Posted by : CanasOminous Mar 5, 2014

Support Conversation (Vista x Duke)
Gênero: Comédia e Ação;
Tema: Sabemos que o Duke é um dos personagens mais excluídos 
dos Fire Tales, mas e se fosse diferente? E se ele fosse um 
personagem forte, evoluído, respeitado e o líder da Fire Tales?
Sugestão do leitor: Snow Blaziken.



Só seria necessário mais alguns últimos reparos, e a máquina estaria pronta para uso. Marco estava deitado na poltrona, acariciando o rosto de Wiki que havia acabado dormindo em seu colo após uma longa e maçante maratona de filmes românticos clichês que rolavam naquele feriadão.
Vista não estava nem suando quando terminou de apertar o último parafuso em sua máquina do tempo, destruída por ele mesmo vindo do futuro para que problemas maiores não fossem acarretados por suas atitudes insanas e por vezes até audaciosas. O problema surgiu no momento em que a primeira ocorrência não serviu como experiência. Vista queria experimentar mais algumas coisas, e sua mente nunca parava de trabalhar.
O espectro ergueu o rosto, taciturno. Seu projeto fora finalmente reparado.
— De novo, senhor Vista? — indagou Marco, tentando não falar muito alto para acordar sua companheira.
 You know, kid... Depois de viajar no tempo e sentir o poder de mudar o destino em suas próprias mãos, você acaba sendo atraído por ele. No one man should have all that power.
— E por que exatamente você a reconstruiu? — repetiu o Mothim;
 Because I can — Vista deu uma gargalhada maldosa antes de voltar a estudar os manuais de sua máquina. — Fiz até alguns reparos para que ela gaste menos energia e seja menos barulhenta. Esta é a versão 2.0, pronta para uso. Enfim, eu já inclusive planejei qual será o meu alvo de hoje, e dessa vez, acreditem, será por algo melhor.
— Você nunca nos contou o que aconteceu com a guilda depois que você impediu a Titânia de nos deixar daquela vez... Viagens no tempo são confusas, senhor — comentou Marco, pensativo. — De qualquer maneira, por favor, não fala nenhuma besteira... Só espero que realmente seja por algo melhor.
— Duke, o pinguim mais imprestável da guilda — Vista agarrou uma pedra e a destruiu com suas próprias mãos. — Eu vou arrancar aquela Everstone dele, na força se for preciso.
Marco piscou, e logo acenou com a cabeça.
— É, essa eu topo.
Vista ligou sua máquina do tempo no modo silencioso e acenou para o pequeno.
— Não deixe a Wiki acordar até que eu esteja de volta. Se tudo der certo, vocês nem perceberão o que aconteceu, mas seremos vencedores por aquele imprestável finalmente tornar-se um guerreiro capacitado.
— Ele não é um imprestável, só tem sérios problemas em se destacar... Faça o possível para que nosso amigo seja uma pessoa melhor, tudo bem? Só espero que tudo ocorra bem... — respondeu Marco.
 Who knows... See ya.

Vista fez sua viagem de volta para o passado, em um dia ensolarado onde Duke estava caminhando na praia todo contente com sua bolsinha transversal, chinelos, shorts largos e a bandana na cabeça.
O pinguim assobiava alegremente, e não tinha a menor noção do que estava para acontecer.
Vista surgiu em sua frente através de um portal aberto por raios eletromagnéticos, fazendo barulho e soltando faíscas de energia para todos os lados como um triunfante mensageiro do futuro. Duke caiu no chão, apavorado ao ver aquela criatura gigantesca em sua frente.
— WOAAAAH! Cruz credo, eles me encontraram!! Desculpa, desculpa, juro que eu nunca mais vou roubar bala da cantina da escola, pode deixar que eu devolvo tudinho, e com juros!!
Vista olhou para Duke debaixo para cima, divertindo-se com a cena.
— Isto é um assalto, moleque. Passa todas as balas.
Duke entregou suas balas, pirulitos e doces para Vista que jogou-as para dentro de seu capuz negro, por mais que o pobre pinguim nem soubesse se ali existia um rosto ou não. O Metagross teve a boa ideia de enganar o novato, fingindo ser alguma espécie de guardião das trevas que surgiu só para atordoá-lo, sem motivo algum. Maléfico e sádico do jeito que era, Vista tinha as intenções de fazê-lo sofrer um pouco antes de mudar tudo que pretendia. Talvez aquilo ensinasse Duke a saber proteger-se melhor quando ele voltasse ao seu tempo.
 I’m still not fully satisfied — respondeu o monstro. — Eu quero algo de maior importância... Eu quero... a sua pedra.
Duke levou a mão até sua bolsa, onde sempre deixava a Everstone.
— M-Mas este é o bem mais precioso que eu tenho... Por favor, leve as minhas roupas, mas não leve a minha pedra.
— GIVE. IT. TO. ME.
Vista agarrou a bolsa e jogou tudo no chão, encontrando ali a Everstone de Duke caída na areia. Há tempos lembrou-se de como sentia raiva daquele item amaldiçoado! O Piplup não passava de um peso para o nome da Fire Tales, e aquilo o irritava profundamente. O espectro segurou a pedra com uma das enormes mãos e destruiu-a completamente, jogando a poeira e restos na areia levada pelo vento enquanto o pobre Piplup o olhava pasmo, sem palavras que saíssem de sua boca.
— Você ainda vai me agradecer por isso, garoto — respondeu Vista. — Ah, e se por ventura algum dia você conhecer um Gabite de óculos escuros... Acerte um murro na cara dele, por mim.
Vista ativou seu portal novamente e retornou, deixando Duke para trás sem entender muito do que acontecera, mas acreditando fielmente que aquele fora um sinal dos céus, e que tinham acontecido por algum motivo.
Duke olhou bem para os restos mortais de sua Everstone e pensou:
— Acho que preciso começar a treinar...

• • •

Vista retornou para seu tempo atual, exatamente onde deixara Wiki dormindo no colo de Marco com sua expressão angelical e tranquila que ele tanto gostava. Ao menos, aquele era o único momento que a mulher não estava arranjando confusão, e ele ansiava por ver a cara dela quando descobrisse que o fajuto Piplup da guilda se tornaria um poderoso guerreiro.
Porém, ao retornar, nenhum dos dois estava lá.
— Maldição, eu não demorei nem cinco minutos nessa viagem... Eu mandei aquele imprestável do Marco esperar aqui, nós íamos assistir Exterminador do Futuro quando voltássemos... Stupid boy.
A princípio, quando Vista saiu de seu laboratório tudo parecia normal, mas ao ver o pátio percebeu que as coisas logo começavam a ficar diferentes. Sua viagem para o passado trouxera mudanças no presente. Uma imensa estátua de um Empoleon jazia erguida no centro da Fire Tales, e ao lado uma fogueira magnífica de fogo azul brilhava ao anoitecer.
— Wow, pelo visto alguém aprendeu a ser mais útil mesmo — comentou o Metagross com uma risada, parecendo gostar de tudo aquilo.
Ele desceu as escadas, e cada parede da guilda era decorada com estátuas de mármore de Piplups e fontes que jorravam água em abundância. Vista não reconheceu as pessoas que ali estavam, haviam novos guerreiros, novos Pokémons. A guilda estava três vezes maior, três vezes mais receptiva, três vezes mais grandiosa e... assustadora. Aquela não era a Fire Tales que ele conhecia.
 Strange... — Vista falou em voz baixa.
Conforme andava pelas ruelas da guilda, os outros o observavam, espantados. Pareciam nunca tê-lo visto ali, mas a única coisa que o ciborgue se preocupava era em encontrar algum rosto conhecido.
— O que será que aconteceu com esse lugar? — perguntava-se.
Foi quando, para sua surpresa, viu ninguém menos que um Garchomp, de balde e vassoura na mão, esfregando uma das passagens em frente ao Salão Central da guilda. Ali estava Aerus, um pouco mais sério do que de costume, mas perfeitamente igual em questão de aparência. Só estranho ver o líder da equipe e também um dos dragões mais poderosos daquela geração esfregando o chão, como se fosse um faxineiro.
— Aerus... — falou o ciborgue, olhando para os produtos de limpeza na mão do companheiro. — What the hell are you doing?
— Vista? O que está fazendo aqui? Pensei que estivesse em sua sala, trabalhando em novos projetos — comentou o dragão.
 Yeah, fiquei alguns dias bolando algumas coisas novas, mas decidi dar uma saída.
— E o chefe deu permissão? — indagou Aerus, assustado.
 What? Você é o chefe, e eu nunca precisei de permissão para trabalhar em meus próprios projetos, quem você pensa que é?
Vista ergueu a mão, como se ameaçasse golpeá-lo na cara, mas sua expressão foi de assombro quando Aerus caiu no chão, cobrindo o rosto de maneira amedrontada feito um cãozinho covarde e com medo de apanhar.
Vista não acreditou no que vira.
 Why? Why? WHY? Por que você não revidou? Por que não me intimidou, deu um soco na minha cara, por que não fez o que você sempre fez, Aerus?!
— D-Desculpa, senhor Vista, não foi minha intenção! — Aerus se desculpava, apavorado.
O espectro parou de falar, soltando um suspiro de desaprovação.
 Curses, you damn boy! That’s not you, that’s not you. Você está até mesmo se parecendo com... — ele estava para falar algo, quando sua voz caiu solta ao vento e ele lembrou-se de quem costumava ser o maior imprestável daquelas bandas. — Duke.
Aerus continuava caído no chão, escondendo-se perto de seu balde. Vista percebeu que ele era o faxineiro da guilda, e as mudanças que fizera no passado já começavam a se revelar.
— O que houve com a nossa Fire Tales?
— Fire Tales? — indagou Aerus. — Esta é a Water Tales.
Vista cerrou os punhos.
 Excuse me. Tenho que acertar algumas contas antes de ajeitar essa bagunça.
O gigante de ferro empurrou os portões de mármore do salão central, e ali deparou-se com olhares conhecidos como os de General, Chaud, Mikau e Al Capone; mas por algum motivo todos seus amigos o olhavam espantados, como se não o reconhecessem. Marco não estava em lugar algum entre eles. Haviam muitos outros também, centenas de soldados aquáticos que ele nunca conhecera, o que evidenciava que a guilda certamente estivera em mãos novas nos últimos anos.
Na outra ponta estava um trono, onde um Empoleon jazia sentado de coroa e capa aveludada. Com cabelos penteados, queixo erguido e vestes dignas de um rei, três garotas estavam sentadas ao seu redor com ânforas d'água e sombras proporcionadas por leques gigantes, fazendo de tudo para que aquele imperador se sentisse bem. As três garotas tinham os pés presos à correntes assim como o pescoço, como se fossem de posse daquele homem. Elas tinham expressões sérias e melancólicas claramente estampadas em seus rostos machucados. Era uma cena triste, mas Vista reconhecera uma delas como sendo Milena.
Houve um tempo que Vista não gostava muito de mulheres, mas agora ele detestava qualquer um que faltasse respeito com elas.
O Metagross foi marchando, sua capa manchada esvoaçava e todos os olhos presentes no salão iam em sua direção, devorando-o com os olhos, reprovando sua ousadia e com as mãos em suas respectivas armas como se esperassem para atacar ao menor sinal.
Ele parou de frente ao imperador em seu tapete vermelho, e nem lembrou-se de fazer um cumprimento. Ergueu a voz justamente com o intuito de desafiá-lo, pois já o reconhecera àquele ponto.
— Sua reputação certamente mudou, senhor Duke — disse Vista num tom sombrio.
O Empoleon pediu para que as mulheres se afastassem, e levantou-se de braços estendidos.
— Vista, meu bom amigo, como é bom revê-lo! Eu não esperava sua visita, imaginei que estivesse muito ocupado em nosso projeto mais recente — respondeu Duke de maneira austera, logo engrossando a voz. — Mas por um acaso, eu lhe dei a permissão de sair?
Vista olhou para os lados e começou a rir de maneira alarmante.
 You? YOU? Acha mesmo que eu preciso da permissão de um verme miserável feito você para sair e tomar um sol? Fuck you, Duke. Você mudou como eu esperava, mas certamente não foi para melhor. Eu devia ter deixado as coisas como estavam.
O Empoleon cerrou os punhos. General fechou os olhos, como se temesse pelo que viria a acontecer.
— C-Como ousa contestar minha notabilidade?
— Eu sempre contestei, e isso não vai mudar — Vista respondeu de maneira sarcástica, olhando para todos ao seu redor. — E o que aconteceu com vocês, olhando para mim feito soldados covardes e desprezíveis, com medo de alguém como ele?
— Você está falando com o Rei Duke, tenha mais respeito — disse Mikau. Vista irritou-se ainda mais, pois sentiu que aquelas palavras desciam rasgando a garganta do homem que um dia ele acreditou ser o mais poderoso daquela guilda.
O Metagross voltou a olhar para o Empoleon.
— Então, você realmente tornou-se um líder... Fascinante. Rebaixou o Aerus para o nível de faxineiro, e agora olha para todos de baixo para cima como se fosse uma espécie de divindade. Well, you know what? Eu gostava mais de você antigamente.
Duke sentiu suas veias pulsarem. Aquele atrevido tinha de ser punido.
— Seu bastardo miserável! Acha que tem força o suficiente para resistir às minhas ordens? Vou mostrar como cheguei ao topo, e por que hoje sou o líder supremo da Water Tales!
Vista apontou apenas um dedo para ele.
 Shut the fuck up. Você está pior do que aquele sujeito irritante da Throne of Kings. Será que todos os Empoleons estão fadados a serem impertinentes? Eu sei admitir quando eu faço merda, e me desculpe por isso, essa foi a pior de todas. Eu preferia você como era antes, garoto.
Duke segurou a corrente que estava presa uma das mulheres com mais força e puxou-a para frente, derrubando a garota no chão como se ela não valesse nada. O Empoleon ergueu o tom de voz e lhe ordenou:
— Wiki, destrua agora mesmo este verme insolente e traidor! Prenda-o em seus aposentos, e que lá ele fique até que conclua seus projetos para a Water Tales, em uma punição de mil anos até o dia em que suas mãos sangrarem!
Duke falou muitas coisas com um elevado tom de voz e autoridade, mas Vista ouviu apenas a primeira palavra:
— Wiki.
Ele olhou bem para a garota caída no chão, com uma corrente amarrada no pescoço e uma clara expressão de desamparo em seu rosto. Como foi que ele não conseguira reconhecê-la? Estava tão diferente e acabada que ele jamais teria palpitado. Estava claro que ela tinha sofrido muito naqueles anos, tudo por causa dele. Por uma brincadeira tosca de viagem no tempo.
— Wiki.
Seu rosto estava machucado, e ela parecia não querer fazer aquilo. Não queria machucar ainda mais seus amigos somente pelas ordens daquele tirano. Ela estava sendo tratada como uma escrava.
— Wiki.
Duke agarrou o rosto dela para bem perto de si e ordenou mais uma vez.
— Faça o que eu estou mandando, Wiki.
E ele revidou com um tapa forte em sua cara.
A mulher olhou para Vista com seus olhos inchados de choro e apenas sibilou algumas palavras com os lábios machucados, mas ele certamente ouvira o que precisava:
— Por favor, me ajude.
O ciborgue ergueu o punho e avançou na direção de Duke feito um canhão com o Bullet Punch. O golpe acertou o Empoleon com tamanha força que Duke foi atirado para longe, despencando em seu trono, destruindo paredes e indo parar direto em uma fonte de água com seu rosto estampado no lugar de uma das pedras. Vista não conseguiu conter sua fúria, olhou para a Fire Tales que conhecia e não a reconheceu. General e Chaud se colocaram em posição de batalha, atacando-o no mesmo instante.
— Eu não quero machucá-los — disse Vista, tentando revidar.
— Você traiu nossa guilda, e traidores devem ser punidos — respondeu General.
Vista sabia que poderia iniciar uma guerra ali, lutando contra os maiores nomes da Water Tales que agora eram guiados pelas mãos de ferro de Duke, um jovem que sofrera obra do estranho acaso quando mais novo, e acabou descobrindo seu verdadeiro valor. Vista golpeou o escudo de Chaud e revidou a cortina de fumaça de Al Capone, protegeu-se das facas de Yoshiki e tomou tiros de Mikau como se fosse um tanque de guerra indomável que não podia cair antes do fim daquela batalha.
Em meio à luta, ele olhou profundamente para os olhos de Wiki e sentiu a dor em seu coração.
— Me desculpe. Isso não vai ficar assim.
O espectro ativou uma explosão de gás momentânea para escapar, e ali conseguiu criar um portal para que se transportasse para um local já bem conhecido...

Paula o aguardava sentada, de braços cruzados e um semblante nem um pouco agradável. Assim que Vista surgiu ele foi atirado no chão, repleto de buracos de balas em seu corpo, partes destruídas e fios que soltavam faíscas em sua armadura de ferro. Por mais machucado que estivesse, continuava forte o suficiente para levantar-se e encarar a deusa. Sabia que seus ouvidos iriam doer depois que ela começasse a falar, mas dessa vez merecia aquela bronca.
Paula não havia falado nada até aquele momento, procurando manter o controle enquanto pôde. Ergueu as mãos, e parou, repetindo calmamente:
— Respire, Pearllutina... Respire... — disse a deusa, mantendo a concentração.
 Sorry, I’m just too curious. Is that your real name? — Vista deu uma risadinha ligeira, fazendo alguns reparos em seu sistema enquanto se sentava no chão do infinito.
Paula passou a mão em seus cabelos, impaciente. Queria socá-lo ali mesmo, mas respirou fundo e comportou-se como a lady que era.
— Eu falei para você destruir a máquina do tempo.
— Yeah. And I destroyed. — Vista a olhou de relance, como se quisesse rir. — But I built it again.
 Não faça mais isso, ouviu?!! — gritou ela. — O que aconteceu deve ser deixado dessa maneira, não cisme em mudar as coisas, Vista!! Olha só a baderna que você causou, nossa Fire Tales virou Water Tales!!
— E agora tem um Empoleon de mármore esculpido no pátio — ele deu uma risada, apontando para o horizonte sem fim. — Se pelo menos fosse minha, eu teria gostado.
— Vista... Vista, escute. O Duke é um ser adorável que age de maneira simples e humilde, e assim ele deve ser, pois esta é a essência dele, não percebe! Quem te deu essa ideia ridícula de arrancar a Everstone do pobrezinho? Sabia que era um presente do pai dele?
— Oh, mas você viu como ele ficou forte? — perguntou Vista de maneira irônica. — Quero dizer, nem assim ele conseguiu fazer frente ao meu poder, então digamos que não mudou muita coisa... Some things never change.
— Vista... Você só procura minha ajuda quando precisa — respondeu Paula de maneira chateada. — O que o fez precisar tanto assim de mim? É porque a guilda está diferente e você não reconhece mais os seus amigos, ou...
— O Duke na liderança destruiria a vida de muita gente — respondeu o Metagross. — E a minha também.
— Ahh, então agora começou a se importar só porque mexeu com você, não? — Paula acenou com a cabeça de maneira negativa. — Sempre tão intolerante e egocêntrico... Nunca se importando com os outros.
— Okay, mommy.
— EI. Que história é essa de me chamar de "mamãe"? NUNCA mais me chame de “mamãe” de novo, OUVIU? Eu sou nova, tá ouvindo? MUITO nova! Tenho um amiguinho chamado Giratina que adoraria receber sua visita no inferno!
Vista começou a cair na risada, e Paula viu que aquilo não daria em nada, chegando à uma conclusão:
— Aliás, no fim das contas, acho que você se importa com os outros... — disse ela.
— Por que acha isso?
— O Duke. Ele sempre foi o ignorado, o esquecido, o incompetente da guilda. Isso quer dizer que você voltou no tempo só para ajuda-lo, para dar-lhe uma nova chance! — disse Paula, contente. — Ohh, Vista, isso foi tão fofo de sua parte.
 NO. Não tem nada a ver. Não foi por isso.
— Não banque o durão, querido. Eu sabia que existia muita compaixão e carinho dentro de você, estou orgulhosa, de verdade. Agora, vou mandar-lhe de volta para o presente e arrumarei esse problema com a Everstone.  Sem contar que... Céus, Water Tales é um nome terrível!
— Nem me diga...
— Vista, espero que os problemas com as viagens no tempo terminem, okay?
 I will think about that — assentiu ele com uma risada, adentrando o novo portal.

• • •

Marco dormia tranquilamente abraçado com Wiki no sofá, mas levantou-se desesperado quando viu Vista destruir sua mais recente reconstrução da máquina do tempo. Podia jurar que ele tinha acabado de reconstruí-la, mas concluiu que gênios mudavam de planos depressa até demais...
O jovem encarou aquele ocorrido, confuso, e Wiki nem acordou.
— Céus, senhor Vista! O que aconteceu dessa vez?!
 None of your business — respondeu o espectro, ainda acertando a máquina com um taco de baseball e detonando a tela do computador. — A Wiki. Ela está bem?
Marco olhou para sua companheira ao lado e viu que ela ainda dormia feito um anjo em seu colo. Nem com todo aquele barulho Wiki havia despertado de seu sono tão pacífico, apenas abraçou Marco com mais força e aconchegou-se em seu canto.
 Good — respondeu Vista, exausto. — Very good.
— E o Duke? O que houve com ele? Evoluiu, ou pelo menos tornou-se um pouquinho mais forte do que já era?
Vista fuzilou Marco com seu olhar macabro.
 Duuuuuuuuuuuuke — ele falou com a voz assustadora, e saiu em sua caçada.
Marco não tinha ideia do que tinha acontecido naquela viagem do tempo, mas sabia de uma coisa: Agora sim o pobre Duke estava encrencado.

Duke andava alegremente na praia, fazendo uma de suas caminhadas como sempre fizera desde que era criança. Ele pegou uma conchinha no chão e atirou-a para longe, vendo-a quicar no mar. Depois colocou a mão em sua bolsa à procura de alguma outra pedrinha que pudesse jogar, e acidentalmente tocou na Everstone.
Ele olhou para a pedra, e pedra olhou para ele. O que mudaria se ele a jogasse? Será que ele se tornaria forte, e um dia derrotaria Aerus e teria as mulheres mais lindas do mundo aos seus pés? Duke ficou contente com seus pensamentos, e queria que aquilo de fato algum dia acontecesse.
Quando preparou-se para jogar a pedra, Vista o impediu com a mão.
 Don't do that.
— S-Senhor Vista? — Duke perguntou, amedrontado, pois sempre tivera medo do Cavaleiro das Trevas.
— Guarde essa maldita pedra, agora.
E Duke a guardou.
— O que pensou em fazer? — repetiu o ciborgue.
— E-Eu só estava atirando pedrinhas no mar, e...
— E ia jogar a pedra de seu pai? E ia desfazer a confiança que ele depositou em você, somente para buscar fama, poder e mulheres?
— C-Como sabe de tudo isso?
Vista balançou a cabeça.
 I know everything — respondeu ele com uma risada, agachando para ficar na altura do jovem. — Escute aqui, você pode até sentir-se como um perdedor, mas saiba que existem muitas pessoas que gostam de você assim mesmo.
— Quem?
— Nós, Duke. Seus amigos, sua guilda, sua casa. Você não precisa de exércitos, e muito menos de pisar em cima dos outros para sentir-se melhor do que eles, isso não fita o seu perfil.
— Mas por que está dizendo essas coisas para mim, senhor Vista?
O espectro respirou fundo.
 Keep calm and be yourself, ouviu?
O pinguinzinho olhou para suas próprias mãos e perguntou-se do que seria capaz se um dia tivesse seguido aquele caminho tão confuso do qual o soldado negro falava. Duke acenou com a cabeça, agradecendo as sábias palavras, mesmo que elas não fizessem muito sentido para ele.
— Ah, e só mais uma coisa...
Antes de partir, Vista voltou-se para trás e deu um soco na cara de Duke, afundando-o na areia. 
— Eu te adoro desse jeito, seu pinguim insignificante de merda.

Ele sorriu e saiu dali, satisfeito.

{ 6 comments... read them below or Comment }

  1. Oh,Arceus, vou retorar minhas palavras nunca ditas de que eu queria que Duke evoluísse.
    Cara, que lição hein? Você nao precisa mudar por poder, existem pessoas que te ama do seu jeitinho.Certo "seu pinguim insignificante de merda" Hehe
    Cara, eu preciso de mais "Vista’s Time Machine", quer uma sugestão? E se Eva evoluísse para outra forma?

    ReplyDelete
  2. Diga ae, Star-chan! O Duke é um daqueles personagens que precisam continuar na primeira evolução simplesmente por não saberem lidar com a força. Esse episódio veio justamente para reforçar como seria se ele alcançasse o poder e se tornasse o líder, o Duke simplesmente não sabe como, ele não pode, não está no sangue dele guiar e ajudar os companheiros ao seu redor como o Aerus e a Titânia fizeram. Por um tempão pensei em transformá-lo em Empoleon, mas depois de muito pensar conclui que isso jamais poderia acontecer.

    É por isso que me divirto com a Máquina do Tempo, ela é uma forma de mostrar pra vocês o que poderia ter acontecido se nosso caminho tivesse desviado dos trilhos! Eu aprendi a gostar do Duke nessa forma mesmo, que continue sendo o pinguim insignificante de merda kkkkkkk

    E pode deixar que sua sugestão será ouvida! O Episódio 3 do Vista's Time Machine terá como estrela a Eva, onde mostraremos justamente como seria a vida da galera da guilda se a nossa pequena Eeveezinha se evoluísse para qualquer outra forma, e quem sabe até tornar-se beeeem diferente do que o esperado! kk Fiquem de olho, porque essa nova série só tende a melhorar. Beijos!

    ReplyDelete
  3. Expectativas altas para o episódio 3. E muita ansiedade.
    É Duke, tá vendo, até quem não faz parte da história gosta de você dese jeitinho. Realmente, eu lembro na época do Nyah a cogitação de Piplup evoluir, e sim, todo mundo lá queria que ele evoluísse, ou quase. Isso me faz lembrar do Chaud, quando você disse que o Luke deixaria futuramente o Pokémon fóssil no PC. Tá vendo o que acontece se você tivesse tomado outro rumo, Eva provavelmente não existiria, já que foi praticamente ele que salvou ela na época em que ela era ovo.
    Sim, esse negócio de decisões não é coisa só de histórias :)

    ReplyDelete
  4. Ah, mas naquele tempo muitas ideias não passavam de meras possibilidades em minha mente! kkk Relembrando os tempos do Nyah, é até engraçado ver como as coisas mudaram. Eu mesmo abominava Pokémons que não evoluíam, e prometi que eu faria todos os meus alcançarem a última evolução. Eu odiava o fato do Anime nunca evoluir alguns dos Pokémons mais incríveis do Ash, mas somente quando tive o destino do meu próprio Piplup em minhas mãos é que eu percebi o motivo disso não poder acontecer.

    Lembro também da frustração da galera quando falei que o Chaud não era um dos "principais" do Luke. Aqui está algo que nunca teria dado certo no Nyah, sabe? Lá eu ficava muito limitado, imagine como seria a história se não houvessem os Fire Tales, Especiais, Supports, nada? Mudar para o blog foi a melhor decisão de todas, e agora nem existe mais essa coisa de Pokémon que está no Box, alguém percebe que o Luke só anda com seis Pokémons ou parece que estão todos sempre juntos? kkkkkkkk Foram essas benditas coisinhas aleatórias que fizeram muitos Pokémons serem o que são! Sem os Gijinkas, acho que a história nem teria chegado tão longe, e justamente por isso farei com que a última luta contra a Elite dê toda a atenção que eles merecem.

    Estamos progredindo com os capítulos, aguentem só mais um pouquinho porque a espera vai valer a pena kk Enquanto isso, vamos seguir com o Vista's Time Machine e outros Supports que ainda têm muito para nos divertir! Beijos, Vanessa! :D

    ReplyDelete
  5. VOLTEI! Sentiram saudades? Claro que sim, afinal sou eu!
    Canas, eu demorei para postar esse comentário porque eu estava revendo tudo o que eu perdi nesse meu tempo de ausência, foi muita coisa... mas bola pra frente, o passado é passado e já passou, não há como muda-lo... isso é o que eu achava até ver a máquina do tempo do Vista -mesmo que ela viole quase todas as leis da física que existem (sim eu sou um nerd me processe)- lendo esse capítulo eu percebi que o Vista é um gênio e não aprendeu com o fato de quase ter causado a destruição do universo que não se deve mexer com o fluxo espaço-temporal... e que a Paula tem a paciência de um deus (ela é uma deusa então isso não conta).
    Sério eu nunca imaginei o Duke como um cara desses que ficam embriagados com o poder...
    -Duke eu sou teu fã do jeito que você é, nunca mude!
    Eu me pergunto como o vista resolveu o problema da viagem no tempo sendo que não é possível mandar matéria para o passado pois isso implicaria em um paradoxo, pois ela já teria que existir ali para estar alí (tá legal isso foi confuso, deixe-me explicar). Você sabe que matéria é feita de energia não sabe? E você sabe que energia não pode ser criada ou destruída somente transformada, sendo assim, para ele mandar matéria para o passado ele teria que destruir a matéria no presente e re-criá-la no passado tudo isso em um nível subatômico, mas energia não pode ser criada ou destruída e como o tempo corre de forma linear (pelo menos na nossa parte do universo (explico isso depois)) seria impossível recriar essa matéria no passado, isso sem contar com o problema do paradoxo, pois se o Vista voltasse para tirar a everstone do Duke ele já teria feito isso logo ele não precisaria voltar no tempo para fazer isso, logo ele não voltaria e não tiraria a everstone do nosso querido pinguim, ou seja, o passado não poderia ser mudado, só se ele tivesse ido para um universo paralelo, mas não vamos mudar de assunto.
    Ah, lembra quando eu disse que o tempo só é linear na nossa parte do universo? Bem isso é interessante veja: Se você viajar da terra até a Proxima Centauri (a segunda estrela mais próxima da terra que fica à 4,22 anos luz da mesma) na velocidade da luz você lavaria, para ir e para voltar, somente algumas horas ou talvez minutos, mas para que ficasse na terra teriam se passado quatro anos, isso porque quando você atinge a velocidade da luz o tempo ao seu redor se distorce, é parecido com um buraco negro, que é resultado da morte de uma estrela, um ponto com massa absurda e gravidade infinita (o que seria impossível de existir de acordo com a nossa física) o buraco negro suga tudo que chega perto o suficiente dele, até a luz (por isso que ele é negro, pois ele não refrata a luz e nós precisamos da luz para enxergar ), e digamos que você é sugado pelo buraco negro e por um milagre (dos grandes) não é atomicamente vaporizado, a partir do momento que você cruzar o limite do horizonte de eventos você iria até o centro do buraco negro, mas, para que olhasse você de fora veria você parado num mesmo lugar sem se mexer e ficaria assim por milhões de anos, porque graças a gravidade do buraco negro você estaria tão rápido que não sairia do lugar, o tempo para você estaria parado, inexistente! Obs.: Ninguém sabe o que tem dentro do horizonte de eventos de um buraco negro, pois a partir dali a nossa física se quebra fica inútil, então pode ter qualquer coisa desde um universo diferente até um universo com leis da física totalmente diferentes!
    Nossa isso ficou grande e olha que eu queria digitar mais... mas eu vou-me-indo para não cansar você com minha tagarelice, e foi um ótimo capítulo Canas, nos vemos depois!
    De: Firewall

    ReplyDelete
  6. Foi válida sua tentativa de me explicar mais sobre as máquinas do tempo cara, mas não adianta muito falar sobre nada que influencie Matemática, Química ou Física para mim kkkkkkkkkkkkkk Sério, companheiro. Depois que comecei a faculdade eu praticamente apaguei qualquer interferência de exatas em minha vida, não tem como, isso ainda não entra no meu cérebro! kkk Mas foi super válido como uma curiosidade, eu nem me preocupei em procurar uma explicação lógica ou física para toda essa ideia de viagem no tempo simplesmente porque os Fire Tales não possuem lógica. É como querer explicar Bob Esponja. Peixes se afogando no mar, coisa do tipo kkk

    Mas muito interessante o seu texto, por mais que eu não entenda e nem vá entender metade de tudo isso kk Deixemos a física para quem gosta. Com Pokémons que influenciam no tempo e no espaço creio que se possa fazer qualquer coisa, a Paula pode dar um jeitinho para ajeitar os problemas causados mais tarde, rs. Esses deuses que ficam nos observando só pra ver o circo pegar fogo... Veremos até quando essa fórmula de viagem no tempo dos Pokémons vai dar certo sem causar algum colapso!

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -