Posted by : CanasOminous Dec 10, 2013

Support Conversation (Mikau x Milena)
Gênero: Romance;
Tema: A relação entre Mikau e Milena, da infância até os dias atuais
O que mudou desde então?;
Notas: Este episódio ocorreu durante o período dos
 Seis Meses de treino da Fire Tales;
Eis aqui um pequeno fato: Quanto mais se ama, mais você se machuca.
O pequeno tentava encará-la à distância com aqueles olhos claros de piscina, mas cada vez que tentava, eles acabavam por se perder na imensidão azul. A menina sorria. O menino corava.
— Milena, isso é para você.
O garoto esticou a mão, uma flor linda, um girassol apenas, com mais sentimentos do que milhões de rosas.
— Um girassol, Mikau?
Milena agarrou a flor como se fosse a coisa mais preciosa do mundo.
— Sim, você brilha tanto quanto o sol! Por isso todas as flores do mundo deviam olhar pra você como o girassol olha para o sol!
A mocinha corou ao dar um beijinho na bochecha do menino, que arregalou os olhos e colocou a mão na bochecha onde levara o beijo.
— Milena, você é o meu Sol.

A mulher abriu os olhos e se deparou direto com o teto do quarto. Seus cabelos vermelhos esparramados pela cama, a alça da camisola em seu ombro pencava para o lado; ela levantou-se vagarosamente e olhou ao seu redor. Ah, era de se esperar... Fora apenas um sonho. Sorriu para si mesma, uma memória há muito tempo esquecida.
A lua brilhava pela janela aberta do quarto naquela noite. A moça foi em direção da penteadeira de seu cômodo e sentou-se na cadeira. Aquela menina crescera e agora já era mulher. Encarou-se no espelho e sorriu. Os tempos mudam, e como mudam, pensou.
Milena continuou perdida em seus pensamentos, escovando os sedosos cabelos de sereia tanto que nem percebeu quando uma sombra esgueirou-se nos fundos. A figura aproximou-se de Milena e lhe tampou a boca, a Milotic assustou-se e teve seu grito abafado por um sussurro carinhoso perto de seu ouvido.
— Nunca te avisaram que é perigoso deixar a janela aberta de noite? Homens maus podem acabar se aproveitando de você — a sombra falava de maneira cínica.
Milena parou e relaxou os músculos e aos poucos a mão em sua boca foi retirada. Ela virou-se e deu de frente com Mikau, seu velho amigo de tempos antigos e que hoje já demonstrava o perfil de um homem. O atirador colocou as mãos no bolso e sorriu para ela.
— Mikau, você sabe o susto que me deu?
— Se você não se assustasse, a brincadeira não teria tido graça.
Milena suspirou, e percebendo que isso não chegaria a lugar nenhum, voltou a sentar-se na cadeira para pentear seus cabelos.
— Mikau, quantas vezes eu já pedi pra você não entrar pela janela?
O atirador riu e chegou mais perto da mulher, colocando uma das mãos em seu ombro e abaixando a alça da camisola. Ele beijou-a de maneira terna e foi subindo até chegar ao pescoço, em seguida à orelha. Nessa altura o rosto de Milena começava a corar e sua respiração se tornava mais pesada.
— Você já viu algum exilado entrar pela porta da frente? — Cínico. Como ele era cínico.
A mulher virou-se dando um tapinha no ombro do homem, que logo virou uma carícia.
— Bobo.
A troca de olhares, os sorrisos de canto de boca. Essas pequenas aventuras faziam com que Mikau a cada dia perdesse o interesse em mulheres lindas e famosas. Sentia mais desejo pela própria Milena do que pelas deusas deslumbrantes dos filmes. Aquelas mulheres “perfeitas” pareciam tão inatingíveis e sem graça, ao passo de que a moça era quente, palpável e muito mais rica em detalhes e possibilidades do que qualquer outra mulher do mundo.
Não era incomum ele passar por alguma mulher na rua usando alguma roupa mais ousada, e imediatamente imaginar como Milena ficaria vestida daquele jeito. Ele percebeu que tinha em casa todas as mulheres do mundo numa só, e isso já era tudo que um homem poderia desejar. Mikau sorriu e pegou-a pela cintura, levantando-a e para não cair. A mulher foi obrigada a abraçar o outro pelo pescoço num ato inesperado.
— Conte-me, no que estava pensando? — indagou Mikau.
— Uma coisa que só nós dois fazíamos — ela respondeu.
— Eu sei de uma coisa que nós dois poderíamos estar fazendo.
— Mikau, eu falo sério.
— E eu mais ainda.
Mikau a abraçava pelas costas, até que Milena pôde sentir o tilintar leve de seu colar a encostar em seu corpo. O colar que ela lhe dera. Um de seus braços se ergueram, e de maneira delicada ela escorregou sua mão até tocar o Mystic Water no peito definido do homem.
— Nós dois crescemos...
— Hm. Isso é bom — falou Mikau, parando por um instante. — E daí?
— Eu gostaria que as coisas voltassem a ser como eram antes...
Milena levantou-se e foi sentar-se na janela. Seu quarto tinha uma bela vista para o mar, e toda vez que ela observava a lua pálida e redonda ela sentia uma espécie de solidão incomparável, por mais que ao seu lado estivesse alguém que sempre lhe desse carinho e companhia.
Mikau foi até a moça e sentou-se ao seu lado na cama.
— Eu ainda estou aqui — disse o homem tentando revelar um sorriso. — Você costuma ficar carente e solitária quando chega a noite... Não dá para competir com o brilho dela, não é?
— Dela quem, Mikau? — Milena virou-se para ele imediatamente.
— Dela. A Lua. Acho que a noite é o momento dela, não tem nem como competir.
Milena relaxou os músculos até deitar-se na cama com os braços abertos e seus cabelos esparramados pelo lençol branco.
— Lembra quando você me deu um girassol?
Mikau deu uma risada forçada sem olhá-la nos olhos.
— Nossa, como somos bregas e pouco românticos quando criança, não?
— Não diga essas coisas, foi o melhor presente que você já me deu.
— Um girassol, porque você brilha como o sol. Creio que era algo desse tipo... Por um instante tive vergonha de meu próprio passado.
— Não sinta, — ela respondeu ao tocar em sua mão — não sinta.
Milena respirou fundo, deitou o homem em seu colo enquanto aninhava seus cabelos e permitia que sua voz fosse ouvida quase como uma canção de ninar.
— Eu gostava de você, justamente porque era jovem e ingênuo. E encontrava um refúgio em mim.
— Ainda sou jovem, mas com toda certeza deixei de ser ingênuo — ele respondeu com um sorriso ao tocar em seus cabelos. — Bem, e no fim das contas acredito que você ainda seja o meu refúgio...
— Por que? Do que você foge, Mikau?
Ele respirou fundo.
— Da vida... De seus prazeres, erros e malícias. Do olhar dos outros que me julgam sem compreender, daqueles que querem me derrubar.
O rapaz voltou a encará-la nos olhos.
— Você me acolheu quando eu mais precisei, Milena.
— E eu continuarei sendo o refúgio enquanto você me aceitar — ela aproximou-se mais de seu rosto e beijou-o deliberadamente de maneira apaixonada.
Mikau fechou os olhos e percebeu porque a amava tanto. Eram aqueles olhos intensos de amor e carinho, de uma mulher que ele sabia que o estaria esperando quando voltasse da batalha. Era como nos tempos de guerra em que viúvas eram deixadas para trás, e a única coisa que motivava seus maridos era retornar para o conforto de seus braços, seu lar.
— Cante para mim — pediu Mikau.
— Que tipo de pedido é esse?
— Você tem a voz mais bela desse mundo, sou capaz de cruzar todos os mares somente para ouvi-la uma última vez. Por favor, deixe-me ouvi-la.
Milena sabia que Mikau não era de fazer pedidos, e muito menos de pedir por eles. Ela olhou para a lua e ficou um pouco perdida, realmente não sabia o que cantar. Não havia som nem instrumentos, e apenas o toque das ondas lá embaixo serviriam como sua orquestra. Ela respirou fundo, e tentou:
— Em algum lugar, uma voz chama do fundo do meu coração... Que eu possa sempre sonhar os sonhos que me tocam lá no fundo. Tantas lágrimas de tristeza, incontáveis lágrimas rolaram. Mas sei que do outro lado encontrarei você... ♫ — ela fez uma pausa. — Ahh, Mikau... Eu não sei.
— Continue. Eu já ouvi essa canção antes... Como é que se estendia mesmo? Ah: Toda vez que caímos no chão, olhamos para o céu lá no alto e acordamos para a sua imensidão azul, como se fosse a primeira vez.
— Sim... Como o caminho é longo e solitário e não enxergamos o fim, posso abraçar a luz com meus dois braços. 
O rapaz continuava a ouvi-la praticamente enfeitiçado.
— E como é que terminava...?
— Deixe os lábios cantarem uma linda canção para você, e em cada lembrança ela ficará para guiar você. Porque encontrei uma luz que ainda brilha dentro de mim,  e esta luz é você.
Mikau continuou a encarar o teto, os lábios trêmulos e os pensamentos imersos em um devaneio de ideias e sentimentos. Milena reparou que o rapaz fechou os olhos serenamente, como se estivesse em paz.
— Milena, nunca pensei que eu viria a dizer isso, mas... Você é muito importante para mim.
— Nunca me cansarei de ouvir essas palavras de sua boca, pois elas soam inocentes como aquele garotinho que um dia me ofereceu um girassol em uma tarde ensolarada, e disse que todas as flores deveriam olhar para mim como fazem com o sol.
— Você ainda é o meu sol, Milena. E eu continuarei seguindo você.

• • •

Não demorou para que a mulher despertasse de um sono profundo em seu quarto escuro e mal iluminado. A lua não brilhava lá fora, devia estar coberta pelas nuvens que se aglomeravam aos montes anunciando a possível chegada de uma tempestade.
          Milena abriu os olhos e sabia que aquilo não era real. Apenas um sonho, era óbvio que era um sonho... Na pior das hipóteses, ao menos. Seu coração tentava dizer o contrário. Quando abriu os olhos ela praticamente já sentia que aquilo iria acontecer. Vinha sonhando acordada demais ultimamente... Mikau nunca agiria daquela maneira. Ela passou a mão em seus cabelos emaranhados e olhou para os lados, vendo que estava sozinha. Soltou um suspiro e nem levantou-se da cama.
— Será que foi um sonho, ou apenas memórias antigas...?
Ela abraçou seus próprios joelhos na tentativa de aquecer-se, e ainda demorou para conseguir adormecer. Sentiu-se sozinha e desamparada. Mais sozinha do que jamais imaginou.
Na mesma noite, alguém encarava a lua. Mikau estava de pé sobre a areia da praia, ouvindo as ondas lentas e observando as nuvens de chuva se distanciaram em direção do caminho oposto. Permanecia sério e sem reação alguma, sua pele estava fria, mas continuava abrilhante como a de uma pérola iluminada. Continuava longe, muito longe. Seis meses longe, será que os dois lados conseguiriam aguentar?
Não demorou para que Akagi fosse em sua direção, procurando ver como estavam seus jovens aprendizes com quem vinha compartilhando atenção nos últimos meses de treino.
— O que faz aqui fora, Mikau?
O atirador virou-se e observou-a atentamente. Suas curvas, a transparência de sua saia e a suavidade com que seus lábios o tentavam agarrá-los. Akagi continuava séria, o homem sorriu e não tirou os olhos dela, e por mais pacífica e gentil que as aquelas palavras soassem, elas tinham em seu íntimo uma maldade sem limites.
— Apenas observando a beleza da lua.


{ 6 comments... read them below or Comment }

  1. Ahhhhh Canas fala sério... que support foi esse?? Nossa a minha cabeça esta rodando até agora, e você sabe muito bem como me impressionar! Vamos aos fatos:
    O Mikau continua sendo genial! Cara não sei se consegui captar a essência do capitulo, mas tenho uma mera impressão que este SC vai fazer uma grande diferença no enredo da história, no mínimo nos Fire Tales.
    A jogada com o sol e a lua foi perfeita, cheia de insinuações. “as palavras tinham em seu íntimo uma maldade sem limites — Apenas observando a beleza da lua”!!!! Essa parte eu vibrei!!!!!! Será que o casal mais perfeito vai ser destruído no final da série??!! Eu disse que o Mikau era o personagem mais humano da fic!!! espera ai... acho que meu comentário esta meio desorganizado...
    Senti pena da Milena; o fato dela estar perdida em seus pensamentos, e de não reconhecer mais o passado e presente, e muito menos de não reconhecer o homem que ela ama. Isso significa que momentos íntimos de alegrias e segredos já não são mais compartilhado pelos dois... já o Mikau... a parte que foi citada que ele olha para as moças da rua, já dizem muitas coisas sobre o caráter dele... tudo bem, olhar não é pecado, mas depende dos olhos que observam. Já a Akagi, tadinha, com certeza ela não tem culpa... e isso só me despertou mais interesse!
    Eii Canas, será que iremos ter um triangulo amoroso na história?
    Parabéns pelo support!!

    Flw

    ReplyDelete
  2. Rapaz, os últimos meses foram de uma reviravolta ainda mais intensa por parte do Mikau... Vejamos pelo princípio, tudo começou com aquela Megalomania e loucura, poder e soberania que foram se evidenciando no Capítulo 41, e mesmo depois de perder para o Ereon, ver que ele não era invencível, ser expulso da guilda e quase perder tudo que amava, esse Mikau não aprende! kkkkkkkk Sério, ele continuou fazendo merda atrás de outra, e cada episódio dele que passa alguma coisa pior acontece. Devo concordar que ele também é um personagem impressionante, e mesmo sendo um desgraçado de primeira linha, o cara ainda terá muito mais para nos impressionar até os capítulos finais. Imagino se no fim das contas esse atirador não é simplesmente um dos maiores anti-heróis de Sinnoh.

    Ainda essa semana eu postarei a segunda parte desse Support, uma continuação mas que agora mostrará a visão desse relacionamento por parte do Mikau. A Akagi pode ser vítima, mas não sei, gosto de acreditar que para alguma coisa rolar tem que ter interesse por ambas as partes kk Conferir esse próximo episódio vai ser um prato cheio para vocês entenderem um pouco mais da mente do Mikau, isso se no fim das contas ele não continuar nos surpreendendo kkkkkk No fim das contas a Milena já se ferrou de qualquer jeito só pelo fato de ter escolhido o Mikau como parceiro. É aquela história, mulher de bandido... Tem algumas que gostam kk

    Valeu pelo comentário parceiro, é muito bizarro poder contar com sua presença por aqui em dias normais de semana assim, é como voltarmos lá para o comecinho da Saga Pérola! As coisas mudaram em Sinnoh, agora as postagens triplicaram e numa única semana acontece tanta coisa que parece que você fica aéreo caso fique apenas alguns dias por fora. É um prato cheio quando damos a sorte de pegar justamente a semana do seu personagem favorito kkkkk Continue acompanhando de perto esse Mikau loucão, você vai se surpreender com as merdas que ele fez em torno desse tempo. Abração!

    ReplyDelete
  3. Que história linda, canas! quando voce escreve algum support, você se coloca no lugar do personagem? Tipo suas características, coisas que você faria nessa situação? você ja viveu algo parecido com isso? No caso, essa história? É q você escreve como se ja tivesse passado por isso! Caso não tenha passado, está de parabéns pois você escreve bem demaaaais!

    ReplyDelete
  4. Olá, para ser bem sincero não tenho nem como me colocar no lugar dos personagens, alguns deles são tão diferentes do que eu sou que parece impossível serem mente e vontade de uma mesma pessoa. Somos conectados por esse misterioso poder das palavras. Gosto de escrever justamente por isso, é uma forma de viver 1000 vidas em uma só.

    Acho que quando escrevemos essas histórias o autor realmente precisa se colocar no lugar do personagem, por alguns instantes ele precisa deixar de ser o que é e pensar exatamente como as palavras pedem. Não tenho muita dificuldade em escrever episódios assim, parece que eles simplesmente fluem como se dentro de mim existissem essas outras 1000 faces, e eu posso usar cada uma delas quando bem preciso. Cada uma delas tem a sua especialidade, algumas gostam de romance, outras preferem comédia, drama ou até ecchi. Tento me acostumar com todas essas ideias malucas que passam por minha cabeça. Nunca vivi nada parecido, e nem sei se viverei tão cedo kkkk Mas somente o fato de descrever tudo isso já é como experimentar.

    Obrigado pelos elogios, é muito importante para mim saber que os leitores leem minhas histórias e sentem como se elas fossem reais, baseadas em coisas que acontecem. Quando olho para Sinnoh penso se realmente isso aconteceu ou não, se são vontades, coisa da minha cabeça... Sei apenas que todas essas palavras estão aqui dentro, e eu escrevo justamente para compartilhá-las com as pessoas. Muito obrigado, um grande abraço!

    ReplyDelete
  5. Nossaaa canas, a milena e o mikau tem muuuuita química! Agora fiquei curioso pra saber como é a voz da milena! Kkkk Deixa eles juntos cara! Kkkkk você ja teve essa química com alguém??? Do tipo dos dois estarem rindo ou fazendo algo, ai ela olha pra e ele olha pra ela, os olhares se encontram e os dois ficam ali, sem fazer nada, apenas se olhando.. Criando um clima.. Ja viveu isso? Cara, eu queria viver isso kkkkkkk nem q durasse pouco tempo os olhares... Mas deve ser intenso... Kkkk aliás, muito bom o support! Abraço aí.

    ReplyDelete
  6. kkkk Devo concordar que esses dois têm química, tanto é que na temporada passada a galera votou neles como o casal favorito. Estou fazendo umas brincadeiras e tentando dar uma abalada no romance com a chegada da Akagi, mas no fim das contas ainda acredito que os próprios leitores não conseguem deixar de gostar do Mikau com a Milena. Ele é um idiota que só faz burrada, mas todo mundo ainda curte ele kkk É difícil dois personagens criarem química, muitas vezes é necessário fazer ele ir passando por várias ocasiões, e quando não dá certo com um tem que tentar com outro até encontrar o certo. O Mikau foi um desses que acertou de primeira, mas outros como a Wiki ou a Lyndis demoraram um pouco mais para encontrar o par certo.

    Acho que para imaginar a voz da Milena é preciso pensar naquelas vozes élficas, algo como Enya ou Annie Lenox, daquelas vozes que faz você sentir uma paz celestial. Ahh cara, não cheguei a passar por esse tipo de química num romance, geralmente era apenas um dos lados que compreendia e retribuía, todo aquele encantamento nunca acontece se apenas um dos dois corresponder. Com toda certeza é algo incrível, se apenas um olhar um sorriso pode melhorar o dia de muita gente, imagino como deve ser trocar olhares com aquela pessoa especial, é como se passasse pela mente algo do tipo: Cara, eu finalmente encontrei kkkkkkkkkkkk Valeu pelos elogios, é bom ver que a galera nunca enjoa do bom e velho romance, por mais singelo e meigo que seja. Todo mundo tem a sua Soul Sister escondida em algum lugar, companheiro. Continuaremos procurando!

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -