Posted by : CanasOminous Jul 5, 2013

O povo estava descontrolado. As ruas em frente à Liga Pokémon estavam repletas de treinadores e outros protestantes que se manifestavam contra as injustiças cometidas nos últimos anos. Sinnoh não passava por bons momentos, e desde muito antes do poderio de Cynthia a região já estava caminhando em direção de uma panela de pressão. Quanto mais o tempo passava, mais ela fervia, até que por fim estourou.
          Só se falava em Liga, Liga, Liga, e mais Liga por todos os lados. As pessoas só queriam saber da Liga Pokémon, que estava estabelecida para ser realizada no meio e no fim do ano. A saída de Cynthia já adiara uma delas, e com todo aquele conflito dos Conquistadores parecia que eles queriam dar um fim na outra. De uma vez por todas.
Falta de investimento na educação, na saúde, e gastos em investimentos que provavelmente ninguém nunca ouviria falar. Assim que Ike assumiu o posto ele teria a difícil missão de reerguer toda a região, mas os problemas pipocavam de todos os lados. Sua Elite estava se organizando aos poucos, e possuindo uma conexão direta com o governo eles tinham muitas obrigações e deveres a cumprir. Os anos que se passaram foram reunindo ódio na mente de muitos treinadores descontentes, até que surgiram os Conquistadores dispostos a guiá-los e lutar por uma Sinnoh melhor.
Mas parecia que, assim como todo o restante, os Conquistadores também esperavam conseguir um benefício próprio com tudo aquilo. No fim das contas será que eles tentavam lutar por uma região melhor? Ou então reconhecimento e objetivos particulares?
Era isso que Ike esperava descobrir.
No momento o campeão estava reunido com todos os seus integrantes da elite; o novíssimos membro ocupante da primeira casa, Theo, Allen, Mark, Kyle e Lins. Apenas os homens do comando estavam presentes no aposento com papeladas e mais papeladas de documentos importantes. Era uma sala apertada e com toques rústicos da mobília, mas nada daquilo importava naquele momento. A concentração era tanta que os luxos mal receberiam atenção, todos os pensamentos eram voltados para os manifestantes lá fora. Na porta de entrada logo ao lado alguns secretários tentavam avaliar a situação, e viam claramente que ela saía do controle.
— O povo está revoltado!  Eles querem acabar com todos nós — disse um velho secretário apavorado, dizendo apenas o óbvio.
— Então daremos o que eles querem — assentiu Ike.
Mas o secretário logo retrucou.
— Não. Nunca. Jamais! Não iremos interferir na Liga Pokémon de fim do ano, isso traria muito prejuízo para a região! Seriamos piada no mundo todo! E muito menos fazer com que o campeão e os membros da Elite deixem de defender seu posto. Isso é feito em todas as regiões do mundo, por que apenas nós deveríamos mudar?
Ike sentou-se em sua mesa, cruzando os braços enquanto encarava a janela fechada do outro lado.
— Não estou falando sobre cancelar a Liga ou abdicar o cargo, estou sugerindo apenas que comecemos a explicar nossa atual situação, devemos dar ao povo o que procuram.
Mark parecia pensativo do outro lado, de pé logo ao lado de Kyle e Lins que estavam sentados num sofá de estofado cor de vinho. O Elite fantasma levou a mão até o queixo enquanto mantinha os olhos fixos no chão.
— Andei estudando os Conquistadores, e conclui que eles são parte de uma corporação antiga. Nas décadas de 60 e 70, Sinnoh passava por uma fase de mudança. Eram momentos difíceis sob governo de campeões terríveis e ambiciosos, como ditadores. Os Conquistadores esperavam livrar esse domínio, reconquistando seus direitos de volta. Então, eles lutaram para que o último dos Campões fosse substituído e alguém de confiança fosse colocado no posto — explicou Mark.
— Mas qual é, o Ike assumiu o comando não faz nem dois meses! O que eles esperam que nós façamos em dois meses? Estamos tentando, oras! — respondeu Kyle, um pouco impaciente.
— Problemas na região? Cara, essas coisas sempre estiveram aí, e sempre vão estar. Foi juntando tudo de ruim para despencar bem na gente! — Lins acompanhou o comentário de seu parceiro, e mais uma vez o silêncio prevaleceu na sala.
Ike descruzou os braços e foi em direção da janela espiar o que acontecia do lado de fora da Liga. Parecia que muitas pessoas estavam presentes ali, dispostas a invadir a base do Governo e destruir tudo. Por outro lado, alguns pareciam mais discretos e esperavam apenas serem ouvidos. O homem soltou um longo suspiro e chamou pelo velho secretário ao seu lado.
— Quero que organize o povo, ou tente acalmá-los por hora. Eu vou falar com eles.
— Senhor Ike, não acredito que isso seja muito aconselhável... — disse Allen, um pouco apreensivo.
Lins esticou as mãos para o alto e riu.
— Beleza, tu pirou de vez! Se está querendo sair lá fora e levar porrada desses caras, fique à vontade. Prefiro continuar aqui dentro e esperar a raiva passar. Cara, nós temos Pokémons, mas eles estão com paus e pedras!! Eles não querem batalhar contra a gente, eles querem é acabar com a gente.
Ike deu de ombros, disposto a seguir com seu plano.
            — Eles estão aqui, e eles querem ser ouvidos. Não vou ficar me escondendo como um crustáceo dentro de minha concha, e muito menos evitar a luz do dia por ter medo das sombras. Estarei indo. Desejem-me boa sorte.
Seus secretários pediam que ele repensasse no assunto, e provavelmente o já aposentado senhor Cândido teria infartado se a ex-campeã Cynthia decidisse fazer algo assim.
E por sinal, onde estaria ela? — pensou Ike. Mas afinal de contas, do que aquilo adiantaria? Cynthia podia ser uma treinadora poderosa, mas nunca servira para administrar e muito menos para ficar atrás de mesas assinando papéis. Ike tinha experiência com isso desde os tempos da Ex-Elite, mas enfrentar uma multidão revoltada era coisa nova. Ele imaginou se Cynthia daria conta do assunto, mas por um minuto ficou feliz que não era ela em seu lugar, tudo aquilo a teria magoado muito.
Restava-lhe dar conta do recado. E o povo queria explicações.


Assim que Ike saiu pela porta de entrada notou que as pessoas se aglomeravam aos montes e faziam uma baderna imensa, mas calaram-se ao notar sua presença. Ninguém esperava que ele apareceria ali, em carne em osso, disposto a enfrentar qualquer argumento que viesse, colocando-se em perigo acima de qualquer situação. Alguns bateram palma, como se o intimidassem a enfrentá-los.
Ike observava os olhos das pessoas e às vezes se perguntava em qual seria a repercussão de sua mensagem. Muitos eram treinadores, e se eles desejassem interromper os gastos com a Liga estariam atrapalhando os sonhos de ainda mais pessoas. Era claro que Sinnoh passava por tempos difíceis, mas o campeão estava tentando reverter aquilo, precisava apenas de tempo.
O local ficou tão silencioso que poderia ser possível falar sem microfones, mas Ike pediu que providenciassem um para que todos ouvissem, até os mais distantes. Assim que a multidão aquietou-se, o campeão começou a falar:
— Eu sei por que estão aqui. Sei disso, pois vocês carregam as mesmas mágoas que eu. Querem uma região melhor, querem lutar por seus direitos.
As pessoas concordaram aos montes, mas esperaram para ver o que ele tinha a falar.
— Tornei-me campeão há cerca de dois meses. Estive na Liga por muito, muito tempo, e acompanhei diversos campeões. Vi jovens da idade de vocês alcançarem esse posto, sem muita experiência e que não dariam conta da obrigação de cuidar de uma região... Vi homens arrogantes e rancorosos, vi magnatas, vi crianças, e até mesmo amigos que esperei que continuassem aqui para todo sempre... Mas os campeões mudam. As ideias mudam. As vontades mudam.
Pouco a pouco os demais membros da Elite foram chegando, posicionando-se logo atrás de onde Ike discursava. Algumas pessoas continuavam em silêncio, mas outros murmuravam entre si, como se estivessem planejando algo.
— A verdade é que muitas pessoas não sabem das dificuldades que um campeão enfrenta. Ele cuida da região, ele reflete diretamente o estado dela, e neste exato momento posso dizer que nossa Sinnoh está fraca... Muita fraca. E eu não quero isso. Nenhum de nós quer.
As pessoas concordaram, urrando em conjunto como se pouco a pouco apoiassem aquela atitude do campeão.
— O que vocês esperam melhorar? Educação? Assim eu farei. Infraestrutura? Impostos? Saúde? Ouvirei cada opinião.
Um secretário de Ike cutucou-o de lado, como se insinuasse que ele estivesse indo longe demais, mas o homem não recuou.
— Quem sou eu, se não o reflexo de vocês? Certa vez ouvi dizerem que um campeão não ganha simplesmente porque ele é forte. As pessoas o escolhem. Vocês torcem por ele, vocês o admiram, vocês o inspiram. Infelizmente não me tornei campeão como todos os outros se tornam, participando e ganhando a Liga... Mas estou aqui porque em minha época vocês torceram por mim e me inspiraram a lutar por nossos objetivos em comum. Nossos objetivos. Somos uma nação.
Ike respirou fundo antes de continuar:
— Estou aqui para provar que até o fim do ano serei capaz de colocar as coisas em ordem, se me derem essa oportunidade.
Os protestantes de entreolharam, parecendo concordar com aquela ideia. Ike era um homem bom, ele tinha o dom da palavra e as pessoas o admiravam. Foi então que um rapaz tomou frente e ergueu sua voz em contrapartida:
— Nós não queremos você, Ike. Nem você e nem seus amiguinhos da Elite. Deem o fora!
Os demais integrantes da Liga ficaram um pouco incomodados, Lins tinha de ser segurado par anão explodir de raiva, mas Ike permaneceu em silêncio. Não precisou sequer dar uma resposta ao revoltado. As próprias pessoas ao seu lado deram.
— Nós queremos o Ike. Queremos uma região melhor. Se ele diz que é capaz de fazer isso em um ano, vamos dar a chance a ele. Caso o contrário, voltamos aqui e continuamos as manifestações para abalar toda a estrutura da Liga mais uma vez por todas.
— Vocês não entendem que ele é o problema? — respondeu o revoltado.
As pessoas ao seu redor balançavam a cabeça, algumas sem respostas e outras negando o que fora dito.
— Ele veio até nós, falou conosco de igual para igual, e isso já é de se admirar.
— E quanto aos gastos na Liga? O que me dizem?
Ike voltou a falar:
— A Liga será realizada por ser uma tradição no mundo todo. E garanto que vocês estarão lá torcendo como sempre estiveram — disse Ike, o que causou um pouco de revolta nas pessoas. — Isso move o sonho de muitos. E pessoas do mundo todo veem para Sinnoh assistir, de todas as regiões. Isso move nossa economia, realça nossas qualidades, será nossa maior chance de dar um show e mostrar para o mundo o porque de Sinnoh ser a região mais bela e elegante de todas! Mas entendam que isso não irá influenciar em nada o restante. Eu não deixarei que seja uma prioridade. Vamos focar naquilo que deve ser atendido de imediato, e resolveremos uma coisa de cada vez.
Aquele mesmo rapaz de capuz revoltou-se, balançando a cabeça negativamente.
— Eu não vou querer ficar e ouvir essas suas bobeiras.
O rapaz que estivera argumentando até agora sacou uma pokébola de seu bolso e lançou um Snorlax em campo, e finalmente Ike o reconheceu. Era o mesmo rapaz que o desafiara há dois meses, aquele jovem que dizia que todos eles eram covardes e ficavam escondidos atrás de seus títulos sem enfrentar o povo.



Seus olhares se encontraram. Ike teve de esquivar-se, porque o Snorlax avançou com tanta fúria que ele veio a destruir o local onde o campeão estivera discursando. Sua Elite reuniu-se em posição de ataque, e uma parte da multidão dispersou-se, assustada. Ali ficaram apenas os que realmente entendiam por que estavam ali.
— Eu lembro de você. É você quem desafiou a senhorita Cynthia e a todos nós. Parece que finalmente conseguiu o que queria, não? Encarar-nos frente a frente — disse Allen de maneira calma.
— Calem a boca! Eu os enfrento agora, mas estou aqui para provar a todos por que não precisamos de uma Elite. Meu problema não tem nada haver com Sinnoh, com melhoras, e nem nada. É com vocês. Eu vou acabar com vocês!!
O rapaz ordenou que seu imenso Snorlax avançasse novamente, e Ike foi surpreendido por um soco da criatura em sua direção. Ele era o campeão, não queria simplesmente começar a destruir tudo com seus Pokémons. A pokébola do homem remexeu-se e de dentro dela surgiu uma imensa serpente metálica que protegeu-o como sua armadura. O homem sentia que uma mulher estava envolvendo-o com seus braços fortes, e de relance ele conseguiu olhar em direção de seus olhos.
— Tenha cuidado, Mestre. Acabamos de ingressar em uma verdadeira guerra — alertou Titânia, sua Steelix.
Ike assentiu, e sabia que as pessoas ali presentes estavam dispostas a machucar para valer. Seus companheiros de Elite estavam bem dispostos a detonar tudo, como sempre. Lins e Kyle entraram na frente da linha de batalha, e ambos lançaram seus Pokémons. Em campo de batalha assumiu um Tentacruel de múltiplos tentáculos e uma Magmortar com imensas pistolas de lava. Eram dois membros dos Remarkable Five, os cinco Pokémons mais poderosos da região. Para eles, aqueles Pokémons eram mais do que amigos de confiança, eles sabiam exatamente como lutar e liderar. É para isso que eram treinador.
— Ike, seu discurso estava bem legal, até esse cara te interromper — admitiu Kyle.
— E que cara de pau, primeiro dá uma de bonzão e depois vem arrumar encrenca com a gente! É disso que estou falando, tem uma galera aí que nem sabe o que está fazendo, só vão seguindo as ideias. Agora vamos começar a ver quem realmente tem coragem de nos enfrentar — respondeu Lins. — Ei, Kyle. Vamos segurar esse cara para que o Ike continue o que ele estava dizendo.
— Pode deixar. Bonna Party, podemos começar?
— Davy Jones, detone geral.
Os Pokémons se entreolharam, dispostos a enfrentar qualquer desafio.
— Por que você não simplesmente desce o tiro em todo mundo, Bonna? — indagou o Tentacruel.
— Que exemplo nós daríamos, se agíssemos com violência contra nosso próprio povo, Jones? Não se resolve as coisas atirando para todos os lados, resolve-se com disciplina. Se eles não a têm, que se danem, mas vamos mostrar qual a diferença que faz ter um exército organizado. — respondeu Bonna Party, preparando seus canhões.



A Magmortar somente atacou quando o imenso Snorlax foi em sua direção com o intuito de destruí la. Ela não sairia atacando qualquer um para assustá-los, ela defendia-se com o intuito de proteger. Quando a imensa criatura avançou o chão chegou a tremer por seu peso, mas Bonna esquivou-se e deu dois disparos certeiros em seu peito que queimou-o em grande escala devido ao Lava Plume. O Snorlax recuou atordoado e foi empurrado para longe por Davy Jones quando ele o atacou com o Sludge Bomb e o fez escorregar escada abaixo. A imensa criatura recuou até tropeçar nas escadas e cair direto no chão.
O rapaz cerrou os punhos em ódio. Ike encarava o rapaz lá de cima, e então lhe perguntou:
— Qual seu nome, jovem?
— Eu sou Roger, e faço parte dos Conquistadores — ele respondeu com orgulho. — E nós não desistimos tão facilmente.
Mark permaneceu sério do outro lado.
— É o que eu temia. São eles que são contra a Liga, eles é quem estão tentando colocar as pessoas contra nós. Diferentemente dos demais, eles lutam por uma vontade própria, e não por uma região melhor. Não são nada como os Conquistadores que já existiram, eles apenas se escondem atrás desse nome e enganam o povo.
Outros membros juntaram-se ao rapaz, e agora era possível ver que havia uma centena de seguidores dos ideais dos Conquistadores. Alguns tinham pedaços de pau e pedras em mãos. Todos eles pareciam dispostos a acabar com o império dos campeões. Eles não ligavam de destruir a região, queriam apenas tirá-lo dali de cima, e apenas o resultado seria capaz de dizer o que pretendiam fazer a seguir.
Allen arqueou uma das sobrancelhas.
— E o que pretendem fazer? O que acham que vão conseguir com uma região sem a Elite para administrá-la? Vocês ficarão desorientados e sem líderes, não irá demorar para que tudo mergulhe no caos — disse o treinador psíquico, um pouco chocado com a infantilidade daquele jovem.
Roger ficou sem reação.
— Eu detesto a Elite, detesto o campeão, detesto todos vocês!!! — disse ele lançando mais uma pokébola em campo.



O Snorlax voltou a levantar-se, e dessa vez o garoto liberou também um Tangrowth, e os dois imediatamente iniciaram um ataque. O golpe foi desferido contra Allen, que nem sequer tinha um Pokémon em mãos. Mark esquivou-se por pouco, mas um pedaço de pedra foi arremessado em sua direção fazendo-o ser lançado contra o salão de entrada que teve uma de suas paredes destruídas e começou a ruir.
Poeira e estilhaços voaram para todos os lados como facas cegas e sem rumo. As pessoas saíram correndo, os secretários corriam para todos os lados desesperados vendo que a situação saíra do limite. Outros membros dos Conquistadores começavam a aparecer e agora estava claro seus objetivos. O povo, que lutava por uma Sinnoh melhor, havia conseguido o que precisava, que era exatamente chamar a atenção de Ike; mas os demais queriam ir muito além, eles queriam retirá-lo do poder. Ninguém ainda sabia o motivo, mas eles lutavam por isso.
Mark correu para ver como Allen estava, notando que seus óculos estavam quebrados e suas roupas um pouco ensanguentadas. Allen enfureceu-se ainda mais com aquilo, mas seu braço parecia ter sido deslocado, impedindo-o de mover-se.
— O q-que esses caras estão pensando? — indagou Mark, vendo o estado deplorável de seu companheiro.
— Eu só sei que agora estou furioso — respondeu Allen. — Vamos deixar as cortesias de lado, quero acabar com aquele moleque.
Allen sacou sua pokébola com o braço ainda bom, e ao seu lado estava Mark. Ambos jogaram as cápsulas para o alto. Dali de dentro saíram um Dusknoir e um Gallade, seus melhores guerreiros, dispostos a enfrentar qualquer desafio.
— Pronto para liderar mais uma guerra, Presidente? — indagou o Gallade.
— Estou pronto para disciplinar, não para guerrear. — respondeu o Dusknoir com um ar de superioridade. — Por sorte sempre tive muita paciência com crianças, Sonnen. Vamos ver se elas aprendem rápido.
Theo, o mais novo membro da elite, também não ficou para trás. O mais novo músico da equipe retirou os fones de ouvido e preparou sua equipe venenosa para o combate.
— Tashiki, vamos dar um jeito nesses novatos. Não vamos deixá-los destruir aquilo que acabamos de conquistar.
O rapaz lançou a cápsula e de dentro dela uma Arbok surgiu. Era possível notar que ela tinha um rebolado sensual, e ainda assim, seu estilo era peculiar. Tashiki tratava-se de sua mais nova mandante, a comandante de sua equipe, e líder da guilda Chernobyl. A pokébola liberou uma fumaça negra que fedia a cigarro, e de dentro dela a serpente movia-se de maneira soturna.
         Vou mandá-los para o inferno, seus macacos desgranhados — dizia a Arbok, lançando um olhar aterrorizante para seus inimigos.
            Ike acompanhou-os ao lado de Titânia, e por um momento as duas serpentes se encontraram. Então, eles puderam ver mais pessoas se aproximando. Eram outros membros dos Conquistadores, haviam poucos se comparado à quantidade de pessoas que estava ali agora a pouco, mas ainda tratava-se de um número considerável para apenas os cinco membros da Elite.
E os protestantes agora não queriam saber de direito ou melhoras, queriam vingança, apenas derrotá-los para que seu próximo plano fosse colocado em ação. Pokémons agora batalhavam em todas as direções e arremessavam inimigos como se fossem insetos indesejados. Uma parte da polícia fora acionada para proteger os membros, porque entre eles estavam em batalha não apenas os Pokémons, e sim, pessoas.
A polícia tinha de impedi-los, e junto de si cada um deles trazia um Pokémon para a guarda, em sua maioria criaturas metálicas ou do tipo fogo. Havia pelo menos cinco membros dos Conquistadores para cada policial e integrante da Elite. Eles atacavam, e atacavam com força. Pareciam mais dispostos a destruir tudo do que ajudar. O povo finalmente pôde ver as reais intenções dos Conquistadores, e toda a mídia transmitia aquilo.
Ike dizia que iria batalhar por uma região melhor, mas aquelas pessoas claramente não facilitavam isso.
— Senhor, por que estes humanos têm tanta raiva do senhor? — indagou Titânia.
— Eles não têm raiva de mim, têm raiva de si mesmos. O problema é que estes treinadores quiseram colocar a culpa em alguém por seus próprios erros — respondeu Ike. — Eles são fracos. São fracos porque desistiram de seus sonhos e objetivos.
— Os fracos se intimidam. Os fortes abrem as portas e acendem a luz. — Comentou Titânia, citando uma frase que certa vez ouvira. — Admiro a competência deles por lutarem por seus objetivos, mas até hoje penso no que acontece quando dois lados de um objetivo em comum se confrontam...
Ike olhou em direção da serpente.
— Acho que é aí que escrevemos o destino, mudamos o inevitável, ou apenas seguimos com o fluxo do que já estava previsto. Um lado sempre vai ter que sair perdendo, Titânia. Isso tudo só acaba quando um deles abaixa a cabeça e admite a derrota. E este lado não seremos nós.
Titânia retirou sua espada e golpeou uma Beautifly e um Dustox que voavam em direção do palácio da Liga. Outros Pokémons avançavam ao lado de seus treinadores revoltados, mas os integrantes dos Remarkable Five atacavam para defender sua casa, fazendo o máximo para não ferir o inimigo. Foi então que ela viu de longe, um homem envolto em um pano amarronzado e velho, parado no centro do confronto. Ninguém lhe dirigia atenção, mas ele claramente emitia uma aura muito mais poderosa e ameaçadora. Era como se todos os demais fossem comandados por ele, e a última palavra vinha de sua boca.
Era impossível ver seu rosto, mas Allen notou aquilo de imediato. O Elite psíquico ordenou que seu Gallade avançasse em direção do homem que não mexeu sequer um músculo.
— Você é o líder deles — concluiu Allen. Seu Gallade colocou uma das espadas na garganta do homem misterioso. — É você quem está ordenando essa revolta sem sentido.
— Essa revolta por tempos melhores, você diz — respondeu o sujeito encapuzado. — Eu sou a esperança desse povo.
Ele retirou a pokébola de sua cintura, e dela saiu uma criatura raríssima em qualquer parte do globo. Tinha o corpo marrom-avermelhado com manchas alaranjadas e em tom cinza. Seu rosto era coberto por uma máscara de ferro com olhos flamejantes. Quando abria sua boca o magma descia pelos dentes entrepostos e derretia o chão de concreto. Ele movia-se com habilidade, e sua armadura parecia ser tão brilhante quanto o próprio sol.
— H-Heatran? — indagou até mesmo Ike, surpreso.



Titânia recuou apreensiva, até mesmo a guerreira já ouvira falar daquela criatura lendária. Um cavaleiro vestido em armadura completa, com os olhos ocultos em uma máscara de ferro e com baforada aterrorizante de um monstro. Sua boca expelia lava, e quando estava aberta podia-se ter a visão do inferno. Ele era um antigo guerreiro citado nas lendas, ninguém tinha notícias dele há anos.
— Apenas uma pessoa nessa região possui um Heatran, e este sujeito era Forde Ferraris. Ex-campeão de Sinnoh, o tirano — disse Ike.
          Mark estava impressionado.
— Ele já foi um rival de Walter Wallers no passado, mas foi derrotado na competição pelo posto. Quando Walter deixou o poder, ele assumiu o cargo alguns anos depois e foi reconhecido como o pior campeão que Sinnoh já teve. Desde então a região vem sofrendo em todos os sentidos, ele roubou, destruiu, mentiu...
— E está aqui novamente para enfrentar-nos.
O homem retirou o capuz do rosto e revelou a expressão de um homem robusto em seus quarenta anos. Ele claramente era velho, mas tinha um ego e a determinação de verdadeiros conquistadores do passado. Suas sobrancelhas eram marcadas, e por um instante Ike chegou a imaginar como era ver seu velho ídolo Walter enfrentar aquele homem nas finais de uma Liga. Esta deveria ter sido uma das lutas mais espetaculares de todos os tempos.


O Gallade de Allen brandia suas espadas, mas ainda tinha receio em investir contra aquele Heatran, uma verdadeira lenda do Mundo Pokémon. Sonnen encarava seu adversário dos pés à cabeça, como se o analisasse.
— Heatran, conhecido como Brande Pyrom, o demônio das chamas. Já o estudei em alguns livros de guerras antigas. Nível aparente: 81. Status voltado para o Sp. Attack e Speed, com foco em movimentos do tipo fogo e metálico. Seu nível de força é... Mais de 8000? — indagava o Gallade, como se seu oponente fosse parte de um RPG.
— Vamos lá, Sonnen. Não vamos esperar que este homem dite o que é justiça. Utilize o Close Combat! — ordenou Allen.
O Gallade avançou com suas espadas e cortou a armadura de Heatran na região do peito, mas o cavaleiro pareceu mal sentir. Era como um guerreiro alto e de olhos flamejantes, ameaçados à sua maneira e mortal em seus meios de batalha.
          — Não te intrometas em meu momento de julgar, tolo — disse Brande, o Heatran.
O monstro ergueu Sonnen pela gola e sua boca pareceu abrir-se como um buraco negro. Sonnen estava sendo sufocado pelas mãos ásperas das manoplas aquecidos como ferro quente. Sentia que estava a ponto de derreter. Ele tentava soltar-se, mas a força de seu oponente era imensa. Então, quando o monstro pareceu aspirar todo o ar necessário, ele disparou um jato de fogo tão quente que fez o rosto do Pokémon arder em chamas até pegar fogo e queimar completamente.
Bonna Party soltou um grito de desespero, enquanto o Presidente e Davy Jones não acreditavam ao ver como seu companheiro havia sido atacado com tamanha crueldade. Quando o Heatran largou-o no chão seu rosto queimava enquanto as vestes começavam a ficar enegrecidas e consumidas pelas chamas.
— S-Sonnen... — sussurrou Titânia.
Allen estava imóvel em frente ao ex-campeão que mantinha um olhar cruel e autoritário. Seu povo aplaudia a seu favor. Forde apontou em direção de Ike e ignorou todo o restante, dizendo com tamanha força capaz de fazer as mais distantes montanhas ouvirem.
— Ike Smithsonian. — gritou ele. — Eu o desafio para uma batalha!
Lins e Kyle estavam ao seu lado, mas até mesmo eles estavam pasmos com a força e maldade que aquele Heatran dirigia suas frentes de batalha. Era um desafio feito para que todo o mundo ouvisse. A serpente de ferro enrolou-se em volta de seu treinador e perguntou:
— Ike, o senhor... vai mesmo aceitar?
— Que campeão eu seria, se eu negasse um desafio contra minha nação? — indagou o campeão em direção da Steelix que sorriu.
— Eu estava apenas esperando a sua confirmação para entrar nesta luta. Permita-me liquidá-lo, meu senhor.
Ike foi caminhando em direção da arena de combate, desceu as escadas e ficou à altura da zona de batalha onde os Conquistadores enfrentavam a polícia. Fogo queimava no local onde Sonnen fora praticamente incinerado, e agora montes de fumaça também se erguiam de outros pontos que faziam com que o céu ficasse em um cinza plúmbeo ao entardecer. Os Conquistadores estavam todos ao lado d ex-campeão Forde, que permanecia sério e sem demonstrar expressão alguma. As pessoa o temiam, e sua voz grave soava como uma ameaça.
— Bem vindo à sua aposentadoria precoce, Smithsonian.
— E o que espera conseguir após isso, senhor Forde? — indagou o atual campeão. — Retirar-me da Liga? Quer governá-la sozinha e impor seu governo ambicioso e autoritário para dominar as pessoas através do medo?
— Com você fora do comando, não será difícil derrubar os outros. De fato, eu irei destruir um por um e voltarei a governar essa região como sempre mereci. Não se trata de Ligas ou melhoras, não estou ligando para nada isso.
— Você era o líder dos Conquistadores esse tempo todo. Você mentiu mais uma vez, enganou, e como espera poder governá-los? Acha que o povo vai respeitá-lo depois do que você disse?
— Se eles não aceitarem pacificamente, terão de aceitar da pior maneira. Venha, campeão. Enfrente minha fúria e provarei que o verdadeiro cavaleiro da esperança acaba de chegar!

Ike ficou parado em frente à sede do governo, como se ele sozinho fosse capaz de proteger à todos. E de certa maneira, ele sabia que transmitia segurança aos que observavam. Ele tinha de aguentar. Titânia veio rastejando-se como uma serpente metálica em sua direção, e quando pisou na arena de batalha foi como se seu corpo inteiro assumisse a linda forma de mulher que ali enfrentava um cavaleiro mortal em sua armadura efervescida.
Brande Pyrom, o Heatran, caminhava de um lado para o outro na arena, suas mãos formigavam de ansiedade e de sua boca expelia um magma que ao encostar-se no chão criava buracos que liberavam uma densa cortina de fumaça, ocultando-o na escuridão como um espírito do além. Sua armadura irradiava como a luz do sol algumas vezes, e Forde Ferraris carregava em si aquelas mesmas cores vermelhas, vibrantes como o sangue, causando o desespero e o respeito em que o observava.
— Se eu ganhar, você será exilado. Deixará a Liga com todos os seus amiguinhos, e permitirão que nós, os Conquistadores, comecemos nossa nova Era. E continuaremos expandindo nosso território a cada conquista. Sinnoh viverá seus melhores dias como jamais imaginou.
Até mesmo Ike estava incerto. Ele lembrava-se de como Forde já fora um campeão cruel e poderoso. O rapaz não conseguia lembrar-se de como fora sua luta contra Walter no passado, mas estava certo de que poderia reviver aqueles dias.
Ele precisava.
— Este será o nosso maior desafio, Titânia.
— Eu venho me preparando para desafios maiores, meu senhor. Um imprevisto não vai me abalar. Se a senhorita Selena confiava em mim, irei mostrar porque você também pode confiar.
Ike sentiu-se revigorado ao ouvir aquele nome, e agora tinha certeza de que daria tudo de si. Seus pensamentos estavam conectados com os de Titânia. Ele não precisava ordenar, pois a serpente agia sozinha. O campeão ergueu o braço num movimento lento, na mesma velocidade que a mulher desembainhava sua espada, a Anima Argentum.
Com suas vozes em sincronia, eles iniciaram o ataque.
Titânia avançou e fez um corte profundo no peitoral maciço do Heatran. O cavaleiro gritou e de dentro dele vazou magma como um sangue dourado. O monstro golpeou a mulher no rosto, lançando-a contra um pilar que estremeceu com a queda. Titânia percebeu que os movimentos do Heatran queimavam onde quer que acertassem, e por isso ela tinha de manter distância.
— Heatran, utilize o Iron Head! — ordenou Forde.
O cavaleiro avançava com sua armadura pendendo ao corpo e o magma ainda jorrando de suas entranhas. Ele estava desarmado e caminhava apenas com suas mãos jogadas ao chão como se elas pesassem como chumbo. Aquela investida o enfurecera. Quando Brande atacou, Titânia defendeu-se com a espada, e então notou o calor que aumentava ao seu redor somente pela presença do monstro. Era como se ele fosse causar uma erupção ali mesmo.
— Você está morta, garota. Será consumida por mim, fará parte de meu corpo, fundida à minha armadura e condenada à morte lenta e dolorosa das chamas. As chamas do julgamento — grunhiu o Heatran, com sua voz vazia vinda do além.
Titânia ergueu sua espada e o enfrentou.
 Então venha pegar, se acha que consegue me acompanhar.
O monstro avançou, e cada vez mais a arena começava a transformar-se em uma fonte de lava circular que impedia Titânia de movimentar-se como desejava. A mulher atacava com o Stone Edge e o Iron Tail, mas seus golpes eram rebatidos pela armadura incandescente.
Seus companheiros da Liga observavam atônitos. Bonna tinha os olhos fixados na luta, ainda sem acreditar no destino que Sonnen tivera, ela temia que a mais nova integrante sofresse da mesma maneira, mas sentia em seu coração que podia acreditar na estreante da Elite. Davy Jones estaria de olho nas curvas de Titânia, mas estava irritado demais para pensar em mulheres. Presidente e Tashiki ponderavam sobre qual seria a saída da serpente antes que ela própria fosse consumida pelo fogo.
Em breve tudo iria queimar, e a temperatura começava a esquentar.
Os Conquistadores se afastaram, mas Ike e Forde continuaram imóveis. Ambos suavam como se estivessem em uma sauna quente, quase derretendo. Titânia também sentia o suor pingar de seu rosto, e a fumaça liberada pelo Heatran dificultava ainda mais a visão.
 Glória é deparar-se com seu inimigo no campo de batalha e ver-lhe a esperança escapar pelas entranhas. Eu sou o demônio do fogo, eu dei aos humanos o dom de dominá-lo. — Ela ouvia a voz amedrontante de Brande soar. — Sou uma das partes fundamentais que formam a matéria. Você já está condenada por querer brincar comigo.
— Os humanos se viravam muito bem sem o fogo por um tempo — respondeu Titânia. — E acho que podem muito bem dar um jeito agora.
Titânia avançou e teve sua espada rebatida, então, o monstro agarrou o rosto da mulher que sentiu sua pele queimar. Ela gritou de dor, e podia ouvi-lo sussurrar em seu ouvido.
— Moooooooooooooooooooorra..... agora.......
Titânia tentava agarrar sua espada caída, e com um último esforço alcançou-a e foi capaz de cortar fora o braço do monstro. O Heatran uivou em dor, a mulher ficou a espada diretamente em seu elmo dourado, jogando-o contra o chão enquanto ele se contorcia em sua dor. Para finalizar, a mulher fincou sua espada no peito do monstro ao gritar junto de seu treinador o ataque final:

Earthquake

Brande grunhiu de dor, e cada vez mais sentia rancor e ódio por ter julgado sua oponente antes da hora. Titânia forçava cada vez mais a espada que entrava em seu peito, ele tremia e o magma jorrava de seu corpo aos montes. Um terremoto surgiu e toda a estrutura da base do governo foi abalada, uma fissura abriu-se na terra fazendo com que o Heatran despencasse lá dentro, no vazio, e seu fogo fosse finalmente apagado.
Ao término da luta, Ike Smithsonian estava tão acabado quanto seu Pokémon. Era como se ele tivesse participado dela, tivesse lutado e sofrido junto. Forde Ferraris estava com os olhos arregalados sem acreditar na derrota.
— Você tinha os ideais, senhor Forde. — Ike ajeitou a gravata. — Você liderou as pessoas e mostrou para elas que deviam lutar por uma Sinnoh melhor. Porém, no fim de tudo, você apenas decidiu traçar o caminho errado.
O homem gritou de raiva, mas foi impedido de avançar contra Ike pelos policiais que o agarram e finalmente controlaram a situação. Forde olhou para o atual campeão e cuspiu no chão.
— Não existe caminho errado. É fácil percorrer o mesmo caminho quando você sabe o que fazer para acabar com tudo. Você não vai se aguentar no topo por muito tempo, Smithsonian, e muito menos lembrar-se de suas promessas.
Forde estaria sendo preso por desacato à autoridade e formação de quadrilha, enquanto os demais Conquistadores se rendiam. Sua voz ainda podia ser ouvida:
— As pessoas se esquecem rápido demais das coisas, Smithsonian, e quando tudo entrar no caos eu mostrarei porque deviam domar o monstro antes que ele se libertasse!
— Isso fica para um futuro distante, bem distante, senhor Ferraris. Um futuro que você nem sequer estará presente. Deixe o tempo seguir e os novos campeões fazerem o que é certo, ainda acredito que Sinnoh voltará aos seus dias de ouro, como no tempo de Walter Wallers.
Forde recuou.
— Ah, e por sinal, ele mandou um “oi”.
O homem gritou ainda mais enfurecido, guardando em si uma raiva mortal de seu velho rival até que fosse jogado para dentro de um dos carros da polícia, defendido por imensos Pokémons lutadores e grades de ferro que não poderiam ser derretidas pelas chamas.

Quando a situação foi controlada, os membros do Remarkable Five se uniram em volta do corpo de Sonnen. A máscara estava completamente carbonizada, e era possível ver um rosto de um guerreiro desfigurado estampado nela. Bonna agachou-se e carregou o corpo com uma expressão chorosa e arrependida. A moça segurou as lágrimas, mas sabia que não poderia demonstrar-se fraca naquela situação.
Então Sonnen retirou a máscara, e aspirou todo o ar possível.
AUGH!! Ar, ar, ar!! Caracoles, que calor cara, que calor! Agora eu podia jurar que tinha dado um Game Over legal na vida. Por um instante fiquei com saudade do botão reset... Só agora percebi que não dá para pausar na luta contra o chefão... Sorte que minha máscara dava +4 de defesa e  resistência contra fogo. Dei sorte, hein.
          O Gallade olhou para seus companheiros ao redor e acenou. Suas vestes ainda estavam chamuscados
          — Yo! Diga aí, galera. O que tá pegando?
— S-Sonnen, seu idiota!! — gritou Bonna, socando-o na cara diversas vezes.
           — Ouch!! Ouch! Parou aí, Bonninha!! Agora você tá batendo no meu rosto mesmo, não tenho mais minha máscara para me proteger!! — lamentava Sonnen.
           — Foi para o inferno e voltou, hein, garoto? Conheceu Giratina por um acaso? Trocou umas palavrinhas com ele? — brincava Tashiki.
— Há quanto tempo nós não víamos esse seu rosto? — indagou Presidente.
— Sei lá, há uns... milhões de anos? Nem lembro da última vez que troquei de máscara, eu gostava dessa... Qual é, vocês acharam mesmo que eu tinha morrido? Não se derruba um dos cinco notáveis assim facilmente, ainda vão precisar de muito para acabar comigo! — Sonnen se gabava, até receber outro soco de Bonna Party.
        — Esse foi para você apagar mesmo — disse a mulher ainda enfurecida, depois acariciando-lhe o rosto próximo aos seios.  E também para descansar após uma difícil batalha... Graças aos céus vocês estão todos bem, eu não suportaria perdê-los... Obrigada,  obrigada a todos. Vocês lutaram bravamente.

Com a situação controlada, o governo e a Elite ainda demorariam algumas semanas para voltar à rotina. Ike teria de começar a trabalhar na restauração da Liga Pokémon imediatamente, e talvez ainda mais, ele deveria pensar em toda a Sinnoh. Como campeão ele seria o reflexo de seu povo, e agora tinha também um prazo para fazer tudo brilhar até o fim do ano. Era uma tarefa difícil, mas Ike tinha o apoio de seus amigos para encarar qualquer desafio.
— Acha que damos conta? — indagou Theo.
— Claro que sim, estamos aí para isso. Somos tipo uma aliança agora cara, seis machos, acha que tem alguma coisa que não possamos fazer? — brincou Lins.
— Estou confiante nas melhoras, mas não se esqueçam de que ainda temos de treinar — acrescentou Mark. — Daremos o maior show que essa região já viu, e como recompensa, mostraremos também que Sinnoh ainda pode ser um bom lugar para se viver.
Seus companheiros ficaram ao seu lado, reuniram seus Pokémons e encaram ali um recomeço para todos eles, uma nova fase de desafios a serem enfrentados e vencidos. Titânia enrolou-se em volta de Ike que segurou levemente no rosto da serpente e sorriu.
          — Vamos lá, senhor, agora começamos tudo de novo — disse Titânia.
— Companheiros, vamos reconstruir juntos essa nação. — O campeão parou e olhou para o céu. — Vamos mostrar ao mundo que esta é a nossa Sinnoh.


      

{ 9 comments... read them below or Comment }

  1. Cara, surpreendeu denovo. A gente nunca pensa que o s pokemons vão se matar na arena, quando o Sonnen caiu no chão eu parei e fiquei meio assim "é isso mesmo, o Canas vai deixar o Sonnen morrer?" Simpatizei com esse psíquico assim que vi pela primeira vez, o cara acha que a vida é um RPG velho!
    E um rival pro grande Waltão hãn? só por isso já da pra tirar que o cara vai dar muito problema ainda, se tem o Heatran, o que o impede de ter outro lendário? Tudo bem que o Heatran é um pokemon foda(extremamente foda) mas acho que ele não era exatamente o rival do Ereon, pode ser um chute meio improvável mas penso num Dragonite...

    Eu não ia esquecer de falar, Tiiiiiiiih *--*
    Titania mostrou porque está na equipe do campeão- e por que tem um posto tão alto lá- A mulher enfiou a espada no peito do bicho e abriu uma cratera no chão velho- UMA CRATERA. É nesses momentos que eu penso que se ficar rico ainda financio um anime da história dos irmãos Wallers... isso num anime ia ser simplesmente PERFEITO- E eu ia adorar ver a Tiih num desenho animado.
    Você já disse que vai acontecer, todo mundo sabe que vai acontecer, mas eu não consigo ver a luta dela contra o Aerus sendo algo menos que ÉPICA.

    Por hoje acho que é só >< See ya

    ReplyDelete
  2. Diga ae, meu rapaz! Muito obrigado pelos elogios cara, até altas horas da noite aparece gente por aqui, é por isso que adoro férias nos blogs! É meu caro, eu quis transmitir mesmo essa sensação de que personagens podem morrer. Isso deixa a gente tenso no enredo cara, faz a gente duvidar de tudo e todos, e em contrapartida, mostra como vilões são fodas. E o Forde fazia frente ao Waltão né cara, o maluco tem que mostrar que também impõe respeito! kkkk Bom, a princípio ainda estou voltando a trabalhar com essa escrita dos Gijinkas para a fic, a última vez que trabalhei bastante com isso foi no Arco dos Lendários... Mas posso adiantar que estou muito ansioso para trazer ainda mais batalhas nesse esquema! Adrenalina pura!

    Acho que nós poderíamos criar toda uma história para o passado do Walter e do Forde, mas prefiro deixar os Pokémons deles apenas entre esses que já firam citados. Heatran, Salamence... Podem haver outros, muitos outros. Alguns até mais poderosos, mas gosto de deixar que os leitores imaginem esse restante. Daria assunto de sobra para um especial, hein?

    Cara, vou esperar para ver esse anime, hein! Como escritor, acaba visualizando muitas cenas em minha mente, e minha obrigação é exatamente fazer com que vocês também vejam isso. Se você diz tudo isso com empolgação, posso dizer com orgulho que alcancei meu objetivo!! Valeu pela força cara, ver a Titânia em uma luta assim seria um sonho. Ainda acredito que a luta dela contra o Aerus passará como um filme em minha mente, então só me resta aguardar. É como se... Se essa luta já existisse, já tivesse acontecido em meu coração, agora só preciso transmiti-la para o papel... Muito obrigado pela presença parceiro, abração!!

    ReplyDelete
  3. Uau realmente adorei este episódio a revolta tudo me lembra oque está acontecendo atualmente aqui no Brasil como no mundo também...Comecei á pouco tempo ler a fanfic, e nesse pouco tempo me familiarizei com cada personagem e pokémon...

    Sério a Arbok (que ainda não decorei o nome haha' XD) eu me encantei por ela, esse jeito tipo de desprezar as pessoas chega á ser realmente cômico...Parabéns Canas, estou adorando a fanfic >.<

    ReplyDelete
  4. Diga ae, companheiro! Eu havia notado sua presença em alguma outra postagem, mas aí acabei imaginando se você não frequentava o blog há mais tempo e era apenas eu que não tinha notado kk De qualquer maneira, seja bem vindo! Fico feliz que esteja curtindo os episódios atuais, e posso dizer que você pegou uma época show de bola para conferir a história. Sinnoh está em seus últimos dias, então pode ter certeza que todo tipo de informação já foi adicionada, e você não precisará ficar esperando 3 anos para saber como será o desfecho! kkkkkkkkkk Mais alguns meses e alcançamos a Liga, aí você pode ter certeza que ficará ainda melhor.

    O nome dela é Tashiki, meio difícil de decorar, não? Esses nomes japoneses... kkkk Você deu sorte por pegar justamente a inauguração dela na história, antes essa Arbok havia aparecido apenas em um ou outro especial, mas agora é garantido que ela será uma das maiores antagonistas antes do final! Valeu pela presença aí, meu caro. Apareça sempre que puder. Até mais!

    ReplyDelete
  5. Desculpa o atraso rapaz! Mas sabe como é. Nada como começar uma segunda-feira tirando o atraso após uma mágica semana de folga! UHAUAHUAHUHAUHAUHAUHUA Sério, velho, foi o melhor presente que você já me deu! Agora me sinto revigorado e pronto para mais 17 capítulos! Mas vamos falar sobre o capítulo!

    Sinceramente, eu pensei que ia demorar mais um pouco para vermos essa batalha épica entre os Conquistadores e a Liga, mas aí eu vi esse capítulo postado e me lembrei que nada vindo de você é previsível, hehehe. Eu achei esse um dos melhores capítulos da Saga Platina, especialmente porque você introduziu de tudo um pouco. Você soube estabelecer perfeitamente o clima de tensão em torno dos membros da Elite ao terem que encarar essa revolta do povo, soube criar o momento certo para desmascarar a farsa dos Conquistadores, e até mesmo nos deu a honra de podermos acompanhar a "pré-estreia" dos Remarkable Five em termos de batalha. Sério, essa deixou aquele gosto de "quero mais". Se a situação tá assim agora, imagina na Liga! *Me bate, trocadilho horrível*

    Deixo aqui minha mensagem para a Bonna:

    "Sua linda! Eu te amo! Por sua causa agora eu adoro Magmortars! Você é única! Você é espetacular! Você é top! Todo Magmar ou Magmortar fêmeas que eu tiver nos jogos daqui pra frente se chamarão Bonna, em sua homenagem! E manda um beijo pra Elba também, aquela fofa!"

    Bem, retomando a linha de raciocínio... Ainda me lembro de quando você introduziu essa questão da Elite cumprir papel dentro do governo da região. Isso foi uma grande sacada, pois leva a história em torno deles a outro patamar. Será que Sinnoh melhora agora em sua infra-estrutura e demandas gerais? Acredito que sim, porque o Ike manja dos paranauês do ofício.

    Isso aí. Se faltava alguma coisa para essa Elite ser vista como uma poderosa Aliança (não pense que a fala do Lins no final passou despercebida), agora não falta mais. Acho que eles estão no ponto para esperar o Luke e os demais Treinadores que conseguirem as oito insígnias. Mas antes disso tem o Volkner... Vish.

    É isso aí parceiro. Excelente trabalho, como já era de se esperar. Nos falamos em breve!

    ReplyDelete
  6. Diga ae, champz. Desfrute de férias bem merecidas, depois de todo grande trabalho vem um descanso merecido para revigorar as energias kkk Olha cara, eu admito que esperava levar essa conversa de Conquistadores por muito mais tempo, mas quando sentei e fiz minha contagem de capítulos até o Número 100 eu percebi uma coisa... Cara, meu tempo de vida com Sinnoh está contado.

    Eu não poderia mais ficar enrolando e enrolando, a Liga e a Elite tomarão grande parte dos episódios seguintes, e eu precisava dar um fim! Essa conversa de Conquistadores deu vida para o começo da Saga Platina, mas se eu desse continuidade seria apenas para encher linguiça. Tive várias ideias, cheguei até mesmo a considerar que o Volkner fosse o líder da corporação! Mas no fim das contas um leitor descobriu, aí zuou tudo e eu descartei a ideia kkkkk Mas ainda assim, estou feliz em ter fechado essa longa discussão de protestos e Conquistadores, capítulos assim acabam requerendo um pouco mais de mim. Consegui dar um vislumbre de como são os Remarkable Five. Isso tudo já deu uma boa ideia de como será a pancadaria na Liga, não? kkkkkkkk O bicho vai pegar.

    A Bonna é uma personagem que gosto de trabalhar cara, especialmente ela. Costumo fazer com que ela seja exatamente a mandante dos demais membros da equipe, tanto que quando o iDie não está é ela quem assume as rédeas. A Titânia ainda é o foco, mas a Bonna acaba se tornando aquelas coadjuvantes que superam os principais kkkk E assim espero. Tenho grandes momentos de tensão guardados para essa moça e sua batalha na Liga. Gosto de ver a galera gostando desses personagens, isso deixa todos na dúvida de para quem torcer! E pode ter certeza, essa atiradora não vai ser derrotada enquanto não derrubar uns dois da equipe do Luke. E isso será triste. Muito triste. Arceus, eu também não sei mais para quem torcer!! Malditos antagonistas que começam a ser mais legais que os principais...

    Cara, valeu pelos elogios nesse episódio. Acabei não conseguindo dar total atenção para cada membro da Elite, o que eu queria mesmo era que cada Pokémon batalhasse, mas ficaria longo e cansativo. Acho que consegui transmitir a ideia que eu precisava, e de resto só nos resta aguardar e ver como serão as coisas em Sunyshore e na Liga daqui para frente. Semana que vem fecharemos os Contests com o Lukas competindo pela quinta e última fita. As emoções não param cara! kkk Abraços ae, campeão.

    ReplyDelete
  7. Hey Canas õ//
    Resolvi aproveitar hoje, que ficaria em casa, para voltar a me atualizar com os capítulos. E creio que estes serão os melhores capítulos da temporada, pelo que vi você comentando. A oitava dezena, não? kkkkk Vamos lá!

    Tenho que dizer que há duas coisas diferentes: Ver os Remarkable Five reunidos com piadas e brincadeiras, e agora vê-los em ação. Cara, foi um vislumbre do que estes guerreiros são capazes. E se a própria Titânia respeita os caras, é porque eles são mesmo fodas. Adorei todo este clima que você mesmo citou, de que alguém poderia morrer no final. Não posso deixar de comentar que foi uma coincidência muito engraçada de termos os Conquistadores na mesma época das revoltas que ocorrem no Brasil. É como se vissemos as mesmas coisas, mas desta vez você quer que o governo ganhe. Foi difícil, pois senti que o povo (os que não estavam lá para atirar pedras e quebrar tudo) tinha certa parcela de razão, mas eu não queria acreditar, queria que a elite vencesse. kkkkkkk Foi como ver a situação por outro ângulo, e posso dizer que você me deixou dividido nisso. Reparei na Tashiki, aquela moça. Eu havia visto um post a respeito dela, mas não parei para ler onde ela realmente estava envolvida. Creio que eu teria mais surpresas se tivesse acompanhado o Support Primeiro. Mas enfim, essa linda senhorita parece ser foda, cara. Começo a montar pequenos esquemas de lutas, ou no mínimo relações que ocorrerão durante a liga. Sophie e Sonnen, Mikau e Bonna, Wiki e Jones (kkk Já pensou?), General e Presidente, Vista e iDie, e claro, Aerus e Titânia. Canas, sinto que adorarei a liga, seja pelo que você fizer nela. Você montou muitas coisas, por assim dizer. Preparou bastante o terreno para que quando chegássemos lá não fosse uma lutinha sem graça, com um monte de bichos se atacando. Vai ser uma verdadeira guerra, por assim dizer.

    Poxa, o cara tem o Heatran! Fico imaginando este guerreiro da mesma forma que você falou, um verdadeiro homem de armadura, com poderes de lava. Consegui imaginar cada instante da luta dele com a Titânia, como um verdadeiro anime em minha mente. Devo dar-lhe os parabéns por estas descrições invejáveis. Aqui deixamos de chamar de batalha Pokémon. Agora é só batalha. Você consegue aproveitar o melhor de cada Pokémon, e isso é muito legal. E você quase me matou do coração com o Sonnen quase morrendo kkkkkkkkk Quando vi no fim que estava tudo bem, senti vontade de fazer o mesmo que a Bonna e socá-lo. kkkkkkkk' Impecável, cara, adorei este capítulo. Os Remarkable Five não são apenas nome, e sinto que ainda não os vimos mostrando do que realmente são capazes. A Liga será inesquecível...

    ReplyDelete
  8. Eu aqui atrasadão e voltando a atualizar meus comentários \õ
    HAUHAHUAHUAHUAHAUH'

    MANO, ESSA REVOLTA FOI MUITO LOUCA! FOI TIPO: AAAAAAAAAAAH! E DEPOIS FOI TIPO: UOOOOOOOOOOOOOH! E DEPOIS FOI: UUUUUUUUUUUUHUL! Que batalha épica! Simplesmente épica! Eu não esperava que isso fosse acontecer, quer dizer, não desse jeito! Mas foi foda para caramba. Os Conquistadores finalmente brigaram para valer e mostraram o que queriam, mas é uma pequena que a Elite estava lá para dar um jeito em tudo e chutar a bunda desses sem noção. Yeah \õ/

    Mas o real brilho do capítulo foram as batalhas! E que batalhas! Tudo num estilo RPG que está se tornando bem característico de Sinnoh. E isso foi demais! Quando o pessoal da Remarkable Five começou a lutar foi tipo aquelas cenas de filme onde os fodões chegam na hora mais crítica e quebram tudo para salvar os fracos e oprimidos! E manolo, a Titânia é foda! FODA DEMAIS! A grandiosa serpente de metal, linda maravilhosa contra o maldito monstro de lava! Histórias serão contadas até o fim dos tempos sobre esse confronto, meu bom rapaz! Titânia marcou história! KKKKKKK'

    E no fim de tudo, as coisas se aprumaram... Por enquanto. Até porque em Sinnoh tudo pode acontecer! Foi simplesmente épico esse confronto, e agora a Liga se aproxima! Se essas batalhas já foram ótimas, imagina só quando chegar na reta final? *OOO*
    See ya

    ReplyDelete
  9. PONTE QUE PARTIU, CANINHAS, POR ONDE EU COMEÇO???
    CACETADA, MANO, HÁ QUANTO TEMPO EU NÃO FICAVA QUASE QUE GRUDADA AO MONITOR DE TANTA TENSÃO EM CADA LINHA? PELO AMOR DE ARCEUS E GIRATINA, TEM TANTA ADRENALINA PERCORRENDO MEU CORPO QUE EU PODERIA CORRER QUILOMETROS! *WWWW*
    Tá, tá, eu vou me acalmar. ~respira fundo~ MENTIRA VOU NÃO PQ ASKDASKDAKSDAKSDKASDKASDKASKDASKD CARA, QUE LUTA FODA! E EU REALMENTE ACHEI QUE O SONNEN TINHA MORRIDO E NO NO NO NÃO ACREDITO QUE TU FEZ MAIS ISSO NO PODE SÊ TT.TT E AÍ A TIH ENTREOU NA BATALHA E ASDKAKDASKDASKDASKDAKSDKASDKASDKASKDASKDASKD MDS GENTE EU TINHA ME ESQUECIDO DE COMO A TIH É FODERÁSTICA EM BATALHA - MENTIRA NÃO DÁ PRA ESQUECER ALGO ASSIM MAS REVER ISSO É <3 <3 <3 ASDKAKSDASKDKASDKAKDAKSAKSD E DETALHE QUE EU LI A BATALHA AO SOM DE WINTER E MDS WINTER É A MELHOR MÚSICA DO GRUPO DAS FOUR SEASONS, PRINCIPALMENTE PRA BATALHAS
    ~respira fundo de novo~ Tá, acho que agora a adrenalina tá baixando. Acho -q Mas, bem, para fechar o coment. Graças aos céus o Sonnen estava com a máscara que dava resistência a fogo \o/ E eu confio no Ike. Confio que ele quer fazer o que promete, e que de fato pode conseguir. Ah, e já comentei sobre a Bonna? Ain, gente, realmente adoro ela <3 (e, btw, adorei a Tashiki também <3 ) E, well, tudo está bem quando termina bem, né? Quem queria ser ouvido foi, e quem só queria baderna foi preso. Justo u-u

    P.S. Eu falei junto no Earthquake. Ou melhor, eu gritei. Mommy até veio ver o que era, mas acho que ela desistiu quando viu meu sorriso psicótico -qqq (sim, eu fico com sorriso psicótico quando vejo alguém que merece se ferrar se ferrando (ainda mais se for na mão de uma favorita minha <3 ))

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -