Posted by : CanasOminous Jan 7, 2014

Support Conversation (Yoshiki x Marco)
Gênero: Comédia;
Tema: No início dos Fire Tales, o Marco tinha um certo problema com o fogo 
e o Panetto o ajudou dando uma lanterna. Como eu espero que o Marco
 torne-se mais forte com os Seis Meses de Treino, ele deveria buscar 
o Yoshiki para finalmente resolver esse problema;
Sugestão do leitor: Anônimo.

Yoshiki estava sentado de joelhos enquanto meditava calmamente em seu escritório sagrado. O santuário prático do psicólogo vinha sendo pouco utilizado pelos companheiros nos últimos meses, até porque os compromissos com treinos e o Torneio das Guildas vinham se aproximando cada vez mais e ocupando todo o tempo dos demais.
— Infelizmente o beneficio para alguns é a desgraça para outros, Jade. Em tempos de guerra como esse, os médicos saem ganhando, eles têm pacientes para cuidar, braços para amputar e muito sangue pra brincar... — disse Yoshiki ainda com os olhos fechados. — Eu sabia que devia ter tentado outra profissão enquanto eu tinha tempo...
— Ahh, vamos lá, Yoshi-kun, anime-se! Não se lembra de quantos casos divertidos nós tivemos? Cuidar das pessoas é engraçado, mas esperar vítimas para tratar da mente delas é ainda melhor.
Yoshiki espreguiçou-se na tentativa de alongar os braços e preparar-se para algo novo.
— Sabe que ideia acabei de ter?
— Não, me conta! — respondeu Jade animada.
— Keh, heh, heh... Já que não temos pacientes hoje, seria legal se você fosse a próxima vítima, não acha? Vamos... brincar.
Antes que Jade e Yoshiki pudessem fazer qualquer coisa, subitamente as luzes começaram a piscar até que se apagassem sem indícios de que iriam voltar tão cedo. Entardecia, e não havia mais luz natural para iluminar as ruas, tudo ficou no maior breu. Jade tentava se localizar com os braços esticados, e cada hora tropeçava em alguma coisa diferente.
— Poxa, bem agora que eu estava começando a ficar animada? Ouch! Ai, ai!! Ufff... Por que nós cismamos em deixar esse lugar tão bagunçado?
— Não faço ideia, acho que somos assim desde que morávamos com a Tashiki... — respondeu Yoshiki tentando manter a calma em busca de um lampião ou coisa do gênero. — Ei, Jade. Acho que pisei em alguma coisa pontiaguda. Traga um pedaço de pano porque tenho a leve impressão de que meu pé está sangrando.
— Você se machucou?! WOAAH! Yoshi-kun, acho que me embaralhei toda em algumas cordas e nesses equipamentos estranhos... Droga, é melhor nós darmos uma limpada nisso tudo urgentemente.
— E pensar que nossa rotina não poderia ficar pior...
Enquanto os dois tentavam se encontrar no escuro de seu consultório, ninguém poderia imaginar que eles receberiam a inusitada visita de um cliente em muito tempo, mesmo sem luz e nenhuma circunstância de atendimento. Uma das paredes começou a tremer, toda a estrutura da casinha se abalou até que Wiki entrou eufórica no local carregando o jovem Marco em seu colo. Vista vinha logo atrás, destruindo paredes ao invés de usar a porta. A mulher gritava enquanto se guiava pela luz de seus olhos dourados que brilhavam como lanternas.
— Alguém salva o meu bichinho de pelúcia!!
— O que houve, senhorita Wiki?! — indagou Jade.
— É o Marquinho, eu pedi para o coitadinho ir buscar algumas coisas para mim na farmácia, e não sei o que aconteceu, mas ouvi um grito quando todas as luzes se apagaram e o encontrei desmaiado no chão!
— Isso é terrível, será que algum monstro atacou ele? — perguntou a atendente.
It wasn’t me — Vista continuava sério.
Wiki e Vista conseguiam criar energia o suficiente para que a sala ficasse iluminada e Yoshiki pudesse organizar alguns de seus pertences. Eles limparam a mesa jogando tudo no chão e colocaram Marco ali em cima como se ele estivesse prestes a entrar em uma cirurgia. Wiki parecia mais preocupada do que de costume.
— Ele vai sobreviver, doutor?
— Hm, teremos que arrancar as duas pernas dele... — comentou Yoshiki.
Why? — continuou Vista, desconfiado, mas não menos contente.
— Ele não vai precisar delas.
— Ahhh, mas eu gosto tanto das perninhas dele! — respondeu Wiki. — E sem as pernas, você também vai ter que tirar... aquilo? A região mais importante de todas?
— Certamente — respondeu Yoshiki, já preparando sua luva de procedimento e um serrote enferrujado que era levado por Jade. Quando o psicólogo preparava-se para dar início à sua cirurgia, Marco abriu os olhos lentamente.
— Uow, o que aconteceu...? — ele perguntou, ainda sonolento e fora de si. — Por que estou aqui amarrado? É mais uma daquelas suas brincadeiras esquisitas, Wiki?
Close your eyes, son. Você está delirando — respondeu Vista, dando um peteleco na cabeça de Marco que quase o fez desmaiar novamente.
— Ouch, doeu pra caramba! E por que diabos vocês estão com esse serrote? Parece até que estavam prestes a cortar alguém...
Wiki pulou em seus braços na tentativa de amá-lo ainda mais.
— Ohhhh, você está de volta, meu fofinho! O que aconteceu para você ficar jogado no meio da rua como se tivesse sido abusado? Eu fiquei preocupada, não duvido nada que outras mulheres tentem atacá-lo quando eu não estiver olhando!
— Fica fria, Wiki... Foi só um deslize meu... Acho que passei muito perto da fogueira.
O serrote estava sendo afiado, mas por um momento o silêncio prevaleceu até que Yoshiki comentasse:
— Fogueira? O que isso tem a ver?
— Bom, é que... Acho que vocês sabem, mas eu nunca me dei muito bem com fogo.
Yoshiki escondeu o serrote atrás do sofá e teve uma nova ideia.
— Já sei então como curá-lo, jovem mariposa. — O psicólogo falava com precisão enquanto andava de um lado para o outro no consultório. — É uma informação sigilosa, é realmente de grande importância que você a guarde em segredo, pois nunca sabemos quando seus inimigos podem usá-la contra você.
— Sei disso, e nos últimos anos venho tomando o máximo de cuidado possível sempre que luto contra guerreiros Fire-type... A última vez que tive acidentes com fogo eu era moleque, vocês ainda nem tinham entrado na guilda.
— Mas meu xuxuzinho, por que não me contou nada disso? — perguntou Wiki.
— Ahh, se eu contasse aposto que o Vista usaria isso para piorar ainda mais meus treinos...
Yeah, I would — admitiu o ciborgue. — Mas agora percebo que é uma situação muito mais delicada a se lidar. Você sofre de pirofobia, um distúrbio psicológico caracterizado pelo medo doentio de fogo.
— Nós precisamos dar um sumiço nisso, não quero que você corra o risco de se machucar e se queimar enquanto estiver cozinhando para mim. E se você morrer, Marquinho?!! Quem vai trazer meu café da manhã na cama?? Quem vai limpar a casa?? Quem vai organizar todas as minhas calcinhas e sutiãs em ordem de tamanho e por cor específica??
Wiki voltou-se para Yoshiki e sua atendente, chacoalhando-os de um lado para o outro.
— Doutor, preciso que você cuide dele! Mais tarde posso te pagar com meu corpo, mas por favor, só salva o meu bichinho de pelúcia!
— Certo, certo... Farei o possível, minha querida. Mas só aceito pagamento em dinheiro e equipamentos exóticos. No seu caso, partes do corpo. Não preciso dele completo. Keh, heh, heh...
Yoshiki foi até seu depósito, e após jogar para longe alguns pertences velhos e abandonados, voltou com as mãos fechadas como se trouxesse algo precioso entre elas.
— Eis aqui a cura. — Assim que suas mãos se abriram, revelaram ali uma caixinha de fósforos.
— Não é por nada, amigo, mas Thomas Edison mandou lembranças lá de 1879 quando ele inventou a lâmpada — disse Vista, nada satisfeito com aquela coisa tão arcaica.
— Você não seria capaz de entender meu método de trabalho, jovem máquina mortífera. É preciso pensar e agir com a mente, levando em conta todos os medos da pessoa, toda a história, deve-se colocar todas as cartas na mesa e trabalha-las com cuidado.
Yoshiki guiou Marco até um tapete no chão e o fez sentar-se ali mesmo. Vista os encarava de longe, enquanto Wiki continuava com as mãos unidas torcendo para que tudo desse certo.
— Jade, por favor, amarre o nosso cliente.
— Pode deixar, Yoshi-kun!
Marco parecia um pouco incomodado.
— Sério que isso é mesmo necessário?
— Ora essa, Marquinho, nada que você nunca tenha feito! — respondeu Wiki com uma risada. — Quer que eu conte aquela vez em que eu te prendi no encosto da cama? Na próxima vez vou usar algemas para nós dois brincarmos de polícia e ladrão. Eu vou ser a polícia, e os bandidos devem ser punidos! 
           — O quê? Quando foi que fizemos isso?!
O jovem preferiu ficar quieto antes que sua companheira revelasse qualquer informação mais comprometedora do que aquela, mas nada que seus companheiros presentes no recinto não soubessem. Jade apertou as cordas bem forte, de modo que Marco tivesse as mãos voltadas para trás. Ele lembrou-se de quando ainda era apaixonado pela garota, quando havia entrado na guilda e se identificara tanto com ela. Desde que levara um fora os dois nunca mais se falaram, mas agora trocavam cordas e amarras no escuro, uma curiosa inversão do destino.
— Hm, pode deixar um pouquinho mais afrouxado? É que está me machucando...
Jade deu um tranco ainda mais forte.
— Mas é pra machucar mesmo, docinho — respondeu a garota com um sorrisinho ligeiro, o que fez o jovem engolir seco e preferir ficar na sua, imaginando se estaria pior nas mãos de Jade ou nas de Wiki.
Por Arceus, o que eu tinha na cabeça para gostar dela?! — pensou Marco.
Wiki e Vista apagaram suas lanternas, deixando o consultório na escuridão total novamente. Yoshiki acendeu um dos fósforos e o colocou bem perto do rosto do jovem.
— O que você vê? — indagou o psicólogo.
— Fogo. — Marco já começava a suar frio. — E ele é tão... boniiiiiitto....
Vista ergueu uma câmera e começou a filmar.
— Essa eu vou colocar no youtube.
Yoshiki foi colocando o fósforo cada vez mais perto de Marco, que apesar de querer praticamente tocar no fogo era impedido por Jade que o segurava por trás. Ele movia de um lado para o outro, e Marco acompanhava com a cabeça.
— O que você vê?
— N-Nada... Só vejo fogo... — disse Marco.
— Mas você gosta?
Yoshiki começou a balançar o palito de fósforo para cima e para baixo, e Marco fazia o mesmo com a cabeça.
— Sim, eu... Eu gosto.
— Hmm, estou aprendendo algumas novas técnicas para usar mais tarde — comentou Mozilla, que subitamente aparecera quando a situação começou a esquentar.
Quando um dos fósforos se apagou, Marco pareceu liberar-se do transe.
— N-Nossa, o que foi isso?
— Sinto em lhe dizer, meu jovem, mas você tem um espírito maligno de Litwick preso em seu corpo. E a única forma de livrá-lo daí de dentro é... cortando um de seus braços.
— Por que os braços?! — ele perguntou assustado.
— Quer que seja outra coisa?
— A-Acho melhor não... De qualquer maneira, doutor, você tem alguma recomendação, ou qualquer coisa que não me obrigue a amputar qualquer parte de meu corpo?
— Ainda não sei, preciso fazer mais testes — disse Yoshiki, pegando mais palitos de fósforo e colocando-os na frente de Marco. — Agora ouça bem o que eu vou lhe dizer, diga as seguintes palavras: Eu não tenho medo de fogo.
— Eu não tenho medo de fogo — repetiu Marco.
Jade trouxe um pequeno lampião para Yoshiki, que acendeu algumas chamas lá dentro e continuou seu interrogatório.
— Agora diga o seguinte: Eu gosto de me machucar.
— Eu gosto de me machucar.
— Isso está começando a ficar interessante! — disse Mozilla, animado. — Me conta cara, como foi que você conseguiu descobrir essas coisas?
— Eu sou um psicólogo, não dentista. Enfim, meu jovem Marco, vá buscar um suquinho para nossos convidados, com dois cubos de gelo cada, e de preferência de maracujá para minha querida Jade. Eu gosto de vê-la dormindo.
Yoshiki colocou o lampião no braço de Marco que levantou-se e foi em direção da cozinha. Os que ficaram para trás começaram a rir do que acabara de acontecer.
— Que show, ele fica hipnotizado! É quase que uma hipnose — afirmou Jade, dizendo o óbvio.
A mente de Mozila e Wiki já bombeava cheia de segundas intenções.
— Então isso não é uma doença, e sim, a cura! Já imaginou? Marco, traga o meu cafezinho com um pouco de leite e duas colheres de açúcar, sim? Nooooossa, essa foi a melhor descoberta de todas! Você é o melhor, Doctor Knife!
Vista guardou sua câmera agora que o show havia terminado.
— Bom, vocês estão esquecendo de uma parte importante... Esqueceram que o jovem Marco já obedecia qualquer coisa que vocês pedissem, mesmo não estando enfeitiçado pelo fogo?
Mozilla ponderou sobre aquilo.
— É, tem razão... Ele cozinha, limpa e dorme comigo mesmo sem estar sob efeito algum... Acho que essa questão de obediência vem da própria personalidade dele.
           — Resultado: Não mudou bosta nenhuma — respondeu Vista com uma risada sarcástica.
Pouco depois, Marco voltou com os sucos em uma pequena jarrinha, e ainda trazendo taças de vidro com pequenos guarda-chuvinhas para enfeitar e um aspecto digno de resorts.
— Voltei, pessoal. Aqui estão os sucos, e de maracujá para a Jade. Yoshiki-san, deixei o seu lampião na cozinha, porque vou voltar lá e dar uma arrumada nas louças. Faz quanto tempo que vocês não limpam esse lugar?
Jade e Yoshiki se entreolharam, chamando Mozilla para um canto.
— Tem como emprestar o garoto pra gente? Estávamos mesmo precisando dar uma arrumada em tudo...
— Hm, não sei se vou emprestá-lo, mas... Se quiserem, estão convidados para  a nossa próxima festinha, fechado?

• • •

Alguns dias se passaram, sem a certeza de que Marco estava curado de sua fobia, mas com certeza Wiki fizera questão de precaver-se para que acidentes não voltassem a acontecer. Certa manhã, enquanto todos dormiam calmamente em suas camas, Vista destruiu uma das paredes fazendo o maior barulho nos dormitórios.
Wake up, silly boy. I have something very cool to tell you.
— Ahhh, Vista... Tenho que limpar toda essa sujeira sempre que você inventa de entrar pela parede... — Marco já havia praticamente se acostumado com as explosões. Ele levantou-se de seu colchão no chão esfregando os olhos de sono. — Okay, manda. O que há de novo?
— Lembra-se do vídeo que eu fiz de você quando fomos ao psicólogo?
— Vídeo? Que vídeo?
Wiki levantou-se ao seu lado, arrumando a barra do sutiã e ainda mais sonolenta.
— Bom dia, rapazes. Oops, acho que não contamos pra ele.
— Galera, que vídeo esse?
Vista ativou um televisor portátil no peitoral de sua armadura e abriu o youtube onde havia um vídeo em destaque: Cute Little Boy Who Does Everything to You. O vídeo já tinha se tornado um viral com milhões de visualizações, e na tela mostrava um Marco super preocupado fazendo de tudo para seus amigos, até mesmo trazendo suquinho de laranja.
Vista fecho o televisor e falou:
— Nunca duvide de minhas habilidades de divulgação, consegui um novo recorde para o meu canal graças a você.
— M-Mas o senhor nem perguntou se eu permitia o uso de minha imagem!
I. DON’T. NEED. THIS. — Vista o ameaçava. — Bullshit. E por sinal, iniciei um programa onde levarei você para passar um dia inteiro com todas as garotas que se inscrevem, em troca de compartilhamentos e curtidas no facebook. Cute Little Boy, você virou um tremendo sucesso na internet, be happy.
Wiki franziu as sobrancelhas, nada satisfeita com aquilo.
— O que? Quer dizer que você está comercializando o meu fofuchinho para um monte de vadias interesseiras? — Ela abraçou Marco com mais força contra seus peitos. — Sai daqui, Mecha-boy! Ele é meu. SÓ MEU!!
— Nada disso. Compartilha um pouco dele comigo, andrógena!
— Não, não! — Wiki esperneava. — O Marquinho é meu, eu achei primeiro, é meeeeeeeeu!!
GIVE HIM TO MEEEEEEEEEEE!!
Wiki sacou uma arma debaixo de seu travesseiro e apontou na testa de Vista.
Do you want it? — ela o imitou. — Come and claim it.
Quando Wiki e Vista começaram uma intensa batalha cheia de explosões logo às seis da manhã, Marco já tinha fugindo para o pátio da guilda em direção da fogueira da Fire Tales, sendo o encarregado por mantê-la acesa e sempre funcionando. O jovem Watt Fuarrint até assustou-se com sua presença ali logo de manhã.
— Nossa, acordou cedo hoje, hein, Marco? — disse Watt com um sorriso. — Eu costumo ser o encarregado por acender a fogueira e jogar as cinzas da noite passada fora, mas pelo visto você despertou antes de qualquer um hoje.
— É melhor eu ficar por aqui mesmo, Watt... Acho que o fogo virou o menor de meus problemas, por enquanto.

{ 4 comments... read them below or Comment }

  1. NOFFA MALUCO, ELE TAVA POSSUÍDO PELO LITWICK. EU SABIA QUE AQUELAS COISINHAS NÃO ERAM DO BEM! HEUHEUEHUEHE, KRA, EU RI MUITO QUANDO VI QUE O VISTA TAVA FILMANDO HEUEHUEHUEHUEHEU DESGRAÇADO HEUHEUHEUE

    Cara, Wiki X Marco é tão.............. <3 Tão fofo <3 OK, eu prefiro ela com o Vista, mas ainda assim, Wirco (Nome do shipping e-e) não deixa de ser fofo <3 MAS, PORÉM................ CANAS X FANTINA > ALL HEUHEUHEUHEUEHUEHEUHEUHEUE (Só podia ser BR mesmo e-e)

    É, é aquele momento que você olha pra uma pessoa, e pensa: "EU GOSTAVA DISSO, SÉRIO?" Eu passei muito por isso e-e Acho que eu sempre fui meio romântica demais e-e

    E ISSO SEMPRE ACONTECE COMIGO. APAGA AS LUZES, E EU SAIO TROPEÇANDO EM TUDO. NA RACHADURA DO CHÃO, NUM LITTLE PEOPLE, NOS MEUS PÉS, NUM JACARÉ... Não pera. EUHEUEH Enfim. Odeio quando falta luz.

    O VISTA É UM DESGRAÇADO MESMO HEUHEUEHUEHEUHE TROLL DOZINFERNO xD Mas eu imagino o que a Wiki faria se aproveitando dessa hipnotizagem do Marquito... HM. BÃH. xD Enfim. Foi bom você ter se lembrado dessa atração por fogo do Marco, Canas. :3

    SAYONARA!

    ReplyDelete
  2. Diga ae, Juh! Que bom que curtiu, eu estava com esse episódio prontinho há um tempão, só esperando a hora certa de postar. Eu curto o Vista, dá para fazer algumas cenas bem divertidas com ele e só sai bobeira quando junta ele, a Wiki e o Marco kk Wirco ficou um nome bacana, seria tipo o nome do filhinho deles, já pensou? Um Porygon chamado Wirco kkkkkkkkkk Okay, eles nem estão no mesmo Egg Group, mas vai saber o que dá para fazermos em um universo alternativo... Essa é a parte mais divertida das fanfictions, dava até para pensar numa ilustração para esse carinha, rs. É, eu não levo jeito para nomes de shippings... Transformo qualquer coisa em personagem kk

    "Quando a Luz Acaba" podia ser o tema de um episódio ainda mais especial, porque dá pra falar de MUITA coisa! Nossa, aqui em casa é uma loucura, é gente saindo para todos os lados arrancando tomada e levantando janela que caiu e colocando balde para as goteiras que se formam kkkkkk Uma loucura, dá pra fazer um Supoort show de bola com isso, não acha? kk Ah, na verdade foi um leitor que me lembro desse medo do Marco de fogo, eu mesmo achei genial ele ter comentado sobre isso [tanto que nem eu lembrava kkk] Vamos ver qual será o próximo Doctor Knife, e se tudo certo, o Episódio 5 será uma consulta do Mikau! Não vai vir coisa boa kk Beijos.

    ReplyDelete
  3. Minha primeira sessão com o Dr. Yoshiki. Gente, mas esse cara é doido demais, quer cortar tudo de todo mundo! Fiquei apreensiva só de ler, imagina se estivesse cara a cara com ele. Ainda bem que não sou um de seus pacientes. Por isso concordo com ele, ele devia tentar outra profissão. Por exemplo, legista. Porque às vezes os legistas tem que cortar a barriga pra ver os órgãos internos, ontem mesmo no C.S.I., o legista de lá, que agora não lembro o nome, abriu a cabeça e chegou a cortar uma parte do cérebro, foi meio nojento de ver. E como nosso psicólogo gosta de coisas diferentes, acho que ele se daria muito bem como legista.

    E achei tão romântico o modo como a Wiki ficou preocupado com o Marco. Deu pra ver que ela gosta mesmo dele. E que é bastante ciumenta também [ainda bem que desisti de ter aula particular com ele. kkkk]. E parece que o Marquinho levou essa expressão, " Faço tudo isso com as mãos nas costas", ao pé da letra. carregou um lampião, fez e levou suco pra galera com as mãos amarradas atrás das costas, isso só mostra o quão incrível ele é.

    E esse Vista sempre aprontado alguma, agora por causa do vídeo que ele gravou e colocou na internet, milhões de pokémons vão olhar para o Marco e o verão como um escravo. E do jeito que ele é obediente e educado vai acabar fazendo tudo o que as pessoas querem. Não vai ter nenhum segundo de descanso. Tadinho dele!~

    Não sabia que Doctor Knife era tão engraçado assim, vou ler os outros e me divertir mais um pouquinho.

    Luana.

    ReplyDelete
  4. Diga ae, Luana! Talvez nem o Yoshiki saiba exatamente qual a diferença entre um legista, um psicólogo e um médio. Pra ele é tudo diversão kkk Os outros episódios também são bem divertidos, mas este foi um dos que mais gostei de escrever por conta dessa trupe maluca que fez a sessão, a Wiki, o Marco e o Vista formam a melhor equipe! E falando nesses dois, consegui fazer uma nova imagem para o artbook bem legal com eles, vou ver se consigo postar daqui há um tempo.

    Viu só? A Wiki ela se importa com o Marco, pode parecer que ela só usa ele, mas no fundo esses dois aprenderam a se amar e proteger um ao outro. É uma relação curiosa, porque nem eu teria imaginado que eles poderiam ficar tão próximos assim, tem muita química entre esses dois! Essa coisa de obediência é muito preocupante, é melhor o Marco tomar cuidado! kkkkkkkk Ahh, alguns personagens nem o Yoshiki consegue dar conta, agora tem outros que por onde passam acabam deixando uma marca. Gosto desses episódios de comédia, e acabam sendo um diferencial na nossa rotina, só para passar o tempo ou dar uma descontraída. Beijos, obrigado por comentar! (:

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -