Posted by : CanasOminous Mar 7, 2014

UMA FESTA PARA JAMAIS ESQUECER












Seth fora convocado para a sua primeira reunião na Fire Tales. Ao mesmo tempo que carregava consigo a voz da experiência de um guerreiro que já dominara guildas e liderara exércitos em direção à guerra, voltava a sentir-se como um jovem que fazia sua entrevista de emprego pela primeira vez. Estava ali como um guerreiro disposto a aprender com todos os demais, e aquilo de certo o motivava a sentir-se novo a cada instante, vivenciando aquelas experiências que pareciam não lhe pertencer.
Beliel o esperava do lado de fora como se fosse seu segurança, disposto a acompanhar o patrão onde quer que fossem. Ambos haviam combinado de irem juntos àquela reunião tão aguardada, mas só não imaginavam a estranha urgência de Aerus por marcá-la tão tarde.
Ao entrarem no salão central, Seth e Beliel surpreenderam-se quando encontraram toda a guilda ali presente, todos em vestes e trajes elegantes de gala como se estivessem para sair e presenciar uma festa extremamente conceituada.
Watt ajeitava a gravata de Aerus que estava sentado em sua frente. O dragão levantou-se e foi receber seus companheiros que haviam acabado de chegar.
— Preparados? — comentou o dragão com um sorriso singelo.
— Para o quê, exatamente? — Beliel perguntou com cautela.
— Nossa festa, ora! Fim de semana é dia de sair e aproveitar com a galera, justamente por isso reunimos todo mundo, e considerem-se sortudos, pois os convidados foram escolhidos à dedo — disse o dragão com uma risada. — Nossa guilda é tão especial que fomos considerados as celebridades para essa comemoração!
— Pensei tratar-se de uma reunião — respondeu Seth.
— E não deixa de ser, é uma reunião de amigos — Aerus deu uma risada, ajeitando os óculos escuros e a gravata que ainda o sufocava. — Estamos indo para um baile muito louco que fomos convidados. Terá comida e bebida de graça; música, dança e mulheres.
 Women everywhere — Vista balançou a cabeça, contente.
— Beber, cair e levantar — Aerus balançou a cabeça, só de imaginar como seria.
Seth olhou para sua armadura de ouro desgastada, assim como as vestes toda rasgadas de Beliel que nunca fora muito ligado à moda. O loiro levou a mão até a nuca um pouco sem graça, abrindo um sorriso sincero ao admitir:
— Bem, essa notícia nos pegou desprevenidos... Não sei se eu poderia participar.
— Não temos roupas — confirmou Beliel.
— Tá brincando? — Aerus pareceu surpreso. — Se esse é o problema, providenciaremos isso agora mesmo! Hoje a noite é longa, caro Seth. E nós só voltaremos amanhã.
O Dragonite deu um sorriso, olhando para todos ao redor. Por algum motivo sentiu-se ansioso, e aquilo o deixou muito contente.
— É uma sensação nova... Não me lembro de já ter ido à uma festa. É algo que parece estar em minha memória, mas... Por que sinto como se fosse a primeira vez?
— É a primeira vez com seus amigos, e cara, pode ter certeza que será a melhor.

• • •

Onze horas da noite. O céu estava nublado e trazia indícios de que poderia chover. Uma insólita data escolhida para um baile formal como aquele, mas nem por isso a ansiedade era menor. Estava na hora da festa começar.
Akebia e Panetto vinham passando muito tempo longe da guilda, ocupados com suas apresentações e aparições como celebridades ao redor de toda a Sinnoh. Eles haviam sido os responsáveis por conseguirem todos os convites, e também fizeram questão de arrumar um terno bordado para Seth e um para Beliel, afinal,só se entravam em trajes sociais completos.
Faltava pouco para que a batalha contra a Elite começasse, e por mais apreensivo que Aerus estivesse com a guerra se aproximando, ele sabia que o melhor jeito de descontrair os amigos era levando-os para uma boa festa onde pudessem sentar e festejar. Queria que todos estivessem juntos. Não sabia se seria a última vez, mas tinha a certeza de que aproveitaria ao máximo como se não houvesse amanhã.
— Cara, eu vou beber tanto que vou ter que sair daqui sendo carregado — disse Aerus, já imaginando a cena e deixando seus amigos avisados antes que fosse tarde demais para lembrá-los.
— Você não sabe beber mesmo. Não venha reclamar para mim depois, dizendo que passou vergonha — respondeu General, guiando seu pequeno grupo. — Bem, imagino que você nem se lembrará de nada de qualquer maneira...
— Então me contem as gafes que eu cometi amanhã, porque hoje eu vou ficar doidãoooooo!
— Será que as garotas estarão bonitas? — perguntou Mikau, interessado. — Estou pensando se terei olhos para a Milena, ou se a ocasião me apresentará qualquer outra mais interessante. Nessa festa só estarão as melhores de Sinnoh.
— É porque vocês ainda não viram as garotas da Fire Tales — respondeu o pequeno Watt. — Elas estão deslumbrantes, como sempre.
Assim que a pequena comitiva fez seu caminho até o local indicado, eles tiveram notícias de que todos os outros também vinham chegando logo atrás. Al Capone vinha acompanhado de Sophie, junto com Karl e Lyndis que também esperavam aproveitar muito, pois adoravam festas. A família de Milady viera completa, com seguranças e tudo, sendo que Chaud vinha como seu convidado. Panetto e Akebia já deviam estar esperando por todos lá dentro, mas a ansiedade mesmo era para o grupo das garotas que vinha chegando.
Milena, Glaciallis, Wiki e Jade estavam belíssimas em seus trajes de festa. A Milotic optara por um vestido longo, enquanto Wiki já chamava a atenção que queria com seu vestidinho curto vermelho. General não escondeu um suspiro quando viu sua amada Glaciallis, e até mesmo os demais rapazes já se sentiam cativados pela meiguice de Jade.
— Bem, está todo mundo aí? — indagou Aerus, olhando ao redor. — Beleza, vão pegando os convites, vai entrando, cambada! Temos várias mesas só pra nossa guilda, a Akebia e o Panetto devem ter pago os olhos de cara para nos dar a oportunidade de vir para essa festa, então tratem de comportar-se direitinho!
Quando chegou na vez de Aerus entregar o convite para Seth, o cavaleiro dourado chamou o companheiro para um canto e falou:
— Há muito tempo não frequento festas, mas era um hábito antigo de meu grupo trazer uma bebida para festejarmos — disse Seth.
— Uow, whisky de 18 anos. Esse é dos bons! — respondeu Aerus ao examinar a caixa. — Valeu, companheiro. Quero que essa festa seja de vocês também, então tentem esquecer só por um minuto toda essa correria da guilda.
Seth respirou fundo antes de desviar os olhos verdes em direção do vazio.
— É provável que este seja nossa última, não?
Aerus olhou fixamente para o homem que permaneceu calado, e tomou frente:
— Se depender de mim será a precursora de tempos melhores que virão em nossas vidas. E que venha esta Nova Fase! — O dragão deu uma risada, colocando o braço no ombro do companheiro e levando-o para dentro. — Esta é a reunião que tornará vocês membros oficiais da guilda, afinal, membro oficial só depois de bêbado!
— Aerus, você já está meio bêbado sem nem beber? — Seth deu uma risadinha. — Acho que vou dispensar. Afinal, alguém vai ter que cuidar de vocês nessa festa.
— Te amo, cara. Não deixa eu perder meus óculos escuros, hein?

Na entrada, os seguranças eram dois enormes Aggrons que faziam a vistoria nos convidados. As mulheres ficavam do lado esquerdo, e os homens do direito. Aquela fila já estava clara que traria muitos problemas... Yoshiki irritou-se por ter de deixar suas facas e adagas na portaria, até mesmo as mais escondidas. Aerus teve de despedir-se de suas lâminas ocultas por um tempo, e até mesmo o velho senhor Atros hesitou, mas Milady segurou no braço do homem e falou:
— Não se preocupe, pode deixar seu canhão aqui. E também pode tirar essa armadura, quero que aproveite a festa conosco. Não que fique parado aqui fora com cara carrancuda! — disse a rainha. — Eles farão uma valsa, e eu vou querer dançar com o senhor. Esteja preparado!
Mikau estava de mãos erguidas enquanto um dos sujeitos o revistavam.
— De que adianta isso, se eu uso as mãos como armas? — o atirador riu.
— Deixa os caras cumprirem o dever deles — Aerus entregava suas demais armas para os seguranças. — E por favor, galera... Tentem não arranjar intriga e nem matar ninguém, só hoje. Não quero e nem vou ficar de babá de ninguém!
— Então trate de não beber muito, senhor — General deu uma risada, sendo revistado logo ao seu lado.
Aerus deu de ombros e balançou a cabeça.
— Ihh, parceiro. Isso eu não posso prometer.

Assim que a Fire Tales entrou no salão, puderam ver como a festa seria de arrasar. Na entrada já haviam fotógrafos que tiravam fotos das famílias, mas Karl e os demais jovens estavam ansiosos mesmo era para irem na parte de bebida e encherem a cara. Tudo Open Bar!
— Nada disso, filhote. Antes de mais nada, vamos tirar uma foto em família, todos nós, juntinhos — disse Sophie, puxando Karl pela gola da blusa e trazendo-o para mais perto de si.
— Ahh, mãe... Do jeito que você é, sei que vai tirar umas cinquenta fotos nossa agora, depois mais umas trinta quando chegarmos na mesa, e depois vai ficar me perseguindo pra tirar ainda mais foto enquanto estivermos na pista de dança!
— Ora, claro que vou. Depois quando vocês acordarem amanhã e não se lembrarem de nada, vão me agradecer por ter registrado esse momento tão especial! — disse Sophie, dando um empurrãozinho no braço de Karl. — Divirtam-se, vocês dois. Só não vão me dar trabalho, hein?
Karl e Lyndis assentiram, correndo para a pista de dança. Marco passou na mesa de doces, onde Vista chamava toda a atenção com aquele tamanho todo enquanto comia pasteizinhos de bacalhau e Wiki o perturbava para beber mais.
— Com toda essa pose de mal, vai dizer que você não bebe?! — indagou a mulher, sendo que a festa nem tinha começado e ela já parecia estar em outro mundo.
 Nope. I don’t drink — respondeu Vista com toda a calma do mundo. — Prefiro ficar sóbrio, porque vou filmar todos vocês bêbados e postar no Youtube amanhã. Muh-huh, hah, hah...
— Wiki, cadê o Mozilla? Ele vem? — perguntou Marco.
— Claro que sim! Combinamos que essa noite não nos juntaríamos, e os dois poderiam fazer o que quisessem e enquanto pudessem. Ah, e ele mandou avisar que estava te esperando no banheiro.
— Ah. Tá. Obrigado por avisar. Vou evitar lá ao máximo — respondeu o pequeno Marco com uma risada indecisa.
Os demais membros iam sentando-se em suas mesas. General puxou a cadeira para Glaciallis que agradeceu o gesto, elogiando a beleza da mulher que naquele dia estava tão estonteante. Mikau estava de queixo caído por Milena, e mesmo que a visse maquiada todos os dias, não imaginava que ela poderia ficar ainda mais bela quando se produzia de verdade.
Watt ia pegando os petiscos que eram servidos. Seth sentou-se na mesa dos líderes, mas permitiu que Beliel ficasse junto de Lyndis que logo o chamou para dançar. O Dragonite abriu sua garrafa de whisky e serviu um copo de todos os membros presentes com uma pequena dose. Ali estava Aerus, Watt, General, Glaciallis, Mikau, Milena e ele. Os sete ergueram-se e brindaram à reunião da guilda que tanto amavam.
— Saúde! — disse Seth para os demais, tomando um pequeno gole da bebida e saboreando-a a cada golada.
Aerus tomou tudo de uma vez. Estava extremamente eufórico, e a festa nem tinha começado.
— Hoje à noite o bicho vai pegar. Mikau, eu já vi uma fonte de pinga ali do lado, bora tomar uma dose?
O atirador já tinha se levantado para acompanhar o amigo.
— O primeiro que cair é um viadinho — Mikau deu uma risada. — E você, General? Vai acompanhar a gente?
— Hoje vou ficar só no whisky, estou com a mulher do lado — o militar sorriu ao apontar para Glaciallis com um gesto de sua cabeça. — Mas, os senhores têm certeza que querem misturar bebidas destiladas e fermentadas?
— Ahh, deixa de ser quadrado, cara! Aqui é só os mano overpower da parada, a gente toma de tudo e aguenta o tranco, sacou? — Aerus dava risada, já afrouxando a gravata e saindo junto de Mikau. — Essa vai ser a melhor festa de nossas vidas!
— Aposto que a ordem dos que passarão mal vai ser: Aerus, Karl, Mozilla e depois eu. — disse Mikau.
General ergueu o braço para dar algum aviso importante, mas achou melhor guardar para si mesmo. O militar só lembrou-se de erguer a voz e dizer:
— Tentem não morrer — e caiu na risada simplesmente por estar feliz junto de todos aqueles que eram especiais para ele.

Em uma mesa ali do lado, Al Capone observava o movimento dos garçons. Chamou por um deles com apenas um aceno de sua mão, e o homem logo veio. O mafioso falou bem perto de seu ouvido:
— Escute. Nós dois temos duas coisas bem em comum. Uma é que eu gosto de ser bem servido, e outra é que você gosta de receber — disse o corvo, colocando uma nota de cinquenta reais no bolso da camisa do homem. — Estamos de acordo?
O garçom balançou a cabeça sem contrariar.
— Com certeza, meu senhor. O que for preciso, estarei a seu dispor!
 Mui bueno. É assim que eu gosto.
Tanto é que na mesa da família de Al não faltou nem mesmo gelo para os copos vazios. Sophie abraçou seu ombro, encostando a cabeça no companheiro gentilmente enquanto dava uma risada calorosa.
— Você não perde mesmo essa mania, né?
Al ergueu os ombros, escondendo a risada.
— Você me conhece, Sophie. O lugar está lotado, e nós não somos uma guilda qualquer para sermos tratados como qualquer outra.
A mulher suspirou antes de mudar o assunto.
— Acho que é a primeira festa que saímos juntos, não?
— Certamente — Al balançou a cabeça.
— Nossa, está ouvindo essa música? Deve ser dos anos 80! Eles começam das mais antigas até os dias atuais! — disse Sophie já se levantando. — Venha, Al. Vamos dançar. Vou te mostrar como eu fazia no meu tempo!
A cada minuto que passava, chegavam mais convidados. Panetto e Akebia cumprimentaram General e os demais que estavam na mesa, mas nem havia sinal de Aerus e dos outros. Os jovens já estavam perdidos em algum lugar, bebendo e procurando garotas, era impossível encontrá-los parados.
Milady não deixava Eva sair de perto nem um minuto. Isaac ria ao pedir para que sua esposa permitisse que os filhos se divertissem um pouco sem serem repreendidos por sua vigilância furiosa. Contanto que Chaud não saísse de perto deles, Milady sabia como o ferreiro era um bom moço e tomaria conta de seus filhotes.
— Estou de olho em vocês — disse Milady, carrancuda. — Ninguém aqui tem mais de 18 anos, então, ninguém pode beber.
— E nem adianta tentar. Eles pedem identidade — respondeu Isaac com uma risada.
— Ahh, que saco de festa! — protestou Eva. — O que vamos fazer para nos divertir então?
— Eles servem bebida colorida, Evinha! E sem álcool. É muito mais batuta! — respondeu Tom Sawyer.
— Estou só brincando. Pai, Mãe, não se preocupem! Eu, o Chaud e o Tommy vamos só dançar e dar uma volta por aí. Não precisamos encher a cara para nos divertimos em uma festa — continuou Eva, segurando na mão de seus companheiros.
Milady chamou pela filha.
— Não se esqueça de levar o Duke, okay?
Eva revirou os olhos, revoltada por ter que levar o irmão consigo, mas teve de ceder. Isaac observava a filha com orgulho. Na mesma mesa do casal estava o senhor Atros com um terno apertado, Malbora calada como sempre e o velho Magnum com o cabelo repartido e uma elegante cartola, pena estar meio sonolento e quase dormindo na mesa.
— Estou esperando a valsa — comentou Milady.
— Oh, sim. Será um dos melhores momentos — concordou seu marido.
— Eu te contei que vou dançar com o senhor Atros? — perguntou sua mulher, tentando causar certo ciúmes no companheiro.
— Jura? Eu estava para convidar a Malbora também!
Milady fechou a cara, saindo da mesa. A pobre Malbora ficou toda incomodada enquanto Isaac saía da mesa rindo, tentando consolá-la. O senhor Atros ficou sozinho na companhia apenas de Magnum que quase dormia ao seu lado. O velho homem pediu uma dose de bebida e foi servido, finalmente poderia deliciar-se com algo que adorava fazer.
— Perfeito — disse Atros para a solidão de suas palavras.
Karl e Lyndis não saíam da pista de dança. Ocasionalmente se encontravam com Aerus e Mikau que cada hora apareciam com uma nova bebida, e os jovens perguntavam-se até quando os dois veteranos da guilda iriam aguentar.
— Quem você acha que vai cair primeiro? Aerus ou Mikau? — perguntou Karl.
— Você — Lyndis deu uma risada, puxando o rapaz para mais perto de si conforme o ritmo de dança mudava.
— Eu? Qual é, Lyn! Eu sou mais forte do que você pensa!
A moça riu, balançando seus quadris num movimento sensual sem perder os olhos do companheiro.
— Veremos, veremos.
Às vezes, Mozilla passava por entre os dois e fazia a pergunta de sempre:
— Ei, viram o Marco?
Wiki cada hora aparecia agarrada ao braço de algum ricaço diferente. Jade e Yoshiki permaneciam distanciados em sua mesa, mas nem por isso aproveitavam menos a festa ou não curtiam o som. Milena estava sentada junto de General e os demais, quando levantou-se para aproveitar um pouco mais da dança que mudara para um samba que ela tanta adorava.
— Vocês não querem vir? Vamos todos nos reunir na pista de dança!
General e Glaciallis concordaram e foram juntos. Seth ainda parecia meio indeciso, participar de festas não fazia parte de suas memórias antigas, mas ele sentia que estava gostando. Trouxeram até mesmo Coffey junto para a pista, onde cada um dançava ao seu próprio estilo, sendo um amador ou profissional.
— Opa, olha só quem chegou! Está na hora de remexer esse corpão, lindona! — disse Lyndis, segurando nas mãos de Milena para que a mulher a acompanhasse.
— General tu é o pior na dança, cara! — disse Karl já meio bêbado, uma vez que sóbrio ele nunca teria coragem de falar aquilo na frente do militar. — Seu estilo é muito brega e cafona, mas na época deve ter feito o maior sucesso.
— Isso você pode ter certeza — General respondeu ainda meio fora de seu habitat na pista de dança. Bastasse que eles esperassem a valsa chegar, e aí sim veriam o homem em ação.
Aerus cada hora aparecia com um copo diferente.
— Mano, como eu tô feliz em ver todo mundo aqui junto! Chega mais, galera, vamos tirar fotos e dançar, dançar e dançar! Eu amo todos vocês, viva a Fire Tales!

A festa prosseguiu com muitas risadas, improvisações e danças bestas. Era engraçado notar como a Fire Tales se mantivera fechada, porque mesmo sendo conhecidos por socializarem facilmente era como se estivessem num ambiente de família onde cada um só queria aproveitar o máximo que pudesse o companheiro ao lado.
Por mais que já estivessem juntos há tanto tempo, aquele foi o momento em que puderam sentar e conversar com outros membros que não tinham tanta afinidade. Glaciallis foi vista conversando com o senhor Atros, e Jade e Yoshiki se juntaram a Sophie e Al Capone na mesa enquanto todos riam e falavam sobre uma infinidade de assuntos estranhos. Watt dançou com Wiki, e Vista até conseguiu fazer Milady rir com suas conversas estranhas.
Foi chegada a hora da valsa, quando todas as mulheres procuravam por um par.
— General, é a nossa vez — disse Glaciallis de maneira tímida.
— Você, chamando-me para dançar, querida? — o militar perguntou, a ponto de não conter seu coração que pulsava a todo instante.
Milena escolheu Mikau para ser seu parceiro, mas no meio da dança Aerus o arrancou para fora, fazendo a mulher cair na gargalhada.
— Bem, eu não esperava ter mais de um companheiro esta noite.
Aerus estava para dizer algo quando Mikau o arrancou de novo e voltou para dançar com Milena.
— Onde estávamos? — o atirador caiu na risada.
Wiki e Marco também dançaram como um casal fofo, e até mesmo Milady e Isaac aproveitavam a ocasião para relembrar os velhos tempos apaixonados.
— Estou vendo a Eva dançar com Chaud, por um acaso ele é padrinho dela? Ela também dançou com aquele Tom Sawyer, e com o Duke. Vá lá e dance com ela também, seu pai desnaturado!
Isaac levava jeito para a valsa, e no primeiro sinal de distanciamento do marido, Milady apontou para o senhor Atros sentado em sua mesa.
— Eu disse que dançaria com o senhor, nem que seja uma única vez na minha vida. Agora venha. Vamos fazer esses plebeus sentirem inveja de nossa autoridade.
Todos bateram palma para os casais ao fim da valsa. Aerus também batia, mas ocasionalmente tinha que se apoiar em Mikau para que não caísse, a ponto de que General tivesse que deixar Glaciallis de lado somente para segurar os dois.
— Aerus, você está bem? — indagou o militar.
— Tô tranquilãoooo, cara. Tô maior de boooa aqui. Sóóóóó...
— Ele não está bem — concluiu Mikau.
— Você também não — General olhou para ele com as sobrancelhas franzidas. — Quais bebidas vocês misturaram?
— Todas que tinham na festa. Mas o cabeção aí sempre tem que ir além e extravasar — continuou o atirador, não escondendo que achava graça no estado do amigo.
Aerus foi deixado sentado numa das mesas de cara amarrotada, e por lá ficou. Ainda era bem cedo, e General ainda nem havia se sentado com Al Capone para degustar um bom vinho quando todas as luzes começaram a apagar e a música aumentou de volume.
O hilário foi notar que a um dado momento da festa, um a um os guerreiros iam caindo. Mozilla era carregado para o banheiro por Marco e Wiki, mas a mulher nem ligou de entrar nos aposentos masculinos, como se estivesse habituada a isso. Karl e Lyndis se mantinham longe da vista de Al Capone e Sophie, que por mais velhos que fossem não saíam da pista de dança.
Aerus continuava com a cara enfiada na mesa.
— Irmão, por que você sempre passa dos limites...? — sussurrou Watt, preocupado.
Vista filmava o estado dos companheiros antes que General o dispensasse.
— Eu avisei para essas crianças que eles não deviam misturar bebidas destiladas com as fermentadas. Olha só para o estado deles — General apontou para Aerus que dormia na mesa e Mikau que balançava a cabeça como se estivesse tendo alucinações.
Subitamente, o atirador ergueu um dos braços e sorriu.
— Nossa, eu gosto dessa música. Vou lá dançar.
— Mas, Mikau... Está tocando funk... — Milena tentou impedi-lo, e logo seu companheiro estava dançando sozinho na pista sem nem olhar para os lados.
A mulher soltou um suspiro, apoiando os braços na mesa.
— Pelo menos ele não está caçando nenhuma outra garota...
Aerus parecia que ia vomitar ao seu lado. Seth dava tapinhas em suas costas enquanto General não se aguentava de rir.
— Eu avisei. Não sabe beber, dá nisso. Crianças, fica a dica. Não bebam.
— General, onde exatamente está a senhorita Glaciallis? — perguntou Seth.
— Ela está... Digo, estava bem aqui — confirmou o militar, notando a ausência de sua garota.
— Acho que o Mikau e a Glaciallis foram dançar juntos — comentou Vista. — ManI must see that.

A festa iria até altas horas da madrugada, mas quando o relógio bateu as três da manhã os membros remanescentes da guilda perceberam que estava na hora de ir embora. Aerus não conseguia mais parar de pé, Mikau dançava feito uma louca e Mozilla não parava de tentar agarrar o pobre Marco.
General balançou a cabeça, compreensivo.
— É. Acho que está na hora de cuidarmos deles.
Ele e Glaciallis foram se despedir pessoalmente de Panetto e Akebia, uma vez que o suposto líder da Fire Tales nem lembrava mais o próprio nome. Mikau não estava tão mal ao ponto de que tivesse de ser carregado, mas bebera o suficiente para abraçar Milena e repetir várias vezes em seu ouvido:
— Eu não estou bêbado. Eu não estou. Amanhã posso não lembrar de nada disso, mas não estou.
            — Mikau, quer que eu chame um médico? — perguntou Milena.
          — Eu posso ajudar, se estiverem interessados em meus serviços — prontificou-seYoshiki com uma risada cínica, sacando um bisturi que passara despercebido pelos seguranças da entrada. — Sou o mais qualificado aqui pra cuidar dessa gente doida. Keh, heh, heh... Adoro meu trabalho.
Agora começaria a parte mais cômica da festa: Cuidar dos demais e leva-los de volta para a base em segurança.
Sophie estava irritadíssima com Karl. Ele e Lyndis saíam juntos aos tropeços, mas a mulher estava sóbria o suficiente para carrega-lo e rir de sua cara quando ele caía de cara no chão. Al Capone só ria do estado dos demais, tomara alguns drinks com General, Seth, e o velho Atros. Talvez fosse o suficiente para não sentir raiva de ninguém, não tinha como sentir. Pelo menos, Al sabia que teria uma maravilhosa noite de sono.
Chaud já levara os mais novos embora. Eva, Tom Sawyer, Duke e Coffey não tinham ficado para verem o estado que seus amigos se encontravam.
General apoiava Aerus em um dos ombros enquanto Wiki dava sustentação no outro. O líder da guilda realmente não conseguia mais manter-se de pé. Ele balançava a mão na cara dos amigos ao repetir várias vezes:
— Eu disse que ia ficar doidão, eu avisei...
— Sabemos disso, Aerus — respondeu General, tentando manter a paciência. — Só aguente mais um pouco.
— Mano. Eu preciso mijar.
— Affe, Aerus, o banheiro era lá dentro! Você não vai aguentar ir até lá, vai ter que fazer aqui fora — resmungou Wiki, não parecendo estar tão bem quanto seu amigo.
— Eu preciso muito... Mas, aqui fora?!
General revirou os olhos.
— Abaixe as calças e faça aí mesmo.
— Mano, mas eu... Tô com frio. Tem muita gente me olhando, nem vai rolar.
— Abaixa logo! — respondeu Wiki, fazendo questão de terminar o serviço para o companheiro e abaixar suas calças. — Você não vai querer que eu segure e balance também, não é?
 Deixa eu mijar, porra!
O dragão parecia viajar para vários mundos, enquanto aliviava sua bexiga e Wiki cruzava os braços ali do lado, já morrendo de raiva por ter que sair da festa mais cedo para cuidar dos demais. Enquanto Aerus fazia suas necessidades, os outros dois estavam virados de costas para ele.
— Olha, isso que é amigo. Quando um passa mal, o outro carrega. Não é bonito? — brincou a moça.
— Não. Mas o que posso fazer? Não sou eu que estou fazendo xixi no pátio e passando por esse vexame — brincou General, indiferente.
— Contamos para ele amanhã? — perguntou Wiki.
Os dois se entreolharam, e pareceram ter a mesma ideia.
— Podemos falar que ele saiu correndo nu — General deu uma risada áspera.
— Sim! E aí falamos que ele fez xixi na calça. Já consigo imaginar a cara do Aerus quando ele acordar amanhã, aposto que não vai se lembrar de nada! — Wiki já ria de maldade só por pensar.
Ali perto, Sophie tentava dar chocolate na boca de Karl.
— Vai, filhote! Come um pouco de doce, isso vai te fazer melhor.
— Eu não quero, eu não quero! — Karl gritava apavorado. — Meu Arceus, e se der cárie? Você fez odontologia, mãe? Você sabe cuidar de dente?!
— Come logo esse droga — Lyndis enfiou o chocolate goela abaixo do companheiro.
— Mano. Minha boca tá explodindo. Lyndis, me leva pra casa. Tô com sono...
— A gente já vai chegar, parceiro... Já vai chegar...
Ali perto, Mikau estava caído no chão, morrendo de rir por algum motivo que ninguém sabia qual.
É. Acho que estava na hora de voltar.

• • •

Aerus acordou ainda meio sonolento, sua cabeça latejava. O que será que havia acontecido?
Olhando ao redor, o dragão percebeu que muitos de seus amigos ainda estavam adormecidos junto dele. Mikau estava esparramado em algum colchão, Wiki só com roupas de baixo, e até mesmo Al Capone ainda dormia em um dos sofás feito uma criança.
Ele levou a mão até a cabeça, perturbado. Estava só de cueca.
— Mano. Mano. Que porra é essa? O que aconteceu comigo?
General e Glaciallis logo chegaram no salão. O militar vestia um avental de cozinha e parecia preparar o almoço quando viu que seu bom amigo despertara.
— Oh, até que enfim — disse General. — Como você está, Aerus?
— Onde é que eu tô? — ele perguntou, incrédulo.
— Não reconhece sua própria guilda? Você está na Fire Tales, obviamente! Decidimos reunir todos os colchões que tínhamos disponíveis, e decidimos que dormiríamos todos juntos aqui.
Aerus olhou para seu estado deprimente.
— E por que eu estou quase sem roupa?
— Ah, não lhe contamos que você saiu correndo nu por aí?
— O QUÊ?!!
— E fez xixi na calça. Fui eu que tirei sua roupinha, se quer saber...  — Wiki comentou ainda meio sonolenta, só não perdendo a oportunidade de tirar sarro da cara do amigo, para logo voltar a dormir.
Somente na manhã seguinte todos começaram a contar as histórias do que acontecera no caminho de volta para a guilda. Mikau levantou-se de cara amassada quando sentiu que Milena tocava suas costas.
— Bom dia, dorminhoco.
O atirador enfiou a cara no travesseiro.
— Eu fiz merda ontem, não fiz?
— Oh, claro que não. De todos nossos amigos, você era um dos que estava mais suportável — Milena sorriu enquanto acariciava sua cabeça. — Você lembra do que disse para mim ontem?
Mikau franziu o cenho, preocupado.
— Eu falei alguma coisa errada?
Milena riu de um jeito adorável.
— Não, mas você agarrou as minhas pernas e ficou repetindo várias vezes: “Milena, você está linda, muito linda. Muita linda mesmo, linda de verdade.” Depois você não queria me largar e continuou dizendo: “Eu queria ter uma namorada que nem você.
Mikau voltou a enfiar a cara no travesseiro, sentindo que teria que aguentar aquela confissão vergonhosa enquanto Milena se lembrasse. E as gafes não paravam por aí, tinha muito mais.
— Você também acertou um soco na Glaciallis enquanto estava dançando.
— O que?! I-Isso é terrível... — Mikau quase congelou.
— Sorte que o General sabia que foi um acidente. Afinal de contas, todos vocês estavam péssimos. Fomos nós que os trouxemos para cá. Vocês despencaram assim que se deitaram, mas não fazem ideia do sufoco que passamos para cuidar de vocês, hm? Crianças...
Lyndis e Karl estavam sentados ali perto. A ruiva estava com as pernas sobre o rapaz quando começou a rir daquela conversa.
— Isso porque vocês não viram o Karl reclamando do chocolate! Depois ele bateu a cara na parede quando tentou ir ao banheiro, e caiu duas vezes da cama!
— Ah, isso explica por que eu acordei no chão... — concluiu o rapaz.
— Mas, afinal de contas, foi divertido, não? — Milena sorriu, logo saindo para preparar o café da manhã para todos seus amigos enquanto eles se recuperavam daquela noite tão maluca.
E assim, se encerrava a festa que certamente ficaria marcada na vida de todos os membros ali presentes. Sophie tirara foto de todas as ocasiões, e poderia provar para qualquer um que negasse algo que tivesse feito. Aerus acreditaria até o fim de sua vida que saíra correndo pelado, enquanto Mikau não engolia que tinha ficado para dançar funk sozinho.
Seth só os observava de longe. Não eram mais crianças. A Fire Tales não era mais aquele grupo de várias jovens baderneiros que todos conheciam, a diferença é que agora eram adultos baderneiros, mas não que muita coisa havia mudado. Ao olhar para as fotos, todos se lembrariam daquele ocorrido que contariam para os amigos e mais chegados, tendo lembranças vagas de como passaram mal depois de misturar todo o tipo de bebidas, mas sentindo que lá no fundo tudo realmente valera a pena.
— Como está se sentindo, senhor Seth? — perguntou Watt com a voz tímida, sentando-se ao seu lado.
— Melhor do que qualquer outro — o Dragonite pôde confirmar com um sorriso.
— Bem, já que o Aerus não está em condições de dizer isso, acho que agora você é um membro oficial da nossa família. E não estou falando da guilda, mas de família mesmo. Nós precisávamos passar por esta festa para saber como você e o Beliel se comportariam, e já que vocês mostraram que aguentam ter paciência com todos nós... Creio que já possamos viver em harmonia.
— Uma harmonia muito duvidosa, devo dizer — assentiu Seth. — Mas que eu não trocaria por nada.
O Cavaleiro Dourado parou para pensar em tudo aquilo que havia passado. Se pudessem, será que todos os membros da guilda teriam feito tudo de novo? Apostou que cada um deles faria. Acertariam algumas gafes cometidas aqui, outras ali, mas fariam questão de passar pelos mesmos momentos ao lado daqueles que amavam.
Chegaria um tempo em que nem sempre a Fire Tales estaria junta para aproveitar daquela maneira como costumavam fazer, mas sempre que conseguissem, olhariam para aquelas fotos e para as lembranças de uma mísera alma que risse ao dizer:
Lembra daquela vez que o Aerus saiu correndo pelado?
E todos dariam risada ao concordar:
Sim, aquele dia foi inesquecível.

Portanto, caros leitores; aproveitem como acharem que seja melhor, encontrem-se com os amigos que amarem enquanto puderem, deem risada de seus próprios erros e cagadas, saiam com as pessoas certas quando der, e vivenciem cada momento da melhor maneira possível. Tentem não extravasar, mas se acontecer, leve como uma lição para não vacilar na próxima. Não se arrependam de absolutamente nada. Façam seu próprio estilo, aproveitem da forma que preferirem, divirtam-se e esqueçam-se do tempo que sempre volta para nos atormentar.
Sejam vocês os donos de suas próprias histórias. Colecionem-nas. Tenham muitas para contar, e logo perceberá que sua vida valeu a pena. Cada instante. Cada momento. Eternizado.
          Se você ainda não encontrou a sua guilda, continue procurando. Ela estará esperando por você.

Baseado em Fatos Reais.
Ou pelo menos foi o que me contaram...

{ 12 comments... read them below or Comment }

  1. Eu não sei se choro de emoção com essa mensagem final ou faço xixi que nem o Aerus nas calças de tanto rir. Meu Deus, eu estava esperando risadas, mas não a ponto de querer me jogar no chão.
    Acho que foi um dos melhores Fire Tales. E Vista, tá me devendo os vídeos no Youtube.
    Pô, cara, agitou nossa sexta agora, comecei o Final de Semana bem.
    Como tirar o mau humor : Leia o Fire Tales 39
    Abraços

    Obs : To com vontade de ir no banheiro kkkkkkkkkkkk

    ReplyDelete
  2. Sério, Vanessa? *-* É muito bom saber que vocês estão se divertindo com o episódio, até porque eu estava meio receoso quanto à postagem kkkk Tipo, meu intuito era justamente fazer vocês se divertirem nessa sexta feira e irem se preparando para um fim de semana bem maluco, mas vai que a galera entende errado a mensagem do episódio! Não quero ver ninguém falando depois que foi aproveitar a night e avacalhou por minha causa kkkkkkkk Já aviso de antemão que não apoio bebidas alcoólicas, e nem pensem que eu fiquei doidão para escrever isso kkkkkkkk

    O mais importante seria justamente essa mensagem com as diversas experiências de diferentes personagens citadas no capítulo. Escrevê-lo foi muito divertido, e por mais que o episódio tenha essa essência de Support acho que ele fez jus ao título de penúltimo capítulo dos Fire Tales. Aproveitemos para rir agora, porque depois a pancadaria volta para cena kkkk Fico muito feliz que tenha gostado Vanessa, por mais que comédia não seja bem meu forte adoro saber que as pessoas sorriem por minha causa! (: Beijos, see ya!

    ReplyDelete
  3. Mano, não se preocupe em as pessoas interpretarem errado, depois de ler isso, acho que ela vão ficar tipo o Aerus, não conseguir parar em pé. E quanto ao mim, posso dizer que baladas não fazem parte da minha rotina.
    VOcê não precisa de bebidas para ficar loucão, já é naturalmente, só por escrever essas coisas que nos fazem morrer de rir ( desculpe se te ofendi nessa fala )
    Beijos :)

    ReplyDelete
  4. Nem ofendeu nada, Vanessa. Não tem como imaginar eu sendo o louco do Aerus nessa festa kkkkkk Eu sou doido, mas nem tanto! Eu posso ter sido o pobre do General que aguentou a festa inteira só pra levar os amigos pra casa em segurança, ou quem sabe o Karl que bateu a cara na parede, e até mesmo o Watt que ficou cuidando de todo mundo kk Na realidade, eu fui um mesclado de diferentes personagens, um pouquinho de cada um, fica até difícil dizer até onde é verdade e o que realmente veio dessa mente minha maluca, rs.

    No fim das contas, o certo mesmo é realmente aproveitar da maneira que for melhor, com as pessoas certas, e fazendo aquilo que curte. Eu também não sou de sair, prefiro ficar aqui em casa viajando na maionese e escrevendo, mas às vezes preciso dar uma volta para melhorar meu repertório de ideias. E aí, olha só a doideiras que acontecem kkkkkkkkkkk Imagina só como sairiam essas histórias se eu bebesse! Ai, ia sair cada besteira, ainda mais do que de costume kkk Espero que ainda venham muitas outras experiências divertidas como essa para compartilharmos com a galera, essa sem dúvida é a melhor parte! (: Também tenho tantas de ficar em casa jogando video game. Mario Kart e Super Smash Bros só pra acabar com algumas amizades kkkk Essas histórias não tem preço. Beijos!

    ReplyDelete
  5. Canas tu eh foda, como uma festa pode ser descrita desse jeito parece ate q era eu quem tava vendo as gafes e td o mais.Porém e a Lyndis com o Beliel num rolou nem uma dança?kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Cara muito bom msm!

    ReplyDelete
  6. Obrigado pelos elogios, Rafael! Poxa, faltou mesmo um trechinho onde eu descrevesse pelo menos um pouco de como foi a dança desengonçada do Beliel com a Lyndis, né? kk Teria sido super fofo ver a nossa ruiva tentando ensinar alguns passos para ele. Eu estava à procura de algum enredo para começar a escrever mais sobre esse casal, e creio que você tenha acabado de me dar uma bela ideia! kkkkkkkk O Beliel é um daqueles personagens que merecem atenção, e falta justamente um pouco mais dessa humanização dele, algo que mostre o cotidiano, principalmente porque ele se tornou um dos mais adorados da galera. Valeu pelas ideias meu caro, até uma próxima! (:

    ReplyDelete
  7. Acho que achar ideias para escrever/desenhar só funciona quando estou fora de casa, de preferência com música. Aí o espírito da criatividade entra em mim. Funciona assim com você também ?
    Eu to precisando sair para buscar inspiração para desenhar uma nova fanart para o AeS. Sim, eu vou mandar fanarts até os fins dos tempos. Se acostume com isso. Já posso antecipar que Chaud e Eva serão meus alvos nessa nova arte ?
    Acho que me identifiquei com a Eva nessa festa, foi embora cedo. KKKKKKKKKKK

    ReplyDelete
  8. Uma vez eu li um livro que contava diversas maneiras de se ter boas ideias, e lá constava que geralmente elas aparecem em caminhadas pela praça ou na hora do banho kk As minhas melhores aparecem de noite, então eu sou obrigado a levantar da cama e acender a luz só para anotá-la em algum lugar antes que eu esqueça! Obviamente, a música também ajuda muito nisso. Curto colocar uma trilha sonora de games tipo Zelda ou Metroid para escrever, e quando é para ter inspiração em alguma cena específica eu vario no gênero. A música deve ser uma das principais ferramentas nesse processo de criação!

    Opa, e Sinnoh estará aberta para novas fanarts enquanto durar! Se nesses últimos 3 anos de blog venho recebendo os seus desenhos, não seria agora que eu ia querer parar kkk Se parasse, acho que eu até sentiria falta! Ah, só te desejo boa sorte em desenhar o Chaud, aquela armadura é uma maldade para qualquer desenhista!! kkkkkkkk Eu mesmo sofro quando vou desenhá-lo... Por mais que dê um trabalhão, eu te dou total apoio! Não me lembro de já ter recebido algum fanart do Chaud, na última vez que você ele ainda era apenas um Shieldon. Aposto que vai ficar adorável! :3 Estarei no aguardo, Star-chan. Beijos!

    ReplyDelete
  9. Canas eu sei q a fic ja esta acabando e tals mais vc planeja continuar postando alguma coisa ou so vai encerrar o blog?

    by:Koala

    ReplyDelete
  10. Opa, parece que encontramos algo em comum aí,meu gênero favorito de músicas são as trilhas sonoras de games, principalmente The Legend of Zelda.Me ouso até dizer que Zelda consegue ser melhor em música do que em jogos, a trilha sonora clássica do primeiro jogo nao me deixa mentir.
    E desenhar o Chaud, eu já comecei a rascunhar ele...e,ah Deus, como eu vou fazer aquela armadura? Eu não vou desistir, de verdade ! Nem que para isso eu tiver que fazer alguma bruxaria. Hehe
    Aguarde, em breve, a fanart estará pronta :3 Beijos

    ReplyDelete
  11. Bem, Koala, minhas pretensões é de realmente encontrar uma nova função para o blog e não deixar que ele caia no esquecimento. Seria maldade simplesmente abandoná-lo, mas também vai depender muito dos leitores quererem acompanhar minhas notícias que depois do término da fic não serão somente sobre Pokémon, podendo variar o assunto desde games até música ou histórias bobas da rotina kkk

    Não falta interesse em querer continuar tomando conta do blog, mas vai depender muito dos leitores. Eu adoraria tornar o velho "Aventuras em Sinnoh" em um blog novo conhecido apenas como Sinnoh, tornando esta região praticamente a minha segunda casa como ela têm sido nos últimos anos. Encerrar o blog, pode ter certeza que não! A fanfic vai terminar, mas imagino que não demorarei para encontrar novos motivos para continuar postando kk

    Ah, e Vanessa, continue se esforçando no Chaud! kkkkkkk Os maiores desafios são os que nos ensinam mais coisas. Vou continuar aqui curtindo um Majora's Mask para conseguir escrever as cenas certas da luta contra a Elite. Abraços ae, galera!

    ReplyDelete
  12. Isoo me da esperança pra continuar divulgando o blog pra todos os q eu conheço kkkk

    by:Koala

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -