Posted by : CanasOminous Nov 25, 2013

Support Conversation (Karl x Lyndis)
Gênero e Disclaimers: Ecchi, Nudez, Romance;
Tema: Academias, calças apertadas e armários escondidos;
Notas: Vamos dar uma conferida na relação entre Lyndis e Karl que já está bem... intensa? As coisas já estão pegando fogo!
Este episódio foi feito para a Semana Ecchi.

Karl arfava de cansaço enquanto se exercitava na academia da guilda. Fazia o treino na máquina de supino para a região do peito, vinte e cinco quilos de cada lado e mais os dez da barra lateral. Suava muito e quase perdia o equilíbrio, precisava de mais dez repetições em uma série de três. Números e mais números para sua cabeça que não se dava nada bem com a área de exatas.
— ...cinco, seis, sete, oito... — dizia Karl com a voz tremida e todos os músculos sendo triturados pelo esforço necessário na máquina.
Estava empacado no oito, faltava pouco para o dez. Só mais um pouquinho...
— Tá feia a coisa aí, hein, Karl?
Ele tremia pelo cansaço até que percebeu que Lyndis estava em sua frente. Ela apoiou sobre a barra e fez ainda mais peso, Karl quase veio ao chão com tudo. Ele só podia observá-la de ponta de cabeça, mas sem reparar estava de cara com as pernas da mulher, e mais precisamente, em uma região... perigosa. A moça estava de braços cruzados vendo que o amigo não seria capaz de terminar a série de exercícios, e se viu obrigada a debruçar-se sobre ele para dar apoio e não deixá-lo derrubar os pesinhos. O rapaz chegou a encostar seu nariz bem naquela área da calça colada da amiga que debruçava-se sobre ele cada vez com mais força.
— Affe, K. Faz a coisa certa! Tenta pegar na barra com espaço de um punho de onde você está segurando, isso vai fazer com seu peito seja a área mais fortalecida — explicava a garota com conhecimento no assunto. — Ei, K. Está me ouvindo? Responde!
O jovem levou a mão até o nariz antes de sentar-se.
— Acho que tive um sangramento nasal, de novo...
Lyndis deu uma risada calorosa antes de apoiar-se em um dos ombros dele e jogar todo o peso para cima do rapaz. Ela também estava muito cansada de seus treinos ultimamente, mas ao menos ver ter seu amigo ao lado a motivava.
— Você fica encarando tanto as outras mulheres de calça colada na academia que seu nariz até começou a sangrar... Safadinho!
— Eu não estava olhando ninguém — Karl respondeu meio emburrado.
— Ah, tá bom. Com tanto peito e bunda por aí, vai falar que você fica olhando para os músculos dos outros homens?! — Lyndis deu uma gargalhada exagerada.
— Ahh, qual é... Eu estava olhando outra coisa até você aparecer se jogando em cima de mim.
Lyndis quase deitou-se sobre ele esticando as pernas e fazendo uma pose sensual.
— Estava olhando minha bunda, não? Fala sério, eu enfeitiço todos os rapazes com esse meu rebolado. Nem você resiste!
Karl soltou um sorriso abafado e sem som. Ainda estava meio corado daquele último ocorrido, coçava o nariz um pouco encabulado e lançava olhares de relance para a ruiva. Lyndis levantou-se e foi para outra máquina da academia continuar com seus exercícios, e como mulheres são seres cruéis que judiam dos homens em toda as ocasiões que encontram, ela foi direto para a máquina de agachamento.
— Droga, Lyn! Desse jeito não dá! — gritou Karl em voz alta.
— O que foi? — ela indagou assustada virando-se para trás.
Ele abaixou a mão. Todos o observavam.
— Eu, err... Licença.

Lyndis viu que seu amigo se distanciava com pressa, e não hesitou em sair correndo dali atrás dele. Dobrou os corredores até onde Karl se dirigia ao banheiro com uma das mãos no nariz. Tocou-lhe o ombro e perguntou de maneira séria:
— Karl, o que está acontecendo? Você está doente? Está usando drogas? Por um acaso está tentando me evitar?
— Caramba, Lyn, não é nada disso! — disse o loiro já um pouco nervoso. Ele olhou para os lados para ver se alguém os observava. — É só que... É que... Poxa, eu curto muito você.
Lyndis piscou, mas estava levemente impressionada com a declaração.
— Hm, vindo de você é um começo. Pensei que ia demorar para tomar alguma atitude.
— É, foi mal... — ele balançou a cabeça. — Não sou muito bom nessa coisa de iniciativa, mas... Vivo pensando no que houve entre a gente desde aquele dia na neve.
Lyndis deu um tapa forte no ombro do rapaz que quase se deslocou.
— Opa, mas é uma lembrança boa ou ruim?
— Quer mesmo que eu dê uma resposta?
— Nem precisa, eu sei que foi incrível — Lyndis deu uma risadinha. — E para ser bem sincera, eu estava louca para repetir a dose. Olha, não sou nem um pouco chegada em esperar que os rapazes tomem atitudes por mim, então vamos direto ao assunto, pode ser?
A moça levou a mão até uma bolsinha lateral que levava consigo, e tirou dela uma chave que fez questão de esfregar na cara do amigo.
— O que é essa coisa?
— Vem comigo.
Os minutos mal se passaram e Lyndis e Karl já haviam entrado no banheiro feminino no maior amasso possível. O rapaz a carregava no colo segurando as duas pernas de modo que Lyndis as trancasse em seu corpo e não se soltasse por nada. As mãos dele escorregavam com velocidade. Da mesma maneira que ambos se beijavam com paixão e ternura numa voracidade intensa.
Se amavam loucamente e o sentimento de serem descobertos ali despertava ainda mais seus sentidos. Lyndis se certificara de que não haveria ninguém por ali nos próximos minutos, mas queria aproveitar-se e fazer tudo com Karl, tudo que tinha vontade até então e aliviar todas as suas necessidades de mulher. O rapaz a encostou na parede e Lyndis gemia alto conforme sentia as mãos escorregarem por seu corpo.
— Faça menos barulho, Lyn! Alguém vai te escutar...
— Desculpa, eu simplesmente não consigo me conter! — ela dizia com as bochechas coradas. — Ainda nem começamos pra valer, mas só de pensar na sensação eu já fico louquinha! É bom demais...!
Karl a silenciou com mais um beijo longo e demorado, ajeitando as pernas da moça que cabiam perfeitamente em seu colo e pareciam gostar muito de ficar ali. Seus cabelos ardiam em chamas, Lyndis estava louca é para arrancar o sutiã e a calça colada para dessa vez experimentar algumas coisas novas que havia aprendido. Com Al Capone por perto ela não poderia fazer nada, estava sempre sob os olhos vigilantes do pai. Quando tinha um tempo a sós com Karl não perdia a menor chance.
— E pensar que há um tempo você era aquele moleque  encrenqueiro dos becos da guilda. Quando foi que você se tornou tão másculo desse jeito?
— No mesmo tempo que suas pernas ficaram desse jeito — disse Karl dando-lhe um tapa na bunda que fez Lyndis quase gritar. A diferença é que ela devolveu o soco na cara do amigo que foi direto ao chão.
— Por que bateu em mim, seu idiota?!
— D-D-Desculpa, Lyndis! Foi sem querer, eu agi sem pensar!!
Num ato súbito ela sentou-se sobre o colo dele novamente e o beijou com mais intensidade, puxando a gola da blusa para mais perto e provando daqueles lábios tão saborosos.
— Faz de novo porque eu adorei.
Lyndis sentia-se cada vez mais íntima do parceiro. Não tardou em levantar o blusão e deixar bem amostra seu par de seios que faziam o rapaz pirar. Na primeira vez ela vira que dera certo, então esperava repetir a dose. Segurando gentilmente em uma de suas mãos, Lyndis fez com que ele apalpasse-a gentilmente.
— Você gosta deles, não é? — sua voz tremia e ela parecia ainda mais enfeitiçada por seu toque.
Karl ergueu-se num impulso e chegou a abocanhar um dos seios da mulher, o que fez Lyndis arregalar os olhos de espanto.
— Ei, o que pensa que está fazendo? Minhas outras partes vão começar a ficar com ciúmes, elas também querem atenção — a mulher tentava parecer preocupada, mas aos poucos percebeu o quanto aquilo era bom e abraçou o rosto do rapaz contra seu busto pressionando-o com mais força. — Minha nossa, acho que vou precisar fazer isso mais uma vezes...
Os gemidos ficavam mais altos, mas àquela altura eles já nem ligavam. Cada beijo era um sinal de sua paixão íntima que crescia a cada segundo, mas Lyndis nem conseguia mais ficar de pé de tão distante que seus desejos chegavam. Ao terminar de selar mais um beijo no rosto do amigo, os dois se encararam por breves segundos. Uma das mãos da moça foi mais adiante até o zíper da calça do rapaz.
— Karl, eu... Preciso. Preciso agora mesmo. E não vou conseguir parar.
Subitamente, o barulho da porta foi claramente ouvido.
A jovem tomou um susto tão grande que deu um salto para o lado, parando tudo que fazia e agarrando sua blusa e outras roupas jogadas. Não sabia quem havia entrado, mas o movimento parecia ser grande. Por sorte eles estavam escondidos em uma parte do banheiro onde se encontrava o vestiário, mas não tinham tempo para sair e muito menos sem serem vistos.
Lyndis olhou para os lados sem saber o que fazer até que encontrou um armário um pouco apertado que poderia caber os dois se eles se espremessem ali. Agarrou a mão de Karl e o jogou-o lá dentro, ficando apoiada em sua frente onde trancou a portinha de ferro e tentou permanecer em silêncio o máximo que pôde.
— Cacete, por que sempre tem que aparecer alguém para nos interromper? — indagou Karl.
— Só pode ser mandinga, ou alguém está tentando descontar na gente a falta de mulher... — sussurrou a ruiva bem baixinho, mandando uma indireta para o escritor dessa história e mandando seu companheiro calar a boca. — Shhhhhh!! Olha ali, vem vindo alguém.
Jade, Akebia e Milena haviam acabado de entrar no banheiro feminino para rir e conversar sobre a vida alheia. Era a hora perfeita de reunir algumas das mulheres mais fofoqueiras da equipe, se fosse Wiki ela poderia até querer juntar-se à festa, mas Karl já agradecia os céus pelo fato de Sophie não estar entre elas.
Lyndis ouvia atentamente a conversa, mas naquele instante a última coisa que queria ouvir eram as besteiras de suas amigas. Pensava apenas em uma coisa.
— Lyn... — falou Karl. — Acho que você está... meio molhada.
O rapaz a segurava pela cintura, mas lentamente suas mãos foram subindo e a moça quase desmontava em seu colo. Seus olhos giravam de um lado para o outro, mas havia ficado tão excitada com a possibilidade de ser descoberta que não se conteve. Sem olhar para trás, ela continuou falando bem baixinho.
— É que você fica me cutucando com essa coisa aí...
— Foi mal, é que as suas pernas são... impecáveis. Só de lembrar você encostando em mim aquela hora na academia eu quase perdi a cabeça!
Lyndis começou a gemer baixinho, mas teve de morder a língua para não extrapolar. Karl escorregou uma de suas mãos até as parte da frente da calça leg, indo em direção da virilha até algumas regiões mais baixas.
— Vamos parar por aqui? — indagou ele.
Lyndis levou uma das mãos até o rosto do jovem na tentativa de olhar para ele, e o beijou depois de falar:
— Nem ferrando.
A ruiva tinha de se conter em não olhar para trás. Precisava ficar com os olhos fixos em suas amigas do lado de fora sem saber o que viria por trás, mas estava curiosa e alvoroçada ao mesmo tempo, nunca imaginara que poderia sentir algo do tipo antes, uma mistura de encanto de modo que seus pensamentos ficassem todos falhos e ela não conseguisse pensar em absolutamente mais nada.
— Ahhh...!
As garotas que estavam no banheiro se encararam como se tivessem ouvido alguma coisa. Lyndis gelou enquanto Karl tampava sua boca com a mão, ele sabia que sua parceira não iria conseguir controlar o nível da voz. Ela mantinha seus olhos fixos em Milena que deu uma risada e falou:
— São só os rapazes exagerando nos treinos da academia — disse Milena.
— Esses homens... Parece que estão gemendo quando fazem exercício, não? Por que é que tentam levantar mais peso do que conseguem e ficam aí quase explodindo de tanta força que fazem? Acho isso tão desnecessário... — respondeu Akebia.
Jade foi em direção do armário onde Karl e Lyndis estavam escondidos e tentou abri-lo, mas estava trancado. O coração dos dois quase saltou para fora. A jovem virou-se para suas companheiras e falou:
— Gente, será que esqueceram algo aqui?
— Deixa pra lá, não deve ser nada demais... — respondeu Akebia.
Para piorar ainda mais a situação, agora era Glaciallis quem havia entrado no banheiro. Fantasmas como ela tinham o poder de atravessar paredes e móveis, e se tudo indicasse para que Glaciallis tivesse a curiosidade de descobrir o que havia trancado ali dentro... A situação ficaria tensa.
Jade, que não era nem um pouco curiosa, a chamou:
— Yo, Glaci-chan! Pode dar uma ajudinha aqui?
— Do que precisa? Eu estou com um pouco de pressa... — indagou a moça, parecendo um pouco ocupada.
— Ajuda a gente a abrir essa porta emperrada?
Karl já dava risada só de pensar no quanto estava ferrado e em como sua reputação terminaria destruída diante dos companheiros da guilda, e como seria ainda pior se Sophie descobrisse. Glaciallis foi até a porta e parou, examinando-a bem. Lyndis já nem estava com os olhos abertos, continuava enfeitiçada e sem noção algum do perigo. Mas, para sua surpresa, Glaciallis virou-se para as demais e falou com a voz baixa:
— São só alguns cadernos e materiais da Eva... Vamos deixá-los aí.
As demais deram de ombros e finalmente saíram do banheiro. Karl e Lyndis ainda esperaram alguns minutos antes de destrancarem a porta e caírem no chão com tudo. Lyndis viu-se libertada e não escondeu um gemido de prazer que ecoou por todo o banheiro. Karl tinha a calça abaixada  até os joelhos enquanto as pernas de Lyndis continuavam cambaleando e seu rosto repleto de prazer.
— Karl, acho que atingi meu clímax lá dentro... — ela gemeu, segurando gentilmente no rosto dele e dando-lhe mais um beijo. — Cara, isso foi simplesmente incrível.
— Tirando o fato de que e quase enfartei... — o rapaz tentou rir, mas não escondia o quanto havia gostado.
Lyndis parecia disposta a mais algumas rodadas, porém, tiveram de se contentar em ajeitar suas roupas e saíram dali o quanto antes. Lyndis foi antes para ver se alguém estava por perto, logo seguida por Karl de maneira que ambos desfilassem como verdadeiros heróis que saem vitoriosos do campo de batalha, espiões que retornavam após terem se infiltrado em território inimigo com informações que ninguém jamais teria acesso.
— Que dia, não? Adoro essas manhãs ensolaradas na academia, me sinto até mais incentivado para vir treinar! — brincou Karl.
— Se vier mais cedo amanhã vai receber um presente — continuou Lyndis ao abraçá-lo mais forte num dos braços enquanto os dois saíam juntos para fora dos prédio de treinos da guilda.
No caminho eles acabaram por passar ao lado de Glaciallis, que curiosamente ficou a encará-los. A moça raramente falava com qualquer um que não fosse o General, e muito menos fazia contato diretamente nos olhos. Por fim, chamou-os de maneira bem discreta.
— Hm... Lyndis-chan, Karl-san... — os dois se viraram para ela. — Da próxima vez, escolham um lugar diferente para fazer esse tipo de coisa...
E continuou seu caminho. Os dois jovens se entreolharam vermelhos de tanta vergonha, agora que o sangue abaixara e eles percebiam a gravidade do que haviam feito, que por sinal, não tinha mais volta.
— E-Ela sabe... — sussurrou Lyndis com a voz trêmula.
Seu companheiro acenou com a cabeça.
Tamo fudido.

{ 4 comments... read them below or Comment }

  1. Caraca, que foda 'o'
    Essa foi uma das melhores Support Conversation <3 Fiquei até arrepiado ao ler, tipo sei lá eu amo coisas de safadeza, espero ver mais dessas na semana Ecchi *oooo*
    E sobre a Milena? Teremos ela, hein? E a Wiki? Você podia postar uns dois desenhos por dia, eu ia amar e_e E realmente eu gosto de Karl e Lyndis, são dois molequinhos malucos apaixonados!
    Pobre Glaciallis ;-; Ter visto tudo ;-; Tadinha. Gosto tanto dos fantasmas, e ainda misturado com gelo fica perfeito.
    Mas quero mais desses, em Canas? Que nem o Fire Tales proibido lá que virou Support Conversation, que eu esqueci o número, sabia de cor :P
    Falou Canas!

    ReplyDelete
  2. Diga ae, companheiro! Cara, eu realmente tenho bastante coisa para postar, mas levando em consideração o tempo que eles demoram pra ficar pronto acho melhor ir fazendo tudo aos poucos kkkk Eu e a Nyx já estamos planejando essa semana há quase 2 meses! Dá um trabalhão fazer, mas no fim das contas é bem divertido ver o resultado.

    Olha cara, como eu cheguei a falar num outro comentário, com certeza teremos um pouquinho mais da Wiki que já é marca registrada de Ecchi aqui no blog kk Nosso sex appeal. A Milena eu não sei, algumas pessoas tinham pedido, mas entre os desenhos e rascunhos que temos em mãos ela não consta, então acho que vai ter que ficar para a próxima meu caro. Essa relação entre a Lyndis e o Karl já está ficando muito forte, é melhor eu ir parando por aqui kkkkkkkk Teremos algumas surpresas bacanas nos próximos dias, mas não posso esquecer de focar no capítulo para sexta e me certificar de que tudo ficará certinho. O trabalho nunca acaba! -rs.

    Isso porque a equipe da Wiki ainda nem foi lançada nos remakes, mas vocês irão adorá-los! Estou guardando os melhores para essa reta final, e dependendo da minha inspiração quem sabe não tento trazer mais episódios dessa galera? Nunca me canso das aventuras deles, também são meus supports preferidos kkk Valeu pelos elogios companheiro, abraços!

    ReplyDelete
  3. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAH! CANITAS QUE PER-FECT!
    Fala sério o Support está do jeitinho que eu gosto! Quente, exitante e uma pessoa descobrindo as estripulias. Lyndis e Karl não são um dos meus casais favoritos de Sinnoh, mas eu não perco de ler uma safadeza né? (Prefiro ela com ele do que com mi amado Beliel).
    Poxa, até a Lyndis ta reclamando de que sempre algo aparece e atrapalha tudo. Né senhor Canas?!
    De boa eu odeio quando alguns escritores (dos quais li fanfictions e os considero ótimos escritores) fazem uma história perfeita, mas é sempre tudo fechado, em segredo; eu gosto quando as pessoas fiquem sabendo, sabe? Gosto de rir da reação delas, de ver os envolvidos ficarem vermelhos de vergonha, são coisas que eu pago sem problemas para ler. Acho quem sem a Glaciallis sabendo de tudo não seria o tipo de Support que eu me apaixono. Ah, mas também vai chegar a hora da Princesa de Gelo, não é?
    Sim, mas uma coisinha senhor Canas; que história é essa de só ficar postando desenhos das moças? Cadê os Deuses Gregos da Fire Tales?! (Estou querendo ver o tanquinho deles, CLARO!). E o R16 não pode passar assim sem ter Suportes do Aerus com a Tih e do Mikau e Milena, não é? Devo imaginar como é selecionar somente alguns casais para a semana, você sente-se mal por alguns dos casais não tiveram a chance de ter algo assim (é como dizer a lista dos meus preferidos da 1D, sempre vou me sentir mal por ter deixado um dos meus 5 bebês por último)
    To indo Canitas, fazer alguma coisa, pois sono é o que não me vêm... talvez termine de escrever Ransei (quem sabe?) já que no dia 3 meu boletim chega e minha mãe talvez me mate ou me tire o pc... Beijos, querido.

    ReplyDelete
  4. Diga ae, Lux! Poxa, eu juro que dessa vez a intenção era chegar até o final com os personagens, mas sempre acontece alguma coisa que me faz ficar pensando, aí no fim das contas optei por sempre interromper, já virou quase que uma marca minha kkkkkkk Bem, uma hora ou outra deixarei os personagens felizardos chegarem até o ponto final, mas por enquanto tenho que me contentar em ficar no +16 e não ir muito além disso, rs. O bacana de episódios assim é justamente rir dos outros, criar as mais diversas situações e descobertas, fazer o que seria terrível se acontecesse na vida real kk Terrível no sentido de ser descoberto, eu é que não queria estar na pele desses dois. Bem, mas vai saber. Alguns ficam mais agitados assim pra não dizer outra coisa kkk

    Não se preocupe querida, a parte dos homens já está para chegar! A Nyx também mandou ver nos desenhos dos personagens que ela gosta, afinal, temos que satisfazer os dois lados. Eu realmente tenho mais algumas coisas bem diferentes, uma moça pediu para que eu fizesse um Support Yaoi, e eu fiquei meio... oi? kkk Mas como sou um cara legal e tento fazer de tudo que os leitores querem, especialmente as moçoilas, acabei recorrendo à ajuda da Leeca que manja dos paranauê e pedi para ela dar um jeito nisso. Sei lá como ficou, tem gosto pra tudo kkkkkkkkkkkkk E acho que estarei postando esse episódio cômico ainda nessa semana, para a felicidade de algumas garotas que curtam o gênero.

    Se tudo der certo lá pra frente nós poderemos estender essa Semana Ecchi. Vou continuar trabalhando em algumas ideias com a Nyx, e quem sabe rola a segunda rodada da Semana Ecchi? Conteúdo e empolgação eu tenho certeza que terá de sobra, o jeito vai ser só esperar pelo momento certo, mas a experiência de uma semana inteirinha só disso está sendo cômica kkkkkk Obrigado pelo comentário querida, logo mais a vez da mulherada vai chegar, party everywhere! kkkk See ya

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -