Posted by : CanasOminous May 23, 2014

As Espadas que Contavam Histórias
Ilustrações do Mangá feitas por Nyx.

Algumas pessoas simplesmente não sabem quando parar.
Certa vez ouvi uma história sobre um garoto que não largava o video game até que seu jogo estivesse completo. Esse jovem se levava ao extremo, fazendo com que aquela realidade virtual por um instante se tornasse parte de sua própria vida. Quando o jovem percebeu, chegou uma hora que parecia difícil distinguir sua verdadeira identidade. Ele se tornou... Parte da história. O guerreiro, o próprio personagem.
Foi então que o garoto ficou tão acomodado, mas tão acomodado que preferiu não sair mais dali. Nunca mais.

Luke Wallers havia chegado à segunda casa da Elite, comandada por Allen, o perito em Pokémons Psychic-type. Àquela altura do campeonato não havia mais plateia, porque tudo terminara sendo destruído após o improvável ataque causado pelo poder monstruoso de Atômico. As pessoas já haviam evacuado o local, mas o evento continuaria. Seu irmão e amigos eram alguns dos poucos que ainda o acompanhavam e, de certa forma, Luke ficava contente em saber que agora não haviam milhares de olhos em sua direção, como se apenas esperassem o momento em que ele iria tombar e fraquejar.
— Vamos lá, vamos lá... O que foi que eu te disse para fazer quando as pessoas duvidassem de suas capacidades? — Lukas murmurava para si mesmo, incontido. Ele temia as cartas que os integrantes da Elite guardavam, e tudo que podia fazer era rezar para que nem seu irmão e nem seus Pokémons saíssem dali feridos.
— Esfregue na cara delas a sua vitória — Luke riu ao responder inconscientemente, como se de alguma maneira estivesse conectado diretamente com seu irmão que era um dos poucos que assistiam tudo, de longe.
Luke chegara à próxima arena. Como se fosse um coliseu antigo, o campo preparado por Allen trazia colunas de mármore e tochas que exibiam um fogo azul que nunca se extinguia. Por mais vazio que estivessem as arquibancadas, o rapaz continuava sentindo-se estranhamente observado como se olhos pesarosos ainda o fitassem de relance, preenchendo o vazio do silêncio.
Allen fechou seu livro e ajeitou os óculos de grau do outro lado.
— Você chegou. Pude prever que logo estaria aqui. Na última vez que nos vimos você me parecia apenas uma criança sonhadora na cidade de Veilstone. Ah, aqueles eram outros tempos, tínhamos futilidades completamente diferentes para nos preocuparmos — disse Allen com um sorriso seco.
O homem ajeitou seu uniforme e fez um gesto em sinal de cumprimento ao levantar-se.
— Permita-me apresentar-me oficialmente. Eu sou Allen, trabalhei como detetive e estive acompanhando o progresso de seus amigos na busca pelos Rockets e Galactics na região. Devo dizer que me impressionei com sua atitude e a de seu irmão nos últimos tempos. Juntos, vocês conseguiram derrubar não apenas uma, mas duas das mais perigosas facções criminosas de nossa região.
Allen agarrou uma pokébola que levitou em sua mão antes de ser tocada levemente com o indicador.
— Dizem que sou um dos adversários mais imprevisíveis da atual Elite, e que você é um dos mais audaciosos adversários que já enfrentamos. Bem, terei de partir com tudo para que possamos fazer jus à nossa reputação.
— Obrigado por toda ajuda que nos proporcionou em nossa viagem, mas agora vamos terminar com esse jogo — respondeu Luke.
Allen sorriu de maneira amedrontante.
— Só terminamos quando o jogo terminar, correto?

Pokémons P.O.V. (Point of View)

Aerus ainda preparava-se mentalmente, pensava em qual estratégia abordaria no seu próximo desafio. Apesar das baixas sofridas na batalha contra a guilda Chernobyl, ele poderia considerar-se abençoado por nenhum de seus amigos terem tido o mesmo destino. Estava convicto a dar o seu melhor e não permitir que nenhum deles se machucassem, daria sua própria vida para protegê-los, seria o líder que inspiraria confiança e proteção que a Fire Tales sempre procurou.
— Watt — chamou o Garchomp. — Quem serão os nossos adversários?
— A Sword Nation Army, irmão. Comandada por Sonnen, um Gallade virtuoso e que domina a arte das espadas. Por mais que Pokémons Psíquicos sejam associados à magia e poderes especiais, ele é conhecido por sua habilidade e porte físico insuperável — explicou o Pachirisu. — Ele nunca descansa, é indecifrável. Parece ser capaz de ler a mente dos adversários e prever seus movimentos.
Aerus ativou as lâminas em seus antebraços para testá-las, e ficou contente com o resultado. Estavam afiadíssimas, prontas para serem usadas.
— Melhor. Eu me dou bem em lutas com espadas, prefiro derrubar muralhas e sua defesa física a ter de lidar com aqueles que se escondem atrás de suas paredes mágicas. Odeio Sp. Defense...
Watt abaixou suas orelhas, um pouco preocupado. Tinha algo muito importante a dizer, e aquilo não poderia esperar.
— Irmão, não sei se você já tinha conhecimento disso, mas creio que seja importante saber queo Sonnen é...
— Aerus!
A voz de General pôde ser ouvida, o dragão voltou-se para seu pequeno irmão e acariciou sua cabeça, impedindo-o de terminar de dizer o que pretendia.
— Aguenta aí, bola de pelos.
— A-Aerus... — Watt lamentou, mas Aerus já estava longe e não ouviu aquelas palavras.
O dragão voltou-se para o Dusknoir que caminhava cabisbaixo e pensativo. General saíra aturdido da luta contra Atômico, e mesmo assim parecia continuar disposto a derrubar mil exércitos. Era engraçado notar como Aerus sentia-se tranquilo ao lado dele. General, sim, este era um verdadeiro líder que inspirava até mesmo os outros líderes a continuarem seguindo em frente!
Quando Aerus o alcançou, o militar fez apenas um aceno. Caminhava de um lado para o outro com as mãos para trás, indeciso. Sua voz soou grave e indagativa:
— Aerus, meu jovem, venha até aqui. Precisamos conversar — chamou o homem com passos lentos, pouco antes da batalha oficial tomar início.
— Diga ae, parceiro. Está pronto para detonar tudo?
O rapaz ria, e por mais que General quisesse, era claro que algo o preocupava, impedindo-o de sorrir.
— Escute, Aerus, esta é a primeira guerra que você participa.
— Primeira? Qual é, General! Nós lutamos na Ilha de Ferro e saímos vitoriosos contra um exército de Pokémons Clones, nós derrubamos os Lendários no topo do Spear Pillar, nós salvamos o mundo! Como pode dizer que esta é a primeira?
O homem balançou a cabeça.
— Toda guerra deve ser tratada como a primeira e última. Nunca sabemos o que esperar. A única coisa que levamos para fora é a experiência, e algumas vezes posso garantir que é justamente ela que nos salva — explicou o militar. — Você é jovem, e pode gabar-se de seus méritos com orgulho, mas não subestime nossos adversários. Não vacile. Não tenha piedade.
— Uow, uow! — Aerus afastou-se erguendo as duas mãos para cima. — Vamos com calma, General, não queremos que ninguém saia morto daqui!
— Você viu o que aconteceu na Primeira Casa — disse o fantasma com a voz rígida em uma mudança súbita de temperamento. — Você viu que eles não perdoam, e eles atacam para matar.
Aerus olhou para a lâmina contraída em seu braço direito. 





Aquele desafio seria feito em batalhas singulares, como ocorrera no Torneio de Guildas. Sonnen era um sujeito que gostava de duelos, então todas seriam decididas daquela maneira. Seriam três batalhas, e os guerreiros da Fire Tales já haviam sido selecionados.
— Mikau, ansioso para a sua inauguração? — Aerus perguntou num tom de risada.
O Kingdra despertou ao ouvir seu nome ser invocado.
— Agora sim isso está começando a ficar divertido.
O atirador vinha comportando-se de maneira errônea desde o Torneio das Guildas. Acreditava que todos que lá estavam não chegavam ao seu nível, e aguardara a chegada das lutas contra a Elite somente para demonstrar como era poderoso, que era sublime. Uma divindade.
Ainda não havia sinal da guilda Sword Nation Army. Se eles eram uma nação, então onde estariam se escondendo, já que nem podiam ser vistos? Duas tochas se acenderam com fogo azul e Mikau estalou os dedos de ansiedade.
Assim que deu o primeiro passo na arena de batalha, um holograma surgiu com o uma imagem nítida de seu rosto estampado com seu nome embaixo. O convite fora feito.
— Ding-dong! Desafiante apresentado. Primeiro turno iniciado. — Uma voz mecânica anunciou antes de fazer uma pausa — Mikau, o Atirador.
ELe só esperava o momento em que aquele título mudaria e começariam a chama-lo de Mikau: A Divindade.
Uma parede mágica ergueu-se em volta da arena, impedindo que qualquer um entrasse ou interferisse na batalha em ambos os lados. Aerus não esperava por aquilo, mas fora avisado de que deveria ficar atento aos poderes mágicos dos Psychic-type.
— Eles sempre têm os seus truques — murmurou o dragão.
Mikau olhava de um lado para o outro, à espera de sua presa. Lentamente, em sua frente uma cortina densa de fumaça começou a se formar, revelando a forma de um guerreiro trajado em armadura completa e com sinais de uma cultura antiga há muito esquecida. O atirador não esperou mais nenhum instante, lançou o primeiro tiro que perfurou a testa do sujeito que deixou para trás apenas vento e poeira sem atingir nada.
A arena era sinistra e imprevisível. Pouco a pouco Mikau não tinha mais noção de onde estavam seus companheiros, e as enormes colunas pareciam repetir-se mil vezes ao seu redor. Ele ainda não sabia contra o que estava lutando.
Uma voz ecoou em seus ouvidos:
— Sua fama o precede, atirador.
Mikau deu uma cambalhota para o lado, erguendo as mãos e preparando-se para atirar no que encontrasse, mas ainda não havia nada ali.
— As pessoas falam muito de você, mas entenda que elas não o respeitam, elas o temem. Consegue entender a diferença? — disse a voz.
Mikau andava de lado com os braços esticados, não baixando a guarda por nem um instante.
— Eu não preciso que me respeitem. Preciso que me obedeçam — o atirador respondeu com um sorriso cínico.
A voz pareceu pensar antes de falar:
— E você não tem medo de terminar sozinho?
— Não irei.
— Acha mesmo que no fim dessa guerra você estará de pé para cantar vitória? — a voz o desafiou, parecendo irritada. — Você morrerá, atirador. Você cairá no esquecimento, e todos irão rir de você ao dizerem: Aqui jaz um homem mal, que pagou por tudo que cultivou.
Conseguindo localizar-se melhor com toda aquela conversa, o Kingdra disparou no ar sem hesitar:
 Ice beam!
O tiro fora certeiro no ombro de seu oponente. O sujeito vacilou, a ombreira direita despedaçou-se congelada, revelando uma de suas fraquezas. Apesar da falha, a sombra logo desapareceu ao voltar na neblina. Mikau finalmente havia conseguido ver contra o que lutava. Era um Alakazam, adversários perigosos que usam do poder de suas palavras para eliminarem os inimigos.
— Você morrerá antes do fim, atirador. E se não for por minhas mãos, será pelas de outro.
— Acha mesmo que agora vou ter medo de um mero boneco? Quem é você, se não uma peça insignificante que luta pelos outros? — disse Mikau num tom de risada.
— Nós somos Pokémons, formamos uma guilda. E nosso treinador nos protegerá — respondeu o Alakazam.
— Vamos ver se ele conseguirá protegê-lo disso, então.
Mikau atirou, mas errou o alvo que acertou em uma parede de luz que logo se dissipou.
 Light Screen?! — bradou, surpreendido.
O Kingdra não teve tempo de agachar-se quando sentiu alguma força invisível segurar seu pescoço prestes a degolá-lo. Tentou erguer o braço e dar um disparo, mas sua mão também estava imobilizada. A figura taciturna do guerreiro psíquico surgiu na escuridão e falou bem perto de seu ouvido:
— Nós, guerreiros psíquicos, temos poderes sobrenaturais e podemos prever o futuro. É uma magia antiga e pouco utilizada, conhecida como Future Sight — disse o Alakazam. — Você cairá nessa guerra, e ninguém mais vai lembrar-se de você. Irão cuspir em seu caixão, e somente então você perceberá que deixou para trás aqueles que poderiam tê-lo salvado.
Mikau ergueu a perna para acertar um chute na cara do Alakazam, que ao menor sinal de soltá-lo vacilou e recebeu mais dois tiros de gelo antes de desaparecer na fumaça invisível. Mikau ofegava, mas ainda sorria.
— Eu não vou morrer. E se isso acontecer, levarei todos vocês para o inferno comigo.
Atirou novamente, e pôde ouvir os gritos de dor de seu adversário que não cessavam, mas depois de receber aquela quantidade de projéteis de gelo, como era possível que continuasse andando? Estava claro que Mikau não errava, mas por que seu adversário não caía?
— Vocês realmente têm alguns truques — admitiu o Kingdra. — Mas já chega de brincadeiras, vamos ao que interessa.
Ele atirou na fumaça que se dissipou, não acertando nada. Logo, pôde ouvir uma voz de deboche:
— Errou.
Uma força invisível tomou conta de seu corpo, e Mikau sentiu sua mão contorcer-se como se alguém tomasse controle de seus atos, fazendo-o sofrer. Sua mão quase foi torcida, o que terminaria rendendo sérios problemas nas próximas casas da Elite caso aquele Alakazam quebrasse o seu braço.
Seu adversário era capaz de controlar os inimigos como marionetes. Mikau precisava livrar-se dos pontos em que ele conseguia observá-lo e atacá-lo. Ele olhou para as paredes que eram protegidas por uma aura misteriosa e chegou à seguinte conclusão:
A arena que nos envolve é feita do Light Screen.  
Mikau ergueu um dos braços e convocou um poder aquático, criando uma enorme onda que tomou conta de toda a arena, o Surf. Com suas mãos capazes de conjurar o frio do inverno, ele começou congelar a água com fortes ondas que batiam contra as paredes de maneira  avassaladora. O gelo foi subindo pelos pilares, tomando conta da arena para que o atirador finalmente pudesse ter controle de seu cenário.
Com o braço ainda bom, ergueu a punho e socou o chão de tal maneira que, ao chocar-se com o gelo, espatifou-se em mil pedaços destruindo a barreira mágica por completo. A neblina dissipou-se. Seus companheiros da Fire Tales finalmente puderam ver o que acontecia, e seu adversário estava logo atrás.
 Seu showzinho terminou — gritou Mikau. — Hydro Pump!
Mikau deu um poderoso disparo que foi direto na testa do guerreiro. O Alakazam vacilou, e a bala de gelo congelou seu corpo que caiu para trás, imóvel e derrotado. O Kingdra trouxera a primeira vitória para a Fire Tales na Segunda Casa.
— O desgraçado utilizava o Recover para recompor-se e tentar me iludir com suas palavras sempre que eu lhe dava uma brecha — respondeu Mikau com a voz indiferente. — Pena que eu fui o seu oponente, o ele até teria sido um adversário relevante.
Antes de sair da arena, o rapaz parou e olhou para trás.
— Creio que suas visões estavam erradas.
As mãos de Mikau voltaram a relaxar e ele lançou um olhar ameaçador pela arena vazia.
— Quem é o próximo?
— Segundo as regras desta casa, cada participante poderá entrar em apenas uma luta — respondeu uma voz mecânica. — Você arquivou a sua vitória. Para o próximo turno, um novo desafiante deve ser apresentado.
— E se eu não obedecer essas regras idiotas? — Mikau desafiou.
A voz não respondeu por um instante, mas logo o rapaz sentiu uma estranha energia percorrer-lhe o corpo e uma intensa descarga elétrica o atingiu. Milena soltou um grito pasmo e até Aerus ameaçou interromper.
— M-Mikau! — gritou o dragão.
Apesar de aturdido, o atirador manteve-se de pé e direcionou um olhar ameaçador para o que quer que tivesse disparado aquela descarga.
— É só isso que vocês têm? Patético.
Antes que Mikau recebesse mais uma descarga, alguém tocou seu ombro. O golpe elétrico foi ativado, mas a descarga pareceu passar de seu corpo e ir em direção daquela mão enorme que o segurava de maneira tão mansa.
O rapaz olhou para o alto e viu o gigante Coffey com um sorriso bondoso no rosto. A mão do homem o incomodava, mas graças ao tipo terrestre do Rhyperior, o efeito da eletricidade fora anulado. Por mais que Coffey salvara sua pele, Mikay sentiu nojo e repugnância de sua presença, afastando-o imediatamente como se aquilo o infectasse.
— Fique longe de mim — disse de maneira rude.
— Tudo bem. — disse o gigante, compreensivo. — Eu sou o próximo 
Mikau não agradeceu em momento algum o fato do homem ter drenado a descarga elétrica por conta de sua habilidade, o Lightiningrod, mas, indiferente à atitude que teria de tomar, foi obrigado a abandonar a arena.
— Vê se não sai daí chorando, grandão.
— Não vou — Coffey disse com um sorriso. — Vou ganhar. Vou ajudar todo mundo. Eu prometo.
Coffey assumiu a arena e mais uma vez o Light Screen tomou efeito. A voz mecânica voltou a falar enquanto o gigante olhava para todos os lados tentando descobrir de onde ela vinha.
— Ding-dong! Desafiante apresentado. Segundo turno iniciado. Coffey, o Destruidor — disse a voz mecânica. — Dessa vez, eu serei o seu adversário.
A voz mecânica cessou e, através do que parecia ser um portal, surgiu um guerreiro armado inteiro com sua armadura de prata. Diferentemente dos demais, ele parecia ser um robô, como Vista e Wiki, porque seus olhos eram vazios e as partes mecânicas em seu corpo indicavam que ele era um avanço incrível para sua tecnologia. A armadura brilhava tanto que era possível enxergar seu próprio reflexo nela. Um Bronzong.
— Eu não queria machucar ninguém — admitiu Coffey. — Mas o chefe disse que estamos em guerra, e eu preciso proteger os meus amigos. Espero que me perdoe.
— Quem somos nós, para encarar de frente a ordem de nossos senhores? Alguns mandam, enquanto outros obedecem. Cumpriremos com nossa parte para que os grandes sentem em seus aposentos reais e contem os números como se a vitória fosse adquirida por suas próprias mãos — respondeu o Bronzong, com uma fala que mais parecia projetada, todavia, extremamente honesta. — Ding-dong! Mãos aquelas que nunca precisarão serem sujadas de sangue inocente.
— O chefe não é assim — respondeu Coffey, referindo-se a Aerus. — Ele é bom. E eu estou aqui para ajudar. 
A batalha estava iniciada. Coffey ergueu seus braços enormes e golpeou o chão, criando um terremoto instantâneo e despedaçando a arena em quatro partes. Do lado de fora, Aerus e os demais nem sentiram o movimento de tão poderosa que era a magia dimensional do Light Screen, mas tinham certeza de que o gigantesco Rhyperior enfretaria sérios problemas contra aquele inimigo.
Coffey ergueu os olhos e percebeu que seu adversário flutuava. Em sua mão, o cavaleiro de armadura carregava um sino de prata que era tocado sempre que uma fala seria proferida.
— Ding-dong! O golpe falhou. Meu turno. Gyro Ball!
O Bronzong criou uma esfera de energia metálica e disparou-a contra Coffey, que assustou-se com o impacto e caiu para trás no chão duro. O Bronzong estava para repetir a dose quando o gigante dessa vez levantou-se e golpeou a esfera de energia, mandando-a de volta.
Seu adversário a rebateu, enviando-a de volta para Coffey. Os dois continuaram rebatendo o golpe até que um deles errasse, e a um dado momento Coffey acertou a esfera com tanta força que ela explodiu contra o Bronzong, derrubando-o no chão onde ficasse sucessível.
— Ding-dong! Perigo! Perigo!
Coffey deu uma cabeçada tão forte no robô que sua armadura trincou e seus defeitos se evidenciaram. Ele não pôde locomover-se com a mesma velocidade, e agora vacilava quando tentava atacar com a mesma força.
O Bronzong tentou afastá-lo com o Psychic, mas tudo que o golpe podia fazer era retardar os movimentos do gigante que partia para cima dele como um rinoceronte incontrolável. Coffey segurou os destroços de um dos pilares e usou-o com a arma, com seu braço direito ele amassou o elmo de ferro do Bronzong que começou a pifar, esgotando todas as suas energias.
— Perigo! Perigo! Perigooooooo... — A voz falhou, até que Coffey retirou os fios que ligavam a cabeça ao pescoço do robô que, por fim, apagou-se por completo.
O Light Screen cessou e todos se surpreenderam ao ver a arena completamente destruída. Coffey olhou para todos, assustado, e largou o corpo destruído do Bronzong no chão. Ele conseguiu saltar pelos pilares destruídos onde Aerus o aguardava boquiaberto e Mikau o encarava com um ar invejoso.
— Mandou bem, grandão! — disse o dragão.
— Fiz bem mesmo, chefe? Eu só queria ajudar todo mundo — Coffey respondeu, contente.
— E fez bem, amigo! Estamos indo bem, galera. Vamos manter o ritmo, vamos detonar todo mundo e gravar nosso nome no Hall of Fame! Continuem dando o seu melhor.
General via claramente a maneira como Aerus vinha se comportando. Era importante que ele estivesse convencido de suas vitórias, mas não poderia vacilar, e o militar teimava justamente que o excesso de confiança o fizesse abaixar a guarda.
Mas ele não disse nada.
Ao término da segunda batalha, não houve tempo para que o terceiro desafiante se apresentasse quando a arena começou a se reconstruir sozinha, mais uma das habilidades surpreendentes dos Pokémons psíquicos. O chão voltou a ficar liso como mármore, as tochas azuis se acenderam, as colunas se ergueram e o próprio Bronzong recuperou a energia, levantando-se ereto e fazendo um cumprimento.
— Ding-dong! — O sinal de voz mecânica do guerreiro soou. — Senhoras e senhores, antes que que o terceiro desafiante seja apresentado, gostaríamos de anunciar a entrada triunfal de nosso líder. Sonnen, o Mestre das Espadas.
Toda a arena de batalha voltou a transformar-se quando os membros da Fire Tales se reuniram e o chão movia-se aos seus pés. Como se aquela fosse a última fase de um game, um elevador foi visto descendo das alturas conforme as tochas de fogo azul ganhavam uma coloração mais intnsa. Ao chegar no térreo, um guerreiro mascarado ali estava.
Com vestes brancas e o olhar ocultado pelo mistério, aquele guerreiro tinha um porte físico invejável e carregava na bainha três espadas diferentes. No restante do corpo, escondida nas cochas, costas e antebraço, eram sete armas no total. Em seu pescoço ele trazia um cachecol rosado que entrava em contraste com o restante de seus equipamentos, mas lhe davam um ar charmoso ainda assim.
O guerreiro estufou o peito e ergueu o queixo.
Aerus recuou um passo. Já ouvira falar de Sonnen, um dos membros dos Remarkable Five, os Pokémons mais poderosos de toda a região e o primeiro integrante oficial que estariam enfrentando. Aquele era um dos cinco Pokémons mais fortes e ficazes de Sinnoh na atualidade, os mais ambiciosos tinham sede pela oportunidade de ter uma batalha contra ele, e a chance havia chegado.
— Ding-dong! Desafiante apresentado. Terceiro turno prestes a ser iniciado. Sonnen, Mestre das Espadas, componente dos Remarkable Five, líder da guilda Sword Nation Army, guerreiro profissional, estupendo, grandioso, formidável, exuberante, maravilhoso, magnífico.
— Já é o suficiente.
— Afirmativo, meu senhor.
Sonnen estalou os ombros e cruzou os braços, lançando um olhar para Aerus e os demais guerreiros que mantinham-se na linha de frente. O Garchomp, o Kingdra e o Dusknoir eram os que mais chamavam atenção, mas logo o guerreiro começou a olhar adiante como se procurasse algo, ou alguém.
— Já decidiram quem será o meu adversário? — indagou Sonnen.
— Opa, você está olhando para ele! — respondeu Aerus, preparando-se para erguer o indicador e apontar para si mesmo quando General o puxou para trás e o repreendeu:
— Estamos decidindo.
— O quê?! — O dragão pareceu furioso. — Qual é, General! Deixa eu lutar contra ele, estou louco para fazer alguma coisa na Liga, deixa vai! Os Remarkable Five eram os heróis de minha infância, eu preciso lutar com um deles pelo menos uma vez...
— Combinamos que você não entraria — General falou procurando manter a calma, pois no fundo ele se preocupava muito com Aerus e presava sua segurança.
Voltou a olhar para Sonnen, e por fim falou:
— Sua desafiante está à caminho.
O som de saltos pôde ser ouvido, e após tratar alguns machucados de Jade e Yoshiki, a enfermeira  oficial da guilda entrava em cena. Ela caminhava de maneira elegante rumo ao seu momento de glória. Bem maquiada, com os cabelos na altura dos ombros, brincos a acessórios, entrava em cena uma guerreira que ninguém nunca vira batalhar com seriedade. Sophie, a Gardevoir.
Aerus nunca reparara como aquela mulher era linda, e mesmo apesar da idade, ela tinha nos olhos a convicção e a essência de uma jovem adolescente. No caminho, Sophie segurou num dos ombros de Karl e beijou-a na testa, abraçou Al Capone e acariciou as chamas nos cabelos de Lyndis que não a queimavam. Aerus sorriu ao vê-la caminhar em sua direção como uma guerreira que aceita o seu destino.
— Estou pronta, senhor — disse Sophie, convicta. — Quem será o meu adversário?
          Todos olharam para o guerreiro mascarado que continuava parado do outro lado.



Não sou uma das pessoas mais responsáveis para se dizer isso, mas posso dizer que o Mundo sempre foi mal. Aquele garoto, o qual mencionei no início da história, esperava viver em um universo que só ele enxergava. Quando o Mundo lhe tirou as poucas coisas e pessoas que eram importantes, ele revelou-se violento, audaz e voraz. Primeiro acariciou-lhe e tomou-o em seus braços, para somente então revelar uma nova faceta: Aquela que consumia tudo ao seu redor. Quando indagado, o Mundo respondia:
— Quem é você, se não apenas mais um neste maldito teatro, em que tudo gira em torno de minha essência?
— Meu nome é Sonnen, e eu quero ser feliz — dizia o menino.
— Entã vou roubar a sua felicidade, e tudo que lhe é importante!
E tudo foi roubado. O garoto, terminou sem nada.
Sozinho e desconsolado, ele encontrou no mundo um novo sentido para viver, guiado pela paixão que desenvolveu por novas artes. Quando não tinha amigos, ele conversava com suas espadas, e aprendeu a amá-las como nenhum outro conseguiria.
Certo dia, alguém lhe perguntou:
— Mas o que tanto conversa com elas?
— Falamos sobre a vida — respondeu o garoto.
— A vida?
— Sim, a que roubaram da gente. As espadas disseram que não poderiam me trazê-la de volta, mas em compensação, que dariam outras! Então, escolhi não ter apenas uma vida, e sim, muitas delas.
As pessoas o achavam estranho por esse motivo, mas o garoto nunca ligou, pois aquela era a sua decisão; e nelas, as espadas que contavam histórias, uma nova vida encontrou.

      

{ 31 comments... read them below or Comment }

  1. Uma leve olho está na minha lagrima '-'
    Aerus está lembrando o Ike *-* Ike vai estar no SSB4! Nintendo aceita minha alma? Gosto muito dos seus traços Nyx! São demais *-*
    SOPHIEE E SONENN!! *--* brigas em familia :v não percam as 5 da tarde Casos de Familia ~~tada trram~~ '-'
    \\00

    ReplyDelete
    Replies
    1. Vá contendo as lágrimas, WV! O pior ainda nem começou kkkkk O Aerus realmente lembra o Ike de Fire Emblem quando ele era mais jovem, porém, o novo Ike que vai entrar no SSB4 é mais maduro e centrado, baseado no Radiant Dawn. O Aerus é bom, mas ainda não tem cabeça pra chegar aos pés do Ike, ele é uma lenda!! kkkkkkk

      E por sinal, o Ike aqui da fanfic recebeu esse nome por conta do Ike da franquia Fire Emblem :D Poucas pessoas conheciam esse personagem, mas agora com o anúncio do Smash, aposto que começarão a prestar beeeem mais atenção nele kk

      Uma briguinha de família é muito bem vinda para mexer com as emoções, mas antes disso vamos lançar alguns Supports dramáticos, para sofrer um pouco mais kk Sou suspeito pra falar, mas a batalha desses dois irmãos ficou FODA! Valeu por comentar ae, WV. Beijos!

      Delete
  2. E LÁ VAMOS NÓS ! VAI FIRE TALES!

    Finalmente, segunda casa, e devo admitir que essa será mais dramatica do que com ações. Pô, e aquela historinha do começo, tava me descrevendo é ?

    Ok, batalhas de 1 vs 1, as minhas favoritas, e bem legal o Mikau dando uma de ambicioso :3 E boom, ele matou o Claydol.

    Acho que essa batalha do Coffey vs Bronzong ficou muito parecida com a batalha final de Link vs Ganondorf de Ocarina of Time, sabe, tem que ficar rebatendo golpes. EU VI ESSA REFERÊNCIA KKKKKK

    Coffey é simplesmente tão legal, se desculpando, todo inocente, mas imagino ele no final : BAM! MORRER DESGRAÇA!

    E sim, a mulheres da Fire Tales começaram a agir. Vai Sophie ! TODOS ESTÃO TORCENDO POR VOCÊ!
    Esse negócio de milhares de espadas me lembrou a Erza do Fairy Tail :33

    "... escolhi não ter apenas uma vida, e sim, muitas delas." - Essa frase é a que melhor descreve um gamer e um leitor. E parece que teremos uma treta tensa aí.

    E que venha o próximo capítulo :3

    ( Obs: To sumida porque sim :v )

    ReplyDelete
    Replies
    1. Diga ae, Star-chan! A Segunda Casa começou com esse clima tenso, mas depois você vai perceber que isso muda bastante. O Sonnen em especial é um personagem que tem muita influência de games, e ele está sempre andando por aí falando como se fosse um personagem desse universo kk Este será um dos principais fatores da batalha, e para nós que também gostamos muito desse universo, é óbvio que eu teria de deixar algumas referências kkkkk

      Aquela técnica de rebater poderes num estilo meio "volley" é clássica da série Zelda, de onde mais seria? kk Colocarei pequenas referências a outras franquias no estilo e técnicas do Sonnen em batalha, vai fica rbem legal!

      Caramba, e eu preciso só avisar os leitores de uma coisa... Você comentou do Claydol, mas percebi que eu cometi um erro GRAVE antes de postar. A princípio, descrevi essa batalha sendo um Alakazam, e depois esqueci-me de adaptar os movimentos! Conclusão: Claydol não aprende Psychic, Future Sight e nem Recover!! D: Que droga, tive que correr pra mudar e fazer com que tudo faça mais sentido, porque odeio errar nas estratégias. Bem, acha que você pode esquecer do Claydol, e fingir que era um Alakazam? kk (Espero que a maioria não tenha visto essa falha...)

      A Parte 1 foi apenas uma apresentação, mas prepare-se para a segunda, que será muito melhor e, por sinal, uma das minhas favoritas. Obrigado por tirar um tempinho do seu Animal Crossing para vir aqui comentar, Vanessa! kkk Beijos!

      Delete
    2. Ainda bem que eu sou lesada e nem percebi. Shhh, ninguém viu kkkkk :3

      E pô, precisamos conversar, muitas novidades no meu Animal Crossing *-*

      Delete
    3. Aposto que a sua vila deve estar muito show já! Vou querer dar uma olhada depois que as coisas acalmarem, e quando você estiver com um tempinho sobrando, tente fazer um desenho dos seus vizinhos na forma Gijinka! A sua versão será Welcome to Hisashi! kk Outro dia conversei com o Apollo, e ele comentou: Ei, já ouviu falar da Star-chan? Até os meus vizinhos ficavam falando para chamá-la mais vezes pra vila! kkkkk

      Estou jogando uns games novos muito fodas também, mas só da geração old school. Super Metroid, Earthbound... Depois preciso começar Child of Light e Bravely Default. Shit, é muito jogo legal pra pouco tempo! kkk

      Delete
  3. eu dei uma pausa na leitura, e ainda to na season 1, mas de vez em quando eu venho pegar uns spoilers no mangá. a conversa do aerus com o general foi muito épica XD
    ai ai... se minha rotina n fosse tão corrida eu iria dar uma GRANDE adiantada :D
    abraços do (ansioso pra ler) doritos o/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Diga ae, Doritos Men! Vá aproveitando a primeira temporada cara, até hoje adoro a maneira como tudo era tão simples e inocente, chega a ser divertido estar vendo os personagens passarem pelo segundo ginásio e depois olhar lá pra frente, sabendo que eles já estão na Liga Pokémon! Um spoilerzinho vez ou outro é sempre bem vindo, acho que isso até fortalece mais os laços com os personagens, não é? kk Vai lendo conforme dá meu caro, separar o tempo para ler e fazer as coisas do dia a dia é bem complicado, mas não tenha pressa, a história por aqui ainda vai longe, beeeeeem longe! ;D

      Delete
  4. FIRE FIRE FIRE TALES, FIRE FIRE FIRE TALES[Sim, dei uma de Mavis aqui]
    A Ação [fiquei roendo as unhas] deste capitulo foi sensacional, a conversa entre Aerus e General foi divina.
    SonnenXSophie vai ser epica, com certeza será, estou Mega Ansioso, daqui a pouco irei mega evoluir.
    Bem, até mais Canas tenho que ir, se nao minha mãe puxa minha orelha por não sair do pc kkkk tchau ^^

    ReplyDelete
    Replies
    1. Diga ae, Barão. Fico feliz que tenha curtido a batalha cara, as lutas iniciais do Mikau e do Coffey foram só para aquecer, porque a verdadeira disputa começa agora! Também gosto muito dessa conversa entre o Aerus e o General, acho que ela fala muito sobre a personalidade do Garchomp, mostrando um lado dele que continua sendo como era desde os primeiros capítulos. Sem contar que o General é como um dos pilares, e por mais que ele não seja o líder da guilda, o próprio Aerus abaixa a cabeça e ouve os conselhos dele.

      Se minha fic pudesse mexer com a 6° Geração, eu certamente guardaria o Mega Garchomp para o final, seria foda demais, não acha? *-* Continue de olho companheiro, um grande abraço!

      Delete
    2. Um Mega Aerus seria perfeito :3

      Delete
  5. Xente,, como faz pra qualidade da imagem ficar tão boa? Tipo... Tão preto e branco?

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá, Kevin! Por mais que usemos apenas o clássico nanquim para os traços nos desenhos à mão, quando a imagem é escaneada e passada para o computador ela sempre acaba tendo algumas tonalidades diferentes. Se você usar Photoshop, é possível corrigir o preto e branco utilizando o "Levels", ou o atalho Ctrl+L. Nele você mudará os níveis de sombra e luz de acordo como preferir, e para finalizar, clique em Image >> Adjusments >> Desaturate, ou simplesmente Shift+Ctrl+U, para que as cores não tenham oscilações e variem apenas entre os tons de branco, cinza e preto.

      Estes são os métodos que utilizo para editar cada página de modo que ela tenha uma melhor qualidade no arquivo digital! :D Grande abraço.

      Delete
  6. Replies
    1. Pode deixar que já estamos trabalhando na continuação, companheiro! Ela pode sair daqui uma ou duas semanas, um intervalo aparentemente longo, mas que compensará uma vez que a Parte 2 está INCRÍVEL! Sem sombra de dúvidas, uma de minhas favoritas de toda a luta contra a Elite. Estarei aguardando seu comentário quando lançarmos meu caro, abraços!

      Delete
    2. Ha ha!Pode deixar!Uma coisa que notei nos comentários acima foi que você tocou em um assunto da 6ª geração,vc podia por o Lukas para rodar todos os continentes a procura da Fonte Da Etenidade,e só encontra-la em Kalos.
      Motivo pela procura:Ficar para sempre ao lado de Paula.

      Delete
    3. Vou te pedir um favor,posso fazer um fic que se passa no mesmo universo da sua,com pequenas referencias aos acontecimentos?

      Delete
    4. Oh, sim, mesclar a história com a 6° Geração está em nossos planos! O Haos é quem cuida de Kalos, somente ele pode pode fazer as coisas desse continente na Aliança, mas nós conversamos bastante e tivemos algumas boas ideias para juntar as duas fics. O Haos demonstrou muito interesse em utilizar os personagens de Sinnoh, e pra falar a verdade só depende de nós dois sentarmos qualquer dia pra colocar a mão na massa e fazer acontecer, se ficarmos esperando cair do céu acabaremos nunca colocando na prática kk

      Por enquanto eu me concentrarei em terminar a fic de Sinnoh, e somente depois pensarei em como a jornada de Luke e Lukas pode continuar... Aposto que esses dois irmãos não se contentariam em ficar em casa, e logo arrumariam um jeito de ir pra outro lugar! kkkk Mas vamos ver, vamos ver... Antes de tudo, um merecido descanso, e que o destino nos mostre o que fazer!

      Sobre você fazer uma fic que se passa no mesmo universo, seria show de bola cara! Na Aliança Aventuras nós costumávamos misturar bastante nossas histórias (é uma pena que praticamente todas as "interligações" tenham acabado, uma vez que as fics foram abandonadas e os autores saíram) mas este sempre foi um dos fatores que eu mais adorava ver: Os universos se ligando! Se você escrever alguma coisa bacana, depois me manda o link aqui no blog para eu dar uma olhada. É como uma fanfic de uma fanfic kk É o universo que a Aliança Aventuras criou, vamos trabalhar para que ele se torne cada vez mais! :D Abraços ae, companheiro.

      Delete
    5. Ei Canas,creio que achei uma pequena ligação entre a sua fic e a Aventuras em Kalos,se for do jeito que penso,só posso dizer que tem a cara da Viviam e de Johto.

      Delete
    6. Diga ae, César! Sim, a Vivian e a Kath são primas, e esta é uma das interligações mais antigas da Aliança. Sem contar que é uma das favoritas! Desde 2011, quando o Little Celeby escreveu nossa primeira fanfiction, havia uma garota meio doidinha que morava em Azalea, e não precisou de muito tempo para ela conquistar os leitores com seu carisma. Depois deste ocorrido, praticamente todas as regiões queriam ter alguma das lendárias "Primas de Azalea", tivemos a Melody, Vivian, Julia, Kath... Sem contar outras que não tiveram tempo de se tornarem reais, mas que ficaram nos planos.

      É uma pena que hoje tenham restado apenas duas... Mas quem sabe algum dia não teremos a chance de vê-las unidas novamente? :D Por enquanto nunca consegui interligar nada com o Haos, mas houve um episódio especial em que mostrei a Vivian convivendo com suas primas em Azalea, dá uma conferida mais tarde: http://tinyurl.com/njrzc2d

      Muitos leitores me pediram uma reprise desse episódio, uma nova versão em que as primas possam se reunir uma última vez. Estou pensando seriamente em sentar e trabalhar com o Haos nesse especial, pelo menos antes do fim de nossas fics esperamos fazer isso acontecer! kk Fique de olho em muitas outras interligações que virão. Abraços!

      Delete
    7. N cara,disso todos sabem,to falando que é possivel que a Kath foi a prima que a Vivian deu sem querer Kiss in Mouth.

      Delete
    8. Ahhh, isso aí ninguém nunca poderá comprovar kkkkk Mas se eu pudesse arriscar dizer quem era a mente perturbada entre as primas que sempre tinha essas ideias malucas, creio que a mais provável fosse a Julia! "Sem querer" kkkkkkk Essa história é velha ;)

      Delete
    9. A situação dessa história é complicada.Não acho que foi a Julia por ela ter ido se aventurar pelo mundo bem mais cedo,mas tb pode ter cido uma prima desconhecida.Me tira uma duvida?Quais foram os Aventuras Em.. anteriores?

      Delete
    10. Pois é, cada fic nova que criamos surge uma prima nova, então nunca teremos total controle de quem poderia ter sido kkk

      Bem, vamos seguir aos poucos, porque foram muitas aventuras kk A primeira delas foi a Johto 1, escrita por Little Celeby, a nossa primeira fic e que originou tudo. Depois tivemos muitas Kantos, foram 4 no total, e a que durou mais tempo e fez mais relevância ao nosso universo foi a terceira, escrita pelo Jean. As demais acabaram não interligando muito com as outras fics, logo não influenciaram no nosso universo. A Hoenn mais recente escrita pelo Shadow Zangoose foi uma de nossas maiores perdas, uma vez que a fic já tinha passado os 50 capítulos e tinha várias referências das demais fics. Perdemos também Almia e as Ilhas Laranja, ambas escritas pelo Thiago Rosendo e foi uma de minhas favoritas. Outra perda foi Unova, em que o Shiny Suicune era o escritor. E também a Johto 2 onde a Marina estava no cargo, mas ainda não deu indícios de que pretende voltar.

      No total, estas foram as aventuras anteriores que construíram o nosso universo da Aliança Aventuras e hoje não continuam conosco, embora algumas de suas interligações e ideias continuem rendendo bons frutos.

      Delete
    11. Obrigado por falar,pode me falar mais sobre a fic de Hoenn?

      Delete
    12. Ah, cara... É difícil resumir tudo que passei nos últimos anos com Hoenn em um único comentário kk Bem, o autor de Hoenn era o Shadow Zangoose, e ele precisou afastar-se por almejar seguir seu caminho, juntar uma grana, estudar fora e crescer na vida. Acabou que menos de um mês mais tarde veio o anúncio das novas gerações, mas aí ele já tinha apagado tudo no blog na tentativa de recomeçar... Hoje ele continua no grupo da Aliança no face, mas só para supervisionar e ficar de olho em tudo kk

      O legado que Hoenn era bem amplo no sentido de líderes de ginásio e Pokémons. O Kaio também chegou bem perto de começar a usar as guildas Pokémons, ele tinha algumas boas ideias para colocá-la em prática. Os pais da Dawn eram nativos de Hoenn, fizemos um especial sobre o lendário trio de regis que se passava nessa região, e até mesmo alguns Pokémons de nossas fics têm nacionalidade de Hoenn, então era só questão de sentar e nós dois trabalharmos em muitas outras ideias para reunir nossas histórias.

      Foi realmente uma pena que a fic não foi para frente, mas paciente... Pelo menos o Kaio me contou que ele ainda pretende postar um remake da história no Nyah, para que novos leitores possam acompanhar assim como concertar outros errinhos que ficaram. Pois é, meu caro! Para conhecer essas grandes fics, só fazendo parte delas na época mesmo... Um remake será algo novo, diferente, mas nunca é a mesma coisa. Espero que você, assim como novos leitores, ainda tenham a oportunidade de dar uma conferida nesse grande trabalho do Kaio que um dia ainda chegará ao seu capítulo final!

      Delete
    13. Com certeza,um remake n é a mesma coisa que o original,mas espero um dia ter a chance de ler.

      Delete
  7. E, fucking finally, cá estou para ler e comentar (vulgo surtar, hm) I WOULD LIKE TO THANK NOT ONLY GIRATINA BUT ARCEUS
    Enfim
    Esse pedaço inicial é tipo uma descrição de eu e meus fandoms, e não sei se isso é bom ou ruim '--'
    Ah, tem a gente, e somos tudo uma plateia super lecal :33 (sem falar que, se tá a família e os amigos, já tem tudo, Luke <3 )
    "O que foi que eu te disse para fazer quando as pessoas duvidassem de suas capacidades?" "Esfregue na cara delas a sua vitória" GENTE ACHO QUE ENCONTREI O LEMA DA MINHA VIDA to dizendo que essa história <3 <3
    Gente, a arena do Allen <333 (tinha que ser Psychic, mds <3 (caso de amor com esse tipo since Mew, yep))
    E o Allen também já se apresenta zerando tudo, mds, se não fosse a Fire Tales acho que até torcia por ele -qqqqn -qtalvez
    Allen sorriu de maneira amedrontante > eu juro que suspirei nessa hora, pqp, sou muito estranha mesmo
    daria sua própria vida para protegê-los > NÃO FALA UMA COISA DESSAS QUE EU JÁ TO GELADA IMAGINANDO AERUS SE SACRIFICANDO E NOPE NOPE Ç___Ç
    Já falei que é uma graça o Watt chamando o Aerus de irmão? Pq é <3 <3
    Algo me diz que ele ia falar sobre a Sophie, era melhor que o Aerus tivesse ouvido >_> (btw, que bom que ela já sabe que vai enfrentar o irmão...... mas não impede de doer ç_ç (tu nem imagina do que esse confronto me lembra :'D ))
    Aerus, melhor líder xD O General todo preocupado e ele tipo BORA DETONAR ISSAQUI TUDO WEEEEEEEEEEEEEEE /O/
    As falas épicas dessa história, nunca me canso delas <3 (mas não gostei dessa parte de sem piedade pq Mercy ecoou na minha cabeça e ugh ç.ç )
    ESSA FALA DO XADREZ E "SÓ TENHO REIS E RAINHAS" <3 <3 <3 MDS JÁ LI HÁ DIAS E CONTINUA A ME EMOCIONAR <3
    E AIMDS COMASSIM A SOPHIE VAI ENTRAR PRIMEIRO NO NOPE NOPE NOPE Ç__________Ç
    TAQUIPARIU E VAI O MIKAU TAMBÉM, MDS CANAS, SE O SONNEN SAIR MORTO DESSA BEM NA FRENTE DA IRMÃ EU VOU TE ESPANCAR MUITO Ç______Ç
    Ai, e o Mikau tá se afundando cada vez mais, não creio ç____ç Por favor, Mikau, para com isso. Sei que você pode deixar de ser esse psicopata mesquinho e soberbo, eu sei! Tenho fé em você, cara, não me decepcione, porque seria uma dor absurda ç-ç
    Btw, deixem-me comentar que essa arena vai render muito (assim espero) <3 <3 Já disse que amo Psychic-type? Porque eu simplesmente amo jogar com a mente, bagunçar o psicológico, isso é algo muito além de meros danos físicos, é algo muito mais intenso e foda <3 <3 <33
    Sinceramente, Mikau, BEM-FEITO! TOMARA QUE TU FIQUE NUM PUZZLE DANADO E PERCA, quem sabe assim conseguimos te salvar? ç-ç
    As pessoas falam muito de você, mas entenda que elas não o respeitam, elas o temem. Consegue entender a diferença? > Infelizmente, não. E, se entendesse, provavelmente preferiria o temor -.-''
    — E você não tem medo de terminar sozinho?
    — Não irei. > Se continuar assim, irá. Porque até eu to começando a desistir de você, por mais que esteja me doendo como beber ácido. Então, por favor, pare ç_ç Não precisa deixar de ser foda, de ser sarcástico, de ser meio convencido, um tanto egocêntrico, mas tudo tem limite. Por favor, Mikau ç_ç
    E eu não pude deixar de vibrar quando ele localizou o adversário pelo som. You're still my dear <3
    Alakazam, adversários perigosos que usam do poder de suas palavras para eliminarem os inimigos > Eu nunca gostei de Alakazams mas olha to convencida agora a gostar (pufavo usar palavras pra destruir everyone <3 <3 )
    AIMDS, EU TAVA PENSANDO EM FUTURE SIGHT QUANDO ELE FALOU AQUILO TUDO, MAS NÃO QUIS DAR OUVIDOS A ESSA TESE TÃO DESTRUTIVA Ç_Ç POR FAVOR, MIKAU, SE REGENERE, POR FAVOR, EU NÃO QUERO VER ISSO ACONTECER!
    AIMDS QUE FODAAAAAAAAAAA ELE QUEBRANDO O LIGHT SCREEN, ELE ASKDAKDASKDASKDASKDAKSDKASDKADAKDAKDKADKASKDASKDSAKD <3 mas ainda queria que ele fosse derrotado pra ver se ajudava ç-ç

    ReplyDelete
    Replies
    1. — E se eu não obedecer essas regras idiotas? > NÃO! PARA COM ISSO, SEU BABACA, PARA! Ç________Ç
      E depois ELE CONSEGUE SER AINDA MAIS BABACA, PLMDDS, MIKAU, CHEGA! CHEGA, CHEGA! Ç____________Ç POR FAVOR, EU TO IMPLORANDO, PARA DE SER TÃO BABACA!
      Mas o Coffey, ele é tão amor, gente <3 Obrigada por salvar esse imbecil, de verdade <3
      — Eu não queria machucar ninguém — admitiu Coffey. — Mas o chefe disse que estamos em guerra, e eu preciso proteger os meus amigos. Espero que me perdoe. > Sério, ele é tão <3 <33
      btw, eu detesto Brozongs. sinto que vou detestar mais depois daqui e-e
      COMASSIM UM FUCKING EARTHQUAKE DESSES FALHOU ah é essa coisa levita EU DISSE QUE DETESTO ESSAS DROGAS E_E
      Mas olha, partida de ping-pong :v
      Por um momento, juro que pensei que o Coffey perderia só pra última partida ser a decisiva. COMO SE JÁ NÃO FOSSE DOR O BASTANTE, NÉ Ç_Ç EU SAQUEI QUE VAI SER SOPHIE CONTRA SONNEN, OKAY, E TO TENTANDO ME PREPARAR PSICOLOGICAMENTE PRA ISSO Ç__________Ç
      Btw, to sentindo que ficou certa tensão entre Aerus e General. not good (principalmente pq entendo o que o General quer dizer, e tenho medo que de fato algo ruim aconteça pelo Aerus estar se comportando assim >_> )
      Boa entrada, ein, Sonnen, mas esperava mais de um Psychic u........u MENTIRA, SÓ QUERO QUE ISSO ACABE LOGO, I'M SO DEAD SINCE HERE Ç_Ç
      Que ótimo é ter um puxa-saco, ein, tu não tinha sido desligado pra sempre, Brozong dos infernos? e-e
      AIMDS ELA NÃO SABIA QUE ERA ELE NO NOPE CHEGA ME DEMITINDO NOPE NOPE NOPE Ç________________________Ç
      genteney, esse final, não tava preparada pra ele. digo, até pensei ser o Sonnen o menino do início, mas mds, o que será que aconteceu com esse pobre menino? ç_ç mds me deixa abraçá-lo ç______ç
      (na vdd por agora vou é ficar abraçada a mim mesma em posição fetal chorando pelo babaca do Mikau e pelos irmãos que vão se enfrentar, yep)

      Delete
    2. Diga ae, Anne! Fiquei esperando seu comentário na sexta, mas eu sabia que só viria depois do filme, afinal, estamos falando do MAGNETO! kkkkkkkk Como foi assistir o novo filme dos X-Men? Esse ano acabei me desatualizando dos filmes novos porque voltei para minha cidade natal, e aqui é tão maneiro que nem cinema tem! Ou melhor, ele fechou e não tem previsões de voltar kk De vez em quando surjo das sombras para te stalkear no Twitter (pois é, ainda apareço por lá de vez em quando kkk Acho que é um dos únicos motivos que uso o twitter da Aliança, não consigo usar essa coisa...), mas já aproveito este momento para te agradecer pelos surtos divertidos e os elogios por aqui e por lá!

      É sempre muito legal saber a sua opinião como uma leitora que se preocupa tanto com amizades e família. É sempre legal saber a opinião dos leitores na questão estratégica com as batalhas dos Pokémons, descrições e o enredo como um todo, mas estou me dedicando muito ao lado emotivo, pois é uma das partes que mais adora. Acho que essa fanfic só continuou por conta disso, a amizade dos leitores, dos personagens, esse amor que um tem pelo outro. Chegar nesses capítulos derradeiros, nossa... Dói muito, e você conhece muito bem a sensação. Mas fazer o que, né? Quero trabalhar muito com essa questão do: Porra, já sei que é isso que vai acontecer, então por que diabos não consigo desgrudar da tela?? kkk A Liga Pokémon é óbvia, e ao mesmo tempo não-óbvia. É uma história que todos nós já sabemos como vai terminar, ou pelo menos sentimos, e meu maior objetivo é prender os leitores em cada momento, cada descrição, cada página. É como seu livro, quero que as pessoas terminem um capítulo e já comecem o outro sem nem pensar!

      Bem, deixarei o Mikau para continuar suas encenações nas próximas casas, até porque o astro aqui tem de ser outro kk Não se preocupe, uma hora ele toma jeito (só esperamos que não seja tarde demais...) Acho muito bacana quando você cita as frases que te marcaram, acho que essa é uma das partes que mais me empenho, gosto de criar ocasiões e momentos que se reflitam na vida das pessoas. E creio que no fundo todo escritor queira ver um dia em que pessoas dirão frases de sua autoria, ou então que se tornem referências mundiais. My precioussssss... kk

      Muto obrigado pelo comentário e pelas risadas, sei que sempre me divertirei muito quando você aparece! Peço para que vá preparando-se psicologicamente desde agora para encarar o que vem na Parte 2, simplesmente porque está... MUITO TENSA! kkkk Beijos, nos vemos por aí! (:

      Delete
  8. Cara, tudo parece tão natural, mas daí lembro que realmente vimos o Allen direito da última vez em Veilstone. Ainda não me conformo como as coisas passaram rápido, está tudo tão fresco na minha memória kkkkk

    Uma coisa que acho interessante é a maneira que você está tratando coerentemente cada casa, e com que você trata cada tipo. Tivémos os traiçoeiros tipos Poison antes, e agora nos deparamos com os Psychic, que mostram saber brincar com a mente dos adversários, e fazer uso de todas as técnicas que confundem os outros.

    Gostei da batalha com o Mikau e o Coffey. É engraçado porque ambos são bem opostos, e mesmo assim, muito fortes. Fico pensando como será nas próximas casas, quando tiverem que enfrentar adversários ainda mais perigosos, até onde o Mikau será capaz de aguentar.

    E foi uma boa sacada colocar dois irmãos em uma batalha. Está na hora de conhecermos o primeiro Remarkable Five, e apesar de conhecermos o jeito do Sonnen, está na hora de ver como será ele com a Sophie. Afinal, estarão brigados e darão tudo de si para destruir um ao outro, ou irão ter pena de lutarem pra valer porque, afinal, são irmãos? São tantas possibilidades, que percebo o quanto você se empenhou para deixar a Liga no arco mais épico de Sinnoh!!

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -