Posted by : CanasOminous Jan 17, 2014

Quando Você é Mais do que Aparenta Ser

          Pokémons P.O.V. (Point of View)

Mesmo que o foco do torneio fosse nos grandes nomes que participavam naquele ano, ainda haviam alguns que se distinguiam simplesmente por estarem ali, cumprindo a sua função, destacando-se por serem os melhores no que faziam. Após a Fire Tales derrubar Tesla e Fenrir na batalha contra as guildas Iron Fist e a Blackout, as quartas de finais começariam acirradas do outro lado. Com um público relativamente menor, mas nem por isso menos afetivo e empolgado, a Red Fortress vinha chamando mais atenção do que se imaginava.
Eles eram a nova sensação e uma das grandes promessas naquela temporada. Esta era a guilda de Stanley Tycoon em parceria com Vivian Chevalier. Liderados por Primia, a magnífica Scizor de sorriso encantador e seu braço direito; Drinian, o Torterra.
General era um homem sensato, e sabia que deveria preparar-se e estudar seus adversário antes de assumir posição na próxima batalha. A Fire Tales já era uma velha aliada da Red Fortress, então encontrá-los não foi nenhuma dificuldade. Parecia que a própria Primia estava atrás deles.
— General, eu sabia que você viria! Assistimos a batalha de vocês, e foi incrível — elogiou a Scizor. — Por favor, entrem, entrem. Este é o nosso camarim, queremos recebê-los da melhor maneira possível antes que nossa próxima luta comece, creio que tenha sobrado um tempo para colocar os assuntos em dia.
— Agradecemos a hospitalidade, senhorita Primia, mas você não acha que seria pouco sensato convidar seus possíveis inimigos para um chá da tarde? — indagou o militar.
— Ora essa, General! Deixe de bobagem. Podemos ser inimigos hoje, mas amanhã voltamos a ser amigos, e assim continuará sendo — respondeu Primia. — Agora venha, traga a Glaciallis também, e todos os demais que quiserem vir. Que esta seja nossa reunião antes da decisão final!
General adentrou os aposentos junto de sua princesa de gelo, Glaciallis. Aerus e Watt disseram que não poderiam comparecer, pois estariam resolvendo algumas questões do torneio que requeriam a presença dos líderes da equipe. Grande parte dos outros membros da Fire Tales acabaram  muito ocupados ou indisponíveis no momento, e por conta disso, alguns poucos estavam presentes.
Wiki marcaria presença só para manter a patrulha de Marco e Vista na festinha, pois ouvira que Glory estaria lá e ela não perderia a chance de arrumar o maior barraco se encontrasse o pobre Marco, perdido em algum canto. Chaud e Al Capone também iriam com o mesmo intuito, estudar o adversário e conhecer o cenário, mas em uma festa de Primia que os recebia de maneira tão acolhedora e carinhosa era difícil não sentir-se em casa.
— Aceitam algo para beber? Oh, Al Capone, para você creio que serviria um pouco de vinho, não?
— Eu agradeceria, Primia. Ultimamente tenho precisado mesmo de uma leve descontração... — respondeu o Honchkrow.
A Red Fortress não era uma guilda muito grande ou movimentada. Tinha quase a mesma quantidade de membros que a Fire Tales, e ali parecia que todos se conheciam, riam e se cumprimentavam. Stanley não era daqueles treinadores que saia capturando qualquer criatura no mato, era como se ele escolhesse seus componentes à dedo, exatamente como Luke fazia.
General aproveitou o embalo para pegar uma taça de vinho e puxar conversa com a líder dos exércitos oposto.
— Senhorita Primia, devo parabenizá-la por suas conquistas. Alcançar as quartas de finais no Torneio de Guildas não é para qualquer um, e sob comando de Drinian vocês alcançaram um marco glorioso.
— Verdade... É muito bom saber que nossos velhos amigos também conseguiram seguir seus objetivos e chegar até aqui... — respondeu Glaciallis, um pouco acanhada. — Estamos muito felizes por vocês.
Ela sorriu e agradeceu como pôde.
— Obrigada, queridos, mas vocês deveriam dar esses elogios ao próprio Drinian! Eu só não sei onde ele está, eu jurava ter o avisado que vocês viriam... Só um minuto, vou procurá-lo.
Primia saiu dos aposentos, deixando que seus convidados se divertissem como pudessem. Vista olhava para tudo emburrado, enquanto Marco parecia muito contente por rever alguns velhos conhecidos que não via há tanto tempo. Apesar da aparência jovial, Marco estava há muito tempo na Fire Tales e certamente vira a Red Fortress nascer.
— Nossa, eu me lembro quando o Drinian era só um Turtwig... Ele cresceu tanto — comentou Marco, observando uma pequena moldura com um retrato do Torterra.
— True. What about you? Por que não cresceu e continua parecendo um garotinho de 15 anos mesmo após o treinamento intensivo que eu te dei, hm? Que tipo de droga você usa??
— Mecha-boy, pare de atordoar o Marquinho, eu gosto dele desse jeito! Pequeninho e fofinho do jeito que é! — respondeu Wiki, nervosa, cruzando as pernas e mexendo em seu cabelo. — Se todos nós crescêssemos tão rápido, a guilda estaria repleta de velhos chatos e razinzas que nem você.
— Eu não sou velho — respondeu.
— Mas é chato e razinza — continuou Wiki.
Enquanto os dois brigavam, parecia que uma moça vinha observando-os de longe, de braços cruzados. Wiki ria ao empurrar Vista, mas quando seus olhos se encontraram com os daquela mulher ela parou imediatamente e seu rosto demonstrou a clara feição de espanto que seus pensamentos se encontravam.
— N-Não pode ser...
— Olha só quem está aqui... — disse a mulher, caminhando para mais perto deles. — Wiki, você está ainda mais gostosa do que antes. O que andou tomando para ter um corpão lindo desses, querida? Você está me deixando... excitada.
— Eleanor, é você!



Wiki deu um pulo em direção da mulher que pegou-a no colo e a ergueu com seus braços fortes. Marco sabia de quem se tratava, Wiki vivia contando que certa vez enfrentara uma mulher na Ilha de Ferro, mas que ela havia dado a vida para salvar os demais companheiros, colaborando para que Wiki resgatasse Luke e impedisse que uma tragédia acontecesse. As duas pareciam velhas amigas dos tempos de colégio.
— Menina, me conta! Como saiu com vida naquele dia? Como derrotou todos aqueles soldados clonados, e fez seu caminho para fora da ilha em segurança? Eu jurava que você estava morta!
— Fofa, com esses bracinhos aqui acha mesmo que alguns monstros dariam para o gasto? No fim da luta não sobrou ninguém de pé — respondeu Eleanor com uma risada, dando um tapa no ombro de Wiki que quase a jogou no chão.
A ciborgue aproveitou a ocasião para apresentar a velha conhecida aos seus amigos.
— Erina-chan, esses dois aqui são meus futuros maridos. O Vista é tipo o brinquedinho nas horas livres, e o Marquinho é o meu bichinho de pelúcia que eu tanto adoro!
Eleanor olhou fixamente para Marco e cochichou para Wiki:
— Gente, ele é muito fofo — ela falou, lambendo os lábios. — Se fosse mulher eu pegava.
— Olha que eu não gosto de dividi-lo com outras mulheres, mas com você acho que faço uma exceção! — e as duas começaram a rir.
Vista agarrou Marco pelo cachecol e saiu de fininho.
— Let’s get out of here, kid. Those women are crazy!
Os membros da Fire Tales realmente aproveitavam o momento, mas Primia ainda olhava de um lado para outro à procura de seu parceiro que não estava em lugar algum.
 Gente, gente, vocês viram o Drinian? Eu pedi para que ele esperasse sentado aqui, não é possível que ele tenha saído andando por aí! — contemplava Primia. — Céus, já estou começando a ficar preocupada...
— Senhorita Primia, não se preocupe, ele logo virá — respondeu o Bronzong, um dos soldados da Red Fortress.
A Scizor caminhava de um lado para o outro, ocasionalmente olhava para o relógio de ponteiro na torre ao sul da ilha, pois sabia que em breve eles descobririam contra quem iriam lutar naquela batalha em dupla.
Para piorar ainda mais seu desespero, seus parceiros de combate seriam ninguém menos do que os destruidores e baderneiros integrantes da Pink Anarchy, liderados por Glory.
De repente, a porta foi acertada por um salto alto de quinze centímetros, onde uma mulher esbelta vestida de enfermeira dava seus passos perfeitos como se tivesse nascido ali em cima. Glory já chegara chutando a porta ao dar suas boas vindas:
— OPA! Pensei que estivesse trancada, até porque vocês nunca nos convidam para suas festinhas. Hoje tem bebida de graça? — gritou a Blissey com sua voz nada exagerada. — Então quer dizer que vocês serão nossos parceiros nessa batalha? É bom que estejam em um nível elevado, ou essa luta terminará em uma pancadaria por ambas as partes se vocês nos fizerem perder, ouviram?



Chaud, Al Capone e General já conheciam bem a má reputação de Glory, e não se impressionaram muito com a baderna. Primia ficou observando com uma clara expressão de desinteresse, procurando manter o máximo de calma possível.
Respire fundo, Primia. Respire.
— Olá, Glory. Quem diria que no fim das contas nós duas acabaríamos por estar no mesmo lado em campo. Espero que tenha perdoado as nossas briguinhas de quando éramos mais jovens — respondeu Primia com uma risada.
— Perdoado? Ora essa, sou do tipo que esquece rapidamente das coisas — Glory deu de costas. — Mas você sabe muito bem que costumo ser bem vingativa também, quando estou disposta.
— Glory, por favor, não vamos iniciar outra discussão fútil bem nas quartas de finais de hoje, e justamente quando precisamos trabalhar lado a lado! Há tantas coisas mais importantes para resolvermos...
— Tem razão — Glory olhou para os lados, à procura de outra vítima. — WIKI! Quem foi que te convidou, vadia?
— Ué, agora estão deixando as barangas entrarem de graça? Que ultraje! — respondeu Wiki de maneira sarcástica, mas não escondendo certa risada ao rever sua velha rival. — Diga então, mulher. Cada vez que te encontro você parece mais artificial, sabia? Quantos litros de silicone precisou colocar dessa vez pra ficar desse tamanho?
— Com certeza foi menos do que você.
— Ora, isso aqui tudo é natural, entendeu? Naturaaaaal, redondos, palpáveis e perfeitos! — respondeu Wiki, apalpando seus próprios peitos e exibindo-os para comparar aos da colega. — Não preciso sair andando por aí vestida de enfermeira para chamar atenção dos homens.
— Não sou eu que ando na rua de calça justa e blusa colada! — Glory parecia afiada para continuar a briga naquele dia.
General estava sentado em uma poltrona quando se virou em direção delas com alguns petiscos em mãos e um copo de vinho na outra. Já farto do barulho, o fantasma ergueu a voz e pediu disciplina por parte das garotas.
— Senhoritas, senhoritas, por favor, sem badernas hoje — disse Castelo num tom sério. — Temos crianças no ressinto.
As duas se entreolharam furiosas, fuzilando-o com o olhar:
— Onde estão essas crianças que não estou vendo? — as duas perguntaram juntas.
General pensou antes de falar. Fez uma careta, depois pensou de novo, até que olhou para Glaciallis.
— Minha amada Glaciallis está grávida.
          Al Capone cuspiu o vinho e Chaud até fechou sua revista. Wiki e Glory gritaram de alegria, mas nem Glaciallis parecia saber da notícia.
— O Q-Q-QUE?! C-Claro que não! E-Eu não sabia disso, como eu poderia saber? — ela perguntou extremamente envergonhada, correndo para esconder-se no banheiro.
— Ele só falou aquilo para vocês pararem com a discussão — respondeu Chaud, voltando a ler sua revista sobre crianças que estava ali perto.
— Bem, mas na verdade o Marco poderia ser considerado uma criança... Ou não? — comentou General com uma risada, logo correndo para o banheiro ver se Glaciallis não tinha infartado com a brincadeira.
Os olhos de Glory quase brilharam.
— Meu tesouro está aqui? Ele está?! Ohh, faz tanto tempo que não o vejo! Pensei que você já o tivesse devorado, afinal, é isso que as bruxas fazem, não?
— Auugh, Glory como você me dá nos nervos! Fique longe do Marco, ele está perfeitamente bem comigo. Da última vez que nos encontramos, você o sequestrou.
— Ahh, foi só por algumas horinhas... — respondeu Glory. — Faça-me um favor, Wiki! Você é muito ciumenta, nenhum homem gosta de mulher assim, olha que daqui há pouco você vai ficar pra tia, hein? Duvido que vá se casar desse jeito.
Ela ergueu o dedo para reclamar, mas Glory havia mexido em uma ferida muito antiga de Wiki: Casamento.
— Odeio quando você fala disso.
— Wiki, não se preocupe com essas coisas — respondeu Eleanor, colocando a mão em seus ombros e acariciando os cabelos curtinhos da garota conforme lhe dizia palavras reconfortantes. — Sabe, às vezes os homens não percebem quando uma garota perfeita está bem do lado deles... Garotas como, você.
Glory fez uma careta do outro lado.
— Você é...
Eleanor a intimidou com seus braços maiores e o corpo mais definido do que do próprio General.
— Sim eu sou, algum problema?
— Nãoooooo, de maneira alguma, só por curiosidade mesmo! Não posso dizer nada, porque eu e a Wiki costumávamos fazer muito disso quando mais novas. Céus, onde vocês encontram tanta gente estranha pra guilda de vocês?
— Olha só quem fala... — Wiki respondeu, já um pouco impaciente.
Neste mesmo instante, um sino tocou e parecia que as batalhas teriam início. Glory olhou para os lados e franziu o cenho, pois aquele seria o seu momento. Ela e Drinian estariam entrando em cena, mas o problema era que... Onde estava Drinian?
Primia já estava desesperada atrás dele, mas assim que o sinal foi dado o Torterra chegou, vestido em sua armadura completa e com um imenso machado de guerra de dois gumes nas costas. Ele estava com sua máscara de ferro, a proteção melhorada após as refinarias que fizera, e sua perna direita montada sobre uma prótese mecânica feita pelo próprio Vista há algum tempo.
— Drinian! — gritou Primia animada.

 

General examinou o guerreiro atentamente. Ali estava um homem que merecia o respeito de todos os demais. Drinian era manco, perdera a perna ao proteger seu treinador de uma explosão causada pelos Rockets, e mesmo assim, ali estava. Nas quartas de finais da Liga Pokémon.
— How’s your leg? — perguntou Vista.
— Está dando para aguentar o tranco. Só acho que depois do final do torneio precisarei de mais alguns reparos — o homem respondeu com uma risada sincera.
Marco olhou bem para aquela prótese, assustado. Sabia que o mundo era perigoso, mas nunca imaginara como seria sua vida se por ventura ele viesse a perder uma das pernas.
— Dói muito? — Marco perguntou com uma clara expressão de desamparo.
Drinian retirou sua máscara de ferro e sorriu, bagunçando os cabelos do jovem
— Só no começo, mas com o tempo você acostuma, e aprende a conviver com ajuda dos amigos.
Ele olhou para Primia.
— Devo tudo a eles.
Glory teria de deixar sua conversinha agradável com Wiki e Eleanor para juntar-se aos demais na batalha em dupla. Agora era vez deles, e tanto quanto qualquer outro Pokémon, ela esperava sair dali vitoriosa.
— Está pronto, garotão?
— Mais preparado, impossível.
— Senhor, tem certeza disso? — indagou um Bronzong. — Até agora não foi necessário que você participasse das lutas, e garanto que nós podemos dar um jeito! Não precisa ir além de seus limites, senhor. A menos que esteja disposto.
— E eu estou, meu amigo. Eu não poderia ficar sentado vendo-os lutarem por mim, enquanto fico sem fazer nada — respondeu Drinian. — Já fiquei sentado tempo demais. Obrigado por preocupar-se, saiba que também darei meu melhor.
O Bronzong bateu continência e saiu. Drinian praticamente tinha que marchar com sua perna mecânica, e por conta disso Primia e General o auxiliariam a subir as escadas até a arena. Todos os demais membros presentes foram, pois queriam ver o que uma tartaruga manca poderia fazer em um campeonato como a Liga Pokémon. Ele teria alguma chance?

Lá estavam eles, para mais uma batalha. Glory foi aplaudida por alguns amantes e outros homens que já fizera parte de sua vidinha, e na sequência vieram um Lickilicky e uma Espeon, que participariam da batalha. O Staraptor e o Gyarados da Red Fortress também entraram, e todos já estavam ansiosos para vê-los combater mais uma vez. Porém, quando Drinian entrou, parecia que o silêncio tomou o coração de todos.
Aquela seria a primeira batalha dele na Liga. Drinian estivera afastado por muito tempo, cuidando de sua ferida que jamais cicatrizaria. Ao verem sua perna mecânica ficaram assustados, constrangidos, pasmos. Drinian não ligava, continuou andando como pôde. Despediu-se de Primia com um beijo suave e preparou-se para entrar.
— Por favor, não se machuque — rogou Primia.
— Isso é uma ordem? — ele perguntou com uma risada discreta.
— Sim, é uma ordem.
— Então você não se desapontará.
General sentou-se na ala VIP da Red Fortress junto de Glaciallis, disposto a estudar os movimentos de Drinian para dar uma resposta à Aerus. Wiki, Marco, Vista e Eleanor também estava ansiosos para ver do que Glory era capaz, então ela teria duas vezes mais motivos para chamar atenção.
Drinian parou ao lado dela. A Blissey estava de braços cruzados numa pose sedutora. Ao ver-se longe de todos, lançou um olhar de relance para os músculos do homem e sorriu. Assim que os locutores do evento começaram a apresentar os participantes, Glory puxou conversa.
— Você ficou bonito, garotão.
Drinian olhou para ela e agradeceu o elogio com um aceno.
— O que me diz de mais tarde colocarmos essas pernas para trabalharem? — perguntou Glory.
O homem respirou fundo e voltou a olhar para frente.
— Desculpe-me, senhorita Glory, mas eu já sou comprometido com uma mulher que amo de verdade... Desculpe mesmo.
Glory recuou, mas não estava furiosa com aquilo, parecia apenas espantada.
— Nossa, esse foi o fora mais fofo que eu já levei, e olha que já levei muito fora de homem, acredite — ela respondeu, dando um tapa na bunda de Drinian que até ajeitou a postura. — Nós vamos nos dar muito bem nessa luta, garotão.
No momento em que as guildas foram se cumprimentar, Glory responsabilizou-se por ajudar Drinian a caminhar até o centro da arena onde um Tropius e um Snorlax já os aguardavam.
— O que foi? Vai demorar muito ainda? Parece que já estamos há horas aqui! — gritou o Tropius, como se esperasse agilizar o passo do Torterra aleijado.
— Woaah... Acho que vou até dormir aqui. Me acorde quando ele chegar, amigão — respondeu o Snorlax com a mesma ironia.
Glory rangeu os dentes ao ouvir aquilo. Não falavam dela, nem de seus amigos e nem de sua guilda. Mas, naquela ocasião em especial, sentira pena de Drinian.
— Que bando idiotas — resmungou Glory. — Tem homem que por mais bonitinho que seja, quando abre a boca só sai merda. Esses dois nem bêbada eu pegava.
— Não se preocupe, Glory — respondeu Drinian procurando manter a maior calma possível.
— Não se preocupe?! — ela repetiu, tentando respirar fundo. — Sorte que não foi comigo, ou eu tinha enfiado os dentes deles pela goela. Aguente firme, garotão, esses dois idiotas vão ver quando a luta chegar.
Os dois times se cumprimentaram, e o tempo todo era possível ouvir as guildas rivais fazerem gracinha e falar deles pelas costas. Glory não ligava muito que falassem dela, mas por algum motivo sentia-se extremamente constrangida quando falavam de seu companheiro.
— Como você consegue?
— Consegue o que?
— Manter-se tão calmo! Com esse seu tamanho e um machado duas vezes maior eu teria de me segurar para não rachar ao meio o crânio desses caras.
— Eu tento não ligar — explicou Drinian. — Por que eles não me importam.
— O que quer dizer com isso?
— Se as pessoas que eu gosto me aceitam do jeito que eu sou, então eu me torno melhor por elas. A Primia me aceita assim, meus amigos me aceitam assim — ele olhou para longe. — O resto não importa.
A luta começou e as disputas tiveram um ritmo intenso. A Red Fortess começou se saindo muito bem, enquanto a Pink Anarchy mostrava que apesar de não terem nenhuma regra eram donos de um estilo único capaz de surpreender qualquer adversário. Perséfone, a Espeon, foi responsável por derrubar um Crobat, enquanto o Gyarados arrastou um Hippowdon para as profundezas.
General observava tudo com atenção.
— Eles são bons — disse Chaud, logo ao seu lado.
— De fato — assentiu o militar. — Teremos uma grande dificuldade se pegarmos qualquer um dos dois, logo, em qualquer situação é bom estamos preparados.
Chaud encarou atentamente Drinian que estava sentado, aguardando a sua vez.
— Ele me preocupa — afirmou o ferreiro.
General olhou para Chaud com um olhar desconfiado.
— Parece que você leu meus pensamentos — respondeu o fantasma. — Apesar de Drinian ainda ser jovem, ele ainda é como uma incógnita em minha mente.  Aquela perna mecânica o limita, e ainda assim, sinto que ele tem... algo muito intenso dentro dele. Uma vontade por lutar, vontade para proteger aqueles que ama e sempre dar o seu melhor. Nunca desistindo. Imagino como ele seria se tivesse as duas pernas.
Chaud colocou a mão no ombro de General e falou:
— E esses não são nada fáceis de derrubar.
Glory entrou em cena como o tanque de guerra de sua equipe. Com seus golpes e poderes defensivos, nada parecia derrubá-la. Quando ela entrou em campo foi capaz de destruir sozinha três dos oponentes, o que lhe rendia aplausos e ainda mais fãs fervorosos.
— Rapazes, estão todos convidados para irem à minha cabine mais tarde quando eu vencer, okay? Comida e sexo por conta da casa! ♥ — ela gritava ao longe, e todos a aplaudiam contentes.
— Ahh, Glory, Glory... Essa mulher nunca sossega, sempre atrás de homens — comentou Wiki.
— Que mau gosto horrível. Um desperdício, pra falar a verdade — continuou Eleanor.
— Mulheres também!! — gritou Glory. — Estão todas convidadas para a minha festinha depois da vitória!
— Agora isso está começando a ficar interessante — comentou Eleanor.
Porém, assim que Glory se distraiu do combate, seus oponentes aproveitaram a oportunidade para nocautearem o Staraptor da Red Fortress. O Snorlax veio para cima dela com todo seu peso através do Body Slam, esmagando-a no chão. Wiki levantou-se no mesmo instante.
— G-Glory! — gritou ela, preocupada.
Drinian percebeu que sua mão estava automaticamente no machado. Ele estava pronto para entrar. Antes de assumir sua posição, correu em direção de seu Staraptor que saía da luta deitado em uma maca.
— Chefe, eles são fortes, m-muito fortes... Não consegui vencer.
— Descanse, companheiro. Você fez tudo que pôde — respondeu Drinian.
O Snorlax saiu rindo de cima de Glory onde a mulher estava no chão, quase inconsciente. Aquilo a machucara muito, e o Tropius revidou no mesmo instante lançando um vento cortante que começou a acertá-la e machucar ainda mais. Glory tentava se proteger com os braços, mas estava caída e lutando sozinha contra os dois.
— O que houve, mulher? Você não estava até agora se gabando e convidando todos para sua festinha? Vamos lá, por que não me convida também? Eu posso te servir algumas bananas da minha plantação — disse o Tropius.
— Minha nossa, essa foi péssima. Quase vomitei aqui — ela respondeu com uma risada. — Foi mal, mas não como comida estragada.
O guerreiro não gostou nada do que ouviu, e pisou com ainda mais força no rosto de Glory. A mulher praguejou enquanto tentava suportar a dor, mas seus níveis de ataques eram limitados e ela nada podia fazer quanto lutava sozinha. Glory precisava de apoio.
O Snorlax preparava-se para outra investida, aproveitando aquela humilhação contra a Pinky Anarchy.
— Ei, mulher, onde está toda aquela sua ousadia? Ohh, parece que desapareceu agora que você está caída no chão feito lixo. Mulheres vulgares como vocês não servem nem para isso, deveriam desaparecer desse planeta.
Quando o Snorlax preparou-se para dar outro golpe no rosto de Glory, algo segurou sua perna e o impediu de finalizar o serviço. A mulher abriu os olhos com dificuldade e viu Drinian ali, com um pequeno atraso por conta da perna, mas firme e forte. O Snorlax arregalou os olhos ao vê-lo contendo seu chute como se fosse uma simples bola de futebol.
— Não importa o quão vulgar a mulher seja, ainda é uma mulher — respondeu Drinian. — E elas devem ser tratadas com respeito.
O homem empurrou o Snorlax com tanta força para longe que nem seu parceiro Tropius acreditou que um peso daqueles podia ser levantado.
— O líder da Red Fortress chegou — disse o Tropius.
Drinian ergueu o indicador para reclamar.
— Líder, não. Sub-administrador. A líder de verdade dessa guilda é mil vezes pior — respondeu Drinian, olhando em direção de Primia, esperançoso.
— Não tem vergonha de aparecer aqui e nos enfrentar só com uma perna, hm? Isso é uma afronta à minha honra! Acha que confiarão em minha capacidade quando verem que derrotei uma tartaruga manca como você?
— Não sei — respondeu Drinian. — Só sei que ficarão bem decepcionados se souberem que vocês dois perderam para uma.
Drinian sacou seu machado e mergulhou-o com tanta força contra o Tropius que o guerreiro sentiu sua armadura de folhas ser cortada e sua pele ser rasgada como se fosse sulfite. Ele caiu no chão, agoniando. Drinian esticou a mão para Glory levantar-se, e a mulher lhe retribuiu o gesto.
— Essa perna manca tem mais força do que muito homem com as duas juntas — brincou Glory.
— A gente aprende a fortalecer um lado quando o outro precisa.
O Tropius e o Snorlax se recuperavam, completamente atordoados do susto.
— S-Seu aleijado desprezível! Como os humanos podem aceitar uma aberração como você no torneio? Deveriam ser expulsos!
— Ei — Glory estendeu-lhe o dedo. — Se falar desse jeito novamente, eu vou...
— Vai o que? Me denunciar? — o sujeito caçoou. — Falo apenas o que vejo! Drinian, você nem merecia estar aqui.
Glory sentia suas veias pulsarem, e àquela altura até mesmo Wiki e Eleanor estavam quase saindo de suas cadeiras para acabarem com aqueles enxeridos. General ouvia tudo com atenção, esperando o próximo passo. Drinian segurou no ombro de Glory, e embora estivesse com o rosto coberto pela máscara, era claro que ele sorria.
— Proteja-se.
— O quê? — ela contestou. — Apenas ficar na retaguarda?!
— Proteja-se.
Glory sabia que seria o mais sensato, e por conta disso utilizou o Protect em si mesma. Nesse instante, Drinian guardou seu machado e ergueu os dois punhos, socando o chão com tanta força que toda a estrutura da Liga Pokémon estremeceu. O terremoto atingira toda a arena, aqueles que assistiam se levantaram atônitos e até mesmo os locutores se remexeram, preocupados. Objetos caíram, paredes racharam e uma enorme fenda abriu-se no chão acertando o Snorlax de tal maneira que ele dormiria por alguns anos antes de acordar.
O Tropius fora ágil em alçar voo com suas asas e fugir do golpe. Ainda remoendo-se pela dor que levara da machadada, ele partiu como um torpedo para cima de Drinian.
— S-Seu aleijadinha de merda, vai pagar por isso!
— Drinian! — gritou Glory. — Thunder Wave!
A mulher esticou um dos braços e liberou uma ligeira onda elétrica que paralisou o Tropius no ar. Drinian recuperou o fôlego após o Earthquake, retirou o machado das costas e encarou profundamente os olhos de espanto do Tropius, paralisado em sua frente. Os olhos do guerreiro se mexiam de um lado para o outro, sem poder fazer nada.
— Bem, amigo, sua reputação já era.
Ele mergulhou o machado com tamanha força que sua lâmina terminou fincada no peito do oponente que caiu no chão, ensanguentado e delirando. Os médicos foram rápidos em atendê-lo, e uma vez que Glory era enfermeira e com boas noções de cura, ajoelhou-se ao lado dele para dar os primeiros socorros.
           — Estou fazendo isso pelo juramento de minha profissão. Atender sempre, dar o meu melhor para ajudar os outros, não importa quem seja — disse Glory. — Mas se dependesse de mim, eu esperava encontrá-lo no inferno.
          Os olhos do Tropius estavam fixos nela, até que ele relaxou e desmaiou pelo cansaço. Glory voltou-se para Drinian e acenou com o polegar.
— Garotão, você é um colosso — disse ela, contente.
Drinian retribuiu o gesto com a cabeça, e a primeira coisa que fez após conquistar a vitória foi olhar para Primia que segurava suas próprias mãos contra o coração, apertado e cheio de temor naquele instante, mas agora leve após a vitória. Os demais membros da Red Fortress vieram para comemorar a vaga deles garantida nas semifinais, todos festejaram juntos uma vitória bem merecida.
General levantou-se junto de Glaciallis, e o mesmo fizeram Chaud e Al Capone.
— Creio que eles não saibam o que vem a seguir — disse o ferreiro.
— A dupla vencedora se enfrenta... — comentou Al Capone. — Esta foi a melhor sacada, e também a maior punição do torneio neste ano. Lutar contra nossos próprios amigos foi uma experiência horrível.
— Mas eles terão de aprender a lidar — respondeu General. — E um dos dois estará conosco, nas finais, dentro de poucos dias. Vamos voltar para a base, por hoje já é o suficiente.

Wiki, Marco e Vista ficariam aproveitando mais um pouco, afinal, Glory era uma amiga de infância e Wiki tinha de dar algumas parabenizações para sua enfermeira preferida.
— Parabéns, vadia! — elogiou Wiki, batendo palmas. — Pelo visto você sabe alguns truques além de beijar e pegar os homens dos outros.
Glory olhou para ela, mas dessa vez não sentiu raiva porque estava realmente orgulhosa do que conseguira conquistar, nem ela imaginaria que seria capaz.
— Acho que mais tarde deveríamos ir para o quarto juntas, nós três.
— Eu topo — Eleanor confirmou com o polegar.
— This is going to be fun. I will make a hidden camera inside — comentou Vista, já saindo de perto e aprontando alguma coisa.
Marco aproximou-se de Glory, um pouco encabulado e assustado porque já passara por experiências assustadoras com a mulher, mas o jovem parecia disposto a esquecer o passado.
— Hm, ei, Glory... Sua luta foi incrível.
A mulher apoiou-se em seus joelhos para vê-lo mais de perto.
— Obrigada, tesouro. Sabe, de todos os caras que a Wiki já arranjou, você é o mais propenso a casar com ela, sabia? — disse a mulher com um sorriso, fazendo Marco cair para trás de tamanha surpresa. — Só cresce mais um pouquinho, ou com a sua altura você vai ter que falar com os peitos dela!
— Não que isso seja um problema. Ele já se acostumou — Wiki respondeu dando um tapinha de leve no pequeno. — Te adoro, amiga. De verdade. Parabéns por ter chegado até aqui.
— Glory! Meus parabéns pela vitória, estaremos na semifinais! — elogiou Primia da mesma maneira.
— Querida, vai por mim, você tem o cara perfeito do seu lado. Guarde-o sob sete chaves, ou as outras mulheres vão acabar caindo em cima — respondeu Glory com uma risada, esticando a mão para cumprimentá-la. — Sem velhas rivalidades. Estou contente por terem sido meus parceiros.
Primia abraçava Drinian, certificando-se de que ele não estava ferido ou tinha qualquer arranhão que pudesse tê-lo matado se não fosse pela armadura. Ele estava intacto, em perfeito estado. Primia respirou fundo, colocando as mãos na cintura.
— Puxa, você conseguiu mesmo. Entrou inteiro e saiu completo para mim.
Drinian abaixou a cabeça, um pouco encabulado e contente pelo elogio. Todos os seus companheiros comemoravam, até mesmo os que haviam sido derrotados e cooperaram para aquela vitória. Dava orgulho vê-los, era como se a Red Fortress tivesse ganhado sua primeira batalha de ginásio. Eles tinham uma essência tão simples e humilde que os tornava adoráveis ao seu próprio jeito.
Primia deu-lhe outro beijo, segurando sua mão e acenando para dentro com a cabeça.
— Por hoje já chega. Venha, Drinian, vamos entrar. Você é o melhor, meu campeão!

      

{ 9 comments... read them below or Comment }

  1. Eu de boas lendo, e... ELA TÁ GRÁVIDA, MDS *-* AWWWN... Pera, era zuera? CANAAAAAS ;-; Glory veio pra causar treta! Eu odeio ela, mas aqui ela tá até legal *u* Se ela aparecesse de novo, eu queria vê-la mais nessa "personalidade semi-boa" <3 Mas cara, que legaaaal esse cap *-* Mais batalhas, mais rivais fi de quenga... Snorlax gordo granudo from hell ¬¬ MAS FOI ÉPICO.

    E a primeira coisa que eu pensei depois do Earthquake: "FINISH HIM!" xD E eu faria o mesmo: Observaria os inimigos pra contar pro chefão. MAS EU ACREDITEI QUE A GLACIALLIS TAVA MESMO GRÁVIDA ;-; SEU TROLL ;-;

    Aaaaah, as finais <3 Eu tô bem ansiosa, kra <3 Quero ver mais batalhas nesse estilo, com outras guildas, arrasando, com festas, observações... Mas sem trollagens, certo? :3 E A PRIMIA E O DRINIAN SÃO TÃO FOFOS JUNTOS <3 Parecem mesmo o Stan e a Vivi <3 Pelo menos, eu acho :3

    Eu tô ligada no que as três tetudas vão fazer. EU TÔ LIGADA. >:3 E eu acho que o Vista curte, hein? Você tem cara de quem curte, Vista. MAS A ELEANOR VOLTOU <3 Tava com tanta saudades daquela I Kissed a Girl diva <3 Com aqueles óculos daora, aquele visual estiloso... <3 E querendo dar uns pega na Wiki. EU CURTI ISSO, HEIN. >:3 É HORA DE YURI! Ò WikiXVista e WikiXEleanor. Só acho u-u

    SAYO, DA PESSOA QUE QUER FAZER UMA CAMISA DE AVENTURAS EM SINNOH! (Sem zuera)

    ReplyDelete
  2. Fala ai canas ali e o primeiro anônimo no comento no capitulo da festa do ereon ainda não li o capitulo mais eu estava esperando muito ansioso to loko pra le vlw flw

    ReplyDelete
  3. Diga ae, galera! A arte de trollar os leitores é divina kkkkkk Poxa, foi só brincadeira! Nem a gente acredita quando esses personagens sérios como o General acabam brincando, né? kk Eu trabalhei no capítulo de hoje justamente para mostrar como esses outros personagens são divertidos, especialmente a Glory quando ela se junta com a Wiki e a Eleanor. Alguns velhos rostos aparecem, e inimigos daqueles bem desgraçados também, adoro enfiar a cara deles na terra e fazê-los sofrer kkkkkk Escrever é uma dádiva, podemos destruir nossos oponentes e dar um final feliz!

    Show que você compreendeu essa relação do Drinian com a Primia. Vivian e Stanley, justamente isso! Os Pokémons são os personagens, é só forçar um pouco a imaginação e conseguimos ver isso perfeitamente. Será que esses novos casais tem chances de concorrer ao Omascar no fim do ano? kk Wow, uma camiseta do Aventuras em Sinnoh seria uma loucura! Vamos ver se eu consigo trabalhar nisso mais pra frente, na facul tive alguns workshops disso, eu devia ter prestado mais atenção! Eleanor, Wiki e Glory nunca dá certo, né? kkkkkkkkkkkk Valeu pela presença galera, o capítulo de hoje ficou bom dimais da conta como diz meu companheiro Moacyr, e nada melhor do que irmos nos preparando para a última batalha da Liga, só semana que vem! kk See ya.

    ReplyDelete
  4. Perna esquerda mecânica e a direita que tá no desenho, tem q ver issai

    ReplyDelete
  5. Já ajeitei, companheiro. Cara, eu sempre troco acidentalmente, é a cicatriz no Al Capone, perna do Drinian, o tapa olho do General kk Pior que eu ainda volto, confiro, e escrevo errado do mesmo jeito kkkkkkkkk Estou precisando seriamente descansar a cabeça por um tempo...

    ReplyDelete
  6. Rapaz, o Drinian só não aprendeu ainda a usar essa perna mecânica. Deixa ele se acostumar por completo, e em breve vai estar disparando chutes letais com ela! Sim, se uma coisa dessas pegar na cabeça... Já era!

    Ah cara, essa velha história de pegar rivais antipáticos e estabelecer uma amizade no fim da história, isso não cansa! Eu tinha uma implicância com a Glory e o Conde, mas agora já são personagens que eu aprendi a gostar. Tudo bem, entre a primeira aparição deles e a Liga Pokémon foi uma mudança extrema, mas mesmo assim não é tão fácil mudar a primeira impressão que a gente tem de algo (ainda mais de negativo para positivo - o inverso é até fácil, kkkkk).

    Você sequer precisou mostrar essa semifinal. Tudo bem que a Clarice é forte, e tem ligações passadas com o Luke, mas o Stanley é O rival, cara! Vê-lo de fora assim seria completamente impensável. E nessa final veremos a batalha que eu sempre tive vontade de ver por essas bandas. Luke vs Stanley! Eu sei que você não planeja trabalhar com a Batalha da Fronteira de Sinnoh, mas ainda assim podemos assumir que o Stanley é filho do Palmer? Porque se for fica legal analisar uma batalha entre os filhos de dois grandes treinadores.

    Bom cara, agora resta descobrir o que você aprontou para esta final. Quero ver hein! Você sabe como eu sou exigente, e esta é uma batalha que tem que superar tudo que você fez até hoje! Vamos lá cara, como disse a sua diva Fantina naquele último Contest, "me surpreenda"!

    ReplyDelete
  7. Diga ae, Shadow! A brincadeira é justamente essa, o próprio General comenta que se esse cara fez esse estrago com uma perna manca, imagina como seria se tivesse duas kk Mais para frente essa perna também poderia se tornar um instrumento de batalha, mas por enquanto vamos deixá-lo ir se adaptando e ver o que ele consegue fazer mesmo com essas limitações. Aposto que se o Drinian tivesse mais tempo poderia ser um dos personagens mais poderosos da Liga.

    Eu detesto terminar minhas histórias com algo faltando cara. Se tem uma velha inimizade, o fato de nunca terminá-la me atormentaria para sempre, é como se eu tivesse sido o causador das implicâncias! Poxa, e não tem como existir alguém realmente mal. O Lúcio pode ser arrogante e intolerante, mas ele tem seus motivos. A Clarisse pode ser uma bruxa, mas ela também pode ser uma garota adorável. Devo admitir cara, eu também aprendi a gostar desses antagonistas. Conde, Glory... Todos são personagens que eu sentirei muita falta daqui para frente. Ainda nessa semana trarei um Support que vai encerrar a aparição deles, como uma despedida. É triste imaginar que aos poucos os personagens vão nos deixando, e temos de lidar com o fato de precisarmos nos despedir deles...

    Realmente não mostrarei a semifinal, mas já dá para entender como acontecerá. O Drinian e a Glory trabalharam tão bem juntos que eu detestaria ter de fazê-los serem inimigos de novo. Luke VS Stanley é uma promessa antiga, e pode ter certeza que valerá a pena. Eu farei sim o Palmer ser pai do Stanley, e estou inclusive pensando em uma ligeira aparição especial dele para quem sabe algum dia pensarmos sobre esse assunto da Battle Frontier, quem sabe em outras histórias? Valeu pela força cara, farei o possível para trazer finais dignas desse torneio, mas não se esqueça meu caro: A Liga Pokémon era só o preparo. A guerra de verdade ainda nem começou kkk Abração ae, campeão!

    ReplyDelete
  8. Mano, gostei tanto de que tivesse esse cap <3 Mesmo que o foco seja a Fire Tales (e meu coração está lá, claro), é bom ver como a Red Fortress está se saindo, afinal, como é falado em algum ponto, meio que a gente viu essa guilda nascendo (sem falar que, Stan e Vivian são amor <3 )
    Mas gente, deu pena do Drinian, já tem um bom tempo que ele está com essa perna mecânica e ainda não se acostumou? D: (e achei muito legal como não precisou disso pra ele dar a devida lição nessas pestes HÁ!) Glory.... Realmente não gostei dela e-e Mas, claro, isso não justifica a maneira como os adversários quiseram ridicularizá-la. BEM FEITO, APANHARAM DA TARTARUGA MANCA QUE TANTO ZOARAM U-U Btw, ele dizendo que não se importava pois quem ele amava o aceitava assim, nhá <3 Drinian, seu fofo <3 E, no final das contas.... Até que a Glory não é de todo o mal. Não mesmo.
    Bem, e agora, um confronto prometido desde os primórdios da história.... (e um lado meu realmente queria que tivesse uma maneira de ambos conseguirem vencer, Stan e sua equipe são tão amorzinhos.... mas, fazer o quê, né?)

    ReplyDelete
  9. Cara, essa Primia tão fofa *-* Ela tem um jeitinho simpático e cativante, o que a torna uma moça muito divertida. O Drinian tem sorte! kkkkkk E é tão bom rever a Eleanor! Ela é uma das personagens favoritas de muita gente, inclusive minhas (embora eu seja meio suspeito por gostar dela, já que a imagino com uma voz de Katy Perry cantando I Kissed a Girl Huaheuaheuahe). Já pensou se conseguissemos fazer uma interligação com ela em Kalos, cara? Já tenho umas ideias em mente, depois podemos trocar uma ideia sobre XD

    Tive que rir novamente com o General falando que a Glaciallis estava grávida Kkkkkkkkkkkkkk E apesar de parte das pessoas possivelmente odiar a Glory, eu adoro ela (Aliás, quem não gostaria de uma Blissey dessas? ♥_♥ qq). Acabei rindo de imaginar ela batendo na bunda do Drinian, que é todo reservado kkkkkkkk E "posso te servir algumas bananas" foi uma bela piada pra um Tropius UAHEUAHEUAHEUAHUE Enfim, como eu dizia sobre a Glory, com essa batalha ela apenas ganhou mais o meu respeito! Parece que ela sabe ser séria quando precisa kkkkk E a amizade de tapas e beijos dela com a Wiki é ótima (principalmente quando tem uma Eleanor no meio kkkkk)

    Ver o Drinian contra os Fire Tales vai ser épico. Ele já provou que é FODA! Com ou sem uma perna, ele consegue ter uma força incrível. Vamos ver o que você nos reservou para a final de Liga!!

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -