Posted by : CanasOminous Dec 16, 2014


CAPÍTULO 8
Queimando Como Fogo

O sol ainda escondia-se por trás das cadeias montanhosas de Hoenn. Era por volta das sete horas da manhã, com o passar da noite esperava-se que todos tivessem um descansado merecido antes de atacar o Team magma, e apesar do grupo ter ficado muito tempo acordado, cada um dos soldados do batalhão pareciam revigorados e prontos para seguir em batalha. Kenji havia preparado um café da manhã reforçado para seus companheiros, e agora eles apenas esperavam que Courtney acordasse.
Brendan preparava-se como se fosse sair em uma jornada Pokémon, mas era uma sensação diferente, era como estar em uma batalha dos vídeo games que sempre apreciou, ou então em seu próprio mundo de escrita e imagináveis aventuras heroicas. Sentia como se estivesse ao lado dos guerreiros mais fortes do mundo, e por isso daria tudo de si.
— Vamos lá Mudkip, hoje nós iremos dar o nosso melhor!
Brendan correu descendo as escadas e deparou-se com seus companheiros com mapas e compassos sobre a mesa. Kenji era um ótimo estrategista, e Pierce tinha acesso à todos os mapas do Magma Hideout, e por isso eles poderiam bolar uma tática adiantada e atacar através do elemento surpresa. Era raro ver Pierce trabalhar sério, mas quando ele vestia seus óculos era evidente que ele estava se muito concentrado em algo. Apesar de não possuir nenhuma formação acadêmica, ele conhecia muito da geografia das áreas, e sua ajuda na equipe seria essencial.
— Poderíamos usar a área de treino de cada batalhão e no caminho de volta implantar bombas em cada corredor de forma estratégica. Teremos cerca de sete minutos para evacuar a área, mas é tempo mais do que suficiente se utilizarmos a passagem do sul. — explicou Pierce com um dos mapas em sua mão.
— Bombas seria algo divertido. Colocar aquele lugar abaixo... — comentou Kenji, servindo um belo prato de comida para seus companheiros enquanto ajudava na cozinha.
Brendan sorriu e cumprimentou os colegas na mesa, sua mãe também estava acordada e já fora informada da invasão que eles realizariam, embora para ela aquilo não passasse de uma simples diversão para seu filho. Como de costume, a última a acordar era sempre Courtney. A moça desceu as escadas e logo chamou a atenção de Brendan que bebia um copo de leite, ela vestia um vestido vermelho e ainda estava com seus cabelos molhados, parecendo ter saído do banho há pouco tempo. Era a primeira vez que Brendan a via tão delicada, parecia ser uma jovem estudante com seu rosto doce e juvenil.
— Acorda garoto, você estava olhando para mim parecendo enfeitiçado. — disse Courtney, dando um leve tapa na cabeça de Brendan que saiu de seu transe.
— N-Não faz isso comigo! Eu só estava pensando... — retrucou, recebendo um doce sorriso por parte da moça.
Courtney espreguiçou-se, e logo colocou um pouco café em uma xícara. Ela esticou suas pernas e direcionou seu olhar para a janela que dava visão para o Mt. Chimney. Por um momento ela pôde sentir a dor do fogo em seu abdômen, colocando a mão por cima da roupa na tentativa de não evidenciar a dor que sentia, embora Brendan percebesse que ela ainda não estava completamente recuperada.
— Já avisou sua mãe que você vai sair em uma missão super importante e pode nunca mais voltar? — perguntou Courtney.
— Falei sim, e ela só disse que era pra mim voltar antes das oito... Acho que ela não entendeu a raiz da questão, mas isso não importa, afinal, eu vou voltar de qualquer maneira. — riu o garoto.
Courtney gostava da perseverança de Brendan, e sabia que os dois seguiriam juntos até o fim. 

A estratégia já estava pronta, Pierce arrumou seus mapas e colocou-os em uma bolsa que guardava em seu cinto, preparando seus companheiros que deveriam agir muito rapidamente naquele instante.  Courtney havia pedido pelo menos cinco minutos para resolver sua situação com Maxie antes que as bombas explodissem, de modo que eles tivessem de aumentar o tempo para que não corresse perigo de ninguém ficar preso dentro da corporação. Courtney ainda esperava o momento de sua vingança contra o homem, e não desistiria enquanto não o encontrasse.
— Ae pivete, você tem certeza que consegue fazer isso mesmo? Eu não duvido do seu potencial, mas é que agora a situação vai ficar bem séria, e os Magmas estão sempre armados com Pokémons fortes. — disse Pierce.
— Não se preocupe, eu tenho a minha arma secreta. — disse Brendan com um sorriso, rodando uma pokébola de aparência diferente em sua mão.
— Está falando do Mudkip?
— Claro que não! — disse Brendan, notando uma triste feição na cara do pequeno Pokémon — Quero dizer, ele também irá me ajudar muito, mas o mais importante é que ontem à noite eu encontrei um presente que eu havia pedido para o meu tio lá de Sootopolis. Dentro desta caixa havia esta pokébola que contém um Pokémon muito poderoso.
Brendan lançou a pokébola no quintal que liberou uma série de brilhos espetaculares que enxiam as redondezas de beleza e graça. A forma de uma serpente marítima foi tomada, revelando assim uma Milotic tão linda quanto qualquer outro Pokémon. Aquela serpente pertencia à um dos tios do garoto, e por evoluir em um nível baixo faria com que Brendan tivesse total controle da criatura. Ela tinha escamas brilhantes e reluzentes, sua cauda balançava como um toque suave e ela tinha um olhar sedutor. Na realidade, aquela Milotic o lembrava muito da própria Courtney, pois para ele era a Pokémon mais linda do mundo.
— Caramba, maluco!! Um Pokémon aquático como esse será o suficiente para a gente acabar com todo mundo lá na base! Se deu bem carinha, esse sim vai ter sucesso no futuro! — brincou Pierce.
— Vamos logo rapazes, não quero demorar nem um instante para chegarmos logo ao Magma Hideout. Sinto o meu sangue fervendo, e não estou disposta a voltar atrás. Afinal, tenho a sensação de que encontrei aquilo que busquei durante toda a minha vida. — sorriu Courtney, lançando um rápido olhar para seus companheiros e lançando uma pokébola na sequência.
Os três soldados possuíam seus Golbats para realizar a viagem área, enquanto Courtney tinha seu fiel Swellow em mãos. Brendan não possuía um Pokémon voador, mas não demorou até que eles vasculhassem a área em busca de um Taillow que pudesse leva-los até o local para em seguida ser solto.

Seria uma viagem longa, e o grupo de Courtney sabia exatamente o que fazer. O Mt. Chimney se aproximava, e ao chegarem eles haviam se infiltrado atrás de algumas rochas onde eles sabiam que os Magmas não realizavam a patrulha. O Taillow de Brendan acabara por decidir continuar seguindo com o jovem, que aos poucos começava a formar uma equipe de Pokémons poderosa.
Donny trazia uma série de bombas em sua mochila gigante, de modo que os três soldados fossem infiltrar-se na base para instalá-las pela amanhã e fossem utilizadas às seis horas em ponto, quando a vigilância era diminuída e grande parte dos soldados saíam para descansar.
— Chefia, nós iremos fazer nosso serviço bem rápido, mas assim que voltarmos nós esperaremos o horário e atacaremos a base causando uma explosão. — explicou Pierce.
— Infelizmente é melhor a Senhorita não ir junto conosco, e nem mesmo o pequeno Brendan, pois os outros iriam facilmente reconhecer uma mulher e uma criança. Nós três, por outro lado, estaremos disfarçados e passaremos a colocar as bombas em lugares estratégicos. — continuou Kenji.
— Por favor, voltem à salvos. — implorou a moça, segurando no ombro de Pierce que lançou um último olhar para ela.
Pierce suspirou e em seguida deu um sorriso.
— Qual é, você acha que a gente ia se meter em encrenca? Somos o esquadrão Fogo Azul, principal do seu batalhão, a gente nunca comete enganos! — brincou ele.
Courtney sorriu e logo se sentou atrás da pedra novamente. Os três soldados saíram em disparada e logo deixaram os dois para trás. A moça confiava em seus companheiros, mas sabia do que os Magmas eram capazes de fazer caso eles fossem pegos.
— Boa sorte. — desejou ela com um suspiro final.

• • •

Pierce, Kenji e Donny estavam disfarçados com coletes negros e vermelhos no mesmo estilo dos Magmas, embora tapassem seus rostos com óculos escuros de modo que os outros não tivessem a oportunidade de examiná-los. Apenas Donny teria mais dificuldade, de modo que ele tivesse que ser coberto quase que por inteiro para que os outros não notassem sua altura e seu tamanho físico que já era bem conhecido na facção.
— Japa, você segue pelo lado oeste. Café, vai pelo lado leste. Eu estarei implantando bombas nos corredores até o norte, mas precisamos estar atentos para que ninguém sequer descubra nosso disfarce. Caso alguém suspeite, não hesite em apagá-lo — explicou Pierce, colocando seu capacete e em seguida segurando uma mochila com explosivos.
O homem fez um rápido sinal para que os três se dividissem, e assim, começassem a implantar as bombas. Pierce sabia muito bem onde posicionar cada uma, e a tática de Kenji era boa o suficiente para que não houvesse enganos. 
Donny tinha dificuldades em colocar as bombas, ele era desengonçado e os explosivos pequenos demais para suas mãos brutas. De repente, um soldado acabou por passar ao seu lado, perguntando o que ele estava fazendo.
— Eae novato, o que faz aqui? — perguntou um integrante dos Magmas.
— Hm, eu sou mecânico. — respondeu Donny sem saber muito bem o que responder.
— Ahh sim, então siga em direção desse corredor até o final e você vai encontrar a televisão quebrada, e se conseguir também aproveita e coloca uma antena sem fio pra gente. — respondeu o soldado, continuando seu caminho, mas logo em seguida retornando — Espera um pouco, você não é o Donald Coffey, do segundo batalh...?
Antes que o homem pudesse terminar ele já tinha levado um soco que o colocra totalmente fora de órbita. Donny fazia gestos estranhos percebendo que havia feito algo errado, mas logo deitou o soldado sobre uma maca que havia nas redondezas e continuou a implantar as bombas.

Pierce tinha uma velocidade absurda, e ele corria muito para finalizar o serviço e logo retornar para colocar o plano em prática. De fato, ele é quem tinha o maior risco ao aproximar-se da sala de Maxie, e ao passar próximo a porta de seu chefe ele não hesitou ao ouvir estranhas conversas vindas da outra sala. Pierce encostou sua orelha sobre o chão de forma que pudesse escutar o movimento dentro da sala, concluindo que haviam duas pessoas no local. Ele aproximou-se da parede de rocha e passou a ouvi-las.
— O seu batalhão falhou em acabar com uma garota? UMA garota? Não sente vergonha, Tabitha? O principal batalhão dos Magmas sendo derrotado por uma garotinha indefesa que nem mesmo conseguia  levantar-se? — indagou Maxie furioso.
— Mas, Senhor, trata-se da Garota Flamejante. Você sabe do que Courtney é capaz, e além disso, ela está na companhia daqueles três soldados que você expulsou da equipe. O plano deles fugirem falhou, e parece que agora eles seguem viagem com a moça. — explicou Tabitha.
Maxie pareceu erguê-lo pela gola a ponto de dar-lhe um soco, mas sua postura de chefe falava mais alto, de modo que ele soltasse o comandante e se virasse para sua mesa.
— Precisamos dessa garota morta. Ela não vai cumprir a missão, e caso isso aconteça é muito provável que ela vá contar nossos planos para a polícia ou para o próprio Norman. Ela é uma ameaça, e deve ser morta o quanto antes. — disse o homem — Está dispensado, Tabitha. Continue seguindo com sua equipe e trate de armar novos soldados para atacar novamente. Na próxima ela não escapa.

O comandante fez um rápido sinal de continência e saiu da sala às pressas, não demorou para que Pierce pegasse uma certa distanciasse e o imobilizasse por completo, de modo que Tabitha não pudesse nem mesmo gritar para chamar por socorro.
— Ei, campeão, lembra de mim? Eu estava concorrendo junto com você ao cargo de sub administrador do primeiro batalhão dos Magmas, mas adivinha? Eu tô fora da facção e vou acabar com todos vocês. — disse Pierce, amarrando a boca do homem e amarrando-o com cordas — Você é desprezível em ter fingido ser amigo da Courtney durante todo esse tempo, e eu não vou hesitar em acabar com esses amigos falsos dela.
Pierce amarrou-o e implantou uma bomba logo na parede em cima de Tabitha, o que causava pânico no homem que não conseguia livrar-se de modo algum.
— Diga, Adeus, companheiro.
Pierce havia finalizado seu serviço, e logo ele já se preparava para deixar a base dos Magmas. Ele não sabia se Kenji e Donny haviam feito conforme o planejado, mas logo seriam seis horas, e eles precisavam correr para retornar ao lugar que sua líder estava e preparar a explosão.

Courtney permanecia séria enquanto encarava o chão de forma preocupada. Ela confiava em sua própria força e na de seus amigos, mas por um momento sentiu medo de perdê-los, principalmente agora que ela havia finalmente encontrado aquilo que sempre buscou, que eram amigos e uma família que se importasse com ela. Brendan suspirava cada vez que direcionava seu olhar à entrada da base e não via ninguém, ele teimava em olhar para o relógio que avançava com pressa, o que causava um certo desconforto no garoto.
Ele olhou para Courtney que parecia muito nervosa, ela mordia seus beiços de ansiedade e parecia muito querer ter alguém ao seu lado. Brendan aproximou-se dela e sorriu.
— Lembra do livro que lemos aquela noite? Por mais que você fosse uma vilã, eu sempre soube você tinha um bom coração. — disse Brendan com um sorriso.
— Eu lembro que a personagem daquele livro morria de uma terrível doença no final. Então, ela virava uma linda estrela que guiava o protagonista em torno de sua vida. — respondeu ela com um sorriso ao lembrar-se do que acontecera.
— Se agora fosse noite eu gostaria de olhar para o céu com você ao meu lado. Deve ter uma estrela lá em cima que te representa.
— Está falando que eu vou morrer?
— C-Claro que não! Eu apenas queria dizer algo especial pra você, mas o problema é que... Ahh, eu me enrolo todo e nunca consigo falar o que sinto!! — resmungou Brendan.
Courtney aproximou-se do garoto que agora estava deitado no chão sem saber como encarar a moça. Ela deitou-se sobre ele e ficou por cima com seu corpo inclinado, encarando-o nos olhos, como se estivesse extremamente curiosa em saber o que ele tinha a dizer. Brendan virava o rosto por não conseguir olhar profundamente nos olhos de Courtney e dizer o que sentia, suava frio enquanto sentia o leve peso da moça sobre seus ombros. Seus olhos eram tao vermelhos quanto as chamas de amor que ardiam em seu coração.
Permaneceu nos devaneios de seus pensamentos, os dois se encararam por alguns segundos que mais pareciam diversas horas de olhares apaixonados, mas logo Courtney tornou a interrompê-lo:
— O que você queria falar?
— Não era nada, só bobeira da minha cabeça.
— Me conta. — implorou ela.
— Eu te conto quando chegarmos em casa.
— Seu maldito! Você sabe que eu sou curiosa, e agora vai me deixar esperando até lá?!
Courtney segurava Brendan que continuava a dar risada com a curiosidade da moça, mas os dois logo foram interrompidos quando Pierce e os outros dois saíam da base às pressas. Pierce correu para trás da pedra e jogou-se no chão para que não fossem vistos. Parecia que alguns Magmas já estavam saindo da base, e aquela seria a hora perfeita para que eles atacassem.
— Missão completa, chefia. — disse Pierce, fazendo um sinal positivo com seu polegar.

O grupo esperou somente mais um pouco, e ao sinal de Courtney, eles adentraram. A intenção da moça era somente tirar satisfação com Maxie, e ter o gosto de derrotá-lo como nunca fizera antes. Kenji e Donny continuariam escondidos atrás da pedra, monitorando o movimento dos companheiros e a explosão das bombas, somente no aguardo da autorização para que a base fosse implodida. E por esse motivo, Courtney não poderia levar muito tempo em sua conversa. 
Brendan e Pierce corriam ao lado da moça que seguia com perseverança. Eles adentraram a base e correram pelos corredores com pressa. Courtney conhecia aquele local muito bem, e por isso rumava diretamente em direção da sala de Maxie. Porém, em um dado momento, Pierce virou seu caminho e disse ainda ter algumas coisas a resolver.
— Te encontro na saída princesa, não vai se meter em apuros também e implorar por seu cavaleiro vir te salvar! — brincou Pierce com sua ironia.
— Obrigada, seu idiota. Agora cumpra seu dever. — respondeu ela com um sorriso, sendo este o seu singelo jeito de demonstrar o quanto estava feliz com alguém.
Brendan agora era o único que corria ao lado de Courtney, ela sabia exatamente para onde gostaria de chegar, e teria cerca de quinze minutos para resolver suas contas com Maxie.
— Garoto, não precisa me seguir se não quiser. — disse ela.
— Você não se livrou de mim na primeira, não vai ser agora que vai se livrar. — respondeu Brendan ofegante enquanto corria.
A mulher não tinha tempo para sorrir, mas estava feliz em ter o garoto ao lado. Ela continuou seu caminho pelos corredores intermináveis da corporação até que finalmente alcançou a sala de seu chefe. Ela não poupava sua educação escassa em dar as boas vindas, chutando a porta com força e encarando o homem que agora parecia surpreso. Ao lado de Courtney estava Brendan, que carregava uma pokébola em sua mão.
— Você brincou com o fogo, agora aguenta se queimar. — disse Courtney com ferocidade.


{ 7 comments... read them below or Comment }

  1. Canas, que episódio mais best! Foi o melhor que já vi! Estou ansioso ao ver a batalha entre Maxie contra Courtney e Brendan. O que o Pierce vai fazer? As bombas realmente serão explodidas! Parabéns pelo episódio de hoje!

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 25/01/12)

    ReplyDelete
  2. O melhor até agora! Parabéns Canas.
    — Você brincou com o fogo, agora aguenta se queimar. — disse Courtney com ferocidade.
    UI! Aguardo a batalha.

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 25/01/12)

    ReplyDelete
  3. Yo Canas! Deixe-me analizar esse belo capítulo!
    Puxa, eu estava certo, ein? haha. A arma secreta era uma linda Milotic! Wow e bota linda nisso, adoro as Milotics, elas tem um charme único. Ora, e o Pierce mostrando seu lado inteligente foi ótimo e de grande ajuda para os cinco. Realmente a mãe de Brendan não entendeu o que ele queria dizer com explodir uma base secreta de vilões ^^'

    O Capítulo ficou demais, mostrando cada vez melhor o lado romântico de Courtney e Brendan. Adorei isso, e principalmente o uso das descrições para enfatizar cenas dramáticas, que nos deixam vidrados na tela. Está de parabéns, cara, estou ansioso para o próximo Capítulo!

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 25/01/12)

    ReplyDelete
  4. Adorei o plano de detonar com tudo. A mãe do Brendan não entendeu mesmo o negócio da invasão, só falou pra ele voltar antes das oito rsrsrsrs. Hmm... Então o Brendan vai falar o que ele sente pela Courtney quando chegarem em casa, é isso está se mostrando um amor bem forte. Adorei a parte que a Coutney entra quebrando tudo na sala do Maxie, ainda acho que vai ocorrer um imprevisto na hora de fugir...
    Bem vou ficando por aqui.
    João_Victor

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 26/01/12)

    ReplyDelete
  5. Nossa, cara, melhor episódio até agora! Muito mistério e ação, o que deixa o pessoal ligado.
    Estou com medo no que vai dar essa conversa entre courtney e maxie, já que maxie é inteligente e talvez perceba que estão armando para ele. Adorei a parte final em courtney chega a todo vapor na sala de maxie, deixando ele assustado(o que é difécil, pelo que vimos dele até aqui).

    Enfim, Parabéns por esse episódio, e espero ansiosamente pelo próximo.
    Snow

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 27/01/12)

    ReplyDelete
  6. COURTNEY FUCK YEAAH!!!
    O Pierce não vai trair ela ou morrer né? D:
    Em histórias, quando um se separa do grupo assim, acontece uma dessas duas coisas.
    Capitulo legal! A minha unica dúvida foi se um Taillow conseguia levar Brendan XD
    Aguardo próximo capitulo!!

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 28/01/12)

    ReplyDelete
  7. Ui! Ele vai se queimar! XD
    Brendan muitchu corajoso em arriscar a vida numa coisas dessas, ainda acho que ele,Courtney ou Perce vão morrer, ou dois deles, ou os 3 :(
    Espero logo o capitulo 9 quero muito saber o que acontece! *---*

    (Comentário original feito na Arena Pokémon, no dia 31/01/12)

    ReplyDelete

- Copyright © 2011-2017 Aventuras em Sinnoh - Escrito por Canas Ominous (Nícolas) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -