Posted by : CanasOminous Jan 3, 2014

Quando as Lendas se Reúnem


Luke Wallers dava uma pequena festa em seu camarim particular, afinal, todos os participantes da mais consagrados da Liga tinham um. Com motivos de sobra para comemorar, sua posição no TOP 8 já estava garantida e restavam poucas batalhas para que o título estivesse ao seu alcance. Mal tinha percebido quando deixara de ser apenas um treinador normal para tornar-se um dos melhores e mais famosos nomes de toda a Sinnoh. Podia ouvi-lo por toda a parte. O tempo todo.
Todos os treinadores tinham recebido um aposento com o seu nome estampado em uma estrela de prata e letras douradas. O dele brilhava intensamente bem no centro da porta: WALLERS, Luke. Os organizadores do evento nem tiveram o contratempo de mandar que fossem feitas novas letras, pois Luke fora deixado na mesma sala que seu pai um dia frequentou há mais de duas década.
Walter Wallers. Não importava quanto tempo passasse, aquele nome jamais seria esquecido.
Lukas olhou para o papel em sua mão para certificar-se de que aquele era mesmo o local. Ouvia o som de música alta e muita gritaria. Deu duas batidas na porta, e foi atendido por uma garçonete vestida de empregada e muito barulho. O jovem recuou a mão e colocou a outra no bolso, extremamente acanhado.
— Opa, mil perdões... Acho que bati na sala errada.
— Luke Wallers? É você? — indagou a mulher com certo ar de desconfiança.
— Hm, eu sou o Lukas. O irmão dele.
Ela voltou a sorrir como se fosse contratada para aquilo e apontou em direção da porta.
— Então é aqui mesmo. Sua presença é muito bem vinda, jovem Lukas, você também faz parte da festa! Venha, seu irmão e amigos estão no seu aguardo.
Lukas entrou ainda meio acanhado sem entender o motivo de tanta festa e pessoas. A cabine de Luke parecia estranhamente mais movimentada e agitada do que a dele, seu irmão dissera que iria chamar alguns amigos para comemorar o fato de todos eles terem passado para a próxima fase, mas Lukas só não imaginava que seriam tantos. Lá estava Stanley garantindo sua posição e até mesmo Vivian Chevalier viera para a comemoração.
O jovem chegou até a rir quando avistou Luke sentado, com os braços esticados em cima da poltrona e uma garota desconhecida sentada no colo de seu irmão. Ele aguardava a chegada de seu irmão como um poderoso chefão de máfia, cercado de seus fiéis súditos e bajuladores.
Luke levantou-se e desceu os degraus mais baixos do gabinete como se voltasse a ser parte do topo da sociedade.
— Olha só quem chegou. A festa de verdade começa agora! — disse Luke, animado.
Lukas olhou para os lados, desconfiado.
— Uow, o que está acontecendo aqui? Pensei que seria só uma reunião de amigos.
— E é, mas você sabe como funcionam a fama, ela sempre traz alguns bônus a mais. O tio Glenn fez questão de mandar algumas amigas deles pra cá, ele só não liberou bebidas porque todo mundo é menor de idade, e para ser bem sincero, não sou nem um pouco chegado nessas coisas — respondeu Luke com uma risada, dando um forte abraço no irmão. — Essa festa só fica completa contigo cara, até porque você também saiu vitorioso nessa.
 Lukas olhou ao redor, e por mais que preferisse uma festa mais íntima com seus amigos de verdade, estava contente por ver que também era merecedor daquela conquista. Vivian quase pulou em seu colo de tão feliz que estava com a vitória do amigo, e mesmo que tentasse esconder a raiva pelo fato dele na verdade ser um coordenador e não um treinador, ela sabia que aquilo traria ainda mais notoriedade para sua carreira.
— Certo, Lukinhas, por mais que os coordenadores não sejam tão reconhecidos quanto os treinadores em outras regiões do Mundo Pokémon, o fato de você participar da Liga trará uma nova visão de todas as pessoas do mundo para aquilo que esperamos mostrar! Eu queria muito assistir as suas batalhas, mas eu só consegui chegar agora — disse a ruiva. — Não vou perder nenhuma a partir de agora, tá bem?
— Você perdeu um espetáculo fantástico então — respondeu Stanley com uma risada. — Além de sair vitorioso, todos já estão falando da graciosidade e habilidade com que nosso amigo Lukas arquiva cada conquista.
— Característica típica dos Coordenadores — disse Luke, brindando um coquetel sem álcool com o irmão.
Lukas não escondia que sempre ficava sem graça em meio a tantos elogios.
 — Admito que foi um grande equívoco eu entrar na Liga Pokémon, mas aqui estou... E não escondo a felicidade de também ver todos vocês!
Stanley coçou a cabeça de maneira pensativa.
— Está sendo bem difícil, a Liga é mais intensa do que eu esperava... — admitiu o loiro.
— Mas está sendo foda, muito, muito foda!! — Vivian dizia contente. — Só cheguei agora, e já estou começando a gostar. Depois de tanto tempo, nós cinco estamos aqui reunidos mais uma vez! Com bolo, doces, comida e refrigerante de grátiiiis!
— E mulheres, muitas mulheres — Luke olhava para as moças que passavam vestidas de garçonetes que o encantavam.
Lukas reparou em seu olhar e deu-lhe uma cutucada com o cotovelo.
— Estou de olho em você. Falando nisso, onde está a Dawn? — perguntou seu irmão.
— Eu sei lá, deve estar com a Paulinha e a Cynthia. Ainda não tive sinal delas, mas eu as chamei. Chamei todo mundo na verdade, nossa família sempre foi conhecida pelas festas, e toda a imprensa está agitada com o regresso dos filhos do campeão!
— Verdadeiras lendas estão no jogo esse ano — continuou Stanley. — Ainda que apenas um consiga sair vencedor... Será que nossos próximos desafios serão ainda mais difíceis?
Todos ouviram o som da campainha, e Luke observou uma das garçonetes irem atender a porta.
Seus olhos se arregalaram ao ver os dois convidados que acabavam de chegar. O rapaz levantou-se num salto, e todos seus amigos fizeram o mesmo, espantados com aquela visita repentina. Um líder de ginásio e um dos famosos Stats Trainers. Volkner e Riley haviam acabado de chegar para a festa, mantinham aquela feição séria e charmosa arrancando suspiros de todas as garotas que agora sim começariam a curtir mais aquela festinha.
A voz de Luke continuava trêmula, o jovem mal tinha falas.
— Que festa de grande pompa, não? — admitiu Riley com um sorriso. — Pelo visto sua reputação não se perdeu nos últimos meses, ela só tendeu a crescer.
— Nos encontramos de novo, garoto... — disse Volkner. — Eu não poderia esperar menos, eu tinha certeza de que ainda viríamos a nos encontrar na Liga.
O indicador de Luke ia de Riley para Volkner, de Volkner para Riley. Aqueles dois treinadores foram os maiores rivais que tivera em sua jornada, e agora, temia o fato de um deles poderia ser seu inimigo na próxima fase.
— N-Não acredito que são vocês dois mesmo... — ele falou. — Eu vi seus nomes de relance na tabela antes da batalha de ontem, mas não botei fé de que realmente fossem vocês.
Luke emitiu um som em tom de intimidação, como se quisesse provar que aguentava o que viesse. Luke gabava-se de suas conquistas e de toda a glória que colocavam diante de seu ego. Ele logo continuou:
— Tch, era praticamente questão de honra chegar até aqui e mostrar para vocês como consegui melhorar. Os últimos Seis Meses me mudaram muito, sou um treinador renovado.
— Mas não contou que teria de nos enfrentar de novo, correto? — brincou Riley.
— É melhor torcer para que não sejamos os próximos, acredite, nós também treinamos — respondeu Volkner já pegando uma das bebidas que eram servidas e ficando de olho nas garçonetes que passavam.
Riley olhou para os demais.
— E principalmente, Lukas Wallers! Este sim me surpreendeu por chegar até aqui. Você não era coordenador, meu jovem?
— Eu sou sim, senhor Riley, mas... Digamos que houve um pequeno incidente, e também não deixei de treinar muito nos últimos Seis Meses. Estou tão capacitado quanto qualquer um, ainda que não seja de um nível tão intenso quanto o de vocês.
— Discreto como sempre, — admitiu Riley, falando baixinho mais próximo do garoto — e para ser bem sincero, tenho mais medo de enfrentar você do que seu irmão. Guarde isso em segredo.
Stanley até ficava apagado diante de tantas celebridades, mas tanto ele quanto Vivian estavam encantados por verem que, no fim das contas, os Irmãos Wallers fizeram amizade com líderes do povo e gente tão famosa. Eles realmente faziam jus à reputação que haviam construído.
— Estou louco para te encher de porrada na próxima fase, quero ter aquela revanche que você espera, mas sem empates dessa vez — disse Luke em direção do líder elétrico.
— Empate? Eu consideraria mais uma vitória para os dois lados, mas é impossível que haja dois campeões na liderança, então dessa vez apenas um conseguirá o que quer — explicou-lhe Volkner. — Serei bem sincero, vim até aqui só para me divertir, mas não medirei forças se eu tiver de derrubar. Quero ver se essa molecada é digna de comandar a minha região.
Luke Wallers já fervilhava de ideias quando pensava em sua vitória.
— Opa, depois que eu ganhar a Liga, vocês vão tudo conhecer o melhor campeão de todos os tempos! Os fins de semana vão durar cinco dias e os bebedouros da escola começarão a soltar groselha ao invés de água! Eu vou revolucionar o mundo, fiquem só olhando.
— Por Arceus... — Riley não escondeu a risada.
Todos riam e conversavam por bastante tempo. A festa continuou rolando, e tanto Volkner quanto Riley tiveram a oportunidade de descansar um pouco antes de mais uma luta intensa que estava por vir. De repente, todos foram surpreendidos quando os auto falantes da sala e os monitores LCD de televisão ligaram sozinhos, estando prestes a realizar um anúncio.
As garçonetes desligaram o som alto e se posicionaram, como se já soubessem do que se tratava. Os convidados se entreolharam confusos.
— O que é isso agora? Teremos um showzinho particular? Não fui eu que pedi — admitiu Luke.
— Jovens treinadores, temos um grande anúncio a ser feito — disse uma das garçonetes. — Todo ano trazemos surpresas aos participantes que sempre são surpreendidos pelas novas mecânicas aplicadas na Liga Pokémon e dessa vez, teremos uma em especial...
Todas as garotas ergueram as vozes e falaram ao mesmo tempo:
— Batalhas em Dupla!
Luke colocou o braço em volta do pescoço do irmão de maneira automática.
— Cada participante poderá escolher um companheiro — explicou a garçonete loira. — Sim, exatamente, vocês terão direito de escolha!
— Ahh, moleque! Os Irmãos Wallers juntos, batalhando na Liga, detonando tudo e conquistando o mundo! Caracoles, quantos episódios eu esperei para ler isso? Nós dois como uma dupla, agora nada poderá nos impedir!! — dizia Luke empolgadíssimo.
Stanley estava para sugerir uma parceria com seu velho amigo, mas percebeu que ficaria de fora antes mesmo de falar. Luke colocou o braço em seu ombro enquanto bagunçava todo aquele penteado engomado do amigo.
— Ahh, qual é cara! Eu faria com você, mas não posso perder a oportunidade de fazer par com meu irmãozinho aqui. E tem mais, fiquei sabendo que a Clarisse também passou de fase, por que vocês dois não tentam...
— Nem pense nisso — respondeu Stanley já tomando posição e indo em direção da porta. — Ou alguém aqui arranca meu fígado com os dentes...
— Que bom que você sabe, loiro. Te treinei certinho — respondeu Vivian acariciando a cabeça do jovem.
Stanley pegou sua mochilinha e preparou-se para ir embora junto de Vivian, afinal, depois daquele anúncio os Irmãos Wallers teriam algumas táticas a bolar em particular.
— Vejo vocês mais tarde, vou procurar alguém que ainda esteja disponível antes que seja tarde! — disse Stanley.
— Vai na paz, amigão! 
Vivian foi junto de seu companheiro, e por mais que sonhasse em ser a sua dupla, precisaria se contentar em torcer. Luke e Lukas estavam tão animados e empolgados com aquela notícia que se esqueceram que a Liga sempre teimava em preparar uma surpresa após a outra, e aquilo certamente traria problemas mais tarde.
Riley e Volkner continuavam em silêncio, mas tinham um sorriso discreto e pensamentos compartilhados.
— Batalhas em dupla, interessante... — comentou Riley. — Por que não faziam nada do tipo em nosso tempo?
— Acho que eles tinham medo de que juntos destruíssemos a Liga inteira — falou Volkner com uma risada. — Nossa, e quanto tempo tive que esperar para lutar mais uma vez ao seu lado, amigo?
— Pois bem, a espera terminou — correspondeu Riley, ajeitando o chapéu na cabeça.
Os Irmãos Wallers se consideravam uma equipe poderosa, era óbvio que eles lutariam juntos, mas os jovens tinham se esquecido que do outro lado teriam Volkner e Riley como dois dos treinadores mais poderosos da temporada passada.
— Estamos de saída, meus caros. Continuem com a festa, mas não se esqueçam dos treinos — disse Riley.
— Pode ser que a próxima batalha seja mais difícil do que imaginam — continuou Volkner fazendo um aceno de costas.
Quando a ficha caiu, somente então Luke comentou.
— Cara... É minha impressão, ou aqueles dois formaram uma dupla?
— Acho que o Riley e o Volkner serão nossos adversários. Só acho — respondeu Lukas de maneira irônica.
— O líder mais poderoso da região, e um dos veteranos mais experientes que já existiu.
Os dois se entreolharam.
— É. Estamos ferrados.
— Não diga essas palavras de baixo calão, Luke... Mas, nisso você tem razão, nós estamos encrencados.

• • •

As duplas haviam sido estabelecidas, e na manhã seguinte, os desafiantes foram sorteados. Luke e Lukas até fizeram uma careta quando viram que, de fato, Riley e Volkner seriam uma dupla, e para piorar, eram seus próximos adversários. Não tinha como esperar outro resultado, o mundo todo esperava por aquela batalha.
Stanley realmente fizera equipe com Clarisse, Vivian tivera de ceder, afinal, podia-se esperar que os dois tivessem certa sincronia por já se conhecerem no passado. Os demais componentes não era conhecidos seus.
A tensão de Luke se concentrava em Volkner, um dos poucos homens que havia conseguido encurralá-lo em uma luta. Ele e seu irmão conversavam enquanto jaziam sentados na banqueta do estágio, esperando que seus nomes fossem chamados.
— Cara, até hoje tenho um histórico de sei lá quantas vitórias, apenas uma derrota, e um empate.
— Contou todas as suas batalhas? — brincou Lukas.
— Pior que contei, só não falo quantas eu venci para você não ficar encabulado — seu irmão riu. — Perdi para nosso bom pai, e empatei com o Volkner. Será que estamos no nível desses caras?
— Vamos lá, Luke. Você treinou seis meses para ser o melhor, e você mesmo disse que entrou nessa Liga para ganhar, não tem uma segunda opção. Eu garanto que serei o melhor companheiro para você, um estrategista melhor até mesmo do que o próprio Riley.
— Não duvido disso, meu amigo — ele colocou a mão em seu ombro. — Na realidade não duvido de nada, vamos entrar lá e acabar com esses dois.
A multidão gritava, quando em suas vidas puderam imaginar que a Liga traria uma batalha como aquela? Cynthia quase saltou de sua cadeira ao ver aquilo.
— Batalhas em dupla? — indagou Dawn. — Os Irmãos Wallers estão juntos?!!
— O Volkner e o Riley? Eles formaram uma equipe?! Minha nossa, não vejo esses dois juntos desde quando eu me tornei campeã! — disse Cynthia.
— O que está querendo dizer? — perguntou a menina.
— Eles eram do meu tempo, — falou a loira— eles lutaram na Liga comigo.
Luke e Lukas tinham de manter a confiança. Não poderiam se deixar levar pela reputação de seus adversários. De boina marcante e de postura tão característica, parecia que os organizadores da Liga tinham feito aquilo somente para eles. A Dusk Ball e Nest Ball já estavam preparadas em suas mãos, as duas pokébolas que começaram sua jornada também seriam decisivas naquela fase.
As regras seriam simples: Três Pokémons para cada treinador. Seis no total.
— Quatro lendas reunidas... — continuou Volkner. — Será que esse estágio vai aguentar?
— É melhor eles se prepararem, porque vamos dar um belo de um prejuízo — respondeu Luke.
— Não espere que peguemos leve com você, Luke Wallers. Nosso tempo como treinadores já passou, mas se não puder nos derrotar, jamais será capaz de ser um campeão merecedor de tal cargo, e nossa boa Sinnoh carece de mentes novas dispostas a lutar por algo maior — disse Riley. — Está preparado?
— Mais do que nunca — assentiu Luke. — Companheiros, essa batalha entrará para a história!

Pokémons P.O.V. (Point of View)

Pouco antes da batalha de fato começar, a Fire Tales tivera alguns instantes de confraternização para reunir os dois lados que até então vinham lutando com objetivos diferentes no torneio. Aerus estava muito feliz por ver que seu irmãozinho vinha se destacando, mas já fazia muito tempo que não lutava ao seu lado, como uma equipe.
— Bola de Pelos, chega mais!!
O dragão não conseguia acreditar que Watt crescera tanto nos últimos meses. Ele estava diferente, mais amadurecido, mais homem. Aerus sentia muito orgulho de tê-lo consigo e não escondia tal felicidade.
— Caracoles, irmão... Sem a sua presença do meu lado parece que tá faltando um braço! Diga aí, preparado para soltar umas faíscas e deixar todo mundo de queixo caído? Quero ver uma tempestade explodindo e trovões fazendo todos temerem você!
— C-Calma, irmão... Uma coisa de cada vez — desculpava-se o esquilo.
Aerus sentou-se ao lado de Watt enquanto bagunçava seus cabelos e o prendia entre os braços.
— Eu estava no medão de ter que te enfrentar, mas cara, nós dois lutando um do lado do outro, como uma dupla! É isso mesmo, produção?
— Esta certamente será uma batalha histórica — comentou Mikau do outro lado, preparando seus projéteis. — São tantas possibilidades de equipe que fica até difícil ter de escolher apenas 3 de cada lado para participar.
— Nem esquenta, eu já me decidi também — respondeu Aerus. — Já ganhei do Fenrir e quase detonei o Tesla uma vez, então não vou poupar esforços para derrubar esses dois novamente, sem contar que dessa vez levamos vantagem, afinal...
Aerus riu malignamente.
— A Fire Tales... Está completa.
Nem todos os membros estavam reunidos ali naquele exato momento, outros se perdiam em conversas após rever os velhos amigos e conhecidos, ainda que mantivessem os olhos bem abertos para a batalha que estaria para começar. Faltavam poucos minutos para que a equipe selecionada fizesse sua entrada na arena, e pouco antes uma das portas principais foram abertas trazendo ali a figura suntuosa de um cavaleiro dourado acompanhado de um fiel caçador.
Todos tiveram sua atenção voltada para aquele ocorrido, o silêncio prevaleceu.
Era um guerreiro de armadura completa, cabelos loiros e olhar encantado que esbanjava charme. Era difícil não olhar fixadamente para seus olhos, era de uma perfeição que nem mesmo os mais atentos conseguiam achar defeito. Em um de seus braços carregava um elmo de ferro, suas duas asas erguiam-se como se fossem sua capa. O sujeito arrancou suspiros de Wiki e algumas outras garotas. Ele tinha o respeito daqueles que não o conheciam, mas sabiam quem era.
Aerus esticou os braços, como se o convidasse a entrar, dizendo: Você já é parte da família.
— Seth, um dos maiores guerreiros que o mundo já viu! Seja bem vindo à equipe, companheiro — comemorava Aerus.
— Este é o Guerreiro Dourado das lendas antigas — comentou General — Ele será um dos participantes em nossa batalha?
— Ele mesmo. E ainda ganhamos um cãozinho de guarda, não é mesmo, Beliel?
O homem lançou um olhar tão ameaçador para Aerus que até mesmo o líder sentiu-se perfurado, mas preferiu ficar quieto. Estava ali por causa de Seth e, de fato, atuava como seu guarda protetor. O dragão o resgatara dos submundos dando-lhe uma segunda chance, Beliel dedicava sua vida ao companheiro. Quando o Houndoom recebia uma tarefa, ele sempre a cumpria.
Seth caminhou em direção de Aerus e Watt. Trocou rápidos olhares com o Garchomp, ainda guardava em mente aqueles olhos dourados tão intensos, ocultados pela escuridão obscura de seus óculos escuros.
— Espero que realmente tenha melhorado desde nosso último encontro — disse Seth.
Aerus deu uma risada exatamente como seu treinador fazia.
— Tch... Melhorado? Cara, eu me tornei invencível. Pode mandar quem for nas próximas batalhas que eu não perco mais, foi-se o tempo em que eu tinha um histórico de derrotas, hoje aceito apenas o melhor.
Seth voltou seu olhar para Watt que imediatamente abaixou as orelhas e desviou. O guerreiro sorriu, em seguida encarou bem cada um dos guerreiros da Fire Tales, cada membro convidado, companheiro, parceiro ou integrante do exército.
— Doze. Doze guerreiros para cada uma das equipes.
— Vinte e quatro então. Sorte que temos a galerinha da Milady, eu odiaria ser lembrado como: A equipe Número 24! — disse Aerus, caindo na risada. — Você tem ideia de quanto tempo nosso treinador ficou atrás de alcançar este número? Ele não aceitava que fosse qualquer um, tentou todas as possibilidades para elaborar a equipe perfeita, os seus doze melhores guerreiros. Vocês dois foram os últimos a entrarem. Nossa arma secreta é poder considerar que, pela primeira vez na história, todos os componentes de nossa guilda estão reunidos.
— Mesmo que na época você não tenha aceitado entrar na equipe, eu sabia que iríamos nos encontrar... — disse Watt um pouco envergonhado. — Eu sabia que você é quem seria o último integrante. Seth, você é quem faltava para que nossa família ficasse completa.
— Agradeço todo o carinho e atenção que deram em minha recepção. Fico contente em saber que me recebem tão bem, e espero algum dia recompensá-los — disse o Dragonite. — Especialmente você, jovem Watt. É por você que hoje estou aqui.
O sinal soou. A batalha iria começar.
Aerus olhou para Seth, que olhou para Watt, que voltou a encarar Aerus; e que foi percorrendo o coração de todos que estavam ali presentes.
— Sobe lá e detona esses caras — disse Mikau.
— Ué, tu não vai lutar? — indagou Aerus.
— Acha que eu seria de utilidade contra uma guilda 100% elétrica? Sem contar que os esforços já chegaram, creio que vocês não precisarão mais de mim, por enquanto — disse o atirador. — Eu não sou bom em trabalhos em equipe, você sabe bem disso. Vou deixar essa passar.
Aerus riu de maneira amigável.
— Nem vem chorar nos meus braços depois, hein? Dizendo que eu sou melhor, mais forte, e tenho mais fãs do que você.
— Aerus, meu querido Aerus... Devo lembrá-lo dos resultados da última enquete?
— Gaaah... Tu nunca esquece essa porcaria?
Mikau saiu rindo junto de Milena, mas não ficou para olhar para trás.
Aerus respirou fundo antes de dar o primeiro passo.
— Vamos nessa, galera. Enfrentamos aqui duas das guildas mais poderosas da temporada passada, este com certeza será um dos maiores desafios que teremos.
— E isso que ainda nem chegamos nas semi-finais... — comentou Watt.
— Pois é. Imagine só o que vem pela frente.

Assim que Aerus apareceu, a multidão delirou. Estava ficando acostumado com os aplausos, mas percebeu que dessa vez teria de compartilhá-lo com os demais. Seth era uma lenda viva que voltava para lutar uma última vez na Liga em nome de uma guilda nova, muitos nem acreditavam que ele estava ali. Ver os Irmãos Wallers juntos já era impressionante, mas ver aquela equipe reunida era completamente insano.
— Meus olhos estão mentindo? Meus olhos estão enfeitiçados?! Aquele é mesmo Seth, o Guerreiro da Perfeição? — indagou o Stunky que narrava a batalha.
— Guerreiro da Perfeição, Guardião do Sol, Cavaleiro Dourado! É tudo e mais um pouco, este duelo entrará para a história!! — acompanhou a Glameow, sua parceira.
As equipes se posicionaram em seus devidos lugares. Aerus escolheu Wiki e Beliel para lutar em seu time, enquanto Watt selecionou Seth e Tom Sawyer para o seu lado. Tanto Dragão quanto Esquilo subiram na arena juntos para encarar os líderes adversários inimigos e apertarem as mãos. A Iron Fist e a Blackout eram guildas a serem reconhecidas, Fenrir e Tesla eram tão sérios e centrados que até o ar se tornava mais pesado ao seu redor. 
Aerus esticou a mão para cumprimentá-los, um de cada vez.
— Fenrir, espero que não tenha ficado bravo com sua última derrota.
— Jamais lamente uma, caro companheiro. Cada derrota representa uma expansão ao meu conhecimento, uma nova experiência a ser arquivada para que na próxima vez isso não se repita, e certamente não irá — respondeu o Lucario.
— Tesla, em nosso último encontro a gente empatou, mas você tá ligado que dessa vez só haverá um vencedor, não é?
— E com toda certeza não será você — o Electivire parecia muito sério, mantendo o olhar escondido por baixo do chapéu e os dedos coçarem para explodir tudo aquilo nos próximos minutos.
Assim que os dois lados fizeram os devidos cumprimentos, voltaram para seus respectivos campos,  e os primeiros a batalharem entraram em cena. Tom Sawyer e Wiki seriam os primeiros na luta, e do outro lado enfrentariam um Jolteon e um Mamoswine, uma mistura equilibrada de tipos que se completavam.
— Simbora, parceira? Tá na hora desse trem esquentar! —  disse Sawyer, cerrando os punhos e ajeitando o chapéu de na cabeça.
—  Ui, é melhor ir com calma, cowboy! Deixa um pouquinho para mim também —  respondeu Wiki com uma risada.


Wiki não demorou em sacar suas novas armas criadas por Vista, capazes de disparar raio laser, eletricidade, gelo e até mesmo fogo. Ela estava mais do que preparada para encarar aqueles desafios, e ter o jovem prodígio Sawyer ao seu lado seria até melhor, pois a guerreira cibernética gostava quando tinha a chance de lutar ao lado de garotos mais jovens e muitas vezes com aquele porte inocente.
Sawyer parecia mais brincar do que lutar a sério, seus movimentos eram focados, mas seu olhar e descontração na batalha ia muito além do que muitos consideravam ser o Torneio das Guildas, o evento mais importante do Mundo Pokémon. Para Tom Sawyer, aquilo era mais uma diversão, mais uma experiência nova a ser experimentada como os tantos prazeres da vida.
— Aura Sphere!
—  Tri Attack!
Os mais variados golpes voavam para todos os lados. Wiki tentava tomar conta do Mamoswine grandão enquanto Sawyer se concentrava em não permitir que o rápido Jolteon mantivesse sua função como soldado elétrico e construísse a oportunidade perfeita para seu parceiro ter um melhor desempenho.
O grandalhão com o martelo era o Mamoswine, que num momento de descuido acertou Sawyer em cheio com uma pancada. O vaqueiro foi atirado para longe, mas conseguiu segurar-se para não cair fora da arena e ser eliminado.
— Oxi, derrubar esse aqui vai ser jogo duro, olha só o tamanhão do trambolho!
— Nada que não possamos resolver, querido. Segura isso! —  disse Wiki, jogando uma metralhadora em direção de Sawyer que mal sabia o que fazer com o instrumento.
— O que faço com essa coisa?! Eita, tem muito botão, que tecnologia nova é essa?
— Só aponta e atira!!
O Mamoswine avançava em sua direção, e mesmo que suas mãos mal conseguissem carregar aquela arma, Sawyer disparou e uma rajada de vento soprou em direção de seus oponentes. Ele sentiu que suas forças iam do corpo para o equipamento, e de dentro dele o Aura Sphere foi ainda mais intenso, acertando em cheio o peito do guerreiro e derrubando-o do outro lado.
— IHAAA!! — gritou o rapaz já animado com o resultado, jogando sua arma de volta para Wiki. — Gostei muito dessa coisa, que troço mais batuta!
— Você ia adorar a outra que eu tenho guardada aqui comigo. Mais tarde eu te mostro! 
Aerus comemorou a primeira vitória de seus companheiros, enquanto Fenrir e Tesla procuravam continuar mantendo a concentração do outro lado e confiar no que seus parceiros poderiam fazer. Com a primeira baixa da Iron Fist, a próxima a tomar posição foi uma tremenda surpresa para Tom Sawyer.
— Violet, o que acha de reencontrar o seu velho amigo? — perguntou Fenrir.
— Eu esperei por isso um tempão, chefinho. Não vou desapontar! — respondeu a menina.
Violet Hunter era uma Absol, amiga de infância de Tom Sawyer que compartilhou grande parte de seus fins de semana na fazenda de Fenrir, onde vivia o sobrinho. Encontrá-la em campo de batalha surpreendeu o jovem guerreiro que não esperava por aquilo, mas que sabia que cedo ou tarde iria acontecer.


— Eita, olha só quem decidiu aparecer... — disse Tom Sawyer com as mãos na cintura.
— Sentiu a minha falta? — indagou Violet, surpresa. — Nossa, você cresceu tanto... Se não tiver sentido, ao menos posso dizer que estou mais do que orgulhosa em vê-lo nesse estado. Você se tornou um verdadeiro homem!
— Ainda não, — sorriu Tom. — ainda sou só um menino. Quando a gente cresce acaba a graça das nossas aventuras, e a minha história só está começando.
Violet batalhava com socos e chutes, mas parecia que ela era capaz de criar a própria escuridão em plena luz do dia com seus movimentos tão ágeis quanto navalhas.
 Night Slash! —  gritou a moça, obrigando que Sawyer se esquivasse mas tivesse seu chapéu de cowboy partido ao meio. O rapaz deu uma rasteira nela, e ao derrubá-la no chão conseguiu segurá-la com os dois braços e beijá-la no rosto.
— Quer dançar comigo, moça bonita?
Violet sorriu ligeiramente, e os dois continuaram sua batalha exatamente como se estivessem dançando. Wiki ainda perseguia o Jolteon que tentava derrubar a moça com disparos elétricos que pareciam sair de todos os lugares.
— Você tem olhos bonitos, garota. — O Jolteon elogiou-a de maneira discreta.
— Obrigada, são os olhos que utilizo para manter controle de sua velocidade e distância, são os olhos que irão trazer a sua derrota. É melhor não ficar me encarando por muito tempo, ou eu vou ter que pegar você para mim.
Wiki preparou sua arma portátil e mirou exatamente no Jolteon que continuava a correr numa velocidade impressionante. As ondas elétricas explodiam por todo o ginásio, mas quando Wiki finalmente marcou o local em que iria atirar, não houve engano. Um raio de gelo foi disparado exatamente no peito do adversário que teve os pés congelados. A mulher apenas ergueu uma das pernas e deu um chute forte na cabeça do rapaz que caiu para fora do ringue.
— Impressionante! Parece que a Fire Tales está levando a melhor! — disse a locutora.
Tesla continuava de braços cruzados do outro lado, frustrado e apreensivo com sua equipe que cada vez mais perdia membros. Porém, eles podiam contar com uma vantagem:
— A garota foi paralisada e mal percebeu, senhor. Sua velocidade foi limitada, ela não poderá mais mover-se com a mesma intensidade — disse uma jovem Rotom que flutuava ao seu lado.
Ao lado do Electivire a garotinha flutuava com leveza, encarando a luta com ansiedade e a excitação de poder participar dela.
— Nokia — chamou Tesla com sua voz grossa. — Você é a próxima.
Assim que a garota entrou em batalha, seus olhos se encontraram com os de Wiki que ergueu o queixo e ficou séria. A mais nova tinha uma risadinha debochada e um estilo que não agradava muito a guerreira cibernética. Wiki colocou um dos dedos no gatilho e falou:
— Agora estão colocando crianças para batalhar?
— Uma criança provavelmente mais madura do que você, mocinha — respondeu a Rotom.
Wiki soltou uma risada alta e sarcástica, num nível altamente exagerado e difamador.
— Mais madura do que eu? Oh, essa nova geração... Vamos competir pela quantidade de curtidas no Facebook também? — indagou Wiki de maneira irônica. — Acho que vou ter que ensinar algumas boas maneiras para essas crianças de hoje em dia, só não venha chorar no Twitter mais tarde depois que perder.
Nokia começou disparando uma onda elétrica com o Thunderbolt que colidiu com o mesmo golpe elétrico de Wiki. Houve uma intensa explosão, e de baixo da fumaça só era possível acompanhar Tom Sawyer e Violet Hunter que dançavam praticamente juntinhos, colados um no rosto do outro e se divertindo mais do que levando aquilo à sério.
— Violeta, posso te dizer uma coisa?
— Fala, Tom.
— A lua quando brilha falo de amor, no gingado desse xote sinto o teu calor. À noite acordado sonho com você...
— Ahh, eu adoro essa música, Tom!
— E sabia que basta um homem saber dançar para que a mulher o acompanhe? Chove moça bonita por onde quer que um pé de valsa esteja! Mas você sabe, só tenho olhos para você — disse o Lucario.
A Absol retribuiu com uma risadinha.
— Tom Sawyer, você cresceu e não perdeu nada desse seu charme, não?
O rapaz fez com que seu par rodopiasse, e em seguida a trouxe para mais perto onde eles continuaram dançando juntos aquele xote de suas lembranças.
— Quando essa batalha terminar, vamos sair juntos para prosear? — sugeriu o aventureiro.
— Se você passar para me buscar, eu estarei esperando.
Tom encerrou a dança levando Violet para um lado e para o outro, até que colocou a moça bem na ponta da arena e a girou no ar, deixando-a no chão com a leveza de uma pena e o toque de um anjo apaixonado que jamais deveria ter aprendido a amar.
— Tom Sawyer, você é mesmo um verdadeiro pilantra! Quando foi que me tirou da jogada e eu nem percebi? — indagou Violet com uma risada calorosa.
O Lucario fez um aceno com a mão e voltou a colocar seu chapéu surrado.
— Eu passo para te buscar mais tarde, então me aguarde — ele lançou uma piscadela para a garota.
Com dois membros da Iron Fist de fora, não restavam muitas opções para Riley que não fosse mandar de uma vez por todas seu líder, Fenrir, tio de Tom Sawyer e um dos Lucarios mais respeitados da região. Tom foi em direção de Wiki e a ajudou a defender-se de uma das ondas elétricas de Nokia.
— Voltei para o resgate, moça bonita!
— Hmm, alguém aprendeu os charmes da juventude. Juízo, está bem? — sorriu Wiki.
A Fire Tales estava com tudo, nada parecia detê-los. Fenrir olhou para Tesla que continuava sério, só esperando o momento em que os dois entrariam em campo para terminar de vez aquela batalha. Fenrir arrumou seu chapéu e o sobretudo, apontou para seu sobrinho e os dois foram se distanciando e trocando olhares sérios.
— Tio, o senhor não está muito velho para essas coisas?
— Essas crianças realmente começam a perder o respeito e a noção do perigo quando vão envelhecendo — falou o Lucario.

Fenrir preparou o Aura Sphere e não deu nem tempo para que seu jovem aprendiz fizesse o mesmo. Sawyer revidou com o mesmo impacto, repetindo o ataque que se colidiu e criou mais uma explosão. Os dois Lucarios tinham exatamente as mesmas técnicas, o mesmo estilo. Pareciam a mesma pessoa em corpos diferentes. Quando pensavam em um golpe, ele não precisava ser recitado uma segunda vez.
 Extremespeed.
Os locutores não puderam acompanhar de quem aquele ataque viera primeiro, mas conforme a poeira foi baixando Fenrir e Sawyer trocavam um socos corpo a corpo com o Close Combat. O mais novo tinha a agilidade e a perícia, mas seu velho tio tinha muito mais experiência e conhecimento. Aproveitou-se de um descuido do sobrinho e o acertou no abdômen fazendo com que Tom caísse de joelhos no chão.
— T-Tom! — gritou Violet.
— Estou decepcionado com você, mocinha — falou Fenrir. — Deixe as paixões e o amor para fora do campo de batalha, mas isto é guerra. Não existem laços de família, não existem segundas chances. Eu guio esta guilda com punhos de ferro desde sua criação, e assim eu farei.
Violet nada pôde fazer além de baixar a cabeça e desculpar-se. Fenrir olhou para seu sobrinho que estava ajoelhado remoendo-se pela dor, e prensou seu pescoço no chão.
— Você ainda vai precisar treinar mais, meu jovem— disse o guerreiro, disparando mais um Aura Sphere que arremessou Tom para fora da arena, derrotando o primeiro guerreiro da Fire Tales.
Fenrir ergueu o rosto em direção de Aerus e o intimidou.
— Quem é o próximo?
O dragão sentiu suas veias pulsarem, e antes que fizesse qualquer besteira, Seth segurou em seu braço, seguido de Watt que apoiou-se em seu ombro e o impediu de sair dali. Beliel estava sério observando o céu, mas não precisou nem ser chamado para entrar na luta. Wiki só teve tempo de olhar para trás e sussurrar:
— Ele vai entrar...!

Assim que Beliel deu os primeiros passos rumo à arena, Nokia sequer deixava que a atenção de sua oponente se desviasse. Wiki trabalhava muito bem com qualquer equipe, era uma das favoritas para batalhas em dupla, e Tesla sabia que só precisava deixá-la impossibilitada de comunicar-se com seus companheiros para eliminá-la da jogada.
— Gostei desses seus olhos, eles parecem serem feitos de vidro. Importa-se de eu pegá-los para mim? — indagou a Rotom.
— É melhor não ficar no meu caminho, garotinha, ou não vou poupar nem você.
Nokia disparou uma forte quantidade de energia, e justamente quando Wiki ia pular para esquivar-se, percebeu que seus pés travaram no chão, fazendo-a receber toda aquela descarga elétrica. Abrindo uma brecha para que a moça ficasse com as mãos e pernas imóveis estando completamente suscetível à sua inimiga, a Rotom parou ao seu lado e sorriu:
— O que faço com você agora? Quer escolher como vai morrer?
Wiki gemia e se contorcia, mas não poderia se livrar tão facilmente. Nokia foi escorregando seus dedos até os peitos da moça onde se concentrava seu fluxo de energia, e se ele fosse destruído, aquilo colocaria a moça em um sério perigo mais uma vez.
 This is starting to get dangerous — disse Vista. — É melhor alguém acabar com aquela garotinha o quanto antes, ou eu entrarei ali para destruí-la.
— O fluxo de energia da Wiki representa a energia vital dela. Se ele for destruído, ela pode estar à beira da morte como quando a Luna a derrotou! — explicou Marco. — Por favor, não deixem que isso ocorra mais uma vez!
Quando os pés e braços imobilizados, Nokia aproveitava-se de Wiki em cada canto.
— Acho que sua força se concentra aqui, não é mesmo? — ela alisou o fluxo de energia nos seios da mulher como se fossem um tesouro brilhante.
— Toda mulher deve ter orgulho de seus peitos. Por que? Está com ciúmes por que você não tem quase nada? — perguntou Wiki num tom de deboche que não agradou muito sua oponente.
— Ora, sua...
Wiki havia conseguido fazer com que sua oponente caísse em sua isca. Assim que a garota pressionou o fluxo de energia com mais força, foi como se uma descarga saísse do corpo da ciborgue que dividiu-se em dois. Wiki estava presa, mas Mozilla estava logo atrás de Nokia com a arma em sua cabeça.
— Cuidado com os peitos, garota. Eles sempre enganam a gente.
Mozilla fez um forte disparo com o raio de gelo que impossibilitou Nokia de continuar na batalha e acabou por ser desclassificada. Fenrir percebeu que estava em sérias desvantagens, mas quando tentava bolar alguma estratégia e derrubar os inimigos em desvantagem, era surpreendido por uma sombra negra que esgueirava-se ao seu redor.
— Vai a algum lugar? — indagou Beliel.
Fenrir ajeitou os óculos e concentrou-se em Wiki que continuava caída no chão, atordoada pela paralisia momentânea causada pelo Jolteon e reforçada por Nokia. Tudo aconteceu muito rápido. Aproveitando-se da desvantagem de uma das oponentes, Fenrir disparou com o Aura Sphere em direção dela, Beliel tentou impedir que o golpe fosse sucedido, mas quando lançado, nada poderia impedir aquela esfera de energia de acertar o seu alvo.
O ataque foi em direção de Wiki, mas Mozilla apressou-se em receber todo o dano para que sua companheira não saísse ainda mais ferida. Ele foi atirado para o chão, onde a moça tentou rastejar em sua direção.
— M-Mozilla! Querido, você está bem?
— As baterias estão bem fracas agora... Tenho apenas 50% de minha força com você paralisada — alertou Mozilla com um sorriso.
Wiki olhou para os demais e acariciou seu rosto.
— Desculpa, galera... Mas acho que já chegamos ao nosso limite por hoje.
Mozilla usou suas últimas forças para ficar de pé e agachar onde estava sua versão feminina, carregando-a no colo e levando-a para fora da arena.
Com o cão do inferno no campo de batalha, o clima ficou mais denso e abafado. Ambas as equipes preparavam-se para lidar com a próxima investida, aguardando o movimento adversário. Wiki estava fora, pois estava cansada e machucada, a energia elétrica liberada pelos guerreiros da Blackout poderiam causar um curto circuito em seus sistemas.
Watt tocou no ombro de Aerus e falou:
— Eu irei entrar lá, vou mostrar para vocês o que eu aprendi!
— Vai na fé, irmãozinho. Seja o orgulho para nossa família!
Watt assumiu sua posição na pista para ajudar Beliel, e enquanto eles ainda tinham dois de seus melhores guerreiros na retaguarda, seus adversários já estavam encurralados até seus limites. Mesmo tendo sido eliminada, Nokia flutuava ao redor de seu chefe e sussurrava a certeza da vitória para ele. Tesla entraria em campo, ele ativou seus mecanismos de energia e preparou os dois chicotes que estalavam e soltavam faíscas para todos os lados como um curto circuito. 
— Watt Fuarrint, da Fire Tales. Acha que é capaz de superar a minha voltagem? — desafiou o Electivire.


O esquilo estava apreensivo, mas Beliel já dava-lhe conforto e segurança ao seu lado. Sem dirigir nenhuma palavra, eles começaram a trocar golpes. Fenrir atuava diretamente na ofensiva enquanto Tesla mantinha a distância e estourava eletricidade para todos os lados, despertando toda a adrenalina e tensão na platéia que vibrava a cada movimento.
— Woooah! Daqui há pouco realmente ficaremos sem energia aqui no ginásio, Penélope! — disse o Stunky narrador.
— Certamente, Pepé Le Pew! Estamos falando da guilda do senhor Volkner, um dos líderes elétricos mais respeitados da região. Eles não vão sair daqui sem destruir algumas coisas antes, só nos resta torcer que a platéia não se empolgue! — continuou Penélope.
Aerus torcia por seu amigo, mas Watt não parecia obter muito sucesso.
— Vamos lá, irmãozinho! Não baixe a guarda!
— O jovem Watt melhorou bastante desde nossa última batalha, mas não adiante, nossos inimigos também estão muito mais poderosos. Ele ainda carrega traços de sua espécie, e os Pachirisu não foram feitos para lutar — explicou Seth.
— Mas eu confio nele — Aerus deu-lhe um olhar desaprovador. — Eu acredito que ele pode vencer.
Tesla estalou seu chicote e prendeu os dois braços de Watt, impossibilitando o pequeno de mover-se. Watt liberou toda a energia que conseguia, mas os chicotes começaram a absorver a eletricidade vinda de seu corpo, enfraquecendo-o cada vez mais.
— A-Aquela máquina consegue drenar toda a eletricidade... — gemeu o Pachirisu. — Beliel, nós precisamos destruí-la...! Ela é a fonte de energia de Tesla!
— Entendido.
Quando uma tarefa lhe era dada, ele não falhava. Tesla foi atacado por uma explosão de fogo com o Fire Blast que tomou conta de todo o cenário, dando uma chance ao esquilo de sair dali um pouco ferido, mas interrompendo a drenagem de eletricidade pela máquina do Electivire.
— Obrigado, Beliel! Não se esqueça, não podemos sair fora da arena!
— Só por que eu sou cego está insinuando que vou tropeçar e cair pra fora? — indagou o carcereiro.
— N-Não é nada disso, e... Lá vem eles!
Fenrir e Tesla eram uma dupla intensa, os dois líderes conheciam bem os movimentos um do outro, mantinham a cara fechada e o clima sério, sem dizer nenhuma palavra. Lembravam muito seus próprios donos, pois os Pokémons levavam aquela luta tão a sério.
— Esquilo, minha luta não é com você — disse Tesla em direção do pequeno Watt.
— Sei bem que você deseja ter sua revanche com meu irmão, mas se quiser chegar ao Aerus, vai ter que passar por cima de mim antes.
Tesla cerrou os punhos e aumentou a intensidade de energia três vezes mais.
— Que seja.
Com seus chicotes elétricos estalando, ele avançou e prendeu novamente o corpo do esquilo e o derrubou da arena de maneira inesperada. Beliel havia sentido que algo acontecera com seu companheiro, mas por algum motivo, não conseguia prever o que acontecia. Antes que pudesse mover-se para salvar Watt, Fenrir entrou em sua frente.
— Posso ler sua mente e seus movimentos. Infelizmente você é do tipo que tem que pensar muito antes de tomar qualquer atitude. Você não pode me vencer.
Beliel deu um soco na cara de Fenrir que arrancou seus óculos fora.
— E então? Conseguiu prever isso?
Fenrir cuspiu sangue, e pela primeira vez pareceu perder a compostura. Os dois continuaram se golpeando, mas Beliel realmente começava a tornar-se previsível. Quanto mais ele tentava escutar os movimentos do adversário, mais percebia que estava num território em completa desvantagem. Os Lucarios podiam ler a sua mente. Fenrir fez um rápido movimento com os braços e bradou, furioso:
 Aura Sphere!
O ataque foi lançado com tanta força que mesmo apesar de bloqueado, Beliel acabou sendo arrastado para longe na tentativa de conter a esfera de energia. Ele ainda estava de pé e sentia que poderia aguentar muito mais, até que sentiu grama em seus pés.
— Maldição... — ele realmente tinha saído da arena.
Watt voltou-se para Aerus frustrado, arrasado por achar que seus treinos não haviam rendido em nada. Os dois dragões colocaram a mão na cabeça do esquilo e sorriram.
— Você fez tudo o que podia, foi excelente! — elogiou Aerus.
— Não se preocupe, nós terminaremos essa batalha — continuou Seth.
Agora tudo voltava a ficar empatado. Aerus e Seth entraram em campo mais preparados do que nunca, e com sua sincronia em perfeito estado.


— Rapaz, uma vez eu lutei contra você, e juro que eu espero não repetir a experiência — disse Aerus em direção de Seth enquanto os dois andavam. — Tenho pena desses dois.
— Você me chamou de lenda uma vez — falou Seth. — O que acha de juntarmos duas lendas e formamos uma história?
Aerus riu e cerrou os punhos.
— Super válido.
Os dragões começariam sua batalha. O Dragonite alçou voo com sua capa azulada e mergulhou seu braço cortando o chão como se ele próprio fosse uma espada. Aerus continuava nos golpes rápidos e diretos contra Fenrir, enquanto Tesla tentava acertar o dragão alado com seu chicote elétrico.
— Poxa, Fenrir! Já deram uma porrada nessa sua cara arrumadinha? Eu queria ter as honras de arrancar seus óculos de novo!
— Considere esta a minha versão, vou tirar esses óculos escuros que você tanto adora.
— Pode vir, vamos ver se tu consegue.
Fenrir não levava vantagem contra o Garchomp, pois não podia prever seus movimentos. Aerus simplesmente não pensava, agia por instinto e aquilo era impossível de prever. Por sorte conseguiu acertar um soco no rosto de Aerus e tirar seus óculos escuros, mas Seth apareceu voando, agarrou os óculos e o jogou de volta.
— Perdeu alguma coisa?
— Valeeeeeeu, fera! Eu adoro esses aqui, vou guardar para não arranjar problema mais tarde.
Com o deslize de Aerus, Tesla acertou o chicote em seu pescoço e prendeu o braço esquerdo com o outro.
— Não se cansa de brincar com o perigo, não é mesmo, Draconeon?
— Gaaaaaah... 
Aerus era sufocado pelos chicotes elétricos quando Seth foi golpeado por aquelas esferas amaldiçoadas de Fenrir,  sendo atirado no chão. Por mais rápido que fosse, não havia escapatória. O Dragonite gritou:
— Aerus, drene toda essa energia!
— O que tu tá falando, cara...?
— Você tem o sangue dos guerreiros do tipo Ground em você além dos dragões. Drene essa energia elétrica, inutilize a arma de nosso adversário!
Seth percebera que com a explosão de fogo de Beliel, o equipamento de Tesla já vinha diminuindo a intensidade. Aerus captou a mensagem e segurou nos chicotes com os próprios punhos. Tesla aumentou a energia, mas percebeu que ela realmente não tinha efeito e não podia passar dos limites. Quando ela expandiu além do permitido, faíscas começaram a estourar, e os chicotes falharam.
Beliel sorriu do outro lado. Podia ter sido eliminado, mas cumprira com sua função. Sem o equipamento, Tesla perdera metade de sua força.
— Você não sairá impune dessa, Draconeon! Apenas um será vitorioso! — gritou o Electivire.
— E certamente não vai ser você, Tesla! É melhor começar a atualizar seus placares, pode acrescentar mais uma derrota para seu histórico, porque o meu continuará intacto!
Aerus puxou Tesla com toda força e o derrubou no chão. Combinando seus ataques com Seth, os dois dragões prepararam seus golpes mais fortes. Os olhos de Aerus brilharam e ele liberou sua fúria enquanto Seth preparou sua espada e eles disseram juntos:

Não havia inimigo que pudesse aguentar aquele impacto. Tanto Fenrir quanto Tesla foram golpeados e em seus peitos foram cravados as garras e lâminas daquela batalha. O público de Pokémons delirou quando os dois dragões da Fire Tales se cumprimentaram e puderam comemorar a vitória.
— Cara, que loucura! Você luta bem, mas aposto que eu te venceria hoje em dia.
— Acha mesmo, Aerus? Pra mim você continua sendo aquele Gabite intrigante que encontrei a primeira vez. A única diferença é que agora é um Garchomp.
— O melhor de todos, amigo. O melhor de todos...

• • •

Com a batalha terminada, Luke e Lukas Wallers puderam comemorar mais uma vitória e seu passaporte para as semi-finais. Riley e Volkner entraram naquela disputa como dois grandes nomes do passado, mas aparentemente estavam contentes pelo fato de que as novas gerações ficavam cada vez mais fortes.
— Ahá, moleque! Essa foi demais! Nunca lutei tão bem com alguém em dupla, a última vez que fizemos isso foi na luta contra o Byron! — comemorava Luke.
— Estou tão feliz, irmão! Você arrasou! — continuou Lukas.
— Eu? Qual é, rapaz, nós dois arrasamos! Esperei todos esses meses pelo dia em que nós poderíamos lutar juntos novamente, e tenho que admitir, você é um treinador fenomenal!
Volkner e Riley retornaram seus Pokémons e caminharam em direção dos vencedores. Tal como os Pokémons apertavam as mãos antes de entrar em batalha, seus treinadores sabiam que deveriam fazer o mesmo na vitória ou na derrota
— Meus parabéns, meus jovens — elogiou Riley com um sorriso. — Vocês nos superaram mais uma vez, souberam trabalhar melhor do que nós dois que nos conhecemos há tanto tempo. E para ser bem sincero, eu já sabia que o Volkner estava meio enferrujado.
— Eu? É você quem me atrapalhou, culpe você mesmo — o líder deu uma risada calorosa ao amigo. — Ei, garotos. Mas foi bem merecido. Nada de insígnias, apenas a boa e velha rivalidade. Continuem derrubando seus rivais, falta pouco para vocês chegarem lá em cima.
Os locutores berravam conforme a platéia ia ao delírio.
— Vitória dos Irmãoooooooos Walleeeeeers! Agora, caros leitores, vocês querem saber quem serão os próximos desafiantes?
Por um instante o barulho foi diminuindo, e até mesmo os participantes se assustaram com a notícia.
— Caramba, mas já? — indagou Luke.
Lukas sentiu a respiração ficar mais pesada, sabia que não viria coisa boa. Uma batalha em dupla certamente deveria ter os seus motivos, e agora viria a explicação. Era como se tudo tivesse sido planejado, porque a notícia foi simples e clara:
As duplas vencedoras iriam se enfrentar.
Os irmãos se olharam e não esconderam o mesmo pensamento quando a situação chegou naquele nível.
— Estamos ferrados.
— É, Luke... Dessa vez tenho que admitir. Estamos ferrados.

      

{ 15 comments... read them below or Comment }

  1. Provavelmente, senhor Canas (de açúcar, muiitas desculpas, não resisti, culpa do FDL, sorry mesmo) você acordou hoje: "Bora fazer um capítulo fodástico. Nah! O mais fodástico! Isso, soou bem. Bora lá!" haha.

    Curti demais o capítulo e agradeço pela maravilhosa representação que fez do meu personagem favorito dos jogos DPP - Riley! E Volkner, como sempre, não é nada ruim, e muito bom!

    Volto a falar (volto não, você provavelmente não deve ter lido meu comentário sobre o Beliel lá atrás) que seria muito, muito interessante se colocasse um P.O.V. único - tipo, um Pokémon que vá batalhar no capítulo e colocasse o ponto de vista dele, somente dele; sério, em minha humilde opinião ficaria perfeito. Beliel, Seth, Nokia, etc...

    Outra coisa que eu reparo muito em cada começo de capítulo é a tal citação da família Wallers e a sombra que Luke e Lukas carregam sobre ela (me lembrei longinquamente de As Crônicas do Gelo e do Fogo e dos Lannister, me julgue =P.) e espero pelo momento em que filhos e família finalmente se separem para que Lukas, e principalmente, Luke, consigam mostrar que são capazes de se desfazer dessa "tênue" sombra.

    Fora que os desenhos de personagem estão ótimos, só consigo de parabenizar, Canas!

    Até Mais!

    ReplyDelete
  2. Diga ae, Gus! Já estou habituado com essa piadinha cara, é o eterno cana-de-açúcar que me assombra há 8 anos desde que coloquei aquele infeliz nickname na minha conta do Ragnarok kkkk Mas eu não seria o Canas se não houvesse alguém para chamar de Canas de Açúcar. The Sugar Man, rs. Fico feliz que tenha curtido o episódio, sei que muitos leitores adoram os personagens originais dos games e justamente por isso eu sempre tive o intuito de dar a devida atenção aos Status Trainers como o Riley, a Marley e a Cheryl. Eles são personagens fantásticos, mas a própria franquia os deixou em segundo plano. E é aqui que as fanfictions entram, nelas podemos realçar tudo que mais adoramos!

    Não se preocupe, companheiro. Eu li o seu comentário, nunca deixo nada passar. Eu posso não ter respondido por falta de tempo, por não ter visto necessidade ou simplesmente porque esqueci mesmo, mas todos os comentários são devidamente lidos e analisados, todos, sem exceção. Gostei da sua sugestão do P.O.V., mas veja bem a minha situação: Há 3 anos eu escrevo minhas histórias em terceira pessoa, há 3 anos tenho uma escrita padronizada e o meu próprio estilo. Imagina como seria se eu decidisse trocá-la de um dia para o outro? Kkk Eu já trabalhei em primeira pessoa algumas vezes, mas este realmente não é o meu forte.
    Você pode me ver escrevendo nesse estilo de Point of View algumas vezes em capítulos especiais, supports, ou até mesmo cenas importantes da História Central, mas este não é exatamente o meu forte... De qualquer maneira, agradeço pela sugestão, e quem sabe até o final eu não possa trazer uma cena em especial nesse estilo P.O.V.? Teremos muitas lutas em que isso será bem interessante, então é uma opção válida.

    Pois bem, acho que houve certa confusão sobre a sua interpretação da família Wallers. Você os comparou aos Lannister, mas eu diria mais que eles são como os Targaryen. Entenda o Luke e o Lukas como a Daenerys. Sua família tinha tudo, eles eram donos do mundo, os maiores e melhores de todos. Quando o Walter perdeu, foi como se eles tivessem seu trono tirado, consegue compreender? Não é como uma sombra que eles tentam fugir, não é como se o Luke não quisesse ser comparado ao pai, muito pelo contrário, ele QUER ser comparado. Ele quer mostrar ao mundo que ainda tem no sangue a determinação de um campeão, justamente como a Daenerys luta e é a favorita ao trono. Ela quer ser temida como os Targaryen um dia foram, mesmo que por muito tempo eles tenham sido esquecidos. Foi uma comparação muito interessante de sua parte, também gosto bastante de Game of Thrones.

    Enfim, vou indo nessa, que a paz esteja com vocês! Se você curte os desenhos, prepare-se para uma bela surpresa mais para frente. Eles sempre foram o carro chefe aqui de Sinnoh kkkkkk See ya!

    ReplyDelete
  3. Quando li o título pensei que seria um batalha só do Volkner contra o Luke. Mas hoje mais cedo quando li sobre a guilda do Volkner, e também falava muito sobre os pokémons do Riley, cheguei até a pensar que a luta seria entre Volkner e Riley. E fui pega de surpresa quando vi que seria uma batalha de duplas, e que esses dois iriam lutar lado a lado. Mas fiquei mais surpresa por saber que no próximo capítulo, Luke e Lukas iram se enfrentar, pra mim isso só iria acontecer na batalha final, não agora. Como sempre surpreendendo.

    E esse Luke tá se saindo um verdadeiro Mikau, enquanto a namorada não está por perto fica se divertindo com outras garotas. Ainda continuo achando que o ele tem alguma relação de parentesco com o Julius ou o Chris, primeiro deixou pra fazer a inscrição na liga no último minuto e agora quer colocar groselha nos bebedouros das escolas. Quem sabe no último capítulo essa minha teoria não seja comprovada. kkkk. E Volkner, mesmo chegando de forma discreta não consegue passar despercebido. Apesar de já saber que ele iria perder, quando soube que faria dupla com Riley, achei que a luta seria mais difícil, ainda não me conforma como dois pokémons da equipe deles foram derrotados de uma forma tão boba. Mesmo assim foi uma luta legal de se ler e imaginar. E como ele levou a derrota numa boa, farei o mesmo. Mas agora com a saída dele, nem sei pra quem irei torcer.

    Até mais!

    Luana.

    ReplyDelete
  4. Diga ae, Luana! Eu imaginava que você iria curtir ver o Volkner em ação mais uma vez, mas é uma pena que tenha sido uma aparição tão rápida, não? [Não se preocupe, porque ainda teremos alguns especiais só dele muito em breve kk]
    Esse é um dos maiores dilemas que encontrei na Liga... Até que nível posso levar minhas batalhas. Juro que eu quero fazer batalhas épicas, lutas incríveis de tirar o fôlego! Porém, eu não poderia trabalhar com descrições nesse nível pelo simples fato da eliminação ser simples, e até mesmo o mais poderoso dos guerreiros podem ser tirados facilmente se houver uma boa estratégia ou uma distração. É exatamente isso que você comentou, alguns dos personagens mais fortes como a Violet Hunter ou o Beliel foram eliminados de um jeito tão bobinho... Mas não se preocupe, tudo isso é um aquecimento para o que está por vir após o término da Liga! Esse aqui é só o começo kkkkk

    O Luke seria um campeão fantástico. Feriado hoje, feriado amanhã, feriado todos os dias! kkkkkkkkkkk Vote Luke para Presidente!! kk Os Pokémons são um reflexo do próprio treinador, acho que se juntarmos todos os componentes do Luke podemos construir a personalidade dele como um personagem. Na realidade, toda essa batalha foi um reflexo de seus treinadores. É como se o Fenrir fosse uma representação do Riley, o Tesla do Volkner, o Aerus do Luke, e por aí vai. Cada fala é trabalhada dessa maneira. Ahh, só é uma pena imaginar que personagens tão legais vão se despedindo aos poucos do roteiro... Ao menos poderemos vê-los em alguns Supports ou outras cenas especiais de vez em quando, mas admito que para mim também é muito triste. Aprendi a gostar de cada um, e ultimamente tenho dado o meu melhor com o Volkner para alegrá-la, espero que tenha gostado!

    Bem, temos poucas opções para torcer, e a graça é justamente pegar os leitores com a surpresa do Luke ter de enfrentar o Lukas tão cedo, antes mesmo das finais! Todo mundo sabia que esses dois se enfrentariam, só não sabiam quando, e agora aqui está a resposta kkkkkk Essa batalha será incrível, mas reforço o fato de que a Liga é só o nosso aquecimento. O melhor vem depois, rs. Beijos, Luana. Fico feliz que tenha vindo comentar! (:

    ReplyDelete
  5. Luke para presidente! Finais de semana de cinco dias e suco de groselha nos bebedouros!
    O Luke já ganhou o meu voto pra presidente de Sinnoh, mesmo eu tendo votado no Lukas na enquete da liga.
    Bem, que capítulo! Incrível e as batalhas foram ótimas, você disse que o capítulo tava longo, mas eu nem achei, li ele em um segundo, eu queria até mais.
    Pepe Le Pew, o gambá (só percebi agora a que o nome dele faz menção, eu sou muito desligado) fez apenas três ou quatro linhas de narração e olhe que ele é o narrador.
    Bem, a batalha foi fenomenal e os pokemon mostraram a que vieram.
    Canas eu só não entendi uma coisa, as duplas vencedoras iriam batalhar entre si ou os integrantes das dupla vencedoras iriam batalhar entre si?
    Por hoje é só até mais cana-de-açúcar! (vou lhe zoar eternamente com esse nome)
    De: Firewall
    P.S.: Eu estou esperando lançarem o próximo livro de GoT. Sai esse ano, eu acho.

    ReplyDelete
  6. Nossa, eu percebi agora, mas eu levei uns bons quarenta minutos para ler o capítulo e nem percebi...

    ReplyDelete
  7. Me dói ver Fua Warrint cair em batalha, porém me dói mais ainda ver a fodástica Violeta perder por causa do charme de um caipira qualquer... tá que ele solta Aura Spheres, mas ainda é um caipira qualquer... kkkkkk!
    Que batalha fodástica! Sério, foi muito foda! Todo mundo em sincronia. Todo mundo batalhando junto...
    Mas pera, isso foi muito foda e bonito de se ver, senhorito Canas está planejando algo maléfico e vil, tenho certeza! Mas, como assim? Fire Tales se dividirá? Ocorrerá uma cisão? Fua irá destruir Aerus? Fique sabendo no próximo capítulo, com grande chance de sair sexta que vem...
    Mas eu não quero semana que vem! Eu quero hoje! Quero poder ficar tenso lendo as batalhas e torcer silenciosamente pelos meus favoritos! Quero ver lutas! E quero já! kkkkk!
    Mas sacanagem colocar eles para lutar entre si antes da final... Tava esperando uma final Wallers x Wallers, com a arena explodindo pelos ares... É, seria foda....
    Mas certeza que a batalha Lukas vs Lucky será foda, independente se fosse primeira rodada ou final! Veremos o que aconteceria lá na batalha de Pastoria, onde eles não batalharam entre si! Veremos tudo indo pelos ares, e estou louco para ver isso! kkkk!
    Ah, deixar claro também que o Tesla ficou super foda! E a Nokia, na minha opinião, virou aquela velha de filmes, jogos, mangás, animes que só tem aparência de 12 anos, mas na verdade viu até quando os Kabutops foram extintos... kkk!
    Mas vou me indo, esperando pela próxima surpresa que teremos nessa fantástica Fic.
    Obrigado, também, senhorito Canas (ou Nicolete), por ter alegrado bastante meu 2013. Garanto que sem AeS minha vida seria BEM mais chata e tediosa, logo, obrigado. Agora só espero que nesse novo ano, o senhor alegre todos seus leitores também, com loucas e gigantescas batalhas! E, claro, para agradar o escrito, cenas eechi, né? kkk!
    Enfim, vou me indo.
    Adieu,
    Moacyr

    ReplyDelete
  8. Diga ae, galera! O primeiro capítulo do ano já tinha que começar assim bem movimentado, porque o melhor da Saga Platina ainda está por vir kk Firewall, acho que este realmente foi o capítulo mais longo que escrevi até agora, tanto que como um leitor de várias grandes obras por aí você sabe que um capítulo que leva 40 minutos para ser lido não é dos menores. Ainda estou trabalhando à respeito disso, porque daqui em diante todos os capítulos terão esse tamanho, então estou pensando seriamente em começar a separá-los em várias partes. MAS, para a felicidade do Grande Moa, todas as partes seriam postadas num único fim de semana kkkk Tipo, sexta, sábado e domingo. Sério, o que vem daqui em diante é tão grande e foda que seria necessário separar para que tivéssemos total proveito, então quem sabe até lá eu concedo esse desejo de várias postagens juntas. Nem eu vou conseguir me segurar de ansiedade kk

    Ahh, Firewall, este trecho foi uma falha minha de ambiguação. O que eu queria mostrar é que as duplas iriam se enfrentar entre elas mesmas, Luke contra Lukas, Stanley contra Clarisse. Dá a entender que o membro de uma equipe enfrentaria o vencedor da outra, mas agora que parei para ler com mais calma vi que ficou confuso kkkkkkkkk O Pepé Le Pew foi uma citação bem discreta, só a galera das antigas vai lembrar. Nem eu sabia, mas Penélope Pussycat era o nome daquela gatinha que ele vivia perseguindo. Coisas triviais de Sinnoh kk Eu só não o fiz narrar ainda mais a batalha porque no capítulo passado já tivemos o suficiente deles. Daqui há pouco eles teriam mais atenção do que os próprios personagens! Não duvido nada que até o final da Liga eu traga o Gijinka deles kkkkk

    Galera, obrigado por todo o apoio em 2013, e que este ano mesmo sendo o último de Sinnoh eu ainda possa dar o meu melhor e encerrar essa longa história que já faz parte de minha rotina! Posso considerar-me afortunado por ter leitores como vocês, críticos que colaboram para meu crescimento e todos os demais que estão sempre aí apoiando e incentivando. Bem, vamos ver se rola uma segunda Semana Ecchi esse ano, e vou me esforçar para reatar meus sentidos e trazer mais desse gênero que eu adooooro! kkkkk Abração ae, pessoal. Que 2014 seja ainda mais incrível!

    ReplyDelete
  9. MDS EU ME EXALTEI NUM PONTO QUE EU TIVE QUE PEGAR O MEU DS PRA BATALHAR UM POUCO COM MEU LUCARIO PRA PARAR A EXALTAÇÃO MDSSSSS *-*

    *Respira*

    Meu primeiro pensamento: AGORA O BICHO VAI PEGAR! Mas antes, uma Party Hard de leve não mata ninguém :3

    Mas cara, que batalha épica, épica! A Rotom vai ser carinhosamente chamada de Possuída por mim :3 Lembre-se, Canitas: Possuída = Rotom :3 Cara, esse lance dela querer roubar os olhos do Liel foi tenso. Me deu um medinho ;-; Sério, ela tem, tipo, um sorriso a là Jeff The Killer. Tenso. Mas gostei disso, deu um ar... Forte e perigoso. Já vi que com essa criancinha não se brinca! MAS O FORA QUE ELA LEVOU DA WIKI FOI EEEEEEEEEEEEEEEEEEEPIC! xD Tipo... "Cospe veneno em mim bicha, que eu faço cê se engasgar!"

    Luke pra presidente, kra. Eu queria que ele fosse presidente daqui ;-; MAGINA QUE LOKO, SAIR DANONE E NÃO ÁGUA DOS BEBEDORES. EIKE TUDO!

    Outrage, kra. Eu nunca vou ter o prazer de usar esse golpe porque não pego pokémon do tipo dragão. (Prefiro tipo gelo pra enfrentar o Drayden, vlw flw.) Mas juro que assim que eu voltar a jogar (Ou comprar, agora que eu tenho meu DS.) Platinum, vou capturar um Gible e chamar ele de Aerus :3 E fazer ele evoluir motherfuckmente :3

    Dancinha <3 Agora eu shippo Violeta X Tomzinho <3 TÃO FOFÊNHOS <3 E zueros... e-e "Tem uma batalha mortal rolando ae, mas blz, bora dançar." E AERUS BOTOU PRA QUEBRAR, E WATT TAMBÉM, E OS WALLERS VÃO SE ENFRENTAR E O BIXO VAI PEGAR *U* Mas véi, esses cara usa hack, só acho. Canas, cê usa gameshark. HEUHEUEHUEHEUE

    Enfim, hoje eu tô com um pouco de pressa. No mais, ótimo capítulo E EU QUERO VER MAIS COISAS ASSIM Ò_

    Sayonara, Gamesharkeiro!

    ReplyDelete
  10. Diga ae, senhorita Enderman! É pancadaria para todos os lados, pra você que curte umas explosões e bazookas deve ter sido um prato cheio kkk A Liga será cheia disso, muitos socos e velhas intrigas voltando à tona. Alguns personagens bem legais estavam nesse meio como a Violet, a Nokia, o Fenrir e o Tesla, mas até então nenhum deles haviam tido a oportunidade de mostrar tudo que eram capazes. Eu trabalhei durante muito tempo nesses antagonistas, e espero poder continuar mostrando mais deles em outros episódios extras, quem sabe. Sempre é assim, os secundários acabam por chamar mais atenção dos que os próprios protagonistas kkkkkkk

    Gameshark existe para todos os cantos, a brincadeira que eu fiz com os Clones na Ilha de Ferro é como se eles justamente fossem Pokémons sharkeados kkkk Por isso o Seth é perfeito, ele tem todos os Effort Points, natureza, IV, golpes, tudo. Os cheats são muito frequentes nos games, e por isso acabei fazendo essa brincadeira como se os próprios personagens também pudessem trapacear kk Mas qual é, até mesmo os Pokémons Sharkeados podem ser derrotados! Só um Sableye ou Spiritomb com Wonder Guard que não, aí já é apelação kkk (Se bem que conheço algumas estratégias para derrubar esses dois, aprendi na Battle Tower na época do meu Platinum, era show de bola.)

    Valeu pelo comentário, Juh. Continue de olho aqui no blog semana que vem, porque essa luta realmente promete! Wallers VS Wallers, os dois lados vão apelar e não darão mole nem por um segundo. Sinto que terei que revisar o capítulo mais umas três vezes antes dele estar perfeito, mas farei o possível para que esteja impecável. Até lá, continuamos na torcida do Luke para Presidente, groselha nos bebedouros e fins de semana com cinco dias! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Beijos.

    ReplyDelete
  11. Luke para presidente \o/ \o/ \o/ muito bom Canas, muito bom. Man e o Dream Den, desistiu????

    ReplyDelete
  12. O Luke já tem votos o suficiente para ser amado pelo povo kkk Que ele possa concretizar os sonhos e ambições de nosso amigo Chris, groselha nos bebedores! Férias hoje, férias amanhã, férias todos os dias!! kkkk Fico feliz que tenha curtido o capítulo, companheiro.

    Agora, sobre o Dream Den, eu tenho uma resposta até boba para dar... Infelizmente eu não estou no meu apartamento! Com a chegada das férias voltei para minha cidade natal e estou por aqui até agora, resultado: Todos os personagens e bonecos ficaram em outro lugar longe de mim, de modo que eu não pudesse tirar as fotos que sempre coloco nos capítulos. Okay, okay, admito que foi uma falha de preparação minha e que eu acabei relaxando, mas vou tentar compensar. O Dream Den ainda não está totalmente ao meu agrado, mas cada hora vejo alguém novo elogiar ou pedir para eu dar continuidade, e sinto mais do que nunca que devo concluir essa aventura pelos leitores! Vou ver se nessas férias consigo mais alguns bonecos, e com isso, mais personagens legais para a história. Eu costumo me divertir quando escrevo sobre o Dream Den, então, continuarei dando o meu melhor. Assim que eu preparar o capítulo e conseguir tirar as fotos estarei atualizando o especial. See ya!

    ReplyDelete
  13. Malditos sejam esses meus atrasos que estragam as surpresas! É cara, eu já sabia que ia dar Wallers x Wallers na semi-final, porque acabei vendo quando você postou o último capítulo, mas isso é culpa dos meus atrasos. Bom, é a vida.

    Mesmo assim, que batalha! Ver os irmãos novamente em dupla me deu uma sensação de como se toda a jornada dos dois tivesse sido escrita de forma separada, e agora você uniu tudo! Entende o que quero dizer? E para um desfecho final para o tema "irmãos Wallers", nada melhor do que uma batalha face a face. Um contra o outro. Agora é o acerto de contas por todas as brigas de infância, típicas de irmãos. UHAUHUAHUAHUAHUAHU Provavelmente era o Luke quem levava a melhor naquela época, mas agora ele já não pode mais ter tanta certeza. Riley, Volkner, Lúcio, Stanley ou Clarisse... Nenhum deles teria sido um adversário que o Luke pudesse temer mais do que seu próprio irmão. Bom, se fosse eu na pele dele eu pensaria dessa forma. Raciocinando bem, a gente vê que o Lukas é o cara que melhor conhece o Luke, e isso certamente vai lhe render momentos de apuros. Tudo bem que essa regra também se aplica inversamente, mas mesmo com todo aquele treinamento de seis meses com o Erick, acredito que o Lukas ainda seja melhor em questão de pensar.

    Ah, e não podia deixar de comentar. PARABÉNS PELOS 90 CAPÍTULOS CARA! Diz aí, a sensação é aquela mesmo que a gente imaginou? Me conte como é! E olha só! Já contando com o capítulo 91 que está postado, sexta-feira faltarão apenas 8 semanas para Aventuras em Sinnoh se tornar "centenária de capítulos"! Rapaz, tinha que ser você rompendo uma barreira após outra. Vou te contar...

    Ah, e uma coisa que esqueci de comentar no capítulo passado, mas que não vou deixar passar agora. Pepe Le Pew e Penelope Pussycat! UHAUHUAHUAHAUHAUHUAHUAHUA Tu sabe que eu me amarro em desenhos clássicos! Pare de atingir meu ponto fraco!

    A gente se fala companheiro! Quem sabe ainda nesta madrugada eu não leio o último que falta pra eu ficar em dia?

    ReplyDelete
  14. Olha, esse título realmente está perfeito, porque o cap foi lendário!
    MANO, QUE LUTA ÉPICA! Claro, juntar a Fire Tales toda e ainda por cima colocá-la contra duas guildas fodonas não poderia dar um resultado abaixo disso, MAS AINDA ASSIM ASKDAKSDAKSDKSADKSADKASKDAS
    Mas antes de falar da ação, vamos falar que MEU CORAÇÃO DERRETEU COM TOM E VIOLET! Mds, eu já a amo, e ele tem todo um jeito fofo que é impossível de não gostar, aí de repente "quer dançar comigo, moça bonita?" ASKDAKSDKASDKASDKADKASDKASKDSAKDSAKD VIREI UMA GOSMA ARCO-ÍRIS DERRETIDA NO CHÃO FLW (só acho que ela não deveria ter se desconcentrado tanto da luta, ela acabou sendo repreendida e é f*da demais pra isso <3 (mas quem realmente não gostei foi a Nokia e-e ))
    E agora uma luta ainda mais épica está para começar! Fire Tales vs Fire Tales! Oh Giratina, isso vai ser loco....

    ReplyDelete
  15. I'M BACK!! E COM UNS 20 CAPÍTULOS PARA LER KKKKK
    Demorei, mas cheguei, man. Eu estava olhando, e percebi que meu último comentário na história central, pelo menos, foi em Dezembro de 2013. DEZEMBRO DE 2013, CARA! Eu sabia que fazia tempo, mas não imaginava que fazia mais de um ano! O_O Kkkkkkkkkk Mas como queria deixar a emoção dos últimos capítulos reservada, resolvi aproveitar a última semana pra matar a saudade da história. É bem provável que eu não vou conseguir terminar tudo hoje, mas ao longo da semana venho fazendo minhas aparições kkkkk
    Cara, que saudade. Quando comecei a ler os parágrafos começou a bater aquele sentimento de nostalgia kkkkkk Já deve fazer uns dois ou três anos desde que o Riley apareceu no começo da Saga Diamante, e o Volkner deve fazer um ano desde que surgiu no desafio mais esperado de ginásio. E agora os dois estão juntos, para serem a dupla mais ameaçadora para os irmãos Wallers.
    Foi uma boa ideia juntar a Wiki e o Tom. Os dois são bem diferentes, e criaram uma conexão interessante ao longo da batlaha. E tinha até esquecido do motivo pelo qual eles participaram: Tom VS Violet e Wiki VS Nokia! kkkkk Gostei de ter colocado duas garotas cibernéticas para lutar. E como se não bastasse o par Tom e Violet (aliás, o fato da batalha deles ter saído mais como uma dança foi bem criativo! kkkk) tinha o Sawyer contra o próprio tio. Acho engraçado que a Wiki nunca perde seus charmes, nem em batalha. Mesmo com um adversário, ela não deixa de jogar suas piscadinhas e coraçõezinhos hauehauehauhe E o Fenrir é foda, cara. Iron Fist foi mesmo o nome perfeito para a guilda dele, porque deu pra perceber que ele nem hesitou em acabar com o próprio sobrinho kkkkkk E combinado ao Tesla, que também não parece muito amigável, eles são uma dupla medonha. Mas o Seth e o Aerus também. Foi absolutamente foda aqueles momentos finais, da luta dessas quatro lendas. Quando você lê "OUTRAGE" em letras grandes no AeS, você já sabe que não vai sobrar ninguém vivo kkkkkkkkk E agora, os dois irmãos indo se enfrentar. Vamos ver como isso vai terminar. Parabéns pelo capítulo, man \o\

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -