Posted by : CanasOminous Feb 24, 2012

O ensurdecedor barulho de Chatots nas redondezas fazia com que qualquer visitante não pudesse ter uma boa noite de descanso na cidade de Solaceon. Alguns Staravias pareciam montar suas tocas nas toras de madeira mais altas do Centro, de forma que as humildes casas da região parecessem um viveiro de pássaros atazanantes que cantarolavam uma melodia de desordem.
          A canção não agradava os visitantes. Um Staravia curioso permanecia a bicar uma das janelas do Centro Pokémon sem hesitar há aproximadamente uma hora, ele via seu próprio reflexo, e por isso sentia-se intimidado com a janela. Luke saltou de sua cama como um Liepard pronto para atacar e lançou o travesseiro que foi ao encontro do vidro, assustando o pobre pássaro que interrompeu suas bicadas por hora. Era a terceira vez que o jovem fazia aquilo, mas o Pokémon teimava em voltar após alguns minutos.
          — Saiam daqui, suas pragas com asas!! — gritou Luke.
Ainda era bem cedo, mas toda a cidade já parecia estar acordada, a companhia desagradável dos Staravias incheridos era rotina nas últimas semanas. Os moradores eram pessoas simples, e dependiam de suas plantações e agricultura para continuar sua rotina de trabalho. Lukas não se importava em estar de pé logo cedo, afinal, ele pretendia dar uma volta por Solaceon e conhecer o ambiente, tendo um rápido treino para logo seguirem para Veilstone. Luke deitou em sua cama e colocou seu travesseiro sobre seu rosto para evitar a claridade, seu irmão apenas ria enquanto vestia seus calçados.
— O que vamos fazer hoje? — perguntou Lukas.
— Matar Staravias. Esses desgraçados não me deixaram dormir a manhã inteira, eles vêm o reflexo no vidro e ficam tentando entrar no quarto. — comentou a voz afagada de Luke no travesseiro. — Quem quer frango à passarinho?

Enquanto se trocava, Lukas deu conta de que a Gardevoir de Luke entrava no quarto com as roupas e mochila do jovem. O irmão logo se levantou e agradeceu a criatura pela atenção que recebia. Ele provavelmente continuaria no quarto até terminar suas tarefas, mas Lukas preferia sair mais cedo e aproveitar o dia. Dawn também estivera incomodada com o barulho dos Staravias, e por isso já estava de pé logo cedo. Os dois se cumprimentaram e desceram para tomar café.
Lukas colocava um pouco de suco de Oran Berry no copo, o seu preferido; e ao seu lado, Dawn folheava uma revista que havia pego na recepção de manhã. O Centro Pokémon estava movimentado, e apesar de ainda ser cedo já haviam vários outros treinadores e coordenadores perambulando, fazendo hora, na construção.
— Eu pensava que aqui era uma cidade tranquila, mas pelo visto ela é bem movimentada. — comentou Lukas.
— Solaceon é uma cidade muito pequena em comparação com outras de Sinnoh, mas ela se localiza exatamente no caminho até Veilstone, então ela é uma cidade dormitório para os aventureiros. — explicou Dawn, continuando com seu olhar fixo na revista que lia.
Não demorou para que um pequeno garoto logo entrasse no Centro aos berros. Ele parecia preocupado, e trazia consigo a mensagem de que um imenso grupo de Staravia invadia novamente a cidade. Aquilo havia intrigado Lukas, afinal, por que os Pokémons estavam tão alvoroçados? Por um momento eles pareceram não dar muita atenção, mas Luke nem imaginava o que estava aproximando-se do quarto.

O garoto se olhava no espelho enquanto sua Gardevoir parecia arrumar o cachecol em seu pescoço. As mãos da doce criatura eram suaves, e ela parecia dar o máximo de atenção para o seu amado Mestre.
— Você lembra a minha mãe quando fica assim tomando conta de mim o tempo todo. — disse Luke com um sorriso — Gaaah... Não aperta tanto, vai me sufocar!
Luke aproximou-se da janela de seu quarto e abriu-a, procurando verificar se o Staravia enxerido ainda batia na janela, mas não houve resposta. O silêncio finalmente prevalecera, ele soltou um longo suspiro  aliviado e debruçou-se sobre o canteiro. De repente, uma enorme nuvem de Staravias aproximou-se. Uma legião de pássaros começou a invadir o quarto, batendo suas cabeças nas paredes e desmaiando com o impacto.
— Pelas barbas de Landorus!! É uma REBELIÃO!!


A nuvem de Staravias continuava a invadir o quarto, Luke rapidamente retornou sua Gardevoir e saiu do quarto sendo atacado por uma multidão de pássaros. Lukas e Dawn ouviram os barulhos no andar superior e logo correram para verificar o que acontecia, vendo então que seu  companheiro era atacado pelos Staravias enlouquecidos.
— Cara, essas zicas com Pokémon só acontecem comigo? Já basta aquela outra vez com os Bidoofs, e agora tem um monte de Staravia! — gritou Luke assustado.
Lukas lançou Shellos e Pachirisu que lançaram seus golpes para impedir que as aves continuassem a invasão. Pachirisu derrubava os pássaros com destreza, enquanto que Shellos molhava suas penas com seus ataques aquáticos para que eles perdessem velocidade e se acalmassem. Aos poucos a situação era controlada, embora já tivesse chamado a atenção do Centro inteiro.
— Você está bem? — perguntou Dawn.
— Sei lá hein, pensei que esses bichos iam arrancar meu cérebro se fossem continuar me bicando. Que medo doido, cara... — gemeu Luke.
A Enfermeira Joy rapidamente correu para curar os pássaros feridos, (nota-se que Luke foi praticamente ignorado) recebendo o auxílio de treinadores novatos que também se preocupavam com o estranho ataque dos invasores aéreos nas últimas semanas. Quando a situação foi controlada, Luke, Lukas e Dawn permaneceram ouvindo as conversas dos moradores da região:
— O que será que tem feito os Pokémons agirem dessa forma? — perguntou um garoto.
— Dizem que os Galactics começaram a destruir a casa deles, e por verem seu habitat sendo invadido eles tendem a ser tornarem hostis com as civilizações mais próximas. — respondeu um outro.
Luke ignorou aquele comentário, odiava ouvir pessoas falarem mal sobre os Galactics, pois sabia que sua tia trabalhava na facção e não tinha o intuito de causar o mal. O grupo teve sua atenção desviada quando puderam ver um homem entrar no Centro, grande parte dos treinadores se surpreenderam com a presença daquele rapaz, principalmente por parte das mulheres. Até mesmo Dawn parecia surpresa com a beleza daquele indivíduo, o que de certo causava ciúmes em Luke ao seu lado.
O homem tinha um longo chapéu azul que ocultava seu rosto, dando-lhe um ar misterioso e nefasto. Suas vestes eram elegantes, bordadas pelos melhores e mais macios tecidos de Sinnoh. Ele tinha um colar que parecia estampar a figura das garras de um Groudon. Em suas mãos ele carregava dois homens encapuzados de negro, estampados com a letra “R” em seus uniformes. Ambos estavam amarrados e completamente imobilizados.
— Não culpem os Galactics por crimes que não cometem. Existe uma corporação criminosa que vêm agindo nas sombras em Sinnoh nos últimos tempos, e aqui está dois dos capangas que cortavam árvores na Rota 209, desse modo, destruindo o lar desses Staravias. — disse aquele homem, largando os dois criminosos em frente ao Centro Pokémon.
A Enfermeira Joy logo aprontou-se.
— Sir Riley! É bom saber que podemos contar com a ajuda de um dos cinco Stat Trainers novamente! — agradeceu a enfermeira, rapidamente dando conta dos criminosos e ligando para a polícia.
O homem pareceu continuar em silêncio, ele apenas acenou para a mulher de cabelos róseos e agradeceu.
— Os Stat Trainers foram desfeitos há muito tempo, Joy, embora a região ainda possa contar com a nossa colaboração para manter o continente em ordem, afinal, o governo não se responsabiliza em fazer nada nesse lugar. — disse Riley, deixando o Centro na sequência.
Comentários à respeito do misterioso homem surgia entre os treinadores mais novos, as crianças não o conheciam, mas os mais velhos certamente já haviam ouvido falar dos Stat Trainers, os melhores treinadores da temporada em que participaram.
— Metido idiota... Fica se gabando para os novatos e culpando a Liga por nada. Aposto que ele também não faz nada por um mundo melhor, só fica sentado vendo a desgraça dos outros. — resmungou Luke.
— Não seja precipitado, você não o conhece. Por um lado, ele acredita nos Galactics e sabe que os Rockets são os verdadeiros culpados. E ele agiu para salvar os Staravias, não ficou sentado esperando, e nem ficou esperando eles invadirem o quarto de alguém. — ironizou Dawn.
— Você viu o jeito que ele olhou para você?
— Olhou para mim? Mas eu nem consegui ver o olho dele. — sorriu a menina.

O misterioso Riley fora o assunto da manhã. Os Staravias haviam feito um grande estrago nas plantações, mas os agricultores tentavam recuperar as perdas para terem como se manterem durante a semana. Depois de terminarem o café, os jovens saíram em busca de treinos. A Solaceon Ruins seria um excelente ambiente, e os jovens optaram por treinar em seus arredores.
Seguindo um caminho sinuoso de árvores eles foram capazes de alcançar uma caverna no fim da trilha. Um manto de folhas cobria cada passo que os jovens davam, assim, parecendo convidá-los a entrar naquela caverna misteriosa. Era o lar de criaturas sinistras, os indecifráveis Unowns faziam sua moradia no local, e com isso, seria uma boa forma de treinar os membros novos da equipe com alguns exploradores que lá permaneciam.
— O que acham de um Unown para a minha equipe? — sugeriu Dawn.
— Inútil. Só tem aquela porcaria do Hidden Power que até agora eu não sei o que faz. — respondeu Luke indiferente.
— O Hidden Power é mais complexo e poderoso do que você imagina, dependendo do Individual Value de seu Pokémon ele é capaz de aprender um golpe inusitado de qualquer um dos dezessete elementos. — explicou Lukas, vendo a surpresa estampada no rosto do irmão.
— E o que eu ganho com isso?
— Já vi que você não entendeu... Deixa pra lá, um dia você ainda entende a mecânica dos Hidden Powers. Só não sei quando. — riu o garoto.
A Solaceon Ruins era um local muito antigo, suas paredes pareciam estar intactas há décadas, de modo que aquelas ruínas não tivessem sofrido alterações do tempo e da natureza. Logo em sua entrada havia uma parede com escrituras de uma civilização antiga, as quais despertava a curiosidade de todo o viajante que entrava em seus arredores.
— O que está escrito? — perguntou Luke, vendo que seus dois companheiros pareciam não entender muito do que se tratava. Até que Dawn se manifestou:
— Eu poderia ter feito um curso técnico que ensinava a linguagem dos Unowns na escola, mas na época eu não tive interesse. Hoje vejo que perdi uma grande oportunidade. — disse Lukas.
Dawn examinou a parede por um tempo e em seguida pegou um pequeno caderno de sua mochila.
— O que é isso? Um diário? — ironizou Luke.
— Também, mas eu o uso principalmente para fazer anotações em minhas viagens. Eu quero ser uma pesquisadora, lembrou? Tenho algumas coisas anotadas sobre os Unowns aqui, acho que posso me garantir. — disse Dawn, folheando seu livrinho em busca das anotações, porém, derrubando-os acidentalmente por sua distração.
Luke e seu irmão agacharam para ajudá-la a recolher seus pertences, o livrinho jazia caído logo em frente de Luke, de modo que o garoto desse uma singela risada enquanto olhava para uma página.
— É minha impressão ou esse desenhado sou eu?
A garota corou no mesmo instante, rapidamente puxando o livro das mãos do garoto que dava uma risada descontraída.
— N-Não era você... era só um desenho.
— Verdade, verdade. Podia ser o Lukas também, não é? — riu Luke.
— Acho que não. Somos iguais, mas diferentes, entende? Aposto que era você. — disse Lukas.
— Ahh, tanto faz!! Era só um desenho! — retrucou Dawn irritada, recolhendo suas folhas com pressa e finalmente se levantando.
A moça ainda parecia um pouco encabulada, mas ela logo pegou seu caderno de anotações e examinou a escritura de Unowns na parede.
 Direita superior, esquerda inferior, direita superior, esquerda superior, esquerda superior, esquerda inferior. — pronunciou ela — A Solaceon Ruins é um labirinto. Vocês querem explorá-la?
— Bom, nós podemos seguir treinando um pouco, mas acho que será legal nós treinarmos para nossas batalhas. Afinal, o caminho daqui para frente ficará bem difícil. Vemos que começarão a aparecer treinadores fortes, como o Mark e aquele sujeito misterioso, o Riley. — disse Lukas.

O grupo era guiado por Dawn que anotava cada passagem que eles faziam. Lukas treinava sua Feebas e sua Roselia, enquanto Luke tinha ao seu lado somente o novo membro Duskull. O Pokémon fantasma era muito poderoso, e derrotava cada Unown com facilidade utilizando de seus punhos de ferro e ataques obscuros.
— “Se quer ser o melhor, então recrute os melhores.” Essa frase fez todo o sentido para mim, vou ter os melhores Pokémons que o mundo já viu. Decidi que vou querer uma equipe de doze membros. — comentou Luke.
— Doze? Você não vai me deixar para trás, eu também conquistarei os Pokémons mais belos do mundo e farei as melhores apresentações possíveis! Este será o nosso número. — sorriu o irmão.
— Se você quer os mais belos, então já perdeu, porque essa sua Feebas é muito zuada. — brincou Luke, recebendo um olhar reprovador de Lukas que carregou seu Pokémon no colo olhando para o irmão com desprezo.
— Não julgue um Pokémon pela aparência. Você também têm o seu Horsea, e apesar de ser um excelente Pokémon você não o treina bem! Não adianta ter os melhores se o capitão não é exemplar.
— Oe, sou um grande líder cara. E eu estou pensando em soltar esse Horsea, não gosto dele.
Lukas parou por um momento e encarou seu irmão com severidade.
— Você não vai soltá-lo.
Luke parecia estar disposto a iniciar uma briga, mas sempre que se lembrava como aquilo machucava Dawn, ele se continha. O Horsea poderia parecer fraco, mas quem sabe com algum treino ele poderia vir a se destacar.
— Pode deixar, não vou soltá-lo. Mas também não prometo que vou usar ele. — disse Luke — Vamos deixar esse clima pesado e falar de algo que importa. Me explica essas paradas de Hidden Power cara, estou pensando em como usar em meus Pokémons.
Lukas sorriu e pareceu gostar do assunto. Desde o dia em que Luke o ajudara a vencer daquele garoto em Hearthome ele havia se tornado mais generoso. Parecia que seu irmão finalmente começava a ter um pouco de consciência, deixando seu orgulho de lado.
— Já percebeu que esses Unowns às vezes tiram muita energia, ou simplesmente não acertam o seu Duskull? Isso porque o Hidden Power é uma habilidade que varia do usuário. Os golpes se tornam super efetivos quando Hidden Power é Dark ou Ghost, e não acertam caso seja Normal ou Fight.
— E o que eu ganho com isso?
— Vamos pegar um exemplo clássico, o Porygon que você sonha todas as noites. — brincou Lukas, vendo os olhos do irmão brilharem por um momento — Os Porygons não possuem a habilidade de aprender nenhum golpe poderoso de fogo. Então, você pode ter sorte de modo que seu Porygon possua os valores individuais atribuídos à um Hidden Power do tipo Fire, ganhando assim uma movepool mais vasta.
Luke parecia enfeitiçado, encarando o céu como se viajasse nos pensamentos do seu Pokémon dos sonhos.
— Poooooooorygoooon...
— Vish. Já vi que você não entendeu nada de novo, mas o exemplo do Porygon vai servir pra ficar na sua cabeça. — brincou Lukas.
Enquanto os irmãos continuavam caminhando eles pararam no momento em que viram Dawn observar um amontoado de Unowns nas redondezas, ela olhou para trás e sorriu em direção de Luke.
— Você escreveria uma frase romântica com Unowns para mim?
— Que tipo de frase?
— “Eu te amo”.
— Hmphh.... Que ridículo! — riu Luke, vendo a feição de felicidade da garota mudar no mesmo instante — Ahh!! Q-Quero dizer, seria muito legal mesmo, mas como você espera que eu escreva uma frase assim?
— Deixa quieto, é ridículo mesmo.
Luke recebeu um empurrão de seu irmão que balançava sua cabeça negativamente enquanto reprimia a ação do garoto. Luke não acreditava em sua capacidade de dar mancadas com as pessoas que gostava.

Duskull caminhava ao lado de seu treinador de forma autoritária. O fantasma tinha um passo firme e mantinha sempre sua cabeça erguida, servindo de grande exemplo para os outros. Tornar-se o melhor era o pensamento principal de Luke, de modo que ele fizesse de tudo para virar o campeão.
Um explorador havia desafiado Luke para uma disputa, e o garoto nem hesitara em testar sua equipe. O homem se chamava Karl, e começou lançando um Bronzor no campo de batalha. O golpe Shadow Sneak de Duskull era poderoso, e logo foi capaz de derrotar o adversário. Até mesmo Horsea fora requisitado em batalha, derrotando um par de Geodudes com seus golpes aquáticos.
Luke ganhou a batalha sem muitas dificuldades, em seguida caminhando em direção de seu irmão que aguardava apoiado na parede. Roselia estava sobre a cabeça do garoto, ela gostava de chamar atenção e permanecer próximo de seu treinador, se exibindo assim para todo mundo.
— Fácil, fácil... Foi só pra dar uma descontraída.  — disse o irmão, guardando sua pokébola.
— Eu disse que esse Horsea é forte. Você só precisa treiná-lo mais, e um dia ele virá a tornar-se um grande Kingdra. — disse Lukas — Deixe-me perguntar uma coisa, Luke... Tipo, o que eu preciso fazer para ter uma namorada?
Luke calou-se olhou para seu irmão com um olhar confuso. Ele não sabia se o garoto estava brincando ou se falava sério, mas ele sabia que Lukas nunca fora de brincar com essas coisas, dando uma risada sem graça em seguida:
— Quer saber mesmo? Fica solteiro, cara. Namorar só traz problema, falo isso por experiência própria. Faz tudo no seu tempo, não precisa ficar por aí caçando que nem um bobo e sendo alguém que você não é. — explicou o irmão.
— Você tem razão, isto me fez lembrar de uma frase que o Papai falava: O segredo não é correr atrás das borboletas, e sim, cuidar do jardim para que elas venham até você. — disse o garoto — É que eu vejo você e a Dawn, e... parece que eu fico para trás.
Luke arregalou os olhos.
— Namorar? Eu, e ela? Ahhhhhhh, não. Por enquanto não, estou bem assim. — brincou Luke, retirando sua mochila e abrindo-a para pegar algo para comer.
— Acho que eu sou muito ao jeito antigo, ainda tenho aqueles sentimentos de viver feliz para sempre, trazer flores e estar ao lado de quem ama realmente. Não sou muito chegado nessas coisas de "ficar" que todo mundo da nossa idade faz atualmente. Eu acho estranho.
— Você realmente puxou mais o Tio Marshall. Fica longe das mulheres cara, elas só trazem problema. — respondeu Luke indiferente — E falando nela, cadê a Dawn?
— Ela está... estava aqui. — concluiu Lukas, olhando para seu lado e notando a falta de sua amiga. Luke rapidamente se deu conta do que havia acontecido, e mais uma vez, o senso “apurado” de direção da garota havia feito ela desaparecer.
— Legal. Eu disse que ela tem o dom de se perder em labirintos e lugares escuros. Qualquer hora dessas ela vai se meter em encrenca, se é que já não se meteu. — resmungou Luke — Eu disse. Mulher só trás problema... Vamos procurá-la.

• • •


Dawn continuou caminhando até o andar mais profundo das ruínas. Ela havia encontrado o que tanto desejava, vendo assim uma imensa parede com escrituras antigas e uma porção de itens escondidos nas redondezas. Ela até mesmo havia encontrado uma rara Hidden Machine Defog, usada para neutralizar o efeito das neblinas na região.
— Muito bom, Piplup! Esta será uma ótima forma de você nos ajudar em nossa jornada com esse golpe novo. — sorriu a garota, conversando com o pequeno pinguim em sua frente.
Ela caminhou então em direção da grande parede central e procurou entender o que estava escrito, vasculhando seu bloco de notas e decifrando cada mistério.

"Amizade. Todas as vidas tocam outras vidas
 para criar algo novo, e vivo."

Amizade. — disse Dawn, repetindo o que estava escrito na parede — Acho que isso será muito bom para nossas pesquisas futuras.
A garota anotou o que estava escrito e logo subiu as escadas novamente para encontrar-se com seus amigos, porém, não havia sinal dos dois. Ela havia se dado conta de que estava sozinha, tentando manter a calma.
— P-Pessoal? Vocês estão ai?
Dawn pegou seu pequeno livro de anotações e voltou a seguir os mesmos passos que utilizara para chegar até o salão dos fundos. Mas a diferença é que na entrada ela tinha a visão do norte das passagens, e agora ela não fazia ideia de qual visão teria de tomar. A cada sala errada que a garota adentrava ela caia num abismo mais profundo.
Não se podia ouvir nada além de seu eco. A cada minuto as paredes tortuosas pareciam aprisioná-la numa cela de rocha. Os Unowns confundiam sua mente, e apesar de seguir os passos indicados em seu caderno ela terminava por chegar à becos sem saída. Aos poucos a garota começou a preocupar-se. O tempo parecia não fazer efeito, e seus amigos não possuíam pokégears para que fossem realizadas ligações. Dawn corria, mas os Unowns passavam a ocultar o caminho como se a aprisionassem nas ruínas.
— Tem alguém aí? E-Eu estou perdida.
Ela somente recebia seu eco como retorno. Sua respiração passava a tornar-se pesada, pois ela temia que nunca mais fosse capaz de sair daquelas ruínas na euforia que estava, podendo perder-se completamente nas escuras salas.
Dawn apoiou-se numa parede tentando relaxar um pouco, a garota fechou seus olhos para descansar, mas logo, pôde começar a ouvir passos distantes. A felicidade de encontrar alguém era misturada com a tristeza de poder encontrar algum sujeito com más intenções também. Os passos se aproximavam, e quando já estavam bem próximos a garota se virou no intuito de dar-lhe um tapa, mas teve sua mão segurada por um homem que ela já havia visto.
— Cuidado Mocinha, podia ter acertado alguém. Você está perdida? — perguntou o homem misterioso.
— Ah, me desculpe. Acredito que sim. — respondeu ela um pouco receosa.
O homem rapidamente soltou a mão de Dawn, mas logo ela se deu conta de quem era.
— O Senhor é aquele homem que trouxe os criminosos no Centro Pokémon hoje de manhã! A Enfermeira Joy havia chamado-o de Sir Riley.
— Lembro-me de sua presença no centro, estava acompanhada de dois garotos gêmeos, estou certo? — perguntou Riley.
— Sim, são meus amigos, e inclusive, acabei por me perder dos dois. Eu estava tão entretida com os Unowns e as mensagens desse local que me distanciei. — disse Dawn.
— Você também é pesquisadora? Eu costumava estudar muito os Pokémons quando eu era mais novo, eu inclusive era fascinado por ruínas e cavernas antigas. Eu era o dono da Iron Island, mas acredito que a Senhorita não deva ter conhecimento dessas áreas.
— N-Não, Senhor. Realmente não conheço...
Dawn parecia encabulada. Riley era muito educado e cortês, completamente diferente de algumas pessoas (Luke, cof, cof.) que ela conhecia. Ele era um sujeito mais velho do que seus amigos, mas parecia ser mais maduro, e certamente, muito mais belo.
— A Senhorita gostaria que eu a guiasse até a saída? Conheço pouco dessas ruínas, mas presumo que não será uma viagem complicada. — sorriu o homem.
          — Eu seria muito grata!                                                                                                    
Dawn seguia aquele homem que pouco a pouco já não parecia ser mais um estranho. Riley explicava que ele era um treinador veterano em Sinnoh, chegando a pertencer a uma equipe antiga conhecida como os Stat Trainers. Na época eles eram os melhores e mais conhecidos treinadores, mas aos poucos foram deixando o cargo e passaram a seguir outras áreas e seus próprios caminhos. O homem parecia ser extremamente poderoso, e ao contrário de tudo que Luke dissera, ele era humilde.
— Diga-me, Senhorita Dawn, então quer dizer que você chegou a conhecer a Cheryl? — perguntou Riley educadamente enquanto caminhava.
— Ela me ajudou quando eu e meus amigos estavam na Floresta Eterna, eu me perdi como hoje, e ela me ajudou a retornar ao Centro Pokémon em segurança. — explicou Dawn.
— A Cheryl era uma das cinco Stat Trainers, e nós seguimos aventura juntos por muito tempo. Lembro-me que ela era a mãe da equipe, sempre responsável e se preocupando com os outros, mas por ser mais velha também foi a primeira a sair, seguindo a carreira de bióloga. — sorriu Riley — Ela é uma grande amiga, e fico feliz em saber que a Cheryl tenha ajudado você. Afinal, é perigoso para uma garota bela como a Senhorita ficar andando na escuridão do crepúsculo.
Dawn havia ficado um pouco sem graça com o comentário, mas ela sabia que de forma alguma o homem tentava flertá-la. Ele era apenas educado, mas aquele jeito fascinava a garota. A saída logo aproximou-se, e os dois já podiam ver a claridade do dia pela saída das ruínas.
— Senhorita, agradeço a sua companhia durante este curto período, mas agora estarei seguindo de volta para o interior das ruínas. Foi um imenso prazer conhecê-la. — despediu-se Riley.
— Eu realmente espero que possamos nos ver novamente, você foi muito gentil comigo. — sorriu Dawn — Até logo!
Os dois se despediram, e Dawn logo correu para a saída. Ao aproximar-se do saguão de entrada ela se deparou com um amontoado de Unowns nas redondezas, o que fez com que ela desse um singelo sorriso enquanto os observava flutuar.
Dawn havia saído das Solaceon Ruins, e logo se encontrou com Luke e Lukas que estavam sentados sobre o gramado. Lukas correu em direção da garota ao ver que a amiga estava bem, da mesma forma que Luke parecia mais aliviado.
— Dawn!! Nós saímos da ruína e fomos chamar a ajuda de alguns policiais para que não nos perdêssemos lá dentro também. Eu fiquei tão preocupado, você desapareceu de repente... — disse Lukas, abraçando a garota.
— Não se preocupe, um homem me ajudou a sair daqui. — disse ela com um sorriso, o que logo despertou a curiosidade de Luke.
— Que homem? — perguntou o garoto desconfiado.
— O Sir Riley... — disse Dawn com longo suspiro apaixonado.
— O quê?? Aquele maluco te ajudou a sair de lá dentro? Calma aí, se joga lá de novo pra mim voltar lá e te buscar eu mesmo. Não permito que nenhum cara chegue do nada e comece a resgatar a minha amiga sem motivo algum.
— Ohh, parece que você está com ciúmes novamente. — brincou ela, aproximando-se de Luke e beijando-o no rosto — Eu adorei a mensagem de Unowns, e eu o perdoo sim.
O garoto pareceu contentar-se, dando um leve sorriso e segurando a mão de Dawn. Os três agora seguiam de volta para o Centro Pokémon, mas Dawn não polpava os comentários.
— Você já pensou em tentar ser mais cavalheiro? — insinuou ela.
— Como assim? Você quer que eu saia por aí carregando uma espada e um escudo? — perguntou Luke.
— Não é cavaleiro, é cavalheiro!! — respondeu ela — Por Arceus... Quer saber? Deixa quieto, acho que somente sonhar com um príncipe encantado é melhor... Esse tipo de coisa não existe mesmo.

Os mistérios das Solaceon Ruins permanecem indecifráveis para aqueles de coração frágil... Mas a presença daqueles que ama sempre é a chave para um significado eterno. O encontro com Riley pode vir a ser uma longa virada na vida dos jovens irmãos, mas o destino certamente mudará daqui para frente.

      

{ 26 comments... read them below or Comment }

  1. primeiro a comentar! Capítulo show!

    ReplyDelete
  2. muito show o cap cara legal mesmo gostei!

    ReplyDelete
  3. Estava muito legal! Parabéns Canas-senpai! Fiquei feliz de ver a Dawn na "ativa"! Hehehe... Quero ver oq vem dai pela frente! Abraço!^^

    ReplyDelete
  4. Mto bom o cap
    Interessante além de divertido
    e eu queria (é um desejo meu,Canas,então se não gostar apenas n faça) que o Riley,assim como a Cheryl tivesse um maior palel na história...
    E queria saber mais sobre os Stat Trainers.
    Uma ideia(Ideia):faz um especial no naipe dos especiais elite-4 pros stat trainers...sei q vc ta de faculdade e q isso é dificl pra vc,entao axo q pra vc é dificil...entao,é uma ideia.
    Adios,
    Moacyr

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olha Moa, eu adoro os Stat Trainers, e por este mesmo motivo você está percebendo que eles estão ganhando destaque na história. Eu me lembro quando você falou da Cheryl na primeira vez, pedindo para ela ter uma maior participação, e esse desejo eu concedi ;) Certamente, criar um especial como o da Ex-Elite pra eles é jogo duro, até porque eu tenho... outro especial pra essa temporada. Mas até agora é segredo, não conte! kkkkkkk

      Eu não prometo um especial só deles, até porque reservo basicamente um desses por temporada, e a facul já está aos poucos apertando. Mas por outro lado, posso garantir que eles serão bem importantes. Farei de tudo para tentar atender esse pedido cara, de uma maneira ou de outra, só espero que você curta quando vier a hora! ;D

      Delete
  5. muito bom canas otimo o capitulo,e o luke com ciumes do riley kkkkkkkk

    muito bom não sei como algumas pessoas não entendem as letras unown eu só olho uma palavra escrita com os unown já decifrei

    MUITO BOM O CAPITULO(palmas)

    ReplyDelete
  6. Yoo Canas!
    Lá estava eu, todo feliz, fazendo o meu ultimo comentário, quando eu me reparo com um novo capitulo!
    Quase pulei de alegria "Não serei o ultimo desta vez HUAHUAHUA"
    Mas deixando estas maluquices de lado... Muito bom o capitulo! Novos personagens dando as caras!
    É Luke, é bom você ficar esperto, parece que um novo macho dominante vai aparecer kkkkk
    A frase com os Unowns foi decifrada rapidamente! Fazia tempo que eu não via este alfabeto, mas parece que ele fica guardado no subconsciente!
    A Dawn mostrando as suas habilidades, me impressionaram (finalmente ela serviu para algo kkkkkkkk)
    Cara eu imaginei a cena, imagina só se eu esberrace numa mina, e da bolsa dela caísse um desenho meu... eu ia ficar meio sem reação kkkkk Mas depois eu ia zoar com toda certeza kkkkk (e quem sabe aproveitar da situação)!!
    Canas, o capitulo ficou foda!
    Parabéns ai Cara!
    E vamos abrir o movimento em prol dos Staravias, assim como as Magikarps
    "Salvem os Staravias, o planeta pede por ajuda, não cortem as arvores, se não ninguém dorme" kkkkkk
    Flw

    ReplyDelete
  7. Santo Arceus! Cada dia que se passa é mais difícil ter o primeiro comentário no AeS!

    Indo ao capítulo... Fantástico Canas! Adorei a aparição do Riley, meu preferido em todos os games de pokémon. Gostei do fato de você ter relembrado que a Dawn era uma pesquisadora(isso tinha sido esquecido totalmente por mim até hoje) e de ter finalmente colocado ela para agir. E a conversa do Luke e o Lukas sobre namorada? Aquela parte foi ótima multiplicada por um bilhão! Também gostei muito da citação aos Stats Trainers, mais uma outra coisa que nunca eu imaginar(inovação 1000).

    Bom, acho que os outros já citaram as outras coisas que pretendia comentar, então fico por aqui. Só mais uma coisinha, os outros stats trainers ainda vão aparecer na fic ou apenas a Cheryl e o Riley serão apresentados ao Luke, a Dawn e o Lukas?

    ReplyDelete
  8. Manolo capitulo demais, e novamente vemos que deu a loca nos pokémons selvagens, malditos Rockets. Finalmente o Luke e o Lukas começaram a conversar sobre coisa de jovem: Namorada... Espero que o Luke pessa logo a Dawn em namoro, ou será que isso ficara para a Saga Diamante (ou melhor pro final da Saga Diamante?). Achei bem legal o pedido de desculpas em Unown que o Luke fez a Dawn.E olha só, oLuke segurando na mão da Dawn, bem pelomenos o clima ta esquentendo.
    Bem ficopor aqui. Abraços.
    João_Victor

    ReplyDelete
  9. Mano eu to ficando louco! '-' eu jurava que tinha comentado às 19 e pouco. Acho que estou ficando gagá '-' shaushuashuashuahs mas passo pra comentar de novo, só me desculpe pelo comentário ser um pouco menor, porque não sei se consigo reescrever tudo kkk

    Bom, foi bem legal você mencionar os Stat Trainers como um grupo mais conhecido. Eu sinceramente acho que deveriam fazer mais uso deles na franquia, eles são muito legais '-' e fico feliz que eles tenha tanto papel em suas histórias. Cara a Mira e o Buck apareceriam embora sem grandes papéis ou apenas em citações mesmo? Meus favoritos são a Mira e o Riley, mas me contento só com o Riley sabendo que ele será um personagem tão bom assim.

    Foi uma boa remexida no baú em alguns pontos do capítulo, como relembrar o cargo de pesquisadora da Dawn e o "deu a louca nos Pokémons" kkk (ai que nome idiota). Vishhh agora ou o Luke vira um "cavaleiro" ou fica sem a amada '-' agora a bagaça ficou séria, ein? hehehe. O capítulo ficou muito agradável, com as descrições perfeitas e impecáveis com momentos mais detalhados e maravilhosos *0*. Mas isso não é novidade, né? haha até mais Canas o/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Rapaz, eu te entendo, sei qualé a sensação de ter um comentario perfeito ir por agua abaixo, a gente fica nessa comparação e no fim das contas nunca consegue fazer igual, eu gostaria poder ter tido a chance de ver aquele seu outro :\ Bom, essa questão da Mira e do Buck eu já disse nas notas, não pretendo mesmo colocá-los na história. Porém, sempre surgem oportunidades, e admito que quando um leitor fala sobre algum personagem e paro para olhá-lo melhor. A Mira é criança nos games, e já que minha fic os Stat Trainers são alguns anos depois, tecnicamente, a Mira estaria adulta! Ai sim seria show, depois dessa até eu pensei em trabalhar num fanart dela *-*

      Delete
  10. QUE MASSA CARA! Eu rezei pra que a Dawn capturasse um Unow --"
    Luke teve que capturar aqueles Unows pra fazer a mensagem, e pera ai, a Dawn disse que não sabia ler a linguagem Unow. Luke pediu ajuda ao Lukas? XD E ainda não foi a mensagem certa, esse garoto baka! Mas pelo menos a Dawn Gostou.

    Imagino se no passado os Stats Trainers viajaram juntos, e pelo que Riley falou, poderiamos comparar a Cherly (sei la o nome dela) com a Dawn, então... O Riley já namorou a garota de cabelos verdes?!

    Mais perguntas no proximo capitulo XD o/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Um Unown seria um problema, como é que eu faria os Gijinkas? kkkk Mas admito, eu pensei em fazer ela capturar. 4 Unowns, por sinal, para escrever DAWN ou LUKE, mas iria ser muito clichê. Agora deixa eu explicar essas dúvidas aí na sua cabeça, às vezes você passou batido ou eu deixei de explicar claramente.

      Os Unowns são, ao meu ver, criaturas pacíficas que se locomovem no espaço. Quando alguém os organiza, eles continuam lá, flutuando. Tudo que o Luke teve de fazer foi juntar vários deles e escrever uma pequena frase, para assim quando a Dawn voltasse fosse só ler. Não é questão de capturar, aí você entra em um ritmo totalmente diferente. São detalhes irrelevantes.

      A Dawn não sabe a linguagem de Unown, isso é verdade, então por isso ela pegou o bloquinho (diário) dela. Lá haviam anotações, ela pode não saber de cabeça, mas pegou o bloquinho para consultar deu pra entender?

      Ahh, e agora falando sobre os Stat Trainers. Se você juntar os fatos é isso que aconteceu mesmo, eles viajaram juntos. O Riley, a Cheryl, Marley, Mira e Buck. Pra falar a verdade, o Riley não comparou a Dawn com a Cheryl, ele só comentou que ela era amiga dele no passado, as duas não tem nada haver uma com a outra, a Cheryl em minha historia tem por volta dos trinta anos, ela sempre foi a "mãe' do grupo, como citado. Agora, se eles namoraram ou não, aí é outra história, mas você sabe que eu curto uma diferença básica na idade :D kkkkkk

      Delete
    2. Tô ligado que ele não comparou, mas eu fiz essa ligação na minha cabeça, por que no inicio da historia, Dawn era meio que uma mãe ou uma irmã mais velha dos irmãos.

      Delete
  11. Muito legal cara ! Mas so nao gostei de uma coisa por que ninguem pegou um staravia???????Ò.Ó
    Perguntinha sera q eles vao dar uma passeadinha na iron island(e pega o riolu q eu nunca consegui TT.TT)

    flw Canas e ate mais

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ninguém pegou Staravia porque o Stanley já tem um (: Você percebeque que minha equipe de Pokémons é feita por criaturas exóticas, se eu seguisse aquele clichê chato o protagonista teria esses Pokémons: Staraptor, Luxray e Floatzel. Mas eu prefiro sair do que a maioria fez, e por sinal, não sou muito chegado em Staravias, foi apenas uma citações engraçado sobre eles, mas não gosto de voadores em sua maioria.

      Olha cara, eu não teria citado a Iron Island por bobeira. Ela de fato será importante no futuro, e não deixe de lembrar nisso que você mesmo falou: É lá onde se pega o ovo de Riolu, então, acho que ainda podemos esperar algumas longas aventuras nesta ilha de ferro, não acha? Aposto que o Luke iria adorar, e os leitores também! Tenho grandes planos para a Iron Island, ferro e metálicos são muito importantes para mim.

      Delete
  12. Ae Canas, blz? Espero que sim. Ótimo Capítulo, ótimo mesmo! Gostei muito mesmo desse capítulo. Foi ótimo o capítulo. (ta bom, já entendemos, foi um ótimo capítulo hehe) Agora, falando sério, realmente foi um ótimo capítulo. Principalmente pela a aparição de Riley. Ele é um dos meus personagens preferidos. A aparição dos Unowns(é assim que escreve?) também foi muito boa. Fazia tempo que eu não via essa letrinhas(última vez foi quando eu estava comendo sopa de letrinas hehe).

    É, Canas, só tenho que parabeniza-lo, pois esse foi um ótimo capítulo. Até mais!

    ReplyDelete
  13. Aeew. Depois de um agitada noite na Lost Tower, nossos jovens heróis descansam tranquilamente... Ou quase!
    Manolo, quando comecei a ler e via a cena dos Staravias incomodando o Luke e depois atacando... Eu lembrei do começo da Saga Pérola! Do ataque dos Bidoofs... Ai, ai! Quantas lembranças boas.
    Pelo jeito esses Rockets só sabem causas problemas né? Vish! Esse povo não descansa nunca?
    O que mais me agradou no capítulo foi a aparição do Sir. Riley. Sempre o achei um personagem incrível cara!
    Aqui na fic ele ficou com a personalidade muito bem definida! Que rapaz simples, humilde, cavalheiro (não cavaleiro viu Luke?) entre outras boas qualidades!
    Dawn sua safadeska... Vê se não sai andando por cavernas ou florestas escuras sozinha! Não é sempre que o príncipe encantado vai aparecer e te salvar viu? Aliás, eu fiquei na esperança de alguém capturar um Unown... Mas que bom que não capturaram.

    É isso aew Canas \õ/
    Agora vamos esperar para que a próxima sexta chegue rápido. O títulos que foi disponibilizado me deixou curioso demais *O*

    ReplyDelete
  14. eu so li auguns captulos , sortidos mas os que eu li estavam PERFEITOS espero que continue assim

    ReplyDelete
  15. Cara, amei o capítulo.

    Sinceramente, acho que a Dawn deixa de demonstrar seu amor pelo Luke, véi. Ele parece não dar valor e me faz ficar com raiva dele. Quem sabe se eu bater ele se enxerga, não é? xD

    Indo para o próximo!

    ReplyDelete
  16. — Você está bem? — perguntou Dawn.
    — Sei lá hein, pensei que esses bichos iam arrancar meu cérebro se fossem continuar me bicando. Que medo doido, cara... — gemeu Luke.
    A Enfermeira Joy rapidamente correu para curar os pássaros feridos, (nota-se que Luke foi praticamente ignorado)

    Eu ri dessa parte (enfermeiras malvadas, mal podemos prever seus movimentos).

    Tivemos um capítulo um pouco mais descontraído, apesar do clima que você pretende adotar de agora em diante, não é mesmo? haha, adorei os ciumes do Luke. Hum... a Dawn parece gostar de homens mais educados, será que ela ainda vai namorar com o Lukas, antes de ficar realmente com o Luke? A frase também falava de amizade, o que deu a entender que Luke não quer compromissos sérios.

    Vish! Castores e Pássaros, que tenso. Esse capítulo me trouxe lembranças bem antigas. Lembrei da Cheryl querida e de como você deixou minha musa Gardenia doente! *Rancor a flor da pele*. Zoa Canas, e Cheryl também é maravilhosa e cumpriu o papel de líder perfeitamente

    ReplyDelete
  17. Cara, ainda continua muito esquisita essa parada da Team Rocket. O que eles podem estar fazendo para deixar os Pokémons selvagens nesse estado? Acho que tem algo a mais por trás dessa história. Talvez não seja só a destruição do habitat. Isso está muito estranho.

    Agora vamos falar um pouco do Riley. Esse cara aí parece ser bem forte, e seria um ótimo adversário para o Luke. E depois você me explica melhor sobre os Stat Trainers. Não que eu não tenha entendido a explicação, mas eu quero saber mais sobre eles.

    E a Dawn se perdendo como sempre... É, o que podemos dizer?

    Ficou ótimo o capítulo cara. Até a próxima!

    ReplyDelete
  18. Eae Canas! Outro capítulo épico. Luke super ciumento, que pergunta repentina de Lucas, e que resposta do Luke. Dawn se perdendo como sempre, e eu não consegui identificar o que esta escrito com os Unows. FLW Canas.

    ReplyDelete
  19. “Se você quer os mais belos, então já perdeu, porque essa sua Feebas é muito zuada.” KKKKKKKK. Muito troll, esse Luke. Não consegui conter uma risada quando li essa frase. Enfim, como eu já disse pra você, os diálogos da historia me impressiona cada vez mais. E eu consegui decifrar o que os Unowns disseram na imagem antes mesmo de eu ler o resto do capitulo *-*. Sim! Eu já fiz algumas matérias sobre eles e conheço os formatos de cada um. E ver essa “amizade” do Luke com a Dawn, me faz acreditar que Lukas fica um pouco pra trás, apesar de eu saber que existe uma menina na cola dele –q. Muito top o capitulo, e achei massa o Luke na versão troll kkkk. Me fez rir, sério mesmo.

    ReplyDelete
  20. Aquele momento que lembro que tinha que terminar Sadness Orchestra /vish Ah, depois eu me acerto, já to devendo tanto -qq
    Enfim
    Gente, como vocês conseguem reclamar por não dormir devido a pássaros? EXPERIMENTEM NÃO CONSEGUIR DORMIR PQ OS VIZINHOS ESTÃO OUVINDO FUNK NO MÁXIMO VOLUME
    (percebendo que eu deveria ter esperado até todos os feels de Percy Jackson escoarem antes de vir ler AIMDS, LUKE Ç_______________________Ç (pior que agora vou detestar ainda mais esse idiota. ele não merece ter o nome daquele herói, só dizendo u-u))
    -vários minutos e muitas lembranças, surtos, choramingos e crises depois *alguém faz o favor de tirar da Anne essa queda que ela tem por antagonistas?*-
    Mas gente, realmente não é normal os Staravias ficarem perturbando assim '--'
    Querendo uma Gardevoir assim, apenas -q
    Cara, essas zicas com Pokémon só acontecem comigo? > aheauehahauehauehauheauheuae!, pior que vero, os pokés adoram entrar em crise no caminho dos irmãos xDD
    Vish, os Galactics.... Pior que também não consigo ficar com raiva, tia Martha t_t (mentira, fico sim, NÃO MEXE NOS HABITATS DOS POKÉS, CARACA U-U)
    Okay, tenho certeza de que já vi esse cara.... ~porém minha memória não é exatamente a parte mais confiável da minha mente -qq
    OS ROCKETS! SEUS FILHOSDAMÃE, FICAM AÍ MANCHANDO A REPUTAÇÃO DA TIA MARTHA E_E
    Stat Trainers?? (bem, esse parece ser um título forte, então acho que dá pra confiar no cara..... acho)
    só fica sentado vendo a desgraça dos outros > DE FATO, PEGAR DOIS ROCKETS É FICAR SENTADO. Moleque idiota, você REALMENTE não merece a honra do nome que carrega u-u
    Solaceon Ruins.... Acho que tava por aí da última vez que joguei Diamond..... Affs, eu e minha sina com esse jogo, por que algo sempre me para? -.-'' Vou baixar o Platinum e jogar ele pra ver se sai essa macumba u-u *já chega dos seus traumas, né?* /okay
    Aquele momento que me sinto uma idiota por completo (idiota no modo pejorativo mesmo, não da maneira como se chama um amigo -q) por ter o mesmo pensamento do moleque -não, eu não vou chamar ele por esse nome tão lindo e significativo- sobre Hidden Power x_x
    Pufavo, ruínas <3 <3 Escrituras antigas <3 <3
    Dawn é esperta, absolutamente NUNCA dá pra sair de casa sem um caderno. Porque né, faz isso pra ver se não aparece inspiração pra diálogos f*das, anotações super importantes a serem feitas, etc. etc.
    Vish, se já tá até desenhando ele no caderno-diário, a coisa tá ficando séria xD
    — Acho que não. Somos iguais, mas diferentes, entende? > MUITO diferentes. Podes crer.
    Somente o Duskull? Tem certeza mesmo, pivete? Acho que você também tinha um Horsea, mas só acho u-ú
    O ruim é que o pivete tem a mesma sorte do Ash. Mesmo não merecendo (e ele merece menos ainda do que aquele lerdo do Ash, com toda a certeza), ele acha os pokés mais f*das -.-''
    Doze? Mas só dá pra levar seis, que adianta ter uma "Elite 12"? .--. (aliás, comofas pra ter né, como treinar todos?)
    FALA DE NOVO ASSIM DA MILENA PRA TU VER SE EU NÃO TE AFOGO, MOLEQUE U-U
    Não adianta ter os melhores se o capitão não é exemplar. > T.H.I.S.
    Rezando a Arceus que o moleque dê logo o Horsea pro Lukas. Porque, de fato, eu duvido que ele vá treiná-lo -.-'''
    ele havia se tornado mais generoso > NÃO. MESMO. (btw, aquela luta foi mesmo disputada por esse moleque babaca? sério, como pode que uma pessoa seja tão desprezível e tenha sido um irmão tão exemplar? t__t)
    Ah, acho que agora saquei o lance do Hidden Power. Dependendo dos valores individuais, ele faz com que um poké use esse ataque sendo de certo tipo, cierto? Ah, acho que entendi ~
    — “Eu te amo”.
    — Hmphh.... Que ridículo! > Pior que ri, minha aula de Lit hoje teve um poema sobre como as cartas de amor são ridículas, lembrei na hora xDDD

    ReplyDelete
  21. [e, de novo, meu coment teve que ser dividido. PQP, E FALEI PRATICAMENTE NADA DE ÚTIL E_E]

    Lukas, por que você tá querendo saber sobre como ter uma namorada? Interessado em alguém? /huuuuuuummmmm
    Pior que vou ter que concordar com o pivete, PRA QUE TU QUER ISSO? Melhor ser solteiro mesmo ~ *nem parece a shipper louca de minutos atrás* Shipper louca sim, anti-romântica também, licença u-u
    Acho que eu sou muito ao jeito antigo, ainda tenho aqueles sentimentos de viver feliz para sempre, trazer flores e estar ao lado de quem ama realmente. Não sou muito chegado nessas coisas de "ficar" que todo mundo da nossa idade faz atualmente. Eu acho estranho. > MDS, LUKAS, VOCÊ PODE VIR PRA CÁ? Não é nem que eu queira te namorar, MAS PQP, É TÃO DIFÍCIL ACHAR ALGUÉM QUE TENHA ESSA MENTALIDADE HOJE EM DIA!
    (btw, a menção ao Marshall me lembrou da última aula de Geog que tive, onde o prof falou da Doutrina Marshall e eu passei o resto do tempo sonhando acordada com AeS aheauheauehua!)
    Dawn, você poderia parar de se perder tão fácil? Mentira, pare não, vive acontecendo coisas f*das a personagens que se perdem (ou eles morrem é/ mas acho que tem que correr o risco -qq)
    Viu? Até achou uma HM. Um risco ou outro é coisa normal em vida de protagonista ~
    "Amizade. Todas as vidas tocam outras vidas para criar algo novo, e vivo." Nossa, que frase mais linda <3 Vou até guardá-la em algum canto do PC (amizade, feel mais forte a me atingir ever) <3
    Santos céus, Dawn, você nunca jogou na vida para ter o mínimo de orientação? (admito, as habilidades que tenho em decifrar mapas eu ganhei nos jogos) E, caso não conseguisse por si só, era só rabiscar o caminho dito pelas inscrições e seguir o inverso ~
    Pior que, do jeito que ela já andou, não vai ser nada fácil os garotos a acharem agora '---'
    Riley! Felicidade em te ver, cara! (mais ainda por imaginar o pivete espumando de raiva quando ver que ele resgatou a Dawn hoho)
    AAAAAAAAAAAAAAAHHHHHH, IRON ISLAND! Acho que agora me lembrei de onde conheço ele *.*
    Até uma porta é mais educada e cortês que aquele pivete, convenhamos e-e
    Stat Trainers = quem sempre aparece no meio de um labirinto pra ajudar a Dawn quando ela se perde DSCLP, NÃO DEU PRA CONTER AHEAUHEAUHEAUEHAUEHU!
    Pessoas que elogiam sem segundas intenções são puro amor, plmdds <3
    E não é que o pivete conseguiu fazer algo direito?
    E não é que ele realmente ficou espumando de raiva? aehauehauehauehauehaue!
    — Você já pensou em tentar ser mais cavalheiro? — insinuou ela.
    — Como assim? Você quer que eu saia por aí carregando uma espada e um escudo? > É, ele não tem jeito mesmo......
    Abraços da Tsuki ^^/

    P.S. Se eu estiver te magoando com todas as minhas críticas ao pivete, desculpa mesmo, não é a intenção. Eu simplesmente não gosto dele, sabe? Aí, entram os agravantes, como o fato de ele ter pokés adoráveis, um irmão mais do que fofo, e esse nome cheio de feels pra mim..... Enfim ~

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -