Posted by : CanasOminous Nov 15, 2014


CAPÍTULO 4
Revelando a Identidade

Um novo dia tomava início na pequena cidade de Littleroot. Era por volta das dez horas da manhã, uma camada espessa de nuvens cobria o céu abençoado pela serpente lendária protetora daquela região. Courtney acabara de acordar, ela direcionava seus olhos confusos por entre o quarto tentando assimilar mais uma vez onde estava. Lembrava-se que estava alojada na casa do pequeno Brendan, embora o garoto não se encontrasse em nenhum lugar do quarto naquele momento. Courtney levantou-se e caminhou pelos corredores da casa, nem mesmo o sedentário Mudkip estava presente, de modo que a mulher se sentisse um pouco perdida por estar naquele local sem conhecer mais ninguém.
Courtney ainda vestia a camisola que recebera, ela andou por entre os corredores e pôde ver alguns quadros pendurados na parede. Brendan estava sempre na companhia de sua mãe nas imagens, e em raras ocasiões tinha seu pai ao lado.  A moça deu um rápido sorriso enquanto olhava aquela família saudável e feliz nas fotos, por um momento pôde até mesmo sentir inveja. Sentia falta de alguém sempre ao seu lado, e naquelas imagens, o pequeno garoto parecia ser a pessoa mais feliz do mundo.
Continuou sua caminhada até chegar às escadas e descer ao encontro da cozinha. Não era uma casa muito grande, mas era o suficiente para que os dois tivessem tranquilidade e boas condições para serem felizes com o que tinham. Ao chegar à cozinha, Courtney deparou-se com a mãe de Brendan que preparava algo próximo à pia. A mulher deu um leve sorriso quando a avistou.
— Bom dia, querida. Dormiu bem?
— Foi muito bom. Fazia tempo que eu não dormia tão bem.
A mãe de Brendan sorriu e continuou a preparar a comida, demorou um tempo até que Courtney se oferecesse a ajudar, pois nunca fora de seu costume cozinhar ou realizar qualquer outra tarefa caseira. Queria apenas contribuir de alguma forma, e mesmo que não soubesse cozinhar ela se esforçava para tentar fazer algo certo.
— Diga-me querida, meu filho disse que encontrou-a próxima da escola, e que estava sozinha sem ter onde morar. Por um acaso você abandonou sua família? — perguntou a mãe.
— Na verdade eu deixei minha casa muito cedo. Eu não lembro dos meus pais, e também não faço questão de lembrar. Desde então comecei a viver no local em que trabalho.
— E onde seria esse lugar?
Courtney hesitou.
— E-Eu não posso contar, me desculpe.
— Não tenha medo de dizer algo, querida. Todos nessa família tiveram uma vida difícil. Eu sou separada de meu marido, então o Brendan nunca teve um pai muito presente, para ele isso é bem complicado... Mas ainda assim, somos felizes com o que temos, pois são as pessoas à nossa volta que nos dão forças para continuar seguindo em frente.

Courtney sorriu e continuou a cortar os legumes. Seriam as pessoas à nossa volta que nos alegravam? Ela nunca tivera amigos de verdade, podia ter seus companheiros no Team Magma, mas não sabia dizer se eram dignos o bastante para receber o valor de um “amigo”. Enquanto ela segurava a faca, uma rápido corte acertou seu dedo de forma que sangrasse um pouco. A mãe de Brendan correu para pegar curativos, para em seguida colocá-los na mão de Courtney.
— Acho que você não leva muito jeito na cozinha. — riu a mãe.
— Eu não sei fazer nada direito...
— Não diga isso, eu pude ouvir você e meu filho rindo e conversando ontem à noite, e digo que fazia tempo que eu não o via divertir-se tanto. Ele parece ter encontrado algo de especial em você, e isso me deixa muito feliz.
— Algo de especial? — perguntou.
— Meu filho é muito solitário, ele não tem amigos. Se você estiver interessada, acho que seria uma ótima ideia você continuar aqui ao lado de meu filho, fazendo companhia, divertindo-se com ele. Você leva jeito com crianças! — sorriu a mãe Brendan.
— Eu não sei se seria uma boa ideia.
— A escolha é sua querida, dou-lhe o tempo que precisar. Bom, mas por hora eu estarei indo buscá-lo na escola, então você poderia ficar tomando conta da casa para mim?
Courtney levantou-se e chamou pela mulher antes que ela saísse. A ideia de ficar por um tempo ao lado do garoto parecia ser boa, ela poderia estudá-lo e aproximar-se mais de sua pessoa até descobrir se era realmente uma ameaça.
— Olha, não quer que eu vá buscar o Brendan na escola? Tipo, eu nem sei o caminho, mas se você me disser eu vou sem problemas.
A mãe de Brendan sorriu e concordou com a proposta, em seguida explicando a rota para Courtney que ouvia tudo atentamente. Ela subiu e trocou de roupa, colocando novamente alguns trajes da mãe do garoto, pois não seria uma boa ideia sair pela rua vestindo seu uniforme dos Magmas. A mulher saiu da casa e partiu em direção do colégio, buscar uma criança na escola era estranho, sentia-se velha e responsável, duas coisas que nunca fora na vida.

Não demorou muito para que Courtney chegasse à Oldale onde localizava-se a escola, aparentemente havia chegado mais rápido do que imaginava, o que resultava em ter de ficar horas esperando. Ela aproximou-se do portão da escola, mas ainda estava fechado. Aquilo lhe trazia de volta as memórias do tempo em que estudava, não época não se arrependia de matar as aulas e ignorar os avisos dos professores das matérias, não gostava nem mesmo de estudar as batalhas Pokémon, era uma péssima aluna.
Courtney sentou-se em uma pequena cadeira numa praça próxima e lá permaneceu por um tempo, lançou seu Swellow para que o Pokémon tivesse um pouco de liberdade. Acompanhando a ave estava o segundo Pokémon de Courtney, e provavelmente o mais poderoso. Era um Camerupt, com corcovas bem formadas e uma feição bem calma. O Pokémon de magma era a powerhouse da equipe da moça, embora ela não costumasse realizar muitas batalhas. As pessoas que passavam na cidade paravam para observar a criatura incomum por aquelas regiões, principalmente por serem de uma cidade tão simples como Oldale.
O tempo passou mais rápido, e logo Brendan havia saído da escola. O garoto notou o movimento na praça e assim pôde ver o grandioso Camerupt. Não sabia que Courtney estava lá, mas a criatura chamara sua atenção da mesma forma.
— Courtty! Eu não sabia que era você quem iria me buscar! — disse Brendan animado.
— Você demorou pra caramba garoto, não cansa de estudar, não?
Brendan correu em direção da mulher e deu-lhe um leve abraço, o que fez com que ela ficasse extremamente sem graça.
— Fico feliz que você tenha vindo me buscar.
— Ahh... É melhor não ficar me abraçando assim, vai que o pessoal começa a pensar que eu estou tentando te sequestrar, ou alguma coisa estranha...

Os dois seguiram de volta à Littleroot na companhia de Swellow e Camerupt. Mudkip dormia calmamente na bolsa de Brendan, parecendo ter tido um dia cansativo na escola de batalhas. Ao chegarem na casa, a mãe de Brendan explicou a proposta que fizera para que Courtney trabalhasse com eles. A moça somente deveria fazer companhia, não parecia uma tarefa difícil. Brendan estava extremamente animado, enquanto que a morena parecia ainda não acreditar que havia aceitado a proposta.
— O que vai fazer agora, garoto? — perguntou Courtney, acompanhando Brendan até o seu quarto.
— Vamos dar uma volta lá fora, eu posso te mostrar a vizinhança!

Os dois saíram e continuaram caminhando até chegar em Oldale novamente. Littleroot não possuía muitas atrações para visitantes, mas pelo menos eles poderiam estar fazendo algo de diferente na próxima cidade. Sua maior surpresa foi no momento em que se depararam com um estranho grupo que vasculhava os becos úmidos da região. Courtney havia notado imediatamente de quem se tratavam, eram integrantes do Team Aqua, uma facção inimiga aos Magmas.
Ela rapidamente impediu que Brendan continuasse seu caminho e colocou-o atrás de si, protegendo-o com o corpo. O garoto parecia assustado, pois não fazia ideia do que estava acontecendo.
— O que esses caras fazem aqui? — praguejou Courtney.
— O que houve? Quem são eles?
— São nossos inimigos, eles são da corporação Team Aqua.
— Do que você está falando? Pensei que os Aquas fossem apenas lendas sobre piratas dos mares longínquos de Hoenn. Esses caras parecem um bando de piratas mal encarados, será que eles estão saqueando a cidade?
— Já ouviu falar do Team Aqua e do Team Magma?
— Já pesquisei na internet, mas sei muito pouco. São facções criminosas que atuam em Hoenn que visavam a construção de um mundo diferente banhado por oceanos ou por continentes imensos utilizando dos poderes de Groudon e Kyogre. — concluiu Brendan — Então esses caras são nossos inimigos?
— São meus inimigos em particular, você não tem nada haver com essa história. — respondeu Courtney.
— Mas se eles são seus inimigos, então são meus também! Eu quero estar do seu lado!
Courtney hesitou, mas logo viu que aqueles estranhos homens caminhavam em sua direção. Não havia como ela escapar sem ser notada, e por ter fama como sub-administradora do Team Magma, ela seria facilmente reconhecida.
— Olha, Brendan... Volta pra sua casa e não se envolve com esses caras do Team Aqua, isso pode terminar pior pra você. Pede desculpa pra sua mãe, mas fala que eu não vou mais voltar.
— Como assim? Mas você estava tão contente até agora a pouco!
— Brendan, apenas ouça!! — respondeu Courtney, agachando na altura do garoto e tocando seus ombros — Eu faço parte do Team Magma, e sou uma vilã! Será que você não entendeu? Você não pode ficar perto de mim, você é o garoto bonzinho. Eu só acabaria trazendo mais perigos para você.
Brendan manteve-se quieto por um instante, apenas fitando as orbes avermelhadas da moça, mas por um momento tudo pareceu fazer sentido.
— O-Os Magmas são os vilões! Como você pôde me enganar esse tempo todo?! Eu pensei que você fosse minha amiga!!
— Mulheres sofrem de alteração súbita de personalidade. Nos vemos em breve, mas acho que isso poderia vir a ser um adeus.
Courtney saiu correndo, deixando o garoto para trás que ainda parecia não entender muito bem o que havia acontecido. Os homens do Team Aqua notaram a presença de uma das líderes do Team Magma correndo pela direção oposta, rapidamente indo ao seu encontro.

Courtney encarou-os com severidade, mas eles estavam em maior número, e por isso não temiam nem mesmo uma das mais poderosas treinadores da facção inimiga. Os Magmas e Aquas há tempos tinham conflitos, e sempre que se deparavam, lutavam pelo domínio de uma determinada região.
— Saiam dessa cidade, ela está sob domínio dos Magmas.
 — É uma das comandantes de nossos inimigos!! Courtney, a Garota Flamejante! — afirmou um dos piratas.
— Cale a boca, ela está sozinha! É nossa chance de derrotar uma das comandantes inimigas e subir de cargo! Não vamos deixar barato, iremos vingar tudo que os Magmas fizeram para o nosso chefe!
Brendan não hesitou em correr até onde Courtney estava. O garoto tinha uma pokébola em sua mão, e parecia pronto para iniciar uma batalha.
— Eu disse pra você não me seguir! — gritou Courtney.
— Não estou ligando se você é vilã ou qualquer coisa parecida, eu só quero proteger as pessoas que eu gosto!
— Faz o que você quiser, só não vai chorar pra cima de mim depois que for derrotado! — respondeu ela, encarando Brendan de forma breve em seguida — Mas quer saber de uma coisa? Eu adorei você ter voltado. Vamos acabar com essa batalha então, garoto. Camerupt, eu escolho você!
— Vamos nessa, Mudkip!
Os dois Pokémons se colocaram em prontidão, eram duas criaturas extremamente preguiçosas, mas que pareciam ter um poderoso ataque por trás de seu modo lento de se exibir. Os membros do Team Aqua eram muitos, e tinham extrema vantagem por terem força contra o Camerupt de Courtney. Haviam duas Carvanhas e duas Poochyenas, mas o que mais assustava era a presença de um Sharpedo entre os supostos piratas. Não eram inimigos poderosos, mas a desvantagem poderia vir a decidir aquela batalha.
— Camerupt, vamos agir rápido! Ataque todos os oponentes com o Lava Plume! — ordenou Courtney, sendo interrompida por Brendan antes que desferisse o golpe.
— Espera um pouco! Se você utilizar tal movimento, vai afetar meu Mudkip também!!
— Que se dane, ele vai ser ferido para o bem da batalha!!
— Claro que não!! Acredite mais em seus Pokémons, eles não são somente armas, devem ter o carinho e confiança de seus treinadores! Você não irá utilizar tal movimento!
— Que droga garoto, utilize o Take Down nas Poochyenas então!
— Mudkip, lance o Water Gun combinado com a investida de Camerupt!
Os dois foram os primeiros a realizar algum movimento, atacando com velocidade e ferindo as Poochyenas gravemente. Os membros do Team Aqua sabiam que se derrotassem Camerupt teriam grande vantagem, e por isso atacavam a criatura com todas as suas forças. As Carvanhas mordiam o Pokémon de magma com seus dentes serrilhados, aos poucos ferindo sua camada grossa de pele. Mudkip continuava a lançar jatos d’água em seus oponentes, enquanto Camerupt derrubava um por um os inimigos que pareciam nunca terminar.
— Sharpedo, utilize o Bite naquele Camerupt!
Courtney sabia que o tubarão torpedo seria um problema, mas as Carvanhas impediam que os movimentos inimigos o atingissem. Camerupt era obrigado a proteger Mudkip com sua pele mais resistente, mas o Pokémon inicial mostrava estar fazendo um excelente trabalho em meio à batalha.
— Camerupt, utilize o Flamethrower naquelas Carvanhas! — ordenou a mulher.
Seus ataques não surtiam tanto efeito, mas mesmo assim derrubava as criaturas aquáticas com suas queimaduras. Era evidente que Camerupt não aguentaria muito tempo, de modo que Mudkip não fosse capaz de virar-se sozinho.
— Sharpedo, utilize o Ice Fang!
O tubarão era extremamente veloz, e num rápido movimento atacou Camerupt que recebera um imenso dano, tendo aberto uma ferida congelante. Courtney estava em apuros, e a batalhava parecia estar chegando próxima do fim.
— Não desista, Courtty! — gritou Brendan.
— Eu não vou ser derrotada por um monte de soldados inúteis do Team Aqua! Eu não vou!!

No momento em que Courtney ordenava um último ataque de seu Pokémon, pôde ser visto um rápido golpe que atingiu Sharpedo evitando o próximo movimento. Que tipo de criatura invadiria uma batalha? A moça virou-se bruscamente e pôde notar três homens acompanhados de três Pokémons logo atrás, todos vestiam roupas vermelhas, prontos para derrotar qualquer inimigo. Havia um Claydol, um Magneton e um Lairon. O Pokémon metálico tinha defendido Camerupt, assim como Courtney, que fitava aqueles três homens com um semblante de surpresa e felicidade.
— Agora vocês não estão mais em maior número, deem o fora daqui. — disse um homem, que possuía uma cicatriz em seu rosto e cabelos jogados para trás.
Os integrantes do Team Aqua ficaram surpresos com a presença de reforços, e sabiam que agora não teriam mais chance de qualquer movimento, retornando seus Pokémons e partindo em direção de uma rota aquática próxima à cidade.
— Não temos nenhuma chance contra o segundo batalhão dos Magmas! Estaremos voltando a atacar, e não pensem que isso foi uma derrota!
Courtney virou-se parecendo não acreditar no que via. Eram seus companheiros de equipe, os soldados de seu batalhão oficial. Eles eram conhecidos como o trio "Fogo Azul", pois eram os que mais se destacavam na equipe.
 Um deles tinha seu cabelo jogado para trás, e o que o marcava era uma singela cicatriz na altura de sua sobrancelha. Ele tinha um sorriso cínico em seu rosto, mas ao mesmo tempo de satisfação ao poder encontrar sua superior sã e salva. Seu nome era Mattson Pierce, o braço direito da comandante, e responsável pelo setor histórico e geográfico na equipe.
O segundo homem era de decência oriental, usava óculos, tendo seus olhos mais puxados e cabelos grossos e sedosos. Era fisicamente o mais fraco da equipe, mas compensava em seu grau de inteligência sendo um dos cérebros por trás das estratégias de seu grupo. Seu nome era Kenji Kobayashi.
O terceiro homem era o mais alto e forte de todos, não parecia ser de falar muito, revelando apenas sorrisos sinceros quando algo o agradava. Ele tinha a pele muito escura, e parecia distrair-se constantemente. Ele era o dono de Lairon, e seu nome era Donald Coffey, mas seus companheiros o apelidavam de Donny, pois apesar de assustador, na realidade era um gigante muito carente e solitário.

Brendan estranhava ver mais três homens vestidos da mesma forma que Courtney da primeira vez em que se encontraram, mas o garoto era inteligente, rapidamente chegando à conclusão de que eles provavelmente trabalhavam no mesmo lugar que sua amiga.
— Quem imaginaria que nos encontraríamos por aqui, princesa? — disse Pierce, o homem de cicatriz, abrindo seus braços e indo ao encontro de Courtney que derrubou-o no chão e o encarou de forma séria.
— Como vocês me encontraram?
— Agradeça o chefe Maxie, Senhorita. Ele nos avisou durante a noite que você estava em uma missão, e pediu para que nos certificássemos de que estava ocorrendo tudo em ordem. Só não imaginávamos que estaria tendo problemas com os Aquas. — respondeu o integrante oriental, conhecido como Kenji.
Brendan segurou levemente nas mãos de Courtney e perguntou para ela um pouco acanhado:
— Courtty, quem são eles?
— COURTTY? Hah, hah, hah! Que apelido comédia!! — riu Pierce ainda caído no chão, impossibilitado de qualquer movimento — E quem é esse carinha aí? Ele deve ter sido a primeira pessoa no mundo que conseguiu te chamar por algum apelido.
— Cale-se Pierce, ou sofrerá as consequências quando voltarmos à nossa base. — disse Courtney, fazendo o companheiro calar-se no mesmo instante.
A mulher agachou-se na altura de Brendan e tocou em seu ombro levemente, explicando quem eram aqueles estranhos homens que agora a acompanhavam.
— Eles são os integrantes de meu batalhão.
— O que você quer dizer com batalhão? Você pertence à uma espécie de organização?
Courtney suspirou fundo.
— Lembra do Team Magma? Aqueles caras malvados que você mesmo havia dito? Bom, nós somos os caras malvados. Agora que você sabe é melhor voltar para sua casa, Brendan. Apenas finja que nada disso aconteceu.
O garoto parecia ter ficado estático. Seria aquela moça realmente uma vilã em sua região? Ele conhecia um pouco sobre os crimes cometidos pelos Magmas, e agora tudo parecia ter ficado mais claro. Porém, Brendan deu um leve sorriso e olhou em direção de Courtney novamente.
— Eu não ligo pra isso.
A moça estava surpresa. Nem mesmo seus companheiros pareciam acreditar. Era raro encontrar crianças com atitude, quando se tratava de vilões todas faziam o maior alarme pensando que eles eram pessoas malvados, mas a ação do garoto havia surpreendido a todos.
— Olha só o carinha! Já achamos um novo recruta pra entrar nos Magmas daqui a uns anos. Mandou bem hein, chefia. Conquistando o coração da garotada.
Courtney agachou na altura de Brendan e o abraçou.
— Obrigada por confiar em mim.

{ 8 comments... read them below or Comment }

  1. INCRIVEL!!
    Quando você falou "Courtney veste mais um vestido da mãe de Brendan" eu imaginei ela como a Rukia, de Bleach. Por algum motivo, acho que elas se parecem um pouco ._.
    Mudkip finalmente se revelou!!! O0O
    Adoro esse carinha.

    (Trecho retirado da Arena Pokémon, 28/12/11)

    ReplyDelete
  2. Cara é muito legal ver a Courtney ''entrando'' na rotina do Brendan.
    Team Aqua ;s, Camerrupt *-*.
    ótimo capítulo.

    (Trecho retirado da Arena Pokémon, 29/12/11)

    ReplyDelete
  3. Também gostei muito do episódio. As batalhas foram bem legais, e gostei das novas personalidades que apareceram na fanfic. Parabéns pelo trabalho!

    (Trecho retirado da Arena Pokémon, 29/12/11)

    ReplyDelete
  4. acho que você esta fazendo um ótimo trabalho! a fanfic esta muito boa continue assim! ^^

    (Trecho retirado da Arena Pokémon, 30/12/11)

    ReplyDelete
  5. Muito bom o episódio, as batalhas, as descrições (mais uma vez), enfim, episódio completo. Estou doido para saber o mistério da missão de Cortney que envolve brendan ^^.

    (Trecho retirado da Arena Pokémon, 03/01/12)

    ReplyDelete
  6. Mann... Adoro essa confiança do Brendan na Courtney. E a forma que você mostra que mesmo os vilões tem sentimentos é fantástica, cara! Parabéns!

    (Trecho retirado da Arena Pokémon, 12/01/12)

    ReplyDelete
  7. "Donald Coffey",ou é a reencarnação do Coffey ou o Coffey e a reencarnação dele,ou são a mesma pessoa mas em dimensões(não falo de tamanho,mas sim de espaço e tempo) diferentes .

    ReplyDelete
    Replies

    1. Siiiiim cara, acredito que se atribuam mais a universos diferentes, dimensões como você citou! Mas o engraçado é que o Coffey de Burning Love veio antes do Coffey de Sinnoh, mas num geral tudo é interligado e ao mesmo tempo distante. Em Heart of a Child a Helen chama Giratina de Gilbert, e aqui na fic a Paula também chamava Giratina de Gilbert kkkkkkk Então é uma brincadeira que costumo fazer entre minhas próprias fics, sempre coloco referências umas nas outras, por exemplo, em praticamente todas as minhas fics tem algum personagem chamado Stanley, seja ele protagonista ou algum figurante. São os famosos Easter Eggs! kkkkkk Interessante, não?

      Delete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -