais, a ação as batalhas, as descrições, como você havia dito nas notas do autor: "Simplesmente épico". Mas... Esse surto do Luke saiu dos limites, mais do que aconteceu em Veilstone, além de humilhar a líder ele ainda teve uma conexão mental com o Mikau que foi como se ele dissesse: "Mikau use o Jato de Tinta no Floatzel".

    Pobre Dawn, viu a pessoa que mais ama se consumida na Megalomania, quando será que o Luke vai tomar um "choque de realidade" e e assim para com essa porra de se achar o melhor do mundo, quando será que um cara que eu to no aguardo de aparecer vai entrar em cena e botar ordem nessa baderna e assim acabar com o Luke pra ele ser digamos que "curado" dessa Megalomania.

    Cara esse confronto final foi surpreendente, o Lukas bolou uma boa estratégia para derrubar um pouco o ego do irmão, usar os pokémons mais com maior laço com o pokémon que o Luke escolhesse para assim eles não lutarem e derrubar o ego dele, e o Mikau, e foi o único que tentou atacar o sua correspondente e agora ele acabou perdendo o afeto da única pessoa no Fire Tales que se importava com ele, agora ele será somente mais um solitário vagando por ai, mas ainda acredito numa futura recuperação por parte dele e do Luke.

    Bem fico por aqui.

    ReplyDelete
  11. Diga aí, meu companheiro Bellator! Opa, mas é claro que é nosso mano Eminem para ser a inspiração de um capítulo como esse. Acredito que essa frase seja perfeita para o Luke e todo o episódio, só não usei nas notas porque eu já a utilizei há um tempão atrás kkk Mas devo admitir, Eminem é foda, toca ae mano dos raps! \õ/ Rapaz, essa conexão de mente entre treinador e Pokémon... Olha, pode ser que na fic eu só faça a Titânia conversando com o Luke, mas é claro que ele ouve e sente o que cada um de seus Pokémons diz, curti muito que você tenha notado esse ponto! Pode deixar mermão, sua pergunta já foi respondida no FormSinnoh, e agora depois dessa treta a megalomania do Luke vai dar um tempo. Afinal, vai que ele... acaba se afastando dos outros. (Adoro deixar um suspense kkkk) Abraços cara, foi bom te ver!

    ReplyDelete
  12. Eu de volta! *aplausos*
    Eai canas tudo "joia"?
    Parei aki pra dar uma passada depois de muito tempo man, nem lembro a ultima vez que entrei aki...
    Voltando ao assunto principal o Capitulo em si.
    Caraca... Luke tu é um abestado (Tiririca)
    DAWN! NÃO CHORE! EU MATO O LUKE SE QUISER!
    Meu Deus que lider de ginasio gostosa(é eu sei) mas ela eh uma manteiga derretida. Bem até o 42! FUI!

    ReplyDelete
  13. Eu sabia que o Mikau não iria me desapontar numa hora como essas!!
    Cara, o capitulo foi animal, sensacional, excepcional, perfeito e dinâmico, poderia ficar aki listando diversas palavras que ao mesmo tempo não conseguiria descrever oque senti ao ler este capitulo.
    Irei começar falando do meu Pokémon preferido e depois do meu personagem favorito.
    Cara, sinceramente, eu acho que a mente do Mikau não estava conectada com a mente do Luke, quando aquele veio a cuspir a tinta... acho que fiquei estudando tanto estes dois personagens e fazendo tantas suposições que criei uma imagem de cada um deles na minha mente.
    Esclarecendo a minha ideia: Por sempre ler os capítulos e Fire Tales seguidos acabo guardando varias informações dentro da minha memoria, entre elas, vingança, rancor, ódio, mentira e inveja... e todas estas palavras transcrevem o Mikau (agora um Seadra muito foooooda), por isso acho que o fato dele ter cuspido na face de seu adversário não foi um momento de loucura ou psicose (ou até uma ordem por parte de seu treinador), mas sim um ato de soberania e desprezo frente ao seu oponente. Estou certo?
    Toda a cena da batalha foi épica, principalmente quando o Floatzel da Marine foi derrotado com o mesmo ataque “marca” do ginásio. O Brine
    A luta final entre o Luke e o Lukas me deixou arrepiado, a resposta que cada Pokémon deu foi perfeita, principalmente a frase do Gabite “Você pode perder o seu irmão, mas eu não vou perder o meu.”
    Outra cena que marcou foi o fato do Mikau atacar a sua própria amiga de infância, e só este fato já explica o quão problemático ele é, pois para seguir com os seus desejos, ele pode passar por cima até de quem ama! Por isso adoro este personagem!!
    Cara, de verdade, eu vibrei com todas as cenas que este Pokémon apareceu! Você é muito foda Canas
    Vamos à segunda etapa do meu comentário, onde falo a respeito do Luke...
    Este é outro personagem a quem devo tirar o meu chapéu... ele foi incrível em tudo... isso sim que é personagem principal de uma fic; ele tem personalidade!
    Adorei a cena em que ele direcionou o dedo indicador e mandou a Marine calar a boca. Eu até gritei em casa “Que FOOOOOOODA”, e depois escutei uma voz da cozinha “Olha a boca menino” kkkkkkk
    Tudo nele foi perfeito, você relatar os pensamentos conturbados do Luke que tentando não sofrer com a sua psicose, e a luta que ele travava dentro de seu cérebro a cada minuto. Uma cena de filme foi ele retirando o cachecol só para ficar preparado para a batalha, e outra é quando ele grita para o Mikau não ser um “bostinha” como ele costumava ser.
    Cara, são tantos relatos que fico empolgado só de pensar... e imagino que o Fire Tales será ainda mais fodástico do que este capitulo.
    Pelo visto Canas... por mais que eu de superestime, você sempre supera as minhas expectativas, e olha que não é ser puxa saco... é que eu sei apreciar uma pessoa, quando esta sabe o que faz.
    Perto de tantos acontecimentos gloriosos os outros personagens até ficaram mais apagados, mas não me esquecerei deles.
    Por mais que a Marine seja uma moça bela, ela demostrou ter mais coração que habilidade, por isso ela ficava levando aquelas “patadas” do Luke. Um acontecimento épico foi o Lukas pedindo passagem para batalhar com o irmão, e principalmente a fala do final:
    “— Isso não foi uma derrota. — para finalmente ir embora sem dizer mais nada.”
    Canas... com certeza você me deixou sem reação
    Flw

    ReplyDelete
  14. M-Meu Arceus! Que capítulo foi esse?O:
    Sinnoh está pegando fogo! Quem diria que durante uma batalha de ginásio tanta coisa iria acontecer?O.o

    Eu sabia que uma hora ou outro o Luke seria meio que dominado por sua doença louca, mas não assim... Cara, a Marine... MIL VEZES MELHOR QUE O CRASH! Ela é mó linda, e combina mais com os tipo Water... fora que a artwork ficou perfeita. Esse Luke cara... ARG! Que vontade de entrar na fic e dar na cara dele. Magoou sua amada, a pobre Marine, e seus amigos! Mikau evoluiu, mas numa situação desagradável. E ainda por cima, atacou os próprios companheiros. Mas cara, achei épico ele cuspir tinta no rosto do Floatzel. E esse final foi mais épico ainda! Luke vs Lukas... isso promete no futuro!

    É isso aê man, foda demais! See ya

    ReplyDelete
  15. Cara, fico pensando se você por acaso não vai chamar o Walter para dar uma lição nesse pivete. O problema nem são os Ginásios, mas se ele encarar uma Liga, e até mesmo uma Elite com esse tipo de mentalidade ele será aniquilado. Certo que megalomania é uma doença, mas um dos caminhos que podem ajudá-lo é a terapia mais radical de todas. Dar-lhe uma lição pesada. E por isso vejo o Walter, o Glenn, o Marshal e até mesmo a Cynthia como personagens válidos para ensinar a ele o que é humildade.

    Vejo que o Mikau tem também uma certa perturbação mental, mas não a ponto de ser dado como uma doença, como é o caso de seu Treinador. Ele está mais para alguém que quer descontar aquilo que sofreu durante a vida toda. Imagino quando esse bicho tiver de enfrentar um Sharpedo, vai dar treta nessa parada.

    Canas, eu juro que estou afim de acabar com o Luke pessoalmente, mas vou esperar e ver no que vai dar. Até lá!

    ReplyDelete
  16. "O loko meu!" ~le Faustão~

    Esse capítulo foi divino, grande candidato ao cargo de melhor da saga do Oscar que está por vir! *-* No momento em que eu li aquela prévia do começo tive a certeza: Isso não vai acabar bem.

    De certa forma é torturante para mim ver aquele que era nosso herói, uma pessoa brincalhona e querida, se transformas num monstro incomparável. Foi triste ver o Luke prometendo ficar calmo e não resistindo contra esse monstro interior. Posso dizer que ele sempre perdeu, desde o momento em que se deixou levar. Aquele que pensa ser o melhor está se transformando no pior.

    A batalha até que começou bem, mas a paranoia do Luke é realmente sinistra. Claro que a Marine não é uma líder ao nível do pai, mas mesmo assim ela é boa e ofendê-la de tal forma foi algo muito baixo. Acho que isso é capaz de irritar a qualquer um, ver o Luke ofendendo alguém com o espírito sereno tiraria qualquer ser humano do sério. Pior ainda é ir contra seus próprios amigos e até seu irmão, tudo com o pretexto de ser cada vez melhor. Acho que os pokémons fizeram o certo nesse caso, eles são uns dos únicos capazes de melhorar o jovem Luke.

    Quanto a este, consegue a cada dia acumular mais raiva de minha parte. Sei que é uma doença, mas tem vezes que sinto vontade de largar tudo e ir lá dar uns bons tapas nele.

    Espero que melhore e volte a ser aquele que era antes, nem que isso lhe custe uma grande derrota. Fico no aguardo de tudo, acho que logo o momento do Luke chegará. E acredite, quando ele perder todos vão comemorar. Eu pessoalmente não torço para o mal dele, torço que melhore e acho que uma bela derrota é o melhor caminho.

    E não posso deixar de ressaltar outra coisa: Fico pensando como será essa manifestação de doença no Lukas. Sinto uma leve mudança de personalidade dele, como quando ele confrontou o lucio, e acho que esses podem ser o primeiro sinal. Só nos resta esperar, por enquanto fico no aguardo.

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -