Posted by : CanasOminous Feb 22, 2012

A escuridão aos poucos tomava conta do céu até cobrir completamente o véu negro que se estendia pelo horizonte. As brasas da fogueira central eram remexidas por Pachirisu que aguardava pacientemente o retorno de seu amigo Gabite, parecendo apreensivo com a demora e até mesmo tomado pelo receio por estarem há tanto tempo situados na sombra daquela torre amaldiçoada. O jovem esquilo abraçou sua cauda e encolheu-se em um canto, fitando a escuridão, até sentir o caminhar sorrateiro de Titânia aproximar-se do seu lado, encarando a escuridão como se tivesse avistado algo.
Duas figuras. Duas eram as que podiam ser contadas, embora as sombras debaixo de seus pés parecessem negar tal afirmação. Gabite retornava cansado logo em frente, na companhia de algum outro sujeito praticamente da mesma altura. Tinha um caminhar firme e a fronte erguida, com as mãos para trás como alguém que examinava cuidadosamente cada detalhe de algo que deseja comprar. Gabite entrou na área da guilda e em seguida sentou-se em frente a fogueira de pernas cruzadas, parecendo muito cansado depois de uma luta. A figura que o acompanhava encarou os outros Pokémons com autoridade e em seguida bateu continência na direção de Titânia.
— Saudações, eu sou o General Castelo Branco, dos exércitos de tempos antigos. Guerreiro exemplar do batalhão fantasma da torre perdida, às suas ordens. — disse um Duskull, mantendo a posição firme em direção de Titânia que retribuiu o gesto com respeito.
— Vejo que temos um veterano de guerra, Gabite. — afirmou a serpente.
— Esse cara é bom de briga, o chefe fez bem em juntá-lo para a equipe, e agora aqui estamos. Admito que fazia um tempão que eu não encontrava alguém nesse nível. Quase fui surpreendido. — comentou Gabite.
— Não devemos julgar alguém pela aparência, não é? — sorriu o pequeno Pachirisu, encostando ao lado do dragão e parecendo muito alegre pelo retorno do amigo.

Logo, os outros membros da equipe também se aproximavam para conhecer o novo mandante na área. Sua postura era muito atraente, e parecia ser carismático quando se tratava de conversas. Titânia ainda tinha dúvidas quanto a capacidade do sujeito,  mas tinha certeza que se Gabite havia tido problemas, o oponente não se tratava de um algum guerreiro ou impostor qualquer.
— Ui, que bonitão. — disse a pequena Roselia.
Pachirisu aproximou-se do comandante e pôde ver sua face com mais clareza. Seu rosto permanecia na maioria do tempo oculto pela escuridão, mas era claro uma cicatriz profunda em seu rosto pálido, tão profunda que se podia sentir a dor que o cobrira no dia em que a recebera.
 O que são essas cicatrizes? — perguntou o esquilinho — Doeu muito?
 Certos atos o tempo não apaga, meu caro, nem mesmo a eternidade. — comentou o fantasma, ajeitando seu chapéu e fazendo um rápido aceno para o pequeno — De infantil, não possuis nada, fui informado de que és um dos responsáveis por esta facção, estou certo disso?
— É. Ele é o meu braço direito. — respondeu Gabite de longe enquanto ajeitava alguns gravetos na fogueira.
Pachirisu deu um leve sorriso. Normalmente os Pokémons comuns não acreditariam que uma criança poderia ser um guerreiro poderoso, mas Duskull acreditava, e cada palavra dita  parecia ser proferida com enorme verdade.
        Ele virou-se para Titânia que ainda o observava sem dizer nada, apenas encostada sobre uma rocha exibindo suas curvas tênues de seu corpo perfeito. Ela certamente não se tratava de uma simples guerreira, tinha um olhar tão reluzente e sedutor que era capaz de fazer seus oponentes desistirem antes mesmo de iniciar alguma batalha. Olhos de comando, de experiência, confiança.
— Tu não és uma simples guerreira. És tão experiente quanto eu. — disse Duskull.
— Agradecida. Admiro seu respeito e sua posição como líder. — sorriu ela ainda sem movimentar seu rosto.
O fantasma olhou fixadamente nos olhos da morena e em seguida comentou:
— Força. Honra. Caráter. Fazia muito tempo que não deparava-me com guerreiros assim, acredito que eu tenha sido estranhamente afortunado por poder ter tido a chance de conhecê-la. Será um prazer lutar ao seu lado, Milady.

Aquele fantasma era o assunto do momento. Piplup resmungava de como ele era mais capacitado do que o próprio Gabite para mandar na equipe, e todos pareciam dispostos a ter um verdadeiro líder.
— Senhor Duskull, por que não se torna nosso comandante? Admito que nas últimas semanas nós tenhamos tido um babaca no governo. — sugeriu Piplup.
— Oe, seu pinguim frouxo, já tá querendo me tirar do poder? — retrucou Gabite, que afiava suas garras próximo a fogueira.
Duskull soltou uma longa risada com sua voz grave, e ainda sem perder a classe voltou-se para o pequeno:
 Quando um general entra no território do outro, ele deve agir com respeito para os líderes do local por não estar em sua própria área. Independente de eu comandar a área, reconheço quando existem guerreiros mais capacitados do que eu.
Titânia parecia apreciar o modo do sujeito de agir. Gabite estava de mau humor por ter sido acordado no meio da noite por seu treinador, mas pelo menos agora ele poderia ter um pouco de paz. Por conta disso, eram os outros membros que apresentavam a área dos Fire Tales para o General. Pachirisu e Roselia o guiavam, acompanhados de Titânia que mantinha a retaguarda logo atrás.
— O Salão Central. Magnífico, magnífico. Guardado envolto de uma fortaleza de ferro e coberto pela glória de gerações passadas. Fascinante, fascinante— disse Duskull, andando no meio de uma área vazia que os demais membros chamavam de "salão central". O fantasma andou até uma pequena pedra no meio do caminho e apontou para ela com respeito, balançando sua cabeça num sinal positivo como se admitisse estar num lugar sagrado. — O trono real.
— É só uma pedra. — disse Piplup.
 Não é só uma pedra, é a Pedra do Mestre! — retrucou Pachirisu alegre, relembrando-se da história que Titânia havia contado para ele há algumas noites — Devemos entender que tudo tem uma história, e por milhares de anos essa pedra pode ter caminhado para finalmente surgir em nosso caminho.
— Exatamente, meu caro Capitão Felpudo, esta pedra é o local mais majestoso dentre todos os cantos do palácio. E aqui é onde apenas os grandes permanecem. Guardem-na com honra.

Para alguns aquela forma convencional de Duskull parecia uma simples brincadeira, mas ele de fato sabia como dar os devidos cuidados para uma base e seus exércitos, como um verdadeiro general. Os Pokémons o guiaram até a área localizada entre a biblioteca e o ferreiro. Shieldon estava em um banquinho de madeira com um escudo em mãos, parecendo refiná-lo até torná-lo uma armadura perfeita.
— Saudações. — disse Duskull.
Shieldon apenas acenou com a cabeça. Não que ele não desse conta do respeito necessário para com seus superiores, mas Duskull entendia que ele estava ocupado. O fantasma olhou para a biblioteca de forma séria, pois não sabia ler. Na realidade, praticamente todos os Pokémons da equipe não sabiam, com exceção de Froslass e Shieldon.
— Quem tem conhecimento dessas escrituras antigas entre seu povo? — perguntou Duskull.
 O Shieldon e a Tia Froslass. Só os dois. — respondeu Pachirisu.
O General levantou sua visão de modo a ver um doce vulto surgir de dentro da área denominada  Biblioteca. Glaciallis parecia estar arrumando algumas prateleiras para retirar o pó, de tão pouco frequentada que ela era. No momento em que viu Duskull ela corou um pouco de vergonha, não gostava de conhecer novos membros, ainda mais quando eles eram atraentes. 
          O único olho de Duskull pareceu ser emanado por um brilho único, eles se fixaram na moça e não o largaram desde então. Num rápido salto ele se ajoelhou em frente à Froslass, curvando a fronte e beijando delicadamente as mãos frias da fantasma. De primeira instância ela desejou recuar, mas a doçura com que as palavras seguintes foram proferidas fizeram com que seu coração gélido quase derretesse.
Image by: Leeca

— Que dádiva é esta, recebida dos tesouros do céu e bordada em fios de prata pelas mãos de uma deusa? Permita-me apresentar-me, milady, meu nome é Castelo. É uma enorme honra conhecê-la.
Glaciallis estava tão envergonhada quanto no dia em que chegou pela primeira vez na equipe. Não sabia se recuava, mas suas mãos estavam imóveis ao encontro daquele sujeito que acabara de conhecer,  embora parecessem fazer décadas.
— Qual seria o nome desta doce Donzela de Gelo?
Ela não respondeu, recuando lentamente sem conseguir pronunciar uma palavra.
— Você está bem? — perguntou Titânia.
A moça estava tão vermelha quanto o laço que carregava em sua cintura. Duskull largou de suas mãos, e então ela correu de volta para a bilioteca. Shieldon se deu conta, correndo para segui-la calmamente com o intuito de consolá-la. Duskull retomou sua pose, e tornou a dizer:
— Está acanhada, um verdadeiro tesouro! Oh, se os presentes infindos não lhe fossem o suficiente eu seria capaz de dar-lhe o mundo se preciso. Que brilho intenso para os olhos de um amante solitário como eu! — disse Duskull.
— Vish, nem parece o mesmo cara que estávamos dando as boas vindas ali na entrada. — comentou Piplup.
 Será por isso que dizem que namorar faz mal? — perguntou Machop.

Glaciallis havia corrido de volta para dentro da biblioteca, ela estava eufórica e sua respiração antes suave agora parecia pesada e cheia de dúvida. Não demorou para que Shieldon a encontrasse entre uma das estantes, debruçada como alguém que tentava recuperar o fôlego. Shieldon apoiou-se numa das estantes com poucos livros e a encarou.
 Ele é bonito, mas tenho medo... — disse ela quase que em um sussurro.
— Tem medo de conhecer alguém que pode vir a ser o amor de sua vida? — perguntou Shieldon.
— Eu tenho medo de me apaixonar e me decepcionar... De novo. Às vezes ficar tanto tempo presa em meu mundo de escrita fez com que eu deixasse de acreditar que um dia conheceria um homem como em minhas histórias. O homem perfeito para mim, aquele que descrevi em todas as lendas e mentiras, que salvava a princesa e vivia com ela para todo sempre. Mas eu, sinceramente, nunca imaginei que conheceria um...
— Você deve correr atrás daquilo que acha certo. Se não tentar nunca vai saber. — respondeu Shieldon pensativo.
Froslass direcionou sua feição preocupada em direção do companheiro. A moça não pronunciava sequer uma palavra na presença de qualquer outro, mas com Shieldon ela se sentia a vontade para desabafar. Shieldon ainda parecia sério, de fato, ele sempre estava sério. Aquela máscara parecia ocultar tantos segredos, e todos os seus sentimentos pareciam ficar aprisionados dentro dele. Glaciallis suspirou, e em seguida levou sua mão ao encontro de seu peito, olhando para o amigo de forma cansada.
 Estou apreensiva... Espero não ter assustado aquele sujeito com minha euforia, eu não gostaria de causar uma má impressão logo de cara.
Shieldon estava sério, mas por um momento era como se fosse possível vê-lo sorrindo por trás de sua máscara.
 Fico feliz que você tenha encontrado alguém. Eu vou estar sempre ao seu lado quando precisar, pois eu não poderia deixar de me certificar de que você estará feliz.

Os dois logo saíram do fundo da biblioteca para o pátio da base. Duskull já estava conhecendo as Casas de Cura e os outros locais, mas no momento que viu Glaciallis novamente ele saltou num enorme pulo ao seu encontro, como um inseto faz quando se depara com um grande pedaço de bolo.
— Saíste do fundo da escuridão para exalar o brilho suave de seus olhos gélidos novamente, minha donzela? Criei uma poesia nesses sete minutos que nos conhecemos, especialmente para você, permite que eu a recite em voz alta para que o mundo inteiro saiba de meu amor por ti?
— Cruzes, eu pensei que ele fosse apaixonado, mas isso já é exagero. — disse Piplup.
— Invejoso, está reclamando apenas porque não existem mais homens como ele. — brincou Gardevoir.
Glaciallis estava novamente corada como uma maçã. Ela correu de volta para a biblioteca, deixando todos os outros para trás. Shieldon passou a mão em sua face procurando manter a sua virtude da paciência, pois não era fácil lidar com aquilo
 Ela é um pouco tímida. Talvez o Senhor devesse ir com um pouco mais de calma. — comentou Shieldon.
 És o amante dela? Um duelista que veio para tirar meu amor por esta donzela e disputar em prol de seu amor eterno?  — perguntou Duskull.
— Só um amigo. — disse Shieldon de forma séria.
O General agora parecia mais calmo, recuperando sua postura fina e ajeitando seu chapéu militar entre seus cabelos perfeitamente penteados.
— Oh, o Protetor! Perdão, então devo agradecê-lo por tomar os cuidados necessários de minha princesa durante esses dias alarmantes. Presumo que você a entenda mais do que ninguém, mas a partir de agora que tu esteja em tranquilidade, pois eu jamais deixarei que um mal sequer a afete.
Shieldon afirmou com a cabeça, e em seguida retornou para a biblioteca para o consolo da amiga novamente. Os membros remanescentes retomaram o curso do projeto pela pequena base, e logo Duskull estava apresentado para todos os integrantes. O General retornou para o centro da fogueira e agradeceu as boas vindas que havia recebido de cada integrante.
— Coronel Gabite, estás sob posse de um exército incrível. Minha força estará ao lado dos Fire Tales quando for necessário. — disse Duskull, batendo continência.
 Que bom, agora senta aí e come. — respondeu Gabite, jogando um bife na direção de Duskull.
Pachirisu e os outros se sentaram em volta da fogueira como numa grande reunião em família. Titânia encostou-se sobre a pedra novamente e depositou sua cabeça sobre os braços ouvindo tudo atentamente. Pachirisu balançava suas perninhas como alguém que estava muito animado.
— Por quê não contamos uma história? Faz muito tempo que não fazemos isso, e agora temos novos membros. — sugeriu Pachirisu.
— É verdade Bola-de-pêlos, com essa correria de guilda e a construção da base nós acabamos até perdendo o foco das nossas reuniões. Vamos chamar o pessoal para nos divertirmos. — disse Gabite.
Os demais membros começaram a se juntar. Mikau e Feebas logo estavam ao lado dos outros, Gabite havia dado um ligeiro tapa nas costas do cavalo-marinho que quase o fizera cuspir a própria língua. De fato, o clima entre os dois nunca era muito agradável, mas a pequena Feebas se divertia com isso. Lairon vinha logo atrás de Glaceon e o Leafon, que dera o lugar para que sua dama se sentasse e pudesse ter o conforto desejado. Duskull parecia muito interessado naquela conversa sobre contos, pois apreciava histórias antigas.
— Quem se prontifica hoje? — perguntou Pachirisu.
— Esplêndido. Eu adoraria compartilhar uma de minhas experiências com vocês. — disse Duskull.
— Opa, contos de guerra! Já vi que essa vai ser boa. — disse Gabite.
Duskull levantou-se e em seguida puxou um quadro negro que estava no depósito, começando a desenhar nele. Na maioria dos casos aquilo pareciam um aglomerado de rabiscos e desenhos conforme as mãos ágeis de Duskull se locomoviam com um giz branco. Assim que terminou, ele começou a falar como um professor experiente que aplica uma aula do tema que domina.
— Conheça seu inimigo. Comece com uma missão, saiba para onde está indo! Seja funcional no campo de batalha. Tenha uma boa equipe, um bom exército, os melhores equipamentos, e principalmente, confiança. Lute por um ideal. — disse Duskull.
Em seguida, o fantasma apontou para cada de seus membros e começou a falar:
— Avance para o lado direito e formule uma defesa com escudos de metal para impedir a passagem dos inimigos. Proteja o guerreiro ao seu lado, impeça os ataques aéreos com a mesma perseverança que um pássaro protege seus filhotes.
— Você está criando uma tática de guerra?! — indagou Piplup.
— Não é um conto que os Senhores procuravam?
Piplup encarou seus amigos ainda sem dizer nada.
 Tô indo dormir. — retrucou o dragão.
Aos poucos os Pokémons começaram a se distanciar, de forma que Duskull permanecesse sozinho com sua placa negra. O fantasma permaneceu parado ali por um tempo, misturando uma risada descontraída, pensando como de fato ele nunca soubera contar histórias. De repente, de trás das construções vazias alguém havia sido empurrado. Froslass estava toda arrumada, até mesmo com um lacinho delicado em sua cabeça. Ela caminhou na direção do General e tornou a falar:
— E-Eu gostaria de ouvir o final da história... — disse Glaciallis.
— Oh, a Senhorita decidiu por voltar? 
 Meu amigo Shieldon disse que eu deveria vir aqui e conhecer o Senhor melhor, até porque eu também não fui tão receptiva com o Senhor, me desculpe.
— Perdoe-me se fui muito estabanado, prometo agir aos poucos quando for lidar com a Senhorita.  Afinal, quando há pressa do lapidamento de uma jóia, ela se parte.
Froslass sorriu tímida.
—  Por aqui minha Princesa, sente-se.   disse o General oferecendo a mão para a dama.
A moça sentou-se em cima da pedra parecendo ainda um pouco acanhada, o militar acompanhou-a enquanto encarava o céu noturno com aquele brilho especial nos olhos.
— Há muito tempo atrás eu vivia em um reino, que os outros diziam ser amaldiçoado...

E assim, a história se estendeu por muito tempo. Embora agora os demais membros da equipe permanecessem logo atrás em uma moita observando o casal, todos de olhos e ouvidos bem abertos, curiosos, que tentavam se manter em silêncio, na tentativa de ouvir qualquer movimento oportuno.
— Será bom para ela, é como um sonho que se torna realidade. — disse Shieldon.
 Poxa, uma fêmea a menos no grupo. — retrucou Gabite.
— Eu fico feliz pela Tia Froslass, eles combinam. — continuou Pachirisu.
— Só espero que ele tenha bom assunto, porque até hoje eu não ouvi ela falar sequer uma palavra.    respondeu Piplup.
 Nháá, eles são tão bonitinhos! — continuou Roselia.
— Por quê ele não contou essa história ao invés daquela tática louca? — perguntou Shellos.
— Plebeus desprezíveis, estão pisando no meu pé. — disse Glaceon.
— Perdão, milady. — desculpou-se Lairon.
— Fique calma senhorita, mas seja silenciosa. — disse Leafeon.
— Opa. Perdão, de novo. — desculpou-se Lairon.
— Caraca, não tô vendo porra nenhuma!! — disse Togepi.
— Ei!! Saia de baixo da minha saia, Togepi! — disse Gardevoir.
— Seu dragão idiota, foi você que me empurrou de novo? — gritou Mikau.
— Desculpa, fui eu, sem querer. — desculpou-se Feebas.
— Ué, o que vocês estão fazendo escondidos atrás dessa moita? — perguntou Machop.
— Fale mais baixo, Machop!! — disse Mothim.
        — Por Arceus, se vocês não calarem a boca eu juro que mato todos vocês. — disse Titânia, para que finalmente o silêncio prevalesse. Por alguns minutos. Pelo menos.

{ 12 comments... read them below or Comment }

  1. Ow my Gooooood!
    Pelo jeito o General Duskull já chegou nos Fire Tales arrasando eim? Rapaz galanteador, inteligente em partes e muito elegante. Pelo jeito está mexendo com o coraçãozinho de muitas garotas né? Hum...

    Eu não posso acreditar que a Froslass e o Shieldon não ficarão juntos cara! Eles foram feitos um para o outro. Pobre Chaud... Me parece que ele ama SIM a Glaciallis, mas não quer mostrar isso, assim só quer ver a felicidade dela. Mas ainda acho que haverá mó reviravolta amorosa ai... Hum...
    E a história que o General foi contar para Glaciallis? Morava em reino amaldiçoado? Lembrei um pouquinho de Ghost Curse :D

    Mais um ótimo conto de Fire Tales Canas, até mais ver /õ/

    ReplyDelete
  2. Gostei muito desse Fire Tales.

    Achei interessante o general Duskull e do seu jeito. E o casal Duskull e Glacialis? Muito boa a forma com que ele usou as palavras(parece que ele entende de mais assuntos além de guerras). Gostei do grupo espiando os dois, principalmente a fala do Togepi, a Titânia ameaçando todos de morte e o Machop quase revelando que eles estavam lá.

    ReplyDelete
  3. E o General fora apresentado adequadamente aos Fire Tales! E como, não tenho dúvidas que será um grande reforço para a equipe do Luke. DuskullxGlaciallis, o casal do momento? Oba, oba! Cuide bem dela Duskull ou vai se ver comigo Ò.Ó shuahsuashaush brincadeira, tenho certeza que vai ser ótimo para os dois.

    A grande confusão na moita é que foi o melhor, gostei demais, porque é sempre assim quando um grupo se esconde pra espiar um casal, um não vê, outro pisa no pé de um, e por aí vai... E a Glaceon com uma frase em toda a história me arrancou boas risadas :D. Muito boa Canas, até mais cara o/

    ReplyDelete
  4. Yo Canas! Cara amei esse fire tales! Ver a Glaciallis apaixonada foi demais, ela realmente merece! (^u^)_b
    Mas cheguei a pensar que ela ficaria com o Chaud!:(
    E o Capitão, chego com tudo! E aquelas mudanças dele foram ótimas, um hora todo cheio de conhecimento e postura e de repente um Don Juan deslumbrado! Heheheh... Muito bom! Resumindo, eu adorei este capítulo, estou ansioso para ver oq vai acontecer daqui pra frente! Abraço!^^

    ReplyDelete
  5. Eu esperava que a Froslass ficasse com o Shieldon D= Fiquei com uma puta raiva desse Duskull! ò_ó
    Mas ficou muito bom o capitulo! Eu já tinha esquecido dos contos! XD
    O povo escondido atrás na moita foi a parte que mais gostei! Capitulo nota 10!

    ReplyDelete
  6. é capitulo equilibrado, um pouco de comédia, romance etc...Eu gostaria de ter visto a luta entre o Gabite e o Duskull, pelo comando dos Fire Tales.
    E olha só, parece que temos um casal entre eles, Castelo e Glaciallis, Glaciallis e Castelo. Catelo Branco... Isso me fas lembrar sobre o Marechal Castelo Branco, o Primeiro presidente do Regime Militar. E o pessoal bisbilhotando, é parece que teremos uma falta de femeas no recinto.
    E a tatica do Castelo, primeiro conte algo que não é do interesse de ninguém para "expulsar" os indesejados, para que sua dama tímida que não gosta de grandes aglomeração va até você, e ai sim você conta algo realmente bom.
    Bem fico por aqui.
    João_Victor

    ReplyDelete
  7. O capitulo fico bem legal

    não tenho muito o q comenta

    mais a parte mais engraçada foi de todos espionando o Duskull e a Froslass
    esses dois vão fazer um ótimo casal

    ReplyDelete
  8. Yo Canas!
    kkkkkk gostei desde Fire tales! E A Glaciallis destruindo corações... a lista já ta ficando grande (eu, o Shieldon, o Castelo, o Luke, O Gabite e por ai vai) kkkkkkk
    essas mudanças de personalidade do Duskull ficaram perfeitas, eu morri de rir com estas partes, ele falando de maneira poética! Nem sabia que se fabricavam homens como este (ah esqueci que ele é um fantasma) kkkkkk
    Assim como os outros falaram logo acima, o final ficou bem hilário! Me arrancou boas risadas!
    É quase como um primeiro encontro, cheio de penetras kkkkk
    Ei Castelo, é bom cuidar dela!!! Se não te arranco o outro olho kkkkkk

    Canas, muito boa a sacada de utilizar o Marechal Castelo Branco, morto nas alturas!
    Flw

    ReplyDelete
  9. Onix tem braços?''Titânia encostou-se sobre a pedra novamente e depositou sua cabeça sobre os braços ouvindo tudo atentamente.''?

    ReplyDelete
  10. Entenda o roteiro dessa fanfiction companheiro, não trato mais os Pokémons como as criaturas em si, você deve vê-los como os personagens criados na forma humana para a história e não pela forma das criaturas vistas originalmente.

    ReplyDelete
  11. Até a Titânia tem seu lado curioso... Logo ela, que sempre foi tão séria!

    Cara, um belo começo para o Castelo na equipe. Tenho certeza de que ele não vai apenas melhorar a história principal, mas também o Fire Tales. E de quebra, o cara já chegou chegando! Eu realmente pensei que a Glaciallis ia morrer do coração!

    Continue assim, cara!

    ReplyDelete
  12. Cap com Fire Tales e especial, é demais pro meu coração <3
    Enfim
    Own, que fofo o Pachirisu preocupado com o Gabite *-*
    Esse Duskull realmente tá f*da, tá ganhando meu respeito
    Ou melhor, General Castelo Branco [e tá muito certo em uma apresentação tão formal para a Titânia u.u]
    Roselia, pelo visto, não tão mais pequena assim aheauehauuhae
    Mano, uma cicatriz que dói só de olhar deve ser tensa mesmo o_o'
    Pachirisu é O cara, mano, não importando esse jeito fofo dele <3 <3
    General ganhando TODO o meu respeito pelo simples fato de reconhecer o poder da Titânia <3
    E o Piplup sempre detonando o Gabite xDD
    O General tem todo um olhar.... Como eu digo? Sensível, perceptivo? Enfim, realmente to gostando dele
    Depois de Fire Tales, uma pedra nunca será encarada de mesma maneira xD
    Tia Frosslass, confesso que ri xDD
    OH, MAS SAI DAE, GENERAL, SHIPP ChaudxGlaciallis É OTP U-U
    Mas vish, pelo visto, ela já se apaixonou por ele..... Me deem licença alguns minutos, vou chorar aqui ç_____ç
    (algum tempo depois.... *eu juro que não acredito que você realmente ficou tão triste* trauma de ver OTPs sendo deixados de lado é/)
    Entendo a Glaciallis, é tão difícil acreditar na possibilidade de achar aquele alguém quando se escreve sobre caras tão perfeitos....
    Esse General tá muito atirado pro meu gosto e-e [ainda não perdi as esperanças u-u]
    Só um amigo..... Affs.....
    e logo Duskull estava apresentado para todos os integrantes > Incluso Togepi e seu mercado negro? xDD
    Oh, as histórias dos Fire Tales, estava sentindo falta disso *o*
    Gabite, quase tão delicado quanto seu mestre para com Mikau -.-'''
    Wait, o General tá contando uma história ou montando uma tática de combate? xD
    Pelo visto, é uma tática mesmo. E que não agradou aos demais xDD
    Mas gente, eu achei que amigos sacanas que te empurram na direção de alguém apaixonado por você só existissem entre as pessoas aheuaehuaeu
    CARA, O DIÁLOGO DO FINAL FOI A MELHOR PARTE AHEUAHUAHEAUEUAEHAUE MUITO ASSIM, VÉI, FOI A CENA PERFEITA DOS FIRE TALES! AHEUAHEUAHEAUHHUAE
    Abraços da Tsuki ^^/


    [mas ainda to triste pela quebra do meu OTP ç____ç *traumatizada -.-''*]

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -